yw7wlgl7big377l
  • Corbis / Latinstock
    u2t7p2xeep22x68
    EDITORIAL
    A volta das revoluções
    As revoluções estão de volta. Elas ocorrem quando menos se espera e muitas vezes surpreendem por seus protagonistas se constituírem como novos atores políticos.[...]
    por: Silvio Caccia Bava
    27/09/2011
    Leia Mais →
  • Corbis / Latinstock
    yw7wlgl7big377l
    EDITORIAL
    Dossiê 7

    A volta das revoluções

    27/09/2011
    Leia Mais →
  • Corbis / Latinstock
    u2t7p2xeep22x68
    EDITORIAL
    A volta das revoluções
    As revoluções estão de volta. Elas ocorrem quando menos se espera e muitas vezes surpreendem por seus protagonistas se constituírem como novos atores políticos.[...]
    por: Silvio Caccia Bava
    27/09/2011
    Leia Mais →
  • APRESENTAÇÃO
    Nada disso impedes, Nicolas….
    Em Une lente impatience (Uma lenta impaciência), o filósofo Daniel Bensaïd escreve: “Certamente, tivemos mais noites infelizes que manhãs triunfantes. E, graças à paciência,[...]
    por: Silvio Caccia Bava,Dominique Vidal
    27/09/2011
    Leia Mais →
  • Corbis / Latinstock
    TRABALHADORES
    Mother Jones, mãe do sindicalismo norte-americano
    Hoje, Mother Jones parece ter caído no esquecimento. Mas, no início do século XX, ela foi uma das mulheres mais célebres dos Estados Unidos, simbolizando o vigor do movimento operário numa época em que ainda havia um Partido Socialista no país, pelo qual se apresentavam candidatos respeitados
    por: Silvio Caccia Bava
    27/09/2011
    Leia Mais →
  • The New York Times / Latinstock
    MULHERES
    A tragédia da emancipação feminina
    Presa diversas vezes nos EUA, Emma Goldman exilou-se na Rússia em 1917 e, 20 anos depois, combateu o fascismo na Espanha. Anarquista, foi também uma ardente feminista que, apesar de algumas concepções datadas, várias vezes antecipou suas herdeiras da luta pela igualdade de gênero
    por: Silvio Caccia Bava
    27/09/2011
    Leia Mais →
  • Gabriel Fraga
    MOVIMENTO GAY
    Homossexuais e subversivos
    Há 40 anos nascia na França a Frente Homossexual de Ação Revolucionária, que juntava revolução de costumes e transformação social. Se os vínculos com os partidos tradicionais custaram para se estabelecer, essa criação liberou o discurso, testemunhando a irrupção das minorias no interior da extrema-esquerda
    por: Silvio Caccia Bava
    27/09/2011
    Leia Mais →
  • Gabriel Fraga
    NEGROS
    Os Panteras Negras na conquista de Oakland
    As imagens dos tiroteios com a polícia ofuscaram uma parte da ação do Black Panther Party. Inicialmente pró-luta armada, o partido usou a política local como trampolim para a mudança social. Em Oakland, os Panteras ofereciam serviços sociais para politizar os negros
    por: Silvio Caccia Bava
    27/09/2011
    Leia Mais →
  • Corbis/ Latinstock
    AUTÓCTONES E AMBIENTALISTAS
    As mulheres indígenas defendem suas águas
    Armas à mão, as mulheres indígenas do México defendem, desde 2004, seu acesso à água. Questões ecológicas e sociais se encontram: a luta contra a exploração das reservas hídricas é sobretudo um combate a favor da melhoria das condições de vida dos povos autóctones e contra as expropriações das quais são vítima
    por: Silvio Caccia Bava
    27/09/2011
    Leia Mais →
  • Daniel Kondo
    INGLATERRA
    Oliver Cromwell, o mal-amado
    Cromwell, herói ou tirano? O dicionário Petit Robert, que cita seu “poder ditatorial” e seu “fanatismo de uma crueldade particular”, decidiu. A história, contudo, ainda hesita, posto que o percurso desse puritano para derrubar a monarquia inglesa ilustra as ambiguidades de todo processo revolucionário
    por: Silvio Caccia Bava
    27/09/2011
    Leia Mais →
  • REVOLUCIONÁRIOS E INSANOS
    Retrato do insurgente com doença mental
    Para combater os contestadores, o poder dispõe do envio de um exército para destruir as barricadas. Mas, os defensores da ordem também podem levar a luta ao terreno das representações simbólicas pois, como revelado pelos alienistas do século XIX, os militantes podem ser enquadrados no campo da psiquiatria
    por: Silvio Caccia Bava
    27/09/2011
    Leia Mais →
  • D. Melnikov / Akg-Images / Latinstock
    REVOLUÇÃO DE OUTUBRO
    O que os russos pensam de 1917
    Segundo a mídia e os manuais escolares, a experiência comunista não teria passado de um intervalo assustador. Essa não é a opinião, de acordo com estudos sociológicos, dos cidadãos russos. Um certo apego à revolução de outubro persiste, e até se reforça, apesar do esquecimento e da propaganda
    por: Silvio Caccia Bava
    27/09/2011
    Leia Mais →
  • Corbis / Latinstock
    ALTERNATIVA DEMOCRÁTICA
    Che Guevara contra o modelo soviético
    A imagem romântica de Che é só uma de suas faces. Teórico do socialismo, o companheiro de Fidel Castro criticou precocemente o modelo soviético, cujos impasses internos e desamparos externos ressaltou. Ele sonhava com um socialismo mais solidário e igualitário
    por: Silvio Caccia Bava
    27/09/2011
    Leia Mais →
  • Corbis/ Latinstock
    ÁFRICA
    O sonho assassinado de Thomas Sankara
    Jovem militar influenciado pelo marxismo, Thomas Sankara tomou o poder em 1983. Por quatro anos, o “Che africano” multiplicou experiências inéditas em Burkina Faso: autossuficiência alimentar, ruptura da tutela neocolonial, ataques ao FMI. As potências ocidentais deixaram claro que não apreciam esse programa
    por: Silvio Caccia Bava
    27/09/2011
    Leia Mais →
  • Artur de Leos
    TRANSFORMAÇÃO CONTEMPORANÊA
    As contradições da Revolução Boliviana
    A consolidação da direção popular com o governo de Evo Morales exige que o conjunto da sociedade considere que sua situação melhora como um todo, em razão das classes trabalhadoras dirigirem o país. Essa necessidade obriga a esquerda a levar em conta uma parte das necessidades de seus adversários
    por: Silvio Caccia Bava
    27/09/2011
    Leia Mais →
  • Corbis/ Latinstock
    RESISTêNCIA ÀS VEIAS ABERTAS
    Um século de socialismo a América Latina
    Em 1823, foi transformada em quintal dos EUA. Após 150 anos, Pinochet a convertia em laboratório do neoliberalismo. Mas nem as intervenções militares nem a tutela econômica foram suficientes: a América Latina resiste. Então, levantes? Revoltas? Revoluções? Não importa: os povos souberam dizer “não”
    por: Silvio Caccia Bava
    27/09/2011
    Leia Mais →
  • Sandra Heidt / Interfoto / Latinstock
    MÉXICO
    O riso de Pancho Villa
    Os EUA apreciam pouco as revoltas populares. Quando os mexicanos começaram a impor uma transformação social e democrática, Washington não tardou a intervir. Ocupação de Veracruz, incursão no norte, apoio aos contrarrevolucionários: para denunciar essa interferência, Carlos Fuentes utiliza a literatura
    por: Silvio Caccia Bava
    27/09/2011
    Leia Mais →
  • Guernica, 1937 - Pablo Picasso
    GUERRA CIVIL
    Espanha, quando os escritores se engajavam
    Quais escritores estão se mobilizando em favor da Palestina? Esse silêncio perturbador – com notáveis exceções – marca uma ruptura com a longa tradição de engajamento que floresceu na Guerra Civil Espanhola. Na época em que Malraux, tal como Hemingway, Bernanos e Mauriac se levantaram contra Franco
    por: Silvio Caccia Bava
    27/09/2011
    Leia Mais →
  • Robert Walker / The NEw York times / Latinstock
    ANTES DA PRIMAVERA
    O nasserismo na história do Egito
    1952-1972: qual é, ao término deste período, o balanço da revolução dos Oficiais Livres egípcios, dois anos após a morte de Nasser e quando El Sadat introduz uma mudança pró-EUA? Além da época e sua fraseologia, como não pensar nisso em 2011? A história se constroi em profundidade, a longo prazo...
    por: Silvio Caccia Bava
    27/09/2011
    Leia Mais →
  • Corbis / Latinstock
    PONTOS EM COMUM DAS REBELIÕES
    Islamitas e zapatistas, a revanche dos marginais
    Tudo parece separar a revolta dos zapatistas mexicanos e a dos islamitas egípcios. Mas, esses conflitos foram uma resposta a dinâmicas comparáveis: populações marginalizadas e religiosas, moradoras de periferias empobrecidas pelo neoliberalismo, se engajaram num combate contra poderosas forças armadas
    por: Silvio Caccia Bava
    27/09/2011
    Leia Mais →
  • Corbis / Latinstock
    A VOLTA DA HISTÓRIA
    Elogio das revoluções
    Quando, em 17 de dezembro de 2010, o jovem Mohamed Bouazizi se imolou na Tunísia, ninguém poderia imaginar que seu gesto iria iniciar uma revolta em mais de dez países. Essa característica imprevisível das revoluções obrigou os dominantes a reavaliar todos os cenários sobre o “fim da história”
    por: Silvio Caccia Bava
    27/09/2011
    Leia Mais →
  • Album cinema / Latinstock
    REVOLUÇÃO FRANCESA
    O 4 de agosto de 1789, a abdicação dos riscos
    As dinâmicas revolucionárias às vezes se apoiam em alianças surpreendentes. Assim, nada predispunha os deputados reunidos em 1789 a derrubar um sistema secular de dominação. Como os representantes da nobreza e do clero, incitados pelos delegados do Terceiro Estado, acabaram abolindo os privilégios?
    por: Silvio Caccia Bava
    27/09/2011
    Leia Mais →
EDIÇÕES ANTERIORES

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *