Março 2017

Edição 116

R$14,90Comprar

EDITORIAL

Convulsões sociais

Com o corte nas políticas sociais praticado pelo governo federal e o ajuste imposto aos governos estaduais e municipais obrigados a cortar salários e previdência dos servidores públicos o  conflito está aberto.  A  insensibilidade do governo sem voto pode levar o País para um período de convulsões sociaisSilvio Caccia Bava


DOSSIÊ ESPECIAL- ELEIÇÕES NA FRANÇA

Obstinação europeia

Em período eleitoral, fala-se frequentemente de “reorientar” a União Europeia. O projeto é louvável, mas mais vale ser instruído pela experiência…Serge Halimi


A DESCONSTRUÇÃO DO ESTADO E DOS DIREITOS SOCIAIS

Da austeridade ao desmonte: dois anos da maior crise da história

A maior crise da história brasileira se dá em dois tempos: no primeiro, a austeridade abre o caminho para o golpe ao deteriorar a base de sustentação do governo Dilma. Já o segundo é caracterizado por um conjunto de políticas estruturais que visam desconstruir os instrumentos que sustentam o Estado indutor do crescimento e promotor das políticas sociaisPedro Rossi e Guilherme Mello


O DESMONTE

A desconstituição ética, moral, cultural e institucional do Estado

A era Temer, porta-voz do 1%, de elites imediatistas, racistas, machistas, sexistas, lesbo-homofóbicas e patrimonialistas, é a rápida desconstrução, institucional e cultural, da ideia de justiça social que referenciava nosso Estado de bem-estar social. Este era frágil, incompleto, imperfeito, mas vinha progressivamente se consolidando desde a Constituição de 1988José Antonio Moroni


SÉRIE ESPECIAL – RACISMO NA MÍDIA E NA ESQUERDA

Negação prova existência do racismo

Confira o terceiro artigo da série “Racismo na mídia e na esquerda”, cujo objetivo é diagnosticar, problematizar e combater esse tipo de opressão presente nesses setores. Nesta edição, quem escreve é a relações públicas e escritora Gabriela Moura, especialista em sociopsicologiaGabriela Moura


O BRASIL PÓS-IMPEACHMENT

A doutrina de choque temerária

Está longe de ser uma mera coincidência o fato de, mais uma vez, o país encontrar-se sob um vigoroso avanço da agenda neoliberal neste momento. A terapia de choque temerária prospera precisamente por conta do atual ambiente brasileiro, resultado de um processo de impeachment extremamente polarizado e contestado, para ser eufemísticoRamon Blanco


LIMITES E PERIGOS DO NEODESENVOLVIMENTISMO

As lutas sociais da América Latina nas encruzilhadas do neoliberalismo

Os adeptos da ideologia neodesenvolvimentista reforçam a lógica do capital contra o trabalho e demarcam uma nova fase em que as lutas sociais se darão em um ambiente social ainda mais empobrecido, endividado, violentado nos direitos sociais e ameaçado por um cotidiano de naturalização da criminalização, como mecanismo de contenção dos levantes popularesRoberta Traspadini


OFENSIVA DA DIREITA LATINO-AMERICANA

As pequenas coisas que decidem eleições

Faltou pouco para o candidato apoiado pelo presidente equatoriano, Rafael Correa, vencer as eleições presidenciais já no primeiro turno. Contudo, o fato é que a direita ganha terreno na América Latina, inclusive contando com as engrenagens democráticas que ela havia trabalhado para desacreditar. Conheça um dos arquitetos dessa renovação estratégicaChristophe Ventura


ARGENTINA

O enigma peronista

Muitos se perguntam sobre a validade da oposição entre direita e esquerda. Na Argentina, uma especificidade local complica a equação. A mesma corrente política reúne defensores do livre-comércio e protecionistas, submissos aos Estados Unidos e à Europa, e soberanistas, neoliberais e partidários de um Estado forte: o peronismoChristophe Ventura



EUA E EUROPA, A CONTESTAÇÃO DE ESQUERDA... E DE DIREITA

Ebulição antissistema

Nada de celebrações pelo sexagésimo aniversário do Tratado de Roma e do Mercado Comum, em 25 de março. O estandarte europeu perdeu seu brilho enquanto as políticas da União se revelaram desastrosas. Movimentos antissistema florescem em toda parte. Em certos países, eles situam-se à esquerda. Mas muitos deles fazem da xenofobia seu principal combustívelPerry Anderson


DOSSIÊ ESPECIAL- ELEIÇÕES NA FRANÇA

Maioria social, minoria política

A radiografia dos blocos políticos: É estranha a democracia francesa: há trinta anos, os programas dos grandes partidos não correspondem às expectativas das classes populares, que, contudo, representam mais da metade do eleitorado. Diferentemente das ideias em voga sobre o esfacelamento das divisões ideológicas, as aspirações dos trabalhadores configuram um bloco social de esquerdaBruno Amable


UMA UTOPIA NA MÁQUINA DE LAVAR ELEITORAL

Renda mínima, um debate desmancha-prazeres

Ao colocar a instauração de uma renda básica universal em seu programa, o socialista Benoît Hamon semeou uma confusão na campanha presidencial. A ideia, que ele adotou recentemente e apresentou de forma pouco robusta, rompe com a visão de trabalho que prevalece entre os demais candidatos. E reacende o debate no seio da esquerdaMona Chollet


NO CANADÁ, AS ILUSÕES DE UM SEDUTOR

Trudeau, “progressismo” do século XXI

Charmoso e comunicativo, o primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, seduz sindicalistas e patrões. Advogando pela abertura econômica e cultural, ele alega encarnar a renovação do campo progressista e aparece como antítese de Donald Trump. Contudo, como seu homólogo norte-americano, ele faz parte de uma modificação das divisões políticas tradicionaisJordy Commings


A LUTA CONTRA AS EPIDEMIAS ECLIPSA OUTROS PROBLEMAS

Doenças do Norte migram para a África

Sinal das transformações em curso na África, as doenças ditas de “países desenvolvidos”, como diabetes e problemas cardiovasculares, se propagam por todo o continente. Se os novos hábitos alimentares estão também em questão, essa degradação da saúde da população origina-se na urbanização acelerada e nas práticas da agroindústriaFrédéric Le Marcis


DESASTRES AMBIENTAIS E BARRAGENS DE MINERAÇÃO


O que não se aprendeu com a tragédia no Rio Doce

Apesar dos riscos e da tragédia da Samarco, o licenciamento ambiental de barragens de rejeito vem sendo feito de forma pouco rigorosa no Brasil. Entre os problemas estão o subdimensionamento das áreas de influência, a desconsideração dos potenciais danos a comunidades e a avaliação insuficiente de alternativas tecnológicas


INTELECTUAIS E O SUFRÁGIO UNIVERSAL

Democracia na China, só quando o povo amadurecer…

Em Pequim, a imprensa oficial ironizou as eleições dos Estados Unidos e sua contestação pelos próprios norte-americanos – uma chance para insultar o sistema político ocidental. Se há muita divergência entre os intelectuais chineses sobre as vias democráticas que imaginam para o país, todos concordam sobre um aspecto: o povo não está prontoJean-Louis Rocca


MÚSICA

A cena rock’n’roll de Pequim

Foi-se o tempo em que os jovens amantes da música ocidental precisavam trocar escondido os discos de grupos vindos da Europa ou dos Estados Unidos. Os roqueiros mais conhecidos são cada vez mais oriundos da própria China e produzidos na cena internacional. Após se tornarem muito criativos, eles descobrem as alegrias do mercado, mas sem permanecer ao abrigo da censuraLéo de Boisgisson


AUTOR NORTE-AMERICANO ENTRA NO GRUPO DOS GRANDES ESCRITORES

Jack London, o poder indomável

Jack London (1876-1916) há tempos sofre com os rótulos: permanentemente subvalorizado como um romancista para crianças, ele foi celebrado vigorosamente como um modelo de escritor engajado. London conjugava todos os tipos de contradições. Muito além de um ideólogo, ele esteve a serviço de uma obra obstinada em contar a força dos vivosMichel Le Bris


A DIREITA ISRAELENSE ENCORAJADA PELA ADMINISTRAÇÃO TRUMP

Da colonização à anexação

Apesar da nova condenação no Conselho de Segurança da ONU em dezembro de 2016,
o governo israelense continua encorajando o confisco de terras palestinas. Um recente projeto de lei em discussão no Knesset abre as portas para a incorporação definitiva de postos avançados das colônias. Sua adoção compromete gravemente os objetivos dos acordos de Oslo de 1993Dominique Vidal


SISTEMA DE JUSTIÇA

10 medidas contra a corrupção e a seletividade penal

Ou como as medidas propostas pelo Ministério Público podem contribuir para aumentar o encarceramento
em massa de parcela da população e deixar impunes aqueles a quem supostamente se destinam…*Michael Mary Nolan, Caroline Hilgert e Ana Luiza Voltolini Uwai