Setembro 2017

Edição 122

R$14,90Comprar

EDITORIAL

Vem aí um novo golpe?

O fato de Lula liderar as intenções de voto para 2018 cria um impasse para os donos do dinheiro que afastaram o PT do governo. Eles não deram um golpe para assistir, pouco mais de dois anos depois, à vitória de Lula e à volta do PT. Assim, abre-se um novo leque de possibilidades.Silvio Caccia Bava


REPUBLICANOS, DEMOCRATAS, MÍDIA, SERVIÇOS SECRETOS...

Trump acuado pelo partido anti-Rússia

Os conflitos internacionais se reacendem, em geral por iniciativa dos Estados Unidos. Enrolado com dificuldades internas, o presidente Trump está cada vez mais próximo de confundir solução diplomática com ação militar. No caso russo, ele é acuado por um partido da guerra, no qual seus adversários políticos, os serviços de inteligência e a mídia jogam um papel central

Serge Halimi


MODO DE FINANCIAMENTO ÚNICO, INFORMAÇÃO COMPROMETIDA

Metamorfoses da mídia norte-americana

Edição 122 | EUA

Donald Trump e a mídia norte-americana cultivam uma relação de amor e ódio: os jornalistas que ofereceram ampla publicidade gratuita às suas bravatas agora dissecam a presidência. As relações tensas maquiam uma homogeneização econômica das empresas. Mesmo os novos sites informativos adotam um modelo que desencoraja a investigação e a reportagemRodney Benson


MELHORAS DAS CAPACIDADES BIOLÓGICAS DO CORPO HUMANO

Um supersoldado saído dos laboratórios

A corrida armamentista se diversifica. Além dos equipamentos convencionais e nucleares, os autômatos de combate conhecem um desenvolvimento fulgurante. Mas as máquinas não são tudo. Nas coxias, pesquisadores trabalham para aumentar a performance do soldado humano, demasiado humano, e portanto muito frágil aos olhos dos Estados. A que preço?

 


OCUPAÇÃO MILITAR

Rio de Janeiro sitiada?

Edição 122 | Brasil

Militares são treinados para matar inimigos. As táticas de ocupação de território visam à invasão de países estrangeiros, e a “licença para matar” volta-se contra combatentes estrangeiros. O que significa, então, ocupar nossas próprias cidades, habitadas por concidadãos?

 


NOVOS COLETIVOS

“A solução para a crise está nas favelas e periferias”

Edição 122 | Brasil

Quem são e como atuam os novos coletivos que estão enfrentando a conjuntura de crise que afeta o Brasil nos últimos anos, organizando a população das periferias e questionando os vícios das estruturas tradicionais da esquerda. Confira a seguir entrevista com Raull Santiago, do Coletivo Papo Reto, composto por jovens moradores dos complexos do Alemão e Penha

Luís Brasilino


ENTREVISTA – FERNANDO HADDAD

A autocrítica da sobrevivência

Edição 122 | Brasil

A possibilidade de ser candidato à Presidência da República, caso Lula seja condenado em segunda instância pelo Tribunal Regional Federal da 4ª região, não é discutida pelo PT, confirma Haddad. “A candidatura dele está posta. Ele lidera as pesquisas.”


HEGEMONIA DAS IDEIAS ARCAICAS E CONSERVADORAS

O problema do Brasil é o ódio ao pobre

Edição 122 | Brasil

As noções de patrimonialismo e populismo são as ideias-guia que permitem à elite arregimentar a classe média. Elas, afinal, são as guardiãs da “distância social” em relação aos pobres, que é a pedra de toque da aliança antipopular construída no Brasil para preservar o privilégio, acesso aos capitais econômico e cultural, de 20% contra os 80% de excluídos

 


PROPINAS EM PROFUSÃO

As ramificações do escândalo Odebrecht

Edição 122 | Brasil

Desde 2014 o Brasil vive no ritmo das revelações em torno de um escândalo de corrupção sem precedentes. Depois de Dilma Rousseff ser destituída de forma fraudulenta em 2016, agora pode ser a vez do atual presidente, Michel Temer, cuja culpa já não deixa mais dúvidas. No centro desses negócios, o grupo Odebrecht

 


CHAVISTAS X OPOSICIONISTAS

As duas faces da crise venezuelana

Edição 122 | Venezuela

Profunda, sangrenta, a crise Venezuela apaixona. Na mídia grande, ela serve a uma obsessão: criticar Jean-Luc Mélenchon na França, Jeremy Corbyn no Reino Unido e Pablo Iglesias na Espanha. Mas a crise interpela também os progressistas, mergulhados na desordem. Como interpretar os acontecimentos? O que fazer? Qual será o resultado?

 


UM ORGANISMO INTERNACIONAL QUE PROCURA SE AFIRMAR

Nos bastidores da Assembleia Geral da ONU

Menos conhecida que o Conselho de Segurança, a Assembleia Geral das Nações Unidas é o único fórum universal que reúne todos os Estados do planeta. Embora não escape à lendária burocracia da ONU, ela ajuda a construir uma lei internacional progressista. E também é o teatro vivo da competição entre os atores mundiais

 


A CHANTAGEM DAS TRANSNACIONAIS EM NOME DA SEGURANÇA ALIMENTAR

A grande batalha em torno dos transgênicos na África

Edição 122 | África

Preocupadas com o desenvolvimento de transgênicos no mundo, diversas entidades acusam as grandes fabricantes de sementes de crime ecológico. Em abril de 2017, elas condenaram simbolicamente a Monsanto em um tribunal popular organizado em Haia. Na África, os enfrentamentos entre os pró e os anti-transgênicos acabou de começar…


HISTÓRIA

Quando a África do Sul importava franceses

Edição 122 | África do Sul

As migrações em massa que partiram da Europa em direção aos EUA, ou do Sul para o Norte, mostram em geral migrantes submetidos ao desprezo e ao racismo das populações locais. O caso pouco conhecido dos milhares de franceses recrutados pela indústria sul-africana nos anos 1960 inverte essa perspectiva. Aqui, os imigrantes vinham consolidar a dominação dos brancos

Charlotte Grabli e Thomas Lesaffre


O MODELO QUE INSPIRA EMMANUEL MACRON

Como a Alemanha transformou desempregados em empregados pobres

Na Alemanha, nunca teve tão pouca gente procurando emprego. Nem tantos precarizados… O desmantelamento da proteção social nos anos 2000 converteu os desempregados em trabalhadores pobres. Essas reformas inspiram a reforma trabalhista que o governo francês de Emmanuel Macron pretende colocar em prática

Olivier Cyran


ABERRAÇÕES BUROCRÁTICAS

O naufrágio da universidade francesa

Alunos à procura de uma universidade, professores exasperados, faculdades à beira da asfixia… A volta às aulas na França não é nada auspiciosa. Para reduzir os fundos públicos consagrados ao ensino superior, os governos previram normas quantitativas e dispositivos que conduzem ao fortalecimento da burocracia. Para além do absurdo…

Alain Garrigou


VIGÉSIMO ANIVERSÁRIO DA TRANSFERÊNCIA DE SOBERANIA

O cerco chinês se fecha sobre Hong Kong

Edição 122 | Hong Kong

Duas décadas após seu retorno para o colo chinês, Hong Kong vê sua autonomia cair e a repressão crescer. Testemunha disso é a prisão de três dirigentes do movimento pelo sufrágio universal integral, pauta que mobilizou a juventude no outono de 2014. Contudo, uma corrente política multiforme, chamada “localistas”, começa a fincar âncora na sociedade

 


ROTA DA SEDA

Um trunfo geopolítico para a Rússia

“Diante da China, a Rússia hesitou durante muito tempo: abrir-se e tornar-se concorrente dela, ou se fechar e se opor a ela. Levando muito adiante a cooperação, ela corre o risco de ser apenas um território de passagem ou um fornecedor de matérias-primas”, explica Mathieu Boulègue, especialista do espaço pós-soviético e analista da empresa de consultoria Aesma.

Florent Detroy


MUTAÇÕES

Dissonâncias do progresso

Afinal, o que legitima o progresso hoje? A impressionante herança deixada pelas inúmeras formas do progresso da ciência e da técnica é incontestável: o mundo ganhou, mas também perdeu!

Adauto Novaes