Abril 2009

Edição 21

R$14,90Comprar

MOVIMENTOS SOCIAIS

A riqueza dos pobres contra a pobreza dos ricos

Na crise financeira atual, a figura central do “pobre” aparece em toda a sua potência. Temos agora uma multiplicidade de sujeitos – trabalhadores dos serviços e usuários, estudantes, imigrantes e desempregados – com diversas formas de luta: greves, manifestações, piquetes nas estradas e levantes quase insurrecionais.Giuseppe Cocco


Povos originários

Caminhar olhando para trás

No amplo espectro de tranformações políticas na região sul-americana, o processo boliviano tem as características mais avançadas de uma mudança estrutural. A partir da luta antiestatal os movimentos sociais e indígenas passaram a pensar formas de governo e de autodeterminação social, chegando a um novo projeto de paísOscar Vega Camacho


OTAN

A volta dos que não foram

Ainda que tenha participado de algumas instâncias menores, a França retorna somente agora à Otan, após mais de meio século oficialmente fora. Entre os desafios que tem pela frente estão a integração das ações da Aliança às da União Europeia e a coordenação dos novos membros vindos do LestePhilippe Leymarie


Efeitos da crise

Nacionalizar os bancos

Em meio a um clima de precipitação, os Estados vêm pagando trilhões de dólares para socorrer as instituições financeiras. Já não é sem tempo que eles assumam de vez a direção das operaçõesSerge Halimi


Reestruturação financeira

Ímpeto reformista do G-20

Para além das medidas macroeconômicas tomadas para conter a depressão, deveríamos também contar com tentativas de reorxdenações estruturais na esfera financeira. É essa a principal aposta do G20 em sua reunião, em Londres, no início de abrilLaurent Cordonnier


Neoliberalismo

E o Estado desregulou os mercados…

Para entender a razão pela qual os países confiaram ao mercado o posto de administrador da economia mundial, basta olhar para o caso francês, em especial durante o governo do socialista François Mitterrand. Equivalente a 5% do PIB em 1982, a capitalização da bolsa francesa representava 20% dele quatro anos depoisPierre Rimbert


Ideologias

A esquerda se tornou liberal

Sejam quais forem as diferenças entre uma centro-esquerda moderna, a terceira via e um socialismo liberal, o que sobra é um socialismo renovado que se diz igualitário, que não pretende erradicar todas as desigualdades e que exige o reconhecimento do caráter potencialmente benéfico de um mercado regulamentadoEvelyne Pieiller


Economia – Oriente

O Japão fora dos trilhos

Dez anos após a primeira crise, e quando parecia estar em condições de se reerguer, o Japão afundou novamente. As fábricas de automóveis, símbolo de uma economia voltada ao comércio exterior, são as mais afetadas: 28 mil pessoas perderam seus empregos no setor desde janeiro de 2009Namihei Odaira


Habitação popular

França: o déficit permanente da moradia

Ainda que atinja cerca de 1 milhão de famílias a falta de moradias na França deixou de ser um tema relevante do debate político. Com a indústria da construção civil caminhando a passos lentos e isenções fiscais que beneficiam apenas os grandes os proprietários, o governo segue considerando essa questão como secundáriaOlivier Vilain


Desempenho escolar

A qualidade das escolas nas metrópoles

Pesquisa recente aponta que os resultados educacionais das áreas metropolitanas foram sistematicamente mais baixos do que o restante. A constatação é surpreendente, uma vez que as grandes cidades concentram parcelas maiores da riqueza, renda e capacidade governamental do conjunto do paísLuiz César Queiroz Ribeiro|Mariane Koslinski