Abril 2010

Edição 33

R$14,90Comprar

ENTREVISTA / AGENOR ÁLVARES

A reavaliação que os empresários não querem

Para Agenor Álvares, diretor da Anvisa, o Brasil está passando por um momento de transição no controle e na regulamentação do uso de agrotóxicos: “Nós interditamos linha de produção na BASF, na Bayer e na Syngenta, que são as três maiores do mundo”, afirma. É uma mudança de postura que obviamente não agrada a todosSilvio Caccia Bava


AGROTÓXICOS

“Todo cuidado é pouco”

Os efeitos provocados na saúde por agrotóxicos podem ser agudos ou crônicos e dependem do tipo de produto e da exposição. No Brasil, ainda temos muito que progredir nos quesitos diagnóstico e registro de intoxicações. Em 2006, o IBGE identificou 25.008 estabelecimentos que admitiram a ocorrência de envenenamentoEduardo Garcia Garcia


LOBBY RURALISTA

Dinheiro público para o agronegócio

O agronegócio tem crescido à sombra do Estado. Sua importância aumenta também conforme crescemSérgio Sauer


REFORMA AGRÁRIA

Em Iaras, o MST produz

Todo mundo deve saber que no interior de São Paulo há um senhor plantando abóbora e um casal que cultiva verduras e vende ovos caipiras. As famílias são pobres, mas têm uma enorme consciência política. Uma visita ao assentamento dos sem-terra mostra uma vida solidária e cooperativaRicardo Lísias


AGRICULTURA / EUROPA

A crise do leite

A União Europeia, que é a maior produtora mundial de leite, abriu mão dos instrumentos que a levaram a desempenhar o papel de “estocadora pública” do planeta. Não existem mais parâmetros para ajustar os preços e volumes frente à evolução dos mercados internacionais e os camponeses saem prejudicadosMatthieu Cassez|Aurélie Trouvé


PRESSÕES ECONÔMICAS

A China abandona o dólar

A política externa estadunidense não vem agradando a China. Para se “vingar”, o país oriental pretende deixar de comprar bônus do Tesouro americano – o que está causando calafrios na Casa Branca. A bem da verdade, porém, isso pode trazer benefícios à economia dos Estados UnidosDean Baker


CONFLITOS INEVITÁVEIS

O impacto da crise nas classes sociais

Os trabalhadores franceses estão desiludidos e entendem que são explorados, mas não sabem como se revoltar contra esse “sistema que está louco, sem sentido”. As classes populares, majoritárias no país, são excluídas da vida urbana e vêem-se obrigadas a se afastarem da cidade – o que dificulta sua articulação políticaEric Dupin


TRANSAÇÕES FINANCEIRAS

Vigilância contra a lavagem de dinheiro

Não é segredo para ninguém que dados bancários são moedas de troca entre instituições financeiras e autoridades públicas. Criada para combater a lavagem de dinheiro, a prática permite detectar anomalias nas transações feitas pelo cliente e avaliar o seu comportamento. Como diz um banqueiro: “é um ‘Big Brother’”Gilles Favarel-Garrigues|Pierre Lascoumes|Thierry Godefroy


CRISE E OPORTUNIDADES

Os Dez Mandamentos, revistos e atualizados

Considerando que a obediência à versão original dos Dez Mandamentos foi apenas aleatória, desta vez o Altíssimo teve a prudência de acrescentar a cada um deles uma nota de explicação, destinada em particular aos impenitentesLadislau Dowbor


ORIENTE MÉDIO

As guerras sem fim de Israel

Para os militares israelenses, existem apenas duas categorias de inimigos: o soldado e o terrorista. No caso da Palestina, como nenhum exército regular está envolvido, o seu oponente só pode ser um fanático. E sob essa justificativa nega-se ao outro o direito à resistência e à legitimidade mínima de sua causaJean-Paul Chagnollaud


ORIENTE MÉDIO

Ramallah, tão longe da Palestina

Sandy Tolan


GOVERNO LUGO

A disritmia paraguaia

A democracia no Paraguai completa sua maioridade com os 21 anos da queda da ditadura Stroessner. O que ficou desse período e como superar seu legado? Responder a esta questão é o grande desafio da administração Lugo, cuja vitória nas eleições presidenciais em 2008 gerou expectativas difíceis de cumprirAndrés Criscaut


VENEZUELA

Mais fôlego para o desenvolvimento

Em um período de cinco anos e meio, o PIB real da Venezuela aumentou em 95% e a pobreza foi reduzida pela metade. Os gastos sociais por habitante mais do que triplicaram. Porém, com a entrada dos Estados Unidos na recessão, em fins de 2007, a economia venezuelana começou a sentir seus efeitosMax Weisbrot


CONFLITOS DE INTERESSES

A burca ocultando bilhões

Colocar em discussão o uso do véu pelas mulheres muçulmanas é, na verdade, um balão de ensaio do governo Sarkozy para desviar a atenção a outras questões mais importantes para a sociedade francesa, tais como o fato de o Tesouro público ter perdido 20 bilhões de euros após uma decisão “técnica” do ExecutivoSerge Halimi


MEIO AMBIENTE

Sob as areias betuminosas do Canadá

Com seus bilhões de dólares, o apoio da província e suporte federal, a indústria petrolífera parece ser intocável. Para comprar a paz social, algumas companhias distribuem migalhas de seus lucros colossais. Enquanto isso, os povos originários sofrem com a degradação visível do meio ambiente e de suas vidasEmmanuel Raoul


SEGURANÇA MUNDIAL

Obama e a ameaça das armas nucleares

A proposta dos Estados Unidos de reduzir o número de ogivas nucleares estratégicas – de 2.200 para 1.500 – desapontou os partidários do desarmamento. A Rússia declarou que estava pronta para baixar para mil a quantidade destas armas com o fim de reduzir seu orçamento dedicado à defesaSelig S. Harrison


DISPUTA PELO PODER

A onda rosa

Desde a virada do século, as vitórias eleitorais da esquerda na América Latina suscitaram dúvidas pertinentes sobre a possibilidade de mudança efetiva a partir da tomada do poder. Quando a teoria se torna prática, é necessário retomar e aprofundar esse debateRenaud Lambert


CINEMA

Enfrentando Hollyworld

Com uma rede de produção e distribuição que opera em escala mundial, estimulada pela concentração em grandes conglomerados midiáticos, as majors dominam o mercado cinematográfico. Mas, apesar desse cenário arrasador, existem formas de resistir à uniformização do acesso aos produtos audiovisuais hegemônicosGuiwhi Santos|Marcelo Ikeda


NORUEGA

O financiamento público das editoras independentes

Antes provinciana e isolada, a Noruega do pós-guerra sentiu a necessidade de se desenvolver culturalmente. Hoje, o país tem um sistema singular e abrangente que, itinerante, leva teatro, cinema e arte a todo o seu território. Eficiente, o exemplo norueguês merece mais atençãoAndré Schiffrin


NOVAS PERCEPÇÕES

Cultura e sustentabilidade

O debate cultural necessita ganhar profundidade. Se os anos 1990 significaram o início de uma discussão, hoje caminhamos para visões e intervenções que levam em conta uma noção de totalidade, tendo como horizonte a formação de uma cultura sustentávelHamilton Faria


ARTE CONTEMPORÂNEA

Tolerância até demais

A arte contemporânea funciona da seguinte maneira: pela provocação, eu chamo o outro a me seguir, desafiando-o a ousar fazê-lo. Dessa forma, trago o outro para o meu nível, circunscrevo um lugar onde ficamos entre nós, círculo restrito de espíritos superiores, onde tudo pode ser dito. E ninguém ousa discordarDany-Robert Dufour


CULTURA

Um livro para cada ocasião

Durante o tempo que passou no cárcere, Oscar Wilde pediu para ler “A ilha do tesouro”, de Stevenson. Já Alexandre, o Grande, levou com ele em suas batalhas um exemplar de “A Ilíada”, de Homero. Por que em certos momentos de nossa vida escolhemos a companhia de um livro mais que a de outro?Alberto Manguel


EDITORIAL

Alimentos contaminados

Silvio Caccia Bava