Fevereiro 2008

Edição 7

R$14,90Comprar

Idéias

Os direitos do homem são mesmo universais?

Levado ao resto do mundo pelas asas do imperialismo, este conceito ocidental não foi aceito por todos os povos. Seu efeito isolador é incompreendido nas culturas que privilegiam a integração com o mundo e buscam a não alienação do homem, justamente um dos objetivos inatingidos dos tais direitos impostosFrançois Julien


INDÚSTRIA CULTURAL

A hipermassificação e a destruição do indivíduo

O “tempo livre” é de fato assim tão livre? Esse tempo, saturado de produtos culturais, impede que cada qual se diferencie por escolhas próprias, espoliando sua energia vital. E, levando a uma perda generalizada de individuação, engendra rebanhos de seres em permanente e angustiante mal-estar – rebanhos que se aproximam cada vez mais da horda furiosaBernard Stegler


Matéria de capa / Os limites da democracia I

A construção democrática e o futuro

O socialismo do século XXI implica o Estado de Direito. Liberdades e direitos estendidos a toda a cidadania, proteção da identidade individual e da diversidade da espécie humana, supremacia do cidadão sobre o Estado: o socialismo não é mais que o controle da humanidade sobre o capital que o pode destruir 1Silvio Caccia Bava


Matéria de capa / Os limites da democracia II

Até onde vai a participação cidadã?

Estima-se que quase 2 milhões de pessoas participem dos conselhos e conferências abertos à cidadania nos níveis federal, estadual e municipal. Mas de que têm servido todos esses espaços? Qual papel exercem de fato na democracia? Acaso têm contribuído para a redução das desigualdades sociais?Ana Claudia Teixeira


Estados Unidos

O epicentro da crise econômica mundial

Estamos assistindo à mais importante turbulência econômica das últimas décadas. O desfecho reside na capacidade das economias asiáticas substituírem o motor americano – uma nova manifestação do declínio do Ocidente, anunciando o deslocamento do centro do mundo globalizado dos Estados Unidos para a ChinaIgnacio Ramonet


Estados Unidos

No coração do conservadorismo

O repórter se incorpora a um cruzeiro marítimo promovido pela National Review. E entra em contato com um mundo surreal, no qual a guerra do Iraque é um “sucesso notável”, o aquecimento global “não existe”, Pinochet “salvou o Chile”, os muçulmanos ameaçam “dominar a Europa” e, “se Deus quiser”, Bush vai bombardear o IrãJohann Hari


CULTURA / RESENHAS

Um outro retrato de Stálin

Os trabalhos do historiador britânico Geoffrey Roberts rejeitam a caricatura do dirigente soviético como um ditador tirânico e incompetente. E enfatizam seu papel decisivo na derrota do nazi-fascismo. Bem como seu esforço para assegurar à Rússia devastada pela Segunda Guerra algumas décadas de paz e segurançaAnnie Lacroix-Riz


MERCOSUL

Sociedades efervescentes, governos sem gás

Dispersa em um mosaico de foros de negociação, a esquerda governa sem dar-se conta de que a integração regional poderia ser uma resposta concreta aos efeitos nocivos da globalização econômica. O Mercosul, porém,continua vivo, nas iniciativas da sociedade civil, que não depende da burocracia estatal para se integrarDeisy Ventura


Bolívia

As dificuldades de uma revolução sem revolução

Em um país com maioria indígena, é natural que o governo de esquerda tente minimizar a discriminação sofrida durante séculos de exploração. Porém, para aqueles que não compartilham dessa identidade, isso pode parecer um privilégio. Aí está a brecha que a direita precisava para difamar Evo MoralesFranck Poupeau|Hervé Do Alto


Líbano

Uma peça fundamental no xadrez de Bin Laden

Durante três meses, o exército libanês sitiou o campo palestino de refugiados de Nahr al Bared, no norte do país. Ali estava entrincheirada uma organização até então desconhecida, a Fatah al Islam. Em pouco tempo, esse grupo, dirigido pelo filho de Bin Laden, ganharia notoriedade graças à sua conexão com a Al QaedaFidaa Itani