Março 2008

Edição 8

R$14,90Comprar

Matéria de capa

O fenômeno Obama

Difamado pelos adversários, que insistem em caricaturá-lo como terrorista muçulmano, ele deslancha naArgemiro Ferreira


União Europeia

Democracia “simplificada”

Rejeitada nos referendos de 2005, a Constituição Européia volta sorrateiramente à cena pelos fundos, travestida no Tratado de Lisboa. Este deverá ser ratificado por todos os países da UE – sem consulta popular e a portas fechadas. Afinal, como declarou o ex-ministro francês Jack Lang, “um tratado é só um tratado”Serge Halimi


Guerra no Iraque

Os EUA conseguirão sair do atoleiro?

Em 2006, o fracasso parecia inevitável. Hoje, alguns acreditam na vitória. Bush espera, assim, atar as mãos de seu sucessor e levá-lo a seguir o mesmo caminho. Porém, a escalada de Obama, candidato hostil à manutenção das tropas, mostra que, mesmo no plano interno, o presidente pode não ser bem sucedidoAlain Gresh


Direita Católica

A nova estratégia do Opus Dei

Valendo-se de uma atuação bem orquestrada na mídia, a organização saiu da defensiva e conseguiu até mesmo virar a seu favor a tempestade desencadeada pelo Código Da Vinci. Frente à guinada à direita promovida pelo Vaticano, as teses da Obra parecem estar cada vez mais em sintonia com a vertente dominante na IgrejaJérôme Anciberro


Integração regional I

Infra-estrutura a serviço do grande capital

Com as bênçãos de Washington e o apoio financeiro do Banco Interamericano de Desenvolvimento, dez países sul-americanos vêm levando adiante um conjunto de obras gigantescas, voltadas para ajustar as economias da região aos interesses do mercado globalizado e das empresas transnacionaisIgor Fuser


Integração regional II

Banco do Sul: libertação ou ilusão?

É promissora a decisão de criar uma instituição financeira e executar projetos de desenvolvimento regional sem rentabilidade imediata. Mas, para o sucesso do empreendimento, seus protagonistas precisarão superar várias divergênciasJulio Sevares


Ponto de Vista

Energia: Responsabilidade compartilhada

Quando se fala em nova crise é importante analisar a matriz energética brasileira frente ao contexto internacional; explicitar a diferença da política implantada pelo atual governo em relação àquela vigente durante o apagão de 2001; e apontar elementos para que as organizações da sociedade civil se posicionem no debateCassio Luiz de França


Crise econômica

De vendaval a furacão

Quem se surpreenderá com as proporções assumidas pela tempestade quando o próprio objetivo da desregulamentação foi abolir todo entrave à ação dos especuladores e proporcionar-lhes, sem a menor restrição, a mais viciante das formas do lucro: a rentabilidade financeira?Frédéric Lordon


Editorial

O fato novo

Silvio Caccia Bava


8 de março

Eu, mulher

Num lugar em que as mulheres são mortas pelos maridos, agredidas pelos filhos, torturadas pelas mini-saias, saltos altos e outras “burcas” do Ocidente, escolhi casar e ter crias, e trabalhar na comunidade. Preta, pobre, favelada, escolho não estar à venda. Nascida na Rua dos Ossos, escolho formar consciênciasDinha


8 de março

Aborto: entre o hospital e a clandestinidade

Ninguém duvida que a interrupção voluntária da gravidez constitui uma dolorosa e até mesmo trágica opção. Mais trágico, porém, é constatar que sob o véu de cruzadas conservadoras pelo “direito à vida” se ocultam em todo o mundo, práticas terríveis como os abortos clandestinos, o abandono de crianças e o infanticídioAnne Daguerre


Microsoft X Google

Os gigantes brigam na internet

A oferta pública de compra da Yahoo, feita pela Microsoft, é mais um lance da batalha feroz travada pelas principais operadoras do setor. Está em jogo o controle da publicidade na internet, cujas cifras, cada vez mais polpudas, aguçam o apetite insaciável das grandes corporaçõesHervé Le Crosnier


Saúde

A conspiração do silêncio

Há 50 anos, as conseqüências sanitárias das atividades nucleares são ocultadas pela Organização Mundial da Saúde. Nesse período, concentrações nocivas de radionuclídeos acumularam-se na terra, na água e no ar. Todos os estudos que alertavam sobre o impacto das radiações foram solenemente ignorados. O lucro falou mais aAlison Katz


Gestão municipal

A sociedade já tem como controlar

Sob pressão de organizações não-governamentais, movimentos e empresas, Câmara Municipal de São Paulo aprova lei que obriga o prefeito a apresentar, em até 90 dias após a posse, seu plano de gestão, garantindo maior transparência na administração públicaMovimento Nossa São Paulo


França

Juventude fora de controle

Quando se trata de imigrantes, os conservadores culpam os pais pelos maus modos dos filhos. Mas o fato é que o trabalho nas fábricas, que antes funcionava como elemento disciplinador, já não atua mais. Devido à precarização das relações profissionais, os jovens estão agora soltos nas ruas, para o que der e vierLaurent Bonelli


Políticas sociais

O público e o privado na saúde brasileira

Na década de 1980, quando era moda criticar o socialismo e a opção européia pelo bem-estar social, o Brasil aprovou a criação do Sistema Único de Saúde. Mas, sem decidir pela estatização das entidades privadas e filantrópicas, o país criou uma estrutura híbrida, que mistura gestão pública com atendimento particularGastão Wagner de Sousa Campos


Refugiados Globais

Migração sem escolha

Calcula-se que entre 100 e 200 milhões de pessoas tenham sido obrigadas a deixar suas casas, seja por desastres naturais, guerras ou projetos de desenvolvimento, como construções de barragem e centros industriais. À esta estatística, os pesquisadores tentam agregar uma nova forma de deslocamento forçado: o econômicoPhilippe Rekacewicz


Filipinas

Progressistas na linha de fogo

Com o patrocínio dos Estados Unidos e sob o pretexto de combater o terrorismo islâmico, o governo de Gloria Macapagal Arroyo reprime sistematicamente os movimentos sociais. Cada liderança que se destaca é perseguida e, não raro, exterminada. Agredida, a sociedade civil exige a renúncia da presidentePhilippe Revelli


Tréplica

Dogmas ambientais

Em resposta à crítica que recebeu de Bruno Milanez, o autor defende que “a empresa privada não é uma caixa preta imune à pressão social” e pode, sim, modificar seus comportamentos em relação ao meio ambiente a partir das reivindicações da sociedade: um tema de enorme atualidade e impacto políticoRicardo Abramovay


França

Sarkozy-Bonaparte

O conceito de bonapartismo por certo não se aplica ao atual regime político francês. Mas as semelhanças entre o novo presidente e o imperador Napoleão III vão além do gosto pelo falso brilhante, dos conchavos com amigos ricos e do liberalismo de tipo anglo-saxão. Uma composição social muito peculiar conferiu a ambos oAlain Garrigou


LÍNGUA

Falar o árabe

A retórica e a eloqüência da tradição literária árabe remontam a mais de mil e duzentos anos. Foram escritores de Bagdá, como Al-Jahiz e Al-Jurjani, que elaboraram, então, sistemas inacreditavelmente inteligentes e modernos. Seu trabalho baseou-se no texto do Corão, modelo de tudo o que veio depois dele em matéria lingEdward Said


TORRES

Pesadelo vertical

O arranha-céu tornou-se a expressão por excelência do capitalismo. Ele não permite o encontro e isola os indivíduos em um mundo doentio de luz artificial e ar condicionado, centrado no elevador e nas entregas em domicílioThierry Paquot