Maio 2014

Edição 82

R$14,90Comprar

EDITORIAL

A falência de um modelo de gestão

Silvio Caccia Bava


GESTÃO DA ÁGUA

A crise é maior do que a chuva

Ainda que pouco eficiente a esta altura, a tentativa do governo de São Paulo de circunscrever as causas da falta de água a fatores meteorológicos busca evitar o questionamento das políticas produtoras dessa crise, que vêm sendo concretizadas há décadasDelmar Matter, Renato Tagnin e José Prata


HEGEMÔNICOS NA REGIÃO, PARTIDOS DE ESQUERDA IMPUSERAM SUAS PRIORIDADES

Na América Latina, a direita procura inventar um discurso social

A Colômbia elege no fim de maio um novo mandatário. Um candidato próximo ao ex-presidente Álvaro Uribe enfrentará o atual chefe de Estado, Juan Manuel Santos. A ruptura entre os dois, antigos aliados, reflete uma outra, maior, no seio da direita latino-americana que tateia para tentar reverter o domínio regionalGrace Livingstone


VOLTAR-SE PARA ÁSIA PARA CONTRABALANÇAR A HOSTILIDADE OCIDENTAL

Moscou, entre demonstrações de força e influências sutis

O retorno da Rússia à cena diplomática veio com estardalhaço. Pressionada pela inflexão da Ucrânia em direção ao Ocidente, ela organiza uma brusca reconquista da CrimeiaJean Radvanyi


GESTÃO DA ÁGUA

Crise de abastecimento era uma tragédia anunciada

Enquanto administradores de empresas públicas, ou de economia mista, como é o caso da Sabesp, e agentes políticos não forem pessoalmente responsabilizados por seus atos temerários, cujos resultados afetam a sociedade e o dinheiro público, o Brasil vai continuar sendo tratado como uma “república de bananas


UNIÃO EUROPEIA

A máquina de punir

A utopia europeia se transforma numa máquina de punirSerge Halimi


AFIRMAÇÃO DO IRÃ, TENSÃO NO CATAR

O grande medo da Arábia Saudita

No olho do furacão. Assim se sente a Arábia Saudita, cercada por ameaças às suas fronteiras, seja no Iêmen, seja no Iraque. O aumento do poder do Irã lhe parece um perigo mortal. O que fazer então em uma situação em que, além disso, se desenham os contornos de um acordo Washington-Teerã?Alain Gresh


ESCOLHER E NÃO ESCOLHER

Indecisão de Israel diante da crise síria

Há mais de três anos a Síria mergulha em um banho de sangue e se desintegra. Um terço da população está no exílio e metade da infraestrutura foi destruída. Essas dificuldades reforçam os temores securitários do vizinho israelense, dividido entre sua hostilidade ao regime de Damasco e o medo de grupos jihadistasNir Boms e Asaf Hazani


EURÁBIA

O mito da invasão árabe-mulçumana

Uma escola vendida pela prefeitura e transformada em mesquita… Essa imagem – pelo menos aproximada – destacada no dia 11 de abril no canal Europe 1 pelo filósofo Alain Finkielkraut revela o fantasma cada vez mais difundido da invasão árabe-muçulmana da Europa. Especialmente graças ao livro Eurábia, lançado em 2005Raphaël Liogier


UMA TENDÊNCIA CONFIRMADA PELAS ÚLTIMAS ELEIÇÕES MUNICIPAIS

Abstenção deforma a política francesa

Há quinze anos, a eleição do Parlamento europeu mobiliza apenas uma minoria do eleitorado. O aumento da abstenção tornou-se um fenômeno marcante da vida democrática francesa.Céline Braconnier e Jean-Yves Dormagen


UNIÃO EUROPEIA

Um golpe mortal no bem-estar social

Aproveitar-se da cooperação econômica no interior da União Europeia para acelerar a dissolução das solidariedades nacionais: e se o sonho dos burocratas de Bruxelas se tornasse realidade?Frédéric Panier


UMA ALAVANCA DO PODER

Em Ruanda, o resgate de uma tradição guerreira a serviço do governo

Longe das celebrações do genocídio de 1994, o governo ruandense persegue a renovação de um antigo dispositivo de formação dos guerreiros da época pré-colonial. Dos mais baixos escalões da administração local às mais altas esferas do poder, um culto à guerra ganha o país.Thomas Riot


OPOSIÇÃO TENTA TIRAR PARTIDO DA INDIGNAÇÃO POPULAR

Revolta ameaça o poder no Camboja

A crise política eclodiu no dia seguinte às eleições gerais de 28 de julho de 2013. Em um pleito marcado por irregularidadesPhilippe Revelli


EUROPA EM CRISE

Uma visita guiada à nova Grécia

Presidente da Comissão Europeia, o ex-primeiro-ministro português José Manuel Barroso avalia que os “sacrifícios” pelos quais passam o povo grego “abriram para eles as portas de um futuro melhor”. Um futuro aparentemente bem distante…Panagiotis Grigoriou


ÍNDIA

Uma imprensa popular que ignora os pobres

Segundo a The Economist, a Índia se içou ao primeiro lugar mundial no mercado da imprensa, à frente da China. Uma das chaves desse sucesso: os progressos na alfabetização, que passou de 12% em 1974 para 74% da população hojeBenjamin Fernandez


MEIO AMBIENTE

Impacto das mudanças climáticas no Brasil

Relatório da ONU lançado em março discute os riscos de insegurança alimentar em razão de secas, inundações e ondas mais fortes de calor. Preveem-se queda no rendimento das colheitas agrícolas e elevação da demanda por alimentos. Haverá graves problemas no abastecimento de águaLiszt Vieira


CIÊNCIA ABERTA

Em defesa do compartilhamento público de dados científicos

O movimento da ciência aberta preconiza que as ferramentas e os dados utilizados pelos cientistas sejam disponibilizados publicamente para ampliar seus benefícios a toda a sociedade. Embora haja inegáveis avanços nos últimos anos, ainda há forças que resistem a essa ideiaClaudia Domingues Vargas e Fabio Kon


SOMENTE UM ANO E MEIO NO PODER

Partido Quebequense, perseguido por sua própria história

Fragilizado por uma longa greve estudantil, implicado em casos de corrupção e desgastado por dez anos no poder, o PLQ registrou, em setembro de 2012, a derrota mais severa de sua história.Jean-François Nadeau


ESTRATÉGIAS EMPRESARIAIS E MILITARES DE CONTROLE DE TERRITÓRIO

Confluências autoritárias

A diferença entre a espionagem da ditadura e a de uma grande corporação é que, no primeiro caso, visavam-se os agentes da crítica e da oposição, com o intuito de desmantelar a rede da resistência; no segundo, o objetivo é o público em geral que se quer “proteger” dos efeitos da críticaHenri Acselrad


DESENVOLVIMENTO BRASILEIRO

Sustentabilidade como chave para a manutenção da inclusão social

O Brasil tem muito a comemorar no tocante à redução da pobreza e das desigualdades de renda, fruto de ações governamentais adotadas ao longo da última década. No entanto, a especialização primário-exportadora coloca o país numa rota de risco para a manutenção dessas importantes conquistasAna Toni e Fátima Mello


AS CONTRADIÇÕES DA ECONOMIA SOLIDÁRIA

Causas justas, salários baixos

Ganhar a vida servindo a um ideal: esse sonho conduz os empregados de associações e cooperativas a aceitar, com frequência, a precarização e uma remuneração modesta. Mas até que ponto?Fanny Darbus e Matthieu Hély