Our Revolution - Le Monde Diplomatique

EDITORIAL

Our Revolution

por Silvio Caccia Bava
Janeiro 8, 2018
Imagem por Claudius
compartilhar
visualização

O Our Revolution está enviando uma mensagem à classe dos bilionários: “Vocês não podem ter tudo. Não podem ter enormes isenções de impostos, enquanto crianças neste país passam fome. Não podem continuar enviando empregos para a China, enquanto milhões de norte-americanos estão à procura de trabalho. Não podem esconder seus lucros nas Ilhas Cayman e em outros paraísos fiscais, enquanto existem enormes necessidades não satisfeitas em todos os cantos desta nação. Sua ganância tem de acabar. Vocês não podem aproveitar todos os benefícios da América e se recusar a aceitar suas responsabilidades como norte-americanos”.

 

Ao final da campanha presidencial de Bernie Sanders, nos Estados Unidos, em 2016, ficou a pergunta: o que fazer com milhões de pessoas que se engajaram em sua campanha e abraçaram suas propostas de transformação social que tinham como prioridade enfrentar o rentismo e melhorar a qualidade de vida dos norte-americanos, especialmente dos mais pobres?

A resposta foi a criação de um movimento político, independente, organizado pela sociedade civil, que aposta na mudança progressiva do sistema político e assume uma agenda de defesa de direitos e da democracia. Esse movimento se chama Our Revolution (Nossa Revolução) e grande parte de seus integrantes são jovens que se entusiasmaram com a campanha de Sanders à presidência.

Ao final de um ano de existência, o Our Revolution tem 380 grupos de base, organizados em 49 estados dos Estados Unidos, mobiliza milhares de voluntários, ajudou a eleger dezenas de candidatos, desde diretores de escolas e vereadores até deputados estaduais e federais, pretende disputar cargos públicos no âmbito do Executivo, além da direção do Partido Democrata do nível mais local ao nível nacional. E o movimento político declara estar apenas começando a atuar na cena pública.

O Our Revolution pretende transformar a política norte-americana para que os sistemas políticos e econômicos respondam às necessidades das famílias trabalhadoras. São três objetivos interligados: revitalizar a democracia norte-americana, capacitar líderes progressistas e elevar a consciência política de milhões de pessoas que se envolveram na campanha presidencial do senador Bernie Sanders para apoiar causas progressistas. O Our Revolution vai dar às pessoas uma voz no sistema político ativando apoiadores e engajando milhões de norte-americanos no processo político.

Sua avaliação é de que a mídia corporativa falhou em grande parte ao cobrir as questões críticas para o futuro do país: dos efeitos devastadores das alterações climáticas ao declínio da classe média. O Our Revolution vai educar o público sobre as questões mais prementes, confrontando a nação com as soluções que estão sendo oferecidas. Esse esforço garantirá que novas vozes serão ouvidas e se tornarão uma parte importante do diálogo municipal, estadual e nacional.

Ao longo de seu primeiro ano de existência, o Our Revolution recebeu doações em dinheiro de cerca de 230 mil norte-americanos, com uma média de US$ 22 por doação. Arrecadou assim mais de US$ 5 milhões, exclusivamente de pessoas físicas, única forma de financiamento que admite. Todos aqueles que doarem mais de US$ 250 terão seu nome identificado no site do movimento, e o limite para doações individuais é de US$ 5 mil, a menos que doações maiores específicas sejam aprovadas pela direção do movimento.

Segundo o Our Revolution, a questão da desigualdade de renda e riqueza é o grande problema moral e a grande questão econômica e política do nosso tempo. Sua avaliação é de que há algo profundamente errado quando uma única família norte-americana possui mais riqueza do que os 130 milhões de norte-americanos mais pobres. A realidade é que, nos últimos quarenta anos, Wall Street e a classe dos bilionários têm manipulado as regras para concentrar a riqueza e a renda nas mãos das pessoas mais ricas e mais poderosas do país.

O Our Revolution está enviando uma mensagem à classe dos bilionários: “Vocês não podem ter tudo. Não podem ter enormes isenções de impostos, enquanto crianças neste país passam fome. Não podem continuar enviando empregos para a China, enquanto milhões de norte-americanos estão à procura de trabalho. Não podem esconder seus lucros nas Ilhas Cayman e em outros paraísos fiscais, enquanto existem enormes necessidades não satisfeitas em todos os cantos desta nação. Sua ganância tem de acabar. Vocês não podem aproveitar todos os benefícios da América e se recusar a aceitar suas responsabilidades como norte-americanos”.

Entre suas principais propostas está dobrar o valor do salário mínimo; igualar os salários de homens e mulheres para as mesmas funções; investir maciçamente na construção de rodovias, portos, estradas de ferro, aeroportos, sistemas públicos de transportes, sistemas de saneamento etc.; assegurar educação e saúde pública gratuita e de qualidade em todos os níveis, e creches para todas as crianças em idade pré-escolar; fortalecer os sindicatos de trabalhadores; obrigar a divisão dos grandes conglomerados financeiros para que possam se submeter a regulações democráticas.

O Our Revolution surge do desencanto com o sistema político e com os partidos Democrata e Republicano, ambos controlados pelas elites. É um movimento político de empoderamento da cidadã e do cidadão comum, de radicalização da democracia, de refundação do sistema político. Talvez tenhamos alguma coisa a aprender com essa experiência, que ainda vai dar muitos outros frutos!



Artigos Relacionados