ECONOMIA DOS CONFLITOS SOCIAIS - Le Monde Diplomatique

ECONOMIA DOS CONFLITOS SOCIAIS

julho 5, 2009
compartilhar
visualização

O livro é o resultado de um esforço teórico de grande fôlego, abordando uma enorme gama de temas marxistas, num todo coerente que visa, nas palavras do autor, conformar uma “Teoria geral da ordem e dos processos revolucionários”.
João Bernardo reafirma sua posição no interior do marxismo: trata-se de um heterodoxo. Neste livro, mais que simplesmente a produção teórica de Marx, são as “contradições e limitações estruturais da obra [marxiana]” as principais referências. Segundo o autor, haveria em Marx uma dualidade que teria dado origem a duas vertentes marxistas fundamentais. A primeira delas ele denomina “marxismo das forças produtivas”, que concederia primazia ao mercado e à livre concorrência, tomaria como neutras a técnica e a tecnologia e ignoraria a questão da produção da mais-valia. Ainda segundo João Bernardo, tendo sustentado essas posições em diversas passagens de sua obra ao louvar o planejamento, a organização e a disciplina fabril, e apregoar a inelutabilidade do socialismo, Marx estaria fazendo apologia e antecipando, teoricamente, a ascensão da classe dos gestores, que teria se tornado hegemônica no capitalismo.
A segunda vertente é designada por “marxismo das relações de produção”, que busca explicar o desenvolvimento das forças produtivas pela análise das relações de produção, que concebe a não neutralidade das forças produtivas e que tem como base a análise da produção da mais-valia (“que não é senão outro nome dado à alienação”); seus defensores são críticos do poder e militantes da autonomia dos trabalhadores e dos princípios do igualitarismo e do coletivismo.
Muito provavelmente a previsão de João Bernardo de que o livro não deverá encontrar um público em tempo de ter seu propósito fundamental satisfeito: o de contribuir com a crítica e com as lutas anticapitalistas, se confirmará – o que não é demérito da obra, e sim um sinal dos tempos. Não obstante, o leitor que se dedicar ao estudo do livro certamente defrontará com um material vasto e provocador, que estimulará sua reflexão e lhe trará importantes subsídios para a crítica do capital.



Artigos Relacionados