Arquivos Dossiê - Le Monde Diplomatique

Quem acredita na versão oficial?

Quantos de vocês acham que as torres do World Trade Center desabaram em consequência de um incêndio causado pelo impacto de aviões e acreditam na versão oficial?” Naquele 2 de maio de 2015, apenas uma mão se levantou no anfiteatro do D’Artagnan, um albergue de jovens parisiense. Cerca de setenta pessoas participavam ali da assembleia …

Dez princípios da retórica conspiracionista

  1. Nunca falar de conspiração “Nesta Revolução Francesa, tudo, até seus planos mais espantosos, tudo foi previsto, meditado, combinado, resolvido, estabelecido; tudo foi […] organizado por homens que tinham sozinhos o fio das conspirações havia muito elaboradas nas sociedades secretas e que souberam escolher e aguardar os momentos propícios para o complô.” No final …

Nas fronteiras do real

“Há duas histórias: a oficial, mentirosa, e a secreta, na qual estão as verdadeiras causas dos eventos.” Honoré de Balzac, que em Ilusões perdidas (1837-1843) criou essa frase que se tornaria célebre, acreditava mesmo nisso. Ele chegou a fundar uma associação, com o nome de Cavalo Vermelho, destinada a organizar nas sombras a ascensão de …

Suas lembranças são nosso futuro

Sede da DigData – Burj Khalifa de Dubai – 110º andar > Memorização de Ava Shaheen – Nós trabalhamos em três escalas de intervenção: o indivíduo, o grupo-alvo e o território, com uma possibilidade de extensão para a nação se pudermos dispor de um monopólio relativamente sério das redes de distribuição… – Nossa distribuição de …

Uma série de raciocínios simples

“Qual é seu grau de concordância com as seguintes teorias, numa escala de 1 = ‘Nulo’ a 7 = ‘Total’? 1) A aids foi criada intencionalmente pelo homem, mais especificamente pelo governo norte-americano. 2) A missão Apolo nunca chegou à Lua e as imagens divulgadas para o grande público não passaram de um truque da …

O sintoma de uma desapropriação

Vê-los por toda parte; não vê-los em lugar algum: em matéria de complô, raramente o debate evita um desses dois extremos simétricos. Em 2004, quando as cinco grandes empresas de Wall Street realizaram, graças a pressões, uma reunião (por muito tempo mantida em segredo) na Securities and Exchange Commission (SEC, o regulador dos mercados de …

De Santiago a Caracas, o golpismo de Washington

  “A todo instante”, escrevia em 1959 o jornalista Herbert Matthews, “uma realidade se impõe: se não tivéssemos a América Latina como parceira, nossa situação seria dramática. Sem acesso aos produtos e mercados latino-americanos, os Estados Unidos ficariam reduzidos à condição de potência de segunda classe” (The New York Times, 26 abr. 1959). Dessa preocupação …

Uma obsessão no mundo árabe

Em outubro de 2012, o periódico egípcio Al-Masri Al-Youm publicou um artigo afirmando que Tzipi Livni, ex-ministra das Relações Exteriores de Israel, teria reconhecido nas colunas do jornal britânico The Timesque mantivera relações sexuais com diversas personalidades árabes quando era agente do Mossad. Um comércio carnal destinado a “implicá-los em escândalos sexuais, forçá-los a abrir …

Intrusão operária no cenáculo de acionistas

Quando raiou o dia na fábrica, as trabalhadoras desceram de um ônibus para entrar em outro e dirigir-se a um destino desconhecido. Contudo, Marie-Hélène, a delegada da Confederação Geral do Trabalho (CGT), acabou logo com o mistério: “Hoje vamos ao palácio do Louvre”. – Aaaaah! – exclamaram suas companheiras. – Hoje é um dia especial …

A Bolsa, onde tudo faz sentido

Situada na confluência da racionalidade estatal com as lógicas de mercado, a Bolsa é, ao mesmo tempo, um lugar, um dispositivo de troca e um espaço social. No início, era o local de reunião e principal círculo de encontro de particulares, pessoas de negócios, intermediários legais e astutos. O acesso à Bolsa, em geral um …