diplomatique, Autor em Le Monde Diplomatique

Só existe um futuro para o Brasil, e ele passa pela eleição de Lula neste domingo

Em março de 2021, quando o Brasil enfrentava uma das ondas mais mortíferas da pandemia de covid-19, o presidente Jair Bolsonaro imitou uma pessoa com falta de ar ao criticar declarações do ex-ministro da Saúde, Henrique Mandetta. Ele viria a repetir a cena dois meses depois. As performances de Bolsonaro talvez tenham sido a manifestação …

por em

Uma viagem ao bestiário político do “Rejeito” no Chile

Bestiário é uma compilação de seres mitológicos, fantásticos ou estranhos que surgiram a partir da invenção humana. São criaturas imaginárias, produto de sonhos, desejos e medos que compartilhamos como sociedade. Algumas dessas bestas mitológicas possuem atributos de animais e humanos; outras, ainda mais “monstruosas”, vão além das expressões animais e se enraízam no imaginário popular …

por em

Balança geopolítica mundial deve pender para o lado asiático

A embaixadora Thereza Quintella é um dos melhores quadros da boa diplomacia brasileira, a de Celso Amorim e Samuel Pinheiro Guimarães. Aposentada do serviço público, permanece atenta às tramas da geopolítica internacional e às disputas por hegemonia travadas permanentemente entre as grandes potências, e exercita o hábito de estudar o fato político perfurando sua epiderme; …

por em

Varíola dos macacos: nova pandemia de causa antrópica?

No fundo, todos devem gostar um pouco de algumas teorias conspiratórias. Afinal, como diz o psicólogo Ramón Nogueras,1 “o pensamento conspirativo tem benefícios para os indivíduos: ele nos dá a sensação de controle, de que o mundo tem explicação”. No entanto, um pouco de bom senso sempre é fundamental para não passarmos de negacionistas. A …

por em

Quem deve ser o guardião da Constituição?

O Brasil completará, no ano que vem, dez anos de tumulto institucional. Após as manifestações de junho de 2013, o país mergulhou em um pesadelo político que culminou no retrocesso de uma série de direitos conquistados com muito suor ao longo de sua história republicana. Paralelamente à democrática passeata em torno dos 20 centavos, organizada …

por em

Vítimas de um contexto de genocídio

A mais recente tragédia que se abateu sobre o país envolve o desaparecimento do indigenista brasileiro Bruno Araújo Pereira, bem como do jornalista inglês Dom Phillips. Via de regra o cidadão comum que acompanhe minimamente as notícias diárias e que ainda mantenha um mínimo de alteridade, bom senso e capacidade crítica, tende a se sensibilizar …

por em

O karma amazônico dos militares brasileiros

Em 1995, o coronel da reserva do Exército Brasileiro Carlos Menna Barreto publicou um livro de título bombástico: “A farsa ianomami”. A ilustração da capa trazia um homem branco, loiro e de olhos azuis que segurava sobre o rosto uma máscara com a face de um jovem indígena. Menna Barreto protestava contra a demarcação das …

por em

Biocentrismo ancestral: uma ecologia mais profunda

Uma série de processos que tiveram uma de suas manifestações mais marcantes no Novo Constitucionalismo Latino-Americano e no que poderíamos chamar de sua culminância no Equador, em 2008, e na Bolívia, em 2010, expressou em conceitos como Bem Viver ou Direitos da Pachamama a potencialidade das propostas que surgiram, fundamentalmente, a partir dos movimentos indígenas. …

por em

O Brasil e a democracia ambiental substantiva

O meio ambiente sob o comando do governo de Jair Bolsonaro tem inviabilizado os processos de controle pela sociedade brasileira. A postura do governo favorece apenas o poder econômico, especialmente segmentos mais retrógrados do agronegócio, alijando setores mais isentos, como movimentos sociais, organizações não governamentais e especialistas dos debates sobre os rumos da preservação ambiental …

por em

O laboratório

O setor de saneamento nacional está em liquidação e o leiloeiro é Paulo Guedes. Além da gigante CEDAE (RJ), estão previstos mais seis leilões nos próximos meses. Dois em Alagoas, dois no Ceará, um em Porto Alegre e mais um bloco da CEDAE no estado do Rio. Além disso, o instrumento do governo para tal …

por em

O que explica o declínio de Bolsonaro entre os evangélicos?

O apoio de Bolsonaro entre os evangélicos parece, enfim, estar com os dias contados. Segundo a última pesquisa Datafolha, 29% dos evangélicos consideram o governo Bolsonaro ótimo ou bom. É o menor índice já registrado desde o início do seu mandato. De janeiro para cá, a aprovação do presidente derreteu nada menos que onze pontos …

por em

O bolsonarismo não cabe nos números

Em uma das últimas pesquisas estatísticas de intenção de voto para as eleições presidenciais chilenas — que acontecerão no fim de novembro — o candidato mais à direita do espectro, José Antonio Kast, somou 6,3% das intenções de votos. Levando em conta a população de quase 19 milhões de habitantes, a taxa corresponde a cerca …

por em

Resposta à nota da Superintendência da Cultura do Paraná

A série Crise da Cultura, publicada pelo Le Monde Diplomatique Brasil em 25 de agosto de 2021, apurada e escrita por mim, Rodrigo Juste Duarte, jornalista, tendo colaboração da rede de pesquisadores do Observatório da Cultura do Brasil, resultando em 70 páginas de matéria, dividida em seis artigos, trata da crise econômica e social no …

por em

O plano Bolsonaro

O anúncio de que o Exército brasileiro absolveu o general Eduardo Pazzuello acendeu o sinal amarelo de muitos analistas políticos. Ao dizer que acataria os argumentos do general, o Exército assumiu a constrangedora posição de considerar o ato político de 24 de maio no Rio de Janeiro como apenas um “passeio de motocicleta”, e não …

por em

Bolsonaro, a pandemia e a nova corrida pelo ouro na Terra Indígena Yanomami

“Nós convivemos com vários problemas antigos aqui na Terra Indígena Yanomami, como os invasores que prejudicam a vida do nosso povo. São mais de trinta anos de garimpo ilegal! Vivemos o massacre do Haximu, mortes, assassinatos e ameaças constantes a nossos parentes, doenças e a destruição de nossa floresta. Esses problemas são antigos e continuam. …

por em

Agenda Propositiva das Periferias

A pesquisa “Agenda Propositiva das Periferias” foi realizada pelo Centro de Estudos Periféricos com apoio da Fundação Rosa Luxemburgo. A pesquisa contou com a participação de 32 pessoas no total, sendo quatro professores da Unifesp, 15 pesquisadores de diversas formações, 12 alunos da Unifesp e 1 aluno de outra instituição. Toda a equipe da pesquisa …

por em

Você conhece o “artivismo”? Arte, comunicação e advocacy

Entre 2017 e 2018 um curta metragem e um vídeo clipe foram fundamentais para que fosse arquivado o projeto de lei 527/2016, que previa retaliar em 70% a Área de Proteção Ambiental da Escarpa Devoniana. Essa foi a primeira vez que o Observatório de Justiça e Conservação fez uma mobilização a partir do audiovisual. Outras …

por em

Decisão do CNJ torna tortura invisível e indetectável

De cabeça baixa, olhos roxos e aparência abatida, Júlia,[1] de 26 anos, caminhava lentamente em direção à cadeira de frente para o juiz. Naquela tarde de 2018, a audiência de custódia acontecia numa sala ampla, com a presença de familiares e público, no Fórum de Cuiabá (MT). Sentada, ombros curvados, Júlia exprimia dor e fraqueza. …

por em

“Acres de terra não votam, eleitores sim,” afirma (e desenha) cientista de dados

No ano passado, o cientista de dados Karim Douieb aceitou um desafio de Lara Trump, ex-apresentadora de TV e nora do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. No Twitter, ela mostrou um mapa majoritariamente vermelho, dividido por condados, para representar os eleitores do partido republicano de Trump sob o título: “Tente dar um impeachment nisso”. …

por em

Documentário de um exército invisível

“Tem muita gente falando assim: isso é escravidão. Eu gosto de usar as palavras certas. Se eu amanhã desligar o aplicativo, ninguém vai sair com capataz e cachorro me procurar, no meio do mato, para me trazer de volta para a fazenda. Então, o bagulho não é escravidão. O barato é o encurralamento, mano: a …

por em

A paisagem como brado ambiental do cinema

Enquanto as chamas devastam a Amazônia e o Pantanal, o presidente Jair Bolsonaro, com os olhos tensos mas robotizados, afirma na abertura da 75ª Assembleia Geral da ONU que o Brasil é líder na preservação de florestas tropicais e que mantém sua política de tolerância zero para crimes ambientais. Argumentos que logo viram cinzas, distantes …

por em

O que as plataformas (não) fizeram para combater a desinformação

O problema da desinformação está no centro do debate político há pelo menos quatro anos, desde que Donald Trump chegou ao poder nos Estados Unidos, valendo-se de uma campanha permeada por fake news e estratégias de segmentação de conteúdos para públicos mapeados a partir do uso ilegal de seus dados pessoais. No Brasil, os impactos …

por em

O documentário e além

“Que soluções o filme aponta?” A pergunta, inesperada, mas oportuna, abriu caminho para uma análise mais profunda sobre as respostas que o cinema dedicado aos temas socioambientais deve ou não dar. O questionamento foi feito por alguém do público que acompanhava o webinário que reunia diversos profissionais do audiovisual brasileiro para debater o “papel no …

por em

Cidade livre #02 – Lucio Gregori e Luiza Erundina

Segundo episódio da série especial Cidade livre, parceria do Guilhotina com a Fundação Rosa Luxemburgo (FRL), lembra a experiência pioneira da cidade de São Paulo, que na virada dos anos 1990 tentou aplicar a tarifa zero no transporte municipal. Para contar essa história, Bianca Pyl e Luís Brasilino recebem seus dois principais protagonistas, a então …

por em

Mote para a vitimização ou para a autonomia?

Quando nos propusemos a organizar esta série sobre o novo marco legal do saneamento, o projeto de lei ainda estava em discussão. O cenário, em aberto, merecia reflexões mais aprofundadas, que contribuíssem para esclarecer a população e ampliar o debate sobre a forma como o país pretendia organizar o atendimento a essa necessidade tão vital. …

por em

Mudanças resolverão os problemas de saneamento do Brasil?

Universalizar o saneamento significa que todos tenham acesso a ele. E que interessa a cada um que os outros também tenham saneamento. A marca das dificuldades de universalização dos serviços de saneamento está intimamente ligada às desigualdades sociais das cidades brasileiras, às formas com que se organizou a sociedade, na maneira com que se construiu …

por em

Guilhotina #81 – Juliano Giassi Goularti

Ao contrário da propaganda empresarial, a redução de impostos não resulta, necessariamente, em investimentos privados para o desenvolvimento do país. Neste episódio do Guilhotina, Bianca Pyl e Luís Brasilino conversam com o economista Juliano Giassi Goularti, doutor em Economia pela Unicamp, que lançou recentemente o livro Política fiscal e desoneração tributária no Brasil, pelas editoras …

por em

O Brasil na contramão, de novo

Em plena pandemia, com tudo o que isso implica em termos da dificuldade de realizar debates públicos qualificados e com ampla participação social sobre temas relevantes da vida nacional, foi aprovada e sancionada, com vetos, a Lei 14.026/2020, chamada por muitos como Lei do Saneamento. Ela altera marcos legais que vigoravam anteriormente e introduz mudanças …

por em

Saneamento e o novo (a)normal: controle social e controle de risco

A recente Lei 14.026/20, conhecida como novo marco legal do saneamento, derrogou vários dispositivos de uma série de leis,[1] em especial da Política Nacional do Saneamento Básico (Lei 11.445/07), ao ampliar a competência da Agência Nacional de Águas (ANA) para a questão do saneamento e estabelecer novos prazos para a universalização de atendimento de 99% …

por em

No Brasil, as águas são muitas, mas não são infinitas

No período marcado pelo fim do tráfico internacional, em função dos interesses econômicos da Inglaterra, o Estado brasileiro foi pressionado a editar uma lei de veto ao comércio de escravos no Atlântico, em 1831. Entretanto, a escravidão era o sustentáculo da nossa economia e a influência inglesa não agradou em nada aos políticos da época, …

por em

A ilha completa mais de duas semanas sem mortes por Covid-19

No trágico período que vivemos, Cuba pode finalmente respirar: no último sábado, a ilha completou duas semanas sem nenhuma morte causada pelo novo coronavírus depois de, no dia 19 de julho, amanhecer sem novos casos de Covid-19. Diante do almejado resultado, questionamos: a que se deve o sucesso cubano? Situada a apenas 140 km do …

por em

A sobrecarga de tarifas na vida do povo brasileiro

O Brasil é um dos territórios com maior riqueza hídrica no mundo (13% do total do planeta),[1] detentor de grandes bacias hidrográficas como Amazonas e São Francisco e possuidor dos maiores sistemas de aquífero no mundo, com reservas estimadas em 112 bilhões m³. Por isso está como zona estratégica de controle da água no mundo …

por em

Pandemônio no saneamento

A Lei 14.026/20, resultado da sanção presidencial com vetos ao PL 4.162, que altera profundamente o marco legal do saneamento no Brasil, é um mal-conformado conjunto de soluções esdrúxulas e inconstitucionais, fruto da obsessão de abrir e facilitar caminhos para a entrada em massa do capital privado no setor de saneamento. As consequências desse novo marco …

por em

Membros do Observatório da Economia Contemporânea

por em

Como sobreviver às marcas invisíveis da tortura?

No Dia Internacional de Apoio às Vítimas de Tortura, 26 de Junho, os sobreviventes e as famílias dos sete jovens torturados pelo Exército no episódio conhecido como Sala Vermelha lutam pela responsabilização penal dos torturadores e convivem com as marcas invisíveis da brutal sessão de tortura a que foram submetidos em 20 agosto de 2018, …

por em

As bravatas do bolsonarismo e as exportações brasileiras para a China

Em meio à turbulência com a saída de capitais de curto prazo da economia nos últimos tempos, a balança comercial brasileira se manteve relativamente estável. Em grande parte, devido à persistência das exportações para a China, que chegaram, em maio, a representar 40% do total nacional,frente a um patamar de 35% no mesmo mês do …

por em

Esboço de análise sobre o Projeto de Lei do Future-se

A nova versão do Future-se, agora como Projeto de Lei (PL) (publicado no sítio web da Casa Civil, no final de maio de 2020), tem de ser examinada em seu inteiro teor, articulando os seus artigos, parágrafos, incisos em um único corpus analítico, juntamente com a Exposição de Motivos de 3 de abril de 2020 …

por em

A economia global no pós-pandemia

Não há quem considere que a crise econômica global atual seja independente da pandemia de Covid-19. Justamente por isso essa crise se distingue das passadas. Não se sabe ainda a extensão dos danos econômicos e sequer se já atingimos o fundo do poço. Apesar disso, tem-se discutido os cenários sobre como será a atividade econômica …

por em

google.com, pub-5880504560591245, DIRECT, f08c47fec0942fa0

por em

Programação do II Simpósio Direitas Brasileiras – “Bolsonaro no poder”

  1) Análise de conjuntura: governo Bolsonaro no contexto da pandemia Sessão 1: Governo e economia – 1º de junho (segunda) / 17:00-18:30 MARCOS NOBRE (UNICAMP/CEBRAP) LAURA CARVALHO (USP) Mediação: Sávio Cavalcante Sessão 2: Próximas eleições – 1º de junho (segunda) / 19:30-21:00 RACHEL MENEGUELLO (UNICAMP/CESOP) ANDRÉ SINGER (USP) Mediação: André Kaysel   2) Direitas, …

por em

“Impeachment depende da união da esquerda e da direita democrática”

Desde a chegada ao país do coronavírus, São Paulo tornou-se o epicentro da pandemia no Brasil. E assim como em todo o mundo, são os setores populares os mais expostos ao contágio e os que mais dificuldades têm para obter um atendimento rápido e eficiente em qualquer unidade de saúde. A falta políticas públicas repercute …

por em

A fatura do descaso com o setor de bens de capital e o desenvolvimento tecnológico

A pandemia da Covid-19 impactou fortemente a indústria brasileira; já em crise antes mesmo do vírus chegar. Todavia, a vulnerabilidade das cadeias industriais nacionais ficou evidente quando começaram as dificuldades para importar produtos essenciais da China, somadas à desvalorização do câmbio que passara a pressionar o custo dessas importações e, finalmente, à chegada do vírus …

por em

O desafio da retomada

As implicações e consequências econômicas e sociais da pandemia têm se mostrado tão devastadoras quanto a sua dimensão sanitária. Com uma diferença essencial: enquanto os efeitos desta última por mais penosos que sejam têm prazo de validade, os das primeiras podem se projetar por um largo período, dependendo das ações que sejam postas em prática …

por em

Covid-19, desigualdade social e tragédia no Brasil

Uma versão corrente do mito grego de Pandora diz sobre a possibilidade – devastadora – de uma caixa, que trazia as mazelas do mundo, ser aberta. Com a abertura da Caixa de Pandora os males da humanidade sairiam e se apresentariam tal como são na realidade. Prometeu, pai da humanidade, cujo nome também pode ser …

por em

Desmilitarização: uma provocação necessária

Nada é tão novo. A obsessão por segurança pública militar dá o tom da discussão. Vejo o absurdo crescente do autoritarismo e, mais uma vez, o silenciamento do debate público sobre desmilitarização. As discussões sobre PM, tiro, milícia e senador, com retroescavadeira e tudo, sacodem a velha história sobre a proibição de greves na conservadora …

por em

Guilhotina #60 – Leonardo Sakamoto

Bianca Pyl e Luís Brasilino recebem o jornalista Leonardo Sakamoto, doutor em Ciência Política pela USP, professor de Jornalismo na PUC-SP, diretor da ONG Repórter Brasil, conselheiro do Fundo das Nações Unidas para Formas Contemporâneas de Escravidão e colunista do portal UOL. Ele está lançando o livro “Escravidão contemporânea” (http://bit.ly/escravidão-contemporânea), obra em que reúne artigos …

por em

Depois da lama realidade virou ficção

Há ficção quando a existência passa a ser só carne e osso. Quando a união vira unidade. Quando a vida tenta se reestruturar, mas falha. E a falha vira a única forma de viver. Ou existir. Porque a vida é muito mais do que só carne e osso. Quando só se olha para o todo, …

por em

Guilhotina #50 – Armando Boito

A principal contradição do processo político durante os governos do PT não foi, como indicaria uma leitura mais superficial, entre capital e trabalho, mas sim entre a grande burguesia interna brasileira e o capital internacional (mais a burguesia local a ele associada). A leitura é do professor titular de Ciência Política da Unicamp, Armando Boito, …

por em

Guilhotina #48 – Daniela Fernandes Alarcon e Glicéria Tupinambá

Em 2004, os tupinambá da Serra do Padeiro, no sul da Bahia, decidiram retomar as terras que vinham sendo invadidas e exploradas pelos brancos desde a época da colonização portuguesa. Enquanto aguardam a conclusão do processo de demarcação, com a publicação da portaria declaratória pelo ministro da Justiça e as etapas finais, os indígenas ocuparam …

por em

Guilhotina #47 – Gabriel Feltran

Neste episódio do Guilhotina, Bianca Pyl e Luís Brasilino recebem o sociólogo Gabriel Feltran, professor do Departamento de Sociologia da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e pesquisador do Centro de Estudos da Metrópole (CEM). Em 2018, ele lançou pela Companhia das Letras o livro Irmãos, uma história do PCC, em que conta as origens …

por em

Guilhotina #45 – Natalia Timerman

Bianca Pyl e Luís Brasilino recebem neste episódio do Guilhotina a escritora e médica Natalia Timerman, psiquiatra no Centro Hospitalar do Sistema Penitenciário, em São Paulo, há sete anos. Em 2017, ela compartilhou histórias, personagens e o cotidiano desse seu trabalho no livro “Desterros: histórias de um hospital-prisão” (http://bit.ly/desterros), e, neste mês de outubro, está …

por em

Guilhotina #42 – Gabriel Ferreira Zacarias

Massacres e ataques terroristas se espalham pelo mundo: tiroteios em escolas, shows, redação de jornais, nas ruas, atropelamentos em massa, atentados com armas brancas. O que une esses atos de violência assassina? De que forma a análise de um aspecto particular e extremo pode contribuir para a compreensão da sociedade? É o que procura responder …

por em

Guilhotina #38 – Maíra Marcondes Moreira

Quais são os limites da categoria “mulher”?  Como o feminismo tradicional encara o feminismo queer? Quais as contribuições da Psicanálise para o Feminismo? Bianca Pyl e Luís Brasilino conversam sobre essas e outras questões com a psicanalista Maíra Marcondes Moreira,  doutoranda em processos psicossociais na PUC Minas Gerais. Maíra lançou recentemente, pela editora AnnaBlume, o …

por em

Guilhotina #36 – Joana Barros e Gustavo Prieto

Bianca Pyl e Luís Brasilino recebem os professores da Universidade Federal de São Paulo Joana Barros e Gustavo Prieto. Em julho, eles lançaram o livro “Sertão, sertões: repensando contradições, reconstruindo veredas” (http://bit.ly/sertão-sertões), também organizado pelo pesquisador Caio Marinho. A obra faz uma leitura crítica dos sentidos em disputa em torno da história de Canudos e …

por em

Guilhotina #34 – Fabio Luis Barbosa dos Santos

Na ressaca da tempestade neoliberal que varreu o continente a partir dos anos 1970, os países sul-americanos assistiram no início do século XXI a uma sucessão de governos progressistas que prometiam combater o avanço de tal modelo. Após vinte anos, pouco foi realizado, e uma parte das reformas inclusive já foi revertida. Para analisar este …

por em

O esculacho nosso de cada dia

Praticamente todos os dias somos surpreendidos com acintes de pessoas que, a princípio, deveriam preocupar-se com o bem-estar de qualquer brasileiro/a. São expressões e frases que demonstram uma visão de mundo enviesada para o aproveitamento individual, sempre, e para os “iguais”, sempre que possível. Nós, ou melhor, eu, quando ouço alguns comentários do governo, sinto …

por em

Guilhotina #32 – Eduardo Fagnani

O Brasil tem uma bomba demográfica prestes a explodir e realizar uma reforma da Previdência é fundamental para combater essa ameaça. Reforma essa que seria o primeiro passo para sanar o déficit fiscal, conferindo aos empresários a confiança necessária para retomar os investimentos e, consequentemente, o crescimento econômico. De quebra, corrigiriam-se distorções de um sistema …

por em

Guilhotina #27 – Renan Quinalha

Jair Bolsonaro elegeu-se presidente do Brasil com uma plataforma marcadamente LGBTfóbica, mobilizando com sucesso o conservadorismo da população contra minorias. Para conversar sobre os resultados e as origens desse discurso de ódio, Bianca Pyl e Luís Brasilino recebem o professor de Direito na Unifesp Renan Quinalha. Militante de direitos humanos, Renan é doutor em Relações …

por em

“A Filosofia e sua história têm um importante papel a desenvolver na educação”

Mundialmente conhecida pelo resgate do trabalho da filósofa Elisabeth de Bohemia, Lisa Shapiro é uma das pesquisadoras que abriu o caminho para pesquisas sobre filósofas invisibilizadas na fixação patriarcal do cânone. Tradutora das Correspondências da Princesa Elisabeth de Bohemia e René Descartes (Chicago, 2007), Shapiro é professora de Filosofia e diretora associada na Universidade Simon …

por em

Mulheres que pensam e fazem pensar

Durante todo o século XX, houve um amplo exercício teórico de retirar das sombras a grande contribuição das mulheres para a vida social. Somaram-se nesses esforços o aporte teórico de historiadoras feministas que questionaram a construção de uma historiografia supostamente neutra em termos de gênero, os movimentos feministas nas ruas, nas praças e na conquista …

por em

As mulheres na Filosofia Moderna

A História da Filosofia Moderna não se faz apenas com nomes como Descartes e Spinoza. O Brasil recebe, em junho, a primeira conferência dedicada às mulheres na Filosofia Moderna. Filósofas invisibilizadas, como Margaret Cavendish, Anne Conway, Elisabeth de Bohemia e Mary Wollstonecraft ocuparão centralidade no debate acadêmico que reúne mais de vinte pesquisadoras de oito …

por em

Guilhotina #25 – Ricardo Antunes

Flexibilização, precarização e desemprego, às vésperas da greve geral de 14 de junho, Bianca Pyl e Luís Brasilino conversam com o sociólogo Ricardo Antunes sobre a situação dos trabalhadores brasileiros. Professor titular no Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Unicamp, Ricardo é um dos maiores especialistas em mundo do trabalho do país e suas …

por em

Um ícone do jornalismo

Em 3 de fevereiro de 2019, durante a transmissão do Super Bowl pela CBS, os intervalos comerciais custaram US$ 5,25 milhões por uma mensagem de trinta segundos. O Washington Post reservou um spot de um minuto, lido pelo ator Tom Hanks – ou seja, sua transmissão custou mais ou menos o volume de negócios anual …

por em

Relato da vivência na universidade pública de quem não é um idiota útil

Era outubro de 2008. Os pequis, frutos típicos do Cerrado, já estavam caindo do pé com cheiro e sabor marcantes, sol forte – 40 °C –, como é de costume por aqui. Esse é o Tocantins, o mais novo estado do Brasil, com apenas trinta anos, localizado no Norte do país, no centro geodésico, antigo …

por em

Agadèz, o muro anti-imigração da Europa

Um suave torpor envolve a rodoviária de Agadèz nesta manhã de quarta-feira. A estação quente se aproxima. No amanhecer, um véu de poeira caiu sobre a cidade. Mas não é a meteorologia que explica a escassez de viajantes. “Não há mais viajantes há muito tempo”, lamenta um atendente. “As pessoas que vão para o norte …

por em

O Sudão e a Argélia reacenderam a chama da Primavera Árabe?

Nos últimos meses, as notícias vindas do mundo árabe voltaram a ser dominadas por imagens de mobilizações populares que lembram a onda de choque revolucionário que sacudiu a região em 2011. Revoltas se iniciaram no Sudão, em 19 de dezembro 2018, e na Argélia, com as grandes marchas da sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019. …

por em

Um grande debate… à cubana

Eles estão por todos os lados: nos elevadores, nas portas de entrada e a cada andar das escadas de edifícios. Sempre o mesmo anúncio: “Consulta popular. Reunião de todos os cidadãos”. No dia estabelecido, bancos e cadeiras estavam a postos nos Comitês de Defesa da Revolução (CDRs) – organizações encarregadas de acompanhar a vida cotidiana1 …

por em

“A Venezuela é a grande questão da América Latina no século XXI”

Para escrever uma série de reportagens sobre a crise na Venezuela, Jon Lee Anderson, escritor e repórter especial da revista The New Yorker, circulou por três continentes de fevereiro para cá: ouviu negociadores venezuelanos em Londres, entrevistou assessores do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, em Washington, e finalmente viajou a Caracas em maio para …

por em

Simulacros: a hiper-realidade do extermínio

Um dos pontos mais polêmicos do “pacote anticrime” proposto pelo ministro da Justiça, Sérgio Moro, é a ampliação das previsões do que seria a legítima defesa nos casos de ação policial e/ou militar letal. Outrora chamados “autos de resistência”, no Rio de Janeiro, e “resistência seguida de morte” em São Paulo, os casos registrados como …

por em

“Não tínhamos dinheiro nem para comprar um bebedouro”

“Quando foi que todo mundo virou socialista?”, perguntou recentemente, na capa, a revista New York. Para muitos jovens norte-americanos, constatava esse periódico da moda, “apresentar-se como socialista parece mais sexy que exibir qualquer outro qualificativo”.1 A mudança pode surpreender. Durante a segunda metade do século XX, era preciso ser masoquista para se dizer adepto dessa …

por em

Socialismo nos Estados Unidos: por que hoje?

Em entrevista recente na CNBC (6 maio 2019), Bill Gates insinuou que o entusiasmo suscitado por personalidades políticas como o senador Bernie Sanders e a deputada por Nova York Alexandria Ocasio-Cortez, que defendem ideias “socialistas” no seio do Partido Democrata, não o assusta de modo algum. A concepção que eles têm do socialismo exprimiria, segundo …

por em

Safe city, ou o governo dos algoritmos

  No dia 28 de dezembro de 1948, no Le Monde, o lógico Henri Dubarle publicou um dos primeiros artigos consagrados aos novos computadores aperfeiçoados nos Estados Unidos durante a Segunda Guerra Mundial. De início, tentou antecipar os efeitos políticos daquilo que logo seria chamado de informática. A cibernética balbuciava e o capitalismo de vigilância …

por em

Urbanismo à deriva

A França se destacou durante muito tempo por sua gestão do setor da construção e do planejamento, resultado do forte compromisso do Estado e das coletividades locais, ao mesmo tempo reguladoras, construtoras, financiadoras, administradoras… Ora, já faz alguns anos que esse sistema passou a correr riscos por causa de diversos dispositivos que, frequentemente testados sob …

por em

Antissemitismo, o golpe final

A polêmica em torno do antissemitismo que infestaria o mundo político britânico ultrapassou as fronteiras do Reino Unido. O parágrafo inicial de um artigo recente do The New York Times combinou o “profundo antissemitismo” do Partido Trabalhista com a profanação de um cemitério judeu na França para sugerir que o ódio aos judeus “constitui o …

por em

Nacionalismo europeu acha seu arauto

  A Itália tem um novo homem forte. Na opinião de muita gente, até um novo salvador. Em Roma, o verdadeiro chefe do governo não é o presidente do Conselho, Giuseppe Conte, nem o vencedor das últimas eleições gerais, o líder do Movimento Cinco Estrelas (M5S), Luigi Di Maio. O verdadeiro chefe do governo é …

por em

O mito de que o comunismo é contra a propriedade privada

“Horrorizai-vos porque queremos abolir a propriedade privada. Mas em vossa sociedade a propriedade privada está abolida para nove décimos de seus membros. E é precisamente porque não existe para esses nove décimos que ela existe para vós. Acusai-nos, portanto, de querer abolir uma forma de propriedade que só pode existir com a condição de privar …

por em

A resistência LGBTI+ e a política de morte bolsonarista

A narrativa de ódio que chegou ao poder arrasando com políticas sociais, culturais e educacionais, extinguindo direitos de trabalhadores e perseguindo índios, negros, mulheres e LGBTI vai sofrer sua primeira derrota pública: a criminalização da LGBTfobia. Exatamente a população que eles colocaram no centro de seus discursos, criados para nos colocar como inimigos no consciente …

por em

“Nossos filhos não vão ser estatística”

Há aproximadamente cinco anos, as redes sociais uniram mães de pessoas LGBTQIA+ (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais, transgêneros, queer, intersexo e assexual) preocupadas com a violência e com o discurso LGBTfóbicos, discurso esse muitas vezes proferido por autoridades – inclusive, e muito especialmente hoje em dia, pela maior delas! Nascia a Mães pela Diversidade. Hoje …

por em

Os direitos LGBT sob o governo Bolsonaro

O Brasil é comumente representado como um país que não apenas tolera, mas também proclama e até mesmo valoriza suas diversidades. Prevalece, no senso comum e em alguns saberes especializados, a narrativa autocomplacente de uma nação paradisíaca construída pelas misturas e diferenças. Afinal, a maior instituição brasileira, apesar de todas as crises que insistem em …

por em

Miscelânea

SINTOMAS MÓRBIDOS: A ENCRUZILHADA DA ESQUERDA BRASILEIRA Sabrina Fernandes, Autonomia Literária Normalmente, quando pensamos no sintoma de uma doença – uma tosse persistente, por exemplo –, pensamos na relação entre um grande problema, a infecção nas vias respiratórias, e um pequeno problema, a tosse. Contudo, do ponto de vista de causas e efeitos, a tosse, …

por em

Idiotas úteis

Poucos sabem que o governo federal, no ano de 2017, deixou de arrecadar R$ 270,4 bilhões por conceder isenções tributárias a empresários de vários setores da economia. Se somarmos às isenções tributárias outros benefícios financeiros e creditícios, a conta chega a R$ 373,3 bilhões em 2017.1 A isenção fiscal se dá quando o governo abre …

por em

Um capricho norte-americano

  Um Estado que, sem motivo concreto, rompe um acordo internacional de desarmamento negociado durante muito tempo pode depois ameaçar de agressão militar outro Estado signatário? Pode ordenar aos outros países que se alinhem com suas posições caprichosas e belicosas, pois do contrário sofrerão também sanções exorbitantes? Quando se trata dos Estados Unidos, a resposta …

por em

Guilhotina #24 – Sabrina Fernandes

Despolitização, redução do horizonte estratégico, conciliação de classe, burocratização, fragmentação… a esquerda brasileira vive há mais de década uma crise que foi se aprofundando até a derrota para a extrema-direita nas eleições de 2018. Para esmiuçar os motivos que levaram a isso e vislumbrar perspectivas, neste episódio, Bianca Pyl e Luís Brasilino conversam com a …

por em

O problema das três regras fiscais

O governo federal contingenciou aproximadamente R$ 32 bilhões do seu orçamento neste ano. Como o total de gastos discricionários previstos para 2019 é de R$ 129 bilhões, o corte representa quase 25% dos recursos disponíveis e coloca em risco a continuidade de diversos programas públicos, da educação às forças armadas. O contingenciamento de 2019 seguiu …

por em

Para entender a conjuntura: Neoliberalismo, neofascismo e burguesia no Brasil

Introdução O objetivo deste texto é discutir a conjuntura imediata que, nas últimas semanas, tem se acelerado de forma impressionante. Para isso, se faz necessário tentar identificar e estabelecer o nexo, as relações existentes, entre neoliberalismo, neofascismo e burguesia no Brasil; tal como se evidenciou a partir do movimento social de massa que desembocou no …

por em

Game of Thrones: o jogo de poder na guerra dos tronos

Game of Thrones (GOT) é o nome da série da HBO baseada na epopeia fantástica de George R. R. Martin: As Crônicas de Gelo e Fogo. A série estreou em abril de 2011 e terminou em maio de 2019, completando oito anos de duração, tendo marcado um ciclo inteiro da vida de muitas pessoas. Como …

por em

“Políticas de austeridade são terreno fértil para extrema-direita”, diz fundador do Podemos

As eleições para o Parlamento Europeu, que ocorrem entre os dias 23 e 26 de maio, podem marcar o avanço definitivo de radicais de direita sobre o continente europeu. É o que afirma o cientista político e um dos criadores do partido político espanhol Podemos, Juan Carlos Monedero. “As crises nos colocam num modo de …

por em

Cultura também é direito humano fundamental

A ideia de cultura habita uma dicotomia complexa no imaginário social. Ora é vista como luxo, ora é vista como balbúrdia. Independentemente da escolha, ambas acabam reforçando discursos que afirmam sem dó que ela é descartável, desnecessária em uma sociedade faminta e sofrida, e endossa supostas justificativas para que sejam as primeiras políticas a serem …

por em

Guilhotina #23 – Ana Paula Corti e Fernando Cássio

Os ataques contra a educação agudizaram-se e ficaram mais explícitos no governo Bolsonaro, mas eles vêm de longe. Neste episódio, Bianca Pyl, Cristiano Navarro e Luís Brasilino recebem os professores Ana Paula Corti, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo, e Fernando Cássio, da Universidade Federal do ABC. Fernando organizou e …

por em

Escola e universidade com todas as partes

Todo e qualquer curso de formação superior possui um documento chamado Projeto Político Pedagógico (PPP), que é aprovado por cada instituição de ensino superior vinculada ao Ministério da Educação, no quadro de deveres, marcos e garantias constitucionais. Em conformidade com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) toda escola deve possuir um …

por em

A cruzada bolsonarista contra a ciência

Os cortes e contingenciamentos de recursos no ensino superior foram anunciados pelo governo Bolsonaro como parte das medidas supostamente necessárias para a garantia do ajuste fiscal e do saneamento das contas públicas. Ao promover a asfixia financeira das universidades, o presidente colocou em prática uma estratégia que tem dois objetivos centrais. Além de ganhar terreno …

por em

O perdão que Padilha não merece

As declarações públicas de José Padilha, para divulgar a segunda temporada de “O Mecanismo”, continuam extremamente controversas. Autocrítica e humildade não são, definitivamente, virtudes cultivadas pelo diretor. Em entrevista, justificou o injustificável, e disse não se arrepender da primeira temporada, mesmo após a eleição de Bolsonaro e a entrada de Sérgio Moro no governo. A sua …

por em

Reinventar o 18 de maio em memória de Araceli

06Chegamos ao mês de maio em que novamente o dia 18 foi reavivado como Dia Nacional de Enfrentamento do Abuso e Exploração Sexual Contra Crianças e Adolescentes. Como nas 18 edições anteriores, neste ano os entes estatais e a sociedade civil estão a planejar e implementar diferentes medidas mobilizatórias, educativas e sensibilizadoras para colocar em …

por em

Regressão industrial na periferia do desenvolvimento do subdesenvolvimento

Até 1980, o Brasil estava entre as três economias do mundo que mais cresciam. Durante o milagre econômico (iniciado em 1968) a renda per capita foi dobrada. Crescíamos a taxas chinesas, de mais de 10% ao ano nos 1970 e nossas exportações de manufaturados aumentavam exponencialmente, de 24%, em 1974, para 44,8%, em 1980, e …

por em

Nova Rota da Seda chinesa completa seis anos com mudanças à vista

No final de abril, a China deu início à segunda cúpula da Iniciativa Cinturão e Rota (BRI, na sigla em inglês), apelidada de a nova Rota da Seda chinesa. O mega plano de Pequim de interligar diversos continentes por meio de milhares de obras de infraestrutura e investimentos de bilhões de dólares completou seis anos …

por em

“A qualidade do alimento orgânico é igual ao alimento convencional”

Não é. E para mostrar isso é possível analisar, pelo menos, quatro aspectos. O mais impactante é a toxicidade. Orgânicos são isentos não só de agrotóxicos, mas também de fertilizantes químicos sintéticos, sementes transgênicas, drogas veterinárias e, se forem industrializados, não têm aditivos químicos sintéticos (corantes, aromatizantes, conservantes, emulsificantes etc), e não sofrem irradiação. O …

por em

Guilhotina #22 – Camila Rocha

Bianca Pyl, Cristiano Navarro e Luís Brasilino recebem a cientista política Camila Rocha, autora da tese de doutorado “‘Menos Marx mais Mises’: uma gênese da nova direita brasileira (2006-2018)”. Camila iniciou a pesquisa em 2015, quando passou quatro meses estudando os arquivos na sede do Instituto Liberal, e entrevistou as principais lideranças do que hoje …

por em

O retorno dos militares ao meio ambiente

Passados cinco meses desde o início do seu mandato, Jair Bolsonaro está mais à vontade para atentar contra o meio ambiente brasileiro. No dia 29 de abril, durante um grande encontro do agronegócio em Ribeirão Preto, ele admitiu que uma das principais metas de seu governo é “fazer a limpa” nas duas principais autarquias ambientais …

por em

Mercado total

Avança politicamente no país a ideia de que Estados, ao interferirem excessivamente em mercados, distorcem preços, criam ineficiências e alimentam privilégios. No caso brasileiro, diante da crise econômica que se prolonga desde 2015, reformas “pró-mercado” seriam cruciais para colocar o país nos eixos e, em suma, retomar o crescimento econômico. Ao menos é essa a …

por em

A privatização em “marcha forçada” nos governos Temer e Bolsonaro

O ministro da Economia tem intensificado suas declarações reafirmando a centralidade do desmonte do Estado e das empresas estatais na agenda do atual governo. Depois de reafirmar em entrevista recente que “gostaria de vender tudo e reduzir a dívida”, Paulo Guedes insinuou que Bolsonaro já começava a ter “simpatia inicial” pela venda de empresas estratégicas …

por em

Manifesto Comunista em quadrinhos

Manifest der Kommunistischen Partei (Manifesto do Partido Comunista) foi encomendado a Karl Marx como uma declaração de princípios pelo grupo socialista Liga dos Justos, em junho de 1847, sem nenhuma expectativa do que seria seu significado para humanidade. Peça fundamental na estruturação do pensamento marxista e sua crítica ao capitalismo, o curto documento, assinado por Marx …

por em

Evangélicos e a ascensão da extrema-direita no Brasil

A Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd) é um complexo que envolve um império midiático não voltado apenas à propagação de seus preceitos religiosos e morais e ao proselitismo, mas também como a expressão do crescimento extraordinário evangélico no Brasil, em especial o do neopentecostalismo, cujo cerne está na Teologia da Prosperidade e da …

por em

Para que serve a filosofia em tempos de mistificadores?

O ensino e a pesquisa nas áreas de Filosofia e Ciências Sociais estão sob ataque dos cultuadores da ignorância e da violência. Bolsonaro e o novo ministro da educação anunciaram uma “descentralização” de investimentos. A proposta de cortar verbas de cursos de Humanas tem pouco peso prático. E muito ideológico. Jair Messias e o ministro …

por em

Venenos na agricultura: quem ganha com isso e como diminuir?

Ganha quem tem interesses financeiros em manter o agronegócio e a produção de patentes e insumos agropecuários. Em 2018, a campanha em defesa da lei pró-agrotóxicos, apoiada no Brasil pela bancada ruralista e pela frente parlamentar agropecuária – a mais coesa e representativa do Congresso, com 44% de deputados e 33% de senadores no momento …

por em

A administração neoliberal em Porto Alegre

O neoliberalismo é a oficialização do crime social — Hideraldo Montenegro O neoliberalismo é como Robin Hood ao avesso: tira dos pobres e beneficia os ricos — João Felipe Cavalcante Liberal, ultra liberal Uma forma de verificar as teses de Michel Hardt e Antônio Negri presentes em Assembly (Ed. Políteia, 2018) é verifica-las na realidade …

por em

A privatização do setor público de saúde

          Nas décadas de 1970 e 1980, os sanitaristas explicitaram suas concepções teóricas acerca de um novo modelo de atenção em saúde para substituir o modelo médico-assistencial privatista. Destacaram as contradições internas do modelo em vigor e propuseram as premissas da universalidade, igualdade, integralidade, equidade, descentralização e participação popular para compor um novo modelo.           …

por em

Guilhotina #21 – Grazielle Albuquerque

Bianca Pyl, Cristiano Navarro e Luís Brasilino entrevistam a jornalista e cientista política Grazielle Albuquerque, que em março de 2019 defendeu na Unicamp a tese de doutorado “Justiça e política: um estudo sobre a comunicação do STF (1988-2004)”. Na pesquisa, que vai virar livro em 2020, ela analisa as consequências do processo de crescente midiatização …

por em

Estado miliciano: a consolidação da ideologia

A análise que pretendemos desenvolver aqui enfrenta algumas dificuldades. Em primeiro lugar, pensar a forma de um poder político marcado pela deformação, pela instabilidade, pela corrosão das instituições, pelo improviso, pelo movimento, pelo ritmo das postagens nas redes sociais. Tentar, em segundo lugar, demonstrar o caráter anti-democrático desse poder em um contexto no qual o …

por em

WhatsApp e eleições: quais as características das informações disseminadas

“Eu acredito que o melhor meio de mídia, que presta o melhor papel à verdade, à divulgação dos fatos, se chama YouTube”, disse um apoiador de Jair Bolsonaro ao jornal Folha de S. Paulo no início de abril. A forte utilização da plataforma de vídeos como fonte de informações políticas não é exclusividade dos apoiadores …

por em

O refúgio na arte

Das manchetes de jornais e dos dados estatísticos, a situação dos migrantes e refugiados passou com mais força aos palcos de teatro, filmes renomados e até novelas de TV. Tornou-se corrente a produção sobre eles, a reconstrução de seus dramas e a expressão de suas biografias em arte. No entanto, há um hiato entre a …

por em

A estratégia da esquerda maranhense para barrar o conservadorismo

O Partido Comunista do Brasil coloca em marcha uma “revolução democrática” no estado do Maranhão. Estas são as palavras que os comunistas maranhenses usam para definir o governo Flávio Dino, que começou em 2015, após o desgaste do povo sob o domínio oligárquico de 56 anos do clã Sarney, e se consolidou na eleição de …

por em

O renascimento do Cavalo de Troia

Em 12 de maio de 2017, o sistema de saúde do Reino Unido entrou em colapso. Pessoas que buscaram ajuda em hospitais foram mandadas embora e pacientes dentro de ambulâncias não chegaram aos seus destinos. Nas telas dos computadores dos hospitais, uma mensagem: “Ops! Seus arquivos foram criptografados!”. Fabricantes de automóveis com produções paradas, empresas …

por em

Tripudiar do capitalismo

Existe um protesto político, uma revolta social não verbalizada, latente, em meio à atual onda conservadora no país. Um protesto que, de certa forma, é o mesmo que se camufla na desorientação de setores progressistas. Explicitá-lo talvez seja o caminho para dar um norte a uma sociedade à deriva, com risco cada vez mais palpável …

por em

A desigualdade social e a erosão da democracia

É razoável supor que, num país democrático, o governo seja capaz de conter facilmente o crescimento da desigualdade social empregando políticas públicas que redistribuam a renda e desconcentrem a riqueza. O raciocínio é elementar: na medida em que a riqueza se concentra cada vez mais nas mãos de uma ínfima minoria, a vasta maioria da …

por em

A realidade a ser enfrentada pelo próximo presidente do Panamá

Nos arredores do famoso canal do Panamá e dos milionários bancos que por anos abrigaram a condição de paraíso fiscal a massa anônima e empobrecida de panamenhos enfrenta cotidianamente a décima pior distribuição de renda do mundo conforme o Banco Mundial. O contraste entre a moderno Casco Viejo no malecón da capital – construída pela …

por em

Prisão em flagrante ou preventiva: quem a polícia prende e quem a justiça solta?

As audiências de custódia, instituídas pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em 2015, constituem um instrumento importante, por se tratarem do primeiro encontro da pessoa com a autoridade judicial, após sua prisão em flagrante. Nesse sentido, o programa Justiça Sem Muros, do ITTC, realizou a pesquisa “MulhereSemPrisão: enfrentando a (in)visibilidade das mulheres submetidas à justiça …

por em

Pior que crack! Como essa droga f*** meu cérebro

Eu era um cara normal, cheio de amigos, divertido e boa pinta. Apesar de ter minhas frustrações e minhas manias, afinal, ninguém é perfeito, né!? Me orgulhava em ser um careta de tudo. Não bebia, não fumava e sempre que possível optava pela escolha mais saudável do cardápio. Alimentação orgânica, sal rosa do Himalaia, em …

por em

Estado e nação: um estranho caso

Um dos efeitos mais curiosos da literatura é que, quanto mais parece afastar-se das situações humanas concretas, mais pode referir-se a elas de um ponto de vista original. E uma das características que distinguem os grandes escritores é o conhecimento de como manipular essa medida inexata entre o real e o remoto. Robert Louis Stevenson …

por em

A necessária recuperação do debate estrutural na América Latina

Dois temas ocuparam lugar de destaque na agenda das discussões socioeconômicas neste início do século XXI: o redesenho do mapa geopolítico e a polarização crescente da riqueza e do poder mundial; e a pauperização de grandes massas populacionais, sobretudo na periferia do sistema capitalista. Estes não são problemas novos, pois vêm sendo discutidos há muito …

por em

Por que não a Filosofia?

Uma sociedade que decide condenar a Filosofia precisa explicar por que o faz. Ela é inútil? Supérflua? Desnecessária? Seja qual for o adjetivo usado para (des)qualificá-la, será necessário argumentar para defender uma posição. E argumentar, com honestidade intelectual, requer apresentar boas razões para que uma determinada conclusão possa ser sustentada. Para isso, é preciso utilizar …

por em

É o petróleo, estúpido (sobre a Venezuela)

Dick Cheney (cuja vida foi retratada no excelente filme “Vice”) foi CEO da empresa petrolífera Halliburton. Nos bastidores, a empresa trabalhou para que ele fosse candidato à presidência dos EUA. Devido a uma questão de sua vida pessoal (sua filha era lésbica), ele não concorreu. Mas acharam um meio de colocá-lo no poder, a fim …

por em

Populismo de direita e carnavalização da política: O popular em meio a distopia

Na ultima quarta-feira de cinzas, o Brasil iniciou seus 40 dias da quaresma com a manchete: TWITTER AVALIA SE PUNE BOLSONARO POR BAIXARIA ESCATOLÓGICA[1]. E concluiu o rito de conversão e arrependimento no domingo de pascoa com outra manchete global: HUMORISTA ZELENSKIY É ELEITO PRESIDENTE DA UCRÂNIA COM DISCURSO ANTISSISTEMA: “ “Não sou um político, …

por em

“O agronegócio é que produz comida”

O agronegócio produz commodities, PIB, promove exportação e cria laços mercadológicos. É, enfim, uma dinâmica de caráter econômico; não produz comida (e saúde ao mesmo tempo) e muito menos segurança e soberania alimentar. No Brasil, são os agricultores familiares e campesinos, indígenas, quilombolas, ribeirinhos, neorruralistas, extrativistas, agrofloresteiros, pescadores e os integrantes dos movimentos sem terra …

por em

Guilhotina #20 – Ludmila Costhek Abilio

Bianca Pyl e Luís Brasilino conversam com Ludmila Costhek Abilio, pesquisadora da Unicamp e que, entre outras linhas de pesquisa, investiga a “Uberização do trabalho: novas formas de controle, gerenciamento e organização do trabalho”. Doutora em Ciências Sociais na Unicamp e pós-doutora na Faculdade de Economia e Administração da USP, ela também é autora do …

por em

Miscelânea

MANIFESTO COMUNISTA EM QUADRINHOS Karl Marx e Friedrich Engels, adaptação de Martin Rowson, Editora Veneta Manifest der Kommunistischen Partei (Manifesto do Partido Comunista) foi encomendado a Karl Marx como uma declaração de princípios pelo grupo socialista Liga dos Justos, em junho de 1847, sem nenhuma expectativa do que seria seu significado para humanidade. Peça fundamental …

por em

Marcelo D2: pacífico, sim. Pacato, nunca

Aos 51 anos, Marcelo D2 sabe que não é mais um jovem de vinte e poucos anos. A reflexão antecede outra avaliação: a de que não é possível mais sair na porrada com todo mundo. Mas a vontade existe. “Todo dia tenho que pedir calma a mim mesmo”, acentua. Se a luta física não leva …

por em

O indomável Julian Assange

Londres, 9 de novembro de 2016. A alvorada apenas começa a despontar, e o australiano de 45 anos e 1,88 metro de altura trabalha, debruçado em seu computador. No andar térreo de um prédio de tijolos, acariciando sua barba oblonga e seu cabelo branco, ele sabe que, como todos os dias há quatro anos, está …

por em

Pequim pisca o olho para os cidadãos taiwaneses

Em 20 de março de 2018, uma atmosfera solene reinava na conferência final do 13º Congresso Nacional do Povo. Xi Jinping, recém-reeleito presidente da República Popular da China (RPC), anunciava: “Estamos prontos para compartilhar as chances de desenvolvimento do continente com nossos compatriotas de Taiwan, para melhorar seu bem-estar e para avançar no processo de …

por em

Um presente dos democratas para Donald Trump

O relatório do promotor especial Robert Mueller é inequívoco: ele rejeita radicalmente a teoria da conspiração que considerava Donald Trump um fantoche da Rússia. Não existe nenhuma prova de conluio entre Moscou e o lado republicano com o objetivo de hackear e-mails da equipe de campanha de Hillary Clinton em 2016. Nada há que venha …

por em

Na era do Estado-empresa

Silvio Berlusconi em 1994, Donald Trump em 2016 e Emmanuel Macron em 2017: cada um deles chegou de forma invasiva à direção de um grande Estado ocidental depois de uma vitória eleitoral obtida na primeira tentativa. Esses três personagens políticos disruptivos diferem significativamente em personalidade, características psicológicas, idade e contexto de intervenção. Mas um ponto …

por em

A maré feminista no Chile

Não foi uma onda, e sim um tsunami colorido que, no dia 8 de março de 2019, inundou as ruas de Santiago, sob um sol radiante e o olhar torto dos carabineiros, como são chamados os policiais locais. Para celebrar a primeira greve feminista da história do Chile, mais de 350 mil pessoas cantaram, dançaram …

por em

No paraíso tributário da mineração, falta dinheiro para fiscalizar barragens

Uma notícia que chamou a atenção da população após o rompimento da barragem de Fundão, em Mariana, assim como depois do rompimento da Barragem 1, em Brumadinho, foi o número insuficiente de fiscais que os órgãos federais possuem para garantir a segurança das barragens de mineração no país. Segundo a imprensa, a Agência Nacional de …

por em

Fazer sumir: o desaparecimento como tecnologia de poder

No Brasil atual, dos tempos de Jair Bolsonaro como presidente, viver vem significando ter de lidar com doses diárias de horror. Não que o horror não fizesse parte da história social e política desde o início da formação da nação brasileira. Afinal, a escravidão e a tortura foram pilares sobre os quais o poder colonial …

por em

Um império à beira do colapso

O que é a União Europeia? O conceito mais próximo que vem à mente é o de um império liberal, ou melhor, neoliberal: um bloco hierarquicamente estruturado e composto por Estados nominalmente soberanos cuja estabilidade é mantida por meio de uma distribuição do poder que vai do centro para a periferia. No centro está uma …

por em

A CGT na era dos “coletes amarelos”

Em um canto de seu escritório, na sede da Confédération Générale du Travail (CGT, Confederação Geral do Trabalho), em Montreuil, Philippe Martinez, secretário-geral da organização, exibe uma fotografia aérea da antiga fábrica da Renault em Boulogne-Billancourt. Na discussão, o técnico, ex-delegado sindical central, fala com frequência e com orgulho de sua “caixa”. O metalúrgico não …

por em

Em nome da igualdade, mais desigualdades

Até o momento, as reformas da previdência foram conduzidas em nome do equilíbrio financeiro. Agora que o déficit está sendo reduzido – a custo de uma queda contínua do nível das aposentadorias –, é a “igualdade” que é posta à frente por Emmanuel Macron. Pilotado por um alto-comissariado dirigido por Jean-Paul Delevoye, o projeto tem …

por em

Como minar a capacidade de resistência dos trabalhadores

Com a reforma trabalhista elaborada em 2016 por Myriam El-Khomri, mais as disposições impostas por Emmanuel Macron (2016-2017), os apelos aos conselhos jurídicos trabalhistas, encarregados de julgar os litígios ligados ao trabalho, diminuíram ainda mais: 127 mil recursos em 2017, contra 187.651 em 2014. E não há dúvidas de que isso não aconteceu porque os …

por em

Bairro Notre-Dame

Eu tive a felicidade, uma noite, de subir uma escada de pedra até o órgão da Notre-Dame, onde o organista e compositor Thierry Escaich faria um concerto. Nós tínhamos nos reunido, com alguns amigos, para o ensaio e passamos duas horas nessa abóbada imensa, sozinhos na catedral, depois da hora de fechar. Thierry tocava, improvisava …

por em

Taxa Selic: apropriação privada de nossos impostos

Como o comum dos mortais, você provavelmente está plenamente informado ou até saturado de ouvir falar da dívida pública, mas entende menos o mecanismo. Vamos retroceder a 1º de julho de 1996, quando entrou em vigor a taxa Selic, pagando espantosos 25%, isso já com a inflação baixa. No resto do mundo, a dívida pública …

por em

A sonegação (in)conveniente

Em tempos de crise fiscal, déficits orçamentários ganham as manchetes dos jornais e, rapidamente, os defensores do Estado mínimo se articulam para derrubar conquistas históricas da sociedade, cortando gastos, restringindo a prestação de serviços essenciais, vendendo patrimônio público e promovendo terceirizações, mas não sem antes terem patrocinado dispendiosas campanhas midiáticas para produzir dogmas anti-impostos e …

por em

Por que não se fala de benesses fiscais quando o assunto é ajuste econômico?

  “Introduza um pouco de anarquia. Perturbe a ordem vigente, e tudo se torna o caos. Eu sou um agente do caos.” Com essas palavras, o personagem Coringa, em Batman: o Cavaleiro das Trevas, anuncia seu lema e conclui: “e sabe qual é a chave do caos? O medo”. Não é fácil, no Brasil atual, …

por em

As grandes mentes de esquerda do século XX

O presidente Jair Bolsonaro busca deixar claro seu ódio contra a esquerda e o comunismo, contudo é obrigado a se conformar diariamente com o fato de que habita uma casa projetada por um comunista. Outrora os militares tiveram que fazer o mesmo. Oscar Niemeyer está vivo em seus monumentos! Quando se fala mal da esquerda, …

por em

Enfrentar o luto

Precisamos enfrentar o luto e, mais do que reagir, retomar a iniciativa. Os cem dias de governo de Bolsonaro deixam claro que seu objetivo é destruir nossos projetos de um país mais justo, menos desigual, sem pobreza, com a participação da cidadania na política. Estamos capturados por uma agenda que defende valores conservadores, por uma …

por em

Uma Chernobyl midiática

Vinte e quatro de março de 2019: um dia que deveria ficar na história como o domingo negro da grande mídia. Em quatro páginas lapidares, o ministro da Justiça dos Estados Unidos resume as principais conclusões do promotor especial Robert Mueller, que por mais de dois anos investigou com meios consideráveis o suposto acordo – …

por em

O projeto de autonomia do Banco Central: independência dos políticos ou da democracia?

As pautas econômicas dos últimos anos compartilham uma característica: decisões de cunho eminentemente político são “vendidas” como sendo estritamente técnicas. O véu de tecnicidade perpassou todas as discussões da política fiscal e da reforma da previdência, ainda em curso, e agora alcança um novo campo: o da independência do Banco Central (BCB). Essa ideia está …

por em

“Alimento orgânico é uma questão de esquerda e é inacessível para a maior parte da população”

Temos aqui um incômodo paradoxo. Entre 1964 e 1991 (época que incluiu a ditadura militar), o consumo de agrotóxicos no país aumentou 276,2%, frente a um aumento de 76% na área plantada. No período entre 1991 e 2000 (governos de Fernando Collor, Itamar Franco e Fernando Henrique Cardoso), observamos um aumento de quase 400% no …

por em

O que pensa Olavo de Carvalho e como ele pode influenciar a política nacional

Há pouco mais de cinco anos, o escritor Olavo de Carvalho era praticamente desconhecido para a maior parte da população. A partir de 2014, o filósofo autodidata, que não chegou a concluir sua formação acadêmica, ganhou popularidade na internet e passou a influenciar grupos conservadores de todo o país, incluindo o atual presidente e seus …

por em

Guilhotina #19 – Vinicius Valle

Cristiano Navarro e Luís Brasilino recebem o cientista político Vinicius Valle para falar sobre sua tese de doutorado “Religião, lulismo e voto: a atuação política de uma Assembleia de Deus e seus fiéis em São Paulo – 2014-2016”. Mestre e doutor pela USP, ele acompanhou de dentro o processo de transformação que levou, ao longo …

por em

Sobre o espólio do mal: o nazismo é de esquerda?

Duas estratégias para lidar com o legado do nazismo têm ganho corpo na extrema direita. Ambas são calcadas num revisionismo histórico e acalentam o relativismo, mas se orientam por caminhos distintos. A primeira estratégia é simplesmente negar o que torna a experiência do nazismo, segundo Arendt, o mal radical, a saber: o holocausto. Relativiza-se, neste …

por em

O colóquio do amor

Na linda Lausanne, pesquisadores e pensadores de diversos países se reúnem para discutir tempos melhores. Para debater educação infantil. Reflito sobre nossas diferenças e sobre a honra de ser uma das representantes, na Suíça, de um vitorioso projeto brasileiro de educação inclusiva. Apresentamos, sob aplausos, como convidados especiais, no 5º Colóquio Internacional sobre Desigualdades Escolares, …

por em

Além de liberalismo e intervencionismo: a gestão da Petrobras nos 100 dias de Bolsonaro

Nos 100 primeiros dias do governo Bolsonaro, além das reformas econômicas ultraliberais e das agendas ideológicas neoconservadoras, uma pauta silenciosa teve presença constante nos atos e verbos do Executivo: as transformações estruturais na indústria nacional de petróleo e gás. As medidas de desmonte levadas à cabo pelo governo foram inúmeras, como se verá adiante, mas …

por em

Não formar cidadãos para formar bandidos: o projeto de nação do governo

Em termos sociais, o projeto de poder do governo Bolsonaro é apenas um: não investir em educação e cultura para aumentar o índice de criminalidade. A Petrobrás deixa de patrocinar eventos culturais, questão que era uma marca da estatal. O governo tira investimentos na educação e nomeia um economista, que nunca produziu nada na área, …

por em

Sob as Leis do não-índio

É sabido, pela experiência histórica, que grandes e profundas guinadas políticas pelas quais passam as sociedades contemporâneas são refletidas, quase que de imediato, na estruturação jurídica disciplinadora das aventadas sociedades. Ora como veículos restritivos de direitos; ora como vias ampliativas das garantias humanas fundamentais e inclusivas de populações vulnerabilizadas e marginalizadas, tanto na esfera dos …

por em

Um porrema para Adorno

Se há dúvidas a respeito da verdadeira autoria da frase “Escreva bêbado, edite sóbrio”, frequentemente atribuída a Ernest Hemingway, ninguém questiona que o escritor tenha afirmado que a bebida é “o único alívio mecânico” para “a opressão mecânica” da vida moderna. O livro Porremas se apresenta como inspirado no primeiro conselho, mas, ao mesmo tempo, …

por em

Ditadura militar e Bolsonarismo: política doméstica e relações internacionais

A eleição de Jair Bolsonaro, potencializada pela difusão de fake news por meio de mídias sociais, redefiniu o pacto político da Nova República (1985-1989) e sucumbiu a polarização política entre PT e PSDB, vigente em seis eleições presidenciais. Foi sufragado nas urnas um projeto de poder fortemente conservador nos costumes, radicalmente liberal na economia e …

por em

O perigo da participação social

A quem não interessa uma gestão participativa na vida pública brasileira? E por que o modelo de participação social está sendo sucateado no Brasil? Em análise das práticas do Orçamento Participativo (OP) em administrações municipais, no país, o professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Leonardo Avritzer, constatou que, desde o final da década …

por em

As confusões por trás da política de reajuste de preços da Petrobras

Na última semana, a intervenção do presidente Jair Bolsonaro na política de reajuste de preços da Petrobras ganhou destaque nas manchetes dos grandes jornais brasileiros. A ingerência criou um reboliço do mercado financeiro com os papeis da Petrobras apresentando uma queda de 7% na sexta-feira (12/04). É impossível dissociar a apreensão do mercado com o …

por em

“Agrotóxico não faz mal. A agricultura convencional é a responsável pelo aumento da longevidade e diminuição da fome no mundo”

Nenhum pesquisador inteligente publicaria um estudo com esse apelo em 2019. Se hoje o movimento de extrema direita MBL repete o que Ludwig von Misses disse em 1964 – que os agrotóxicos são os verdadeiros responsáveis pela longevidade – é preciso entender as razões para essa citação. O economista austro-americano nasceu em 1881 e parou …

por em

Guilhotina #18 – Julián Fuks

Bianca Pyl, Cristiano Navarro e Luís Brasilino conversam com o escritor Julián Fuks, doutor em teoria literária pela USP e autor, entre outros, de A resistência, vencedor do Prêmio Jabuti em 2016 e do Prêmio José Saramago de 2017. A autoficção conta a relação de Julián com seu irmão mais velho, adotado de forma irregular durante …

por em

2013, livro punk

Ataque sonoro é nome de uma coletânea punk lançada em 1985. Na capa, dois mísseis, um estadunidense e um soviético miravam para a cidade de São Paulo, mostrando as forças antagônicas agindo em conjunto contra o que não seria governado por elas. Esta é a descrição da coleção Ataque, organizada por Acácio Augusto e Renato …

por em

Tecnoinaptocracia

Apesar do título, este é um artigo sobre educação. Nesses últimos meses, a população brasileira tem sofrido com uma série infindável de indefinições. Foram muitas promessas pré-eleições e uma desorientação absoluta no pós-eleições. Uma das grandes promessas foi a nomeação de ministros de acordo com a capacidade técnica, o que, considerando o histórico de troca …

por em

O grau zero da destruição

Para analistas políticos e jornalistas, o marco dos cem primeiros dias de um governo, que no caso de Bolsonaro aconteceu agora, no dia 9 de abril, costuma ser um momento importante de balanço. Convencionou-se utilizar a data para entender como determinado governo converte o discurso eleitoral em práticas políticas concretas, e avaliar o desempenho das …

por em

A agricultura orgânica e sua capacidade de produzir comida para alimentar a população mundial

A agricultura orgânica (AO) pode tanto alimentar o mundo como preservar o meio ambiente e promover saúde com alimentos mais nutritivos e sem venenos. Ao mesmo tempo. Entretanto, algumas mudanças na dieta serão necessárias e é preciso pensar sobre elas. Estudo de John Reganold e Jonathan Wachter, pesquisadores da Washington University, modelou quinhentos cenários de …

por em

Abertura: uma dicotomia e muitas controvérsias

A sociedade brasileira está bombardeada de informações polêmicas e controversas sobre o uso de agrotóxicos e a centralidade do agronegócio no país frente ao consumo de orgânicos e a agricultura familiar. Como toda questão socioambiental no Brasil, o debate vem assumindo nuances de uma desgastada dicotomia política que confunde o consumidor de alimentos e inibe …

por em

Presidente anuncia uma tragédia ainda maior do que a que já vivemos nas ruas e estradas

No Brasil, a segurança viária é um tema tão delicado e importante quanto o da segurança pública. Se anualmente 60 mil pessoas são assassinadas por armas, outras 50 mil são vítimas fatais de incidentes no trânsito. Mais do que mortes, a guerra no trânsito é responsável por deixar anualmente mais de 400 mil pessoas com …

por em

Guilhotina #17 – Danielle Tega

Cristiano Navarro, Dafne Melo e Luís Brasilino entrevistam a socióloga Danielle Tega, pesquisadora de pós-doutorado no Núcleo de Estudos de Gênero – Pagu (Unicamp) e autora do livro “Tempos de dizer, tempos de escutar: testemunhos de mulheres no Brasil e na Argentina” (Intermeios/Fapesp, 2019), sobre a luta contra as ditaduras militares desses dois países entre …

por em

A pena e a tinta

O debate sobre teoria e política econômica que na atualidade tem mobilizado economistas e políticos progressistas, sobretudo nos Estados Unidos, recentemente reintroduzido no Brasil, no âmbito do mainstream, por André Lara Rezende (https://www.valor.com.br/cultura/6149939/andre-lara-resende-escreve-sobre-crise-da-macroeconomia), a despeito de relevante, padece de alguma dose de irrealismo. E isto não por conta do tema geral que propõe, bastante oportuno; …

por em

Os 100 primeiros dias …

Jair Bolsonaro (PSL) assumiu a Presidência da República em 1º de janeiro de 2019. Passados os 100 primeiros dias do novo governo, deflagraram-se demissões, disputas internas, crises e um vaivém de medidas polêmicas, marcadas por declarações e recuos em tempo recorde. Em fins de 2018, publicamos o especial Feliz Ano Velho na edição digital de …

por em

Os trabalhadores – Bolsonaro, 100 dias

O Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio (MTIC) foi criado pelo decreto-lei n° 19.433, de 26 de novembro de 1930, exatas três semanas após do “movimento de 30”. Segundo seu primeiro titular, Lindolfo Collor, era o “ministério da revolução”. Mas o principal papel atribuído ao ministério era mediar as relações entre capital e trabalho. Por …

por em

Os educadores – Bolsonaro, 100 dias

Dois eixos de disputa organizam o debate sobre a educação no Brasil. O primeiro se refere ao caráter público ou privado do ensino. Nas últimas décadas, o mercado da educação no país cresceu e se internacionalizou, aumentando as pressões dos interesses privatistas. Reforçou-se o discurso de desqualificação do ensino público, por meio de rankings descontextualizados …

por em

Os cientistas – Bolsonaro,100 dias

Nos últimos anos, os orçamentos destinados à ciência e à tecnologia pelo governo federal foram drasticamente reduzidos. Uma expressão cristalina desta assertiva é que o orçamento de 2019 para C&T equivale, se corrigido pela inflação, à metade do executado em 2013. Ora, não há desenvolvimento possível sem recursos. É enganoso, portanto, certo discurso de matiz …

por em

As políticas culturais – Bolsonaro, 100 dias

Para compreender o significado do fim do Ministério da Cultura (MinC) é importante voltar ao início, às origens da Nova República. A criação do MinC ocorreu em 1985 logo após a retomada da democracia no País, o que parecia sinalizar novos tempos para a delicada relação entre Estado e cultura. O passo seguinte foi consagrar …

por em

As relações exteriores – Bolsonaro, 100 dias

Ao assumir o Ministério das Relações Exteriores (MRE), em maio de 2016, ainda durante o período de interinidade de Michel Temer, José Serra anunciou uma “mudança de rumos” na política externa brasileira, com o abandono das principais orientações e diretrizes implementadas durante o ciclo dos governos petistas, em especial, nos anos de Luiz Inácio Lula …

por em

As mulheres – Bolsonaro, 100 dias

O enfrentamento às desigualdades foi um tema incontornável no debate político do ciclo democrático que se iniciou nos anos 1980 e se encerrou com a deposição de Dilma Rousseff, em 2016. Isso não significa que esse enfrentamento tenha sido assumido igualmente por diferentes setores e partidos ou que, quando assumido como prioridade, tenha sido efetivo. …

por em

Os direitos humanos – Bolsonaro, 100 dias

Nos últimos 50 anos, o mundo ocidental do Atlântico Norte, inclusive o Brasil, passou por intensos questionamentos ao Estado de bem-estar social e ao funcionamento da Justiça criminal, que se consolidara após a Segunda Guerra Mundial. As instituições carcerárias passaram a ser vistas como ineficientes: a noção de que “nada funciona” se disseminou como rastilho …

por em

O lumpesinato no poder – Bolsonaro, 100 dias

O governo de Jair Messias Bolsonaro representa um feito inédito em termos mundiais. Trata-se da primeira vez em que o lumpesinato, de forma organizada, chega ao poder de Estado. Não existe experiência semelhante em países da dimensão do Brasil. O lumpesinato (ou lumpemproletariado) não é exatamente uma classe. O conceito inicial referia-se a uma fração …

por em

Intermitentes e imprevidentes

Neste país muito macunaímico, tragédias, farsas e comédias frequentemente se mesclam e se confundem, convertendo-se assim em mecanismos vitais de obliteração de nossas mazelas. E assim la nave va… Faz muito que aprendemos que, “se tal coisa não for feita”, o país soçobra. Para não voltarmos muito no tempo e na história, Collor dizia que, …

por em

Bolsonaro e a antipolítica

Inúmeras hipóteses têm sido apresentadas a fim de explicar a ascensão de Jair Bolsonaro à Presidência da República. Antes do processo eleitoral, muito embora o então candidato figurasse como favorito nas pesquisas – notadamente quando se excluía o ex-presidente Lula da lista apresentada aos entrevistados – poucos confiavam em sua capacidade de vencer o pleito. …

por em

De onde vem o nosso super-ministro da economia?

  Ninguém se reinventa. E ninguém é chamado para dirigir a 8ª economia do mundo sem ser apoiado por um conjunto de interesses. Neste país onde se cobra ao mês juros que no resto do mundo se cobra ao ano, e se afundou em dívidas 64 milhões de adultos, mas também as pequenas e médias …

por em

Literatura infantil e democracia – Parte 3

“Por que os reis são reis? Os reis são reis porque eles dizem que são: mas isso somente enquanto as pessoas, por força ou por vontade, a eles obedecem. Quando as pessoas se dão conta de que os reis são homens iguais aos outros, e elas bastante fortes para botá-los para correr, proclama-se a república.” …

por em

Literatura infantil e democracia – Parte 2

“Por que Pinóquio falava sempre mentiras? Nem sempre. No fim do livro também Pinóquio aprendeu a falar a verdade, que é a coisa mais bonita do mundo. E também, coitado, todos sabiam quando ele falava uma mentira, porque o nariz dele ficava mais comprido. Se a todos os mentirosos crescesse o nariz como ao coitado …

por em

Literatura infantil e democracia – Parte 1

“[…] E o silêncio era cada vez maior. Todo mundo quieto, esperando que alguma coisa acontecesse… Até que um dia… História é bom por causa disso! Tem sempre uma hora em que quem está contando a história diz: ‘Até que um dia…’”. (ROCHA, Ruth. O reizinho mandão. Ilustrações Walter Ono. São Paulo: Quinteto Editorial, 1997, …

por em

Lara Resende a meio caminho

Em artigo publicado semanas atrás no jornal Valor Econômico, o economista André Lara Resende, talvez um dos maiores expoentes do liberalismo econômico no país e o pater familias do Plano Real, colocou a moeda em cima da mesa e tratou de questionar a forma como a corrente dominante entende o seu papel na economia capitalista …

por em

Guilhotina #16 – Eliza Capai

Neste episódio, recebemos Eliza Capai, diretora do documentário “Espero tua (re)volta”. O longa, premiado no Festival de Berlim de 2019, retrata o movimento secundarista de São Paulo desde as Jornadas de Junho de 2013 até a eleição de Bolsonaro em 2018, passando especialmente pelo movimento de ocupação das escolas estaduais paulistas em 2015. Na pauta, …

por em

Miscelânea

2013: MEMÓRIAS E RESISTÊNCIAS Camila Jourdan, Editora Circuito Ataque sonoro é nome de uma coletânea punk lançada em 1985. Na capa, dois mísseis, um norte-americano e um soviético, miravam a cidade de São Paulo, mostrando as forças antagônicas agindo em conjunto contra o que não seria governado por elas. Essa é a descrição da coleção …

por em

A guerra na vida dos sobreviventes, dissidentes e residentes

A guerra mostra que somos resistentes ao que podem pensar os militares. Mia Couto   Mia Couto é representativo de um importante papel ao tratar – para além de seus poemas e seus escritos sobre a vida – de questões sociais por meio da literatura e dar notoriedade não só à guerra, mas também à …

por em

Amor e sexo na era digital

  O último que surgiu se chama Dating. Lançado pelo Facebook no outono de 2018, veio se juntar a uma longa lista de aplicativos especializados em colocar em contato parceiros amorosos e sexuais. A imprensa acompanhou seu lançamento como um seriado, assim como faz cada vez que surge um serviço desse gênero: “Facebook: como vai …

por em

Paradoxos do efeito placebo

Uma importante publicação científica relatou em 2007 a desventura de um homem de 26 anos que sofreu uma queda de pressão muito grave e chegou ao pronto-socorro suando e tremendo. O paciente explicou que, depois de uma discussão com a namorada, engolira 29 comprimidos de antidepressivos. Essas drogas lhe haviam sido fornecidas como parte de …

por em

Os três dias que mudaram a história afegã

No dia 20 de dezembro de 2018, os jornais The New York Times e The Wall Street Journal anunciaram a decisão do presidente Donald Trump de trazer de volta 7 mil soldados que estavam no Afeganistão, após o anúncio, na véspera, da retirada da Síria. No mesmo dia, o secretário de Defesa, James Mattis, renunciou. …

por em

A Austrália exporta seus refugiados

É um pequeno restaurante em um beco da parte sul de Phnom Penh, com um balcão, algumas mesas e um cheiro de falafel. O Mideast Feast oferece especialidades sírias e libanesas – raridade em uma capital certamente cosmopolita, mas onde as pessoas oriundas do Oriente Médio não são muitas. Do Camboja, Abdullah Zalghanah, o proprietário, …

por em

A rosa seca os lagos da Etiópia

Nas margens do Lago Abijata, na Etiópia, o solo range sob os pés do caminhante, como se fosse forrado com batatas chips. É impossível chegar perto das centenas de flamingos sem correr o risco de sentir a terra rachar e deixar a água jorrar. E com razão! Essa extensão branqueada pelo sal já pertenceu outrora …

por em

A arqueologia preventiva ameaçada pela guerra de preços

Em Viarmes, a renovação da esplanada da prefeitura permitiu a essa pequena cidade do departamento do Val-d’Oise redescobrir seu rico passado medieval. Em junho de 2013, a ação de desenterrar duas torres do século XIII fez reviver a fortaleza que abrigava a casa dos Chambly, uma dinastia de camareiros do rei da França. Na primavera …

por em

Proposta para a inclusão de línguas indígenas da Bacia Amazônica brasileira como parte integrante do patrimônio material e imaterial da humanidade

A língua e a diversidade linguística abrangem pelo menos quatro dos critérios estabelecidos para a preservação do patrimônio material, conforme definido pela Convenção do Patrimônio Mundial de 1972: 1. Cada língua ou seu respectivo conjunto de línguas relacionadas representa uma obra-prima da capacidade criativa humana e do significado cultural. 2. Línguas individuais ou conjuntos de …

por em

Renda fiscal do petróleo: a Noruega é uma inspiração para o Brasil?

A atual crise fiscal brasileira, principalmente no âmbito de estados e municípios, tem suscitado um amplo debate nas diferentes esferas federativas a respeito de medidas que fossem capazes de diminuir as despesas e aumentar as receitas governamentais. Num contexto de dificuldade de retomada da atividade econômica e de rigidez na gestão do orçamento, as rendas …

por em

“Que morram”: a greve de fome e as indiferenças do Estado

Quando Jaime Amorim segurou o microfone diante das centenas de pessoas que se aglutinavam em frente ao prédio do Espaço 13, no centro do Recife, nós éramos tristeza. Estávamos perto das 19 horas do domingo, dia 28 de outubro de 2018, e o resultado parcial das eleições, divulgado pelo Tribunal Eleitoral, já apontava a irreversível …

por em

A Guatemala organiza a impunidade

Na noite de 17 de fevereiro de 2007, três deputados salvadorenhos do Parlamento Centro-Americano (Parlacen) levavam à Cidade da Guatemala, em um luxuoso 4×4, duas grandes bolsas de material esportivo escondidas em um compartimento secreto. Quando mal acabavam de cruzar a fronteira entre os dois países, porém, Eduardo d’Aubuisson, William Pichinte, José Ramón González e …

por em

A maior mentira do fim do século XX

Vinte anos atrás, em 24 de março de 1999, treze países-membros da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), incluindo Estados Unidos, França e Alemanha, bombardearam a República Federal da Iugoslávia. Essa guerra durou 78 dias e se alimentou de mentiras da mídia destinadas a alinhar a opinião das populações ocidentais com aquela dos Estados-Maiores. …

por em

“Os extremos se encontram…”

Um pequeno jogo muito popular no debate político contemporâneo consiste em identificar um ponto comum entre dois indivíduos ou duas correntes a priori opostos para não dar razão a nenhum deles e condená-los num mesmo movimento. A França Insubmissa e o Rassemblement National (RN, antiga Frente Nacional) criticam ambos os tratados europeus? Essa é a …

por em

A Espanha vota, o Podemos hesita

Surgido do nada há cinco anos, com a ambição de chegar ao topo (da Espanha), o Podemos parecia ter regenerado a forma de falar e de fazer política na Europa. Cinco anos depois, ninguém acredita na vitória das promessas de ontem, e o partido parece ameaçado de se normalizar no seio de uma paisagem política …

por em

Devemos ter medo da China?

Dentro de quinze anos, a economia chinesa terá ultrapassado a dos Estados Unidos, tornando-se a mais poderosa do mundo. Com a aproximação dessa virada, um consenso domina Washington: a China pode prejudicar muito os interesses e o bem-estar dos norte-americanos. O general Joseph Dunford, chefe do Estado-Maior das Forças Armadas, afirma sem rodeios: em 2025, …

por em

A falácia dos argumentos em defesa da reforma

A reforma da Previdência do governo Bolsonaro vem sendo justificada por argumentos econômicos elaborados para gerar conformismo e adesões sem questionamentos. São ideias manipuladoras, reforçadas por representantes do mercado financeiro e propagadas ampla e tediosamente pela mídia para fidelizar seguidores e aterrorizar a população com verdades absolutas e inquestionáveis. Vou aqui eleger algumas frases retiradas …

por em

A desestruturação do mercado de trabalho

Qualquer que seja a perspectiva em que se analise a reforma previdenciária, ela aponta necessariamente para novas formas de exclusão social e desigualdade que afetam toda a sociedade e de maneira particular as mulheres – brancas, negras, trabalhadoras rurais, as trabalhadoras domésticas e a população jovem –, condenando-as à precariedade e à desproteção social. A …

por em

O propósito velado da “reforma” da Previdência

Ajustar periodicamente o sistema previdenciário é usual em nações desenvolvidas. Mas são ajustes que não destroem os respectivos regimes de bem-estar social. O requisito para debater qualquer reforma previdenciária no Brasil é que o governo apresente um diagnóstico técnico qualificado dos reais problemas que precisam ser corrigidos. Esse diagnóstico não existe, porque, de fato, não …

por em

O cordão sanitário

Durante décadas, o poder eleitoral da extrema direita serviu como política de segurança para os liberais de esquerda e de direita: qualquer burrico moderado facilmente cruzava a linha de chegada, contanto que se opusesse a um partido político inadmissível, indesejável, irrespirável. Nas eleições presidenciais francesas de 2002, o resultado de Jean-Marie Le Pen estagnou entre …

por em

Adeus ao desenvolvimento

Durante décadas, desde a criação pelas Nações Unidas da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal), em 1948, o continente sul-americano vem discutindo suas possibilidades de desenvolvimento associadas a processos de industrialização e elaboração de tecnologias próprias. Quando da criação da Cepal, Raúl Prebisch liderava o debate, propondo um projeto nacional desenvolvimentista …

por em

Justiça enfrenta dois processos contra seu silêncio diante dos crimes da ditadura

Às voltas com os 55 anos do golpe civil-militar, completos neste dia 1º de abril, juízes, procuradores e ministros do STF se viram no centro das atenções. Tudo por conta das provocações do governo de Jair Bolsonaro, que reviveu a questão da ditadura mais uma vez ao determinar que quartéis celebrassem a data. Entre falas …

por em

Guilhotina #15 – Alexandre Fuccille

Nas vésperas dos 55 anos do golpe militar de 1964, Bianca Pyl, Cristiano Navarro e Luís Brasilino recebem o cientista político Alexandre Fuccille, professor de Relações Internacionais da Unesp e ex-presidente da Associação Brasileira de Estudos de Defesa (Abed). Alexandre coordenou a produção do dossiê que estampa a capa da edição de março do Le Monde …

por em

Pré-sal: o ônus e o bônus do excedente

  O governo Jair Bolsonaro planeja realizar em outubro o maior leilão de reservas, exploração e produção de petróleo que o mundo já assistiu. O valor estimado para entrar no caixa só neste ano é de R$ 100 bilhões. Para tanto, aproveita-se de alterações na legislação introduzidas pelo governo Michel Temer que tornaram os leilões …

por em

Letrado ou viado

Uma criança de seis anos, a pedido da mãe, se dirige a uma “venda”, no interior da Bahia, e diz ao atendente: – Eu gostaria de comprar seis pães. Uma cena simples do cotidiano foi observada por um estranho, que não titubeou e inquiriu o menino: – Você é letrado ou viado? Esta poderia ser …

por em

O que estamos fazendo com os nossos meninos?

Qualquer tentativa de oferecer uma explicação exaustiva para o massacre de Suzano está fadada a figurar no hall das pretensões narcísicas de dar a um evento imponderável à medida daquilo que mais nos importa. A maior segurança na escola depende das pessoas se sentirem pertencidas naquele espaço e não de qualquer controle rígido de circulação …

por em

Marighella: entre o fato, a fake news e a ficção

Marighella, o filme A proximidade do lançamento no Brasil do filme Marighella, de Wagner Moura, aliado à repercussão da passagem do estreante diretor baiano pelo Festival de Berlim, onde o filme foi exibido, tem movimentado os debates sobre o caráter da ditadura (1964-1985) e da luta armada no país. O fato de que o cinema …

por em

Resistir pela arte aos cultuadores da violência

O governo Bolsonaro é uma pulp sensacionalista, impressa em material de segunda classe. Seus membros cultuam a estupidez e o senso comum, tentando tornar o reino das opiniões e a paixão pela ignorância algo visto como uma grande novidade criativa, a ser valorizada positivamente e até mesmo cultuada. No culto da ignorância e da estupidez, …

por em

Populismo, golden shower e firehosing

Passado o alarde inicial, o núcleo político do governo federal parece ter chegado à conclusão de que Jair Bolsonaro cometeu um grave erro ao publicar um vídeo com conteúdo explícito no Twitter. No cálculo do presidente, a postagem deveria cumprir uma dupla função: responder aos protestos entoados por vários blocos de carnaval do país e …

por em

O mapa dos conflitos da Vale no Brasil

Em 25 de janeiro de 2019, um mar de lama varreu prédios administrativos e o refeitório da mina Córrego do Feijão e parte da comunidade da Vila Ferteco em Brumadinho, provocando o soterramento e a morte de mais de trezentas pessoas. Uma tragédia humana e ambiental, incomensurável e anunciada. Novamente, o rompimento de uma barragem …

por em

A ameaça do terrorismo tecnológico

O apagão na Venezuela que começou na quinta-feira (7) tem provocado acusações mútuas entre governo e oposição e acirrado a crise política e social que o país vive. No terceiro dia de falta de energia elétrica, o caos tomou conta dos serviços de telefonia, internet e metrô e os hospitais tem sido um ponto nevrálgico nessa …

por em

Privatização e desproteção social: a essência da previdência bolsonarista

As primeiras medidas já tomadas pelo governo Bolsonaro, assim como aquelas em elaboração ou tramitação legislativa, notabilizam-se pela profunda arrogância e simplismo no trato de assuntos tão complexos como os são, por exemplo, os do crescimento econômico, das finanças públicas, do mercado de trabalho e das políticas sociais, apenas para ficarmos nos mais evidentes desde …

por em

Fascismo na sociedade sem classes: uma interpretação do bolsonarismo

A certa altura do romance Estorvo, o narrador-protagonista sugere querer visitar a mãe, mas desiste, acreditando que esta poderia ter caído no sono “desinteressada das novas coleções” e estaria a sonhar, talvez com o marido falecido. O cinismo e a verve aguda e amoral do personagem lhe permitem refletir sobre os sonhos dos velhos com …

por em

Guilhotina #14 – Claudia Rosalina Adão

Neste episódio, confira entrevista com a assistente social e doutoranda em Arquitetura e Urbanismo na USP Claudia Rosalina Adão. Em 2017 ela concluiu seu mestrado em Mudança Social e Participação Política, também pela USP, e sua dissertação virou o livro Territórios de morte: homicídio, raça e vulnerabilidade social na cidade de São Paulo (http://bit.ly/claudiaadão). Na …

por em

Política Externa Conservadora: uma nova matriz no Brasil?

“A Divina Providência uniu as ideias de Olavo de Carvalho e a determinação e o patriotismo do novo presidente eleito Jair Bolsonaro”, escreveu o novo chanceler Ernesto Araújo em publicação na revista conservadora “The New Criterion”. Mesmo que não se admita, para entender a nova política externa brasileira é preciso compreender as ideias defendidas pelo …

por em

Fortaleça o jornalismo crítico

Como todos sabem são tempos muito difíceis para a comunicação crítica e independente. Nos últimos anos, observamos o crescimento da desinformação, a desvalorização dos veículos de comunicação e um fluxo jamais visto de propagação de mentiras. Graças ao apoio que recebemos de nossos leitores e simpatizantes nestes doze anos, o Le Monde Diplomatique Brasil segue …

por em

Grandes questões. Respostas indígenas

  Esta semana, no Rio de Janeiro, o povo Kuikuro do Alto Xingu vai dizer HEKITE KUATSANGE EGEI ENHÜGÜ (Seja bem-vindo!) para pesquisadores indígenas de todo o mundo. De Papua-Nova Guiné, Kiribati, Sudão, Dominica, Uganda, Índia, Quênia e Colômbia, assim como das comunidades Guarani-Kaiowá, Tuxa, Baniwa e Tupinambá do Brasil, povos indígenas se reúnem no …

por em

Governo visa formar ignorantes para ampliar sua base de apoio

  “O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas. O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa …

por em

O ponto cego dos militares brasileiros

A riqueza é o grande objetivo. E a riqueza só pode ser obtida através de um notável desenvolvimento econômico, desenvolvimento esse que não pode ser atingido em isolamento. Os capitais e os produtos industriais ou agrícolas precisam preferências e nessas preferências há concorrentes. Editorial da Revista de Defesa Nacional, “Paz”, junho de 1919, p. 342. …

por em

Da miséria à doutrinação: representações errôneas

A representação dos professores, no caso brasileiro, vem sofrendo uma reviravolta um tanto violenta nos últimos anos. É importante questionar esse fenômeno, dada sua radicalização e rapidez. Em pouquíssimo tempo, a sociedade deixou de nos ver como miseráveis, passando a nos ver como pessoas poderosíssimas, capazes de doutrinar e influenciar crianças. Mais do que a …

por em

A sede e a vontade de beber da siderurgia

Uma dose de minério de ferro, metade de carvão vegetal, um terço de coque e um aguaceiro. Quantos litros de água você acha que são necessários para produzir uma tonelada de aço? Desconfia de como fica a qualidade da água que volta ao ciclo natural? E, se não existe vida sem água, quantas delas são …

por em

Banquetaço: ativismo alimentar e a construção de novas formas de expressão política

“Liberdade ainda é só alegria de um pobre caminhozinho, no dentro do ferro de grandes prisões” (Guimarães Rosa)   Nas últimas semanas, notícias, imagens e informações sobre o Banquetaço ganharam espaço nas mídias e redes sociais. Mas o que é, afinal, o Banquetaço? Um movimento político, uma refeição festiva, uma rede social? É muito difícil …

por em

A previdência social, o consumo das famílias e a equidade

  A reforma da Previdência proposta pelo governo trata como privilégio a aposentadoria ou pensão dos que a conquistaram com o suor de seu trabalho – para a maioria dos brasileiros pesado, árduo, muitas vezes incapacitante. Só assim se compreende a divulgação da reforma com acento apenas em seu aspecto contábil, ou seu impacto no …

por em

Pensar as drogas pondo um fim no juízo

Um livro não começa quando os olhos correm as primeiras linhas, mas quando qualquer elemento mínimo alcança um campo da percepção. Em Drogas: a história do proibicionismo, escrito por Henrique Carneiro e publicado pela editora Autonomia Literária, é assim que o livro começa. São as cores vibrantes, seu laranja psicodélico e a textura invertida da …

por em

Guilhotina #13 – Renata Souza

Neste 14 de março de 2019, dia em que o assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes completa um ano, conversamos com a deputada estadual Renata Souza. Atualmente a primeira mulher negra a presidir a Comissão de Direitos Humanos da Alerj, Renata era chefe de gabinete de Marielle, com quem trabalhou por dez anos. No …

por em

Da acumulação das vagas carcerárias à policialização da governança

Em meados da década de 1970, o Diretor-Geral do Departamento do Sistema Penitenciário do Estado do Rio de Janeiro, Augusto Thompson, em seu indispensável A questão penitenciária (Vozes, 1976), chegava a uma conclusão que deveria servir como precaução às nossas débeis certezas contemporâneas a respeito da segurança pública: o sistema penitenciário não pode exercer um …

por em

Anotações sobre o pacote anticrime do juiz-bolsonarista

Comecemos nos localizando onde estamos parados. Para termos uma ideia da tragédia na qual estamos e que ainda se aprofundará com o pacote anticrime. Alguns dados importantes: O Brasil é o país que contabilizou o maior número de assassinatos de defensores de direitos humanos e socioambientais em 2017. Os dados são do relatório anual da …

por em

Livro: Paixão e Razão

livropaixaoerazao

por em

Com o “decreto do armamento”, crescerão os feminicídios no Brasil

Duas semanas após assumir o mandato, o presidente Jair Bolsonaro cumpriu uma promessa de campanha ao assinar o Decreto nº 9.685, que facilita o acesso a armas de fogo e munição para qualquer cidadão que apresente justificativa de “efetiva necessidade”. Entre as motivações consideradas aceitáveis está a de residir em cidade em que a taxa …

por em

E se fosse o seu filho?

O debate político foi tomado de assalto por um surto de ódio. Nas redes sociais, a mentira e a verdade ganham pesos semelhantes e são postas lado a lado, como se iguais fossem. Não importa o quão inverossímil possa parecer o disparate: os compartilhamentos em massa poderão legitimá-lo como uma realidade em questão de horas. …

por em

Escola e Política

No contexto brasileiro atual, vem sendo comum a confusão entre política e política partidária. Não existe partido político sem política, embora a política, em suas múltiplas escalas e em seus múltiplos espaços, possa acontecer sem partidos políticos. Enquanto professor, assumo a tarefa de apresentar a escola ao público, destacando aqui sua dimensão política. É notório …

por em

Sem igualdade não há liberdade

Ler e reler a Declaração Universal dos Direitos Humanos, setenta anos após sua adoção pelas Nações Unidas em Paris, é sempre um exercício útil, pois o texto propõe, ainda hoje, a visão mais progressista daquilo que nosso mundo poderia ser. No momento de comemorar seu aniversário, seria lógico ressaltar os inegáveis progressos realizados em conjunto …

por em

Um ano da intervenção federal no Rio e a transparência dos dados

Há poucas cidades, estados ou países em que a coleta e a sistematização de grandes volumes de dados não seja uma realidade cotidiana na gestão pública. Informação é  um ativo valioso, presente seja nas campanhas eleitorais, quando candidatos questionam políticas públicas dos adversários por meio de índices, seja no dia-a-dia da administração de uma cidade, …

por em

Uma ditadura em uma democracia

A censura se funda como um desdobramento repressivo dos governos, impelidos pela necessidade de manter o controle social sobre a informação. Nos anos de 1960, no Brasil, houve um processo de institucionalização dessa prática, na medida em que foram criadas leis que a regulasse. Naquela época, esse mecanismo repressivo foi consolidado na noite do dia …

por em

Em defesa da filosofia

A Filosofia não se identifica com nenhuma das tantas profissões e saberes específicos que se formam nos cursos superiores. Quem se forma em Filosofia não recebe uma capacitação prática e técnica. Formar-se em Filosofia é ser introduzido no mundo da razão com a missão de fazer dela o seu instrumento de vida e trabalho, sem, …

por em

Ser de esquerda no Brasil hoje

O deputado que dedicou o seu voto ao torturador, naquele fatídico dia 17 de abril de 2016, tornou-se presidente da República no dia 1º. de janeiro de 2019. Se alguém fizesse essa previsão no dia da farsa, que entrará para os anais da história nacional, seria então chamado de louco. O que aconteceu? Como isso …

por em

Mudanças climáticas e segurança nacional

Em 2018, caças F-22 foram parcial ou totalmente destruídos quando o Furacão Michael atingiu a Base Aérea Tyndall, na Flórida. As aeronaves, que valem bilhões de dólares, estavam em solo para manutenção. O furacão, de categoria 4 na escala Saffir-Simpson (que vai até 5), danificou gravemente os hangares da base e boa parte do seu …

por em

Por que agora?

Fazia muito tempo que um movimento social não causava tanta preocupação aos governantes. A amplitude, a duração e a determinação do movimento dos “coletes amarelos” os surpreenderam desagradavelmente. Eles também foram desestabilizados por sua heterogeneidade em termos de interesse pela política, de atividade profissional, de local de residência e de orientação partidária. Ele não pode …

por em

Lula está preso, Voltaire está morto. Babacas!

O magistrado David Beaudrigue estava convicto: o jovem Marc-Antoine Calas fora assassinado pela própria família. O pai, a mãe e um dos irmãos, e também a empregada Jeanne Viguière e um jovem amigo da família, Gaubert Lavaysse: todos que estavam na casa naquela noite do dia 13 de outubro de 1761 diziam que ao descer …

por em

Jair Bolsonaro: regeneração ou destruição ?

O Presidente Bolsonaro se propõe regenerar o Brasil e fazer com que a sociedade e o Estado brasileiro retornem à sua pureza original, deturpada que teria sido pelo socialismo, comunismo e petismo. Propõe a “Mudança”, um programa econômico Moderno (não detalhado), a luta contra a violência e a corrupção e agora uma luta ideológica, para extirpar …

por em

Crônica às mulheres assassinadas

Salve, mulheres! Ave irmãs! Eu vos saúdo e choro a vossa sina. Humilhadas, estupradas, perseguidas, vilipendiadas e forçadas prematuramente ao silêncio eterno, apenas por serem mulheres. O machismo matou mulheres públicas, matou profissionais, matou mães, matou tias, vizinhas, amigas, primas, esposas, amantes… matou uma a uma, por séculos de vileza e a vida seguiu como …

por em

Guilhotina #12 – Anne Rammi e Monica Seixas

Em 2018, enquanto colocava no poder um governo ultraconservador, os brasileiros elegiam a maior bancada feminina da história, tanto na Câmara dos Deputados como nas Assembleias Legislativas. Para conversar sobre este momento ambíguo, Cristiano Navarro, Ligia Ximenes e Luís Brasilino recebem nesta véspera do 8M de 2019 as codeputadas da Bancada Ativista de São Paulo …

por em

No Congo, o candidato derrotado… é eleito

Excepcionalmente, a manipulação das eleições gerais de 30 de dezembro de 2018 na República Democrática do Congo (RDC) abriu uma fratura na África: de um lado, aqueles que queriam fazer prevalecer a verdade das urnas; do outro, aqueles que, com a África do Sul à frente, privilegiaram a decisão “soberana” do país. Inédita, essa divisão …

por em

“Sociedade brasileira é hipócrita e preconceituosa”, diz Ney Matogrosso

“Não falo de política”, afirmou Ney Matogrosso ao sentar no sofá de seu amplo apartamento na zona sul do Rio de Janeiro, em uma tarde abafada de fevereiro. A frase saltou da boca do artista como se fosse um bom-dia, acompanhada por um semblante amistoso, mas firme. Vestindo branco da cabeça aos pés, as pernas …

por em

A educação nas Forças Armadas

As propagandas eleitorais dos dois principais candidatos à Presidência em 2010, Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB), exibiam algo em comum. Em seus currículos, uma história pessoal de combate ao regime militar. Dilma, torturada, e Serra, presidente da UNE quando do golpe. Naquele mesmo ano, o último do governo Lula, a turma de cadetes …

por em

Um balanço da visão estratégica da Petrobras desde 2017

Durante o governo Michel Temer (2016-2018) a Petrobras passou por turbulentas mudanças, seja do ponto administrativo como estratégico. Estas seguiram acompanhas pelas intempéries do cenário político-jurídico, como a crise da Lava-Jato e a greve dos caminhoneiros, mas também marcada pelos interesses de grupos organizados, como o agronegócio, o mercado financeiro e as petrolíferas estrangeiras. Nesse …

por em