Samantha Prado, Autor em Le Monde Diplomatique

A melhor forma de combate à corrupção não é o discurso

O encerramento das eleições é o desfecho do conflito político mais acirrado da história recente. O eleitor optou pelo programa político do candidato vencedor, mas, no meio desse fogo cruzado ideológico, alguns temas ainda parecem um tanto quanto misteriosos. O tal orçamento secreto é um deles, motivo pelo qual, entre fatos e versões, é necessário …

por em

A democracia do erro: Loewenstein e o Brasil de 2022

Passado mais de um mês da eleição, as manifestações antidemocráticas que pedem a anulação de seu resultado permanecem em todo território nacional – com menos voracidade, de fato, mas permanecem. O resultado é incontestável: Lula é o presidente eleito. Por muitos, Lula já é considerado o presidente em exercício, tendo em vista sua atuação no …

por em

Qual é a função dos bandeirinhas após o surgimento do VAR?

Correm, sem parar, dois profissionais. Com camisas de cores chamativas e bandeiras igualmente florescentes à mão, não abandonam uma faixa estreita durante quase cinquenta minutos – às vezes por mais tempo. Depois de breve intervalo, voltam para suas marcas e continuam a balançar o adorno ao vento até que venha, enfim, o último apito. Suados, …

por em

Um ensaio timidamente indecente sobre pânico civilizacional e educação

Certa vez, Platão estava caminhando por Atenas num belo dia de primavera. Foi quando surgiu, como que do nada, um homem que gritava a plenos pulmões: “Os bárbaros estão chegando! Protejam-se!” Platão então teria corrido até a Academia para alertar seus mais fiéis discípulos. Seus olhos cheios de determinação e certeza. Seu coração queimava, inflamado …

por em

O SUS e o relatório do TCU

O relatório do Tribunal de Contas da União (TCU) sobre a situação do Sistema Único de Saúde (SUS), entregue à equipe de transição do governo Lula em 16 de novembro, merece ser conhecido e debatido por todos, tal é a importância que a saúde pública na vida da população brasileira. Nunca é demais lembrar que …

por em

Como conter a pulsão de morte bolsonarista

Theodor Adorno, o filósofo alemão, em um famoso texto proclama que toda educação após a Segunda Guerra Mundial deveria ter como objetivo que Auschwitz não se repetisse. A metonímia do campo de concentração servia para defender uma nova formação humana que visasse desbarbarizar a sociedade europeia, impedindo a repetição do nazismo. No Brasil, depois das …

por em

A patologização do fascismo

Dezembro de 2022. Há um movimento neofascista em curso no Brasil. E não é de hoje. Indivíduos, coletivos e instituições têm usado a violência como estratégia, e um projeto de governo baseado no ódio e na exclusão estimulou o uso de armas de fogo, rechaçou direitos humanos, dizimou indígenas e perpetrou discursos e práticas racistas, …

por em

Os povos indígenas e seu protagonismo na transição de governo

O ano de 2023 marca o início do novo governo eleito. Como é sabido, a nova gestão deverá enfrentar o desafio da “reconstrução” do país, especialmente após quatro anos de desmonte das estruturas políticas, administrativas, normativas e fiscalizatórias protetivas do tecido social, em diversos seguimentos, entre 2019 e 2022. Poderíamos mencionar exemplos distintos e diversos, …

por em

Por que incluir práticas pedagógicas de mídia e educação nas escolas?

Como formar crianças e jovens em um mundo saturado de mídia? Há pouco mais de duas décadas, falávamos das experiências que a tecnologia poderia proporcionar aos estudantes de maneira a vivenciarem uma educação mais integrada, ativa e participativa. Durante anos, as redes sociais digitais e a internet têm sido situadas nos debates como o novo …

por em

Anatomia de um crime

No dia 8 de abril de 2016, Luana Barbosa dos Reis Santos foi espancada por três policiais da Companhia da Força Tática do Quinquagésimo Primeiro Batalhão de Ribeirão Preto/SP. Luana, uma mulher negra LGBTQIA+, estava em numa moto com seu filho quando passaram por uma blitz policial. Eles pararam. Luana exigiu ser revistada apenas por …

por em

A bíblia e o palácio

Em 2019 assistimos à deposição do presidente eleito da Bolívia sob acusação de fraude nas eleições. Muitos analistas avaliaram esse movimento como um golpe de Estado. Dentre os grupos que lideraram essa deposição estava um de forte acento religioso. Uma de suas líderes, a então senadora Jeanine Áñez, se autodeclarou presidente da República ao proferir …

por em

O processo constituinte e os povos originários

“Não temos muita margem de manobra política”, disse o senador Francisco Huenchumilla enquanto almoçávamos a poucos quarteirões da sede do Congresso em Santiago e dos escritórios onde foi redigida a proposta de Constituição rejeitada em 4 de setembro. Huenchumilla foi um ator fundamental – entre outros e outras – na aprovação da fórmula dos “assentos …

por em

O que faz o caso Luana Barbosa tão assustador?

Esta semana vai ao ar episódio inédito de Justiça em Preto e Branco, podcast desenvolvido pelo Núcleo de Justiça Racial e Direito da FGV Direito SP no âmbito da pesquisa “Desafios da Responsabilidade Estatal pela Letalidade de Jovens Negros: Contextos Sociais e Narrativas Legais no Brasil (1992-2020)”,[1] que teve por objetivo analisar, ao longo das …

por em

Miscelânea

DO TRANSE À VERTIGEM Rodrigo Nunes, Ubu Editora Do transe à vertigem, uma das mais provocadoras compreensões do Brasil contemporâneo, nos convida a pensar nossos profundos impasses para além dos marcadores eleitorais e sua temporalidade. Tal como na alegoria cinemanovista, Rodrigo Nunes opta por seguir as veredas de verdades incômodas que perturbam a ficção pragmatista …

por em

Os usos da compaixão

Os desfavorecidos. Os humilhados. Os invisíveis. Já faz algum tempo que eclodiram denominações comoventes para qualificar as “categorias modestas”. Não se sabe exatamente o que essas palavras designam, mas, quando não fazemos parte delas, o que se sabe em geral é que, em contrapartida, ficamos mexidos. É esse o objetivo desse léxico. Sua entonação afetiva …

por em

Direito do Mar balança, mas não avança

Em um cenário diplomático fragmentado no qual as instituições internacionais frequentemente se destacam pela impotência, um monumento do Direito Internacional celebra seu quadragésimo aniversário em 2022: a Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar (CNUDM). Aprovada em bloco em votação única em 30 de abril de 1982, ela foi aberta para assinatura em …

por em

A reforma devora seus filhos

Durante muito tempo, nós os poupamos: os altos funcionários públicos acreditavam estar protegidos. Eles observavam com um olhar benevolente as reformas do Estado ao molho sarkozista (Revisão Geral das Políticas Públicas – RGPP), ao de Hollande (Modernização do Serviço Público – MAP) ou macronista (Comitê do Programa Serviço Público 2022 – CAP22), que sempre poupavam …

por em

O choque elétrico europeu

“O mercado europeu dá a impressão de estar no fim de um modelo construído há 25 anos.” O autor dessa frase não tem carteirinha do partido de esquerda France Insoumise nem é membro do contestador sindicato Sud Énergie. CEO da Électricité de France (EDF) de 2014 até recentemente, Jean-Bernard Lévy dirigiu diversas multinacionais do CAC …

por em

Na Itália, a linguagem dupla de Giorgia Meloni

“Se os italianos votaram em Giorgia Meloni, isso não significa que desejam a volta do fascismo, mas, bem ao contrário, que a consideram impossível.”1 O autor dessa frase, o psicanalista Massimo Recalcati, gosta de paradoxos. Mas não se pode negar-lhe uma parcela de verdade. O sucesso dos Fratelli d’Italia [Irmãos da Itália] nas eleições legislativas …

por em

A ladainha húngara

Desde seu retorno ao poder em 2010, Viktor Orbán percorre as periferias para travar uma luta contra Bruxelas. Ao mencionar muitas vezes “nós, os centro-europeus”, ele exorta as populações das antigas “democracias populares” a fazer valer sua diferença e não deixar que ditem sua conduta. Há mais de uma década, o primeiro-ministro húngaro defende igualmente …

por em

Prudentes emancipações na Ásia Central

A guerra contra a Ucrânia, deflagrada pelo presidente russo, Vladimir Putin, perturba as ex-repúblicas soviéticas da Ásia Central. Independentes desde 1991, o Cazaquistão, o Quirguistão, o Uzbequistão, o Tadjiquistão e o Turcomenistão mantêm, todos, laços estreitos com Moscou, mas travaram igualmente boas relações com a Ucrânia (também ex-soviética). Na arena das Nações Unidas, quando da …

por em

A divisão do poder no Irã

Em seu ensaio “A tirania”,1 o poeta e ensaísta Joseph Brodsky recomendava que a escolha de um tirano recaísse sobre um velho. O mestre de São Petersburgo postulava, entre outras coisas, que um ditador idoso se ocupa menos dos assuntos de Estado porque passa a maior parte do tempo cuidando de seu metabolismo. Essa sugestão …

por em

No Paquistão, capitalismo à mão armada

Situado nas bordas da área industrial de Landhi, no sudeste de Karachi – a capital econômica e financeira do Paquistão –, Green Park City é um condomínio fechado que acabou de ser construído. A rara ilha de verde na área industrial e densamente povoada oferece aos moradores o privilégio de um parque muito bem cuidado, …

por em

Uma guerra midiática no continente africano

Istambul, 25 de maio de 2022. Dezenas de diplomatas e jornalistas de 45 países participam da primeira cúpula de mídia Turquia-África. O objetivo declarado é “reforçar a imagem de ambas as partes e sua cooperação bilateral”. Na ocasião, Fahrettin Altun, diretor de comunicação da presidência turca, lamentou que seu país esteja entre os que “mais …

por em

Nos Estados Unidos, a gentrificação pela escola

Abrir novas escolas públicas e, ao mesmo tempo, fechar outras: essa é a nova estratégia dos prefeitos norte-americanos empenhados em interromper a “fuga dos brancos” (white flight) rumo aos subúrbios. A reinstalação no centro das cidades de famílias da classe média (principalmente, mas não exclusivamente brancas), que matriculam seus filhos em escolas modernas, gera vários …

por em

As intuições do marxista Mariátegui

A articulação da luta de classes e do antirracismo divide o campo progressista. Para alguns, a classe parece ser o fator determinante em todas as relações de dominação. Para outros, as formas contemporâneas de racismo resultam de uma cultura, ou seja, de representações pelas quais uma comunidade define sua identidade e o indivíduo, seu pertencimento …

por em

Os jovens e a pandemia de Covid-19

Os jovens foram profundamente afetados pela pandemia de Covid-19 no Brasil, sofrendo dores e perdas em vários níveis e dimensões. Perdas de vida e de saúde, de familiares e amigos, de renda e de qualidade de vida como resultado da junção da crise sanitária com a crise econômica vivida no país; e perdas nos processos …

por em

Governabilidade e bolsonarismo

Em 30 de outubro, com quase 51% dos votos válidos, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi eleito presidente do Brasil. Contudo, como o candidato vitorioso bem afirmou em um de seus discursos proferidos na visita que realizou a Portugal: “A gente derrotou o Bolsonaro e ganhou as eleições, mas o bolsonarismo está vivo” (19 …

por em

Nem sempre a tempestade dá lugar, de imediato, à bonança

Momentos após a divulgação do resultado da eleição presidencial pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que confirmou a vitória do candidato Luiz Inácio Lula da Silva (PT), diversos analistas buscaram construir interpretações sobre os significados da derrota do presidente Jair Bolsonaro (PL) e as permanências do bolsonarismo no país. A dificuldade para a elaboração de diagnósticos …

por em

A ultradireita e o bolsonarismo: passado e futuro

A eleição de 2022 ofereceu sinais distintos para os próximos anos. Destaca-se, por um lado, a impressionante vitória de Lula e a demonstração de força do Partido dos Trabalhadores (PT). Vencer pela primeira vez um candidato à reeleição depois de ter sido preso e alvo de uma sistemática campanha de ataques públicos, durante ao menos …

por em

Cronologia da radicalização

Até a posse de Lula na Presidência da República, haverá tensão política, violência e instabilidade institucional crescentes. A extrema direita, recusando-se a aceitar o resultado das eleições, propõe o golpe de Estado e a violência aberta contra os petistas e seus aliados. Desde o fim das eleições, mais de mil bloqueios de estradas por caminhões …

por em

Imperialismo da virtude

A coexistência de um Senado controlado pelos democratas e de uma Câmara dos Deputados em que os republicanos serão majoritários não abala a política externa dos Estados Unidos. Poderia até revelar, a quem não o soubesse, uma convergência entre o militarismo neoconservador da maior parte dos eleitos republicanos e o neoimperialismo moral de um número …

por em

A administração Boric e seus dilemas

Creio que uma boa forma de explicar o dilema do presidente Gabriel Boric, e das duas coalizões que o apoiam, é que é preciso resolver a aprovação de uma Carta Fundamental pactuada e justa, porém, sem esquecer que o processo político continua sendo uma situação aberta na qual deve ser atendida uma dívida ética que …

por em

O que esperar do terceiro mandato de Lula

Desde o golpe civil-midiático-empresarial que depôs a presidenta Dilma Rousseff em 2016, foram seis anos e meio de governos que significaram um profundo retrocesso na recente e frágil democracia brasileira. Durante esses anos, acumulamos perdas de direitos que resultaram no aumento da pobreza, na volta do Brasil ao mapa da fome, aumento dos casos de …

por em

Falhas na reparação e a luta das comunidades atingidas em Mariana

“Desde a sua fundação, a Cáritas tem a prática de ouvir respeitosamente o sofrimento dos empobrecidos e dos que estão em situação de vulnerabilidade e favorecer ferramentas para transformar suas vidas.”[1] A frase da epígrafe foi retirada do site da Cáritas e define, por excelência, o ideal com o qual a instituição foi construída e …

por em

Guilhotina #194 – Jean Marcel Carvalho França

Bianca Pyl e Luís Brasilino conversam com o historiador Jean Marcel Carvalho França, autor do livro “História da Maconha no Brasil”, que neste ano ganhou uma reedição publicada pela editora Jandaíra. Lançada originalmente em 2015, a obra apresenta a história da maconha desde o seu surgimento até os dias atuais no Brasil, mostrando como o …

por em

Os desafios da precarização do trabalho e o avanço da nova informalidade nas metrópoles

Enfrentar os problemas relacionados à dinâmica do mercado de trabalho e à Reforma Urbana, particularmente nas metrópoles onde a questão é mais grave, passa pela reconstrução de um padrão de desenvolvimento que articule essas duas esferas. Para isso, é necessário que os eixos de ação para a reestruturação do mercado de trabalho, do ponto de …

por em

Editais de cultura no Paraná: campo de influência na capital controla o estadual

A comparação do campo de influência do chamado “cercadinho de Curitiba” (apresentado na reportagem anterior) revelou, através de análise dos resultados da aplicação da Lei Aldir Blanc (LAB), na pesquisa efetivada no caso do Paraná, de que a concentração de prêmio ocorrida em Curitiba nos mesmos nomes se repete em nível estadual, conforme conclusão do …

por em

Lei Aldir Blanc e os editais do “cercadinho de Curitiba”

A análise continuada de documentos, estudos, indicadores, gráficos e tabelas relacionados aos resultados da aplicação da Lei Aldir Blanc (LAB), na pesquisa efetivada no caso do Paraná, resultou em comprovações de antigas denúncias do meio cultural: de que os mesmos nomes de pessoas e empresas se repetem na premiação de editais ano após ano (aquilo …

por em

Por que Alfonsín está retornando?

Em El planisferio invertido [O mapa-mundi investido],[1] seu livro sobre Raúl Alfonsín, Pablo Gerchunoff traça um retrato não complacente, mas piedoso, do ex-presidente pelo partido União Cívica Radical. Por se tratar mais de um ensaio biográfico do que de uma biografia clássica (nasceu em tal dia, seus irmãos eram tais…), Gerchunoff propõe hipóteses, especulações contrafactuais …

por em

Lula no (novo) mundo

A vitória de Lula levanta mais uma vez a questão sobre a mudança da política externa brasileira. Os anos de Bolsonaro mostraram um Brasil diplomaticamente isolado, politicamente ideológico e estrategicamente distante do diálogo global. O Brasil tem atualmente uma face distante do perfil internacional desenvolvido nos anos de Fernando Henrique Cardoso ou de Lula: com …

por em

Aura de líder austero, espectro recorrente em Mundiais, ronda Tite

Arranhadas pelos galhos, castigadas pelo clima e exaustas pelos meses de perseguição, as tropas do Exército não conseguiram deter a insurgência liderada por Luís Carlos Prestes e Miguel Costa na década de 1920. Os revoltosos, que se levantaram contra as desigualdades e a corrupção, chegaram ao Paraguai após escaparem da perseguição do Estado brasileiro. Entre …

por em

Guilhotina #193 – Edson Lopes Cardoso

Bianca Pyl e Luís Brasilino recebem o professor e ativista do movimento negro Edson Lopes Cardoso, autor do livro “Nada os trará de volta: escritos sobre racismo e luta política”, lançado em maio pela Companhia das Letras. A obra reúne 151 textos publicados ao longo de quase quarenta anos com análises sobre as muitas faces …

por em

A nova política externa brasileira

Junto com o novo governo de Luiz Inácio Lula da Silva surgem os ímpetos de projetar um novo país, afastando a imagem do país “pária”[1] que tem caracterizado o Brasil no cenário Internacional. Imaginar esse novo período do Brasil, o desejável e, ao mesmo tempo, o possível implica considerar as várias crises que se manifestam …

por em

Em Maví, Marco Lucchesi faz de sua poesia uma busca pelo outro

Autor de quase trinta livros, o poeta carioca Marco Lucchesi construiu a sua obra sobre um ponto de diálogo permanente. Seus versos são atravessados por um vendaval de encontros e influências vindas de várias partes do mundo, translado possível graças ao seu domínio sobre mais de vinte idiomas, num trajeto que vai de Bizâncio à …

por em

Investimentos não são custos e devem ser excluídos de regras de teto de gastos

Âncora é um instrumento náutico, elaborado com ferro forjado, para fixar uma embarcação em determinado local. Deve ser mantida a uma distância segura do motor, que é o instrumento responsável por impulsionar o avanço da embarcação. Na área das finanças públicas, chama-se de âncora fiscal o conjunto de normas destinadas a promover a sustentabilidade financeira …

por em

Construir entre fraturas

Não são poucos os diagnósticos que levantam a dificuldade de apreensão do presente brasileiro. Cibele Rizek insiste nas “Zonas Cinzentas”, Chico de Oliveira fala de uma “Era de Indeterminação”; Giuseppe Cocco e Bruno Cava chamam de “Enigma do Disforme”; Guilherme Wisnik escreve sobre estar “dentro do nevoeiro”; um grupo de militantes afirma que se encontra …

por em

“A religião do Capital” de Paul Lafargue

Acaba de ser publicado no Brasil o livro A religião do Capital (1887) de Paul Lafargue, célebre autor de Direito à Preguiça e contemporâneo de Marx. Com tradução de Alexandre Barbosa de Souza e prefácio de Iná Camargo da Costa, a edição, à cargo da Edições 100/cabeças, é impecável, com o perdão do trocadilho, já …

por em

Apesar da ameaça à sobrevivência humana, avanços na COP27 são tímidos

Sharm-el-Sheikh, na península do Sinai, sediou a COP27. A região é repleta de história. Segundo a Bíblia, Moisés vagou com o povo hebreu por quarenta anos para livrá-lo das influências do bezerro de ouro, o falso ídolo, uma espécie de Deus do dinheiro. A riqueza da sociedade contemporânea ainda é lastreada no petrodólar. Essa riqueza …

por em

Alarmismo e gritaria: Lula e os ‘Mercados’

Desde a eleição do agora-eleito presidente Lula, o Mercado, ou melhor, os Mercados, esses sujeitos coléricos, voláteis e muito opiniosos, demonstram a ferocidade de seus ânimos. Com variações extremas entre felicidade e raiva, os Mercados vivem um momento bastante peculiar de amor e ódio em sua relação com o presidente-eleito. Tornam-se radiantes quando percebem que …

por em

Nada como um dia após o outro dia

Diferentemente de outros gêneros musicais que tiveram no seu meio ambiente motivos de “inspiração” para suas criações, o desespero de entes desaparecidos, as desapropriações violentas do Estado, a queda de barracos e famílias misturados com a lama, ou as constrangedoras ossadas de pessoas torturadas e mortas pelos militares, apresentou ao RAP um inimigo concreto, o …

por em

O impacto da psicometria nas eleições chilenas

Se até pouco tempo atrás a televisão era o principal dispositivo de comunicação política, aquele que permitia ligar-se a grandes audiências e capturar sua atenção, hoje as redes sociais somam-se a ela. E aqui está a palavra-chave: “atenção”. De fato, assistimos todos os dias a uma verdadeira batalha para captar a atenção de milhões, para …

por em

Chile: o triunfo do “Rejeito” e a questão constitucional

Os últimos plebiscitos, o de 2020 e o de 2022, deixaram duas coisas claras. Primeiro, que a grande maioria do Chile não quer continuar com a Constituição atual e que quer uma escrita por um órgão democrático que não seja o Congresso; segundo, que não quer aquela que foi proposta pela Convenção Constitucional. Enquanto se …

por em

Bibliotecas comunitárias, mulheres e participação social

Brasil. Rio de Janeiro. Baixada Fluminense. Esse é o lugar. Marcado por um padrão geográfico segregacional que se consolidou de forma nítida e ampla ao longo dos anos, imperando a expressão “Baixada para os de baixo”. Nós somos “os de baixo”. E, nesse contexto, a Baixada Fluminense (BF) atravessa o século XIX e XX suportando …

por em

Slam, a liberdade é revolucionária

Quando Roberta Estrela D’Alva idealizou e fundou o ZAP! – Zona Autônoma da Palavra, organizado junto ao Núcleo Bartolomeu de Depoimentos, em 2008, no estado de São Paulo, ainda eram desconhecidos os desdobramentos que essa criação poderia alcançar. Tratava-se do primeiro poetry slam do Brasil, uma batalha de poesia falada onde a palavra poética, política …

por em

Irresponsabilidade e responsabilidade fiscal

Nos últimos anos a expressão “responsabilidade fiscal” vem ganhando cada vez mais relevância no debate público, especialmente na mídia, economistas e a classe política. Mas, afinal, o que vem a ser a responsabilidade fiscal? A palavra “responsabilidade” em geral remete à condição de se medir as consequências dos próprios atos, possuindo, portanto, um caráter moral. …

por em

No Chile, o difícil caminho para uma nova Constituição

No domingo, 4 de setembro, a possibilidade de avançar para estágios de maior justiça social e inclusão sofreu um grave revés eleitoral nas urnas do Chile, quando mais de 61% se declararam contra a proposta de nova Constituição elaborada pela Convenção Constitucional. A grande maioria dos atores políticos voltou suas críticas ao órgão que, durante …

por em

O retorno da inteligência militar

Em 1986, o “ano decisivo” na tentativa de acabar com a ditadura de Pinochet, o psiquiatra chileno Sergio Pesutic publicou a primeira edição de seu livro La hinteligencia militar. O livro-objeto tinha apenas uma apresentação na contracapa e suas 150 páginas estavam completamente em branco. Foi definido como “um verdadeiro oxímoro: inteligência militar. O jogo …

por em

A portada

Bruce Ackerman, um constitucionalista norte-americano de prestígio, propôs anos atrás o conceito de “momento constitucional”. A noção ajuda a explicar a estranha situação que vive o Chile. O acadêmico estava se referindo àquelas circunstâncias históricas em que uma intensa deliberação é gerada, por parte dos cidadãos, sobre a norma fundamental de um país. Ninguém duvidaria …

por em

A era do complô

Em um universo cheio de incertezas – como o que envolve hoje a classe média branca norte-americana – não é incomum que “teorias da conspiração” proliferem. Poderíamos definir o complô ou a conspiração como um projeto secreto elaborado por várias pessoas que se reúnem e se organizam clandestinamente para atuar em conjunto contra uma personalidade …

por em

Plataformas de incentivo à representatividade nas eleições

Movidas pela prática do aquilombamento, o legado político de Marielle Franco e o combate às políticas racistas, anti-indígenas e LGBTfóbicas nos parlamentos, ativistas concorreram às eleições de 2022 em plataformas políticas que buscaram ampliar a representação de mulheres, pessoas negras, indígenas e LGBTs nas casas legislativas e nos poderes executivos. As candidaturas eleitas prometem existir …

por em

O Brasil do agronazifascismo

O título pode parecer um exagero no primeiro momento, mas não é. Explico. Primeiro é importante lembrarmos que os produtos químicos, em especial os inseticidas organoclorados e organofosforados, assim como herbicidas com base em hormônios sintéticos tiveram sua origem na década de 1920, durante a Primeira Guerra Mundial, quando alemães usaram gás clorídrico contra seus …

por em

O fazer literário não se restringe as letras impressas em livros

Marginal e Periférica: é possível uma ligação e interdependência terminológica entre os dois termos como disputa conceitual para nominar a literatura produzida em territórios vulnerabilizados e, com isso, contestar o território extremamente homogêneo do cânone literário visando demarcar um posicionamento político em defesa da ampliação do fazer literário? O fazer literário não se restringe às …

por em

No futebol brasileiro, o riso é um esquema ofensivo

A sinfonia do futebol é composta por gritos de gol e uivos em jogadas perigosas. Para quem vai aos estádios, as versões de músicas populares das torcidas organizadas também fazem parte dessa massa sonora. Existe um ruído menos perceptível que até aparece durante os jogos, mas surge com mais força após o placar final. No …

por em

Guilhotina #192 – Pedro Campos e Rafael Brandão

Bianca Pyl e Luís Brasilino conversam com os historiadores Pedro Campos e Rafael Brandão, organizadores, com Renato Lemos, do livro “Empresariado e ditadura no Brasil”, lançado em 2020 pela Consequência Editora. A obra analisa a participação de empresários brasileiros no regime autoritário não apenas como apoiadores dos militares, mas como formuladores da atuação do Estado naquele …

por em

JBS nos EUA: no rastro do trabalho infantil

O secretário de trabalho norte-americano Martin Walsh denunciou o emprego de crianças para a limpeza noturna das fábricas da JBS em Grand Island, Nebraska e Worthington, Minnesota, subcontratados pela empreiteira PSSI – Packers Sanitation Services. A denúncia foi apresentada à Justiça Federal em 9 de novembro. Por meio de uma investigação conduzida desde agosto deste …

por em

A democracia é uma merda. Viva a democracia.

A democracia é uma merda. Essa é a única explicação para que mais de 40% do eleitorado pense que é melhor escolher uma autocracia e uma servidão voluntária do que a responsabilidade por seu próprio futuro. O filósofo LaBoétie há muito tempo apontava as pessoas que aceitavam servir porque tinham ganhos secundários com isso, por …

por em

Amazônia fica sem originária progressista no Congresso

Vanda Witoto (Rede-AM) percorreu cerca de 3 mil quilômetros durante sua campanha para deputada federal. O trajeto, que incluiu nove municípios e doze terras indígenas (TIs) no Amazonas, foi feito por transporte fluvial, terrestre e avião comercial. Aparentemente alta, a verba de R$ 1,1 milhão foi insuficiente para divulgar a candidatura indígena em um estado …

por em

TCE-PR confirma concentração de premiações repetidas na Lei Aldir Blanc

A arte e as tradições são fortes socialmente no Brasil, dada a relevância das muitas culturas populares, bem como a força das festas e ritmos nacionais. Isso se exprime em números também na economia: o setor equivale a 2,7% do PIB, representando 4,8 milhões de empregos, que equivale a 5,6% do total de trabalhadores ativos …

por em

O jogo (anti)democrático e as ‘quatro linhas’ da Constituição para o Bolsonarismo

O futuro ex-Presidente da República, Jair Bolsonaro, ao reconhecer indiretamente o resultado das urnas das eleições para Presidente de 2022, alegou sempre ter jogado “dentro das quatro linhas da Constituição”. No entanto, ficou um questionamento: quais são as tais ‘quatro linhas da Constituição’ sustentadas pelo derrotado nas urnas? Durante todo o governo de Jair Bolsonaro, …

por em

O fracasso militar russo na Ucrânia

A Rússia possui um território com mais de dezessete milhões de quilómetros quadrados, o maior do planeta. Tem uma população com aproximadamente cento e cinquenta milhões de pessoas, uma das maiores economias do mundo. É rica em minerais e tem uma vasta reserva de petróleo, gás e carvão. Suas Forças Armadas agregam mais de um …

por em

Atrás do tempo perdido: o retorno da diplomacia?

Com a vitória da oposição nas eleições presidenciais, os próximos anos prometem reverter um ciclo de progressivo isolamento brasileiro no cenário global. Isso porque, por um lado, a atual série de alta das commodities traz consigo o potencial de aumento do investimento estrangeiro no Brasil e da inserção de nossos produtos em novos mercados. Por …

por em

Um desafio para Lula na COP27

O Brasil de Bolsonaro não só piorou as condições de vida da população brasileira como comprometeu as capacidades das gerações futuras. O aumento da fome e da desnutrição infantil tem impactos nos processos de aprendizagem das crianças. A liberalização e desregulação dos mercados incentiva a invasão de terras públicas por toda sorte de empreendimentos, boa …

por em

As metrópoles no centro da questão climática no Brasil

Um dos desafios mais complexos da problemática socioambiental contemporânea é a necessidade de transformações radicais e rápidas na gestão dos territórios como medida essencial ao enfrentamento das mudanças climáticas, especialmente no meio urbano-metropolitano. E não há saída para essa crise climática sem estabelecer uma ponte entre a agenda da reforma urbana, tendo como ponto central …

por em

O Brasil na Nova Rota da Seda?

  Numa conjuntura internacional bastante tensionada (e tensa) entre a Eurásia, com destaque para a Rússia e China, e o Ocidente representado pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) que congrega os Estados Unidos, além de países europeus, o Brasil terá de negociar seu interesse nacional em meio a disputas comerciais, políticas e ideológicas …

por em

O mundo das crenças: há espaço para todos

“A raça humana é sempre toda ouvidos para um conto de fadas” Lucretius, De rerum natura, 50 AC, (590) “Fins moralistas justificam meios violentos” Haidt, (xiii) “A insistência em uma noção enraizada, independentemente de evidências contrárias, é a fonte do autoengano que caracteriza a loucura” Barbara Tuchman (224)   A racionalidade ocupa sem dúvida um …

por em

A bicicletada venceu a motociata

Domingo, 15 de maio de 2022. Na Avenida Paulista, região central de São Paulo, cerca de cem ciclistas se reuniram pela primeira vez para um evento chamado de PedaLula. Como o nome deixa claro, o ato era uma pedalada de apoio ao então pré-candidato à Presidência da República Luiz Inácio Lula da Silva, organizado de …

por em

Bolsonaro e o bolsonarismo: punição ou pacificação?

A pergunta acima é uma falsa disjuntiva; e deve ser transformada em uma conjunção afirmativa: punição e pacificação! E o motivo é simples: está-se diante de uma situação na qual a sociedade brasileira só terá paz e tranquilidade se o movimento fascista for submetido ao devido processo legal e punido conforme todo o rigor da …

por em

No Catar, seleção busca vitória paradoxal: conquistar o Brasil

Por sete vezes, os torcedores brasileiros choraram quando a bola foi para a rede no Mineirão, em 8 de julho de 2014 – ou riram, porque nem o drama era cativante. A derrota para a seleção alemã na semifinal da Copa do Mundo, como anfitriã, pode até servir de marco. Porém, o distanciamento com os …

por em

Guilhotina #191 – Thiago Aguiar

Bianca Pyl e Luís Brasilino recebem o sociólogo Thiago Aguiar, autor do livro “O solo movediço da globalização: trabalho e extração mineral na Vale S.A.”, lançado em 2022 pela Boitempo. A obra traz uma detalhada pesquisa sobre a atuação da Vale no Brasil e no Canadá e analisa a inserção brasileira no capitalismo internacional nas …

por em

Argentina universal

Com um PIB per capita anual de US$ 9 mil, mais ou menos o equivalente ao Brasil, Bielorrússia e Tailândia, a Argentina é um país pobre e de desenvolvimento médio que há meio século não consegue descolar-se do meio da tabela. Desprovida de uma grande população, sua trajetória econômica (declinante), sua posição geopolítica (irrelevante) e …

por em

A revolução conservadora das nossas cidades e o novo período democrático e popular

As primeiras décadas do século XXI marcam o início do período popular da história, nos termos do geógrafo Milton Santos. Nesse novo período, os avanços técnicos, científicos e de capacidade de detecção, armazenamento e processamento de informações, que resultaram em metaversos, realidades aumentadas e espaços virtuais, passariam a ser orientados por uma política refundada na …

por em

Funcionários públicos e agentes influentes são premiados em editais de cultura que têm pareceres frágeis

A moral das instituições, a transparência, o controle social e a fiscalização dos atos públicos parecem estar em jogo diante dos achados da Auditoria do Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) sobre a má aplicação da Lei Aldir Blanc (LAB) no estado. No caso já citado nesta série, de funcionários públicos premiados com …

por em

A vertiginosa queda da imagem do Brasil na França

O Brasil é um país que seduz o mundo há séculos. Entre as inúmeras qualidades desse país-continente, podemos notar: suas paisagens deslumbrantes, uma biodiversidade de uma riqueza única, um povo dinâmico, conhecido por sua simpatia e sua festividade, uma cultura radiante, uma indústria forte e uma excelência esportiva inspiradora. A ex-colônia portuguesa conseguiu aproveitar da …

por em

Por que as crenças não morrem – ou o efeito “apito de cachorro”

Em meados de 1955, o renomado psicólogo social Leon Festinger infiltrou-se em uma célula da seita The Seekers, liderada por Dorothy Martin, a qual alegava ter recebido uma mensagem do planeta Clarion de que um disco voador buscaria seus seguidores para salvá-los de uma imensa inundação prevista para acontecer na aurora do dia 21 de …

por em

O perigo da psiquiatrização do bolsonarismo

As eleições de 2022 foram marcadas pela disputa acirrada de projetos de sociedade que se colocam de maneira antagônica. Por um lado, encontra-se a extrema direita representada pelo Bolsonaro e seus apoiadores e, por outro, há uma grande frente em defesa da democracia, tendo na figura do Lula, sua grande liderança. Podemos afirmar que tivemos …

por em

Diplomacia da saúde em um novo multilateralismo na América Latina

A eleição de Lula como presidente do Brasil no último domingo consolida a tendência das recentes eleições em diversos países latino-americanos, que apontam para a retomada do que analistas políticos denominam uma nova ‘onda rosa’ nos governos da região[1]. O resultado do pleito, somado às eleições, também em 2022, de Gustavo Boric, no Chile, e …

por em

Lula eleito e os desafios da democracia brasileira

As eleições da polarização entre a democracia e o autoritarismo terminaram com uma vitória apertada das forças democráticas. Lula foi eleito com 50,9% dos votos válidos, somando 60 milhões de votos. Bolsonaro saiu derrotado com 49,1%, um total de 58 milhões de votos. A margem mais estreita da história democrática brasileira permite uma dupla interpretação. …

por em

O direito de ir e vir e as eleições de 2022

Nunca antes foi tão evidente a relação entre direito à mobilidade e acesso à democracia. O segundo turno das eleições de 2022 foi marcado pela adoção massiva da Tarifa Zero e os dados da votação indicam que a medida influenciou diretamente na participação do eleitorado. Foi a primeira vez na história que a abstenção foi …

por em

Fascismo, fascização e memória coletiva

Violento, idealista, autoritário, bufão, tradicionalista, nacionalista, pequi roído, etc. Desde seu surgimento, o fascismo está em pauta nas sociedades contemporâneas, assim, o esforço para analisá-lo – em suas mais diversas formas de se manifestar – e combatê-lo também se faz presente e requer cada vez mais esforços. Como bem pontuou Umberto Eco, em O fascismo …

por em

Quais serão os nomes para a cultura de São Paulo?

A cultura de São Paulo está sob ameaça. Ao ser eleito governador Tarcísio, adepto e apadrinhado pelo bolsonarismo, pode entregar a pasta da Secretaria de Cultura e Economia Criativa nas mãos de futuros ex-funcionários da Secretaria de Cultura que abertamente desrespeitaram artistas, dificultaram a aprovação da Lei Paulo Gustavo e Aldir Blanc e esfarelaram a …

por em

Brasil em transe

“Hitler foi melhor que Jesus, pelo menos expurgou o que não prestava.” Esse é o recorte do diálogo de um professor de História, em Santa Catarina, que revela uma conhecida declaração atribuída a Fiódor Dostoiévski, em seu Os Irmãos Karamazov: “Se Deus não existir, então tudo é permitido”. Mas é no contexto da queda de …

por em

Guilhotina #190 – Celso Rocha de Barros

Luís Brasilino recebe o sociólogo Celso Rocha de Barros, autor do livro “PT, uma história”, lançado em outubro pela Companhia das Letras. A obra reconstrói a trajetória do mais amado e mais odiado partido da história brasileira, que acaba de voltar à Presidência com Luiz Inácio Lula da Silva. Conversamos sobre a votação de 30 …

por em

Devaneio Lunar: a forma do futuro em David Bowie

  Todos esses momentos se perderão no tempo, como lágrimas na chuva. Hora de morrer. Roy Batty, Nexus 6   Moonage Daydream, o novo documentário sobre David Bowie, entrega para o espectador aquilo que o título promete: um devaneio. Não há uma narrativa cronológica que nos indique o percurso biográfico do artista. Se todos sabemos …

por em

Miscelânea – resenhas

MAVÍ Marco Lucchesi, Penalux   Autor de quase trinta livros, o poeta carioca Marco Lucchesi construiu sua obra sobre um ponto de diálogo permanente. Seus versos são atravessados por um vendaval de encontros e influências vindas de várias partes do mundo, translado possível graças ao seu domínio de mais de vinte idiomas, num trajeto que …

por em

Catar, uma Copa exagerada

Em 2 de dezembro de 2010, em Zurique, o comitê executivo da Federação Internacional de Futebol (Fifa) escolheu o Catar para organizar a Copa do Mundo de 2022. Em Doha, capital do emirado, houve uma explosão de alegria. As sirenes dos navios ulularam no porto, as buzinas dos carrões brilhantes estacionados na orla fizeram eco …

por em

“Não deixar a grande imprensa babar é um ato indispensável”

Contra os grandes jornais “populares” que se desenvolveram no início do século XX, as organizações operárias pretendem oferecer aos trabalhadores uma informação proveniente de suas fileiras e livre do poder do dinheiro. Uma imprensa socialista dinâmica já existia na França nos anos 1830 e 1840, e as diferentes correntes de esquerda (republicanos, socialistas, depois anarquistas …

por em

Iranianas acendem o fogo da revolta

“Mulher, vida, liberdade!”, “Não vamos deixar isso acontecer mais!”, “Morte ao ditador!”. Essas palavras de ordem, ouvidas nas ruas de Teerã e em mais de oitenta cidades do país, resumem a determinação de manifestantes mulheres, mas não só, decididas a lutar com o poder. Tudo começou no dia 13 de setembro. Os agentes da polícia …

por em

Uma gigante do cobre na Indonésia

Quando uma mineradora se alegra com seu futuro, é uma benção para os acionistas e uma maldição para quase todo o resto. Quanto mais excepcionais são as jazidas que ela explora, mais excepcional é seu círculo de relações. E, por menos enraizado que ele seja na elite política e financeira do país mais poderoso do …

por em

Conflitos de fronteira na América Latina

Rosário de ilhas de areia branca no Caribe habitadas pela comunidade raizal, que vive principalmente da pesca, o arquipélago de San Andrés, na Colômbia, é a imagem de um cartão-postal. No entanto, desde uma decisão proferida pela Corte Internacional de Justiça da Organização das Nações Unidas (CIJ-ONU) em 21 de abril de 2022, os raizais …

por em

No Reino Unido, o verão do descontentamento

No último verão, o Reino Unido foi atravessado por uma onda de greves sem precedentes. A principal reivindicação dos trabalhadores é aumento salarial, diante de uma inflação que chegou a 10,1% em julho e de novo em setembro, um nível que não se atingia desde 1982. Nas docas de Felixstowe e Liverpool, nas ferrovias, nos …

por em

Ainda é bom viver na Suécia?

Em Medborgarplatsen, a “Praça dos Cidadãos” de Estocolmo, vozes bradam: “Nenhum racista em nossas ruas”. Elas logo são abafadas pelo riff de guitarras, bateria pesada e teclado de rock de músicos musculosos vestindo camiseta preta. É o começo de uma turnê da Folkfest, “festa popular” do partido de extrema direita Democratas Suecos (Sverigedemokraterna, ou SD), …

por em

Quando a Rússia perdeu a Guerra da Crimeia

De envergadura europeia, a Guerra da Crimeia, conflito de grandes proporções do século XIX, apresenta mais de um paradoxo. O primeiro diz respeito aos traços deixados pelo confronto: tanto na França como no Reino Unido, os nomes Malakoff, Alma, Crimeia, Sebastopol ou ainda Inkerman e Balaclava deixaram sua memória gloriosa em monumentos, em nomes de …

por em

O estupro como arma

No início de julho, a temperatura era de cerca de 40 °C num automóvel pequeno que levava Tatiana Zezioulkina e Lyudmila Kravchenkopara para perto da fronteira da Bielorrússia. “Estávamos indo a Yahidne, um povoado ocupado pelos russos durante quase um mês”, explica a primeira. E prossegue: “350 pessoas ficaram retidas à força no subsolo de uma …

por em

Sanções, uma faca de dois gumes

Há poucos meses, os dirigentes europeus queriam acreditar que “a guerra econômica e financeira total” lançada contra Moscou seria um caminho satisfatório. “A Rússia é um país enorme e tem uma grande população […], mas seu PIB é apenas um pouco maior que o da Espanha”, declarou o comissário do mercado interno europeu, Thierry Breton, …

por em

Amazônia fica sem originária progressista no Congresso

Vanda Witoto (Rede-AM) percorreu cerca de 3 mil quilômetros durante sua campanha para deputada federal. O trajeto, que incluiu nove municípios e doze terras indígenas (TIs) no Amazonas, foi feito por transporte fluvial, terrestre e avião comercial. Aparentemente alta, a verba de R$ 1,1 milhão foi insuficiente para divulgar a candidatura indígena em um estado …

por em

A volta da asa-branca e do Brasil como potência socioambiental

Terra molhada, mato verde, que riqueza E a asa-branca, tarde canta, que beleza Ai, ai, o povo alegre, mais alegre a natureza “A volta da asa-branca”, de Luiz Gonzaga e Zé Dantas   A eleição do novo presidente brasileiro indica, entre outros fatores, uma tendência de retomada da normalidade constitucional, o reequilíbrio da correlação de …

por em

Da calamidade à retomada do desenvolvimento

A economia brasileira encontra-se em situação calamitosa. Em parte, é fruto de um desarranjo da condução desastrosa de Bolsonaro/Paulo Guedes, mas, sobretudo, em seu aspecto fundamental, é constructo de um projeto. A famosa frase de Romero Jucá quando da ascensão do golpista Michel Temer, “estancar essa sangria”, não se devia somente às denúncias de corrupção. …

por em

A consolidação da direita cristã

Com os mesmos pilares que geraram nos anos 1970, nos Estados Unidos, o movimento político Moral Majority (Maioria Moral), o Brasil experimenta, com o governo Bolsonaro e a campanha por sua reeleição, a consolidação de uma direita cristã. Foi nos anos 1970 que teve início, nos Estados Unidos, um processo de recuperação do “evangelicalismo” como …

por em

Eleições e democracia

Um sábio das redes sociais postou a seguinte frase em relação às eleições brasileiras: existem momentos em que perder eleições é parte da democracia e outros no qual, ao se perderem as eleições, perde-se a própria democracia. A frase sintetiza o que esteve em jogo no domingo, dia 30 de outubro: a democracia brasileira com …

por em

Democracia sem panos quentes

Depois da enorme festa cívica, um verdadeiro alívio trazido pela vitória de Lula, em que se anunciou a restauração da democracia, temos de reconhecer que o bolsonarismo continua aí, atacando as instituições, o resultado eleitoral, e propondo a ditadura. O futuro próximo nos reserva um cenário de conflitos e violência, especialmente nos dois meses que …

por em

A esquerda desarmada diante da guerra

Desde fevereiro, o risco de uma guerra nuclear irrompeu em nossa atualidade cotidiana. Entretanto, na maior parte dos países do mundo, os partidos políticos olham para outro lado. Candidatos norte-americanos ao Senado – a assembleia que trata mais diretamente da política externa – se defrontaram por uma hora sem pronunciar a palavra “Ucrânia”; nenhuma manifestação …

por em

Brasil: retorno ao protagonismo sul global

A histórica vitória de Luís Inácio Lula da Silva no pleito presidencial brasileiro de 30 de outubro, pouco mais de dois meses após a ascensão de Gustavo Petro à presidência da Colômbia, abre novamente uma janela de oportunidades rumo à integração latino-americana e caribenha. Uma nova onda de governos progressistas, que tem pela frente o …

por em

Vencer o protofascismo e fazer o acerto de contas com a democracia

Todos que estão focados em tirar o país da onda de ódio, dos sinais de milicianização da política – e tantos outros horrores trazidos com a ascensão da extrema-direita em 2018 – veem como urgente a recuperação da nossa democracia, ainda que saibamos que essa já se encontrava longe do procedimentalmente ideal. Hoje sabemos também …

por em

Concentrações e exclusões de profissões e minorias nos premiados na Lei Aldir Blanc

No caso da má distribuição da Lei Aldir Blanc (LAB) se revela uma tensão entre segmentos culturais historicamente privilegiados pelo poder público em detrimento dos demais, os excluídos, como na obra “The Established and the Outsiders”, de Norbert Elias. Para o pesquisador Manoel J de Souza Neto, a questão das premiações de editais de incentivo …

por em

Estudo revela desconhecimento do poder público sobre políticas culturais

A auditoria técnica realizada pelo Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR), e julgada no Acórdão nº 2877/21 – Tribunal Pleno, 22 de agosto, na edição nº 2.127 do Diário Eletrônico do TCE-PR, trouxe um inédito vislumbre da realidade das gestões de cultura no Brasil por meio de um estudo de caso, de um …

por em

Quando falham as instituições, surgem homens excepcionais

A longo da história, todos os países que passaram por graves crises políticas que colocaram em risco sua democracia e sua república se remeteram nas mãos e na coragem de raros homens que acreditavam mais que todos os outros. No caso do Brasil da era bolsonarista, podemos apontar Luiz Inácio Lula da Silva e Alexandre …

por em

Como esquecer da vitória do povo e da democracia brasileira?

Desde 2013, o povo demostrava sua insatisfação. Um movimento ganhou as ruas e não havia coesão entre grupos e entre o que gerava tal insatisfação. Todos sempre soubemos que as manifestações não foram por 20 centavos de aumento em passagens de ônibus, mas não sabemos definir com clareza os anseios de quem ia as ruas. …

por em

Problemas de interesse comum nas metrópoles devem ser enfrentados com soluções integradas

Entre os diversos e conhecidos problemas das cidades e das metrópoles brasileiras – sejam estes sociais, econômicos ou de infraestrutura –, é recorrente a necessidade da condução adequada das políticas públicas territoriais. A gestão das cidades, voltada ao desenvolvimento e à superação das desigualdades, constitui motivo de debates, lutas e formulação de alternativas. A dimensão …

por em

Guilhotina #189 – Magali Cunha

Relatos de ataques e perseguições a evangélicos não alinhados com a candidatura de Jair Bolsonaro vêm se somando nesta reta final das eleições. Para entender este contexto e discutir formas de neutralizar essas agressões, Bianca Pyl e Luís Brasilino recebem a jornalista e doutora em Ciências da Comunicação Magali Cunha. Ela é colaboradora do Conselho …

por em

Como as fake news têm impactado as eleições de 2022

A utilização de fake news em campanhas não é nenhuma novidade das eleições presidenciais de 2022, mas é interessante acompanhar o refinamento e mudanças de suas técnicas e formatos. Após um primeiro turno marcado por trocas de acusações, uso intenso das redes sociais e um resultado mais positivo do que o esperado para o bolsonarismo, …

por em

Religião é coisa da terra

Há alguns anos, Flávio Pierucci, pesquisador brasileiro, lembrava um clássico da sociologia da religião, Max Weber, segundo o qual “religião é coisa da terra”. Acompanhando o investimento da campanha eleitoral nas pautas religiosas, vemos, uma vez mais, o quanto ele tinha razão. Religiões são criações humanas e, portanto, fazem parte da dinâmica social. Não se …

por em

“Só vi algo parecido com isso na ditadura militar”: o assédio eleitoral nas igrejas evangélicas

O assédio religioso é uma característica do segundo turno das eleições de 2022, marcado pelo aumento exponencial no número de relatos de ameaças de expulsão, perseguição, coerção explícita e propagação de fake news dentro da igreja evangélica. Apesar de representarem parte expressiva do eleitorado de Bolsonaro – de acordo com levantamento do Datafolha, seis em …

por em

Quando teremos nosso luto?

Após a retomada exponencial das atividades presenciais, também o interesse teórico para com a pandemia caiu com a mesma velocidade. Se vimos em 2020 brotarem as mais diversas tentativas de apreender criticamente o que se passava conosco, parece-nos terem se esgotado os diagnósticos capazes de extrair força propulsora das contradições imanentes ao presente. Passados quase …

por em

Guilhotina especial – O plano de Guedes para o salário mínimo

A Folha de S.Paulo divulgou na última quarta-feira, dia 19, o que seria um plano econômico do ministro da Economia Paulo Guedes para ser apresentado após as eleições. Entre os pontos está a desindexação do salário mínimo e dos benefícios previdenciários. Neste episódio extra, mais curto que o Guilhotina tradicional, conversamos com o economista Pedro …

por em

Bolsonaro pode ser preso se não for reeleito?

O presidente Jair Bolsonaro afirma ter certeza de que será alvo de inquéritos que teriam como objetivo levá-lo à prisão caso perca as eleições. A revelação foi feita em agosto pela coluna de Mônica Bergamo para a Folha de S.Paulo, mas esta não é a primeira vez que o próprio presidente ventila a possibilidade de …

por em

Má gestão da Lei Aldir Blanc revela falhas crônicas em editais culturais

Foram muitos equívocos localizados por conselheiros, fóruns, entidades, observatórios, imprensa e especialmente pelo Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) em todas as etapas de procedimento da Lei Aldir Blanc (LAB) e demais editais de mecanismos de fomento como Mecenato Subsidiado e Fundo de Cultura pela Superintendência-Geral de Cultura do Paraná (SGC-PR) da Secretaria …

por em

Porque a cultura da autenticidade favorece o bolsonarismo

Jair Bolsonaro é um case de sucesso do marketing ancorado na autenticidade. A consolidação do apoio obtido, independente do resultado das eleições, é reveladora e preocupante. Expõe tanto a devassidão do ambiente civilizacional brasileiro como o potencial encantador e destrutivo da cultura da autenticidade. Mesmo quando, paradoxalmente, mero discurso pré-fabricado para atrair interesse (como todo …

por em

Governança para o direito à educação é destaque em pesquisa internacional

O Brasil tem uma das melhores estruturas de governança para o direito à educação no ranking internacional Right to Education Index 2021, superando na categoria o Reino Unido e os Estados Unidos na lista de 15 países. A pontuação do Brasil para governança foi de 87 – o máximo é 100. Mesmo assim, ainda está …

por em

Garantia do direito à educação permanece desigual mesmo com leis avançadas

O direito à educação no Brasil tem leis avançadas, reconhecidas nacional e internacionalmente, mas essa estrutura legal não se traduz como deveria na implementação de políticas públicas. As desigualdades educacionais geradas por essa ausência do Estado na vida de estudantes e trabalhadores da educação afetam especialmente mulheres, pessoas pretas e pardas e as populações do …

por em

“Bancada da Bala”: foram eleitos 48 deputados policiais e militares

O termo “Bancada da Bala” surgiu durante os debates sobre o Estatuto do Desarmamento, em 2003. Naquela época, deputados como Jair Bolsonaro (então PP/RJ) e Alberto Fraga (então PMDB/DF) passaram a ser rotulados como líderes desse grupo, nome que tinha (e ainda tem, para alguns) conotação pejorativa. Em um dos discursos naquele contexto, Fraga afirmou, …

por em

Pós-Direito

“Eu fui do tempo em que ‘decisão do Supremo não se discute, se cumpre’. Eu fui desse tempo. Não sou mais”, essa frase fez parte do pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro, em 7 de junho de 2022, no Palácio do Planalto. Com isso, o Chefe do Executivo Federal buscou separar a história em ao menos …

por em

A instrumentalização ideológica da migração, de 1964 a 2022

Após quase quatro anos de governo Bolsonaro, parecia improvável que nos causasse espécie mais um de seus arroubos verborrágicos. Atravessamos, afinal, mais de 1.400 dias até agora, todos eles recheados de impropérios, escatologias, ofensas e cinismo. Ainda assim, havia espaço para mais. No dia 14 de outubro, o fantoche do generalato brasileiro dava uma entrevista …

por em

Edmundo Heleno de Carvalho

Os pinos e parafusos estavam bem expostos e saíam da pele marcada por cicatrizes da coxa direita. Todos tinham se afastado, para que o enfermo, usando muletas, pudesse se aproximar da porta de ferro e assim mostrar o ferimento ao juiz responsável pela execução de sua pena. Edmundo Heleno de Carvalho era mais um detento …

por em

A hybris da guerra

O noticiário internacional sugere que as tendências bélicas entre Rússia e Ucrânia ultrapassaram o ponto de não retorno. A interrupção do fornecimento de gás russo para o continente europeu, a apropriação de fatias territoriais ucranianas pelo gigante asiático e o pedido da Ucrânia para ingressar na OTAN (a aliança militar ocidental) parecem ser – salvo …

por em

A resiliência bolsonarista e uma nova disputa pelo povo

Passados alguns dias do primeiro turno, o choque inicial com a votação surpreendente de Jair Bolsonaro e de seus aliados que concorriam a governos estaduais e aos congressos deu lugar à apreensão, ao medo e à ansiedade diante da possibilidade que antes parecia irreal de reeleição. Mas outro sentimento contribui para o clima de consternação …

por em

Guilhotina #188 – Juliane Furno

Bianca Pyl e Luís Brasilino recebem a economista Juliane Furno, autora do estudo “Um projeto para o Brasil: diagnóstico e saídas para a economia brasileira” (disponível para download em https://bit.ly/3DcnjRc), lançado em setembro pelo Instituto para Reforma das Relações entre Estado e Empresa (Iree). A publicação analisa a conjuntura econômica brasileira desde 2003 e aponta …

por em

Novas lutas para uma nova sociedade

Terminou uma etapa do processo de mudanças que o Chile iniciou em outubro de 2019. Os cidadãos optaram por rejeitar um projeto de Constituição que, seja por motivações particulares, seja por uma perspectiva global, não foi valorizado pela maioria. Uma longa campanha de descrédito e mentiras, iniciada antes mesmo do ato inaugural da Convenção, operada …

por em

O nadador que não queria flutuar

“Foi, como todos nós, um sonhador.” Este não é o testemunho de nenhum de seus companheiros do Komsomol (a juventude comunista soviética) no qual ele entrou aos 15 anos em 1946, quando os escombros da Segunda Guerra Mundial ainda ardiam, aquele conflito que ele aprendeu na escola a chamar como Grande Guerra Patriótica. Nem de …

por em

Chile: o reflexo

As equipes de infografistas das emissoras de televisão chilenas não tiveram que se esforçar muito para fazer os mapas comparativos na transmissão ao vivo dos resultados do plebiscito constituinte do domingo, dia 4 de setembro. Eles pegaram o mapa do início do processo, que usaram na noite de 25 de outubro de 2020, e apenas …

por em

Decrescer em três faixas

Não é um verbo que costuma estar no discurso dos governantes. Talvez por isso, quando a ministra de Minas e Energia da Colômbia, Irene Vélez, o utilizou, estourou um escândalo. Ou quem sabe o escândalo tenha estourado porque também na Colômbia a pólvora do ódio está pronta para explodir. Eu poderia começar uma digressão aqui …

por em

Uma amostra no debate presidencial do segundo turno

O debate presidencial do segundo turno das eleições de 2022 no Brasil, realizado pelo pool de mídia (Band Tv, Folha de São Paulo, UOL, TV Cultura), constitui-se como uma pequena amostra do racismo institucional brasileiro. Para confirmar essa assertiva, convém perscrutar sobre a contemplação de temas raciais, bem como raça e gênero: 1) dos jornalistas …

por em

A reconquista do protagonismo ambiental do Brasil

O combate ao desmatamento ganhou novo patamar na Europa. Provocado por 200 mil cidadãos, o Parlamento Europeu aprovou, por 453 votos a favor e apenas 53 contrários, nova legislação que proíbe a importação de commodities oriundas de desmatamento, seja este legal ou ilegal. A norma segue agora para aprovação nos parlamentos de cada um dos …

por em

Democratização da comunicação em colapso

Com o surgimento do rádio, acreditou-se que a comunicação social até então dominada pelos meios escritos e impressos sofreria uma transformação democrática radical. Acreditava-se que, finalmente, a informação poderia chegar a muitos indivíduos ao mesmo tempo, atravessando longas distâncias. Uma revolução técnica que abria um portal para o novo mundo. O conteúdo falado iria circular …

por em

Do subterrâneo à naturalização dos discursos autoritários no Brasil atual

“O Estado é laico, mas o presidente é cristão.” O discurso religioso é uma marca do atual presidente Jair Bolsonaro e um dos pilares do lema “Deus, Pátria e Família” que guia o seu mandato. Particularmente, entre o eleitorado evangélico, instaurou-se uma guerra santa entre aqueles que apoiam Bolsonaro e representam o “bem” e os …

por em

Auditoria confirma irregularidades ocorridas na Lei Aldir Blanc

A auditoria técnica realizada pelo Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR), Acórdão nº 2877/21 – Tribunal Pleno, 22 de agosto, na edição nº 2.127 do Diário Eletrônico do TCE-PR, confirmou diversas denúncias apresentadas nas reportagens desta série. O resultado completo da auditoria, aqui divulgado em primeira mão, foi julgado em 22 de agosto …

por em

Lula-Alckmin: quando os divergentes se unem para derrotar o antagônico

Luís Inácio Lula da Silva, metalúrgico, líder sindical, fundador da CUT e do Partido dos Trabalhadores; deputado constituinte em 1988; candidato a presidente derrotado em 1989, 1994 e 1998; presidente leito em 2002 e 2006. Líder de um projeto de resistência à ditadura militar nos anos 1980, e de oposição à agenda neoliberal nos anos …

por em

Lei Aldir Blanc: má distribuição e erros de gestão confirmados pelo TCE-PR

Conforme revelado nas reportagens anteriores desta série, ocorreram graves erros de gestão pública que resultaram em concentrações e exclusões regionais. Os dados preliminares divulgados pela reportagem eram uma parcial, tomada pelas informações obtidas na época por conselheiros do Conselho Estadual de Cultura do Paraná (Consec) da Superintendência-Geral de Cultura do Paraná (SGC-PR), devido ao órgão …

por em

A Mulher Rei: “há coisas pelas quais vale a pena lutar”

As mulheres guerreiras do Daomé nos guiam, seguramente, para um lugar de novas descobertas. A partir de um enredo que conversa com eventos pregressos, localizados em um continente visitado e revisitado, ficamos perto de uma abordagem que traz às vistas outras histórias. Nanisca, interpretada pela atriz Viola Davis, lidera um exército de mulheres que guerreiam …

por em

“Ex-presidiário” como ofensa e o uso da religião na política

Pode-se dizer que a condenação mais famosa da história foi a pena de morte por crucificação imposta a Jesus Cristo. Essa perene figura bíblica é influência determinante em nossa sociedade, como notório. No entanto, emprestando as palavras do poeta Guerra Junqueiro, há muitos “funâmbulos da Cruz”, que andam por aí “explorando o corpo de Jesus”. …

por em

O momento histórico do que pôde ser

Como forma de aglutinar as demandas sociais não resolvidas pela classe política nos últimos trinta anos, a proposta constitucional de nova Constituição para o Chile procurou dar respostas a problemas que exigiam e exigem solução o mais rápido possível. Entre elas estão o direito à água e ao saneamento, contrariando os atuais direitos de uso …

por em

Guilhotina #187 – Letícia Cesarino

Bianca Pyl e Luís Brasilino recebem a antropóloga Letícia Cesarino, autora do livro “O mundo do avesso: verdade e política na era digital”, que será lançado ainda em outubro pela Ubu Editora. A obra lança mão da dimensão técnica para analisar a ascensão do populismo, a pós-verdade, o negacionismo e o conspiracionismo. Conversamos sobre as …

por em

Por um modelo de justiça social

No domingo, 4 de setembro, no hemisfério norte, o mundo amanheceu com ondas de incêndios florestais na França, Espanha e Portugal e “tornados de fogo” no estado da Califórnia (Estados Unidos). No Paquistão, as chuvas das monções deixavam mais de mil mortos, 5 milhões de desabrigados e milhões de hectares de plantações danificados. Naquele domingo, …

por em

Fome aumenta na América Latina

Faz quatro dias que Mariana Cristina Lourdes Moreira não consegue comer direito. Quando ela e seus três filhos pequenos moravam em Santo Antônio de Posse, cidade rural de 23 mil habitantes a cerca de duas horas de São Paulo, a fome estava sempre em sua cola. Moreira, hoje com 25 anos, fazia dinheiro colhendo laranjas …

por em

Miscelânea – resenhas

A RELIGIÃO DO CAPITAL Paul Lafargue, 100/cabeças Do célebre autor de Direito à preguiça e contemporâneo de Marx, A religião do capital (1887) ganha edição impecável, com o perdão do trocadilho, já que encharcada na religião cristã, em forma e conteúdo. O projeto gráfico pode fazer com que ele seja confundido com um missário romano. …

por em

“Traga sua garrafa!”

Apenas dois meses após o confinamento da população britânica, o chefe de gabinete do primeiro-ministro britânico à época, Boris Johnson, convidou mais de cem colaboradores para uma festa no jardim de Downing Street. “Traga sua garrafa”, enfatizava o e-mail de convite. Teve início então uma série de celebrações secretas que, entre 2020 e 2021, se …

por em

Quanto vale a cripto-Monalisa?

Em 11 de março, após uma batalha de leilões que durou catorze dias, durante a qual o site da Christie’s quase caiu, o non-fungible token (NFT, “token não fungível”), do designer norte-americano Michael Winkelmann, mais conhecido como Beeple, intitulado Everydays: The First 5000 Days [Diariamente: os primeiros 5000 dias] e posto à venda por US$ …

por em

Escócia: petróleo ou desemprego?

Na principal ilha do arquipélago de Shetland, a 180 quilômetros ao norte da costa da Escócia, o dono de um pequeno restaurante indiano sonha viver em outro lugar. “Temos de sair, não há mais o que fazer aqui. Era muito animado há alguns anos, mas agora acabou.” Sua família chegou ali em 1984, na época …

por em

Bioética, cadê você?

Há alguns anos existem perspectivas para selecionar o óvulo do qual os filhos vão ser gerados. Em 2016, no Japão, células da pele de ratos “reprogramadas” puderam ser transformadas em gametas, que geraram embriões viáveis na origem de ratos férteis.1 Aplicada à nossa espécie, essa tecnologia poderia revolucionar a prática do diagnóstico genético pré-implantacional (DGPI), …

por em

Corrida atômica no Oriente Médio

“A Arábia Saudita não quer ter uma bomba nuclear. Mas, se o Irã desenvolvesse a sua, nós seguiríamos seus passos assim que possível, sem a menor dúvida.” Assim se exprimiu, em março de 2018, o príncipe herdeiro saudita, Mohammed bin Salman (MBS),1 em uma clara advertência ao vizinho e rival do reino wahabita. Algumas semanas …

por em

Entre Kiev e Moscou, o desafio nuclear

No dia 11 de setembro de 2022, durante uma conversa telefônica com seu colega francês, o presidente russo, Vladimir Putin, reiterou seu alerta sobre a situação da usina nuclear de Zaporíjia. Maior central nuclear da Europa, a usina fica próxima da cidade de Energodar, às margens do Dnieper, rio que divide neste momento as linhas …

por em

A Ucrânia e seus falsos amigos

Assim como as dores nas costas e as condições meteorológicas, “o fim da globalização” é um tema sempre pronto para usar e volta e meia reaparece na imprensa. Ensaístas e jornalistas já fizeram o funeral da liberalização global após os ataques de 11 de setembro de 2001, durante a crise financeira de 2008 e de …

por em

Na Rússia, a palavra “guerra” não é tabu

“Você é psiquiatra?”, pergunta, com um largo sorriso, Boris Vishnevsky, deputado do Yabloko (oposição liberal) no Parlamento de São Petersburgo. Cruzamos com ele por acaso na rua. Vishnevsky andava apressado para alguma reunião política, enquanto nós tentávamos arrancar declarações, explicando-lhe o objetivo de nossas pesquisas: compreender o estado da opinião pública russa nestes tempos conturbados. …

por em

A contestada presença do Exército britânico no Quênia

Nairóbi, 10 de março de 2022. É uma “decisão histórica”, diz a manchete do diário queniano The Nation.1 A juíza Antonina Cossy Bor, do Tribunal Ambiental e Fundiário (Environmental and Land Court) de Nanyuki, acaba de declarar admissível a queixa de mil pequenos camponeses de Lolldaiga contra a Unidade de Treinamento do Exército Britânico no …

por em

A classe média precisa ser tranquilizada

Às vésperas do XX Congresso do Partido Comunista Chinês, uma sombra paira sobre a China: a da classe média. Esta última esteve no cerne da grande virada impulsionada nos anos 1990 e permanece no centro dos desafios atuais. As centenas de milhões de chineses que a compõem (entre 350 milhões e 700 milhões, conforme diferentes …

por em

As fragilidades de Xi Jinping

“Devemos fazer da sobrevivência nosso objetivo principal.”1 O alerta do poderosíssimo fundador da Huawei, Ren Zhengfei, teve o efeito de uma minibomba no mundinho comunista chinês. Sem dúvida, esse grande empresário, pouco habituado a expressar abertamente seus pensamentos, falava de seu grupo empresarial. Mas todos compreenderam que o diagnóstico ia muito além, sendo raro um …

por em

No Chile, a esquerda decepcionada com o povo

A rejeição pela grande maioria da população chilena de um projeto de nova Constituição1 reconhecido por seus muitos avanços mergulhou os intelectuais progressistas na melancolia. Mais uma vez, o povo decepcionou-os. A consternação é ainda mais aguda porque, há anos, o antigo laboratório do neoliberalismo na América Latina se transformou em um viveiro da esperança.2 …

por em

Rumo ao bolsonarismo sem Bolsonaro?

O primeiro turno das eleições de 2022 escancarou o óbvio: o Brasil é um país profundamente conservador. Esse conservadorismo tem tintas reacionárias bastante evidentes, pois o repúdio às chamadas “pautas progressistas” – como a equidade de gênero, o combate ao racismo e a preservação ambiental – é marcado por valores que não apenas pretendem conservar …

por em

O perfil do Centrão na nova legislatura

A atual legislatura está chegando ao fim. A dois meses do encerramento do atual governo do presidente Jair Bolsonaro (PL) já é possível afirmar que a “quebra da ordem da velha política” – promessa realizada ainda nas campanhas de 2018 – durou pouco. A partir de 2020, Bolsonaro se rendeu à formação de uma coalizão …

por em

Partidarização ou personalização das disputas nos estados

Comentaristas políticos frequentemente argumentam que no Brasil, tanto na disputa eleitoral como no governo e no Legislativo, as lideranças políticas importariam mais do que os partidos. Os mais exacerbados sugerem que os políticos trocam de partido como trocam a roupa do dia. A filiação a um partido, uma condição imposta pela legislação para disputar eleições …

por em

Para 2o turno, intensificar a campanha é essencial

De acordo com o agregador de pesquisas do jornal O Estado de S. Paulo, a média das intenções de voto de Jair Bolsonaro na véspera do primeiro turno das eleições presidenciais era de 36% dos votos válidos, 7 pontos percentuais abaixo do resultado encontrado nas urnas. Para entender essa diferença, conversamos com Rachel Meneguello, professora …

por em

Qual é o plano para o segundo turno?

Se, por um lado, a porcentagem de abstenções em turno eleitoral no país não se modificou tanto, por outro, ao analisarmos os números e o panorama eleitoral, percebemos que o nível experimentado nessa eleição teve seu impacto mais sentido em uma das candidaturas. Com isso, o PT sofre novamente com a abstenção eleitoral e ainda …

por em

Não podemos temer o Brasil que saiu das urnas

Ao final da noite de 2 de outubro, o clima entre as pessoas progressistas era de decepção com a não vitória de Luiz Inácio Lula da Silva no primeiro turno e medo por conta dos votos de Jair Bolsonaro. Esperava-se, em razão das pesquisas e do sentimento da reta final, uma vitória definitiva do petista, …

por em

Você decide

O primeiro turno das eleições mostrou uma sociedade fraturada, dividida, com dois grandes grupos sociais se enfrentando e buscando se impor um sobre o outro. Um tem 48% dos votos; outro, 43%. E não há possibilidade de negociação. O meio de campo, ou a terceira via, como querem alguns, deixou de existir. E essa situação …

por em

Secessões norte-americanas

Cada um dos dois grandes partidos norte-americanos sugere que a democracia vai perecer se ele não levar a melhor no próximo dia 8 de novembro, nas eleições de meio mandato. Isso porque seu adversário não defende somente ideias impraticáveis ou repreensíveis: trata-se de um inimigo, de um corpo estranho, imoral e subversivo.1 Anteriormente voltada aos …

por em

A pauta é uma arma de combate

É bastante comum, quando falo sobre o jornalismo de subjetividade, concepção teórica-prática ouvir as perguntas: “mas como isso se aplica no dia a dia? Como fazer um exercício de reflexão na correria cotidiana do jornalismo?” São questionamentos mais que pertinentes, principalmente quando pensamos em um ambiente profissional entrecruzado por mudanças radicais no modelo de negócio, …

por em

Bolsonaro pode ser o autor do maior esquema de corrupção da história do Brasil

O argumento de combate à corrupção tem sido a justificativa central dos votos de milhares de brasileiros. Historicamente, a corrupção sempre foi um tópico sensível para o eleitor, capaz de reativar um suposto sentimento cívico e de dever moral da nação que batalha para viver em um país melhor. Nas campanhas de 1960, Jânio Quadros …

por em

Lições para a disputa política no Brasil diante do segundo turno

O objetivo deste escrito é compreender alguns dos elementos que influenciaram a vitória de Gustavo Petro e Francia Márquez, três meses e meio após a vitória colombiana e cinco dias após a primeira votação no Brasil, a fim de tirar lições que possam ser úteis na atual conjuntura política brasileira. Um elemento chave na vitória …

por em

É possível a esquerda dialogar com os evangélicos no Brasil?

O resultado do primeiro turno das eleições de 2022 revela aquilo que já deveria estar claro para qualquer analista político interessado no atual cenário brasileiro: a onda conservadora de direita  tornou-se a força política mais influente dos últimos anos no país. Prova disso é o “efeito Bolsonaro” nas eleições estaduais, na qual elegeram ao menos …

por em

Crença no crescimento econômico infinito e o planeta em aquecimento

Durante o mês de agosto, acompanhei com apreensão as notícias dos incêndios em Portugal. Foram incêncios em diferentes localidades do país, tendo destaque a Serra da Estrela, a maior reserva natural portuguesa. Foram mais de 25 mil hectares incendiados em mais de duas semanas de fogo intenso na reserva e mais de 100 mil hectares …

por em

Guilhotina #186 – Rodrigo Nunes

Bianca Pyl e Luís Brasilino conversam com o filósofo Rodrigo Nunes, autor do livro “Do transe à vertigem: ensaios sobre bolsonarismo e um mundo em transição”, lançado neste ano pela Ubu Editora. A obra reúne textos escritos entre setembro de 2019 e fevereiro de 2022 sobre a ascensão da extrema direita e as polarizações políticas …

por em

Internet abre espaço para a diversidade de perfis, mas impulsiona velhas práticas

Entre os candidatos e candidatas influenciadores digitais nas eleições de 2022, os perfis são diversificados. Há humoristas, cantora gospel, Miss Brasil, DJ, dançarina, ex-BBB, atleta, microempreendedores dos ramos da moda, alimentação e estética, agentes públicos, religiosos e políticos tradicionais. O levantamento Donos da Mídia, projeto permanente do Intervozes, identificou em 12 estados (BA, PB, PE, …

por em

Lei Aldir Blanc: reflexões sobre as contradições

Em meio às polêmicas entre aprovação das leis Paulo Gustavo e Aldir Blanc 2, vetos, derrubada de vetos, substitutivos e outras movimentações, os setores culturais ainda sofrem com retomada lenta de atividades, enquanto as apurações de casos de irregularidades chegam a algumas conclusões – em especial, em razão da apresentação de um surpreendente relatório liberado …

por em

A “nova onda rosa”: um recomeço mais desafiador

As recentes vitórias da esquerda na América do Sul, somadas à provável eleição de Luiz Inácio Lula da Silva no Brasil, têm reforçado a percepção de um novo ciclo político na América do Sul, levando alguns analistas a falarem em uma nova “onda rosa”. Essa expressão foi usada por comentaristas políticos para se referirem ao …

por em

Onde está o governo sem corrupção de Bolsonaro?

No debate entre presidenciáveis do último sábado (24), no SBT, o presidente Jair Bolsonaro (PL), mais uma vez, reforçou a ausência de episódios de corrupção em seu mandato. “Nós tiramos a corrupção das manchetes. Três anos e oito meses, você não vê escândalo de corrupção no meu governo”, declarou em resposta ao candidato Felipe D’Avila …

por em

Os militares e a última palavra da legitimidade das urnas

Todo enredo tem o seu desfecho. Este pode ser definitivo ou não. A política brasileira se aproxima do que seria o fim do primeiro volume de um livro, com uma necessidade de definições para novos desdobramentos. Ou seja, haverá o clímax de uma parte da trama da política brasileira contemporânea no próximo domingo, dia 2. …

por em

Voto útil: o chamado ao primeiro turno em 2022

O voto útil é uma constante no que os cientistas costumam chamar de “democracias majoritárias”, cujo maior exemplo é a Inglaterra. Nelas, o sistema eleitoral costuma declarar como vencedor somente aquele que obtém a maior quantidade de votos. Quando muito, há um segundo turno. Não é à toa que, para o cientista político Arend Lijphart, …

por em

Uma escolha nada difícil

A Carta das Nações Unidas descreve a Corte Internacional de Justiça como seu principal órgão judicial. Ou seja, trata-se do mais importante Tribunal Internacional existente em um mundo que foi reerguido sobre os escombros da Segunda Guerra Mundial e que resistiu aos graves conflitos de todo o século XX. A Corte Internacional de Justiça é, …

por em

Os desafios da “nova Onda Rosa” na América do Sul

No dia 02 de outubro de 2022 o Brasil poderá estar mais perto de um novo governo Lula – tendo chances inclusive de ganhar já no primeiro turno das eleições. Essa possibilidade é intensificada pelas pesquisas da BTG Pactual e do IPEC, que apontam o ex-presidente com 52% dos votos válidos. Dessa forma, aparentemente, o …

por em

Erosão democrática no Brasil de Bolsonaro

Atualmente, diversos países passam por processos de autocratização – a queda substantiva de atributos democráticos através de estratégias como tentativas de controle político-ideológico, revisionismo histórico-científico, ataques à liberdade acadêmica, à associações civis e organizações não-governamentais (ONGs) e a incitação de pânico moral. Seguindo essa tendência, o Brasil tem sido apontado por organizações internacionais como um …

por em

Guilhotina #185 – José Celso Cardoso Jr. e Monique Florencio de Aguiar

Bianca Pyl e Luís Brasilino recebem o economista José Celso Cardoso Jr. e a antropóloga Monique Florencio de Aguiar, organizadores, com Frederico Barbosa da Silva e Tatiana Lemos Sandim, do livro “Assédio institucional no Brasil: avanço do autoritarismo e desconstrução do Estado”, lançado em maio e publicado pela Editora da Universidade Estadual da Paraíba, em …

por em

Cozinhas Populares apontam caminhos para a soberania alimentar

Precarização da vida e do trabalho, aprovação da PEC do Teto de Gastos e reformas trabalhista e da previdência. Foi nesse contexto que a pandemia de Covid-19 chegou ao Brasil, escancarando as diversas faces das crises política, social e econômica que o país enfrenta desde o golpe contra a presidenta Dilma Rousseff, em 2016. De …

por em

Kleber Mendonça Filho: “O que é a cultura no governo Bolsonaro? Não é”

Os últimos quatro anos foram de ataques constantes ao setor audiovisual brasileiro. Além de extinguir o Ministério da Cultura, o governo de Jair Bolsonaro vetou inúmeras leis de incentivo ao cinema nacional, como a Lei Paulo Gustavo e a Lei do Audiovisual, acabou com a política de cotas de telas e defendeu a censura às …

por em

Qual o futuro do bolsonarismo?

Este artigo encerra a trilogia que analisou a campanha eleitoral em curso. No primeiro deles – ‘Deus, pátria, família e liberdade: problemas e soluções no discurso do candidato Bolsonaro’ – foram reconstruídas as questões e elementos que compõem o Marco de Diagnóstico e o Marco de Prognóstico da referida candidatura[1]. No segundo – ‘Deus, pátria, …

por em

Estratégias discursivas do candidato Bolsonaro

Este artigo é a segundo da série ‘Deus, pátria e família”, onde são reconstruídas as questões e elementos que compõem o Marco de Diagnóstico (o que há no mundo, os problemas e as injustiças) e o Marco de Prognóstico (soluções, demandas, fronteira antagônica e identidades do “eles” e do “nós”) das Práticas Discursivas da candidatura …

por em

O sprint de Damares Alves

Sprint é a aceleração de um forte competidor ao se aproximar da reta final. Damares Alves (Republicanos) está em seu sprint para a vaga no Senado pelo Distrito Federal. Entre 21 e 27 de setembro, a ex-ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos cresceu sete pontos, empatando com a então favorita na disputa, …

por em

Juventudes com sonhos atacados vão às urnas

Nesses últimos quatro anos, o governo de ímpeto antidemocrático criou uma máquina pública de matar sonhos. A sensação é que uma geração de sonhadores foi experimentando cansaço e desânimo diante de tanta desconstrução de políticas sociais e esperança pública. É comum que os sonhos diminuam no fluxo da vida, conforme se passam os anos. Alguns …

por em

Problemas e soluções no discurso do candidato Bolsonaro

O tempo da política que se materializa nos períodos eleitorais é um dos momentos-chave de disputa hegemônica de visões e projetos de um país numa democracia. Apesar de o início das campanhas eleitorais, com a permissão da propaganda eleitoral, inclusive na internet, ter começado formalmente em 16 de agosto, o tempo da política já havia …

por em

A experiência dos quintais produtivos no Morro do Sossego

O Morro do Sossego está localizado no bairro Pantanal,  no município de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, que, atualmente, abriga quase um milhão de habitantes em seus 465 km². Seus limites estendem-se aos municípios de Miguel Pereira, Petrópolis, Magé, Rio de Janeiro, São João de Meriti e Nova Iguaçu.  O município é dividido em …

por em

Políticos Donos da Mídia violam a Constituição e fragilizam a democracia

A história da radiodifusão brasileira está intimamente ligada aos interesses políticos com fortes raízes familiares. Do surgimento do rádio e seu papel para a política de integração nacional na ditadura do Estado Novo, na era Vargas, passando pelas concessões de rádio e TVs usadas como moeda de troca na gestão de José Sarney como presidente, …

por em

John Lennon

No meu último dia de expediente, antes de uma pequena folga de férias, já noite adentro, olhei para minha mesa de trabalho. Os livros estavam enfileirados, a agenda física disposta em frente, aparas e canetas ao lado, as duas telas do computador bem assentadas. Tudo alinhado, como eu gostava de deixar. Num canto, porém, havia …

por em

Seu voto fortalece a diversidade e a inclusão?

Ao longo da história do país, naturalizamos em absoluto ter somente uma parcela da sociedade brasileira representada nos postos de tomada de decisão. Por algum motivo, ou por vários, achamos comum que 20% da sociedade brasileira, homens brancos, sejam 60% do Congresso Nacional. E, ainda mais complexo, quando alguém levanta a mão para questionar o …

por em

Por que a reforma agrária não acontece?

Todas as vezes que nos propomos a refletir sobre a reforma agrária no Brasil, em especial no estado do Rio de Janeiro, nos colocamos diante de perguntas e respostas que não parecem fazer o menor sentido, principalmente se considerarmos a Constituição de 1988, as desigualdades sociais estabelecidas historicamente e o suposto interesse social de construir …

por em

Por que Lula? Nem caserna, nem casa-grande

Os dias que se seguiram à eleição de Bolsonaro foram de esforço interpretativo, comparável ao de alguém que está diante de um imenso quebra-cabeças e tenta fazer os encaixes, mas faltavam peças. Depois, eu percebi que não estava sozinha. Ao longo desses quatro anos, foram publicadas centenas de livros, artigos que tentavam responder: como explicar …

por em

Madeira da Amazônia: normas avançam, mas só 10% da extração é regular

Para chegar à Cachoeira do Aruã, uma remota comunidade ribeirinha do Pará, é preciso sair do Porto de Santarém e percorrer o Rio Arapiuns. O trajeto até lá, de quatro horas de lancha, é margeado por floresta nativa, o que dá a sensação de que estamos chegando a um local praticamente intocado da Floresta Amazônica. …

por em

Jogar o jogo: nove parágrafos para uma nova força transformadora

1- Após o golpe cívico-militar de 1973, nós das forças sociais avançadas temos vivido há cinquenta anos em posições geralmente defensivas. Sobreviver, primeiro, e depois gerar, por diversos meios, as condições que possibilitem a recuperação de um mínimo de democracia. Teve que passar meio século para que o Chile estremecesse com uma proposta constitucional que …

por em

No Chile, o futuro que nos escapou

Apresento ao inimigo as minhas forças como se de fraquezas se tratassem, ao mesmo tempo em que transformo as suas forças em fraquezas, e busco onde mais fraco ele será. Oculto os meus rastros para que ninguém me veja e conservo-me calado para que ninguém me ouça Sun Tzu, “A arte da guerra” No Chile, …

por em

Programa de Bolsonaro quase assume a responsabilidade pela tragédia na educação

Esse artigo precisa começar de uma forma diferente. O drama da educação brasileira é um dos reflexos mais contundentes da total falta de competência, noção e humanidade de Bolsonaro à frente da República. Durante a sua gestão, o país viu dobrar o número de crianças em idade escolar (segundo ano do ensino fundamental) que não …

por em

Guilhotina #184 – Jorge Chaloub

Bianca Pyl e Luís Brasilino recebem o cientista político Jorge Chaloub para uma conversa sobre a ascensão da extrema direita no Brasil e os quatro anos de governo Bolsonaro. Professor do Departamento de Ciência Política da Universidade Federal do Rio de Janeiro e do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Universidade Federal de Juiz …

por em

O Brasil armado por Bolsonaro e seus legados

Até o ano de 2019 o fuzil FAL, produzido pela Imbel, era utilizado apenas nas Forças Armadas brasileiras, e em poucas unidades policiais de elite. No modo automático, ele é capaz de disparar rajadas com até 700 tiros por minuto. Também lança projéteis a 840 metros por segundo, e consegue acertar um alvo com grande …

por em

Apresentadores de programas policialescos apostam na reeleição

Não é de hoje que programas policialescos são palco para a proliferação de candidaturas políticas mobilizadas por temas que violam direitos humanos através do fomento da política de morte na segurança pública, além de defenderem pautas do conservadorismo religioso, propostas assistencialistas e a negação da própria política. Neste ano eleitoral, o número de candidatos do …

por em

A ausência de políticas públicas e as consequências na vida das famílias atingidas pelas chuvas

Vivenciamos no Recife e Região Metropolitana, capital do estado de Pernambuco, dias de angústia, dor e sofrimento, em 28 de maio de 2022. Acordamos com vídeos e imagens chocantes, de famílias inteiras soterradas, barreiras deslisando, comunidades ilhadas, pais tentando resgatar os próprios filhos nos escombros do que restou das casas, bairros cobertos pela água e …

por em

Ocupação da Amazônia pelo mercado #02: Ferrogrão e a luta dos povos e comunidades tradicionais

Novo episódio especial do Guilhotina em parceria com a Terra de Direitos analisa o projeto de construção da Ferrogrão e a resistência dos povos e comunidades tradicionais. A ferrovia, concebida para o transporte de grãos, prevê conectar, ao longo de 900 quilômetros, Sinop, no Mato Grosso, ao estado do Pará. Para apresentar os impactos da …

por em

Segregação residencial ajuda os mais ricos

A segregação constitui-se em um problema social, na medida em que não é apenas a expressão das desigualdades, mas é também produtora de desigualdades. Morar distante dos postos de trabalho, das oportunidades educacionais, culturais e de interação com pessoas com maior capital social e cultural diminui as chances de mobilidade social para os grupos situados …

por em

O escandaloso racismo institucional nas eleições de 2022

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determinou que, nas eleições de 2022, os partidos seriam obrigados a repassar, até o dia 13 de setembro, 100% do recurso da cota de gênero e raça/cor às candidaturas de mulheres e pessoas negras, o que corresponde a 30% do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC). A determinação do …

por em

A fome e a dor dos outros

As violações ao direito humano à alimentação e à nutrição adequadas nunca deixaram de existir no Brasil. A pobreza, a miséria e a concentração de renda, causas da fome, assim como o poder desproporcional e desregulamentado do agronegócio e da indústria de alimentos, sempre se fizeram presentes no complexo cenário brasileiro relacionado à soberania e …

por em

Falta de transparência do setor bancário marca a oferta do crédito consignado

No início de agosto, o governo federal sancionou a lei 14.431/2022, que aprova a concessão de crédito consignado sobre o Auxílio Brasil – programa social que tem por finalidade garantir alimentação, saúde, educação, água, energia e gás para as famílias em vulnerabilidade social. Uma vez que a medida autoriza o desconto automático de 40% do …

por em

Por que a pecuária se tornou a atividade econômica que mais desmata a Amazônia

Guarantã do Norte é um município rural ao norte de Mato Grosso que tem 36 mil habitantes e 245 mil cabeças de gado, segundo o IBGE. Com seis bois para cada morador, as pastagens já tomaram quase metade da cidade fundada há quarenta anos por imigrantes que atenderam ao chamado do governo militar para ocupar …

por em

O que a “contrarrevolução” tem a nos dizer?

Não sem algum atraso – mas nunca tão oportuna – a primeira tradução de um livro de Bernard E. Harcourt no Brasil: A contrarrevolução: quando o governo entrou em guerra contra seus próprios cidadãos.[1] Autor de diversos livros, o jurista e filósofo é também um dos responsáveis pela edição das obras de Michel Foucault. A …

por em

Educadores ressaltam a importância dos conhecimentos tradicionais para a educação na Amazônia

A menos de um mês das eleições, a discussão sobre projetos de educação que abrangem a complexidade do território nacional se torna cada vez mais latente. Nesse contexto, a programação do primeiro dia do 6º Congresso Internacional de Educação da Jeduca contou com a contribuição de educadores fora do eixo sudeste-sul para levantar essa pauta. …

por em

A democracia continua

A derrota foi profunda. A proposta de uma nova Constituição para o Chile foi descartada por 61,86% dos quase 13 milhões de eleitores que foram às urnas no domingo, dia 4 de setembro. O trabalho dos 154 membros da Convenção Constitucional, que durou um ano, voltou à estaca zero. Ou quase, uma vez que, apesar …

por em

Segurança Pública: tecnologias e atividade policial na ponta da língua dos presidenciáveis

Em diversas pesquisas realizadas, uma das maiores preocupações da população é a violência e as medidas e propostas políticas para a área de Segurança Pública. A violência, mais do que um fenômeno, é uma realidade profunda e vivida no cotidiano pelas pessoas. E, pensando no sentido político-filosófico, a violência é também, com afirma a filósofa …

por em

O combate à violência política de gênero nas eleições de 2022

A eleição de 2022 será a primeira com a legislação de combate à violência política de gênero em vigor. A sanção da Lei nº 14.192 decreta a proibição de propaganda eleitoral que deprecie a condição de mulher ou estimule a sua discriminação, além da obrigatoriedade de uma proporção mínima de 30% e máxima de 70% …

por em

O ecocídio como forma de governar

A lógica de passar a boiada ignorando o colapso ambiental não é prerrogativa do governo federal. Na cidade do Rio de Janeiro, o poder público segue atuando a partir dessa mesma lógica. A reestruturação urbana que Eduardo Paes (PSD) vem tentando promover na região das Vargens desde 2009 é sinônimo da construção de mais uma …

por em

Guilhotina #183 – Jean Wyllys e Marcia Tiburi

Bianca Pyl e Luís Brasilino recebem o jornalista e ex-deputado federal Jean Wyllys e a professora de filosofia e feminista Marcia Tiburi, autores do livro “O que não se pode dizer: experiências do exílio”, lançado em agosto pela editora Civilização Brasileira. A obra reúne cartas trocadas entre eles em que compartilham a experiência, involuntária, de …

por em

Como evitar o desaparecimento do peso

Nos círculos nacional-populares e progressistas argentinos é lugar-comum dizer que “a política conduz a economia”. Sem dúvida, a política influencia as flutuações econômicas, assim como estas impactam aquela. Mas dizer que “conduz” equivale a imaginar que os processos econômicos carecem de autonomia em relação ao poder político. As relações de mercado e a acumulação de …

por em

Como a Amazônia se tornou um polo global de exportações agrícolas

“Integrar para não entregar.” Sob esse lema nacionalista contra uma suposta ameaça estrangeira, milhares de migrantes partiram rumo à Amazônia no início dos anos 1970 em busca da prosperidade que o governo militar prometia. Naquela época, agricultores que viviam em meio à pobreza no Sul do Brasil enxergavam na propaganda da ditadura um novo horizonte, …

por em

Shoppings cheios, geladeiras vazias

De maneira silenciosa mas já claramente identificável, mudanças profundas estão ocorrendo na estrutura social argentina. No passado, diante de um período de alto crescimento econômico e redução do desemprego como o que se vive hoje, e após um período de reajuste, os salários tenderiam a subir. Isso era assim por causa do processo de industrialização …

por em

Um bairro ocupado: o programa Cidade Integrada no Jacarezinho

Era uma sexta-feira às 13:30h, às margens do Rio Jacaré, onde em maio de 2021 ocorrerá a maior chacina da história do estado do Rio de Janeiro, com 28 pessoas assassinadas durante uma operação da Polícia Civil. Na mesma margem de rio onde os moradores ergueram um memorial para homenagear seus mortos, que em poucos …

por em

No avesso das eleições

1- A eleição importa Somos pela derrota de Bolsonaro. Logo, somos pela eleição de Lula. Tudo indica que não se trata de uma eleição convencional, porque seus resultados podem ter desdobramentos além dos que nos acostumamos a esperar de um processo eleitoral. Uma vitória de Bolsonaro pode abrir as portas para o golpismo, mas uma …

por em

Argentina e seu destino latino-americano

“Todas as famílias felizes se parecem umas com as outras, mas cada família infeliz é infeliz à sua maneira”, escreveu Liev Tolstói no início de Anna Karenina. Algo da poderosa imagem criada pelo famoso escritor russo descreve a Argentina do presente. Um país cada vez mais dualizado, que em meio a um processo inflacionário vive …

por em

A Amazônia Legal em jogo

Do Amapá a Rondônia, do Acre ao Maranhão, do Mato Grosso a Roraima, os eventos e dados monitorados pela plataforma Sinal de Fumaça pintam um quadro de colapso socioambiental iminente na Amazônia Legal, acelerado ano a ano desde a vitória de Jair Bolsonaro em 2018.  Com o objetivo de organizar a memória do impacto da …

por em

Governança ambiental para a sobrevivência

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, perdeu as estribeiras ao avaliar o resultado do relatório do IPCC que atesta os mais altos índices de emissão de gases do efeito estufa já catalogados, chamando-o de “arquivo da vergonha” e que estamos “catalogando as promessas vazias que nos colocam firmemente no caminho para um mundo inabitável”. …

por em

Guilhotina #182 – Clara Ant

Bianca Pyl e Luís Brasilino recebem a arquiteta Clara Ant, autora do livro “Quatro décadas com Lula: o poder de andar junto”, lançado em agosto pela editora Autêntica. Clara assessorou o ex-presidente Lula nas campanhas eleitorais e nas Caravanas da Cidadania de 1991 a 2002, foi assessora especial da Presidência da República entre 2003 e 2010 …

por em

Símbolo da resistência, livro é esquecido nos programas de governo

Não poderia deixar de tocar em um tema fundamental e que considero simbólico para a discussão da cultura nos programas de governo dos candidatos à Presidência da República neste pleito. A ideia aqui não é analisar as propostas na área da cultura, porque isso já foi bem realizado, diagnosticado e problematizado pelo meu amigo e …

por em

Crianças e adolescentes: sinais para ficar atento à saúde mental

Setembro chegou e, desde 2015, no Brasil, ele tem sido um mês dedicado a prevenção do suicídio e, consequentemente, acaba sendo uma oportunidade para falarmos mais amplamente sobre Saúde Mental. Pode parecer estranho a persistência na temática em alguns meios de comunicação, mas um assunto que continua sendo um tabu na sociedade precisa ter espaço …

por em

O 7 de Setembro de Bolsonaro

Entre o coração de Dom Pedro I, os tratores do agronegócio e o espetáculo militar em Copacabana, serão definidos os rumos das eleições. Não porque estaremos diante de uma manobra final, mas pelo enlaçar de duas frentes de uma estratégia: a radicalização, por um lado; e manutenção da ordem estabelecida, por outro, que encontrará os …

por em

Problemáticas de Sebastião Salgado no Museu do Amanhã

Uma seleção do trabalho de Sebastião Salgado está à mostra no Museu do Amanhã com fotos em preto e branco da Amazônia e de povos indígenas da região. A habilidade artística e profissional do fotógrafo é inegável, assim como a curadoria de sua esposa, Lélia Wanick Salgado, motivos pelos quais a avassaladora maioria da reação …

por em

No período eleitoral de 2022, qual é o lugar das políticas públicas?

Se o restante do período eleitoral corresponder às expectativas, ele tem tudo para ser especialmente torturador para quem lida profissionalmente com políticas públicas. Tem tudo para sofrerem (e muito!) os servidores públicos da ponta dos serviços, os gestores de carreira, os pesquisadores e as comunidades de cada política setorial (saúde, educação…). Grande parte do que …

por em

O combo promocional da ignorância e da servidão

Poucos devem conhecer o termo nutricídio que recentemente tem sido usado para descrever como a alimentação inadequada faz parte da necropolítica. Mais do que a falta de nutrientes básicos, o acesso aos alimentos ultraprocessados, favorece ainda mais essa política de morte. Em tempos de um (des)governo incompetente e genocida, que promoveu a volta do Brasil …

por em

Jovens lideranças indígenas em defesa da Amazônia

O Brasil não é e nunca foi um bom lugar para os povos indígenas, pelo menos não desde a invasão em 1500. Digo invasão porque foi o que aconteceu, apesar de ainda negarmos isso e continuarmos a ensinar para nossas crianças e jovens a história do colonizador. O pior disso tudo é que muitas dessas …

por em

Uma análise decolonial e libertária dos debates eleitorais

Sabemos que o Estado gerido por representantes da direita por séculos não só patrocinou o colonialismo, como justificou as diferentes formas de racismo. Normalmente, o direitista é racista, como o foi Adolf Hitler e seus partidários nazistas que justificaram o extermínio de judeus, comunistas e todos que se diziam de esquerda. Daí não esperarmos muito …

por em

Da militarização à milicialização das cidades: efeitos de uma política nacional

Desde o início do governo, o presidente Jair Bolsonaro adotou discursos voltados para a incitação do ódio e da violência no Brasil, com a defesa de aquisição ampla de armas de fogo pela população e utilização de força contra adversários políticos. Mas não se trata apenas de palavras. As políticas do governo Bolsonaro também têm …

por em

Aprovar a Constituição da esperança

Milhares de pessoas estão saindo às ruas de todo o Chile para buscar os votos que permitirão aprovar a nova Constituição proposta pela Convenção Constitucional, que será plebiscitada em 4 de setembro. É uma força mobilizada, composta majoritariamente por jovens e mulheres, que luta diariamente contra uma campanha “brutal” de mentiras, como classificou a BBC …

por em

Guilhotina #181 – Heloisa Starling e Newton Bignotto

Bianca Pyl e Luís Brasilino conversam com a historiadora Heloisa Starling e o filósofo Newton Bignotto, autores junto com o cientista político Miguel Lago do livro “Linguagem da destruição: a democracia brasileira em crise”, publicado em abril pela Companhia das Letras. A obra investiga a atuação do bolsonarismo e seu plano de poder pautado pela …

por em

Miscelânea

REPÚBLICA DE SEGURANÇA NACIONAL Rodrigo Lentz, Expressão Popular e Fundação Rosa Luxemburgo É incontroversa a relevância de um livro que, publicado às vésperas das eleições deste ano, não só oferece “uma interpretação histórica dos militares na política”, como arrisca respostas à pergunta que está na ordem do dia: posto em marcha o indisfarçado plano golpista …

por em

Gangues, acordeão e política

O músico Rethabile Mokete, mais conhecido pelo codinome de Mosoto Chakela, morreu aos 58 anos, em 12 de janeiro de 2021, num hospital da África do Sul. Ele era originário do Lesoto, antigo protetorado britânico independente desde 1966, uma monarquia constitucional de 2,1 milhões de habitantes encravada na África do Sul. O cantor soto (o …

por em

A África através do espelho distorcido das mídias francesas

A grande mídia francesa pode se libertar dos relatos oficiais quando se trata da África? Seu modo de tratar o tema do franco CFA [Communauté Financière Africaine], a moeda corrente pilotada por Paris e utilizada por catorze países da África Ocidental e Central, é edificante. Em 21 de dezembro de 2019, o jornal Le Monde …

por em

Está aberta a caça aos oligarcas russos

Segundo a lista anual da revista Forbes, em 2022 a Rússia tem 83 bilionários em dólares norte-americanos, um pouco menos que no ano anterior, quando esse número era de 117. Em um ano, os oligarcas teriam perdido em média 27% de sua fortuna.1 As sanções draconianas impostas pelo Ocidente em 24 de fevereiro, após a …

por em

Uma voluptuosa lavagem cerebral

Volodymyr Zelensky é o redator-chefe da maior parte dos órgãos da mídia ocidental. Seus vídeos cotidianos dão o tom; seus temas e anátemas são declinados nas horas seguintes, do New York Times ao Le Monde, passando pelo canal Arte, pela Paris Match, pelos canais de notícias 24 horas e pelas rádios públicas. As remessas de …

por em