Laura Toyama, Autor em Le Monde Diplomatique

O patriotismo na Ucrânia

Embora a Ucrânia seja uma nação que possui uma história bastante longa, cabe recordar alguns acontecimentos mais recentes de sua existência. Entre 1917 a 1921 ela permaneceu como uma região independente, em 1922, após a Revolução Russa, foi absorvida pela União Soviética, suas fronteiras geográficas foram estabelecidas em 1954 e voltou a ser autônoma em …

por em

O que explica a recuperação de Bolsonaro entre os evangélicos?

O apoio de Bolsonaro entre os evangélicos parece ter ganhado fôlego novo. Segundo a última pesquisa Genial/Quaest, divulgada dia 11 de maio, 47% dos evangélicos têm a intenção de votar em Bolsonaro no primeiro turno contra 30% em Lula. É a primeira vez que o presidente retoma a preferência do público evangélico desde o ano …

por em

Educação privada não é panaceia para crise e deve ser regulada

Duas premissas são basilares quando estamos falando de direito à educação, em qualquer lugar do mundo. A primeira é que Estados são responsáveis por garantir o direito à educação para todas as pessoas, com equidade, financiamento adequado, qualidade social, acesso e permanência. A última, mas não menos importante, é a de que, ao fazer isso, …

por em

Trabalho informal e a luta contra o desamparo sistêmico

A escadaria do Theatro Municipal de São Paulo foi escolhida para ser o local da gênese do Movimento Nacional dos Trabalhadores Sem Direito, que visa acolher e lutar por direitos básicos de um trabalho digno para aqueles considerados “informais”, pessoas que labutam por horas a fio em busca de rendas e sustento para milhões de …

por em

Não bote fé nas fake news #01 – Fundamentalismo religioso, internet e a divulgação de mentiras

Neste episódio de estreia da série “Não bote fé nas fake news”, parceria do Guilhotina com a CESE – Coordenadoria Ecumênica de Serviço, vamos acompanhar a história da pastora Romi Bencke, secretária-geral do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (Conic), alvo de mentiras espalhadas por extremistas religiosos por conta de sua participação em audiência …

por em

Guilhotina #165 – Bianca Alves e Ticiana Oppel

Bianca Pyl e Luís Brasilino recebem a advogada Bianca Alves e a relações-públicas e empreendedora cultural Ticiana Oppel, autoras do livro “Violência doméstica: histórias de opressão às mulheres”, lançado em 2021 pela Dita Livros. O trabalho constrói, a partir de relatos de vítimas de violência doméstica, um panorama dos avanços e retrocessos dessa questão no país …

por em

Professores de faculdades privadas: categoria em extinção?

Então entendemos o novo sistema, a redução brutal da carga horária total dos cursos, professores dando aulas para 150 alunos remotamente, reajuste de 11,2% com redução do quadro dos professores e redução de carga horária, inclusive a redução do uso das instalações da universidade. Entendemos o novo sistema e também entendemos o que acontece quando …

por em

A “anatomia” de uma democracia de truculência no Brasil

O Brasil foi colonizado com autoritarismo. Construímos uma economia baseada na opressão utilizando uma mão de obra escravizada e, mesmo quando se tornou uma república, ficamos sobre o limiar de regimes autoritários. A ditadura surgiu dentro do sistema republicano e exerceu autoritarismo com o argumento de proteção da soberania. Um regime militar que perdurou na …

por em

Violações na mídia e as conquistas do movimento pelo direito à comunicação

“Já pensou em ter um filho viado e não poder matar?”. Esta frase foi dita no dia 18 de junho de 2021, em uma emissora de TV aberta, pelo apresentador Sikêra Júnior, no programa Alerta Nacional, transmitido pelas emissoras de TV A Crítica e Rede TV!, durante o quadro “Batalha das drags”, exibido pelo policialesco. …

por em

Quando encontrei João Marcos

A população carcerária deste país, em regra, fica em unidades superlotadas, marcadas pela violência e onde falta tudo, desde produtos de higiene e limpeza à alimentação adequada. As celas são abafadas, muitas sem energia e iluminação, com água racionada. Tratam-se de locais degradantes da condição humana. Mas “De tudo isso o presidiário sabe perfeitamente, sabe …

por em

Trump e Bolsonaro: ecos da mesma lógica

Temos assistido nas últimas semanas a cenas que imaginávamos estar enterradas no passado. Tropas blindadas invadindo as fronteiras de um país vizinho dentro no continente europeu, ao mesmo tempo em que refugiados tentam desesperadamente fugir das bombas e ataques crescentes. Apesar de ecos do passado estarem se tornando mais eloquentes a cada dia, a história, …

por em

Risco de extinção da Amazônia?

Estudo publicado em 7 de março na revista Nature Climate Change afirma que a Amazônia se aproxima de um ponto em que a devastação será irreversível, ou seja, um “ponto de não retorno” ( Boulton, C.A., Lenton, T.M. & Boers, N. Pronounced loss of Amazon rainforest resilience since the early 2000s. Nat. Clim. Chang. 12, 271–278 (2022). Segundo …

por em

O agronegócio, antítese do desenvolvimento nacional

Esse modo de produção denominado de agronegócio desde os anos 1970 passou de uma dinâmica interna (industrialização promovendo a internacionalização de produtos agrícolas e agroindustriais, com repartição de atividades entre multinacionais, empresas estatais e empreendedores nacionais) para uma dinâmica externa, coordenada pelo capital global, de reprimarização e desindustrialização, por meio de processos de: (i) reorganização …

por em

É preciso interromper o financiamento para o carvão mineral

Boa parte das emissões globais de gases de efeito estufa se deve ao uso de combustíveis fósseis para transporte e eletricidade, sendo o carvão mineral o maior emissor disparado: até 1.689 gramas CO2eq/kWh quando usado em usinas termelétricas, sendo essa fonte responsável por 44% das emissões de CO2 do setor de energia em 2019. A …

por em

Da unipolaridade hegemônica à multipolaridade antagônica

O programa REpowerEU deve ser compreendido como parte de uma situação histórica particular. Tal situação pode compreendida, de forma simplificada, mas ainda verdadeira, pela evolução dos indicadores de consumo, produção, importação, exportação e reservas de recursos naturais energéticos. Quando consideramos o petróleo e outros líquidos derivados, como o gás liquefeito de petróleo (ou liquified petroleum …

por em

O conflito na Ucrânia e confrontos por hegemonia no sistema interestatal

A guerra na Ucrânia, desencadeada pela Rússia em fevereiro de 2022, surpreendeu grande parte dos analistas de política internacional e da sociedade global. Tal invasão, precedida por uma série de declarações de Vladimir Putin, elencaram uma série de argumentos de natureza militar, geopolítica e ideológica para guerra, especialmente a noção de defesa da segurança da …

por em

Teoria Monetária Moderna não defende gastos públicos sem limites

Em 2020, quando a crise sanitária, social e econômica produzida pela pandemia do novo coronavírus obrigou governantes e economistas no mundo inteiro a reconhecerem que estavam equivocados quando alegavam que havia restrição financeira aos gastos dos governos centrais monetariamente soberanos, coube à Teoria Monetária Moderna (MMT, na sigla em inglês) oferecer a única explicação cabível …

por em

De Bolsonaro à Schützenfest, o tiro saiu pela culatra

A verdade é uma mensagem endereçada ao próprio enunciador. “Penso onde não sou.” A inversão de Jacques Lacan à máxima de René Descartes – Penso, logo existo – mostra o caminho da verdade do sujeito do inconsciente. A verdade não pode ser toda dita; ela aparece quando o sujeito da razão falha. E o melhor …

por em

As razões do elevado número de infecções e mortes por Covid-19 no Brasil

Durante os “Encontros Malraux” realizados em Brasília em 1997 homenageando o autor de “A condição humana” (1933) e Ministro da Cultura do governo Charles De Gaulle (1959-1969), um dos conferencistas do evento – o francês Jacques Rigaud – manifestou o seguinte: “Nós marcamos um encontro com o Brasil e o Brasil faltou… outros chegaram. Nossa …

por em

Desconstituição da política de cotas raciais em concursos

Nos últimos meses, universidades públicas estaduais da Bahia lançaram concursos para docentes do magistério superior. Surpreendentemente, os editais não aplicaram cotas raciais. Das quatro universidades, UESC e UESB não previram política de cotas raciais. UNEB e UEFS previram, contudo com aplicação das cotas sobre o número de vagas ofertadas por departamento que, por serem em …

por em

Guilhotina #164 – Luis Felipe Miguel

Bianca Pyl e Luís Brasilino entrevistam o cientista político Luis Felipe Miguel, autor do livro “Democracia na periferia capitalista: impasses do Brasil”, lançado em abril pela editora Autêntica. A obra analisa a trajetória da democracia em todo o mundo e em especial no Brasil e identifica as causas e aponta caminhos para sair da crise …

por em

O custo da cobertura midiática para a integração latino-americana

Em 24 de fevereiro de 2022 acordamos com a sensação de estar no século passado. Em tempos em que outros tipos de guerras – como a híbrida – são mais comuns, nos deparamos com imagens de investidas militares convencionais: tanques nas ruas, caças, bombas, mísseis, mortes e falta de diálogo. Ocorre que isso acontece em …

por em

O debate sobre desglobalização em meio à Guerra na Ucrânia

O atual conflito na Ucrânia colocou em tela um debate sobre a tendência à “desglobalização” nas relações internacionais. A disputa entre Rússia, Ucrânia e países da Otan promoveu uma escalada de sanções e restrições econômicas, políticas e sociais entre os lados envolvidos. Entretanto, as discussões sobre um eventual processo de desglobalização não podem ignorar dois …

por em

Nacionalismo, globalização e cidadania em Israel

A história de Israel como país teve como antecedente a entrega pelos ingleses da administração da Palestina à Organização das Nações Unidas devido ao recorrente e crescente conflito entre judeus, árabes e britânicos. Em 1947 a região foi dividida em dois Estados, um judeu e outro árabe, sendo que tal partilha agradou parcialmente o movimento …

por em

Guilhotina #163 – Vitor Filgueiras

Bianca Pyl e Luís Brasilino entrevistam o economista Vitor Araújo Filgueiras, autor do livro “‘É tudo novo’, de novo: as narrativas sobre grandes mudanças no mundo do trabalho como ferramenta do capital”, lançado no fim de 2021 pela Boitempo. A obra recupera o discurso empresarial propagado nos últimos 50 anos a favor da desregulamentação e …

por em

Miscelânea — Resenhas

GOVERNAR OS MORTOS: NECROPOLÍTICAS, DESAPARECIMENTO E SUBJETIVIDADE Fábio Luís Franco, Ubu Editora A pesquisa em filosofia, no Brasil, ainda está em estágio inicial de uma efetiva colaboração na produção de pensamento crítico sobre nossas próprias experiências originárias. O livro Governar os mortos representa um esforço no sentido de ultrapassar esse passivo. O cuidadoso trabalho é …

por em

Os pontos cegos do feminismo burguês europeu: raça e classe

O feminismo pode ser universal? As mulheres lutam em todas as partes do mundo contra a mesma forma de opressão? As feministas do Sul global e das ex-colônias discordam da universalidade do feminismo e adotam a virada decolonial, de acordo com a qual a colonização iniciou uma divisão internacional do trabalho com base nos critérios …

por em

David Bowie vai a leilão

Londres, fevereiro de 1968. Exuberante músico folk com formação em teatro e mímica, o jovem David Bowie recebe de sua gravadora a demo da canção “Comme d’habitude”, lançada alguns meses antes na França. A tarefa era importante: escrever a adaptação inglesa do sucesso francês, cuja versão gravada por Claude François acabava de chegar ao primeiro …

por em

A falsificação alimentar

No século XVIII, os açougueiros pouco escrupulosos enchiam de ar a carcaça de seus animais para aumentar o volume. Maquiavam a carne cinzenta utilizando corantes que, tal como a cochonilha, restituíam a cor vermelha mais bonita. Falsificavam as linguiças colocando carniça nelas. Os padeiros, por sua vez, misturavam de tudo à farinha do pão – …

por em

O espectro da fome

A guerra na Ucrânia vai provocar uma imensa crise alimentar no mundo? A questão está no ar desde o início da invasão do país pela Rússia, em 24 de fevereiro, pois diversos indicadores confirmam a gravidade da situação. Nos Estados Unidos, os valores do trigo no Chicago Mercantile Exchange – um dos locais de referência …

por em

Diante do colapso, o Líbano tenta proteger sua memória

“A cada manhã, ao despertar, é preciso buscar um sentido.” Ghassan Halwani, artista visual libanês, fuma um cigarro no balcão da Mansion, uma grande casa abandonada transformada em espaço cultural compartilhado em Zokak el-Blat, um bairro de Beirute distante do porto, epicentro da explosão de 4 de agosto de 2020 que matou mais de duzentas …

por em

Na Colômbia, um obstáculo chamado Medellín

Chegando pelo Aeroporto Internacional de Rionegro a Medellín, cidade com 2,5 milhões de habitantes, seguimos pelas frias montanhas do Oriente Cercano, área que abriga algumas das casas mais caras do país, incluindo a do ex-presidente Álvaro Uribe (que está sendo processado por corrupção e suborno a testemunhas). Ao longo do caminho, restaurantes elegantes, bares lounge …

por em

Como Pequim absorveu Hong Kong

Até hoje, Hong Kong tem funcionado como a porta de entrada da República Popular da China (RPC) na economia global, tanto do ponto de vista comercial como financeiro. Tendo se tornado uma Região Administrativa Especial (RAE) após ser devolvida pelo Reino Unido, em 1º de julho de 1997, a cidade ainda abriga parte do capital …

por em

A ONU corre o risco de morrer?

Nova York, Conselho de Segurança das Nações Unidas, 21 de fevereiro de 2022. Após ter condenado, como a maioria de seus homólogos, a agressão russa contra a Ucrânia, o embaixador do Quênia, Martin Kimani, estendeu seu propósito: “Além do mais, condenamos categoricamente a tendência observada nestas últimas décadas entre alguns Estados poderosos, incluindo aí membros …

por em

O Sul se recusa a se alinhar com o Ocidente na questão da Ucrânia

A Ucrânia é palco de um confronto planetário entre “democracia e autocracia”, como proclama o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, uma definição repetida pelos comentaristas e políticos ocidentais? Não, retruca a voz solitária do jornalista norte-americano Robert Kaplan, “ainda que isso possa parecer contra intuitivo”. Afinal, “a Ucrânia vem sendo há muitos anos uma …

por em

O complexo militar-intelectual

Domingo, 1º de abril de 2018. A guerra civil se alastra na Líbia desde a derrubada e o assassinato de Muamar Kadafi. Em uma turnê promocional de seu livro La guerre sans l’aimer [A guerra sem amá-la], o escritor e comentarista político francês Bernard-Henri Lévy falou a respeito da intervenção ocidental para a France Inter: …

por em

Quando o direito dos estrangeiros se torna a regra para todos

A ideia foi tão martelada durante a campanha presidencial francesa que seria possível não considerá-la verdadeira: a França seria um “saguão de estação ferroviária”, um “hotel” onde qualquer estrangeiro pode deixar no chão suas malas e se beneficiar de um sistema social generoso. “Todo mundo entra na França, ninguém sai”, indignava-se o presidente do Rassemblement …

por em

Três blocos, dois perdedores

O primeiro turno da eleição presidencial francesa prolonga a grande reviravolta do espaço político iniciada em 2017. Assistiu-se ao desenho de três grandes espaços de dimensões relativamente comparáveis entre si, cuja originalidade reside no fato de não se inscreverem, senão de forma muito imperfeita – para usar um eufemismo –, na antiga clivagem esquerda/direita. É …

por em

A recriação contemporânea da tecnologia de poder de Goebbels

Embora questões referentes à manipulação de valores e símbolos, à retórica como instrumento de disputa política e à tênue fronteira entre ocultação e veiculação de ideias acompanhem o que se entende por “política”, há importantes mudanças no cenário ideológico voltado à “tecnologia de poder”. Notadamente a partir do século XX, com a consolidação dos meios …

por em

Redes políticas e a política das redes

A internet, sobretudo as mídias sociais, abriu todo um novo espaço para campanhas políticas e, mais amplamente, para a ação política em geral. Se lembrarmos do início da segunda década dos anos 2000, por volta de 2011, encontraremos um discurso extremamente positivo sobre essas possibilidades que se abriam. Em especial o Twitter, mas também outras …

por em

Combate à desinformação não pode depender apenas das plataformas

De acordo com o Relatório Democrático V-Dem 2022, o ano de 2021 viu o surgimento de um número recorde, nos últimos cinquenta anos, de nações autocráticas. O extenso estudo aponta ainda para uma mudança na natureza dos governos autocráticos, que agora dependem mais da polarização e da desinformação. Em decorrência disso, a preocupação com a …

por em

“É hora da luta sair do papel”

Duas das maiores paixões dos brasileiros – o futebol e o Carnaval – têm se mostrado espaços de organização popular que se tornaram cada vez mais importantes não só em razão de sua politização, mas também porque as representações coletivas dos interesses das maiorias espoliadas e oprimidas têm sido combatidas sistematicamente pelo governo de extrema …

por em

O triunfo do cinismo

A reeleição de Emmanuel Macron conclui um duelo que uma maioria esmagadora dos eleitores esperava evitar. Ela anuncia um novo quinquênio sem ímpeto e sem esperança. O presidente que encerra o mandato se vê reconduzido por falta de alternativa. A maioria dos franceses avalia que seu balanço é ruim (56%), que há cinco anos a …

por em

Democracia: o poder é seu

A disputa pelo poder social, como o conhecemos, a partir da constituição oficial dos Estados Nacionais Modernos, coincide com o Iluminismo, que foi um movimento ideológico de crença absoluta na razão acima de tudo, inclusive da Natureza, uma visão parcial. No campo político, tivemos a separação entre os poderes, pelo filósofo francês Montesquieu (1689-1755) que …

por em

Presidencialismo monárquico com seu ar da graça

Nos Estado Unidos da América, após a renúncia do presidente Richard Nixon, ocasionada pelos escândalos do Watergate, o seu sucessor, presidente Gerald Ford, o concedeu total, livre e absoluto perdão presidencial. Dentre as justificativas do perdão, Ford ressaltou que um processo contra o ex-presidente “iria causar um debate prolongado e polêmico sobre a necessidade de …

por em

A reconstrução das instituições governamentais ambientais do Brasil

O Brasil precisa investigar os efeitos devastadores do backlash (retrocesso civilizatório) que vem sofrendo, especialmente em relação às instituições ambientais governamentais, que estão sendo atingidas por atrasos normativos e operacionais. Esse processo ocorre hoje no Brasil no governo de Jair Bolsonaro, repetindo o que ocorreu nos EUA na gestão de Donald Trump. Naturalmente esses retrocessos …

por em

Exu, Grande Rio e o paradoxo da encruzilhada

Mais do que vencedor do Carnaval do Rio de Janeiro de 2022, o desfile da Grande Rio foi intitulado, com absoluta justiça, um dos maiores do século. Nunca Exu havia sido protagonista de uma escola de samba. É que esse enredo provavelmente estava aguardando décadas, senão séculos de maturação, para que pudesse ser confeccionado e …

por em

Guilhotina #162 – Bia Barbosa e Jonas Valente

Bianca Pyl e Luís Brasilino conversam com os jornalistas Bia Barbosa e Jonas Valente, autores, junto com a pesquisadora Helena Martins, do livro “Fake news: como as plataformas enfrentam a desinformação”, realizado pelo Intervozes e lançado em 2021. A publicação traça um panorama da questão da desinformação e apresenta resultados de um estudo sobre como …

por em

Uma vitória amarga para o governo do Uruguai

Chegar ao referendo foi um trabalho árduo. A iniciativa eleitoral foi promovida por organizações sociais como a Central dos Trabalhadores Uruguaios (PIT – CNT), a Federação de Estudantes Universitários e a Feminista Intersocial, entre outras. E teve o apoio da principal força política da oposição, a coalizão de esquerda Frente Ampla (FA), que governou o …

por em

Lázaro Ramos e o absurdo no nível máximo

Dois homens mexiam em um registro de água diante de uma garagem, um rapaz com apenas uma perna tentava se equilibrar, amparado pela muleta, na calçada esburacada, e duas crianças corriam no pátio de terra batida em frente a uma lotérica. Naquele início de manhã havia um movimento quase frenético em todo o perímetro da …

por em

Entre o calendário, a experiência e o afeto

Em 28 de abril celebramos o Dia Mundial da Educação. Na correria do dia a dia, esta data passará por muitos como um simples colorido no calendário, um lembrete em letras miúdas na agenda ou uma breve abordagem na imprensa ou nas mídias sociais. Mas as efemérides seguem assinaladas, ano a ano, para avivar na …

por em

Guilhotina #161 – Daniel Feldmann e Fabio Luis Barbosa dos Santos

Bianca Pyl e Luís Brasilino recebem o economista Daniel Feldmann e o historiador Fabio Luis Barbosa dos Santos, autores do livro “O médico e o monstro: uma leitura do progressismo latino-americano e seus opostos”, lançado no fim de 2021 pela editora Elefante. A publicação apresenta as contradições (contenção aceleracionista, progressismo regressivo e neoliberalismo inclusivo) e, …

por em

Há uma guerra justa na Ucrânia?

A imprensa hegemônica brasileira tem veiculado um posicionamento maniqueísta sobre a guerra na Ucrânia, ressaltando a necessidade de uma forte reação do Ocidente contra a invasão promovida pela Rússia, demonstrando com detalhes os horrores sofridos pelo povo ucraniano fruto de uma empatia seletiva e elitista, a diáspora dentro do território europeu, mas com doses elevadas …

por em

Contexto político

O término do mês de março indicou muito como será o cenário eleitoral de outubro. Lula (PT) continuará na frente, no entanto terá Bolsonaro (PL) mais próximo das pesquisas. Por outro lado, a famigerada terceira via, que para mim nunca existiu, virou poeira neste mês de abril. Dória (PSDB) tem mais medo de Eduardo Leite …

por em

Instrumentalizada pela elite, a imprensa corporativa ameaça o interesse público

As fake news não são uma invenção das redes sociais como a desinformação deliberada difundida pela imprensa corporativa não é uma novidade que surgiu como método para universalizar a ideologia neoliberal. Mas ambos – as redes sociais e o neoliberalismo – amplificaram sua ação e seus efeitos. A despeito de termos como certo que o …

por em

Meritocracia estética e a Semana de Arte Moderna de 1922

A forte resistência às críticas à Semana de Arte Moderna é um sintoma de algo mais estrutural e que corre para além do regionalismo. O que está em jogo nisso que podemos chamar de mecanismo de defesa é a ideia de que existe uma meritocracia estética e que as pessoas que figuram o cânone da …

por em

Negar o sexual na infância diz o que sobre nós?

Por muito tempo, acreditou-se que a infância era uma etapa de um processo linear, claro e ordenado em direção à fase adulta. Essa ideia, alinhada a teorias de cunho desenvolvimentista e a teóricos como Piaget, é pautada no argumento de que a criança atinge marcos cognitivos a cada faixa etária. Philippe Ariès, em seu notório …

por em

A morte é o dilema do nosso tempo

Como desejo e como guerra, como horror e como cotidiano, como lamento e como vitória, a morte retorna ao nosso tempo como seu grande dilema. Agora morrer não é somente a consequência do método histórico dos estados, paridos dos seus próprios exércitos, mas é também parte da coleção de normalidades da vida ordinária. Se ditaduras, …

por em

A urgência por marcos de memória do esporte e da cultura popular no Brasil

Sob refletores e flashes de um Maracanã com ingressos esgotados, Caetano Veloso foi um dos encarregados de encerrar a cerimônia de abertura das Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016. Se no ápice da apresentação que inaugurou o evento a luminosidade colocava em evidência o cantor aos olhos do mundo, quase meio século antes a …

por em

Centrão sai fortalecido e aposta na competitividade de Bolsonaro

Diferentes mídias têm se dedicado a retratar a movimentação recente de parlamentares entre partidos no que se convencionou chamar de “janela partidária” – período de trinta dias, seis meses antes da eleição para cargos proporcionais, em que se abre a possibilidade para que os eleitos para esse tipo de cargo mudem de partido sem perda …

por em

Alain Delon e o suicídio assistido

Algumas pessoas receberam com perplexidade a notícia de que o ator francês Alain Delon decidiu que chegou seu momento de partir para sempre. Em outras palavras e sem minimizar ou florear o relato: ele decidiu que chegou seu momento de morrer e anunciou aos fãs sua despedida. O filho do ator declarou publicamente que o …

por em

Guilhotina #160 – Valéria Gomes Costa

Bianca Pyl e Luís Brasilino entrevistam a historiadora Valéria Gomes Costa, autora do livro “Òminirá: mulheres e homens libertos da Costa da África no Recife (1846-1890)”, publicado no fim de 2021 pela editora Alameda. A obra reconstrói, a partir das trajetórias de vida, as experiências de libertos que conseguiram algum prestígio no Recife do século …

por em

Nosso planeta, nossa saúde

Em 2022, o dia 7 de abril amanhece tingido pela dor do planeta inteiro. Após mais de dois anos da pandemia de Covid-19, as sequelas dessa tragédia sanitária ainda se arrastam e se somam a outros graves problemas de saúde em escala global. No Dia Mundial da Saúde, temos pouco a comemorar, mas muito para …

por em

A nova Ordem Internacional Policêntrica

A queda do muro de Berlim em 1989 e o desmantelamento da URSS em 1991 deram lugar ao fim da Ordem Internacional Bipolar que imperou sobre o mundo durante quase meio século. Como “Ordem Internacional”, podemos entender, a partir da literatura da História das Relações Internacionais, essencialmente, um determinado conjunto (em movimento) reunindo normas, instituições …

por em

Colapso da confiança

Em junho de 2017, Miriam Leitão publicou em sua coluna que havia sido assediada por militantes petistas num voo comercial de Brasília para o Rio de Janeiro. Havia se passado pouco mais de um ano do golpe de 2016, que a Globo e a jornalista tinham endossado, e, por coincidência, o voo 6237 da Avianca …

por em

Os bons ares da democracia ambiental

O Brasil não pode prescindir de um estado de governança ambiental democrática. É preciso contemplar as determinações constitucionais de plena participação social para a área ambiental. Há exemplos que respiramos em nosso dia a dia. Durante anos, o processo de atualização dos padrões de qualidade do ar no Brasil foi debatido no Conselho Nacional de …

por em

Educação em falta: só culpa da pandemia?

Após o retorno às aulas de forma presencial em sua totalidade, a defasagem no aprendizado se fez notável, afinal, ao mesmo tempo que a chamada geração Z é digital, não são capazes de se concentrar e usufruir do ensino remoto. No entanto, o que mais chama a atenção de nós educadores vai além disso. Nunca …

por em

O choque dos preços do petróleo no Brasil

Os aumentos dos preços dos combustíveis, desde 2021, vêm assustando os brasileiros, mas não só os motoristas. Com razão, os impactos afetam toda a economia nacional, chegando diretamente ao bolso dos cidadãos pelo aumento quase generalizado dos custos, destacando-se os dos transportes de pessoas e de produtos que compramos, além da produção dos alimentos. Todos …

por em

Miscelânea — Resenhas

VÃO: TRENS, MARRETAS E OUTRAS HISTÓRIAS Jéssica Moreira, Patuá A escrita de Jéssica Moreira é visceral. No livro, seus poemas e crônicas sobre a rotina dos trens de São Paulo são intercalados por fotografias em preto e branco apresentadas nessa edição da Patuá. O projeto gráfico de Michele Gonçalves merece destaque, especialmente o índice, organizado …

por em

Tango e política

O tango, sem dúvida, é uma dança. E também uma música, um canto, uma poesia. Normalmente atribuímos sua origem, de maneira mais ou menos vaga, à Argentina. Entretanto, ao vermos casais desenhando no espaço uma espécie de coreografia do desejo sublimado, muito raramente nos perguntamos como ele nasceu e, menos ainda, se sua história tem …

por em

De repente, os Estados Unidos voltam a sorrir para a Venezuela

“É mais ou menos como em Star Wars, quando Darth Vader estrangula alguém. É o que fazemos com um regime no plano econômico.” As declarações de John Bolton no canal Univision, em 22 de março de 2019, quando ele era conselheiro de Segurança Nacional dos Estados Unidos, tinham a intenção de explicar a estratégia do …

por em

No Egito, a modernização passa pelos faraós

Na rodovia El-Orouba, que liga o aeroporto do Cairo ao centro da cidade, enormes anúncios apresentam, um após o outro, não apenas as maravilhas da Coca-Cola e das agências imobiliárias, mas também as da Esfinge, das múmias milenares, da imponente figura de Tutancâmon e do marechal-presidente Abdel Fattah al-Sisi, em uma montagem com as pirâmides …

por em

O bom artista…

“Se a arte não tem pátria, os artistas a têm.” No início da Primeira Guerra Mundial, o francês Camille Saint-Saëns, compositor do Carnaval dos Animais (1886), foi taxativo: morto ou vivo, soldado de infantaria em ação ou glória dos séculos passados, o inimigo continua sendo o inimigo.1 Nada de neutralidade usando a arte como pretexto. …

por em

A panela russa

Quando colocamos uma panela de água fria no fogo, a princípio nada acontece. Ou melhor, nada parece acontecer. As moléculas aumentam de temperatura sem apresentar nenhuma reação, até atingirem 99 °C. E então, de repente, tudo muda e bolhas aparecem: apenas um grau a mais leva a uma mudança de natureza. O mundo acaba de experimentar …

por em

Cortina sombria

As guerras nunca são propícias à livre circulação das informações (ver pág. 20). Por ocasião da invasão da Ucrânia, em 24 de fevereiro, o poder russo acabou de dar um exemplo especialmente grave. Emenda ao código penal adotada em 4 de março determina que um cidadão está sujeito a três anos de prisão se ousar …

por em

O rearmamento alemão

“A Bundeswehr, a Força Armada que dirijo, está mais ou menos sem recursos […]. Eu estou furioso!”: a mensagem postada na rede LinkedIn pelo general Alfons Mais, algumas horas depois da invasão russa da Ucrânia, era inabitual, mas sem ambiguidade: “As opções que podemos oferecer aos políticos para apoiar a Otan são extremamente limitadas”. Isso …

por em

Neutralidade, uma arma pela paz

“A menos que o mundo desabe numa catástrofe, apenas um regulamento político poderia restabelecer a paz. […] O acordo teria por objeto estabelecer e garantir a neutralidade dos povos da Indochina e seu direito de dispor de si mesmos tais quais são efetivamente, e cada um sendo inteiramente responsável por seus próprios negócios.” Em seu …

por em

Equilibrismo geopolítico

Se os dirigentes chineses acharam que teriam algum descanso com os Estados Unidos focados na Europa, a acusação contra Pequim feita pelo conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca, Jake Sullivan, em 14 de março, foi um banho de água fria. Na véspera de seu encontro com o mais alto diplomata das Relações Exteriores da …

por em

Evento total, crise editorial

“Jornalistas, apresentadores, cronistas, repórteres, estejam no cenário da guerra ou em Paris, no coração da atualidade, todos unidos e solidários pela Ucrânia.” Esse anúncio da France Télévisions de 4 de março de 2022 resume a midiatização na França das duas primeiras semanas da guerra conduzida pela Rússia na Ucrânia. Não se trata mais de informar, …

por em

Quem são os falcões russos?

Em 26 de fevereiro de 2022, dia de seu 84º aniversário, o escritor russo Aleksandr Prokhanov deu uma entrevista ao vivo da cabine de um avião de ataque que sobrevoava a Ucrânia. Debaixo de seus olhos, seu sonho de reconstituir o império soviético tomava forma na violência: “Estou sobrevoando a terra negra ucraniana que os …

por em

Os dilemas da soberania

Imagem impressionante: em 10 de março de 2022, sexta-feira, na galeria das batalhas do Palácio de Versalhes, os presidentes do Conselho Europeu (o belga Charles Michel), da República francesa (Emmanuel Macron) e da Comissão Europeia (a alemã Ursula von der Leyen) prestam contas à imprensa sobre as decisões tomadas pelos 27 chefes de Estado e …

por em

Confusão total no mercado de petróleo e gás

Mirar na “principal artéria da economia” ao proibir as importações de petróleo, gás natural e outros produtos energéticos da Rússia: essa foi a estratégia adotada em 6 de março pelos Estados Unidos para punir Moscou depois da invasão militar da Ucrânia.1 “Não participaremos do financiamento da guerra de [Vladimir] Putin”, declarou o presidente Joe Biden …

por em

A ameaça de guerra nuclear

Todo mundo notou o tom da resposta: seco, para não dizer irritado. “Parem de história! Essa ideia de que vamos enviar [para a Ucrânia] equipamentos ofensivos, aviões e tanques… Digam o que disserem, seja quem for, isso seria a Terceira Guerra Mundial.”1 Em 11 de março de 2022, rejeitando vigorosamente as sugestões de políticos e …

por em

A ética miliciana e o espírito do capitalismo extrativista

“A voz do Esquadrão da Morte ao povo da Guanabara: muitos dos nossos já tombaram vítimas de assaltantes e criminosos sanguinários. O povo é testemunha que esses bandidos não respeitam crianças, velhos, senhoras e trabalhadores. Assaltam e matam sem nenhuma piedade. Nós trabalhamos apenas com uma intenção: defender a família que mora e trabalha neste …

por em

Racismo, segurança pública e bolsonarismo

A eleição de Jair Bolsonaro, em 2018, representou a vitória de um programa político de sucateamento dos serviços públicos, estímulo à violência e erosão das estruturas democráticas. Formado no submundo do fisiologismo autoritário de setores conservadores das forças de segurança, o projeto político liderado pelo atual presidente representou a consagração de um discurso miliciano sobre …

por em

Bolsonaro, entre a expectativa e a realidade

Há uma dissonância entre expectativa e realidade quando se discute a política de segurança pública do governo de Jair Bolsonaro. A expectativa de alguns setores da sociedade brasileira com a eleição do ex-capitão do Exército em 2018 concentrava-se sobretudo no combate à corrupção, reforçada pela indicação de Sergio Moro ao Ministério da Justiça e Segurança …

por em

A crise civilizatória e a mídia contra-hegemônica

Partimos da ética, de valores que foram consagrados como universais e construídos como um pacto para enfrentar a barbárie que a humanidade vivenciou ao longo da Segunda Guerra Mundial. Os direitos humanos são normas que os 193 países que integram as Nações Unidas assumiram para reconhecer e proteger a dignidade de todos os seres humanos. …

por em

Uma eleição espinhosa

Mesmo que várias reviravoltas tenham ocorrido nos últimos cinco anos e que a política do presidente francês, Emmanuel Macron, não possa se orgulhar de nenhum sucesso real, sua reeleição parece o cenário mais provável: a extrema direita, mais forte que nunca (cerca de 30%), está dividida entre dois candidatos, ambos com pouca probabilidade de derrotar …

por em

Os povos indígenas, as eleições e a luta institucional político-partidária no Brasil

A luta institucional, por meio da disputa político-partidária e eleitoral, é um instrumento estratégico cada vez mais valorizado e utilizado pelos povos indígenas no Brasil. O processo eleitoral municipal de 2020 foi o de maior participação indígena na história de nosso país. De acordo com dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), foram 2.111 candidatos indígenas, …

por em

Mineração em Terras Indígenas para uma pretensa necessidade nacional

No dia 09 de março de 2022, a Câmara dos Deputados aprovou a urgência para votação do Projeto de Lei nº 191/2020, que tem o intuito de permitir a prática de mineração em Terras Indígenas. Em termos práticos, a aprovação do requerimento de urgência apresentado pelo líder do governo, o deputado federal Ricardo Barros (PP-PR), …

por em

Quando os trending topics são trending places

Discussões sobre movimentos sociais tendem a despertar debates acalorados. Seja do ponto de vista dos atores envolvidos, seja do ponto de vista dos pesquisadores, a tendência tem sido a de fundir as demandas trazidas por eles com as expectativas dos seus observadores e analistas. Por muito tempo, a pesquisa sobre movimentos sociais esteve atrelada à …

por em

Uma mercadoria

Pela porta entreaberta, pude ver uma travesti, negra, com roupas maltrapilhas, levando as mãos à testa, deslizando-as pelos cabelos, puxando-os para trás, nervosa. Em frente, dois policiais militares, em posição de guarda. O supermercado estava movimentado para aquele início de noite de domingo, quando normalmente poucas pessoas o frequentam, e eu acabara de passar pelo …

por em

Alimentação adequada, uma agenda urgente

A alimentação inadequada no Brasil é um problema de grandes proporções. Nosso país é um exemplo, infelizmente, das enormes contradições que atravessam essa agenda nos dias de hoje. Por um lado, temos mais da metade da população com alguma dificuldade para se alimentar, sendo que cerca de 20 milhões de pessoas passam fome, apesar de …

por em

Guilhotina #158 – Christian Dunker

Bianca Pyl e Luís Brasilino recebem o psicanalista Christian Dunker. Ele está lançando pela Boitempo o livro “Lacan e a democracia: clínica e crítica em tempos sombrios”, obra em que se debruça sobre os conceitos do psicanalista francês Jacques Lacan para diagnosticar o processo de corrosão da democracia em curso, especialmente no Brasil. Conversamos sobre …

por em

Sionismo e antissemitismo

O neonazismo está na ordem do dia. Em fevereiro, o podcaster Monark defendeu a existência de um partido nazista, o que mobilizou o debate nacional por aqueles dias. Logo depois irrompeu a guerra na Ucrânia, quando nos tornamos mais familiarizados com as organizações neonazi naquele país – e nos demos conta de que uma delas, …

por em

O Brasil precisa dos Correios

Em abril de 2021, o governo Bolsonaro incluiu a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) – os Correios – no Programa Nacional de Desestatização. Os Correios possuem cerca de 100 mil funcionários atuando em todo o território brasileiro, nas cidades, vilas e distritos, somando mais de 6 mil pontos de atendimento. Em 2021, os …

por em

STF reage ao desastre ambiental provocado pelo governo Bolsonaro

“A tarefa medular do Estado social contemporâneo nos sistemas políticos instáveis não é unicamente fazer a Constituição, mas cumpri-la.” Paulo Bonavides, em Curso de Direito Constitucional   O Supremo Tribunal Federal (STF) parece estar acordando para o desastre ambiental que se instalou na área ambiental brasileira durante a gestão Bolsonaro. Irá julgar, em dia 30 …

por em

Ideologias e cidadania na Rússia

Encontra-se registrado na história que o império russo, no final do século 19, era gigantesco, haja vista que possuía mais de 22 milhões de quilômetros quadrados. Agregava imensas áreas da Europa oriental, do Norte e centro da Ásia. Possuía ainda uma região na América, o Alasca, que neste mesmo século foi vendida para os Estados …

por em

Guilhotina #157 – Leonardo Foletto

Bianca Pyl e Luís Brasilino entrevistam o jornalista Leonardo Foletto, autor do livro “A cultura é livre: uma história da resistência antipropriedade”, publicado em 2021 pela editora Autonomia literária, em parceria com a Fundação Rosa Luxemburgo. A obra trata da ideia de cultura livre dos gregos ao digital, passando pelo surgimento da imprensa, dos direitos …

por em

Correção de curso

Nove entre dez manchetes do conflito russo-ucraniano mencionam o nome de Vladimir Putin. Sucesso midiático desde sua estreia na política, em 1999, o então diretor do serviço de inteligência promovido a primeiro-ministro aprendeu rapidamente a valer-se da comunicação e da violência para atingir seus objetivos políticos. O primeiro deles foi continuar sua escalada de poder …

por em

A Rússia e a China na guerra contra o Ocidente

A guerra na Ucrânia e o consequente bloqueio econômico total da Rússia levado a cabo pelo Ocidente é o maior choque na política mundial desde, pelo menos, o fim da Guerra Fria. Do ponto de vista da unificação ocidental e aplicação das sanções, poderíamos dizer que já vivemos uma atmosfera de Terceira Guerra Mundial contra …

por em

A dupla dinâmica migratória não é contemplada pelo governo brasileiro

Enquanto a invasão russa na Ucrânia já gerou 3 milhões de refugiados de guerra na Europa, a legislação repressiva do governo Putin contra ativistas anti-guerra tem provocado o êxodo de milhares de russos. Neste texto faço uma breve análise da dupla dinâmica migratória que surge na Europa com a guerra na Ucrânia, destacando dois movimentos …

por em

Os conflitos “ignorados”

O clima de tensão e instabilidade deixa na boca o gosto amargo do medo. Pelas ruas, poeira e escombros. Não se ouve mais o som dos pássaros, somente o silêncio ensurdecedor que pode a qualquer momento se converter em altíssimos e mortais decibéis. O som seco dos tiros e as explosões que fazem tremer os …

por em

A indústria de semicondutores na guerra contemporânea: as sanções dos EUA

Os semicondutores são os blocos construtores das modernas tecnologias da informação e comunicação (TIC). Eles incluem desde os componentes mais simples, como sensores, até os circuitos integrados ou chips, como processadores e memórias. Substitutos das válvulas termiônicas, tecnologia que predominou no universo dos eletrônicos até meados do século XX, os semicondutores permitiram a miniaturização dos …

por em

Bitcoin: a utopia tecnocrática do dinheiro apolítico

O livro busca captar, a partir de uma análise acurada sobre o bitcoin, aspectos fundamentais da dinâmica do capitalismo em sua forma neoliberal, no contexto de sua crise contemporânea. Se em Finança Digitalizada (2016) Edemilson Paraná analisou a relação entre o desenvolvimento das Tecnologias de Informação e Comunicação e a reconfiguração do capitalismo contemporâneo, sobretudo …

por em

O calcanhar de Aquiles das democracias autoritárias

A comunidade internacional escolheu o último 25 de fevereiro para unificar esforços em favor de Julian Assange. O ciberativista australiano, fundador do WikiLeaks, é um preso político desde 2010. Após viver asilado na Embaixada do Equador em Londres durante sete anos, o mais famoso e perseguido programador de computador deste século foi, após autorização da …

por em

A guerra na Ucrânia, as outras e a saúde global

A guerra na Ucrânia vem sendo exaustivamente divulgada, discutida e eventualmente explicada em todas as mídias sociais do Brasil e do mundo. Suas consequências geopolíticas, econômicas e sociais também têm sido exploradas por especialistas de todos os campos do conhecimento e quadrantes geográficos. Entretanto, uma dimensão tem escapado deste debate abrangente:  a questão da saúde. …

por em

Ofuscamentos das tensões pelo fetiche estatal na guerra da Ucrânia

Uma ideia muito conhecida de Marx diz que, se a essência do real coincidisse com a aparência, toda investigação científica seria obsoleta. Nos últimos tempos, diante dos acirramentos das tensões que envolvem não apenas a Rússia e a Ucrânia, mas uma nítida afronta à supremacia ocidental, nunca foi tão necessário entender a complexidade do jogo …

por em

Por que, para o realismo internacional, é compreensível o que Putin está fazendo?

Sob o ponto de vista humanista, liberal-cosmopolita ou do Direito Internacional, não é possível defender ou compreender a invasão da Ucrânia por parte da Rússia. No primeiro caso, porque a guerra fere a dignidade e vida humanas, que valem mais do que qualquer outra coisa. No segundo, porque o conflito armado não faz sentido em …

por em

A Ucrânia, os direitos humanos e o cinismo Ocidental

De uma hora para a outra os EUA e a União Europeia (UE) foram tomados pelos mais nobres dos sentimentos: a defesa dos diretos humanos. Os mesmos que são negados, por exemplo, à população palestina que desde 1967 sobrevive com a ocupação ilegal israelense em seus territórios e sofre bombardeios contra a população civil na …

por em

Nova velha ordem internacional e as interpretações da invasão

Este artigo busca, a partir da invasão da Ucrânia pelo Estado da Rússia, refletir brevemente sobre três questões relativas à forma como vem se desenvolvendo o evento e vem sendo encaminhadas suas análises, relevando alguns elementos teóricos do pensamento em relações internacionais. Dado o caráter prescritivo e interdisciplinar dessa área de conhecimento, uma multifacetada leva …

por em

Guilhotina #156 – Cris Faustino, Elisangela Soldateli e Lisbet Julca

Bianca Pyl e Luís Brasilino recebem três convidadas neste novo episódio: a assistente social Cris Faustino, a jornalista Elisangela Soldateli Paim e a cientista política Lisbet Julca. A Elis é a organizadora e a Cris e a Lisbet são autoras de artigos do livro “Resistências e re-existências: mulheres, território e meio ambiente em tempos de …

por em

Não existe desastre natural

Quando sugeri aos editores do Le Monde Diplomatique Brasil a publicação da tradução abaixo, a intenção era chamar a atenção para a forma como o autor mobiliza criticamente a análise sobre os “desastres naturais”. Isso aconteceu logo após as recentes chuvas em Petrópolis e sua pertinência para o contexto brasileiro já parecia suficientemente óbvia. O …

por em

Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos não utiliza verba disponível para o combate à violência de gênero

O Brasil registrou um caso de feminicídio a cada seis horas e meia, em 2020. Ao todo, foram registrados 1.350 casos em um ano. Segundo o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, os casos de homicídio motivados por questões de gênero subiram em 14 das 27 unidades federativas do país – sendo os mais acentuados os …

por em

Acabar com o agronegócio para destruir o capitalismo

A questão ambiental (ecossocialismo) deve ser o carro chefe das discussões revolucionárias. Acredito que a queda do sistema convencional do agronegócio deva ser o pilar da luta anticapitalista/neoliberal. Explico. É com ela que conseguiremos situar e contextualizar a luta de classes que vivemos, mas nem todos conseguem – ou querem – enxergar. Nós, trabalhadores e …

por em

As guerras e a produção da vida nua

O ano de 2022 já mostrou ao que veio. E não está à passeio. Precisou pouco mais de dois meses para eclodir um conflito europeu, bélico, em que de um lado está uma superpotência nuclear e do outro um pequeno país que acenava à Otan. A mídia internacional deita em berço esplêndido e noticia diuturnamente …

por em

Debate sobre a Ucrânia apaga papel do capitalismo no conflito

Explicações convencionais e comentários públicos que tentam explicar as guerras como meras disputas entre Estados buscando poder e território não são suficientes para entender os conflitos internacionais dos últimos dois séculos. No jogo de xadrez geopolítico, as peças são movimentadas primordialmente para defender interesses econômicos. Não é possível interpretar os objetivos de um Estado como …

por em

Governo e Congresso na contramão do meio ambiente

A agenda ambiental do governo Bolsonaro é clara desde a campanha eleitoral de 2018. Em pleno 2022, contudo, ela ainda é capaz de causar espanto e indignação, tamanho o nível de destruição a que se propõe. Sem pauta positiva sobre o tema, o governo e, mais recentemente, o Congresso têm desempenhado papel ativo na flexibilização …

por em

Resistências e re-existências: mulheres, território e meio ambiente

Em um contexto de violações e violências, de perda de direitos e conquistas democráticas, a publicação de Resistências e re-existências: mulheres, território e meio ambiente, escrita por mulheres negras, quilombolas, sem-terra, sem teto, feministas, agroecólogas e indigenistas, de diversas regiões do país, do campo e da cidade, sem dúvida nos traz um alento. Organizado pela …

por em

Proteção ambiental da Mata Atlântica

Para aqueles que optam por evitar se envolver na política eleitoral, não é tarefa simples continuar essa prática diante das posturas e políticas grotescas do atual presidente. Por um lado, me parece que presidentes fazem menos em termos de política real e mais em termos de ‘vender’ ao público em geral e fabricar apoio para …

por em

Bovespa em máxima histórica, PIB em frangalhos

Quem acompanhou as notícias econômicas dos últimos anos fica sem saber por onde começar a interpretar as coisas. O PIB brasileiro vive a pior década em 120 anos, já o índice Ibovespa, diferentemente, segue crescendo forte desde 2016, alcançando máxima histórica em 2021. Difícil não perguntar, como conectar pontos tão contraditórios? Para compreender o novo …

por em

Impactos sociais e ambientais da guerra

A ganância envenenou a alma do homem, criou uma barreira de ódio, nos guiou no caminho do assassinato e do sofrimento. Charlie Chaplin em O grande ditador   Guerra é desequilíbrio civilizatório. O musicólogo Henry Barraud dizia que o século XX seria conhecido como “o século da barbárie armada da tecnologia”. Depois de duas guerras …

por em

Guilhotina #155 – Yussef Campos

Bianca Pyl e Luís Brasilino conversam com o historiador Yussef Campos, autor, com Ailton Krenak, do livro “Lugares de origem”. A publicação, lançada no fim de 2021 pela editora Jandaíra, traça um diálogo entre os autores sobre a trajetória dos povos indígenas e as noções de patrimônio cultural no Brasil. Durante a Assembleia Constituinte de …

por em

Miscelânea — Resenhas

REDES E RUAS: MÍDIAS SOCIAIS E ATIVISMO CONTEMPORÂNEO Paolo Gerbaudo, Funilaria A obra analisa os protestos de 2011, a partir da Primavera Árabe, dos indignados na Espanha e do Occupy Wall Street nos Estados Unidos. Paolo Gerbaudo, professor do King’s College de Londres, já indicava, ainda no calor dos acontecimentos, que aquele fenômeno era mais …

por em

“A ditadura me formou na carne e mudou a minha vida”

Marieta Severo tem vivido sentimentos difusos quando olha para a situação cultural e política do país. Pessoalmente, celebrar os quinze anos do Teatro Poeira, mantido por ela e pela atriz Andréa Beltrão, no Rio de Janeiro, com uma exposição que se encerra em março é motivo de emoção. “Choro de alegria com essa homenagem.” Ao …

por em

A internet em quilombos e áreas rurais do Nordeste

Quando o Brasil registrou os primeiros casos de contaminação por Covid-19, as famílias do quilombo Sumidouro, em Queimada Nova, Piauí, estavam em processo de negociação com empresas responsáveis por megaempreendimentos de energia eólica que, há alguns anos, têm provocado uma série de ameaças socioambientais. Com as medidas de distanciamento social, as reuniões passaram a ser …

por em

O niqab no país dos sovietes indianos

A imagem causa algum espanto. Sentadas em um ponto de ônibus, três mulheres de niqab conversam em frente a um enorme retrato de Che Guevara. Cobertas da cabeça aos pés com um tecido preto, as mãos enluvadas e o rosto oculto, elas só se deixam distinguir pelos olhos. Afixadas no abrigo do ponto de ônibus, …

por em

O retorno dos five eyes diante do avanço chinês

Durante muito tempo existiu uma aliança invisível envolvendo os dirigentes dos países aliados. Somente em 1973, por ocasião de uma crise constitucional, o primeiro-ministro australiano na época, Gough Whitlam – que modernizou seu país, abolindo a White Australia Policy (a política racial de imigração que só autorizava europeus brancos a imigrar), retirando seus soldados do …

por em

Ilha da Reunião: é preciso partir para assegurar o futuro?

A estrada nacional que circunda a Ilha da Reunião por 210 quilômetros liga as principais cidades, construídas ao longo da costa. Ao entrarem na capital, os motoristas não podem deixar de ver a placa “Sin Dni”. Desde 2010, a escrita em crioulo reunionense foi afixada abaixo do nome em francês: “Saint-Denis”. A iniciativa segue a …

por em

É preciso temer a inflação?

Há alguns anos, uma palavra desconhecida da maioria das pessoas surgiu no debate público: “deflação”, um fenômeno cujo espectro parecia gelar a espinha dos economistas de ambos os lados do Atlântico. Caracterizada pela queda simultânea dos preços e dos salários, bem como pela queda do investimento e da atividade, a deflação ameaçou, na esteira da …

por em

Nos Estados Unidos, uma Corte supremamente política

Washington, 9 de abril de 2021. Um caminhão percorre as ruas do bairro do Capitólio e estaciona diante dos degraus da Suprema Corte. Traz cartazes com uma mensagem brutal, endereçada ao decano da instituição: “Breyer, dê o fora!”. Financiada por um grupo ligado ao Partido Democrata, a campanha tenta convencer o juiz octogenário Stephen Breyer, …

por em

Retirada norte-americana vai durar seis meses…

A evolução recente da política externa dos Estados Unidos parece tão paradoxal que numerosos comentaristas já não sabem o que dizer: por um lado, a retirada apressada e confusa das tropas do Afeganistão alimentou a suspeita de uma grande potência em declínio, que não hesita em abandonar seus compromissos internacionais; por outro, sua resposta vigorosa …

por em

Sanções e guerra no conflito ucraniano

“Se Putin invadir, quero que saiba uma coisa: vai ter problemas para comprar um refrigerante em uma máquina de venda automática cinco minutos depois”, declarava aos jornalistas o político democrata Seth Moulton, em visita a Kiev no fim de dezembro de 2021. No início de janeiro,1 os membros de seu partido apresentaram um projeto de …

por em

Síria e Iraque: civis são as principais vítimas dos bombardeios

Em junho de 2014, os Estados Unidos lançaram uma campanha de bombardeios aéreos no Iraque e na Síria com o objetivo de aniquilar as forças militares do “califado” proclamado pelo Estado Islâmico (Daesh, na sigla em árabe), antes de formar, alguns meses depois, uma coalizão internacional composta de 74 países. Paralelamente, em setembro de 2015, …

por em

Protestos de caminhoneiros no Canadá e no Brasil

Os princípios da liberdade estão sendo subvertidos por extremistas de direita em todo o mundo. Dos Estados Unidos ao Brasil, do Canadá à Turquia, a liberdade tornou-se um novo código para empoderar reacionários antidemocráticos que reduzem a liberdade ao discurso do interesse próprio, numa rejeição explícita aos valores democráticos e ao contrato de bem-estar social. …

por em

Sede de reformas na América Latina

Quando a Covid-19 desembarcou na América Latina, a região estava completamente indefesa. O vírus se deparou com sistemas de saúde privatizados e hospitais públicos subfinanciados, consequência da volta de governantes neoliberais ao poder desde meados dos anos 2010. A pesquisa e o desenvolvimento, totalmente negligenciados, recebiam apenas 0,8% do PIB, ou seja, três vezes menos …

por em

Da Constituinte ao governo Bolsonaro

O Centrão pode ser definido como um bloco suprapartidário, pragmático e conservador, sem orientação ideológica precisa, mas com maior afinidade com a ideologia de centro-direita, que se organiza para obter recursos do orçamento para suas bases eleitorais e cargos para seus aliados políticos em troca de apoio ao governo em exercício como forma de garantir …

por em

O Centrão na Câmara e o governo Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro foi eleito em 2018 com uma narrativa de enfrentamento da “velha política” e, por extensão, do chamado Centrão – uma agremiação com pouca identidade ideológica, marcada por fisiologismo e alinhamento à direita do campo político do Congresso, hoje constituída por PP, PL, Podemos, Pros, PSD, PTB, Republicanos, Solidariedade, Avante e Patriota, …

por em

Destruição a mando dos Estados Unidos

Sérgio Moro foi uma peça-chave na guerra econômica praticada pelos Estados Unidos contra as empresas brasileiras que competem com as multinacionais norte-americanas. Essa guerra é mundial, não ocorre só no Brasil, e tem abatido empresas europeias e latino-americanas. Por vezes, essa guerra se estende a governos que buscam maior autonomia, tentando escapar do controle do …

por em

“Abuso institucional”

A digitalização em marcha forçada do acesso aos serviços públicos se aplica agora a procedimentos tão indispensáveis quanto um pedido de certidão de casamento, o pagamento de um imposto e a obtenção de uma autorização de residência. Ora, a obrigação de recorrer à internet nessas áreas e em muitas outras ligadas à vida cotidiana (viagens, …

por em

Guilhotina #154 – Mariléa de Almeida

Bianca Pyl e Luís Brasilino conversam com a historiadora Mariléa de Almeida, autora do livro “Devir quilomba: antirracismo, afeto e política nas práticas de mulheres quilombolas”, lançado em fevereiro pela editora Elefante. O trabalho, desdobramento da sua tese de doutorado defendida na Unicamp em 2018, parte de visitas e entrevistas com mulheres quilombolas do estado …

por em

Pautas identitárias, sim! Qual o problema?

Em tempos de eleições presidenciais ou legislativas, vira e mexe verificamos a tentativa de desqualificação das pautas das mulheres e de grupos historicamente discriminados: LGBTQIA+, imigrantes, negros, refugiados, entre outros. Já fomos acusadas de dividir a classe trabalhadora, quando a gente só vem somar. Tentam secundarizar nossa luta ao classificar de pautas específicas, ou seja, …

por em

Bolsonaro beija Stalin e no dia seguinte Mussolini

Um dia após homenagem a comunistas na Rússia, o presidente Jair Bolsonaro (PL) usa lema fascista na Hungria — “Deus, pátria, família e liberdade” — durante encontro em 17 de fevereiro com o premiê Viktor Orbán, um dos principais representantes da extrema-direita na Europa. O lema é da Ação Integralista Brasileira (AIB), movimento criado em …

por em

A parceria estratégica entre Moscou e Beijing

O encontro entre Vladimir Putin e Xi Jinping em fevereiro de 2022 deve ser visto como histórico sob o ponto de vista geopolítico e estratégico. Marca o “fim do Pós-Guerra Fria” iniciado em 1989 com a desagregação do então chamado bloco socialista e, em dezembro de 1991, com a extinção da União Soviética. Durante a …

por em

No princípio era o estupro

Em 1929, em Mal-estar na civilização, Freud previu que o desenvolvimento da psicanálise passaria pela elaboração das “patologias das comunidades culturais”. Durante quase cem anos, fixou-se a ideia de que “o inconsciente guarda os restos não escritos e não elaborados dos traumas históricos […]. O recalcado se transmite e produz efeitos que só depois serão …

por em

A escolta

“Bom dia! Ficarei pronto em 15 minutos, como combinado. Vou direto ao Fórum. Sairei apenas para o almoço, logo retornando para o gabinete. À tarde, devo ir até o presídio, novamente retornando ao Fórum, onde permanecerei até à noite. Em seguida, farei a palestra na universidade e só depois vou para casa, o que deve …

por em

A devastação da pecuária irresponsável na Amazônia

A Amazônia, que em sua porção brasileira já perdeu 20% de vegetação, está próxima do tipping point. A principal causa do desmatamento continua sendo a pecuária predatória praticada, principalmente, nas chamadas “terras devolutas” – florestas da União e dos estados listadas pelo Serviço Florestal Brasileiro (SFB) ou outras terras que ainda não constam no cadastro …

por em

A falácia da meritocracia

Em novembro de 2013, Paulo Henrique Félix da Silveira, conhecido como Paulinho, ganhou repercussão mundial através da fotografia capturada por Diego Nigro, que mostrava o menino de nove anos de idade boiando, quase inteiramente submerso, no lixão do canal do Arruda, zona norte do Recife, Pernambuco. Paulinho e seus dois primos também pequenos, na ocasião, …

por em

Caso Cajueiro: CIDH recebe denúncia contra o Estado brasileiro

“Nunca houve, de fato, diálogo. Nós fomos desrespeitados pelo governo do estado de todas as formas”. É assim que Clóvis Amorim, 54 anos, vê a influência dos agentes públicos do Maranhão na situação em que se encontra sua comunidade, o Cajueiro, na zona rural de São Luís, capital do estado. Liderança na luta pela defesa …

por em

“Na cidade dos ricos, o pobre não tem lugar”

A capital financeira do Brasil atualmente lida com uma crise humanitária que denuncia nos quatro cantos da cidade o cenário da desigualdade no país. Neste contexto, pessoas dormem nas ruas no meio do lixo do qual se alimentam e milhares de famílias vivem em habitações precárias, com riscos de incêndio e desabamento. Principais responsáveis por …

por em

A Rússia e o espectro da guerra: a histeria de um hóspede antigo

No dia 20 de janeiro, em entrevista, o atual presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, declarou “Espero que Putin esteja consciente de que se encontra não muito distante de uma guerra nuclear […] Putin quer provar ao Ocidente e pagará por isso um preço que o fará se arrepender do que fez”. Em Moscou, Vyacheslav …

por em

Guilhotina #153 – Rafael Domingos Oliveira

Bianca Pyl e Luís Brasilino recebem o historiador Rafael Domingos Oliveira, autor do livro “Vozes afro-atlânticas: autobiografias e memórias da escravidão e da liberdade”, lançado em 2022 pela editora Elefante. A obra lança mão de autobiografias escritas em inglês por pessoas escravizadas entre os séculos XVIII e XIX para analisar não só o cativeiro, mas …

por em

O governo Boric: do movimento estudantil a La Moneda

O triunfo no Chile do esquerdista Gabriel Boric contra o representante da extrema direita pinochetista José Antonio Kast é, sem dúvidas, o acontecimento político mais importante da região em 2020. O sucesso ou o fracasso do futuro governo terá grande efeito na capacidade da esquerda latino-americana de projetar um ciclo político renovador. Tendo como meta …

por em

A intolerância seletiva de Locke e seus seguidores e a defesa do nazismo e do racismo

O contexto brasileiro atual nos remete à “Carta acerca da tolerância” de John Locke, publicada em 1689, na Inglaterra. Naquele momento, o Rei Carlos II tentou restaurar o catolicismo a todo custo com perseguições num país hegemonicamente protestante. Locke, protestante, se refugiou em Amsterdã, de onde escreveu a referida Carta. Interessante notar que a proposta …

por em

Proposta de novo marco legal da Regularização Fundiária é grave

Depois da aprovação apressada do projeto de lei dos agrotóxicos pela Câmara dos Deputados na última semana, duas propostas legislativas que visam instituir novas regras da regularização fundiária também podem tramitar aceleradamente: os PL 2.633/2020 e PL 510/2021. Do ponto de vista da democratização do acesso à terra, da proteção do meio ambiente e dos …

por em

Um Estado para o Hygge

Na Dinamarca, a receita para uma vida mais satisfatória tem como um de seus ingredientes principais o que se costuma chamar por lá de hygge. O termo hygge deriva de hugr, que, no nórdico antigo, significa “a alma”. Ele se refere a experiências coletivas e individuais que aquecem a alma e é amplo o suficiente …

por em

A falta de visão

Mais uma vez o noticiário traz informações e imagens impressionantes do efeito das fortes chuvas ontem em Petrópolis/RJ. As primeiras notícias são de 35 mortos, mas ainda é cedo para avaliar o total dos danos que a cidade sofreu e ainda sofre. Recentemente o Presidente Jair Bolsonaro sobrevoou as áreas atingidas por inundações e escorregamentos em …

por em

Não falta conhecimento, nem planejamento e sim investimento nas periferias

Como é tristemente comum, também este ano de 2022 iniciou-se com grandes desastres ambientais. Janeiro começou com inundações generalizadas no sul da Bahia; depois ocorreram as inundações e escorregamentos em Minas Gerais – incluindo a destruição de um sobrado de elevado valor histórico no Morro da Forca, em Ouro Preto; e o mês terminou com …

por em

Pouco enfrentamento ao desmatamento, muito gasto no orçamento

Amazônia vive recorde de desmatamento, atrai a atenção de olhares de governos e organizamos internacionais e tem seus povos ameaçados constantemente pelos diferentes poderes e o mercado. Este cenário demandaria um espaço de diálogo entre sociedade e governo para a articulação e desenvolvimentos de políticas públicas. No entanto, o espaço existente não tem servido para …

por em

A estagnação econômica brasileira à luz da prosperidade sul-coreana

Até a década de 1980, o Brasil possuía PIB e produção industrial superiores aos da Coreia do Sul (os demais tigres asiáticos sequer eram citados). Contudo, a partir daquela década, tudo começou a mudar. Um dos principais expoentes desta transformação sul-coreana é o Estado, que, a partir da década de 1960, sob a gestão do …

por em

Guilhotina #152 – Juliana Teixeira

Bianca Pyl e Luís Brasilino conversam com a professora e pesquisadora Juliana Teixeira, autora do livro “Trabalho doméstico”, lançado no fim de 2021 pela coleção Feminismos Plurais, da editora Jandaíra. A publicação debate a história e a atualidade da atividade de trabalhadora doméstica no Brasil a partir de uma pesquisa bibliográfica aprofundada e de entrevistas …

por em

Por que falamos em cisnormatividade?

“Cis” e “trans” são termos que, há alguns anos, adentraram a cena pública brasileira e de inúmeros outros lugares do mundo, causando debates intensos que se alargam aos dias de hoje. Em termos sintéticos, trans seriam as pessoas que são designadas a um sexo no momento de seu nascimento (ou mesmo antes), e que vivem …

por em

Xenofobia e racismo: as faces escancaradas de nossa indiferença

O professor Muniz Sodré, uma das mentes mais brilhantes que já pude conhecer na Academia e nas Ciências Humanas, sociólogo, professor emérito da Universidade Federal do Rio de Janeiro, líder da Cátedra Otavio Frias Filho sobre Comunicação, Diversidade e Democracia, do Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo (IEA-USP) em projeto conjunto com …

por em

Frigoríficos: muitos acidentes e a necessária preservação da proteção legal

No período compreendido entre os dias 8 de outubro e 8 de novembro de 2021, o governo federal, por meio do Ministério do Trabalho e Previdência Social, abriu consulta pública sobre a revisão da Norma Regulamentadora 36, que trata da Segurança e Saúde no trabalho em Empresas de Abate e Processamento de Carnes e Derivados, …

por em

O crime e a corrupção que destroem a Amazônia

O Brasil recebeu finalmente um convite formal para ingressar na Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE). Como lição de casa terá que cumprir 251 exigências, das quais faltam 148. Entre essas, a proteção da Amazônia, o combate ao desmatamento ilegal e o combate à corrupção. Apesar de contar com orçamento de R$ …

por em

Em defesa dos Moïses

No dia 24 de janeiro, o jovem congolês Moïse Kabagambe foi amarrado com fios e espancado até a morte na Barra da Tijuca. Sua culpa: ter reclamado por seu pagamento atrasado. Ademais, ele recebia menos que os outros trabalhadores pelo mesmo trabalho. Uma semana depois um Moïse brasileiro de nome Durval foi assassinado em frente …

por em

Legitimando falácias: um problema do debate público

A democracia contemporânea vive uma crise política que está ligada, entre outras coisas, a uma crise epistêmica. Desde o advento do relativismo cultural, a noção de verdade perdeu seu valor absoluto. Com isso, também a distinção entre mera opinião e conhecimento. Apesar de parecerem áreas distintas, a teoria do conhecimento e a política podem ter …

por em

A importância de lutar pela esperança mesmo em tempos de autoritarismo bizarro

O alvorecer do ano novo repousa não apenas em narrativas do passado, mas também oferece um tempo para visões renovadas; trata-se do nascimento de novas possibilidades, da necessária ponderação e revisão dos erros, de um renovado sentido de luta contra os inimigos, que são mentirosos compulsivos, e as terríveis condições que os sustentam. Se é …

por em

Desaparecidos políticos e o dever de não repetição

O exame completo e irrestrito da verdade constitui o único instrumento capaz de efetivar o direito à memória coletiva de um povo, em cuja fundação ético-jurídica reside o interesse na preservação da história de opressão do qual foi alvo como parte inquebrantável de seu patrimônio cultural. O direito à verdade comporta duas dimensões, sendo a …

por em

O Mercosul, a Europa e as línguas dos homens

No último dia primeiro de janeiro, o irlandês passou a gozar plenamente do status de língua oficial da União Europeia. Desde 2007, já era considerado formalmente idioma oficial, mas, a partir de agora, a legislação e os documentos comunitários deverão ser traduzidos para o irlandês, em pé de igualdade com os demais idiomas. A notícia, …

por em

Miscelânea — Resenhas

FINDAS LINHAS: CIRCULAÇÕES E CONFINAMENTOS PELOS SUBTERRÂNEOS DE SÃO PAULO Fábio Mallart, Etnográfica Press Muito bem-vindo o novo livro de Fábio Mallart, fruto de sua pesquisa de doutorado em Sociologia pela USP, sob a orientação de Vera da Silva Telles e escrito em estreito diálogo com a renomada antropóloga portuguesa Manuela Ivone Cunha. A obra …

por em

Hitchcock em foco

Desde que foi “panteonizado”, colocado no topo dessas absurdas listas de melhores filmes da história – Um corpo que cai suplantou Cidadão Kane, de Orson Welles, que, por sua vez, tinha destronado O Encouraçado Potemkin, de Serge Eisenstein –, Alfred Hitchcock tornou-se um ídolo fora do tempo e do espaço. Seja assunto de complicadas exegeses …

por em

Shamate, os punks das fábricas chinesas

Penteados vertiginosos, cabelos fluorescentes, costumes inflamados… Assim surgiram, em meados dos anos 2000, os Shamate, esses jovens com ares de super-heróis do mangá japonês que destoaram fortemente da paisagem chinesa. Tudo começou em 2006, quando Luo Fuxing, um jovem de 11 anos de idade, descobriu a música e os hábitos japoneses e coreanos, que, na …

por em

Renda universal às portas do poder

“Sem renda universal, o sistema capitalista não pode continuar funcionando normalmente.”1 Em dezembro de 2020, o candidato democrata à presidência da Coreia do Sul, Lee Jae-myung, então um governador de província, parecia categórico. Seu objetivo de longo prazo: oferecer aos 52 milhões de sul-coreanos um pagamento mensal de 500 mil wons (R$ 2.250), ou 14% …

por em

Criptomoedas não são o futuro do dinheiro

  Por muito tempo confinadas ao posto de curiosidade, há alguns anos as criptomoedas (ou criptoativos, ou ainda moedas digitais) ganharam as manchetes, inclusive na imprensa não especializada. E não sem motivo: o preço de uma das mais conhecidas delas, o bitcoin, quadruplicou entre dezembro de 2020 e maio de 2021, antes de despencar e …

por em

Os aprendizes de feiticeiro do genoma

A tecnologia avança mais depressa que nossa capacidade de avaliar a relação entre seus benefícios potenciais e seus perigos. Antecipamos mal os riscos ligados à utilização das novas ferramentas moleculares ou as possíveis consequências da disseminação de organismos vivos geneticamente modificados (OGMs) em um ecossistema. As implicações científicas e éticas ligadas a essas perturbações dependem …

por em

O plástico é fantástico

Sacos plásticos ondulando sobre o mar como um cardume de medusas. Bolas de isopor nas entranhas de peixes. Uma tartaruga da qual se retira um fiapo pelas narinas. Essas imagens chocantes deram a volta ao mundo, desvelando os males da poluição plástica no meio ambiente. Uma tonelada desse material é despejada no oceano a cada …

por em

A União Europeia depois de Angela Merkel

Em 8 de dezembro de 2021, a chanceler alemã Angela Merkel deixou o cargo após dezesseis anos no comando do país. Em retrospecto, talvez seus quatro mandatos sucessivos sejam lembrados como uma era de ouro durante a qual decisões incômodas ainda podiam ser adiadas, dilemas dissimulados sob negações otimistas e conflitos abafados pela distribuição de …

por em

Noticiário internacional, um ponto cego no audiovisual francês

No dia 7 de setembro de 2021, o telejornal das 20 horas exibido pelo canal francês TF1 e apresentado por Gilles Bouleau foi inteiramente dedicado à morte de Jean-Paul Belmondo. Foram 47 minutos sobre as lendárias histórias e tiradas do ator francês. Já adepto de um tratamento minimalista do noticiário internacional, nessa noite o principal …

por em

Qual é a coalizão diante do bloco burguês?

  Ele é filho de médicos, passou por uma escola católica de Amiens, é diplomado pela Sciences Po, pela Escola Nacional de Administração, inspetor das finanças e investidor financeiro. Ela é filha de um empresário, antiga estudante de um liceu católico de Versalhes, diplomada pela Escola de Altos Estudos Comerciais (HEC), pela Escola Nacional de …

por em

Ucrânia: por que a crise?

O rumor de coturnos às portas da Europa enlouquece as chancelarias ocidentais. Tentando obter garantias relativas à proteção de sua integridade territorial, a Rússia apresentou aos norte-americanos dois projetos de tratado com vistas a reformular a arquitetura de segurança na Europa, enquanto acumulava tropas na fronteira ucraniana. Moscou exige o congelamento oficial da ampliação da …

por em

A instituição que inventou a América Latina

Como a maioria das instituições internacionais instaladas no Chile, a sede da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal), das Nações Unidas, fica na Avenida Dag Hammarskjold, no coração do abastado bairro de Vitacura, em Santiago. Sua arquitetura atípica a diferencia de outros edifícios. Erguendo-se majestosamente no fim da avenida, pelo lado …

por em

Em busca de sentido nas relações Brasil-Estados Unidos

O presente texto atende a um duplo propósito: por um lado, consideramos fundamental identificar os pontos de articulação entre a evolução recente do relacionamento Brasil-Estados Unidos e o momento de transição da ordem internacional, com especial atenção às consequências geopolíticas e geoeconômicas da rivalidade ascendente entre Washington e Pequim; por outro, intencionamos outorgar às reflexões, …

por em

A decadência do Brasil na saúde global

Durante mais de duas décadas, o Brasil foi um líder no campo da saúde global, graças à fertilização recíproca entre os princípios do Sistema Único de Saúde (SUS) e da política externa brasileira. O atual governo de extrema direita representa a ruptura dessa tradição democrática, com a perda ou a inversão de protagonismos, a depender …

por em

O encolhimento geopolítico do Brasil

O governo Bolsonaro é formado quase majoritariamente por militares da ativa e da reserva, chegando, em 2020, a contar com 43% de militares em cargos comissionados, de acordo com o Tribunal de Contas da União. Constantemente, jornalistas e especialistas questionam o grau de influência de militares nas decisões do governo. Em relação à política externa, …

por em

Uma política externa eleitoralmente orientada

Historicamente, as diretrizes centrais da diplomacia brasileira foram associadas a princípios como solução pacífica de controvérsias e negociação. Na retórica diplomática, o Brasil era um país “sem excedente de poder”, nas palavras do ex-chanceler Saraiva Guerreiro, e, portanto, deveria apresentar-se como uma alternativa ao uso da força militar, que favorecia as grandes potências. Paralelamente a …

por em

Brincando com fogo

Um paradoxo caracteriza a política externa do governo Jair Bolsonaro: a profunda ideologização na condução das relações exteriores do país, com sérias implicações para a economia brasileira, parece não afetar a popularidade do presidente junto ao setor empresarial. Pesquisas de opinião apontam para um apoio robusto de empresários ao presidente – 50% de aprovação, segundo …

por em

O Itamaraty na política externa do governo Bolsonaro

  “Amar o perdido/ deixa confundido/ este coração. Nada pode o olvido/ contra o sem sentido/ apelo do Não. As coisas tangíveis/ tornam-se insensíveis/ à palma da mão. Mas as coisas findas,/ muito mais que lindas,/ essas ficarão.” (“Memória”, Carlos Drummond de Andrade)   No Brasil, algumas teses por muito tempo sustentaram projetos políticos e …

por em

A destruição do lugar do Brasil no sistema multilateral

A crise da democracia e o fortalecimento de regimes e ideias autoritários têm sido tema central do debate internacional na última década. As instituições que caracterizam a democracia representativa e os movimentos de inclusão de agendas progressistas são desafiados. Lideranças autoritárias que estão à frente dessas tendências chegaram ao poder na Turquia, Polônia, Índia, Hungria, …

por em

Uma sociedade de bem consigo mesma

As utopias se criam pelo reconhecimento das carências da sociedade. É o desejo de suprir o que nos falta que mobiliza as vontades. A carência mais premente é a fome. Então é preciso demandar ao Estado políticas para erradicá-la. A renda básica da cidadania, que também está em discussão em outros países, é a resposta …

por em

Frente interna, guerra externa

Escolher um inimigo interno permite a um dirigente contestado identificar seus rivais políticos como subversivos, agitadores e agentes a serviço de estrangeiros. Mas também lhe é útil designar um inimigo externo e fingir estar reagindo às suas ameaças: arvorando-se de defensor dos interesses superiores da nação, ele ganha em majestade. Segundo os ocidentais, uma tal …

por em

Poder e desenvolvimento: os ponteiros do mundo

“Em última análise os processos de desenvolvimento econômico são lutas de dominação; e os interesses da nação constituem-se nos últimos e decisivos interesses que devem orientar sua política econômica.” Max Weber, Escritos Políticos I, Folios Ediciones, México, 1982, p, 18[1]   A história do desenvolvimento econômico e da origem da teoria econômica clássica possui três …

por em

Os militares e a segurança pública no Brasil

A segurança pública no Brasil ganhou uma expressão maior no debate público nos últimos anos, tornando-se um dos temas cruciais para nossa sociedade. Hoje é impossível ignorar tal tema, seja nos programas de governo, salas de aula, ou mesmo nas “conversas de bar”. Muitas vezes pautada pela direita, as políticas públicas de segurança são fundamentais …

por em

A fórmula de sucesso olavista

Não é preciso concordar com Olavo de Carvalho para perceber que ele conseguiu adquirir um estatuto inédito para um (pretenso) intelectual no Brasil: ele foi o guru de um Presidente da República, alguém responsável por nomear três ministros, um para as relações internacionais (Ernesto Araújo) e dois para a educação (Ricardo Vélez Rodríguez e Abraham …

por em

Sem catarse e sem resistência: dois anos sem Carnaval

Carlos Lyra compôs a Marcha da Quarta-Feira de Cinzas (1963), canção a um só tempo melancólica e política, que descreve esse famigerado dia da semana que sucede o feriado de Carnaval: “Acabou nosso carnaval. Ninguém ouve cantar canções, ninguém passa mais brincando feliz e nos corações saudades e cinzas foi o que restou. Pelas ruas …

por em

A crise energética de 2021: origem, impacto e transformações

An energy crisis is affecting almost every part of the globe, marked by record-high energy prices, tight supplies, and power blackouts […] The first energy crisis in decades has come as a shock to many, who seem to have forgotten how energy insecurity reverberates onto energy major sphere of public life: the economy, national security, …

por em

Civilização ecológica em um só país?

A última vez que estive na China foi no outono de 2019, antes da pandemia, acompanhando a minha família em uma pequena viagem pelo planalto de Qinghai-Tibete (བོད་ ས་ མཐོ །, 青藏高原). O planalto tibetano, com altitude média de 4.500 metros, abrange a maior parte da Região Autônoma do Tibete (TAR), a província de Qinghai …

por em

Guilhotina #151 – Rafael Toitio

Bianca Pyl e Luís Brasilino recebem o cientista social Rafael Toitio, autor, com Leonardo Nogueira e Maysa Pereira, do livro “O Brasil fora do armário: diversidade sexual, gênero e lutas sociais”, lançado em 2021 pela Expressão Popular e pela Fundação Rosa Luxemburgo e disponível para download em: https://bit.ly/3HRNXhL. Parte da coleção Emergências, a obra traça um …

por em

Novos contornos da política mundial: um rápido olhar

A queda do Muro de Berlim em 1989 e o desmoronamento da União Soviética em 1991 assinalam o fim da Guerra Fria e o início da hegemonia unilateral norte americana. Com sua Pax Americana, os EUA impuseram o modelo neoliberal que passou a ser aceito como dogma, reduzindo o papel do Estado, desregulando o mercado, …

por em

A fraude da austeridade fiscal e o colapso da Nova República Brasileira

A imprensa brasileira não promove um debate sério sobre o modelo de desenvolvimento para o Brasil. Seus comentaristas sempre recorrem à mesma ideologia liberal, que pretende privatizar tudo e “acalmar o mercado” com muita austeridade fiscal. O diálogo foca no modo e no momento em que se promoverão as privatizações, o que supostamente propiciará a …

por em

Guilhotina #150 – José Raimundo Sousa Ribeiro Junior

Bianca Pyl e Luís Brasilino conversam com o geógrafo José Raimundo Sousa Ribeiro Junior, autor – junto com Mateus de Almeida Prado Sampaio, Daniel Henrique Bandoni e Luiza Lima Silva de Carli – do “Atlas das situações alimentares no Brasil: a disponibilidade domiciliar de alimentos e a fome no Brasil contemporâneo”, lançado em novembro de …

por em

Guilhotina #149 – Marcello Fragano Baird

Bianca Pyl e Luís Brasilino recebem o cientista político Marcello Fragano Baird, autor do livro “Alimentação em jogo: o lobby na regulação da publicidade no Brasil”, lançado em novembro pela editora da Universidade Federal do ABC. A obra analisa a atuação de grupos de interesse em torno de uma resolução da Anvisa que pretendia estabelecer …

por em

Miscelânea — Resenhas

O DEBATE Guel Arraes e Jorge Furtado, Cobogó O livro lançado pela Coleção Dramaturgia é, nas palavras dos próprios autores, uma peça “escrita na urgência dos acontecimentos políticos do Brasil no ano de 2021”. O tempo é um futuro próximo, muito próximo: outubro de 2022, época em que perduram as ameaças da pandemia (há uma …

por em

Capitalismo: sistema desmedido e destruidor

Anselm Jappe é um dos representantes mais notáveis e inovadores da escola da teoria do valor, fundada por Robert Kurz e pela revista Krisis. Seu último livro, A sociedade autofágica (Elefante, 2021), é uma contribuição apaixonante à crítica do capitalismo, sistema baseado na desmedida e na destruição. Jappe compara o capitalismo a um personagem da …

por em

Esses gentis artistas governamentais!

Foi um momento comovente. A pandemia e sua gestão provocavam uma pergunta insistente sobre as “disfunções” de nossa sociedade e suscitavam, com o inabalável desejo de acabar com seus erros, a não menos inabalável certeza de que nada mais seria como “antes”: de todos os lados, conclamava-se o “mundo de depois”. O entusiasmo arrefeceu um …

por em

Artista, eu sou um luxo…

Eu me chamo Pascal Bouaziz. Sou cantor. Tenho 49 anos. Vou falar de mim. É o único assunto sobre o qual considero ter certa competência. Digo que sou cantor, mas desde meus 30 anos fui muitas outras coisas paralelamente. Nem sempre é fácil ser apenas cantor. Na verdade, para a maioria dos músicos, é muito …

por em

A imposição de uma visão de mundo

O campo político, o campo das Ciências Sociais e o campo jornalístico são três universos sociais relativamente autônomos e independentes, que, no entanto, exercem efeitos uns sobre os outros. Durante um programa eleitoral na televisão, por exemplo, esses campos estão presentes, mas sob a forma de pessoas. Um conhecido historiador comentará os resultados, ao lado …

por em

As mulheres japonesas não aceitam mais se calar

Foi a primeira vez que a lei de 2018 “para promover a participação comum de homens e mulheres na política” – conforme seu próprio nome – foi aplicada a uma eleição legislativa. Porém, o resultado das eleições de 31 de outubro de 2021 exibiu um declínio na proporção de mulheres eleitas para a Câmara dos …

por em

Queda de braço entre o Marrocos e a Argélia

Em março de 2022, dez seleções africanas vão disputar as eliminatórias para a Copa do Mundo de futebol, que deve acontecer em novembro, no Catar. Em grupos diferentes, as equipes da Argélia e do Marrocos com certeza não vão se encontrar. Dos dois lados da fronteira, tanto para os torcedores como para quem não liga …

por em

Transnístria, vestígio de um conflito congelado

“Quando um estrangeiro me pergunta, respondo que sou de algum lugar entre a Ucrânia e a Moldávia”, replica com malícia Ludmila Kliuch. Segurando uma xícara de café, essa jovem morena de 36 anos sabe que pronunciar o nome do país onde vive deixaria perplexo qualquer um de seus interlocutores estrangeiros. Professora de francês, ela mora …

por em

“O maior mercado de esquiadores iniciantes”

A poucas semanas dos Jogos Olímpicos (de 4 a 20 de fevereiro de 2022), os telespectadores chineses descobriram na rede pública CCTV um curto documentário intitulado “Os guardiães da Montanha Branca”, louvando o heroísmo dos trabalhadores das pistas. Vemos ali Sun Duncheng, de 53 anos, empregado na estação de esqui de Fusong, província de Jilin …

por em

No Chile, tudo vai começar

Na noite de 19 de dezembro, um arrepio de alívio percorreu grande parte do Chile. Ele fez vibrar, é claro, os estados-maiores da esquerda chilena, mas também circulou de casa em casa, nas redes sociais, conectando centenas de milhares de cidadãs e cidadãos. Liderada por José Antonio Kast, uma extrema direita reacionária e neoliberal, nostálgica …

por em

Lobby na regulação dos alimentos ultraprocessados

Há doze anos, em 20 de agosto de 2009, a Anvisa conduzia uma audiência pública para debater a regulação da publicidade de alimentos não saudáveis no Brasil. A discussão, que já se arrastava por quatro anos, encontrava seu clímax. O acirramento fazia-se notar inclusive fisicamente, pois os grupos favoráveis e contrários à medida se postaram …

por em

O governo Bolsonaro e a direita brasileira

Jair Bolsonaro é o terceiro outsider da direita brasileira que chega à Presidência nos últimos sessenta anos. Jânio Quadros e Fernando Collor o antecederam. Nenhum dos dois completou o mandato. Todos os três se elegeram destacando a luta contra a corrupção e tentando traçar uma relação entre esquerda e corrupção no governo. Porém, Bolsonaro possui …

por em

Reconciliar a esquerda e a classe média

Mário mora num bairro de subúrbio do Rio de Janeiro e trabalha como motorista de táxi (ele paga diária, não é proprietário da licença). Antes da pandemia, tirava uns R$ 3.500 por mês para manter a família. Sua esposa, Kátia, organiza festas infantis e o retorno depende muito da época do ano – com a …

por em

A adesão a Jair Bolsonaro

A eleição de 2018 foi um marco para a democracia brasileira. A disputa rompeu com vários ciclos que perduraram até então. Da perspectiva institucional, a partir da minirreforma política que entrou em vigor naquele pleito, o financiamento de empresas, que vinha desde a eleição de 1994, deixou de ser permitido; reduziu-se também o tempo de …

por em

Na Alemanha, colapso e conflito de orientação

Depois de certo nível, uma derrota eleitoral se torna uma surra. E, sem dúvida, é assim que devemos chamar o resultado desastroso de 4,9% obtido pelo partido A Esquerda (Die Linke) nas eleições federais de setembro de 2021 na Alemanha. Somente a aplicação de uma regra especial garante sua presença no Bundestag: mesmo não ultrapassando …

por em

O estranho desaparecimento do Partido Comunista Italiano

Se o esquerdismo é a doença infantil do comunismo, o conformismo é a de sua maturidade. De que outra forma explicar o estranho desaparecimento do mais poderoso Partido Comunista ocidental, em um belo dia de fevereiro de 1991? Com efeito, durante o congresso final, após setenta anos de existência, o Partido Comunista Italiano (PCI), de …

por em

Os limites da renovação

Em 2014, um novo partido político espanhol chegou para “tomar o céu de assalto”, uma frase emprestada de Karl Marx: o Podemos. Ele reunia ex-universitários que marchavam sob o grito de “desobediência” no refeitório da universidade, em 2006, como Íñigo Errejón e Pablo Iglesias; o chefe da livraria cooperativa Marabunta e porta-voz do pequeno partido …

por em

O que a esquerda não percebe nas classes populares

“Preço da gasolina ou do combustível da luta de classes.” A propósito da reivindicação inicial dos Coletes Amarelos, esse subtítulo de uma revista próxima do Novo Partido Anticapitalista (NPA) não apresenta nenhuma ambiguidade: é como se fosse “Sublevação popular no Irã”.1 Para as revoltas iranianas do outono de 2019, os comunicados de solidariedade da esquerda …

por em

A gente gostaria, mas não pode…

A França vai passar por uma eleição presidencial em três meses e é muito nítida a sensação de que a esquerda vai perdê-la mais uma vez. Isso é ainda mais visível porque, mesmo no caso improvável de que as esquerdas estivessem unidas durante a votação, as várias tendências que compõem essa “família” já não têm …

por em

Os limites das propostas de mudança

Certa vez perguntei a um amigo: o que é ser de esquerda hoje? E ele me respondeu: estatizar todos os bancos privados, por exemplo. A radicalidade da proposta me surpreendeu, mas trouxe para a conversa a questão da necessidade da ruptura. Não se pode pedir às elites que abram mão de seus lucros em nome …

por em

Vacinas, passaportes e apartheids

Desde 23 de novembro de 2021, quando cientistas da África do Sul anunciaram a detecção de uma nova variante do SARS-CoV-2, vírus causador da Covid-19, dois temas tornaram-se fulcrais no debate sobre a gestão da pandemia no Brasil. O primeiro era o apartheid de vacinas, fundamentais para o controle da pandemia, e que passaram a …

por em

O preço da coerência é não discutir com negacionistas

No dia 20 de agosto de 2021 eu recebi uma notificação extrajudicial da produtora Brasil Paralelo por um post que fiz no dia 11 de julho referente a um conteúdo indicado no material didático da Secretaria de Educação do Estado da Bahia (SEC-BA). Naquele dia, após tomar conhecimento de que o material destinado ao ensino …

por em

As falácias do Dr. Pastore

Num recente debate sobre a política monetária brasileira promovido pelo Tribunal de Contas da União, o economista Affonso Celso Pastore, além de várias afirmações discutíveis, compartilhadas pela ortodoxia, saiu-se com a seguinte falácia: seria um absurdo fazer um Quantative Easing (QE) no Brasil com o objetivo de controlar, mesmo que temporariamente, as taxas longas de …

por em

No país do agro, estoques estratégicos de alimentos viram coisa do passado

Falta orçamento, falta execução, falta vontade política. E faltam alimentos. A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) possuía, conforme dados abertos de outubro, 34,7 mil toneladas de milho, 21,5 mil toneladas de arroz, uma tonelada de café e estoques zerados de açúcar, algodão, feijão e farinha de mandioca. Amendoim, castanha e fécula de mandioca também estão, …

por em

Por uma agricultura da vida no campo e na cidade

“Belo Horizonte Que os prédio esconde Hoje há de ser Bem mió do que onti” (do poeta e jardineiro Kenny Mendes) Dois mil e vinte e um, século XXI, tempo de pandemias, enchentes, queimadas e fome. O capitalismo cresce como um vírus que deixa rastros de destruição e escassez, transformando florestas, montanhas e rios em …

por em

Na contramão mundial, Brasil insiste em desvalorizar manufatura

A crise sanitária da pandemia intensificou o questionamento da dispersão das cadeias globais de valor. Como consequência, com a alta dos fretes marítimos, o aumento nos preços das importações e a necessidade de enfrentar as crises climática e ambiental, países como Estados Unidos, China, Coreia do Sul e Alemanha planejam sua retomada econômica concentrando internamente …

por em

Esquerda não é sinônimo de comunismo

O título deste artigo parece óbvio para quem tem um mínimo de discernimento, um pouco de conhecimento histórico e uma boa compreensão da realidade atual, mas em tempos de pós-verdade, em que fatos são sobrepujados por crenças, e em que imperam o negacionismo e as fake news, tal debate nos parece não apenas necessário, mas …

por em

“Tão violentamente doce”: a Nicarágua em 2021 entre eleições e perseguições

“Nicarágua tão violentamente doce” é o título de um livro do argentino Julio Cortázar, publicado originalmente em 1983, que reúne contos sobre suas breves experiências em um país em pleno período revolucionário, no início dos anos 1980. A linha geral do texto é otimista. Para Cortázar, a Revolução Sandinista representaria uma projeção futura, em que …

por em

Direitos humanos no Brasil: balanço e perspectivas

Neste 73º aniversário da adoção da Declaração Universal dos Direitos Humanos pelas Nações Unidas, cabe questionar em que situação ou estágio evolutivo o Brasil se encontra, especialmente quando constatamos o curso de certo processo de corrosão democrática – não apenas no Brasil mas, ao menos, em parcela considerável dos países ditos “democráticos”, como inclusive afirmou …

por em

Guilhotina #146 – Mayra Cotta e Thais Farage

Bianca Pyl e Luís Brasilino recebem a advogada Mayra Cotta e a consultora de moda Thais Farage. Elas são autoras do livro “Mulher, roupa, trabalho: como se veste a desigualdade de gênero”, lançado pela editora Paralela em outubro. Na obra, elas investigam a relação das mulheres com a roupa de trabalho e como a opressão …

por em

2021, presente!

Dois mil e vinte um foi o segundo ano da pandemia de Covid-19 e o terceiro do governo Bolsonaro/Guedes. Não é pouca coisa. As imagens de cemitérios e hospitais lotados, vans escolares sendo utilizadas para transportar corpos na cidade de São Paulo, a perda de amigos, familiares, conhecidos, desconhecidos… todos nós morremos um pouco, junto …

por em

A escravatura atual chama-se fome

A escravatura atual chama-se fome. Carolina de Jesus   No início de dezembro, aconteceu na Faculdade de Saúde Pública da USP o Seminário “75 Anos da Geografia da Fome”, promovido pela Cátedra Josué de Castro. A questão que moveu o encontro foi “o que mudou e o que precisa mudar desde Josué de Castro até …

por em

O emergir de uma nova diplomacia

Enquanto o mundo se prepara para enfrentar novas variantes da Covid-19, muitos países já começam a celebrar a chegada de um novo momento, com a queda nos números de internações e mortes em decorrência do coronavírus e um aumento da vacinação em massa. Diante dessa conjuntura, é tempo de pensar em novos passos e reavaliar …

por em

Quando se fala de linguagem neutra, não é de linguagem neutra que se fala

Em outubro, o governo federal proibiu o uso do que se convencionou chamar ‘linguagem neutra’ em projetos da lei Rouanet. Proibiu. Mas não é a primeira vez que se vê oposição ao seu uso. O Brasil tem 34 projetos de lei – sim, projetos de lei – contra o uso da linguagem neutra. O primeiro …

por em

A participação popular na repressão soviética

O período em que Josef Stálin esteve à frente da União Soviética é, ainda hoje, um tema que inflama intensas divergências. Definir o caráter da repressão que ocorreu neste período é uma das questões mais polêmicas na historiografia contemporânea. Com as novas descobertas dos arquivos russos, até mesmo os estudiosos que interpretam o chamado “Grande …

por em

O retrato da educação e a reforma do ensino médio

A desigualdade educacional no Brasil se agravou na pandemia e, graças a uma pesquisa de opinião encomendada pelo Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc) ao Instituto Vox Populi, esse efeito conseguiu ser mensurado entre os alunos do ensino médio. Durante o mês de julho de 2021, foram entrevistados adolescentes de todo o país, de 15 a …

por em

Como fazer um país amar a morte

Exceptis excipiendis Começava a preparar este texto quando a Polícia Civil terminava de cometer a maior chacina da história da cidade do Rio de Janeiro na favela do Jacarezinho. Durante nove horas, a polícia invadiu ruas e casas com armamento bélico, carregou corpos em lençóis e os colocou em veículos blindados, fraudando as cenas de …

por em

A nova lei antiterrorista

O segundo semestre de 2021 tem sido marcado por debates legislativos de grande impacto na economia e na política brasileiras. Voto impresso, reformas administrativa, eleitoral, trabalhista e tributária, precatórios, improbidade administrativa e Auxílio Brasil são alguns dos temas que movimentam a agenda da Câmara dos Deputados nos últimos meses, com processos de tramitação caracterizados pelo …

por em

Roosevelt e Biden: para além de um “touro de ouro”

O presidente dos EUA, Joe Biden, sancionou em novembro o plano de recuperação da economia norte-americana, o “Bipartisan Infrastructure Deal”, cuja base original é o “Infrastructure Investment and Jobs Act”. O objetivo estabelecido é desafiador e visa o fortalecimento do mercado interno estadunidense, com investimentos na ordem de US $550 bilhões. Com o projeto, pretende-se …

por em

Guilhotina #145 – Marcelo Semer

Bianca Pyl e Luís Brasilino recebem o desembargador Marcelo Semer, autor do livro “Os paradoxos da Justiça: Judiciário e política no Brasil”, lançado em agosto pela Contracorrente. A obra traça um diagnóstico das contradições encontradas no Judiciário brasileiro, um poder cada vez mais em evidência no país. Falamos sobre a perda de credibilidade da Justiça, …

por em

O racismo ambiental e climático nas favelas do Rio

O Brasil – e o mundo – nunca testemunhou tantos desafios ambientais e climáticos. Nos últimos anos, os biomas têm enfrentado picos de desmatamento ilegal, queimadas provocadas pela ação humana, invasões de terras, garimpo ilegal e extração ilegal de madeira. Somam-se a tudo isso a degradação ambiental e os impactos das mudanças climáticas, com eventos …

por em

Não há perspectiva de normalidade para quem sempre esteve na barbárie

“Como eu fiquei sabendo que meu filho teve Covid-19? Foi preciso eu ir por mais de três semanas no presídio atrás de informações”. “As pessoas saíam dali para ir para o médico, não voltavam. Então, ninguém sabia se tinha morrido, se estava vivo, se transferiram, se ganhou a liberdade”. “A realidade é uma só: fomos …

por em

Por que tantos acidentes de trabalho, adoecimentos e mortes em frigoríficos?

Os acidentes de trabalho, as doenças ocupacionais e as mortes no setor de frigoríficos seriam obra do destino, desígnios do acaso ou de alguma divindade? Por que caminhamos, a passos largos, para a supressão de pausas de recuperação psicofisiológicas, justamente a mais importante medida de proteção à saúde no trabalho no setor? Os frigoríficos brasileiros …

por em

Racismo e violência letal do Estado: um olhar a partir da Baixada Fluminense

Habitada por cerca de 3,9 milhões de pessoas e reunindo treze cidades, a Baixada Fluminense[1] carrega em si a memória de um espaço social forjado na luta do povo contra opressões, violências e desigualdades de toda espécie. Foi nas décadas da ditadura civil-militar (1964-1985) que a região experimentou algumas das referências de luta e de …

por em

Miscelânea — Resenhas

CAMARADA: UM ENSAIO SOBRE PERTENCIMENTO POLÍTICO Jodi Dean, Boitempo Uma das maneiras de entender o fio condutor da obra de Jodi Dean é perceber que cada um dos livros que dedicou à ideia comunista apresenta uma dimensão diferente da luta comunista, distintas por nomes ou atributos diferentes. Em O horizonte comunista, é o valor e …

por em

Alice Neel, na contracorrente

Amplamente ignorada durante grande parte de sua vida e modestamente reconhecida nos últimos anos de sua existência, hoje, 37 anos após sua morte, Alice Neel é alvo de uma consagração “oficial”. Isso é motivo de felicidade, uma vez que, assim, suas telas serão conhecidas por um público maior. Entretanto, podemos também nos surpreender com isso: …

por em

Magia da manipulação eleitoral nos Estados Unidos

A cada dez anos, por ocasião do recenseamento, os Estados Unidos redesenham seu mapa eleitoral a fim de adaptá-lo à nova realidade demográfica. De aparência técnica, quase aritmética – dentro da divisão administrativa, cada circunscrição eleitoral deve abrigar o mesmo número de habitantes (com diferença de 5% para mais ou para menos) –, a operação …

por em

Diplomacia: dos programas “verdes” à realidade

Durante a campanha para as eleições parlamentares alemãs de 26 de setembro, as questões de política externa e segurança estiveram praticamente ausentes, inclusive durante os Triell, os debates televisionados entre os candidatos. A única exceção foi a caótica retirada das tropas do Afeganistão. Na sessão parlamentar de 25 de agosto, a ecologista Annalena Baerbock, candidata …

por em