Prima Estúdio, Autor em Le Monde Diplomatique

As duas faces da crise venezuelana

Dois brutamontes avançam, intimidadores. O homem que está diante deles, com a cabeça coberta por um boné vermelho, tenta dialogar. De nada adianta: ele é empurrado, ameaçado… De repente, uma terceira pessoa aparece. Ela tira um revólver da calça e abre fogo. A multidão grita; o homem de boné cai. Em agosto de 2017, esse …

por em

Profissionais do sexo que estão detendo o HIV

POR JULES MONTAGNE*   É tarde quando chegamos a Inhamízua, na periferia da cidade. Barracas vendem pés de galinha fritos e bananas-da-terra cozidas. Muitos homens e mulheres se reúnem em um bar improvisado, coberto por uma placa de aço ondulado. Estão bem-humorados. O som das risadas se eleva sobre o barulho dos caminhões que trafegam …

por em

A jogada por trás dos sites caça-cliques

Fabricar em alguns minutos artigos insólitos sobre o último tema que agita as redes sociais, inserir sutilmente referências elogiosas aos anunciantes, espalhar o conjunto de vídeos divertidos que vão viralizar na internet: a receita levou a picos de audiência sites de variedades como Melty, Konbini e BuzzFeed. A imprensa tradicional direciona a esses jovens concorrentes …

por em

Trump acuado pelo partido anti-Rússia

Alguns meses foram suficientes para que os Estados Unidos se retirassem do acordo internacional de Paris sobre o clima, assumissem novas sanções econômicas contra a Rússia, invertessem a dinâmica da normalização das relações diplomáticas com Cuba, anunciassem sua intenção de denunciar o acordo nuclear com o Irã, colocassem em guarda o Paquistão, ameaçassem a Venezuela …

por em

A nova imprensa da extrema direita alemã

Na entrada dos escritórios do jornal semanal Junge Freiheit (“Jovem Liberdade”), em um bairro rico do oeste de Berlim, uma pintura mostra em cerca de vinte personagens em marcha uma alegoria da história alemã: camponeses e reis, soldados e mulheres a caminho do êxodo. Tem até Karl Marx e, lá no final, um manifestante antinuclear. …

por em

Barbárie: compartilhar

No final da década de 1990 assisti, na graduação, a uma aula de Gabriel Cohn a respeito do livro Revolução ou barbárie, de Rosa Luxemburgo. Lá pelas tantas, ele parou a exposição, olhou para a lousa e se deteve por alguns segundos, em silêncio, pensando consigo mesmo, até que murmurou: “Barbárie… barbárie…”. Voltando-se novamente para …

por em

A reinvenção necessária da esquerda

O processo que culminou no impeachment da presidenta Dilma e na mais grave crise econômica e política trouxe novos elementos para o debate sobre o Brasil que queremos, trazendo reflexões sobre a construção de um novo ciclo de desenvolvimento econômico mantendo politicas sociais inclusivas e a sua política externa econômica e política. É apressado afirmar …

por em

Disputas pelo poder político causam aumento da violência contra os povos indígenas

O Relatório Violência Contra os Povos Indígenas no Brasil relativo ao ano de 2016 abordará, com ênfase, os impactos de dois momentos da política indigenista, tendo em vista que o Estado foi administrado por governantes com perspectivas diferentes no que tange aos direitos constitucionais das comunidades. O governo da presidenta Dilma priorizava, em sua política, …

por em

Círculo vicioso das crises alimentares na África

A fome ameaça a humanidade desde o início dos tempos. As mais antigas representações do fenômeno vêm do Egito antigo, onde encontramos cenas de escassez pintadas nas paredes dos túmulos faraônicos. Hoje, as penúrias no sentido estrito são mais raras, mas ainda existem. Algumas regiões conhecem “fomes silenciosas” que passam despercebidas aos olhos do mundo. …

por em

Contrarreforma e “corte” de benefícios: o lucro com a miséria

Tem sido notícia frequente o corte de benefícios do INSS por incapacidade e assistenciais administrados pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), além do Bolsa Família. Em geral, as notícias trazem o montante de benefícios “cortados” acompanhado das justificativas de “economia” aos cofres públicos. Mas não se faz relação entre os “cortes” e a contrarreforma …

por em

A solidariedade entre nós

  Você, leitora e leitor, que já não aguenta mais o pensamento único que impera nos grandes jornais diários, nas revistas semanais de notícias e nas emissoras de rádio e televisão, todos alinhados na defesa dos interesses do mercado; que já não confia mais nas notícias que vêm pela internet, muitas delas fakes; que se …

por em

Experimentos de esquerda em Portugal

À beira do Tejo, a um pulo da turística Praça do Comércio, em Lisboa, uma caixa de som ruim lança no ar Os vampiros, do cantor e compositor Zeca Afonso. O artista engajado, morto em 1987, é um monumento nacional: foi uma de suas músicas, tocada por uma estação de rádio católica no dia 25 …

por em

Vamos repensar os caminhos da esquerda?

Sobreviver no Brasil é fazer política. Indígenas, mulheres, trabalhadores, quilombolas, jovens negros, sem-teto, LGBTs, ao levantarem e se afirmarem, resistem todos os dias. Que as práticas e os saberes dessas vidas insurgentes e de seus territórios sejam coletivizados e apontem um novo sentido para o país é o que se espera de um projeto de …

por em

Em nome do povo ou com o povo?

Pouco antes do Outubro de 1917, Lenin achava que a primeira tentativa de derrubar o poder czarista em 1825, em São Petersburgo, havia fracassado principalmente porque os revoltosos estavam “muito longe do povo”. Embora visse com benevolência os primeiros a desafiar o czarismo, ressaltava o abismo existente entre os bolcheviques e os insurretos de 1825. …

por em

A fonte da contestação popular

Em 1917, após três anos de guerra, o entusiasmo patriótico dos soldados se voltou contra o Império Russo. Um deles confessou à sua enfermeira: “É que antes eu não sabia até que ponto os ricos viviam bem. [Na frente de combate], começamos a nos alojar em casas requisitadas e vi como ali tudo era bom; …

por em

Produzir o comum

  Produzir o comum é produzir o que é de todos, o que todos partilham em comum. E, se é de todos, não é de ninguém, não pode ser comercializado, não pode ser privatizado. É público. É produzir uma sociedade colaborativa, solidária, com ampla participação cidadã em suas instâncias políticas, com um governo voltado para …

por em

Comércio ameaça agricultura africana

O vento do livre-comércio sopra cada vez mais forte sobre o continente negro. De um lado, a União Europeia aumenta a pressão sobre as capitais africanas para finalizar a assinatura de acordos de parceria econômica (APEs)1 e acabar com as preferências comerciais não recíprocas: para conservar a isenção de tarifas alfandegárias sobre suas exportações para …

por em

Quando a revolução hesita

Para os historiadores de direita, ávidos por desqualificar a própria ideia de revolução, o verme estava no fruto: “A repressão de massa não foi um acidente nem uma resposta a uma situação difícil, mas um componente do projeto leninista”, afirma Dominique Colas.1 Seus colegas de esquerda, ao contrário, enfatizam as circunstâncias que levaram os bolcheviques …

por em

É proibido criticar o patriarcado

Em Porto Alegre, depois de um mês de visitação do público, o Centro Cultural Santander fechou no dia 10 de setembro de 2017 a exposição Queermuseu, atendendo à gritaria de ultraconservadores. Menos de uma semana depois, em Jundiaí (SP), o juiz Luiz Antonio de Campos proibiu a apresentação da peça O Evangelho segundo Jesus, Rainha …

por em

Cuba quer o mercado, mas sem capitalismo

  Berimbau de boca, fachadas degradadas, estéticas ultrapassadas: para a maioria dos observadores, a vida cotidiana cubana ilustra a obsolescência de sua retórica política. Comunista, a ilha parece parada no tempo. O cheiro de naftalina só é interrompido durante o tempo que dura uma fumarola de parafina: aos 86 anos, o presidente Raul Castro raramente …

por em

E se refundarmos a legislação trabalhista?

Só um cego discordaria da necessidade de uma reforma profunda do direito trabalhista. Na história da humanidade, as mudanças técnicas sempre acarretaram a refundação das instituições. Foi assim com as revoluções industriais anteriores, que, depois de perturbarem a antiga ordem do mundo abrindo as comportas da proletarização, da colonização e da industrialização da guerra e …

por em

Negociar a qualquer custo com Pyongyang

Para dirigentes norte-coreanos, poderio nuclear é a única garantia de possível sobrevivência O diabo nuclear escapou da garrafa. Poderá ser enclausurado de novo? Não é de hoje que ele faz das suas na República Popular Democrática da Coreia (RPDC): o primeiro ensaio data de 1993. Mas, desde o ano passado, Kim Jong-un manda soar o …

por em

O século de Lenin

URSS: União das Repúblicas Socialistas Soviéticas. De início, o nome não remetia a um território, mas a uma ideia: a revolução mundial. Suas fronteiras seriam aquelas da revolta que triunfara na Rússia, depois daquelas que se esperavam em outros lugares. No canto superior direito de uma imensa bandeira vermelha, uma foice e um martelo simbolizavam …

por em

A falácia dos 99%

No final de janeiro de 2015, Barack Obama acabou sofrendo um momento breve, mas amargo de constrangimento político. Uma proposta de medida orçamentária que ele acabara de enviar ao Congresso se revelou natimorta antes de ser submetida à votação – morta no ovo pelo próprio presidente. A ideia básica brilhava ao mesmo tempo por sua …

por em

“Querem nos impor uma vida irrefletida”

Como na maioria das periferias das grandes metrópoles, o extremo leste da cidade de São Paulo é formado por bairros ricos em diversidade cultural, mas carentes em projetos e equipamentos públicos que apoiem a produção artística e comunicacional de seus moradores.    Na luta por seus direitos culturais, os ativistas de Ermelino Matarazzo, distrito periférico …

por em

“Geringonça”, a aliança improvável

Não falta bom humor a Pedro Nuno Santos. O secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, de apenas 40 anos, expõe em um ponto nobre de seu escritório uma caricatura de Hélder Oliveira publicada na revista portuguesa Expresso. Ao volante de um triciclo extravagante e fumacento, o primeiro-ministro socialista, António Costa, olha direto para a frente, …

por em

Temer e a diplomacia do G-Nada

Em 2016, o cenário internacional passou por mudanças importantes: a aprovação do Brexit em consulta popular, o crescimento da narrativa de extrema direita na Europa e a eleição do instável Donald Trump para a presidência dos Estados Unidos são alguns fatores que colocaram em debate a ordem global ocidental estruturada no multilateralismo e nos valores …

por em

Ser gay e a saúde pública

  Fazia seis anos que eu não realizava um exame de HIV e, naquela ocasião, eu estava certo de que o resultado seria positivo e eu seria parte do número crescente de jovens gays (15 a 29 anos) soropositivos em São Paulo. Embora cuidadoso em minha vida sexual, não estava livre do risco da contaminação: …

por em

O caos penitenciário brasileiro

É uma das raras imagens tornadas públicas da prisão Vila Independência, em São Paulo: um emaranhado de redes forma uma teia de aranha onde aparecem, aqui e ali, os braços balançando ou as pernas de um prisioneiro. Nas paredes, distingue-se o esqueleto de metal sobre o qual está presa a estrutura de corda, que fragiliza …

por em

“A atuação das forças de segurança do Rio é marcada pelo caráter repressivo e pela criminalização da juventude negra”, diz Jurema Werneck

Jurema Werneck é médica, diretora da Anistia Internacional e ativista sobre temas relacionados à raça, ao gênero e à orientação sexual   Somente de janeiro a junho de 2017 ocorreram cerca de 2,5 mil tiroteios no Rio de Janeiro. Estes foram responsáveis por quase 800 mortes, segundo o aplicativo Fogo Cruzado que registra os dados …

por em

O que fazer do “brasil”?

Há trinta anos, Roberto DaMatta publicou um ensaio de grande repercussão: O que faz do brasil, Brasil?1 Discutia a identidade brasileira e nossa capacidade de negociar, relativizar e sintetizar, que lhe permitia acreditar na possibilidade de inventarmos um futuro comum, mesmo convivendo com desigualdades de todo tipo e articulando hierarquias com a cordialidade que seria …

por em

Vidas matáveis, morte em vida e morte de fato

Treze de agosto de 2015, 23h09, município de Barueri, região metropolitana de São Paulo. Três homens encapuzados chegam em um carro prata. Com armas em punho, rendem os clientes de um bar – cerca de dez homens – e os direcionam para o fundo do estabelecimento, fazendo que coloquem as mãos sobre a cabeça. Em …

por em

O conservadorismo moral como reinvenção da marca MBL

– O MBL (Movimento Brasil Livre), organização com membros investigados por diferentes crimes e financiado por partidos como o PMDB e grupos de interesse econômico dos EUA, surgiu inspirado nas formas de mobilização da juventude, como as vistas em 2013, especialmente na força das redes sociais. Isso pode ter acontecido na escolha de um nome …

por em

A violência e o retorno do Leviatã

Na manhã de domingo, do dia 17 de setembro, moradores da Rocinha acordaram ao som de tiros, num conflito interno entre os traficantes da comunidade. Na noite do mesmo dia, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, mais um policial militar foi morto, o 103º. Em julho, moradores da Vila Kennedy, zona oeste do …

por em

O adeus às armas?

Os três movimentos armados em luta contra os Estados britânico, espanhol e francês sobreviveram várias décadas a mais que outras organizações clandestinas que emanavam de nações sem Estado, na Bretanha, nas Antilhas francesas, na Catalunha, no País de Gales e na Escócia. Eles sobreviveram igualmente a numerosas lutas armadas de extrema esquerda que marcaram a …

por em

Como entrevistar Adolf Hitler?

Até segunda ordem, Hitler não quer dar entrevistas na presença de jornalistas franceses, o que se explica pela atitude da França em relação à Alemanha.” Essa comunicação de inadmissibilidade enviada em março de 1932 pelo secretário do chefe nazista a um enésimo solicitante não permitia réplica. Se o banimento da imprensa francesa se flexibilizou após …

por em

Direito ou gentrificação?

O Rio de Janeiro é conhecido por ter parte de suas “periferias” nas áreas centrais, em forma de favelas, genuínos focos de resistência à centrifugação dos mais pobres, deflagrada pelos preços da terra e pelas leis de mercado. Desde a década de 1980, uma série de programas de dotação de infraestrutura vem sendo testada e …

por em

“Redução da maioridade vai gerar mais crimes e violência”

  O Estado estará tirando adolescentes das unidades de internação, onde hoje eles são atendidos por educadores, psicólogos, assistentes sociais, para colocá-los em masmorras medievais, que são os presídios do país! Nessas prisões, esses jovens serão comandados por chefes de facções criminosas.” Essa é a análise do advogado Ariel de Castro Alves sobre a proposta …

por em

Maioridade penal: mitos e fatos

Mais uma vez a sociedade brasileira é bombardeada por uma campanha pelo retrocesso na legislação e nas políticas públicas relativas à responsabilização de adolescentes infratores. Desde a entrada em vigor do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), em 1990, sempre que os cálculos político-eleitorais de lideranças e grupos conservadores revelam oportunidade de exploração da …

por em

Capitalismo e Política II: Limites da democracia

O discurso liberal insiste em identificar democracia com capitalismo, como se país democrático e país capitalista fossem sinônimos e os regimes totalitários e ditatoriais se implantassem em contradição com os princípios e interesses do capital. Na verdade, porém, a democracia no capitalismo reduz-se à efetiva participação da minoria e os golpes e regimes autoritários são …

por em

Sobre um pano azul com doze estrelas amarelas

No começo, essa grande esperança tinha tudo para dar certo. São Tomás e Victor Hugo, uma feliz mistura de inspiração cristã e profecias humanitárias, generosidades e verossimilhanças. Era a marcha inexorável rumo à unificação dos povos num governo global, como outrora as regiões nos Estados-nações ou, ainda, certezas fortes e simplistas como “A união faz …

por em

Capitalismo e Política (primeira parte): A corrupção

Ao contrário do discurso liberal e das grandes corporações de mídia, a corrupção não é um desvio na política que possa ser corrigido pelo lado moral, mas forma essencial e necessária de funcionamento do Estado no capitalismo. Quando, nos séculos XVII e XVIII, a burguesia europeia ansiava por ocupar seu espaço no poder monopolizado pela …

por em

No Arizona, o muro de Trump já existe

Passada a vila de Sierra Vista, no Arizona, e vários quilômetros de estradas empoeiradas, a fronteira se anuncia. Em uma colina que abriga a vanguarda da vigilância, surge o rancho de Glenn Spencer. Com a barba recém-feita, ele está de pé desde as 3 horas da manhã, como faz todos os dias, para interceptar as …

por em

A guerra racial de alta letalidade

A própria realidade, com base na experiência das pessoas negras na América, prova que estamos e sempre estivemos em um estado de guerra […] A natureza desta guerra assume muitas formas diferentes, às vezes abertamente violentas, às vezes economicamente restritivas, e ainda outras vezes socialmente repressivas. Desta forma não deve ser muito difícil para nós …

por em

Stálin e Hitler: irmãos gêmeos ou inimigos mortais?

Acontecimentos históricos e categorias teóricas   Na atualidade, com base na categoria de “totalitarismo” (a ditadura terrorista do partido único e o culto ao líder), Stálin e Hitler são considerados as máximas encarnações desse flagelo, dois monstros com características tão semelhantes a ponto de parecer gêmeos. Não por acaso – argumenta-se –, ambos se uniram …

por em

Rio de Janeiro sitiada?

“Meu nome é Sebastião e estou ferido. Mas não me entrego.” Assim começa o vídeo institucional lançado pelo governo federal no domingo, 30 de julho de 2017, dois dias após tropas militares ocuparem, sem aviso prévio, pontos estratégicos do Rio de Janeiro, São Gonçalo e Niterói. O tal “Sebastião”, avisa uma voz grave, é “São …

por em

A armadilha dos 99%

A 100 °C a água ferve, com certeza. Mas é melhor não esperar que a vida das sociedades se dobre diante das leis da física. O fato de 1% da população possuir a maioria das riquezas produzidas na Terra não faz dos 99% restantes um grupo social solidário, muito menos uma força política em ebulição. …

por em

Avançamos e levamos porrada ao mesmo tempo

LE MONDE DIPLOMATIQUE BRASIL – O cotidiano LGBT vem melhorando no Brasil nos últimos anos? KLECIUS BORGES– A grande mudança das últimas duas décadas foi o aumento da visibilidade do que a gente chama de as diferenças de sexualidade e identidade. Até então, a homossexualidade ou as sexualidades menos de acordo com a heteronormatividade viviam …

por em

Estratégias da violência se fundam no genocídio de negros, pobres e mulheres

Muito se ouve, se fala e se sente acerca da violência. O ódio se encontra disseminado entre as pessoas dissonantes, como se não fosse possível habitar o mesmo espaço do outro que pensa e age diferente. A violência institucional do Estado prolifera, seja na omissão de um sistema prisional, que produziu mortes em massa no …

por em

“Queermuseu”: A apropriação que acabou em censura

  Na última semana, foi impossível passar incólume de um assunto nos sites de notícias e nos fóruns virtuais: a censura da exposição Queermuseu – cartografia das diferenças na arte brasileira, realizada no Santander Cultural na cidade de Porto Alegre. A mostra foi fechada arbitrariamente pela instituição – que cedeu a pressões de setores conservadores …

por em

As três batalhas de Raduan Nassar

Pela garganta é que se reconhece a fibra da reflexão, pelo calibre ranzinza da goela na hora de engolir”, diz, em Um copo de cólera, o personagem quarentão à sua jovem parceira, atribuindo, não à cabeça ou à profissão, mas a um defeito de anatomia a independência do pensamento. A contundência do timbre utilizado pelo …

por em

A desorientação da social-democracia alemã

Numa manhã chuvosa de primavera, um grupo de estudantes caminha ao longo da Stadthalle, em Bad Godesberg. Nenhum dos adolescentes se dá ao trabalho de dar uma olhada nesse edifício fora de moda pertencente à cidade e que serviu de cenário para um congresso histórico do Partido Social-Democrata da Alemanha (SPD). Em novembro de 1959, …

por em

Crises em cadeia

Como demonstrou o historiador Reinhart Koselleck, o sentimento de crise é inerente à condição do homem moderno.1 As mudanças tecnológicas, os ciclos da economia e a evolução da cultura contribuem para alimentar uma impressão de constante novidade e, em consequência, de fim de época. Acontece, no entanto, que a crise é real, e muitas delas …

por em

Golpes democráticos

Com a aura proveniente de uma eleição vencida com 3 milhões de votos a menos que sua adversária, o presidente Donald Trump escolheu a Arábia Saudita para denunciar a ausência de democracia… no Irã. Depois, em Miami, diante dos sobreviventes de uma operação militar fracassada montada em abril de 1961 pela CIA contra o governo …

por em

O Executivo como servo do povo

No século XVIII, o iluminista Charles de Montesquieu esboçou na obra “O Espírito das Leis”(1748), a teoria dos três poderes. Para ele, tudo “estaria perdido se o mesmo homem ou o mesmo corpo dos principais ou dos nobres, ou do povo exercesse esses três poderes: o de fazer leis, o de executar leis, o de …

por em

A igualdade de gênero é boa para a segurança e o desenvolvimento econômico. Então, por que ela não é uma prioridade?

A violência contra as mulheres não acontece por acaso. Quanto maior a desigualdade de gênero, mais graves são os níveis de violência contra as mulheres. O inverso também é verdadeiro: quanto maior a igualdade entre os sexos, mais segura é uma sociedade para todos. Os dados não deixam dúvidas: um dos melhores indicadores de estabilidade …

por em

Patriarcado e a cultura do estupro no Brasil

Em 21 de maio, no Rio de Janeiro, um crime brutal, cometido a uma garota de 16 anos, chocou parte considerável da sociedade brasileira. A adolescente foi estuprada por mais de trinta homens, sendo ao menos um deles conhecido da garota, pois era o seu namorado. Outros dois estupros ocorreram na mesma semana. No dia …

por em

Os governos e as ruas

Na Avenida Paulista, em 15 de março, os músicos tocaram o trecho “Fortuna”, de Carmina Burana, e um coro de milhares de vozes entoou “Fo-ra, Te-mer, Fo-ra, Te-mer”, na mesma cadência. O governo pós-impeachment começou sob protestos como esse, que prolongaram campanhas anteriores. Tanto o “Fora, Dilma” como o “Não vai ter golpe” decorreram dos …

por em

Um assalariado sem submissão é possível

É raro ver trabalhadores reivindicando uma relação de submissão com seus patrões. No entanto, os condutores de veículos particulares que trabalham em conjunto com as plataformas digitais, como o Uber, empunharam essa bandeira na França. Eles querem sair da situação de autônomos para poder contar com direitos sociais, argumentando que, na verdade, dependem de um …

por em

A temível influência saudita nos EUA

A Arábia Saudita teve motivos para receber com inquietação a vitória de Donald Trump em novembro de 2016. Afinal, sua velha amiga Hillary Clinton não economizava elogios ao reino, que ela apresentava como uma força de paz e estabilidade, enquanto seu adversário republicano havia anos só falava horrores a respeito dele. Depois dos atentados de …

por em

A democracia no Brasil ou a (des)esperança equilibrista

O trecho acima, da letra da canção O bêbado e o equilibrista, de 1978, expressa como nunca o Brasil de hoje, em que o impedimento da presidenta Dilma Rousseff significa, em verdade, o impedimento da democracia no Brasil. Grande parte da cultura de resistência política nas mais diversas manifestações artísticas que marcaram a oposição à …

por em

Nos bastidores da Assembleia Geral da ONU

Na Assembleia Geral das Nações Unidas, não há Estados pequenos”, afirma Dessima Williams em seu escritório na Casa de Vidro, a sede envidraçada da ONU em Nova York. A ex-embaixadora de Granada que se tornou conselheira especial do presidente da Assembleia dá ênfase a cada palavra para ter certeza de que entendemos bem. Diante de …

por em

O cerco chinês se fecha sobre Hong Kong

Presidente chinês Xi Jinping (ao centro) e a chefe do Executivo de Hong Kong Carrie Lam (à direita) nas celebrações de vinte anos da transferência de soberania A nova chefe do Executivo, Carrie Lam, prestou juramento em grande pompa no dia 1º de julho de 2017, numa Hong Kong cercada de barricadas onde estavam espalhados …

por em

A grande batalha em torno dos transgênicos na África

Foi uma boa surpresa para Paul Badoun, produtor de algodão da região de Bobo-Dioulasso, em Burkina Faso: há pouco menos de um ano, um amigo lhe ensinou que não precisava mais cultivar o “maldito algodão Bt” que havia anos vinha sendo imposto pela empresa burkinense de fibras têxteis (Sofitex). “Bt” significa Bacillus thuringiensis, uma bactéria …

por em

O naufrágio da universidade francesa

O ensino custa caro. Como não ser tentado a reduzir seu valor? O Estado neoliberal não tem a primazia dessa preocupação administrativa, concebida como uma exigência de racionamento. A resposta principal que se dá a ela – limitar os efetivos – se confunde mais ou menos com uma seleção social. Esquece-se um pouco que Maio …

por em

Como a Alemanha transformou desempregados em empregados pobres

Oito horas: o Centro de Emprego do bairro berlinense de Pankow acaba de abrir seus portões e quinze pessoas já fazem fila no balcão de recepção, cada uma dentro de seu casulo de silêncio ansioso. “Por que venho aqui? Porque, se você não responde à convocação, eles tiram o pouco que lhe dão”, resmunga um …

por em

Um trunfo geopolítico para a Rússia

O presidente chinês, Xi Jinping, pode se congratular pelo sucesso do primeiro fórum destinado ao projeto das novas rotas da seda, aberto no dia 14 de maio de 2017 em Pequim. Fora a Índia, que boicotou o evento por se opor à construção de uma autoestrada no Planalto de Doklam (em chinês, Donglang), disputado pelo …

por em

Um supersoldado saído dos laboratórios

Diante de armas cada vez mais aperfeiçoadas, o soldado “se torna o elo mais fraco” dos sistemas defensivos. Essa constatação da Agência Norte-Americana para os Projetos de Pesquisa Avançada da Defesa (Darpa), formulada num relatório não confidencial datado de 2002,1 faz pensar em outra: ainda que os robôs tomem o campo de batalha, o Exército …

por em

As ramificações do escândalo Odebrecht

Ele era conhecido por seu bom humor e pelo sorriso franco. E foi assim que, em dezembro de 2016, Emílio Odebrecht, ex-presidente do maior grupo industrial brasileiro,1 apresentou-se diante dos procuradores da Operação Lava Jato, que investiga a corrupção há três anos. A atmosfera poderia ter sido tensa: ele é acusado, ao lado de 76 …

por em

“A solução para a crise está nas favelas e periferias”

“A solução para a crise está nas favelas e periferias. Basta ver o que estamos fazendo de forma independente, basta nos ouvir, basta parar de nos observar pela mira do fuzil de um policial.” A conclusão é de Raull Santiago, do coletivo carioca Papo Reto, formado por moradores dos complexos do Alemão e da Penha, …

por em

Dissonâncias do progresso

O que é progresso? Para alguns teóricos, apenas uma palavra que não passa de um slogan, um clichê ou, no máximo, um mito; pode ser também uma crença, jamais um conceito. Para ganhar estatuto de “conceito” universal, o termo se apoia em outras palavras em busca de legitimidade e, assim, passa de relativo a absoluto: …

por em

O problema do Brasil é o ódio ao pobre

  Este artigo é o resumo parcial de um fio condutor que percorre meu último livro, lançado em setembro pela editora Leya com o título A elite do atraso: da escravidão à Lava Jato. Na publicação, busco enfrentar o desafio ambicioso de formular uma gênese histórica alternativa à narrativa hoje dominante, seja na direita, seja …

por em

Metamorfoses da mídia norte-americana

Há meio século, o presidente norte-americano Richard Nixon fustigava as “mídias” como se elas fossem uma entidade única e indistinta. Numa época dominada por um punhado de redes de televisão, revistas e jornais, ele não estava muito errado. Contudo, a partir do início dos anos 2000, o panorama se diversificou. Podemos distinguir três famílias, em …

por em

A autocrítica da sobrevivência

Desde que deixou a Prefeitura, após um mandato de quatro anos (2013-2017), Fernando Haddad intensificou o número de viagens pelo Brasil para, segundo ele, sentir o clima do ambiente acadêmico em um momento de cortes na área da Ciência e Tecnologia, Cultura e Direitos Sociais, promovidos pelo governo Temer. Entre palestras e aulas magnas, o …

por em

O risco de colocar a ideologia à frente da ciência

Dezenas de organizações da sociedade civil se dispuseram a acompanhar (e tentar contribuir com) a elaboração do Programa de Metas que orientará a gestão da maior cidade da América do Sul até a virada da década em temas diretamente relacionados ao maior desafio da humanidade neste século: o aquecimento global. Uma análise minuciosa das contribuições …

por em

Quando a África do Sul importava franceses

“Sabíamos muito bem o que era o apartheid.” Para Jean, funcionário da siderúrgica dos Altos Fornos da Chiers, na região da Lorena, a escolha pela imigração não era insignificante. Um simples encarte no jornal Républicain Lorrain foi o suficiente para fazer esse fura-greve tomar a decisão, cansado do clima político dos anos 1960 e dos …

por em

Somos todos mutantes

Você é contra ou a favor?” No campo da genética, especialmente no das modificações dirigidas dos genomas, essa questão crucial com frequência se sobrepõe a outras. Ela se coloca com uma insistência ainda mais estridente desde o desenvolvimento de novas ferramentas moleculares, chamadas CRISPR, que permitem cortar, eliminar ou substituir com facilidade sequências bem precisas …

por em

Vem aí um novo golpe?

O recurso que deve ser apresentado pelos advogados de Lula ao Tribunal Regional Federal (TRF) da 4ª região, em Porto Alegre, sobre a condenação sem provas de que o ex-presidente seja dono do tríplex do Condomínio Solaris, no Guarujá, pode, eventualmente, anular sua condenação e deixá-lo em condições de disputar as eleições de 2018. Mas, …

por em

Irmãos inimigos no Sudão do Sul

  No dia 30 de maio, o Vaticano anunciou o adiamento indefinido da viagem do papa Francisco ao Sudão do Sul, prevista para outubro. Não se trata de uma simples escapatória: a viagem revela-se realmente impossível diante da violência que assola o jovem país da África central, independente desde 2011. O saldo do conflito, iniciado …

por em

Austeridade fiscal permanente do fundo público

Dentro da discussão da política macroeconômica, desde a crise da dívida pública nos anos 1980, a política fiscal brasileira vem sofrendo um processo de inflexão quanto à sua capacidade de financiar o desenvolvimento nacional. Naquela década, com um quadro de desequilíbrio nas contas públicas advindo da ruptura do padrão de financiamento, da estatização da dívida …

por em

Da espanholização do Brasil

No final do século XX, momento de expansão global da racionalidade neoliberal, justificadora da revolução tecnológica e do capitalismo financeiro, Ulrich Beck, sociólogo alemão, dizia que se a Europa quisesse saber o que aconteceria no continente acaso as reformas de ajustes estruturais (chamadas de políticas de austeridade) fossem aprovadas, bastava que olhasse para o Brasil. …

por em

Para a África, produtos adulterados

O campo de tomates de 35 mu (2,3 hectares) fica perto de Wusu, uma cidade no norte de Xinjiang, na China, a meio caminho entre a capital regional, Urumqi, e o Cazaquistão. Entre uma centena de trabalhadores da colheita, a maioria migrantes de Sichuan e alguns uigures, uma jovem de 14 anos ergue o facão …

por em

Quando a justiça dilui o eleitorado

Ainda que ninguém duvide da existência de um déficit democrático da União Europeia, raramente se entende que sua principal fonte se encontra na transformação dos tratados europeus em Constituição. Essa foi a consequência da jurisprudência criada pela Corte de Justiça da União Europeia (CJUE), cujos efeitos comprometeram a aceitação da integração pelas populações. Até 1963 …

por em

Dois Minutos de Ódio (ou o perigo de ignorar os ressentidos)

Cresce no Brasil um velho conhecido tipo de medo e a insegurança. Não nos referimos aqui ao aumento no número de assaltos, sequestros e afins. São problemas aos quais se somam esses outros, cada vez mais frequentes em nosso país: as investidas agressivas de parte considerável da sociedade contra cidadãos defensores dos direitos humanos, politicamente …

por em

Uma nova ordem bipolar: a tragédia de um discurso superficial

A bipolaridade na política age como um imã. Exatamente como a Terra para a bússola. Em política, o magnetismo atrai os indivíduos que vagam em um mundo onde o excesso de opções suscita angústia. Quando nos distanciamos da política parlamentar e nos aventuramos pelo pensamento político-cultural dos cidadãos, nos deparamos com uma divisão (às vezes …

por em

Dez reais e a valorização do salário mínimo no Brasil

Na França dos anos 50, as campanhas eleitorais foram marcadas pela discussão sobre a pobreza da classe trabalhadora, da existência de “duas Franças”, de um lado uma França moderna, fruto do esforço de reconstrução do país, de outro, a França mergulhada na pobreza, herdada em grande medida do entre-guerras. É nesse cenário de discussão que …

por em

Para quem a Belo Sun mente?

Em fevereiro de 2017, a Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Estado do Pará (Semas/PA) autorizou a instalação da maior mineradora de ouro a céu aberto do Brasil. Trata-se do Projeto Volta Grande, da empresa canadense Belo Sun Mining Corporation, pertencente ao grupo Forbes & Manhattan Inc. e que será instalado na beira do …

por em

Profissão: deputado

Em 2013, uma deputada socialista da Gironda acusou alguns de seus jovens colegas de estarem desligados da “vida real” porque sempre teriam vivido apenas no “túnel da política”.1 Mais recentemente, em maio de 2016, um puro produto da elite francesa chamado Emmanuel Macron declarou: “Não faço parte dessa casta política e me felicito por isso. …

por em

Árabes na América Latina

Manifestante contra a guerra na Síria sobre a faixa de pedestre na Avenida Paulista O libanês de origem Michel Temer torna-se presidente do Brasil.” Em 1º de setembro de 2016, a manchete do An-Nahar, jornal conservador de Beirute, não fez a menor alusão a Dilma Rousseff, obrigada a ceder seu lugar àquele que até então …

por em

Os limites da democracia brasileira

O golpe de 2016 contra a presidenta Dilma Rousseff, legitimamente eleita em 2014, revelou as contradições e os limites da Constituição de 1988 e do processo de democratização no Brasil. O golpe é, de certo modo, o desfecho de uma democracia que vinha perdendo intensidade ou, de outro modo, que não havia conseguido superar suas …

por em

O destino da garota desconhecida

Não se pode acusar o cinema de ter passado ao largo dos reveses recentes no mundo do trabalho. A precarização das relações produtivas e o desemprego maciço ganharam as telas em filmes como Recursos humanos (Cantet, 1999), Segunda-feira ao sol (Aranoa, 2002), As neves do Kilimanjaro (Guédiguian, 2011) e A lei do mercado (Brizé, 2015). …

por em

Os povos indígenas, emparedados pela crise política no Brasil

Após duas décadas de ditadura militar, a  Constituição de 1988 consagrou os direitos humanos e a proteção do meio ambiente. Apelidada de Constituição Cidadã, expressou a esperança de um regime de justiça e democracia. Trinta anos depois, ela já sofreu múltiplas distorções: seus termos não são observadose, mais grave ainda, emendas constitucionais e outras normas …

por em

Cinco motivos pelos quais um fascista tem chances reais nas próximas eleições

Não sou Michael Moore e nem pretendo ser. Mas no Brasil estamos vivendo um filme, de drama e com um roteiro ditado por poucos. É neste cenário, de almas derrotadas, de debacle econômica e de paralisia geral é que escrevo este artigo. Como o cineasta, delimito cinco motivos para que nas eleições de 2018 um …

por em

Reencontrar o riso de Bertolt Brecht

Descobrimos Bertolt Brecht na França em 1954 com a apresentação de Mãe Coragem e seus filhos, no Festival Internacional de Teatro de Paris pelo Berliner Ensemble, um acontecimento sem precedentes.1 O Teatro Nacional Popular (TNP), os teatros nascidos da descentralização, as companhias: todos saudaram e endossaram rapidamente a revolução que o dramaturgo alemão propôs na …

por em

Na Guiana Francesa, a corrida do ouro… e da Bíblia

Com reivindicações próprias, as organizações indígenas estiveram plenamente presentes na movimentação social ocorrida na primavera deste ano na Guiana Francesa. Sentindo-se esquecidos pelas autoridades públicas, os seis povos originários do território (entre 10 mil e 20 mil pessoas, segundo estimativas) convivem de perto com traficantes de ouro e sofrem a devastação do garimpo, tanto ambiental …

por em

Um caminho para o ódio: ciberespaço e o crescimento da extrema direita

Fico extremamente triste ao saber que alguns alunos do ginásio e do Ensino Médio estão fazendo reverência a Jair Bolsonaro, pregando uma moral tradicional, enquanto nos aplicativos trocam vídeos pornográficos e nos finais de semana enchem a cara em boates onde as entradas só são permitidas para maiores. Pregam o extermínio de bandidos, mas compram …

por em

Último salto rumo à seleção humana

O termo “eugenia” foi inventado no final do século XIX por Francis Galton, antropólogo primo de Charles Darwin, para definir a “ciência da melhora das raças”. O infanticídio, a gestão dos casamentos, a esterilização, o extermínio e o aborto correm o risco de em breve aparecerem como meios muito medíocres para melhorar a qualidade humana, …

por em

O desmonte da universidade pública e branqueamento cultural: outra estratégia do genocídio

Sem dúvida, as contribuições de Abdias Nascimento, intelectual e político negro brasileiro, são de fundamental importância à formulação de um quadro mais geral de interpretação a respeito dos retrocessos sociais acelerados pelo golpe civil-parlamentar travestido de impeachment em 2016. Abdias não se limitou a constatar o mais óbvio da violência que recai sobre grupos historicamente …

por em

A memória da terra: o que o marco temporal não pode apagar

Desgraçado país o que tenha medo de livrar-se dos próprios erros porque para liberta-se deles tenha de exibi-los. Mil vezes exibi-los, e expondo-os inspirar horror, para que nunca mais voltem a repetir-se, do que envergonhadamente ocultá-los e ocultando-os, protegê-los, com o risco de voltarem amanhã, confiados na complacência que enseja, senão estimula os abusos. (ministro …

por em

As mulheres e a Batalha de Mossul

  Após diversas tentativas, em julho de 2016 uma ofensiva liderada pelo exército iraquiano e pelas forças peshmerga conseguiu retomar Mossul. Durante três anos, a cidade havia sido controlada pelo auto-denominado Estado Islâmico do Iraque e Levante, também conhecido como Daesh . A vitória do Iraque, das forças do Curdistão iraquiano e seus aliados—que contaram …

por em

Hollywood e a liberdade norte-americana

Africanos, asiáticos e ocidentais unidos para defender a liberdade norte-americana. Disso se trata o filme Independence day: o ressurgimento. No 4 de Julho, alienígenas invadem a Terra, mais especificamente os Estados Unidos. A cabeça da líder da espécie invasora lembra o penteado das rainhas inglesas (coincidência?). Em um dado momento da aventura, a nave alienígena …

por em

Neofascismos e crise política no Brasil

A “Dezembrada” ocorreria no dia 12 de dezembro de 2015, em Curitiba, e serviria como congresso de fundação da Frente Nacionalista (FN), recém-criado movimento de coalização política. Entre as formalidades, oito bandas se apresentariam a um público de aproximadamente mil pessoas que se deslocavam de várias regiões do país. Dias antes, porém, o evento foi …

por em

Nas vielas da periferia, a insubmissão

  “Eu acreditava, sinceramente, que não iria dar em nada”, conta Marcelo Alonso, 46, autor da proposta legislativa que quer criminalizar o funk no Brasil. Em maio de 2017, sua ideia alcançou, há 8 dias do vencimento do prazo, 20 mil apoios no site do Senado Federal, número mínimo para que fosse apreciada na Comissão …

por em

O craque crespo

Desde que Neymar despontou no futebol, uma de suas marcas registradas é o cabelo. Sempre com um visual novo a cada campeonato, o jogador já apareceu em campo com corte moicano, tingido de loiro, raspado e com os fios alisados (ou tudo isso de uma vez), inspirando milhares de fãs mirins a adotar seus looks …

por em

O médico e o monstro – A reforma trabalhista e o exercício da medicina no Brasil

No dia 13 de julho, foi sancionada pelo Presidente Michel Temer o Projeto de Lei da Câmara 38/2017, a reforma trabalhista, que alterou profundamente a CLT. O projeto, que teve acelerada tramitação tanto na Câmara dos Deputados como no Senado, suscitou caloroso debate entre os parlamentares. No entanto, não houve o tempo e o espaço …

por em

A agricultura orgânica ameaçada pela indústria do “orgânico”

Nada se parece mais com uma maçã do que outra maçã”, afirma Claude Gruffat, CEO da Biocoop. O que faz a diferença são os valores. A agricultura orgânica representa hoje 5,7% das áreas agrícolas francesas, ou seja, três vezes mais que em 2002. Esse mercado em pleno crescimento atrai importantes grupos de beneficiamento e distribuição, …

por em

O que não se aprendeu com a tragédia no Rio Doce

É de amplo conhecimento que a extração mineral gera impactos negativos sobre o meio ambiente e as pessoas que vivem em seu entorno. Entre esses impactos, a geração de rejeitos passou a ser discutida no Brasil após a tragédia decorrente do rompimento da barragem do Fundão, em Mariana (MG). Apesar do crescente questionamento, grandes mineradoras …

por em

Novo massacre indígena no Maranhão

Os buracos de bala são as testemunhas na silenciosa e bucólica paisagem de um sítio na Baixada do Maranhão. Estão em troncos de árvores, nas paredes externas da casa. Traçam o caminho realizado por cerca de trinta indígenas do povo gamela, que haviam ocupado o local horas antes, recuando diante do avanço de 250 indivíduos, …

por em

O desprezo pelo povo

O populismo transcende as divisões ideológicas tradicionais.1 Enquanto o nacionalismo anti-imigração de Donald Trump crescia para tomar de assalto o Partido Republicano e a Casa Branca, à esquerda Bernie Sanders mobilizava os trabalhadores com remédios inspirados no Partido do Povo (People’s Party), que emergiu no final do século XIX em resposta à influência de bancos …

por em

“Não há negociação se a oposição mantiver uma estratégia baseada na insurreição”, afirma Adolfo Pérez Esquivel

Agraciado com o prêmio Nobel da Paz em 1980, o ativista dos direitos humanos, Adolfo Pérez Esquivel, pede objetividade e serenidade na resolução da crise institucional e política que assola o governo de Nicolás Maduro, na Venezuela. Com as atividades da Assembleia Nacional parcialmente interrompidas, um confronto entre simpatizantes do governo chavista e parlamentares oposicionistas …

por em

A história do capitalismo contada pelo ketchup

No coração do Vale de Sacramento, na Califórnia, no salão de um restaurante decorado com ursos e cobras empalhadas, um homem morde seu hambúrguer diante de um frasco de ketchup. Chris Rufer, proprietário da Morning Star Company, é o rei mundial da indústria do tomate. Com apenas três fábricas, as maiores do mundo, sua empresa …

por em

Em Chiapas, a revolução continua

Eles têm medo que descubramos a possibilidade de governarmos a nós mesmos”, lança a maestra Eloisa. Essa frase é proferida desde 2013 a centenas de simpatizantes vindos do México e de fora do país para conhecer a experiência zapatista durante uma semana de imersão ativa. Batizada carinhosamente de “Escuelita”, essa iniciativa visava inverter a síndrome …

por em

O ar-condicionado ao assalto do mundo

A cidade de Hamilton, no Canadá, não é conhecida pelo clima ameno: todo ano, a temperatura se mantém negativa durante 129 dias e passa dos 30 °C em apenas 18. Nessa localidade de 500 mil habitantes, 82% dos domicílios possuem climatização, uma tecnologia que o conselho municipal se encarrega de fornecer gratuitamente aos residentes pobres …

por em

Golpe de toga

Golpe militar, de Estado ou de mão. Para quem achava que havia visto de tudo, eis que o Brasil nos lembrou de mais um. Desde a tentativa de derrubar Hugo Chávez na Venezuela em 2002 e do alegado sequestro do presidente do Haiti, Jean Aristide, por militares norte-americanos dois anos depois, a América Latina parecia …

por em

No Arizona, o muro de Trump já existe

Muitos corpos não são recuperados: a prioridade da Border Patrol é pegar os vivos Passada a vila de Sierra Vista, no Arizona, e vários quilômetros de estradas empoeiradas, a fronteira se anuncia. Em uma colina que abriga a vanguarda da vigilância, surge o rancho de Glenn Spencer. Com a barba recém-feita, ele está de pé …

por em

Os invisíveis geram medo

A situação ainda não está fora de controle, mas há riscos de entrarmos em um período de confrontos e violência muito mais agudos do que vivemos atualmente. O que acontece hoje no Rio de Janeiro é sinal do que vem por aí. Já assusta todo mundo o fato de que o Brasil atingiu a marca …

por em

A grandeza perdida da malha ferroviária argentina

Estação Retiro-Mitre,   Buenos Aires. Sob o arco estruturado por um entrelaçamento de ferro e vidro turvo, uma multidão de passageiros se apressa. No calor do verão austral, a maioria está saindo de férias. Diante deles, uma dezena de plataformas vazias e… um único trem. Um perfume de mate – uma infusão local – banha …

por em

Quem matou Samora Machel?

Em 19 de outubro de 1986, o primeiro presidente de Moçambique independente, Samora Machel, de 53 anos, morreu num acidente de avião na encosta da colina de Mbuzini, no nordeste da África do Sul. Ele voltava, a bordo de um Tupolev 134A, de Mbala, no norte da Zâmbia, onde havia participado de uma cúpula regional. …

por em

O governo Temer na economia: conjuntura, estrutura e “fracasso”

No fim de abril de 2017, os sinais da conjuntura econômica eram dúbios, mas não autorizavam grande otimismo. Beneficiados por uma mudança metodológica (usual, mas desta vez muito mal esclarecida) relativa aos setores de comércio e serviços, os indicadores antecedentes apontavam para um encerramento da recessão no primeiro trimestre. Por outro lado, os dados de …

por em

Casamentos desastrosos no Tadjiquistão

No quintal de uma casa no coração de Duchambé, a capital do Tadjiquistão, dezenas de mesas transbordam com entradas, frutas, chapatis gordinhos e refrigerantes fluorescentes. Neste sábado, às 7 horas da manhã, sob o sol já forte do mês de agosto, os convidados chegam para degustar o plov – tradicional prato de arroz pilaf, cebola, …

por em

Na periferia, um prefeito contra os moradores

Bloqueio policial fecha rua de Sarcelles após manifestação contra violência na Faixa de Gaza Vocês estão cansados desse bando de malandros? Bem, vamos nos livrar deles!” A sala inteira explode de rir e aplaude: nesse 29 de maio de 2015, em Saint-Denis, assiste-se à projeção do filme Ils l’ont fait.1 O entusiasmo do público da …

por em

A racionalidade de Pyongyang

A retomada da tensão na Península Coreana, que se seguiu ao desfile militar espetacular organizado por Pyongyang e ao envio de uma frota ao largo de sua costa por Washington, não foi em si uma novidade. O que na realidade se revela novo é que a demonstração de força era um blefe: o porta-aviões e …

por em

FOME.DOC – as desigualdades sociais em suas diversas faces

  (…) “Quem não tem o seu iate / Sobe o rio de jangada / Balança povo… / Quem tem fome come muito / Mas há quem não come nada”. (…) “Todo dia tudo aumenta / Ninguém pode viver de ilusão / Assim eu não posso ficar, meu compadre / Esperando meu patrão / E …

por em

É preciso falar de Rafael Braga Vieira

A compreensão do sistema penal exige de nós não só uma reflexão aprofundada sobre o racismo e sobre como ele tem estruturado as relações de opressão, mas também um questionamento ativo do papel reprodutivo que a ideia de raça desempenha para o sistema penal, colocando de modo manifesto a estrutura da colonialidade que tem informado …

por em

Uma estrela chamada Clarice Lispector

Comecemos pelo fim. Dois volumes de correspondências publicados no Brasil, ambos traduzidos entre 2015 e 2016 para o francês,1 permitiram aos admiradores de Clarice Lispector se aproximar intimamente da romancista intangível nascida Chaya Pinkhasovna Lispector, no dia 10 de dezembro de 1920, em Tchetchelnik, Ucrânia. Desembarcada no Nordeste brasileiro aos 2 anos de idade com …

por em

A Palestina, sempre recomeçando

  No fim de abril de 2017, alguns parlamentares republicanos do Congresso dos Estados Unidos criaram um grupo (caucus) chamado “Israel Victory”.1 “Acreditamos”, declaram, “que Israel é vitorioso na guerra e que esse fato deve ser reconhecido se quisermos alcançar a paz entre Israel e seus vizinhos.” É necessário, diz um de seus membros, o …

por em

Refugiados, um bom negócio

Como em todos os salões internacionais, os estandes estão cobertos de cartazes com cores vivas, fotografias atraentes e recepcionistas bem vestidas. Homens elegantes de terno trocam ostensivamente seus cartões de visita. Entre os displays, grandes maquetes de contêineres com design impecável; cidades em miniatura nas quais reinam a ordem e a limpeza. “Posso lhe enviar …

por em

Entre o medo, o desdém e a cólera: o avanço da extrema direita no Brasil

Quem prepara os meios pelos quais se apoderaria de mim está em guerra comigo, embora não esteja ainda me lançando dardos nem flechas. Essa é uma frase de Demóstenes, orador grego que no discurso conhecido como a Terceira Filípica tenta convencer os atenienses a se protegerem do avanço de Filipe II da Macedônia em meados …

por em

Jovens negras do Brasil e a transmissão geracional do racismo e da desigualdade

Historicamente, a população juvenil brasileira tem enfrentado um quadro extremamente desfavorável no que tange à garantia de direitos. Contudo, a situação a que está confrontada a população juvenil feminina, negra e pobre, além de ser dramática, tem se tornado insustentável nos dias atuais. O alto risco que se impõe diariamente sobre a vida das jovens …

por em

A exaustão da Nova República

A grave crise política que polariza a luta de classes expressa a exaustão da democracia de cooptação, cristalizada na transição da ditadura militar para o Estado de direito. Enquanto o crescimento da economia alimentou a expectativa de melhoria social, as terríveis contradições de uma sociedade cindida entre ricos e pobres foram ignoradas e empurradas para …

por em

Crime e reformas nas Filipinas

Eleito em primeiro lugar por causa de um programa de combate à insegurança e à corrupção, o presidente Rodrigo Duterte lançou-se em uma guerra antidrogas de intensidade inédita nas Filipinas. Batizada de Double Barrel (Cano Duplo), a campanha teve como resultado, entre 1º de julho de 2016 e janeiro de 2017, a morte de mais …

por em

Há lógica no aumento dos impostos sobre combustíveis?

O Governo anunciou o aumento de impostos sobre combustíveis sob o pretexto de que essa medida tinha como objetivo o “equilíbrio das contas públicas”. O discurso foi repetido insistentemente pela mídia. Inclusive pela Globo, que resolveu fazer oposição ao Governo que ela mesma ajudou a chegar ao poder sem o voto popular. O conteúdo opinativo …

por em

Unila: por uma integração dos povos latinocaribenhos

Imperialismo e subimperialismo Em 1917, Lênin explicitou com muita sagacidade a transição do capitalismo concorrencial para o monopolista. Uma fase superior à anterior, mais intensa de concentração e centralização do capital, com expressiva reconfiguração das relações econômicas internacionais. As independências das ex-colônias foram consolidadas nesse contexto de controle monopolista mundial, do dinheiro e das mercadorias.  …

por em

Anos loucos

A seus olhos a tempestade passou, a eleição de Donald Trump e o Brexit estão quase conjurados. A ampla vitória de Emmanuel Macron entusiasmou os meios dirigentes da União Europeia, e um de seus colunistas juramentados ronronou inclusive que se trataria da “primeira interrupção decisiva da onda populista”.1 Aproveitar o momento para fazer ser aprovada …

por em

É chegada a hora de pressionar por uma política de economia solidária

Estima-se que a Economia Solidária no Brasil, incluindo cooperativas e empreendimentos solidários, formalizados ou não, seja responsável por cerca de 3% do PIB nacional, envolvendo mais de três milhões de pessoas¹ Apesar desse número ser nada desprezível, quem gira essa economia tem muitas dificuldades em seu dia a dia, seja porque a Economia Solidária não …

por em

A Rússia volta ao Caribe

“É a primeira vez que um presidente russo visita a Nicarágua”, afirmou um eufórico Daniel Ortega, presidente do país centro-americano, diante de Vladimir Putin em uma sala abarrotada anexa do aeroporto de Manágua, em julho de 2014. A televisão estatal cobria o encontro ao vivo desde a aparição do avião presidencial no horizonte da cidade …

por em

A deriva brasileira no cenário internacional

Hangzhou/China – Presidente Michel Temer durante reunião da Cúpula do G20. ( Beto Barata/PR) Em maio, o Brasil chegou ao marco de um ano de governo Michel Temer. Este, para dizer o mínimo, foi guiado por propostas e ações baseadas em medidas de ajustes fiscais e reestruturações em áreas estratégicas da economia, da política e …

por em

Hora de quebrar ovos

No dia 17 de maio de 2017, o sonho do PSDB parece ter ido a pique. Segundo esse sonho, Michel Temer faria o serviço sujo, as eleições de 2018 seriam vencidas por um dos tucanos históricos, o país voltaria a crescer, devidamente alinhado com os Estados Unidos, sem espaço para “lulopetismos” e com o “custo …

por em

Direitos individuais no século da geolocalização

Vivemos em uma era em que latitude e longitude têm importância econômica, cuja consequência imediata é a corrida internacional pelo domínio da infraestrutura geográfica global. A Agenda 21, fruto da Rio 92, foi pródiga ao realizar essa análise, ao afirmar que a infraestrutura geográfica terá no século 21 a mesma importância que a energia elétrica …

por em

SÉRIE ESPECIAL: Cracolândia SP

Região da Luz em disputa: mapeamento dos processos em curso Não é de hoje que a região da Luz, no centro de São Paulo, sofre pressões para torná-la mais um polo de expansão do capital imobiliário e seus produtos: centros culturais, condomínios residenciais de classe média, torres corporativas. Há várias décadas, entretanto, esse território popular, …

por em

O Estado profundo

Quando um chefe de Estado errático e desinteressado em aprender qualquer coisa que ele ignore comanda o mais poderoso Exército do mundo, todos ficam em alerta. Mas, quando Donald Trump ordenou que seus generais bombardeassem a Síria e se envolvessem em exercícios navais na Ásia, ele foi ovacionado pelos parlamentares norte-americanos, republicanos e democratas, bem …

por em

Greve Geral faz 100 anos e coletivos celebram as lutas com cortejo, intervenções e filme

O cortejo Há 100 anos os direitos dos trabalhadores não estavam garantidos e regulamentados no Brasil, recém saído de quase 400 anos de escravidão. Era comum crianças de 10 anos trabalhando, jornadas de trabalho gigantescas, pagamento de salários de miséria frequentemente atrasados, mulheres recebendo menos do que os homens para a mesma jornada de trabalho …

por em

Santa Efigênia, Luz e Campos Elíseos: a Prefeitura derruba

Na história da cidade de  São Paulo, os bairros por onde vem se deslocando o chamado  “fluxo” ou   as  “novas e velhas Cracolândias” são os que desde o final do século XIX abrigam grupos sociais diversos; estrangeiros de diferentes origens;  palacetes e cortiços, espaços de produção e de comercialização, assim como as atividades ilícitas e …

por em

A península coreana na mira do império

    Recentemente, a península coreana se converteu mais uma vez em centro das atenções mundiais e objeto de preocupação no que diz respeito a um possível conflito armado ou mesmo a uma escalada nuclear. Com efeito, mais de um quarto de século após a derrocada do sistema soviético e dos regimes do Leste Europeu …

por em

Antonio Candido e a era da incerteza

    No dia 12 de maio faleceu Antonio Candido de Mello e Souza. Muito se disse que, com sua morte, deu-se o fim de uma era. A frase é duvidosa. Preferível seria dizer que ele era o último expoente (sobrevivente?) de uma época fundacional e riquíssima, que como tal se exauriu e, como tal, …

por em

Fazer sumir: políticas de combate à Cracolândia

Incêndio após operação policial na “nova cracolândia”, no dia 11 de junho de 2017 Em São Paulo, o dia 21 de maio despertou ao som dos aparatos de combate. Atiradores de elite da Polícia Civil, observados do alto por um helicóptero da Polícia Militar, posicionaram-se. Ao chão, mais especificamente no cruzamento entre as ruas Dino …

por em

Altamira e suas veias abertas por violências e grandes obras

“A Bolívia, hoje um dos países mais pobres do mundo, poderia vangloriar-se – se isto não fosse pateticamente inútil – de ter nutrido a riqueza dos mais ricos países. Em nosso dias, Potosí é uma pobre cidade da pobre Bolívia: ‘A cidade que mais deu ao mundo é a que menos tem’, como me disse …

por em

UERJ não está normal, não é por acaso e tem algo a dizer

A Universidade do Estado do Rio de Janeiro não é um projeto acabado, é um processo que vem se reconfigurando junto às mudanças na própria natureza da centralidade do Rio de Janeiro em um projeto de país. Se é inaugurada em 1950 como Universidade do Distrito Federal (UDF), depois, em 1961, seria rebatizada para Universidade …

por em

Déficit de Legitimidade

Desde a promulgação da Carta Constitucional de 1988, governos de diferentes orientações político-ideológicas buscam reduzir ou eliminar direitos previdenciários dos trabalhadores brasileiros. A primeira grande investida contra o sistema de seguridade social ocorreu na Revisão Constitucional de 1993. Mas naquela ocasião, o Congresso Nacional recuou na reforma da previdência quando se viu envolvido em um …

por em

O trabalho doméstico na crise econômica: uma dinâmica anticíclica

  O trabalho doméstico no Brasil tem determinações históricas e profundas, deitando suas raízes no passado colonial escravocrata brasileiro. A sua reprodução em larga escala e feita basicamente por mão-de-obra negra, advém da transição truncada do trabalho escravo para o trabalho livre, em fins do século XIX. As transformações políticas e econômicas brasileiras, levadas a …

por em

Vamos falar de populismo

Hoje, o conceito de populismo é usado para desqualificar ou criticar todas as iniciativas políticas que buscam o contato direto com as massas e são hostis ao sistema de representação democrática que envolve os partidos políticos. E é onipresente a avaliação de que o populismo é uma ameaça à estabilidade das instituições democráticas. Em sua …

por em

A Polarização do Golfo e seus recentes desdobramentos na Era Trump

A recente crise política no Golfo deixou o Catar, um dos menores e mais ricos países do mundo, em clima de instabilidade econômica, política e social. Sob a acusação de incitar o extremismo e o terrorismo ao apoiar particulares grupos islamitas, e também de estreitar os laços com a Republica Islâmica do Irã, os governos …

por em

Será que todo mundo evaporou?

Crédito: Ana De Francesco “Bem ali, onde está aquele pé de cajá morto, era a casa de Diano, irmão de seu Dinaldo. Logo ali era a minha, pode encostar.” Cleo vai até a beira da voadeira, que na impossibilidade de atracar em terra é amarrada a uma árvore seca. A casa de Cleo, assim como …

por em

Austeridade fiscal permanente do fundo público

  Dentro da discussão da política macroeconômica, desde a crise da dívida pública nos anos 1980, a política fiscal brasileira vem sofrendo um processo de inflexão quanto à sua capacidade de financiar o desenvolvimento nacional. Naquela década, com um quadro de desequilíbrio nas contas públicas advindo da ruptura do padrão de financiamento, da estatização da …

por em

Uma barreira também pode esconder outra

A chegada de Marine Le Pen, candidata da Frente Nacional (FN), ao segundo turno das eleições presidenciais francesas serviu pelo menos para eliminar os pudores e meneios éticos que em geral revestem o discurso jornalístico. E para mostrar os grandes meios de comunicação como eles realmente são: uma força política, aquela cujos tempos de fala …

por em

O habitar precário e invisível: conflitos e disputas da política habitacional no território da Cracolândia

Até o início do século XXI as tentativas de transformação urbana no centro de São Paulo estavam pautadas nos projetos culturais e na valorização do espaço público. Os governos municipais e estaduais investiram massivamente no restauro do patrimônio histórico e cultural e na revitalização de espaços públicos significativos. Anos se passaram e grande parte das …

por em

Os devedores do Código Florestal

O Imaflora (Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agricola) lançou nos últimos dias um novo estudo que atualizou números a respeito do Código Florestal no Brasil. Esta lei se aplica a todos os imóveis rurais privados do Brasil, que somam 58% do nosso território, e representa o principal mecanismo de proteção de suas florestas …

por em

A droga da exclusão

Marcello Casal/Agência Brasil Participei de reuniões sobre a cracolândia com os três últimos prefeitos de São Paulo. Na mais recente delas, em janeiro de 2017, a primeira grande reunião da gestão Dória sobre o tema, havia mais coronéis da PM e delegados do que psicólogos, psiquiatras e assistentes sociais. Pensei que, finalmente, iria ouvir a …

por em

À beira do precipício, Temer se agarra às reformas trabalhista e previdenciária

Manifestação no Rio de Janeiro durante a greve geral do dia 28 de abril. Crédito: ©Francisco Proner Ramos/Midia NINJA Como a história relatará esse período? Um presidente ilegítimo, com 92% de rejeição, considerando os dados da pesquisa Datafolha (24/6/17), um Congresso servil e corrupto, ambos atentando contra direitos conquistados por décadas de luta dos trabalhadores. …

por em

Na Síria, uma investigação interminável da ONU

Conselho de Segurança da ONU se reúne para discutir o uso de armas químicas em bombardeio contra a cidade de Khan Shaykhun  | Crédito: Un Photo/Evan Schneider Em 4 de abril de 2017, no início da manhã, um ataque com armas químicas contra a cidade de Khan Shaykhun provocou a morte de 87 pessoas, a …

por em

“Little Seul” e “Nova Luz”: cidades mundiais e a globalização de políticas urbanas municipais

Crédito: Eli Kazuyuki Hayasaka No dia 12 de abril de 2017, o prefeito João Dória, em visita à cidade de Seul, anunciou que o bairro do Bom Retiro, localizado na área central da cidade de São Paulo, irá passar por intervenções urbanísticas a partir de junho de 2017. Tais ações, a serem realizadas por meio …

por em

O Acordo de Paris, Mr. T e Bob Marley

Anunciando a saída do governo norte-americano do Acordo de Paris, Mr. T., de uma só vez e em poucos minutos, deu as costas para o mundo, para o multilateralismo, para o planeta, para os mais vulneráveis e para 70% dos norte-americanos que na última pesquisa de opinião disseram que não queriam que os Estados Unidos …

por em

Fissuras na renovação urbana da área central de São Paulo: do crack às PPPs na dinâmica imobiliária e urbana da região da Luz

Planos Luz – Hachuras amareladas e alaranjadas: Renovação Urbana, 1974; Luz Cultural, 1984; Polo Luz, 1996. Magenta: Monumenta, 2002; PRIH-Luz, 2004. Roxo e azuis: Concessão Urbanística Nova Luz, 2012; PPP Casa Paulista, 2014; PIU/MP700, 2016. Escala: 1/20.000** – Elaboração do autor sobre base do MDC, Mapa Digital da Cidade de São Paulo. Os eventos mais …

por em

Região da Luz em disputa: mapeamento dos processos em curso

  Não é de hoje que a região da Luz, no centro de São Paulo, sofre pressões para torná-la mais um polo de expansão do capital imobiliário e seus produtos: centros culturais, condomínios residenciais de classe média, torres corporativas. Há várias décadas, entretanto, esse território popular, um dos bairros mais antigos da cidade, com arquiteturas …

por em

O crack não existe

“Ato contra as ações higienistas” realizado no dia 26 de maio | Crédito: A Craco Resiste Encontrei de tudo na cracolândia nestes últimos meses em que frequentei intensamente o fluxo da Luz, na região central de São Paulo. Conheci viajantes, ex-caminhoneiros e estrangeiros. Escutei samba surgido de galão de água, lata de tinta e palma …

por em

A Nova Rota da Seda e o Brasil

  A China já começou a refazer a globalização à sua imagem. O presidente Xi Jinping anunciou que o seu governo irá investir US$ 124 bilhões (o equivalente a R$ 418 bilhões) em uma nova iniciativa para interligar a China e o resto da Ásia a partes da Europa e da África através de infraestrutura …

por em

Povos indígenas na mira de um governo ilegítimo

  O governo de Michel Temer vem colecionando momentos constrangedores em instâncias internacionais por não cumprir seus deveres constitucionais para com os povos indígenas. A repetida ausência de representantes do Ministério da Justiça em audiências e sessões que tratam de violações aos direitos indígenas em organismos internacionais como a ONU e a OEA tem imposto …

por em

Precisamos de desenvolvimento?

  Na década de 1910 a economia da borracha na Amazônia vivenciou profunda crise por conta do plantio em larga escala promovido pelos ingleses na Ásia. O comércio e a incipiente indústria locais entraram em colapso. A borracha amazônica se tornou secundária e isto repercutiu pesadamente sobre as contas nacionais. Ao longo daquela década se …

por em

Em busca de uma alternativa

O que pode fazer a cidadania em relação à crise política que envolve todos os partidos e promove a rejeição do sistema político como um todo? Para responder a essa pergunta, o primeiro passo é fazer um diagnóstico do que está acontecendo. Não bastam as políticas de ajuste que sacrificam a educação, a saúde, a …

por em

No Reino Unido, eleições, sanduíches e buracos no asfalto

Se houvesse uma única palavra para qualificar o bairro de Mill Hill, em Broxtowe, na fronteira oriental de Nottingham, seria certamente “engomadinho”. Cercas-vivas de coníferas e gramados milimetricamente cortados, peônias robustas e tulipas, carros lavados há pouco. O candidato trabalhista Greg Marshall, que percorre essa asseada zona residencial a três semanas das eleições gerais, sabe …

por em

Água e agronegócio: uma relação a ser mais bem examinada

As cadeias produtivas da agricultura e das agroindústrias têm cada vez mais impactado os recursos naturais em nosso país. Recentemente a água tem se tornado objeto de atenção por conta de diferentes impactos e disputas (muitas vezes não explícitas) relacionadas com a mercantilização das águas doces, que envolve a manutenção dos ecossistemas, a agricultura de …

por em

O mito da ascensão social por meio do basquete norte-americano

Sentado em sua cama num quarto bem-arrumado, um garoto negro contempla a bandeira de seu time do coração, os Knicks de Nova York. Ele veste a camisa de Kristaps Porzingis, jogador letão contratado em 2015 por US$ 6,5 milhões por ano, que empresta sua voz a essa publicidade da National Basketball Association (NBA – Associação …

por em

TV a serviço da tecnologia do racismo

Foto: cena do documentário “A negação do Brasil” de Joel Zito   […] que foi que ocorreu para que o mito da democracia racial tenha tido tanta aceitação e divulgação? Quais foram os processos que teriam determinado sua construção? Que é que ele oculta, para além do que mostra? Como a mulher negra é situada …

por em

Patologias da democracia

Por muito tempo, a democracia foi considerada um ideal, um progresso, uma conquista. Hoje, na melhor das hipóteses, entende-se que ela entrou por um descaminho e, na pior, que ela constitui, intrinsecamente, uma impossibilidade. Em todo caso, ela parece não ter mantido suas promessas e corre o risco de se reduzir a um simulacro, ou …

por em

Um pedido de desculpas oportunista

“Desculpas nem sempre são sinceras, quase nunca são” Renato Russo De fato, nem sempre as desculpas são sinceras, mas quando não o são, o pedinte deve criar uma imagem de sinceridade, um etos capaz de convencer os afetados a perdoá-lo. Na iminência da queda do presidente Michel Temer, precisamos ter em mente que esse golpe …

por em

A revolução dos professores

a Câmara discute decreto as novas diretrizes para a organização da rotina diária nas escolas da rede pública de Porto Alegre. Na foto: Secretário Municipal de Educação, Adriano Naves de Brito. O No ano em que se completa o centenário da Revolução Russa, uma outra revolução tomou as escolas de Porto Alegre. A ideia de …

por em

O que está por trás das denúncias da Globo contra Michel Temer e seus prováveis desdobramentos

Desde 2013, o Brasil vive um quadro de crise política institucional dos mais profundos. A iminente queda de Michel Temer constitui-se como apenas mais um capítulo dessa novela. Para discutirmos as denúncias contra o presidente da República e termos mais dados para análise, sem cairmos em previsões infundadas, é necessário clarear algumas constatações históricas fundamentais …

por em

Do céu ao (buraco do) inferno

No ban, no wall: vestidos de estátuas da liberdade contra os muros que Trump pretende levantar na fronteira mexicana e banir imigrantes e refugiados     Os últimos cinco presidentes dos Estados Unidos nas suas primeiras viagens ao exterior deram preferência visitar seus vizinhos e principais parceiros econômicos: Canadá e México. Em sua primeira turnê …

por em

O aumento da violência no campo tem a cara do Golpe

A violência é uma marca da trajetória do Brasil, 517 anos do “descobrimento” neste sábado, 22 de abril. Está nos momentos históricos e no cotidiano do povo, na cidade e no campo. A propalada “cordialidade” do tipo brasileiro tornou-se uma construção ideológica que impede de enfrentá-la. Há, por exemplo, um muito popular noticiário de violência …

por em

Fim dos direitos no campo?

A enorme relação de supressão de direitos trabalhistas, que está sendo chamada de reforma pela base governista no Congresso, vai ganhar um novo capítulo: 166 artigos referentes aos direitos do trabalhador rural foram reunidos no Projeto de Lei 6442/2016, que está na Comissão Especial da Câmara dos Deputados. Caso aprovado, devolveria as relações de trabalho …

por em

13 pontos para embasar qualquer análise de conjuntura

1 – O foco do poder não está na política, mas na economia. Quem comanda a sociedade é o complexo financeiro-empresarial com dimensões globais e conformações específicas locais. 2 – Os donos do poder não são os políticos. Estes são apenas instrumentos dos verdadeiros donos do poder. 3 – O verdadeiro exercício do poder é …

por em

As reformas, os direitos e a economia: o que sobrará depois?

A despeito dos acontecimentos recentes implicando a presidência, as reformas e medidas econômicas ainda seguem vivas e a elas que devemos atentar, independente do que venha a acontecer no Executivo daqui pra frente. Carmen Lúcia, presidente do Supremo, que eventualmente pode assumir o país, já vinha se reunindo com grandes empresários nas últimas semanas[1], e …

por em

Poderes desequilibrados, democracia frágil

A atuação do Ministério Público, da Polícia Federal e do sistema Judiciário, ainda que elogiada pelo combate à corrupção e pelo conceito republicano de bom uso do dinheiro público, podem contribuir para o enfraquecimento da representação política através das eleições. A avaliação é de José Murilo de Carvalho, historiador, membro da Academia Brasileira de Letras …

por em

As reformas, os direitos e a economia: o que sobrará depois?

A despeito dos acontecimentos recentes implicando a presidência, as reformas e medidas econômicas ainda seguem vivas e a elas que devemos atentar, independente do que venha a acontecer no Executivo daqui pra frente. Carmen Lúcia, presidente do Supremo, que eventualmente pode assumir o país, já vinha se reunindo com grandes empresários nas últimas semanas[1], e …

por em

“Não somos uma colônia dos Estados Unidos”

Há cerca de dois anos, o atual presidente norte-americano, Donald Trump, e seus conselheiros começaram a estudar de maneira sistemática o estado de espírito de seus compatriotas. Entre os sentimentos que mais se destacaram: decepção, irritação, cólera, tristeza e desespero. Na política, o método nada tem de extraordinário, sobretudo para aqueles que dispõem do dinheiro …

por em

O que significa a prisão de Desireè?

Desireè Mendes Pinto é uma mulher que está sob a ameaça iminente de retornar à prisão para cumprir o que resta de uma pena de seis anos à qual foi condenada e recorre hoje em liberdade. Detida em 2012, com apenas 30 gramas de crack, durante a Operação Sufoco – na qual diversos usuários de …

por em

O poder de morte da PM-SP – Parte II: Mecanismos de controle do uso da força

Políticas para o uso da força estão relacionadas diretamente à responsabilização e ao controle que deve ser exercido sobre as instituições policiais. As políticas devem ser capazes de definir regras, modelos, padrões e alternativas de comportamento visando a redução do uso da força letal. São várias as formas de accountability existentes nas práticas das polícias …

por em

O poder de morte da PM-SP – Parte III: Controle externo e controle interno

A Ouvidoria de São Paulo foi pioneira e a ela se seguiram ouvidorias em dezesseis diferentes estados brasileiros. Ela visa fazer o controle externo da polícia por meio do acolhimento de denúncias e o acompanhamento das ações envolvendo corrupção e violência policiais. Procura também dar transparência para os números da segurança pública e mais especificamente …

por em

Moscou perturba o consenso global

Em dezembro de 2015, um clipe produzido para celebrar os dez anos do canal RT (ex-Russia Today) exaltava a emissora pública russa. Vestida com um uniforme soviético, Margarita Simonyan, redatora-chefe do canal de notícias, apresenta os funcionários da emissora sediada na Rua Borovaya, em Moscou: Liuba, a senhora da limpeza, “recebe suas ordens diretamente do …

por em

O poder de morte da PM-SP – Parte I: Mandato policial

Em setembro de 2015, três anos após o governador de São Paulo Geraldo Alckmin declarar “Quem não reagiu está vivo” depois de operação policial que resultou na morte de nove possíveis “bandidos”, uma perseguição terminou com a morte de dois jovens no bairro do Butantã na capital paulista. Não fossem as gravações da ação dos …

por em

O desmonte do Estado de proteção social

Qualquer balanço que se faça do governo de Michel Temer, efetivado na titularidade da Presidência da República após um tumultuado e suspeito processo de impeachment, há de considerar que esse episódio não significou apenas uma troca de comando do Poder Executivo Federal, mas uma mudança de paradigma na relação com o mercado e com a …

por em

Um país repartido

Quase um ano sem Dilma. Desde 2015 o Brasil vem lidando com o problema da legitimidade das forças que disputam o controle do centro do poder político. Em 2015, as posições colidiam ao redor da questão sobre se o PT tinha legitimidade para governar o Brasil ante a crise econômica e moral para a qual …

por em

Serão felizes as mães?

Dia das mães para quem? A característica da sociedade em que vivemos é a de transformar tudo em mercadoria: desejos, sonhos, força de trabalho, tempo, cotidianidade. Para o dia, mercadoria, das mães, não é diferente. Propagandeia-se a ideia de mães, mulheres, belas, eternamente jovens em busca cotidiana de produções que freiem o efeito do tempo …

por em

Participe do debate sobre os impactos do governo Temer na cultura do país

Evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/394958467564282/ Para debater os reflexos do golpe de 2016 na cultura do país, o Le Monde Diplomatique Brasil, em parceria com a Editora Veneta e o Instituto Pólis, realizam neste sábado (13), a partir das 13h30, o debate “Um ano de golpes contra a cultura”. Exatamente um ano após o afastamento da …

por em

As condições de mulheres com deficiência e idosas na prisão

O sistema prisional já há muito tempo é questionado pelas suas inúmeras mazelas, como a superpopulação carcerária, seletividade da pobreza, condições degradantes, tratamento indigno, falta de salubridade, atendimento médico inadequado, alimentação precária, entre tantas outras violações de direitos. Além disso, é criticado pelo fato de não atender ao que se propõe, a tão esperada sensação …

por em

“Ultrapassar fronteiras é uma questão humana”

Professora associada do Instituto de Relações Internacionais e da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP), Deisy Ventura explica, nesta entrevista, como algumas questões de saúde pública podem restringir a mobilidade humana e, inclusive, cercear direitos.  Como os problemas sanitários e de saúde pública afetam as migrações no mundo? Quando se discute …

por em

Por que trabalharemos até morrer?

Fica cada vez mais claro para todos que as reformas trabalhista e previdenciária propostas pelo governo Temer se apoiam em justificativas rasas, numa estratégia midiática agressiva e numa violência policial desmedida e antidemocrática. A postura do governo é consequência de um fato evidente: não há nenhum apoio social às reformas. Nem ao governo. Num país …

por em

Reforma trabalhista: um tiro pela culatra

O projeto da reforma trabalhista que tramita no Congresso, com grandes chances de aprovação, martela seis justificativas para se flexibilizar direitos dos trabalhadores: a obsolescência das normas trabalhistas, a capacidade jurídica do trabalhador, a insegurança jurídica, a importância de valorizar a negociação coletiva, os índices de desemprego e a alta taxa de litigiosidade. Entretanto, parece …

por em

Nenhum hectare a menos

Que fase, senhoras e senhores. Nos últimos trinta dias, tivemos uma chacina de trabalhadores rurais em Mato Grosso, uma tentativa de massacre de índios no Maranhão, o desmonte do licenciamento ambiental batendo novamente na trave no Congresso, a aprovação de uma Medida Provisória legalizando a grilagem de terras públicas e a apresentação da reforma trabalhista …

por em

Funai vive uma ditadura, diz presidente exonerado

Antônio Fernandes Toninho Costa não é mais presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai). Sem nenhum aviso prévio, o ex-presidente teve sua exoneração publicada no Diário Oficial da União desta sexta-feira (05/05). Em entrevista coletiva concedida na porta da Fundação, Toninho Costa afirmou que a instituição vive ‘uma ditadura que não permite o presidente da …

por em

Trudeau, “progressismo” do século XXI

“Novo superman da política”, de acordo com o semanário Le Point (2 maio 2016); “homem do ano”, para a revista Courrier International (19 out. 2016); “face amável da América”, na opinião do jornal El País (27 nov. 2016); e “exemplo para o mundo”, aos olhos da revista The Economist (29 out. 2016). A imprensa está …

por em

Rumo a uma nova política partidária

O primeiro turno das eleições presidenciais francesas coloca em evidência o processo de reconfiguração político-partidário em curso no país e, mais amplamente, na Europa. De fato, nenhum dos dois partidos que dominaram a cena política francesa desde os anos 1980, isto é o Les Republicains1 – do ex-presidente Nicolas Sarkozy – e o Partido Socialista …

por em

Militarização tipo exportação: o perigo da Indústria Humanitária brasileira.

Não é novidade que existam vozes poderosas que falam em nome da paz enquanto promovem e se beneficiam de guerras, violência e conflitos armados ao redor do mundo. No âmbito não-estatal, o caso paradigmático desta postura é do milionário sueco Alfred Nobel, que fez fortuna com a invenção, produção e venda de armas e explosivos, …

por em

Crise sistêmica

Agora que todos os partidos políticos, o Executivo e o Legislativo (e logo mais o Judiciário) são denunciados por práticas de corrupção, vai se caracterizando uma crise sistêmica do sistema político, capturado pelos interesses das grandes empresas. Embora 70% dos brasileiros considerem a democracia o melhor sistema de governo, apenas 32% apoiam a democracia que …

por em

Terceirização e suas consequências no Brasil

O esgotamento do modelo fordista de organização da produção e do trabalho a partir da década de 1970 foi acompanhado pelo acirramento da competição intercapitalista e, por consequência, pela experimentação de diferentes iniciativas patronais visando a um novo padrão produtivo e laboral. Com o recente movimento da desglobalização provocado pela crise internacional de 2008, ainda …

por em

Trump encarna o senhor da guerra

Desencadeados em 7 de abril em represália a um ataque químico assassino atribuído ao regime de Damasco pela maior parte dos membros do Conselho de Segurança das Nações Unidas, os bombardeios lançados de navios de guerra norte-americanos contra uma base aérea na Síria foram apresentados nos meios de comunicação como a primeira ação militar “real” …

por em

Na cozinha do mercado eleitoral

Considerada capaz de “reunir” uma maioria de “cidadãos” em torno de grandes temas unificadores, a eleição, para os partidos, consiste sobretudo em adicionar partes do mercado democrático – empregados, funcionários públicos, executivos etc. – em quantidade suficiente para conquistar ou conservar o poder. Em resumo, para constituir uma coalizão politicamente majoritária.1 Como os estados-maiores dividem …

por em

O calcanhar de aquiles do sistema nuclear francês

O bloco de aço de 23,2 centímetros de espessura e 4,72 metros de diâmetro desempenha um papel crucial no confinamento das centrais termonucleares. No tanque ou recipiente que abrigam o núcleo do reator acontece a fissão controlada de urânio em água sob alta pressão. Uma fissura ou uma ruptura brutal da calota no fundo do …

por em

O candidato da mídia

Duas semanas antes do primeiro turno da eleição presidencial francesa, em abril, Emmanuel Macron, de 39 anos, sai com sua esposa de uma livraria do Boulevard Saint-Germain aberta até tarde da noite. Eles cruzam com estudantes ocupados em colar cartazes do líder do movimento En Marche!. A conversa começa na ausência lamentada do candidato no …

por em

Dubiedade econômica da Frente Nacional

O programa da Frente Nacional (FN)? “O Medef está na antessala”, denuncia a Confederação Geral do Trabalho (CGT). Não teríamos a mesma ideia lendo o presidente do Movimento das Empresas da França (Medef), Pierre Gattaz, que condena na FN uma ambição inspirada na de François Mitterrand em 1981, quando ele pretendia “romper com o capitalismo”. …

por em

A fábrica de indesejados

Campos de refugiados internos ou externos, acampamentos de migrantes, zonas de espera para pessoas com pendências, campos de trânsito, centros de retenção ou de detenção administrativa, centros de identificação e de expulsão, pontos de passagem fronteiriços, centros de acolhimento de pessoas em busca de asilo, “guetos”, “jungles”, “hot spots”… Essas palavras ocupam o cotidiano de …

por em

A culpa é do juiz!

Levando-se em conta o surgimento de novos problemas a respeito do estado de direito na Polônia, a Comissão decidiu dirigir recomendações complementares ao governo polonês”, declarou Frans Timmermans, primeiro vice-presidente do Executivo de Bruxelas, em 21 de dezembro de 2016. “A independência do Poder Judiciário toma uma importância capital […]. A Comissão não fará concessões …

por em

Onde foi parar o nosso dinheiro?

Por desgraça, em economia a gente tem de fazer as contas. E no Brasil recente as contas não batem. As pessoas tendem a ter certa alergia aos números. Mas não há como entender as pragas que nos assolam sem se dar conta dos números. Francamente, eles não são complicados, apenas a escala é maior. Temos …

por em

Da austeridade ao desmonte: dois anos da maior crise da história

O Brasil já foi palco de crises econômicas e sociais gravíssimas, períodos de inflação fora de controle e de taxas de desemprego altas, mas nunca antes houve uma contração da renda tão forte quanto nos últimos dois anos. Foram quatro as grandes crises econômicas da história brasileira: a dos anos 1930, a dos anos 1980, …

por em

A desconstituição ética, moral, cultural e institucional do Estado

Com o tempo fica desnudada, inclusive para setores da sociedade que entraram na onda de “todos contra a corrupção”, a verdadeira natureza do golpe que sofremos em 2016. Um golpe que articulou setores da institucionalidade (Parlamento, Judiciário e Executivo), partidos políticos, mídia, Igrejas, setores empresariais e “movimentos de rua”. Lembrando que, com início em 1989, …

por em

A reforma tributária que ninguém quer saber: a que funciona

Há consciência acerca dos prejuízos que o sistema tributário atual acarreta e mesmo assim não há melhora. De 1988 para cá foram 101 emendas à Constituição (apenas seis de revisão, totalizando 3,4 ao ano ou uma a cada 4 meses) sendo que 14 versaram sobre tributação e visaram aprimorar a arrecadação. Carga tributária “supostamente” alta …

por em

Fotografias sem Retoques do Trabalho Global

Nas últimas décadas do século passado floresceram muitos mitos acerca do trabalho. Com o avanço das tecnologias de informação e comunicação não foram poucos os que passaram a acreditar que uma nova era de felicidade se iniciava: trabalho online, digital, era informacional, enfim, adentrávamos finalmente o reino da felicidade. O capital global só precisava de …

por em

As lógicas ilógicas da terceirização

Enquanto o meio jurídico passou os últimos anos interpretando e buscando adequações jurídicas para a terceirização, o pragmático meio empresarial tratou de difundir essa forma de gestão do processo produtivo em todos os setores e atividades econômicas. Embora distintas, a terceirização acabou se confundindo com intermediação de mão de obra, reduzindo o trabalhador à condição …

por em

Sindicalismo e Cooperativismo Latino Americano unidos contra retrocessos

Países da América Latina vivenciam, de modo geral, um realinhamento ao neoliberalismo nesse momento do século 21. Depois de alguns anos de governos de esquerda, um novo ciclo parece se instalar, e vem com retrocessos aos direitos trabalhistas conquistados nas últimas décadas, como no caso do Brasil, com reformas feitas em caráter de urgência, sem …

por em

Mobilizados pela sobrevivência

Um Projeto de Decreto Legislativo (PDL) voltou a tramitar na Câmara Federal. Entre os mais de 100 envolvendo a questão indígena, a matéria em destaque pretende sustar a demarcação da Terra Indígena (TI) Taego Ãwa, do povo Avá-Canoeiro do Araguaia (TO). A Portaria Declaratória do Ministério da Justiça, publicada em 11 de maio de 2016, …

por em

Desoneração tributária: um equívoco de política econômica

“Eu acreditava que, se diminuísse impostos, teria um aumento de investimentos. Fiz uma grande desoneração, brutalmente reduzimos os impostos. Ali fiz um grande erro”. Declaração da presidenta Dilma Rousseff em Genebra A discussão sobre as desonerações tributárias da União nos conduz a um debate acerca do fundo público. Partindo do entendimento que as desonerações é …

por em

Hora de defender conquistas fundamentais da democracia

Neste momento de acirramento de divisões ideológicas, econômicas e sociais, no Brasil e no mundo, atores que reconhecem o valor do Estado Democrático de Direito e dos Direitos Humanos precisam superar as próprias divisões – menores – no sentido de construir e ampliar consensos pela defesa de princípios, valores, normas, práticas e políticas públicas sem …

por em

A ética vitoriosa de Donald Trump

A perplexidade generalizada com o resultado das eleições presidenciais nos Estados Unidos deixou escapar um ponto simples e fundamental: o sucesso de Donald Trump não ocorreu apesar de sua figura polêmica, mas exatamente por causa dela. Em outras palavras, o machismo, a xenofobia e a intolerância do candidato fizeram parte de uma bem-sucedida estratégia publicitária. …

por em

Uma viagem vigiada

  Um cruzamento movimentado, carros em todas as direções, buzinas furiosas… Poderia ser Paris ou Milão. Mas estamos em Pyongyang, na República Popular Democrática da Coreia, no meio da tarde. O alvoroço é por causa da Feira Internacional da Primavera, realizada no Parque das Três Revoluções (política, tecnológica e cultural, segundo a terminologia adotada desde …

por em

Os medos do Pentágono

A recente acusação lançada contra Vladimir Putin, de ter desestabilizado a democracia norte-americana ao interferir no processo eleitoral, inscreve-se diretamente na linha do “pavor vermelho”, um dos pilares da Guerra Fria durante os anos 1950. Esse medo implicava a suposição de que os soviéticos eram capazes de rivalizar militarmente com os norte-americanos. Tolice: enquanto os …

por em

Renda mínima, um debate desmancha-prazeres

Nas redes sociais, no final de janeiro, um meme colocou em cena Dory, heroína do filme Procurando Dory, desenho animado dos estúdios Pixar (2016). A “peixa”, que sofre de problemas de memória recente, nadava jurando: “Não me deixarei nunca mais enganar pelo PS [Partido Socialista]”. Antes de se maravilhar: “Oh! Uma renda mínima!”. A instauração …

por em

Os sortilégios da cultura

Nada mais escorregadio nem mais inequívoco que a definição da palavra “cultura”. Na fundação do ministério francês do mesmo nome, em 1959, ela remetia às obras, ao patrimônio, às criações da arte e da mente. Segundo o Larousse, ela designa “o enriquecimento da mente por exercícios intelectuais – conhecimentos num campo específico” e “o conjunto …

por em

Mais uma vez, a armadilha do voto útil?

Entramos numa era política em que muitas frases que começam por “Pela primeira vez que…” parecem anunciar a realização de uma eventualidade até então inconcebível. Na primavera francesa de 2017, a eleição presidencial marca a primeira vez em que não se questiona mais a presença da Frente Nacional (FN) no segundo turno: coloca-se a hipótese, …

por em

Imigração constrange a esquerda

A imigração divide os principais candidatos à eleição presidencial francesa em dois campos: os que fazem de sua rejeição um capital eleitoral e aqueles a quem o assunto constrange. Muito prolixos, os primeiros atribuem aos estrangeiros todos os tipos de problemas, do desemprego ao terrorismo, da crise das finanças públicas à falta de moradias, da …

por em

Maioria social, minoria política

Entre as muitas expressões da crise política francesa, pode-se citar a propensão de certos candidatos ou partidos a se proclamarem “antissistema”. Por exemplo, Emmanuel Macron, ex-ministro da Economia de François Hollande, e François Fillon, primeiro-ministro de Nicolas Sarkozy, adotam postura de rebeldes para tentar escapar do descrédito que atinge a representação política. Eles recorrem a …

por em

O fim dos partidos políticos?

Concebidas por pessoas próximas ao general De Gaulle para acabar com o regime dos partidos, que este julgava responsável por ter conduzido a França ao abismo em 1940, as instituições da Quinta República reproduziram justamente a “cena de contradição em um teatro de impotência” que ele havia denunciado. Mas, longe de resultar do jogo dos …

por em

Obstinação europeia

“A experiência é uma escola severa, mas nenhuma outra consegue instruir os imbecis.”1 Morto em 1790, Benjamin Franklin inventou o para-raios, mas não podia prever a existência da União Europeia… Essa cuja experiência não produz nenhum efeito sobre o aprendizado. Consultados diretamente, os povos rejeitam o livre-comércio; o Parlamento Europeu acaba, no entanto, de aprovar …

por em

A reunificação das Coreias é possível?

Monumento pela reunificação das Coreias em Pyongyang Comoventes reencontros entre coreanos do Norte e do Sul na famosa estação do Monte Kumgang, na República Popular Democrática da Coreia (RPDC – Norte). Mistura de lágrimas e sorrisos: homens e mulheres, às vezes bastante idosos, puderam rever um irmão, uma irmã, a mãe, o pai, um filho ou …

por em

Em nome da lei americana…

“Estamos diante de um painel de legislações norte-americanas extremamente complexo, com uma intenção precisa, que é utilizar o direito para fins de imperium econômico e político para obter vantagens econômicas e estratégicas.” Em 5 de outubro de 2016, o deputado republicano Pierre Lellouche não mediu palavras diante das comissões de Relações Exteriores e das Finanças …

por em

A doutrina de choque temerária

O Brasil vive um momento desassossegador. Não é necessário ser o mais atento dos observadores para perceber que o país passa por um processo caracterizado por ser muito mais do que o mero retrocesso de entendimentos e práticas progressistas, o que evidentemente já seria bastante preocupante. Mais do que isso, o que se observa é …

por em

O futuro do Brasil nas operações de manutenção da paz da ONU

Nos últimos anos, tem aumentado de forma alarmante o número de conflitos armados ao redor do mundo – tanto as guerras protagonizadas pelos Estados quanto aquelas onde atores não estatais ocupam posições de destaque. Estima-se que, em 2015, cerca de 120 mil pessoas perderam suas vidas em conflitos armados e, desde então, milhões vêm sendo …

por em

Um assassinato cruel

Há quase cem anos instaurava-se no Brasil o seguro social previdenciário por meio das Caixas de Aposentadoria e Pensões (CAPs – 1923). A justificativa centrava-se no argumento de que o trabalhador brasileiro era imprevidente, cabendo então ao Estado pensar na garantia de seu futuro. Muita água correu sob a ponte, e hoje o que se …

por em

Watch Dogs 2 e a retórica dos games: a interdependência entre dois mundos

  O videogame não é mais apenas uma forma de entretenimento, mas também uma maneira de compreender o mundo por meio de narrativas. É óbvio que o jogador sabe que o jogo é apenas um jogo; no entanto, nos últimos anos, os videogames, por meio de sua linguagem própria, estão adotando estratégias estéticas e discursivas …

por em

O liberalismo de cócoras da elite brasileira em geral, e da paulista em particular

O liberalismo no Brasil dá o que falar. Entretanto, ele se revela menos naquilo que diz e mais naquilo que tenta ocultar. No século XIX, liberais de matizes variadas defenderam enfaticamente a não intervenção do Estado no direito de propriedade privada, faltava dizer que cerca de 2/3 da população formada por escravos é que sendo …

por em

Por que racializar o discurso da esquerda

Em dezembro de 1933, A Voz da Raça, jornal da Frente Negra Brasileira – maior organização negra existente no país até então –, respondia a um boletim “lançado pela canalha anarquista-comunista-socialista”. O texto convocava os frentenegristas a se colocarem contra “a onda estrangeira”, apontando que tais ideologias haviam surgido graças a “imigrantes que a incompetência …

por em

Aborto na Corte

Há mais de uma década o aborto bate à porta da Suprema Corte brasileira. Em 2004, o primeiro caso foi de um habeas corpus, descrito entre os juristas como um “caso concreto”, isto é, situações em que por trás dos papéis há pessoas. Gabriela Cordeiro era uma jovem mulher, grávida de um feto com anencefalia, …

por em

Nas cidades rebeldes da Espanha

  Uma montanha de flores e crucifixos eleva-se na Plaza del Pilar, em meados de outubro, por ocasião da festa anual de Zaragoza. As ruas borbulham de turistas, as lojas estão lotadas: nada de soviete, nenhuma tomada do Palácio de Inverno ibérico. Aqui, como em Madri, Cádiz, Santiago de Compostela, Barcelona, Valência, Ferrol, La Coruña …

por em

Racismo, mídia e esquerdas

  O movimento antirracista no Brasil encontra-se em um grande dilema: não obstante ter obtido vitórias significativas no plano institucional nos últimos vinte anos, os mecanismos de exclusão racial, dos quais se destaca a intensificação do extermínio de jovens negras e negros nas periferias, continuam e, mais ainda, contam com defesas cada vez mais explícitas. …

por em

A armadilha da dependência se fecha sobre o México

Novo secretário de Estado para o Comércio, Wilbur Ross está convencido: os Estados Unidos “sofrem uma guerra comercial há décadas, razão pela qual exibem tamanho déficit”.1 No encontro que precedeu sua indicação, o bilionário tinha anunciado sua prioridade para resolver a situação: renegociar o Tratado Norte-Americano de Livre Comércio (Nafta), assinado com o México e …

por em

A teoria zumbi das leis do mercado

O Brasil tem se defrontado com a realidade gritante de relações pouco transparentes entre grandes empresas e instâncias governamentais. O senhor identifica as condições históricas que poderiam melhor explicar essas relações? Quando se fala hoje em multinacionais, de forma implícita evoca-se um poder de novo tipo. Diante dele, os Estados que quiserem resistir encontrar-se-ão impotentes, …

por em

Por onde andam os Pontos de Cultura?

    Cultura Viva e Pontos de Cultura, essa política é hoje referência no mundo e até o papa Francisco a abraçou, com os Pontos de Encontro e Agentes Jovens de Cultura Cidadã. De forma inusitada, em termos de políticas públicas, há que destacar que, mesmo sofrendo um forte desestímulo e até perseguição e criminalização …

por em

Dores de um parto incerto

O Brasil está profundamente polarizado. As redes sociais e o tom das manifestações de rua erigiram o Nós × Eles como um credo excludente da possibilidade de coalizão ou diálogo. Detalhe simbólico: o vermelho tornou-se uma cor de adesão política. Igualmente, a camiseta da seleção brasileira, até então um símbolo neutro da brasilidade, foi incorporada …

por em

Mudanças climáticas impactam mobilidade humana no Brasil

Você poderia traçar um cenário do impacto das mudanças climáticas nas migrações na América do Sul? A mudança do clima não afeta apenas comunidades distantes geograficamente, como aquelas deslocadas pelo degelo do Ártico no Alasca ou os pequenos países insulares em risco de desaparecimento pelo aumento do nível do mar. Os impactos da mudança climática …

por em

A Constituição contra Donald Trump

Em 21 de janeiro, dia seguinte à investidura de Donald Trump, vários milhões de pessoas em todo o território norte-americano participaram de centenas de “marchas das mulheres”. Após o decreto de imigração adotado em 27 de janeiro, manifestantes bloquearam aeroportos. Paralelamente, os grandes meios de comunicação multiplicaram pesquisas para denunciar as alegadas vilanias do presidente …

por em

Erdogan prevê fim do “modelo turco”

Desde 2014, a Turquia de Recep Tayyip Erdogan tenta reajustar sua política externa à luz da evolução do conflito sírio e também de sua situação interna. Na época da Primavera Árabe, em 2011, a experiência inédita do Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP), uma formação islamoconservadora reconduzida ao poder nas eleições de 2002, parecia o …

por em