Prima Estúdio, Autor em Le Monde Diplomatique - Página 2 de 22

A teoria zumbi das leis do mercado

O Brasil tem se defrontado com a realidade gritante de relações pouco transparentes entre grandes empresas e instâncias governamentais. O senhor identifica as condições históricas que poderiam melhor explicar essas relações? Quando se fala hoje em multinacionais, de forma implícita evoca-se um poder de novo tipo. Diante dele, os Estados que quiserem resistir encontrar-se-ão impotentes, …

por em

Dores de um parto incerto

O Brasil está profundamente polarizado. As redes sociais e o tom das manifestações de rua erigiram o Nós × Eles como um credo excludente da possibilidade de coalizão ou diálogo. Detalhe simbólico: o vermelho tornou-se uma cor de adesão política. Igualmente, a camiseta da seleção brasileira, até então um símbolo neutro da brasilidade, foi incorporada …

por em

O mundo segundo Donald Trump

É difícil saber precisamente com o que vai se parecer a política externa de Donald Trump. O próximo presidente dos Estados Unidos não detalhou suas intenções nem em documentos escritos nem em discursos. Muitos lhe atribuem uma postura pouco informada ou incoerente, alimentada por manchetes da imprensa e por sua experiência como homem de negócios. …

por em

Precisamos falar sobre encarceramento feminino

Amélia tem um filho pequeno com câncer, que deixou aos cuidados da mãe e do pai para cumprir uma pena de mais de 10 anos. No seu processo não consta informação sobre maternidade. Recebe visitas do filho na prisão em condições precárias, e questiona a estrutura do cárcere que viola muitos outros direitos para além …

por em

O Primeiro de abril e o “País da Mentira”

Nó próximo sábado, primeiro de abril, o  Cordão da Mentira desfilará pelas ruas de São Paulo pelo sexto ano seguido . Com o tema, “O País da Mentira” os organizadores prometem  carnavalizar “as farsas de nosso cotidiano como a mentira da democracia, a mentira do país de todos, a mentira do Estado de direito, a …

por em

Vietnã, o polo industrial da vez

Com os cabelos negros sobre a testa, 50 anos joviais e olhos atentos, Nguyen Van Thien conta que o Partido Comunista Vietnamita (PCV) recruta “soldados do tio Ho para a frente de economia” – em referência a Ho Chi Minh, herói da independência e fundador da República Democrática do Vietnã. Thien, orgulhoso de sua tarefa, …

por em

Os riscos da MP que muda a estrutura fundiária no Brasil

Para entender a estrutura fundiária no Brasil devemos resgatar a “Lei de Terras” de 1850, que possibilitou que as áreas possuídas desde o período colonial pelas classes sociais privilegiadas e os homens livres (excluindo portanto o direito das populações negras e indígenas) fossem reconhecidas pelo Estado Brasileiro como proprietários dessas, e estabeleceu o regime da …

por em

Carne brasileira sob a lupa dos portos europeus

Desde a deflagração da Operação Carne Fraca no Brasil, o assunto da carne brasileira vem à mesa nos bons restaurantes e lares europeus, dividindo os comedores de carne. Há quem diga que não ingere mais carne do Brasil de “jeito nenhum” –remetendo sem saber e às avessas a um comercial dos anos 80 da empresa …

por em

Ondas eletromagnéticas, poluição invisível

Se a utilização das ondas não é nova, as técnicas utilizadas e a escala de sua aplicação nos projetaram numa nova idade técnica, que leva o uso à quase saturação do espectro hertziano. Não é exagero enxergar nisso a exploração de um recurso natural limitado, já que, em determinado ponto de determinada faixa de frequência, …

por em

Crime e Estado no Amazonas

No fim da tarde do primeiro dia de 2017, muitos moradores de Manaus receberam, pelo celular, mensagens informando vagamente que algo de muito preocupante acontecia na cidade. “A rua tá o foda-se. Evitem sair de casa. No presídio tem um monte de gente morta. O PCC tá em guerra com a FDN. Não tem quase …

por em

Negros e mídia: invisibilidades

Há cerca de um ano a imagem do pequeno Matias Melquíades, fotografado pelos pais feliz da vida ao lado de um boneco do Finn, personagem de Star Wars, ganhava as redes sociais. A foto não apenas viralizou nas redes brasileiras, como chegou a John Boyega, ator norte-americano que interpretou o herói no filme O despertar …

por em

A história recente das organizações sociais no município de São Paulo

Em novembro de 2014, a prefeitura de São Paulo iniciou a reformulação de todas as suas contratações com entidades privadas que gerenciassem equipamentos e prestassem serviços públicos de saúde no SUS municipal. Dois anos depois, o processo está longe de se encerrar e acarretou dispensas maciças, recontratações com salários até 70% mais baixos e seleção …

por em

A conjuntura política brasileira, as terras e as vidas dos indígenas

Estes são tempos de vertigem. Desde que Michel Temer assumiu a Presidência, sucessivos eventos têm apontado para o recrudescimento da ofensiva contra os povos indígenas e para um retrocesso sem precedentes na garantia dos direitos territoriais desses povos. A aliança entre Temer e a bancada ruralista, selada assim que se consolidou o impeachment de Dilma …

por em

A devastação do trabalho na contrarrevolução de Temer

Em que mundo do trabalho estamos inseridos? Depois de um período aparentemente estável do pós-guerra, o ano de 1968 chacoalhou a “calmaria” que parecia vigorar no mundo do welfare state: os levantes em Paris, que se espalharam por tantas partes do globo, estampavam o novo fracasso do capitalismo. Os operários, os estudantes, as mulheres, a …

por em

Crise financeira dos estados: um sintoma

Rio de Janeiro – Servidores estaduais de várias categorias em estado de greve participam de protesto contra a situação financeira e a mudança do calendário de pagamento de salários (Fernando Frazão/Agencia Brasil)   As finanças públicas brasileiras estão enfrentando um momento delicadíssimo. Ninguém sabe ao certo como o desequilíbrio fiscal poderá ser solucionado. Pelo lado …

por em

O filho dos outros

Desde que a PEC da Redução da Maioridade Penal voltou à pauta da Câmara dos Deputados, com proposta de redução da imputação penal no Brasil de 18 para 16 anos, um pequeno grupo de jovens jornalistas, fotógrafos, pesquisadores e artistas  reuniram-se para produzir um material audiovisual para suprir uma constada carência de informação sobre assunto. …

por em

Quando Le Corbusier redesenhou Paris

O Plano Voisin foi apresentado no Pavilhão do Espírito Novo, na Exposição Internacional de Artes Decorativas de 1925, em Paris. Na forma de diorama, ele ocupava um ambiente de 60 metros quadrados e era financiado por Gabriel Voisin, um fabricante de aviões e carros de luxo que, após a polida recusa da Citroën e da …

por em

Neopentecostais e o projeto de poder

Com outros pastores e pregadores da Palavra de Deus, fui convidado a falar em uma grande igreja. Pregamos pela manhã e, na hora do almoço, fomos recebidos no refeitório pastoral, para almoçarmos juntos. Para minha surpresa, o líder daquela denominação, junto com todos nós, e na frente de todos, começou a delimitar quantos votos cada …

por em

Democracia, Princípio 10 e Sustentabilidade

Um novo impulso à democracia ambiental poderá  acontecer  a partir  da construção de um acordo entre os países da América Latina e do Caribe sobre os direitos à participação, à informação e à justiça em questões ambientais . O Brasil sediará, pela primeira vez, na próxima semana uma rodada oficial de negociações deste acordo, que …

por em

A volúpia do sangue

Ninguém imaginava vê-lo novamente, tão categórica se mostrava sua criadora a esse respeito. Mas Anne Rice cedeu. Aos 75 anos, com Prince Lestat1 [Príncipe Lestat] e Prince Lestat et les royaumes d’Atlantide [Príncipe Lestat e os reinos de Atlântida] (que deve ser publicado na França em outubro de 2017), ela volta a dar vida ao …

por em

A Ciência está matando as mulheres?

As manifestações no Brasil e em todo mundo por ocasião do Dia Internacional da Mulher, que este ano se articularam em torno do movimento global “8M”, têm promovido intensas articulações para ocupar as ruas e também têm proporcionado uma variedade de debates e reflexões acerca das questões de gênero e dos feminismos na sociedade. Um …

por em

Brasileiros na Guerra Civil Espanhola

“Foi na Espanha onde a minha geração aprendeu que se pode ter razão e ser derrotado, que a força pode destruir a alma e que, às vezes, a coragem não recebe recompensa” Albert Camus (1913-1960), escritor francês   Raros foram os conflitos armados nos quais a narrativa predominante a entrar para a história acabou centrada …

por em

“A América primeiro!”

Já no primeiro discurso como presidente, Donald Trump rompeu com seus antecessores. Prometendo, com um tom arrogante e o punho cerrado, que “America First” (“A América primeiro”) resumiria a “nova visão que governará o país”, ele anunciou que o sistema internacional criado há mais de setenta anos pelos Estados Unidos não tinha outro propósito a …

por em

O mundo de Pepetela

“O Mayombe tinha aceitado os golpes dos machados, que nele abriram uma clareira. Clareira invisível do alto, dos aviões que esquadrinhavam a mata, tentando localizar nela a presença dos guerrilheiros”, diz as primeiras linhas do romance “Mayombe” publicado em 1980 e escolhido como o primeiro livro de um autor africano no vestibular da FUVEST. Escrito …

por em

As pequenas coisas que decidem eleições

A direita latino-americana opera seu retorno ao comando. Em alguns casos, à força, por meio de um golpe jurídico-institucional e midiático, como no Brasil,1 ou pela estratégia de tensão social, como na Venezuela. Mas nem sempre é dessa forma. Após dez anos de hegemonia da esquerda, a Argentina, por exemplo, elegeu o empresário Mauricio Macri …

por em

Negação prova existência do racismo

O racismo é um fenômeno social de segregação conhecido, porém negado. Apesar de leis – falhas – que visam coibir práticas discriminatórias, estas prosseguem com raízes profundas nas teias sociais e uma história mais nebulosa do que se imagina. O desafio deste material é entender esse local de privilégios, sedimentados nas eras pré e pós-abolição, …

por em

Convulsões sociais

  Estamos na primeira quinzena de fevereiro. As ruas estão desertas, as pessoas se refugiam em casa com medo da violência generalizada. As escolas, os postos de saúde, as repartições públicas e os bancos não funcionam. Depois que ônibus foram incendiados, as empresas decidem recolhê-los nas garagens. A cidade fica sem transportes coletivos. Até a …

por em

O enigma peronista

Toda segunda-feira à noite, há mais de vinte anos, o círculo Oesterheld se reúne no salão do Hotel Bauen, um estabelecimento de luxo de Buenos Aires gerenciado em cooperativa. O grupo leva o nome de um escritor de histórias em quadrinhos e militante da esquerda peronista desaparecido em 1977. O salão Simón Bolívar acolhe com …

por em

Jack London, o poder indomável

Prefiro ser um meteoro soberbo, com cada um dos meus átomos irradiando seu magnífico brilho, a ser um planeta adormecido. A função do homem é viver, não existir.” Viver! Sentir o sangue borbulhando nas veias, cavalgar a tempestade, conduzir a vida como quem conduz o “galope simultâneo de quarenta cavalos furiosos”, viver cada momento em …

por em

Democracia na China, só quando o povo amadurecer…

De um lado, os “democratas”, defensores de um governo pelo povo e para o povo; do outro, os “autoritários”, partidários da ditadura do partido único: essa é a paisagem política chinesa desenhada pela maior parte dos meios de comunicação ocidentais. Na realidade, os dois campos não se mostram tão distantes. Tanto os primeiros como os …

por em

Ebulição antissistema

Há 25 anos, a expressão “movimento antissistema” era frequentemente empregada, sobretudo pelos sociólogos Immanuel Wallerstein e Giovanni Arrighi, para descrever as diversas forças de esquerda hostis ao capitalismo. Hoje em dia, ela permanece pertinente no Ocidente, mas seu significado mudou. Os movimentos contestatários que se multiplicaram ao longo dos dez últimos anos não se rebelam …

por em

As lutas sociais da América Latina nas encruzilhadas do neoliberalismo

No século XXI, a América Latina vivenciou processos políticos que se apresentaram como renovadores, após trinta anos de ofensiva neoliberal no continente. Transcorridos dezessete anos de experiências eleitorais de representantes populares que se colocavam como alternativa à lógica estrutural do capital, algumas reflexões são necessárias. Entre elas, cabe perguntar em que medida a alternativa de …

por em

Da colonização à anexação

A única coisa previsível em Donald Trump é que ele será imprevisível.”1 Pertinente no mundo inteiro, essa reflexão de Noam Chomsky não o é tanto em se tratando do Oriente Médio. Três posturas do candidato republicano balizam sua futura política presidencial perante o conflito palestino-israelense: a promessa de transferir a embaixada dos Estados Unidos de …

por em

A cena rock’n’roll de Pequim

Em 30 de setembro de 2016, no Estádio dos Trabalhadores, em Pequim, Cuijian, o patrono do rock na China, fez um show para 30 mil fãs, acompanhado de uma lição de história contemporânea. Quando cantou o sucesso “Yiwusuoyou”, hino do movimento estudantil de 1989, as fotos no fundo do palco mostrando o roqueiro de boné …

por em

Doenças do Norte migram para a África

Elas são chamadas “doenças dos países industrializados” ou “doenças da civilização”; mas na África, a partir de 2030, as doenças não transmissíveis (DNTs) – diabetes e doenças cardiovasculares, sobretudo – deverão provocar mais mortes que as transmissíveis, entre elas a aids.1 Se, no imaginário ocidental, o continente sempre foi visto como uma terra de risco …

por em

10 medidas contra a corrupção e a seletividade penal

O Projeto de Lei n. 4.850/2016 (PL 4.850), mais conhecido como “10 medidas contra a corrupção”, é um pacote com propostas de mudanças legislativas articulado pelo Ministério Público Federal (MPF) para combater a corrupção e a impunidade, cada vez mais em pauta no Brasil desde o começo da Operação Lava Jato. O PL começou a …

por em

As sufragistas e o jiu-jítsu

Dirigido por Sarah Gavron com um roteiro de Abi Morgan, o longa-metragem britânico As sufragistas estreou em novembro de 2015.1 Mesmo que tenha o mérito de existir e ser muito bem interpretado, pode decepcionar os apreciadores de uma utilização dinâmica do cinema a serviço de um assunto igualmente dinâmico. Partindo da politização de uma jovem …

por em

Reformar para excluir?

Este artigo, que reflete a opinião do autor, sintetiza um documento elaborado por dezenas de especialistas, que foi organizado pela Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (Anfip) e pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) e será lançado em fevereiro de 2017. No documento, como neste artigo, a reforma …

por em

A luta de classes do graffiti

Enquanto espectadoras, frequentadoras e usuárias de ofertas culturais, pessoas de vivências distintas são reunidas em um mesmo grupo unificado que as tornam “público” de alguma coisa – um termo que aqui não se refere a bens estatais, mas ao gosto em comum compartilhado por diferentes personalidades. Esse gosto, entretanto, está longe de ser algo adquirido …

por em

Prostituição, os clientes devem ser punidos?

A luz oblíqua do sol poente inunda Tyresö, uma das 26 comunas do condado de Estocolmo. Sentada no terraço de sua casa, Pye Jakobsson desfruta por mais um instante a misericórdia dos céus: “Eles ganharam, eu perdi. Vou embora no final do mês, para algum lugar no sul da Europa, onde a legislação é diferente”, …

por em

Mulheres não temerão: reviravolta nas águas de março, a luta contra a opressão

A tirania do dever ser A história latino-americana assenta-se na violência contra as mulheres, cuja raiz é a propriedade privada sobre os meios de produção e a terra, sobre os corpos e sobre a vida. Nessa sociedade capitalista-patriarcal-racista a incidência da violência é ainda mais perversa, uma vez que nosso cotidiano é tomado por tarefas …

por em

Com os dois pés na Idade Média

Os retrocessos que a democracia brasileira sofreu ao longo de 2016 atingiram frontalmente vários direitos das mulheres. Na consolidação do golpe e da ofensiva antidireitos dessa perspectiva conservadora, o tema da legalização do aborto voltou às mesas de negociação. O prenúncio para 2017 é de um cenário próximo ao da Idade Média. Os debates que …

por em

Chuva de críticas sobre os capacetes azuis

Para muitos, a ONU são as operações de manutenção da paz (OMPs). Elas envolvem mais de 128 mil civis e funcionários uniformizados (policiais, militares e guardas) em 39 missões em quatro continentes. A tarefa se revela tão ampla quanto ingrata. As críticas são acerbadas e os erros, em particular quando se trata de abusos sexuais …

por em

Um espião russo na Casa Branca…

Em 9 de fevereiro de 1950, no auge da Guerra Fria, um senador republicano ainda obscuro fulminou: “Tenho em minhas mãos a lista de 250 pessoas que o secretário de Estado sabe serem membros do Partido Comunista e que, no entanto, determinam a política do Departamento de Estado”. Joseph McCarthy acabava de entrar para a …

por em

A “revolução das velas” em Seul

Gritos de alegria explodiram em 9 de dezembro de 2016, quando dezenas de milhares de sul-coreanos reunidos diante da Assembleia Nacional ficaram sabendo que a presidenta da República, Park Geun-hye, havia sido destituída. Os deputados aprovaram a moção de censura por 234 votos contra 65 – bem mais, portanto, do que o número de representantes …

por em

Depois do golpe, o Estado penal

Em 1985, quando era secretário de Justiça do governo Montoro em São Paulo, o hoje presidente interino Michel Temer criou a primeira Delegacia da Mulher do Brasil. As demandas do movimento feminista eram outras – passavam por sistemas de prevenção, abrigos, melhoria de atendimento e fim da lógica da legítima defesa da honra no Judiciário …

por em

O duplo desafio da esquerda brasileira

Após quatro eleições presidenciais vencidas pelo PT desde 2002, as forças conservadoras se reorganizaram para afastar a presidenta Dilma Rousseff e substituí-la pelo vice-presidente Michel Temer. Além de duvidosa no âmbito jurídico,1 a manobra teria sido mais difícil se o PT não houvesse cometido tantos equívocos. O partido renunciou à mobilização popular, costurou repetidas alianças …

por em

É preciso votar a nova Lei das Migrações

O Brasil, historicamente um país de imigração, se tornou também exportador de migrantes pelo mundo. Ao mesmo tempo, novos imigrantes estão chegando da América Latina, da Ásia e da África, do Haiti e da Síria, os últimos com vistos humanitários. Você poderia analisar essa redescoberta do Brasil? Não se trata propriamente de redescoberta do Brasil, …

por em

A defesa dos bens comuns, uma bandeira agregadora para a esquerda?

No dia 11 de janeiro de 2016, o secretário do Partido Comunista Francês, Pierre Laurent, apresentava seus votos pelo novo ano que começava e descrevia “a sociedade que queremos”: “Um novo modelo de desenvolvimento no qual o social e a ecologia se conjuguem pelo ser humano e pelo planeta, por uma sociedade do bem viver …

por em

Ameaça jihadista em Bangladesh

Até recentemente, as violências islâmicas se limitavam aos assassinatos com alvo determinado, mas o fuzilamento que fez mais de vinte mortos num restaurante de Daca, em 1º de julho de 2016, reavivou os questionamentos sobre o futuro de Bangladesh. O atentado colocou em evidência uma ligação entre seus autores, oriundos das classes médias cultas, e …

por em

Os poderes e a Justiça nos tempos do golpe

O dia 31 de agosto de 2016, data em que o Senado declarou o impeachment da presidenta Dilma Rousseff, entrou para a história do Brasil como marco de mais um golpe, agora sem o uso formal da violência física e das armas. Não foi à toa a preocupação manifestada pelo papa Francisco, em maio de …

por em

O novo mundo que tarda a nascer

Para compreender a conjuntura atual, vamos partir novamente da citação de Antonio Gramsci em Cadernos do cárcere: “O velho mundo agoniza, um novo mundo tarda a nascer, e, nesse claro-escuro, irrompem os monstros”. Nesse contexto, a estratégia dos movimentos sociais que querem carregar um projeto de emancipação deve articular uma resposta às demandas urgentes com …

por em

Implicações nas relações entre Estados Unidos e América Latina

Nas Américas e em todos os outros lugares não faltam especulações sobre o que a eleição de Donald J. Trump para presidente dos Estados Unidos vai significar para a nação mais poderosa do mundo e suas relações internacionais. Raramente, ou nunca, uma mudança na política dos Estados Unidos ocorreu com tão pouca certeza sobre as …

por em

Para onde vai Cuba?

1. Cuba atravessa o maior debate público em 57 anos de revolução. Quem cultua a ideologia totalitária de um país estático em meio a uma sociedade silenciada e apática não tem ideia do que se passa na ilha. Rafael Hernández, intelectual à frente da Revista Temas, um dos espaços críticos de maior vitalidade no país, …

por em

Celso Amorim relaciona trumpismo à ascensão do racismo

O problema não é só o Trump, é o que ele representa. Para o embaixador brasileiro Celso Amorim, de 74 anos, ao se analisar a eleição do bilionário Donald John Trump, de 70, para a Presidência dos Estados Unidos, é preciso considerar não só o personagem – nas suas palavras, “sexista, racista, xenófobo” –, mas …

por em

Perspectivas da crise política no Estado democrático do Brasil

O desenvolvimento do Estado burguês no Brasil O ponto de partida da constituição do Estado burguês é o governo que se profissionaliza, tornando-se Estado, para defender os interesses comuns de uma coletividade advinda mais complexa, pela expansão e adensamento populacional, aumento de população este relacionado às inovações nas técnicas de trabalho; mas o surgimento do …

por em

Nós, Daniel Blake

Que um filme na primeira pessoa do singular esteja sendo aclamado pelas almas coletivistas de esquerda e suscite identificação, por si só já é indício da façanha de Eu, Daniel Blake. O filme britânico, dirigido por Ken Loach e escrito por Paul Laverty, tem entre seus méritos não apenas dar visibilidade a situações de sofrimento …

por em

A quem interessa estabelecer e rebaixar o “custo Amazônia”

Os grandes projetos de infraestrutura e os grandes empreendimentos agrícolas e minerais na Amazônia foram impulsionados por medidas governamentais e políticas de crédito público preferencial, notadamente a partir de 2006. Desde então, o lugar e função da Amazônia nos programas nacionais e continentais de infraestrutura – Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), Programa de Investimentos …

por em

Do que nós (realmente) precisamos?

A transição ecológica supõe escolhas de consumo. Mas sobre qual base? Como distinguir, na sociedade futura, as necessidades legítimas das egoístas e pouco razoáveis que deverão ser renunciadas? Essa é a questão abordada pelo Manifeste négaWatt [Manifesto negaWatt], uma das obras de ecologia política mais estimulantes dos últimos tempos, redigida por especialistas de energia.1 Um …

por em

O supermercado do fim do mundo

Zona Franca: tudo o que o mundo oferece de melhor num único lugar!” Difundida por uma voz rouca, a frase ecoa de uma margem a outra do Estreito de Magalhães. Nessa região sacudida por ventos que, segundo se diz, enlouquecem as pessoas, as ondas sonoras se imiscuem em todos os lares: “Mais de 9 milhões …

por em

Supremo a céu aberto

A sucessão à vaga do ministro Teori Zavascki colocou mais uma vez o Supremo Tribunal Federal (STF) no centro das atenções. Sua face política, acaso houvesse alguma dúvida, mostrou-se inequívoca. Fora o debate em torno do sorteio da relatoria da Lava Jato, que acabou ficando com Edson Fachin, e a recente homologação das delações da …

por em

Repristinando 1969

Ao concluir que há investigações que “trazem problemas inéditos e exigem soluções inéditas”,1 o Tribunal Regional Federal da 4ª região provavelmente entendeu que apenas convalidava a conduta adotada pelo Poder Judiciário na operação Lava-Jato. Contudo, tal decisão ecoou em Brasília. De fato, nos últimos meses, os demais poderes da República também se inspiraram em nosso …

por em

Ousar pensar mais além

O homem é um rascunho em  permanente aperfeiçoamento. (Guimarães Rosa) Vamos resistir para não perdermos mais direitos. Direitos trabalhistas, da seguridade social, das políticas públicas que garantem a vida nas cidades e no meio rural. Esses direitos são avanços civilizatórios conquistados graças às mobilizações sociais. O ataque é feito pelo governo sem voto com a …

por em

O que não fazer?

Uma estranha loucura se apossou das classes operárias […] Esta loucura arrasta consigo misérias individuais e sociais que há dois séculos torturam a triste humanidade. Essa loucura é o amor ao trabalho… Paul Lafargue I O frontão da igreja capitalista começa a ruir. A taxa de crescimento rentável de 3% ao ano, para cada país, …

por em

Subjetividades no ponto cego da esquerda

Meritocracia e empreendedorismo são as palavras da moda, com todo o léxico que as acompanha: capacitação, coaching, diferenciação, profiling e por aí vai. Ideias e valores derivados dos princípios da concorrência que estruturam o projeto neoliberal. Sabemos que o neoliberalismo não se reduz a um sistema econômico. Em escala pouco visível, atuam mecanismos para instalar …

por em

O colapso da democracia brasileira

A imprensa estrangeira tem oferecido aos seus leitores uma cobertura superficial da crise política brasileira que se arrasta há mais de dois anos.   Há dois meses atrás, essa crise levou a deposição de uma presidente eleita democraticamente e prossegue com sucessivos retrocessos aos direitos civis e na agenda de políticas públicas que foi referendada nas …

por em

“Existe o processo, a condenação, e depois… mais nada”

  Eram 14 horas quando Marie-José atravessou pela primeira vez as portas da penitenciária de Poissy, na região de Paris. A seu lado, duas outras mulheres, que também haviam tido um ente querido assassinado. Juntas, elas estavam prestes a encontrar três detentos que receberam penas muito longas. A prisão, um antigo convento, fica no coração …

por em

Sociedade e barbárie

Quando o abolicionista Luiz Gama disparou, em júri, que “o escravo que mata o senhor, seja em que circunstância for, mata sempre em legítima defesa”, ele se referia, entre outras coisas, à condição humana que era arrancada do escravo, do prisioneiro. Em outras palavras, se você priva alguém a sua condição humana, como esperar que …

por em

Cuba e a propriedade privada

“Não penso que o povo de Cuba vai deixar que Fidel morra. Fidel se multiplicou.” Assim se expressou Umberto Palmero, presidente da cooperativa agrícola Ruben Martínez Villena localizada em Puerto Esperanza, um pequeno povoado da província ocidental de Pinar del Río, em Cuba. A conversa ocorreu em 10 de dezembro de 2016, apenas seis dias …

por em

O triunfo do estilo paranoico

  As ambições presidenciais de Donald Trump não datam de ontem. Em 1988, o incorporador imobiliário já tinha tentado se tornar concorrente de George H. Bush. Ele postulou em seguida, na perspectiva da eleição de 2000, a investidura pelo Partido da Reforma, o qual havia servido de plataforma para Ross Perot, o primeiro “bilionário populista” …

por em

Salve os malditos!

O show de Jards Macalé no Sesc Pompeia em 15 de janeiro inaugurou 2017 com a energia de que estamos precisando em dias tão sombrios. Resultado da turnê de seus cinquenta anos de carreira iniciada em meados de 2016 e com o propósito de lançar o álbum que marca a efeméride, Macalé deu seu recado. …

por em

Nas coxias do cárcere

No dia a dia, pouco se fala sobre prisão. Quando este assunto é pautado, em geral, se comenta sobre a violência que aflige os cárceres. Nas últimas semanas, se tornou lugar comum nos meios de comunicação notícias sobre rebeliões em presídios de diversos estados do país devido ao rompimento de relações entre grandes facções criminosas. …

por em

Venezuela, as razões do caos

  A memória é por vezes cruel. Em 2 de fevereiro de 1999, em Caracas, um homem moreno pronunciou seu primeiro discurso de presidente. Seu nome: Hugo Chávez. “A Venezuela está ferida no coração”, afirmou citando Francisco de Miranda, herói da independência. Ele descreveu a crise “ética e moral” pela qual passava então seu país. …

por em

A insurreição está a caminho na República Democrática do Congo?

Opresidente permanece no cargo”: a faixa a favor do presidente Joseph Kabila tremula em frente à sede do partido no poder, o Partido do Povo para a Reconstrução e a Democracia (PPRD). Para os apoiadores do chefe de Estado congolês, essa é a resposta para outra frase, incansavelmente repetida pelas multidões de manifestantes: “Kabila, vá …

por em

Como perder uma eleição

  Em entrevista concedida dez meses antes de sua vitória na eleição para a presidência dos Estados Unidos, Barack Obama estimava que “Ronald Reagan tinha transformado a América como nem Richard Nixon nem Bill Clinton fizeram”, engajando o país “numa estrada fundamentalmente diferente”.1 A mensagem pretendia ser clara: contrariamente a Hillary Clinton, sua principal concorrente …

por em

Em 2030, teremos várias potências globais

O cenário político mundial em 2030 terá uma aparência consideravelmente diferente. As nações continuarão a ser os atores centrais. Mas não haverá uma força hegemônica única, e sim algumas – as principais serão Estados Unidos, Rússia, China, Alemanha, Índia e Japão, com tendências semi-imperiais. O poder estará mais amplamente distribuído por redes não estatais, inclusive …

por em

Edições Digitais

[mks_col] [mks_one_quarter] Edição 123 [mks_col] [mks_one_quarter] Edição 122 [mks_col] [mks_one_quarter] Edição 121 [mks_col] [mks_one_quarter] Edição 120 [mks_col] [mks_one_quarter] Edição 119 [mks_col] [mks_one_quarter] Edição 118 [mks_col] [mks_one_quarter] Edição 117 [mks_col] [mks_one_quarter] Edição 116 [mks_col] [mks_one_quarter]Edição 115 Edição 114   Edição 113 [mks_one_quarter] [/mks_one_quarter] [mks_col] [/mks_col] Edição 112 [mks_one_quarter] [/mks_one_quarter] [mks_col] [/mks_col] Edição 111 [mks_one_quarter] [mks_col] [/mks_col] …

por em

Sobre a reforma migratória dominicana

Na edição de novembro 2016 do Le Monde Diplomatique Brasil, foi publicada uma matéria intitulada “Haiti, o impasse humanitário”, em cujo conteúdo se faz referência à sentença n. 168-13 do Tribunal Constitucional da República Dominicana, sugerindo que mediante essa decisão “privou-se de cidadania entre 100 mil e 200 mil moradores de ascendência haitiana, dando ensejo …

por em

Irã e Turquia: aliados ou concorrentes?

Por toda a história, Irã e Turquia mostraram pragmatismo em suas relações bilaterais, apesar de sua rivalidade e interesses às vezes divergentes (ver box). Mas as revoltas da Primavera Árabe revelaram – e algumas vezes produziram – antagonismos profundos. Desde o início da crise na Síria, surgem divergências.1 Depois de convidar (sem sucesso) o governo …

por em

Matteo Renzi perde o paraíso

  O rottamatore,1 o demolidor, finalmente foi demolido. “Volto a Pontassieve, como todos os fins de semana. Entro em casa, todos dormem… como de costume. Salvo que desta vez é diferente. Comigo chegam caixas, livros, roupas, cadernos. Fechei a residência do terceiro andar do Palácio Chigi [local de moradia do chefe de governo italiano]. Volto …

por em

Tráfico de influência na África

Maio de 2015. A pedido de Riad, o Senegal decidiu “empregar na terra santa da Arábia Saudita um contingente de 2,1 mil homens” com o objetivo de “participar da estabilização da região” e “garantir a segurança dos locais santos do islã”.1 O anúncio teve o efeito de uma bomba na capital, Dacar, onde se teme …

por em

O que espera a América Latina

Trump!” Quando perguntado sobre seu candidato preferido na eleição presidencial norte-americana, a resposta do chefe de Estado equatoriano, Rafael Correa, surpreendeu. Afinal, o homem de negócios norte-americano não tinha atacado os imigrantes, prometido construir um muro na fronteira com o México para impedir a chegada “de estupradores e traficantes de drogas”, proclamado a urgência de …

por em

“Raça” é sempre o outro

Em meados dos anos 1990, o conhecido sociólogo peruano Anibal Quijano sustentava que “a mais pungente questão que circula entre os intelectuais latino-americanos é a da identidade”. Não era, entretanto, uma questão que parecia interessar à intelectualidade brasileira da época, em geral convicta de que essa temática já tivesse sido por demais abordada no passado …

por em

Governo Temer como restauração colonialista

por em

Da subjetividade

Solidariedade, acolhimento, pertencimento, respeito, dignidade, autonomia, liberdade são sentimentos que movem as pessoas. Ninguém se engaja em algo coletivo porque leu um livro e passou a entender melhor do assunto. A adesão passa pelo sentimento. As formas de sociabilidade, a maneira como nos relacionamos com os outros, ou como os outros se relacionam conosco, vão …

por em

Kung-fu e luta de classes

Em 1973, o situacionista René Viénet,1 sinólogo e cinéfilo bem informado, modificou os diálogos de uma obscura produção de Hong Kong: Crush, dirigido no ano anterior por Tu Guangqi, com roteiro de Ni Kuang. Ele transformou a história clássica de um vilarejo chinês invadido por samurais e defendido por um adepto do kung-fu (Jason Pai …

por em

O grande retorno da China-mundo

Enquanto a China está no processo de se impor no mundo inteiro por seu aumento de poder (ao menos suposto), podemos nos questionar a respeito de sua pretensão à universalidade e de sua capacidade de pensar em uma nova globalização. A noção de universalidade apresenta esse paradoxo muito conhecido de que ela é tudo menos …

por em

O belo Danúbio negro

Cabeças rapadas ou cabelos compridos estilo Conan, o Bárbaro, camisetas com motivos góticos, cartucheiras e grandes anéis de caveiras, tatuagens elaboradas em bíceps musculosos, lata de cerveja na mão… os metaleiros não conhecem fronteiras. Eles estavam maciçamente presentes nessa noite de agosto de 2016, em uma pequena cidade à beira do Lago Balaton, na Hungria, …

por em

A PEC do Estado mínimo

  Pouco menos de trinta anos após a promulgação da Constituição Cidadã, o funcionamento das políticas públicas está em risco. Nossa frágil democracia presencia o atual presidente e sua equipe modificar por completo e drasticamente o projeto de governo apresentado, discutido e eleito nas urnas, tendo como foco o corte de direitos conquistados a duras …

por em

A desorientação da intelligentsia

  Existe pelo menos um país onde as eleições têm efeitos rápidos. Desde a vitória de Donald Trump, o peso mexicano desmorona, o custo dos empréstimos imobiliários se eleva na França, a Comissão Europeia aperta o cerco orçamentário, os pesquisadores eleitorais se mostram mais discretos, o pouco crédito concedido aos jornalistas agoniza, o Japão se …

por em

A artilharia contra Bernie Sanders

Nunca a imprensa norte-americana tomou partido tão abertamente numa eleição. Mês a mês, ela se dedicou a desacreditar todos os candidatos que lhe desagradavam, a começar pelo senador “socialista” de Vermont, Bernie Sanders, concorrente de Hillary Clinton nas primárias democratas. Entretanto, as pontuações por ele obtidas nas primárias nos Estados-chave, aqueles em que Hillary Clinton …

por em

Por que fizemos opção pelos pobres (e eles pelo neopentecostalismo…)?

  Há quem diga que a Igreja Católica optou pelos pobres, e os pobres, pelas Igrejas evangélicas. Isso tem certa dose de verdade se considerarmos os índices que demonstram que, nos últimos anos, houve diminuição do número de católicos no Brasil e aumento de protestantes (adeptos das Igrejas históricas) e evangélicos (adeptos das Igrejas pentecostais …

por em

Carta pública ao Conselho de Ética da Câmara dos Deputados do Brasil

Venho por meio da presente expressar a minha profunda preocupação pelo processo instaurado por este Conselho contra o deputado federal Jean Wyllys, iniciado como consequência de uma série de representações assinadas por adversários políticos e instrumentalizado por setores antidemocráticos desse Parlamento que querem calar a voz do único deputado gay assumido do Brasil, cujo mandato …

por em

As estruturas políticas e o impeachment

O episódio do impeachment de Dilma Rousseff pode ser interpretado de acordo com diferentes vieses. Na imprensa tradicional predominou a velha narrativa superficial centrada na dinâmica dos acontecimentos do jogo político diário, na qual a deficiência explicativa vem acompanhada do excesso de informações. Sempre é possível buscar análises mais detalhadas e profundas, especialmente quando se …

por em

É necessário resistir à Cruzada anticorrupção

  Enquanto a esquerda brasileira busca novas agendas e programas, o tema da corrupção vem ganhando protagonismo cada vez maior nos seus debates. Vejo essa tendência com perplexidade e desalento, pois a considero um erro conceitual e estratégico grave, que pode mesmo inviabilizar a sobrevivência do progressismo organizado no país. Chamo doravante de Cruzada o …

por em

Não nos representam!: Os dilemas da esquerda diante de um poder em crise

  Há, em grande parte do mundo, um mal-estar e uma revolta contra o sistema político tradicional, ambos expressos de diferentes maneiras na sociedade. Isso não é novidade e já virou lugar-comum em várias análises sobre a chamada crise da representação. A pergunta que se faz é: como vem sendo e como será a ação …

por em

É possível falar sobre corrupção a partir da esquerda?

Foto: Agência Brasil Não foi exatamente surpresa quando duas pesquisas de opinião, uma do Datafolha e outra da Confederação Nacional das Indústrias, mostraram, no final de 2015 e início de 2016, que a corrupção tinha se tornado a principal preocupação dos brasileiros, a frente dos problemas na saúde e na segurança.1 As pesquisas mostravam que …

por em

Militância democrática

Acreditávamos ter consolidado a democracia, por isso a questão da reforma política era discutida nos marcos de uma institucionalidade, de regras do jogo que permitiriam enunciar propostas como a de um plebiscito por meio do qual a vontade popular pudesse se manifestar e influir no processo decisório, abrindo espaço para a realização de uma Constituinte …

por em

O Brasil será o Paraná?

É bom nos prepararmos para tempos mais turbulentos, em que o conflito social vai tomar as ruas, vai ocupar os prédios públicos, vai pressionar os parlamentos, vai tensionar nossa democracia. Com a aprovação da PEC n. 241, o corte no orçamento das políticas públicas e a redução nos programas de proteção social vão ser fundos …

por em

O austericídio fiscal e o desmonte da Seguridade Social no Brasil

  As propostas de governo do presidente Michel Temer estabelecem a centralidade da política econômica, que preside e subordina as demais políticas de governo. Estas propostas visam consolidar, no âmbito do aparelho do Estado e no imaginário dos formuladores de opinião, uma visão de que as metas e os resultados fiscais se constituem atividades-fim da …

por em

Nem todas as mulheres dos Estados Unidos são Hillary Clinton…

  Quando ela se inclina, a blusa se entreabre e podemos ler em seu colo: “Ela acreditou que era capaz, então fez”. A tatuagem é sua oração. Após vários anos trabalhando na administração pública e ganhando mal por falta de diploma, Tiffany Runion decidiu retomar os estudos. Matriculou-se na Universidade de Toledo, uma pequena cidade …

por em

Uma política na contramão do trabalho

A promulgação da Constituição Federal de 1988, em particular o capítulo dos direitos sociais, representa um marco na história do país. Passados 28 anos, os princípios escritos para a Previdência Social brasileira vêm sofrendo um contínuo processo de desestruturação de suas bases institucionais. Nesse intervalo de cinco presidentes (Collor/Itamar, FHC, Lula e Dilma), não se …

por em

As ocupações se espalham… e as estratégias de repressão também

No dia 23 de setembro de 2016, o governo federal oficializou, por meio de medida provisória (MP), a nova política de fomento às escolas de ensino médio em tempo integral. Exatamente um ano antes era anunciada a “reorganização” da rede de ensino do estado de São Paulo. Como a MP, a reorganização foi apresentada de …

por em

Trabalhadores em educação resistem

A MP n. 746, enviada pelo Executivo federal ao Congresso em 22 de setembro de 2016, com a finalidade de reformar o ensino médio no Brasil, insere-se num conjunto de medidas neoliberais e conservadoras que caracterizam o governo do presidente Michel Temer, considerado golpista por grande parte da literatura jurídico-política e por movimentos sociais. O …

por em

Por que os colombianos rejeitaram a paz

Entender o voto de 2 de outubro na Colômbia implica compreender as razões que conduziram as duas partes a promover negociações e, sobretudo, analisar o contexto no qual estas se desenrolaram. De fato, o país está anestesiado por 52 anos de conflito, e quatro anos de negociações não foram suficientes para tirá-lo de um torpor …

por em

Aborto, o obscurantismo polonês

  Foi em 2 de janeiro. A mulher que devia nos levar ainda estava bêbada do réveillon. Um homem dirigia no seu lugar, e ela indicava o caminho. Éramos três no banco de trás, apertadas naquele carro tão podre, que fedia a álcool, e onde não podíamos abrir as janelas.” Como milhares de outras polonesas, …

por em

Haiti, o impasse humanitário

Onze horas. As operárias da Factory 4 e seus raros colegas homens deixam o trabalho e, lentamente, se esparramam sob o sol forte. A maior parte ainda veste o avental e o boné obrigatórios. Aquelas e aqueles que não se dirigem precipitadamente ao refeitório disputam o pouco de sombra proporcionado por algumas árvores para comer …

por em

A MP n. 746 no contexto de privatização da educação regional e global

Aeducação é um direito humano fundamental, reafirmado em uma ampla gama de instrumentos regionais e internacionais de direitos humanos, bem como nas legislações nacionais de todos os países da América Latina. Nessas normas, a responsabilidade do Estado de respeitar, proteger e realizar os direitos humanos, entre eles a educação, é colocada de forma inequívoca. O …

por em

Entre o autoritarismo e a esperança democrática

  Todos sabem que a Primavera Árabe começou no fim de 2010, no Magreb, quando a queda da ditadura tunisiana abriu o ciclo de revoltas populares que tomariam a região. Mas frequentemente esquecemos que o precursor histórico desse movimento também teve lugar no Magreb, na Argélia, onde as enormes revoltas de outubro de 1988 fizeram …

por em

Moscou entra na decisiva batalha por Alepo

O principal objetivo da intervenção russa em setembro de 2015 foi rapidamente atingido: impedir uma derrota militar do regime sírio, que vinha perdendo terreno havia meses.1 A implicação de forças aéreas russas também tornou impossível a interdição de sobrevoo no território sírio. Em 2013, a diplomacia russa já havia evitado qualquer pretexto para uma intervenção …

por em

Punk, anarquista e prefeito

Nos dias seguintes ao desmoronamento de 2008, a capital da Islândia era a imagem da desolação. A floresta de guindastes erguida durante a bolha financeira tinha desaparecido. Os prédios inacabados de Reykjavík ofereciam à nevasca seus flancos de concreto bruto. Uma parte importante da população, superendividada, perdia a moradia ou se desdobrava para conservá-la. Durante …

por em

Uma etapa crucial da contrarreforma

Para que serve o ensino médio? No período da ditadura empresarial-militar, a resposta se deu por meio da Lei n. 5.692/1971: formar “recursos humanos” para o trabalho simples e para tornar o exército industrial de reserva apto para pressionar os salários para baixo. Isso seria feito por meio da profissionalização precoce. O projeto fracassou. O …

por em

A agonia do “extremo centro”

A política europeia atravessa um período de polarizações. Esse processo não surgiu por acaso. É uma resposta à radicalização do projeto neoliberal que se seguiu à crise financeira de 2008: aumento brutal das desigualdades, aceleração da destruição do Estado social, expulsão de milhões de trabalhadores daquilo que lhes concedia até então a plena cidadania – …

por em

Brasil: uma política educacional fundamentada em mitos?

Mito 1 –A educação básica é majoritariamente privada nos países mais desenvolvidos. Mesmo nos Estados Unidos, comumente tomados como exemplo, nove em cada dez estudantes da educação básica estão em instituições públicas.1 Com raras exceções, a maioria dos estudantes de cada país frequenta instituições públicas.   Mito 2 – No ensino médio, predominam as escolas …

por em

Masoquismo eleitoral

Paradoxo singular, a herança de Margaret Thatcher é repudiada em seu país no momento em que suas poções econômicas mais amargas fazem sucesso na França. Em 5 de outubro, a primeira-ministra britânica, Theresa May, impingiu aos militantes de seu partido um discurso que acabou por deixar alguns deles estupefatos. Denúncia de uma sociedade gangrenada pelos …

por em

O quebra-cabeça norte-americano em Mossul

O Iraque só vai renascer quando Mossul for libertada. Devemos nos apressar para atingir esse objetivo.” Assim falava o primeiro-ministro Haidar al-Abadi em setembro de 2014, após ter obtido o voto de confiança do Parlamento iraquiano para formar um governo de unidade visando desmontar a Organização do Estado Islâmico (OEI). De adiamento em adiamento, seria …

por em

A insurreição alemã contra o livre comércio

Quem iria acreditar? Foi na Alemanha, terceiro país exportador do mundo, que se desenvolveu uma das mais fortes mobilizações europeias contra os acordos de livre-comércio entre a América do Norte e o Velho Continente: o Grande Mercado Transatlântico (GMT, mais conhecido por sua sigla em inglês Tafta), em fase de negociação, e o Acordo Econômico …

por em

Planos de saúde populares, desmonte do SUS e a arapuca Qualicorp

Um acontecimento marcante na história de nosso país, a 8ª Conferência Nacional de Saúde, completa trinta anos. Realizado em Brasília em março de 1986, o evento reuniu políticos, gestores, profissionais e usuários do sistema de saúde e discutiu melhorias para o setor e mudanças no seu panorama. O relatório final, produzido pelos participantes, serviu de …

por em

Nem leão nem gazela

Dois séculos de disputa É por meio do trabalho que as sociedades produzem o bem-estar e a qualidade de vida. Desde a Revolução Industrial, no século XIX, a economia capitalista transforma o trabalho em mercadoria (mão de obra) a ser comprada livremente para ser empregada na produção. Desde então, os trabalhadores lutam para se libertar …

por em

Os impactos da especulação com terras agrícolas no Brasil

A crise econômica mundial que se tornou aparente em 2008 intensificou o papel do capital financeiro no mercado de terras agrícolas no Brasil. A especulação com terras exerce o papel de facilitar a circulação do capital financeiro em um contexto de instabilidade econômica em nível internacional. Essa tendência é estimulada por fundos de investimentos estrangeiros …

por em

Perigo amarelo na França?

Depois de muito tempo invisíveis, os chineses adentraram o mundo dos negócios na França com grande destaque e enfrentando muitas críticas. Em poucos meses, colocaram as mãos em empreendimentos como o Aeroporto de Toulouse-Blagnac, o Club Med, a agência de viagens Pierre et Vacances, os hotéis Campanile e Kyriad, o clube de futebol FC Sochaux, …

por em

Estados Unidos brincam com o perigo

The system is rigged (“O sistema está viciado”). Já sabíamos que nos Estados Unidos o candidato que recebe o maior número de votos em escala nacional nem sempre é o que se torna presidente; que a corrida para a Casa Branca ignora três quartos dos estados onde o resultado da eleição parece certo; que quase …

por em

A sedução da boemia

Um homem entra em um cabaré parisiense. Ele é jovem, pobre e ambiciona fazer carreira como artista. Ali, encontra um filósofo e em seguida um poeta, ambos tão pobres quanto ele. Eles imediatamente simpatizam entre si: comida, bebida e tabaco são logo partilhados. Um pintor vem se juntar a eles para formar um grupo fraterno. …

por em

Onda conservadora

Como se forma o pensamento conservador? Como ele ganha mais adeptos na sociedade? Como ele pode vir a conformar maiorias? Essa discussão remete à questão da imposição de uma visão de mundo que é de uma parte da sociedade como sendo a visão de toda a sociedade. Estamos no campo da produção da ideologia e …

por em

Gibraltar, última colônia da Europa

Ao votarem maciçamente contra o Brexit, os habitantes de Gibraltar mostraram seu vínculo com a União Europeia, que lhes concede diversos privilégios e funciona como mediadora com a Espanha. Com uma superfície equivalente à de um bairro, o território é ao mesmo tempo um dos mais ricos do mundo e o último que sobrou para …

por em

Israel e a religião da segurança

Israel costuma ser visto como um dos Estados mais religiosos no mundo. E é mesmo, mais do que possamos imaginar. Aqui, religião e Estado são uma coisa só. A ortodoxia judaica acompanha os cidadãos do nascimento até a morte, sejam eles crentes, agnósticos ou ateus. Mas, como se isso não bastasse, há um segundo dogma …

por em

Piratas tomam a Islândia de assalto

Nenhum policial no horizonte, nenhuma invectiva entre os militantes: o Fórum Nórdico reuniu no início de setembro todos os partidos políticos islandeses em um clima de muita paz. Às vésperas das eleições legislativas de 29 de outubro, os principais candidatos se expressaram sob um modesto toldo instalado na frente da Universidade de Reykjavik. Devido aos …

por em

Percepções e fatos sobre o autoritarismo no Sudeste Asiático

No Sudeste Asiático, a história se repete. Para começar, em cada país, a mídia pulula de boatos lisonjeiros sobre os candidatos liberais. Alimentada pelas elites nacionais refinadas e conectadas, é reproduzida no Ocidente, que se inflama de bom grado. Foi assim na Indonésia em 2014, quando Joko Widodo, apelidado de Jokowi, fez soprar um vento …

por em

A irrelevância do direito

O impeachment da presidenta eleita Dilma Rousseff seguiu a forma e o rito previstos na Constituição Federal. O Supremo Tribunal Federal foi acionado para preencher as lacunas da lei e precisar o procedimento a ser cumprido. Ré e advogado de defesa poderiam fazer uso da tribuna em sua integralidade. A pressa em adiantar o processo …

por em

Novo desafio, nova perspectiva

Início dos anos 1970, auge da ditadura militar no Brasil. Nos campos e nas cidades reinava a paz dos cemitérios. Trabalhadores rurais e urbanos viviam quase como escravos nas fazendas e fábricas, a política estava abolida das conversas cotidianas, o noticiário explorava as práticas esportivas, as igrejas pregavam a vida depois da morte. Que estava …

por em

A arte de ignorar os pobres

Por uma distorção espetacular, em nossas democracias modernas não são mais os eleitores que escolhem e orientam seus eleitos: são os dirigentes que julgam os cidadãos. É assim que os britânicos, assim como os franceses em 2002 (derrota de Lionel Jospin no primeiro turno das eleições presidenciais) e em 2005 (“não” no referendo sobre o …

por em

A sinfonia da felicidade

Os empresários não medem esforços para garantir a felicidade de seus funcionários? Aos trabalhadores forçados, que labutam por pouca coisa e talvez não pensassem a respeito, o programa Envoyé spécial [Enviado especial], do canal de televisão público France 2, acaba de dar uma edificadora lição. Em uma reportagem difundida no dia 1º de setembro, ele …

por em

Quem matou Berta Cáceres?

Queremos trabalho e desenvolvimento!” Neste dia de abril de 2016, cerca de vinte camponeses bradam seus facões em torno de um líder, revólver na cintura. Diante deles, ameríndios Lencas, acompanhados de ecologistas de diversas nacionalidades, tentam chegar ao local da barragem Agua Zarca. Eles querem prosseguir a luta de Berta Cáceres, homenageada pelo Prêmio Goldman …

por em

Gazprom, uma gigante sem controle

Por razões históricas, a Gazprom e o Estado russo mantêm relações estreitas, mas não simbióticas. A empresa é herdeira direta do ministério soviético da indústria do gás, transformada em 1989 em um agrupamento econômico estatal submetido ao princípio de autonomia financeira e de gestão. Seu presidente, Viktor Chernomyrdin, tornou-se primeiro-ministro em 1992. No ano seguinte, …

por em

Como Erdogan domou o Exército

A tentativa de golpe de Estado de 15 de julho de 2016 na Turquia lembra até que ponto o Exército continua sendo um ator de peso, capaz de alterar o equilíbrio das forças políticas no país. Essa instituição, fundada em 1923 e herdeira distante da modernização das forças otomanas de 1826, constitui antes de tudo …

por em

Direito à segurança pública no Brasil: avanços e desafios na perspectiva da segurança cidadã

O relatório do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes (United Nations Office on Drugs and Crime – UNODC) intitulado “Estudo Global sobre Homicídio”, com base em dados de 2012, destacou o Brasil como um dos países mais violentos do mundo. No contexto da América Latina, região que registrou os mais altos índices de …

por em

Mulheres Negras: Projeto de Mundo

Na próxima segunda-feira, dia 12 de setembro, às 19h, o Centro Cultural Galeria Olido, em São Paulo, receberá o lançamento do filme “Mulheres Negras: Projeto de Mundo”. Dirigido por Day Rodrigues e Lucas Ogasawara, o documentário de 25 minutos conta com depoimentos das ativistas Djamila Ribeiro, Ana Paula Correia, Aldenir Dida Dias, Preta Rara e …

por em

Qual o lugar das mulheres nas cidades? Por um ativismo-feminista-urbano

Marcha das Vadias em Brasília (Crédito: Mídia Ninja) A dicotomia público/privado, casa/cidade éatravessada pela perspectiva capitalista de divisão social do trabalho, bem como da divisão sexual do trabalho. Pari passudo processo de segregação do espaço das cidades, temos a segregação a partir do gênero, entre homens e mulheres. Desde o século XIX no âmbito das …

por em

A verdade em questão

Sobre o que poderiam ser, a seus olhos, as razões e os objetivos reais que se dissimulam por trás da suposta busca pela verdade, Michel Foucault deu uma ideia muito clara da maneira pela qual ele representava a situação, em seu primeiro ano de curso no Collège de France: “Tratar-se-ia de saber se a vontade …

por em

Nicarágua: o que resta do sandinismo?

  “Nicarágua sandinista”. As duas palavras estão coladas uma à outra. Na década de 1980, a América Central atravessava um período de revoluções e contrarrevoluções. Em 1979, os rebeldes sandinistas tinham conseguido derrubar o ditador Anastasio Somoza, há muito conhecido na região como “homem dos Estados Unidos”. Imputava-se aos líderes norte-americanos a tirada: “Somoza é …

por em

Moscou, o grande engarrafamento

Gosto de dirigir. Os automóveis são minha vida. Já tive vários Lada, norte-americanos, alemães… Agora estou gostando muito dos japoneses.” Ex-mecânico que se tornou motorista de uma empresa de aluguel de trajes de gala, Andrei Garachtchuk estira o braço para abrir a porta do passageiro de seu “Mazda-6, último modelo da terceira geração”. Um jato …

por em

“Encantar a vulgar realidade”

“Até que não é ruim”, clama o cartaz estampado nas paredes. Ele reproduz o célebre “Beijo do Hôtel de Ville”, fotografado por Robert Doisneau nos anos 1950. Exceto que agora duas manchas vermelho-sangue sujam a imagem icônica dessa juventude despreocupada e feliz. Desde os atentados de 13 de novembro de 2015, grafites, estênceis, colagens, cerâmicas …

por em

São nossas crianças

Carta a Yayi Bayam Diouf, minha irmã1 Duzentos dos seus concidadãos e quase o mesmo número dos meus figuram entre os oitocentos mortos do naufrágio de 18 de abril de 2015 na costa da Sicília. Muitos são aqueles de quem já não se fala mais, aqueles dos quais nunca se falará, jogados nas fossas comuns …

por em

A disputa pela cidade


As eleições municipais deste ano ocorrem em um cenário de profunda crise política e econômica. Para debater as perspectivas que se abrem com o pleito e analisar os atores e modelos em disputa pela cidade, o Le Monde Diplomatique Brasil conversou com a urbanista Raquel Rolnik, professora da FAU-USP. Confira a entrevista a seguir 

LE …

por em

Sim, há golpe de Estado

Espinosa recomenda que, numa investigação, comecemos pelo uso costumeiro das palavras porque, na origem, elas possuem função denotativa, isto é, indicativa de alguma coisa e somente depois adquirem um sentido conotativo, como nas metáforas, metonímias, sinédoques e outras figuras de linguagem. Se aceitarmos essa recomendação, ao empregar a palavra golpe convém buscarmos nos dicionários seu …

por em

Aix-Marseille, laboratório das fusões universitárias

Dominando o Vieux Port com a graça imponente de sua arquitetura imperial, a sede da reitoria da Universidade de Aix-Marseille (AMU) dá o tom. Com 74 mil estudantes, o estabelecimento – criado em 1º de janeiro de 2012 por meio da fusão da Universidade de Provence, da Universidade do Mediterrâneo e da Universidade Paul-Cézanne – …

por em

Washington analisa cenários para uma “guerra aberta”

Enquanto a corrida presidencial norte-americana atinge seu ápice e os líderes europeus estudam as consequências do Brexit, os debates públicos sobre a segurança se concentram na luta contra o terrorismo internacional. Mas, se esse tema satura o espaço midiático e político, ele desempenha um papel relativamente secundário nas trocas entre generais, almirantes e ministros da …

por em

Situação de rua e os desafios para os candidatos às prefeituras

Este artigo não visa apresentar soluções prontas para a situação de rua. A complexidade e extensão da questão, a diversificação territorial, o número de pessoas em situação de rua e os orçamentos de cada cidade são dimensões que devem ser consideradas na proposição de políticas públicas fundamentadas na consolidação do Sistema Único de Assistência Social …

por em

As primárias de Vladimir Putin

Os dirigentes do partido Rússia Unida mostraram-se surpresos com a alta participação. No dia 22 de maio de 2016, mais de 10 milhões de cidadãos (cerca de 10% dos eleitores inscritos) participaram das eleições primárias daquele que é frequentemente chamado “o partido de Putin”. Antes da chamada ao sufrágio universal, os candidatos às eleições legislativas …

por em

Entre dois mundos

Um aspecto chama atenção quando se pensa nos trinta anos de ciclos de conferências: o surgimento, no meio desse percurso, de fatos novos, inteiramente novos, sem precedentes e sem exemplos, sem ligação com o passado, o que define o início de uma grande mutação. Essa mutação abalou de forma radical toda a vida social e …

por em

Dados pessoais, uma questão política

No mundo, foram vendidos 1,424 bilhão de smartphones em 2015; 200 milhões a mais que no ano anterior. Um terço da humanidade carrega um computador no bolso. Manipular esse aparelho tão prático é algo de tal forma óbvio que quase nos faz esquecer o que ele nos impõe em troca e sobre o que repousa …

por em

O Congresso e a justiça têm lado

Todos já sabem, dentro e fora do Brasil, que o impeachment é uma farsa para tirar do poder a presidenta eleita e o PT. Não há crime para condenar Dilma. Se a justificativa for ainda o combate à corrupção, os mentores do golpe deveriam também ser acusados pela Lava Jato. Evidências não faltam, aliás, são …

por em

Mobilidade urbana

A mobilidade urbana no Brasil vem sofrendo, nas últimas décadas, grandes transformações que reduziram ainda mais a eficiência e aumentaram a iniquidade no uso do espaço público. De maneira geral, as políticas de mobilidade continuaram as mesmas verificadas na história moderna do Brasil, em que a utilização do espaço urbano a pé ou de bicicleta …

por em

Um bilionário fantasiado de operário contra uma madona virtuosa

Difícil imaginar escolha pior do que Cleveland, em Ohio, para realizar uma convenção nacional do Partido Republicano. Nessa cidade industrial, bastião tradicional dos democratas, qualquer esquina lembra que a política econômica dos republicanos provocou a destruição do mundo operário durante boa parte dos últimos quarenta anos. Em outros tempos, a cidade encarnava o poder manufatureiro …

por em

Reação cultural na Caxemira

Uma galeria de arte contemporânea em uma cidade ocupada. Em 12 de janeiro de 2015, pela primeira vez na história, o estado de Jammu e Caxemira via nascer um local de cultura. Situada em Srinagar, a capital de verão1 dessa região ocupada pela Índia, a Gallerie One seria um lugar onde os artistas poderiam expor …

por em

Desafios para os prefeitos na área da saúde

Prefeitos e secretários de Saúde se encontram em uma situação bastante delicada diante da variedade de agravos sanitários que o Brasil vem sofrendo. Tanto a população quanto parcela importante da mídia tendem a responsabilizá-los pelos problemas sanitários, isentando a União e os estados da corresponsabilidade sobre o Sistema Único de Saúde (SUS). Nossa legislação não …

por em

A rota do Ártico passa pela Islândia

Em meio à vegetação amarelada que bordeja o fiorde mais comprido da Islândia, Thorvaldur Ludvik Sigurjonsson, cabelos ao vento, desenha mentalmente o local do futuro porto de Dysnes. O consórcio de empresas islandesas Arctic Services, que ele dirige, espera se aproveitar no futuro da abertura da rota marítima criada pelo derretimento da calota polar a …

por em

A internet pode ajudar a democracia?

Estas são as primeiras eleições brasileiras desde 1994 em que empresas estão proibidas de financiar candidatos. A máxima parece consensual, e temos de celebrá-la: não haverá campanhas políticas – e, portanto, mandatos – limpas e legítimas se o dinheiro continuar vindo carregado de toma lá dá cá. O que parece uma golfada de esperança num …

por em

Incômodos Políticos

Em setembro, os Estados Unidos celebram o Dia do Trabalho. Neste ano, ele terá como particularidade o fato de que muitos operários e empregados – homens brancos, em particular – se encaminham para reuniões com o candidato republicano. Donald Trump cultiva esses apoios fustigando os tratados de livre-comércio que precipitaram a desindustrialização dos antigos bastiões …

por em

Democracia Pós-Golpe

 

por em

O impeachment da presidenta Dilma Rousseff configura golpe de Estado?

A crise política pela qual o país atravessa traz a necessidade de se procurar responder à seguinte questão: o impeachment da presidenta Dilma Rousseff configura golpe de Estado? A busca pela resposta jurídica a tal questionamento é iniciada, no presente texto, não com citações doutrinárias ou precedentes jurisprudenciais. Inicia-se com o realismo fantástico de Gabriel …

por em

A financeirização da moradia no Brasil: a cidade como direito ou mercadoria?

Vila olímpica no Rio de Janeiro servirá como empreendimento imobiliário Em um mundo pós-guerra fria, a esfera financeira vem atingindo grande dimensão devido aos processos de sobreacumulação de capital. O aumento da riqueza baseada em práticas financeiras tem alcançado – ou reforçado – novos perfis econômicos, para além das atividades clássicas de crédito. De fato, …

por em

Nosotras: Quem são as bolivianas presas em São Paulo?

  Hoje, o Brasil é o terceiro país com maior população em situação de prisão do mundo. No fim  de 2015, havia 628 mulheres presas na Penitenciária Feminina da Capital, sendo que a maior parte delas era estrangeira. Nessa conta, 46 são bolivianas e, dentre elas, 44 estavam presas por tráfico de drogas. Todas são …

por em

Brasil: O Exportador de Passado

A construção da paz no cenário internacional é uma dimensão natural para uma atuação mais qualificada por parte do Brasil na política internacional. Porém, o posicionamento do Brasil nesta esfera tem se mostrado míope, o que é visível no que toca à participação do país em operações de paz em cenários pós-conflito1 Esta miopia não …

por em

Simone Weil, o engajamento absoluto

Em 1931, Simone Weil, aos 22 anos, recém-nomeada professora de Filosofia, instalou-se em Puy-en-Velay, uma comuna da região mineradora de Haute-Loire, para ensinar ali em um liceu de moças. O diretor da Escola Normal Superior (ENS) de Paris, Célestin Bouglé, comemorou. Aquela que ele via como um “misto de anarquista e carola” o exasperava por …

por em

Perucas, fuzis e salto alto

Como proprietário do concurso Miss USA entre 1996 e 2015, Donald Trump prometeu “reduzir o tamanho dos maiôs e aumentar a altura dos saltos”. No dia da competição em 2005, clamava em alto e bom som: “Se deseja ver um gênio, não ligue a televisão esta noite, mas, se quiser ver belas mulheres, você deveria …

por em

Votar mais não é votar melhor

O acaso quis que, com três dias de intervalo, por intermédio de um referendo, os britânicos se pronunciassem sobre sua saída da União Europeia, e os eleitores da região de Loire-Atlantique, na França, sobre a construção do aeroporto de Notre-Dame-des-Landes. Duas questões, de envergadura muito diferente, que mostram a plasticidade desse tipo de consulta: uma …

por em

Porto do Rio: maravilha para quem?

A região portuária do Rio de Janeiro é uma das áreas mais afetadas pelas intervenções urbanas ligadas às Olimpíadas. Até bem recentemente, ela era tratada por empresários, políticos e pela mídia como um espaço degradado e isolado do resto da cidade. De fato, toda a região possuía baixo valor de mercado e parco interesse para …

por em

Robôs de serviços evoluem no Japão

Na ilha artificial de Odaiba, na Baía de Tóquio, vê-se apenas ele. Reinando sobre esse pôlder futurista, o robô Gundam, do alto de seus 18 metros, contempla a capital. Como um símbolo, a réplica gigantesca do herói de mangá cristaliza todos os fantasmas. No inconsciente ocidental, os robôs são legiões no Japão, estariam por toda …

por em

Excluindo o povo do orçamento público

O governo golpista enviou ao Congresso Nacional um projeto central para sua ação política: uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) para limitar a expansão das despesas orçamentárias. Na fachada, a PEC 241/2016 cria um novo regime fiscal, que abrange as despesas de todos os poderes da União e dos órgãos com autonomia administrativa e …

por em

Pequeno guia prático de conversação com extraterrestres

A tempestade foi mais forte que o previsto. A tripulação estava mal preparada, o navio afundou. Você conseguiu agarrar-se a um pedaço dos destroços. Depois de passar alguns dias à deriva em alto-mar, você vai parar em uma praia desconhecida. O socorro deve estar sobrevoando a área em busca de sobreviventes. O que você fará …

por em

União forçada em torno de Hillary

Numa crônica de 24 de maio de 2016, o editorialista conservador do New York Times David Brooks se perguntava: “Por que Hillary Clinton é tão impopular?”. Em vez de procurar a resposta no histórico político da candidata, ele se debruçou sobre sua psicologia. “Começarei minha explicação por esta interrogação: vocês podem me dizer o que …

por em

Provocações atlânticas

Os dirigentes dos Estados europeus membros da Aliança Atlântica querem seguir o exemplo de José Manuel Barroso, que se tornou lobista do Goldman Sachs após ter presidido a União Europeia? Será que eles, em consequência, aproveitaram a cúpula da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) para preparar sua reconversão como conselheiros de uma empresa …

por em

Por que não há déficit

Contrariamente ao que se informa, há dados que comprovam superávit no Sistema de Seguridade Social e da Previdência Urbana, que poderia ser ainda maior não fossem os inúmeros artifícios usados para mostrar que há déficit. A Constituição Federal define, no artigo 194, o Sistema de Seguridade Social que abrange a saúde, a Previdência e a …

por em

Minhas férias na Terra Santa

Na primavera de 2016, jornalistas de direita deram grande importância a uma pesquisa da Bloomberg que perguntou aos norte-americanos se eles simpatizavam mais com Benjamin Netanyahu ou com Barack Obama. Os republicanos optaram pelo primeiro-ministro israelense em detrimento de seu próprio presidente, por grande maioria (67% contra 16%). Muitos fingiram-se chocados com o fato de …

por em

Esperando a paz com os guerrilheiros das Farc

Há quanto tempo caminhamos por esse mar verde monótono? Meia hora? Uma hora? Duas? De repente, a lona das barracas se destaca em meio às árvores antes de chegarmos às instalações rudimentares da guerrilha. Duas horas de viagem de avião, ônibus, moto e depois a caminhada para chegar, em 29 de junho de 2016, ao …

por em

Perucas, fuzis e salto alto

Como proprietário do concurso Miss USA entre 1996 e 2015, Donald Trump prometeu “reduzir o tamanho dos maiôs e aumentar a altura dos saltos”. No dia da competição em 2005, clamava em alto e bom som: “Se deseja ver um gênio, não ligue a televisão esta noite, mas, se quiser ver belas mulheres, você deveria …

por em

Ecologia ou barbárie

Em 6 de janeiro de 2014, os cantões do Rojava, no Curdistão sírio, federaram-se em comunidades autônomas. Eles adotaram um contrato social que estabelece democracia direta e gestão igualitária dos recursos com base em assembleias populares. Foi ao ler a obra política de Murray Bookchin e trocando ideias com ele em sua cela turca, onde …

por em

As cidades e o urbanismo no impasse

Um dos mais importante sites de repúdio aos acontecimentos recentes na política brasileira é a plataforma Alerta Social, que usa o eficaz moto “Qual direito você perdeu hoje?”. No que diz respeito às políticas urbanas, temos muito a dizer nesse sentido. O anúncio do cancelamento do Minha Casa, Minha Vida – Entidades (do qual o …

por em

Brexit, a xenofobia não explica tudo

Abilheteira de uma pequena estação de trem do País de Gales passava o tempo, absorvida por uma conversa com um colega. Este se lamentava: “Não é mais possível comprar brinquedos cor-de-rosa para meninas, é preciso que eles sejam cinza”. Ela respondeu: “É semelhante ao que acontece com a palavra golliwog…”.1 Os dois agentes de uma …

por em

A cidade na “longa década perdida”

Entre 2003 e 2013 atravessamos um período inédito em nossa história. Combinamos crescimento econômico, com a integração produtiva de amplas parcelas da população, extensão das políticas de proteção social e retomada do planejamento governamental. Os números são conhecidos, mas, quando justapostos, não deixam de surpreender. O PIB foi multiplicado por quatro, 21 milhões de empregos …

por em

O desafio atual: a defesa de direitos

As organizações não governamentais que se dedicam à defesa de direitos no Brasil estão desafiadas a se reinventar nesta nova conjuntura e a rever seu planejamento e os compromissos assumidos em um momento de vigência da democracia e de respeito à Constituição de 1988, que assegurava direitos sociais e políticos e espaços de participação. Com …

por em

Superlotado e desumano

Aos 16 anos, L.A.P. está encarcerado no Centro de Socioeducação Gelso de Carvalho Amaral (Cense-GCA). Preso com onze outros menores em uma cela, chamada no local de “alojamento”, o menino convoca o repórter para protestar. Falando baixo, reclama do cobertor furado, da água escorrendo pelo chão do pequeno recinto, e de dores. O repórter sabe …

por em

O desequilíbrio da Democracia Brasileira

Muro levantado para votação do impeachment na Câmara dos Deputados, em  Brasília Democracia talvez seja o conceito da política mais popular e de uso mais corrente em nosso dia a dia. Quem nunca ouviu a frase “você não está sendo democrático” nas suas relações cotidianas? Isso não significa, entretanto, que seja o conceito mais entendido. …

por em

Ruralistas entreguistas

Força de Segurança Nacional expulsa indígenas de suas terras no Mato Grosso do Sul O Estado brasileiro está prestes a legalizar o processo de desnacionalização de seu território. Este tema tem sido usado recorrentemente pelos ruralistas no ataque que fazem contra os direitos indígenas consagrados na Constituição Federal. Membros da Frente Parlamentar Agropecuária, a chamada …

por em

Direito à cidade S/A: a casa de máquinas da financeirização urbana

Pensar e pulsar o direito à cidade em tempos de crise é tarefa dos pés à cabeça. Da cabeça, mais obviamente, porque se faz imprescindível, neste contexto, revisitar a vasta tradição teórica que, desde H. Lefebvre, passando por Milton Santos, tem se debruçado sobre o conceito, politizando a relação entre espaço, Estado e cidadania. Dos …

por em

Lobby suprapartidário

Nos últimos meses, temos observado uma total falta de comprometimento com a área da saúde por parte do governo federal, tratando-a como moeda de troca, uma vez que o setor detém a pasta de maior orçamento da esplanada. O engenheiro civil e deputado federal Ricardo Barros (PP-PR) é mais um exemplo de gestor sem a …

por em

Bancadas da cidadania

Houve um tempo em que se definia a democracia como o governo do povo, pelo povo e para o povo. Os tempos mudaram e a globalização impôs uma nova realidade: as grandes corporações, especialmente as financeiras, controlam as decisões de governo. Elas escrevem as leis e pagam os políticos para que eles façam o que …

por em

A autodestruição do Partido Socialista

Aproxima-se o momento em que o Partido Socialista (PS) francês terá de fazer um balanço. Raramente um partido sai tão danificado depois de passar pelo poder. Em 2012, ele teve todo o conjunto dos poderes nas mãos. Quatro anos depois, perdeu um número considerável de eleitos e, a menos de um ano da eleição presidencial, …

por em

Liberal-conservadorismo à brasileira

Em seu conhecido texto “As ideias fora do lugar” – originalmente publicado em 1972 na França, depois transformado no primeiro capítulo de sua tese de doutorado, Ao vencedor as batatas, defendida em 1976 –, Roberto Schwarz esboçou o que seria uma das mais originais críticas ao liberalismo à brasileira, tanto mais porque, ao contrário das …

por em

Uma Europa a ser refeita

Donald Tusk, presidente do Conselho Europeu, deve lamentar ter associado um eventual voto negativo dos britânicos a um “início de destruição não somente da União Europeia, mas também da civilização europeia”.1 De todo modo, a vitória do Brexit constitui uma grande surpresa para o conjunto do Velho Continente. Isso porque desta vez será difícil ignorar …

por em

O golpe de Estado contra os direitos

O Congresso que derrubou a presidenta Dilma Rousseff agora deita e rola na condição de herdeiro solitário do Poder Executivo. Uma tragédia anunciada para todos que defendem a democracia no Brasil. Deter esse processo de rápida degradação institucional não pode ser mais visto como um objetivo da esquerda ou de um partido; é uma questão …

por em

O legado britânico para Europa

  Ainda que não se reduzam a elas, os debates políticos assumem com frequência a forma de batalhas de números. A campanha do referendo de 23 de junho, que resultou na vitória do Brexit, mais uma vez foi prova disso. Cada campo mobilizou especialistas, lobistas e instituições de todo tipo para produzir pilhas de estudos …

por em

Grécia, a grande liquidação!

  Um estudo do Transnational Institute (TNI) sobre a “indústria da privatização na Europa”, publicado em fevereiro de 2016, chegou à conclusão de que “não existe nenhuma prova de que as empresas privatizadas fornecem serviços mais eficazes”. Por outro lado, a onda de privatizações derrubou os salários, degradou as condições de trabalho e acentuou as …

por em

A maior traição à Constituição

A nação nos mandou executar um serviço. Nós o fizemos com amor, aplicação e sem medo. A Constituição certamente não é perfeita. Ela própria o confessa ao admitir a reforma. Quanto a ela, discordar, sim. Divergir, sim. Descumprir, jamais. Afrontá-la, nunca. Traidor da Constituição é traidor da pátria. Conhecemos o caminho maldito: rasgar a Constituição, …

por em

Informação controlada na França

  AFrança está hoje submetida a duas ameaças que, por serem diferentes, nem por isso deixam de colocar em perigo sua integridade: o Estado Islâmico e a CGT [Confederação Geral do Trabalho].” É preciso agradecer a Franz-Olivier Giesbert ter expressado tão bem a realidade do jornalismo francês sob dominação política e financeira. “É apenas o …

por em

Que horas ela volta?

Muitos já exploraram as possibilidades de análise da obra ficcional como manifestação da cultura e como forma concentrada da própria vida. É inegável a contribuição de Cervantes, Goethe, Balzac ou Kafka para a compreensão de grandes transformações nas sociedades europeias. Da mesma forma é conhecida a importância da literatura para a intelligentsia russa durante o …

por em

Eduardo Galeano, a voz da fraternidade

  Em Montevidéu, capital da República Oriental do Uruguai, instalada na margem norte do Rio da Prata, Eduardo Galeano (1940-2015) tinha entre seus hábitos frequentar o Café Brasileiro, não distante da catedral onde fora batizado o misterioso Isidore Ducasse, autoproclamado conde de Lautréamont, em 16 de novembro de 1847. Nos primeiros anos do século XXI, …

por em

Triângulo do crescimento ou das desigualdades?

Bairro de Bandar, no fim da Causeway, a ponte de apenas 1 quilômetro que liga a ilha de Cingapura à cidade de Johor Bahru, na Malásia. Na sexta-feira à noite, os terraços dos cafés da Rua Meldrum estão lotados. Muitos clientes são habitantes de Cingapura fazendo farra. Os chefes dos hotéis, bares e restaurantes são …

por em

O golpe é patriarcal, sexista, capitalista e midiático

Na vigência de um golpe patriarcal, machista, sexista, capitalista, fundamentalista, midiático e parlamentar, que retirou da Presidência da República a primeira mulher eleita e reeleita com mais de 54 milhões de votos, como ficam os direitos conquistados e a cidadania das mulheres? Quem são os articuladores desse golpe em vigência? São homens brancos, ricos, violentos …

por em

Na Venezuela, chavistas tentam salvar a revolução

  “Não! Não faça isso”, grita uma mulher a um homem que acaba de dar um pontapé nas caixas cheias de comida, exasperado por precisar esperar o ministro da Juventude para começar a distribuir os alimentos. O cidadão impaciente deixa o local onde estão reunidos membros do Comitê Local de Abastecimento e Produção (Clap), quase …

por em

Brasil em transe: crise política, golpe de Estado e perspectivas da esquerda

O Brasil vive um momento dramático de sua vida política. O golpe de Estado ameaça pôr fim ao período de redemocratização que, iniciado com a abertura política, aprofundou-se com a Constituição de 1988 e prosseguiu, a partir de 1989, com a realização periódica de eleições diretas. O golpe dirige-se não apenas contra o governo Dilma, …

por em

A renda básica e seus falsos cognatos

Falar em estabelecer uma renda básica sem especificar o que se entende por isso é como discutir a adoção de um felino sem dizer se será um gatinho ou um tigre”, destaca Olli Kangas, diretor de pesquisa do Kela, o instituto finlandês de proteção social.1 Mesmo assim, nos últimos meses, a ideia tem encontrado cada …

por em

O Brexit e a falta de um outro projeto para a União Europeia

Neste dia 24 de junho, confirmou-se a saída do Reino Unido (Inglaterra, País de Gales e Escócia) do bloco da União Europeia (UE). Assim,  consagra-se a vitória de um setor político específico que há anos vem disputando o poder internamente se sustentando em posições políticas bastante reacionárias e anti-europeias. Por outro lado, a principal oposição, …

por em

A mídia de massas individual

A informação e a comunicação sempre foram vetores de poderes dominantes, alternativos, de resistências e de mudanças sociais. Nesse sentido, a ascensão sobre a mente das pessoas propiciada pela comunicação é fundamental: afinal, é apenas com a condição de moldar o pensamento dos povos que os poderes se constituem em sociedades, e que as sociedades …

por em

Autogestão habitacional e a politização das práticas econômicas populares

As cidades latino-americanas estão imersas num contexto político-econômico marcado por novas e velhas contradições. Assistimos, desde os anos 90, ao crescente poder dos agentes financeiros em pautarem e controlarem as condições de vida em nossas cidades, em particular as condições de acesso àmoradia e serviços públicos. Se na década de 90 a tônica foram as …

por em

Escola sem Partido e a falsa ideia de neutralidade

  Brasileiras e brasileiros querem um país melhor, onde possam viver em segurança, terem uma vida produtiva, divertida, saudável, exercer suas crenças e viver de acordo com suas convicções. Esses sentimentos em si unem grande parte da nação. No entanto, o debate sobre como conquistar tais objetivos divide a sociedade. Para uns, é preciso maiores …

por em

A prisão adequada para as mulheres é a que não existe

Em 8 de março deste ano, dia da mulher, foi publicada pela primeira vez em português as Regras de Bangkok, documento produzido pela ONU em 2010 com diretrizes mínimas para o tratamento das mulheres em contato com a justiça criminal. O que chama atenção nesse documento não são prescrições sobre quais espaços, equipamentos e serviços …

por em

Ulysses: um livro para se reler ad infinitum

“Stately, plump Buck Mulligan came from the stairhead, bearing a bowl of lather on which a mirror and a razor lay crossed. A yellow dressing-gown, ungirdled, was sustained gently behind him by the mild morning air. He held the bowl aloft and intoned: – Introibo ad altare Dei. Halted, he peered down the dark winding …

por em

Uma obra com produções artísticas de jovens agentes culturais

Uma obra de visões multifacetadas de autores e autoras e artistas jovens que expressam seus sentidos existenciais, este é o tema do livro “Escritos e Imaginários” que será lançado nesta sexta-feira, dia 17, no espaço Vitrine do Centro Cultural Galeria Olido. O evento contará com falas, apresentações de poemas e exibição de imagens produzidas pelos …

por em

Pessoas de bem

De todas as dúvidas que pairam nesses tempos sombrios, talvez uma seja a mais inquietante: como explicar a adesão massiva a um projeto conservador, ultrapassado e retrógrado por significativa parcela de brasileiros? Além da óbvia ação de certos meios de comunicação e grupos organizados, nada que é semeado brota se não tiver um terreno fértil. …

por em

Segregação, Efeito Território e Desigualdades em Salvador

Estádio em Salvador, Bahia, construido para Copa do Mundo As contradições e perversões do desenvolvimento brasileiro se manifestam especialmente nas suas grandes cidades. Concentrando a população, o poder, a produção e a riqueza, elas também se caracterizam por intensas desigualdades, pobreza, segregação, favelização, carência de serviços básicos, crise de mobilidade, violência e degradação ambiental. Além …

por em

Lições da Venezuela para o golpe institucional no Brasil

Existem diversos caminhos para entender o impeachment/golpe institucional praticamente consolidado no Brasil contra o governo de Dilma Rousseff em 2016. Não obstante, propomos o método comparativo para melhor avaliá-lo. Comparemo-lorapidamente com o golpe civil-militar sofrido em 2002 contra o então presidente Hugo Chávez na Venezuela. Comecemos por entender as semelhanças entre os nossos objetos de …

por em

Não é só por um ministério

Logo à porta de entrada, o cartaz “Globo Golpista” deixa claro que qualquer narrativa proposta pela grande mídia não tem como dar conta do que se passa no edifício da alameda Nothmann, tomado por trabalhadores da cultura. Nos primeiros dias da ocupação da Funarte, é tanta gente que mal tem espaço para todos dormirem. Alguns …

por em

Continuar ocupando

Quais são os caminhos para organizar a resistência aos ataques aos direitos? Continuar ocupando espaços-chave, como sedes de órgãos públicos. É preciso apresentar também cotidianamente à população das periferias o  quanto as medidas do governo golpista avacalham cada mínimo direito arduamente conquistado em décadas; não cairmos na tocaia, às vezes mal-intencionada, de polarizar o debate …

por em

Nada a temer

Quais são os caminhos para organizar a resistência aos ataques aos direitos?   É preciso começar com um balanço do que foi feito nos governos Lula/Dilma, inserindo nosso quintal no plano global. Com o fim da sociedade salarial, vivemos um tempo em que há trabalho, mas não há emprego. O PT chegou ao governo quando …

por em

Como acabar com a impunidade fiscal

  Como substituta do procurador de Évry na década de 1980, eu fazia as audiências dos casos de fraude fiscal. Já então eu notava que os casos investigados envolviam somente pequenas fraudes, como a de um horticultor de Montlhéry que vendera tomates ao mercado de Arpajon com uma taxa de imposto sobre o valor acrescentado …

por em

Secretário-geral das Nações Unidas, um trabalho impossível

  Este trabalho é impossível.” Foi com esses termos que, em 1953, o primeiro secretário-geral da ONU, o norueguês Trygve Lie (1946-1952), descreveu seu posto ao sucessor, o sueco Dag Hammarskjöld. Ao longo das décadas subsequentes, a tarefa não se tornou mais simples. A Carta da ONU define que o secretário-geral deve acumular a função …

por em

Sobre flores e pedras

Toda vez que vejo uma flor nascer entre as pedras, penso que até em situações extremamente adversas é possível florescer. De que foi golpe o afastamento de Dilma não há dúvida. Após a divulgação das conversas conspiratórias de Romero Jucá, que esmiúçam a lógica do golpe, só não o reconhece quem está diretamente vinculado a …

por em

Futuro sombrio

O governo golpista veio para impor uma política definida para atender aos interesses das grandes corporações financeiras. E elas querem que ele o faça agora. Com todo seu pacote de maldades. Algumas das principais tarefas: manter a Selic alta, apequenar o Estado, privatizar tudo que for possível, cortar nas políticas sociais, especialmente de educação e …

por em

A lógica do sistema de poder brasileiro

As primeiras medidas do governo ilegítimo de Temer revelam a desconstrução e a negação dos direitos e conquistas das classes trabalhadoras e das comunidades tradicionais, bem como da luta por uma justa reforma agrária. Construir os caminhos da resistência vai exigir maior politização e mobilização dos setores sociais. Vai demandar também o retorno e o …

por em

O gabinete do Dr. Fantástico

Logo um dominó vai cair, seguido de outro. Apenas 30 mil votos faltaram para o candidato de extrema direita se tornar presidente da Áustria. Na véspera das eleições, Jean-Claude Juncker tinha prevenido: “Com a extrema direita não há debate nem diálogo possível”.1 Mas poderíamos sonhar com um presente melhor para uma formação que se beneficiava …

por em

Para onde vamos?

  Tudo começa numa quinta-feira de junho. Um pequeno grupo de pessoas, progressistas e desvinculadas de partidos políticos, acampa no Masp reivindicando eleições gerais e “mais direitos”. Como vêm de lutas sociais autônomas, não têm relação com o governo afastado, responsabilizado pelo saque na Petrobras, nem com o governo interino, responsabilizado por retirar direitos e …

por em

Além do urso-polar

Há uma década, quando Al Gore lançava o filme Uma verdade inconveniente, pouco entendíamos do que se tratava mudança climática e aquecimento global. O derretimento do Ártico e da Antártida parecia demasiadamente distante de nossa vida, embora a imagem do urso-polar sitiado num pedaço de gelo flutuando no oceano tenha mobilizado a atenção de muitas …

por em

Como organizar a resistência aos ataques aos direitos?

A própria pergunta nos conduz a outra indagação: os ataques aos direitos não estão ocorrendo antes mesmo dessa crise que levou ao afastamento de Dilma Rousseff da Presidência da República? Aliás, do ponto de vista de quem desenvolve a resistência na Amazônia contra o modelo hegemônico de desenvolvimento, pouco muda de substancial, seja com Michel …

por em

A saída é pela cultura

Diante de um futuro imediato incerto, ao menos uma certeza: chegamos ao fim do ciclo político iniciado com a abertura democrática da década de 1980. Antes de nos perguntarmos como dar início a outro ciclo, cabe questionar por que o anterior se esgotou. Aprender com o passado é a melhor maneira de enfrentar o futuro. …

por em

Por algumas pedras a mais…

O Mischief Reef pode fazer as vezes de termômetro da situação no Mar da China Meridional: uma estrutura emersa1 que, nas fotografias obtidas por satélite há alguns anos, se parecia com um recife em forma de ferradura e foi descoberta em 1791 pelo capitão Henry Spratly. Em inglês, Mischief evoca uma ideia de enganos e …

por em

As japonesas e o trabalho

Aos 37 anos, Mori Tomoko é uma mulher ativa e segura. Vive em Tóquio e trabalha no setor comercial de um grande grupo hoteleiro norte-americano. Recentemente, ela obteve uma promoção, anuncia com orgulho: tornou-se executiva. “Meus horários de trabalho aumentaram consideravelmente, mas estou feliz. Minha empresa confia em mim.” Casada há pouco tempo, ela gostaria …

por em

Cavalo de pau nas políticas sociais

  Há cinquenta maneiras de ser mais generoso com os pobres e gastar menos.” Essa afirmação de Ricardo Paes de Barros (El País, 16 maio 2016), um dos colaboradores do programa de governo do presidente interino Michel Temer, é emblemática da concepção que ora se tenta introduzir sobre o combate às desigualdades sociais e à …

por em

Nas estradas da Rússia com os caminhoneiros indignados

Khimki, periferia nordeste de Moscou, 7 de março. “Assaltam os motoristas de caminhão, extorquem os aposentados.” Uma dúzia de caminhões estaciona em frente a um shopping center. “Aumento de preços: o imposto sobre os caminhoneiros afeta todos nós” – todos os caminhoneiros colaram esse cartaz no para-brisa de seus veículos. Subindo uma pilha de paletes, …

por em

“Parlamentarismo deslocado” e a “ponte da amizade”

Com o golpe de 2009 contra Manuel Zelaya, presidente de Honduras deposto pelo Congresso, abriu-se no continente latino-americano o precedente de interrupção de um governo por meio de artimanhas e prerrogativas do Parlamento. Em 2012, o Congresso paraguaio aperfeiçoou o uso de um julgamento político para interromper um governo; valendo-se da comoção que produziu o …

por em

Armas de fogo e o caleidoscópio simbólico

  O debate sobre o controle de armas de fogo no Brasil, sobretudo em torno das propostas recentes de revogação do Estatuto do Desarmamento, de 2003, tem sido travado na oposição quase linear entre duas grandes opções políticas. Uma insiste nas virtudes do controle social repressivo nas sociedades contemporâneas, com o argumento de que os …

por em

Indústria da doença, lucro vertiginoso

Passados trinta anos de um marco na história do Brasil, a 8ª Conferência Nacional de Saúde, ainda estamos diante de paradigmas que contribuem para a visão mercantil do setor. Durante a Conferência, foi discutido a fundo o modelo de saúde presente na época e, em relatório final produzido por políticos, gestores, profissionais e usuários do …

por em

Como resolver a crise política?

Quais são os caminhos para organizar a resistência aos ataques aos direitos?   A conjunção de forças que patrocinaram o golpe pretendia “sangrar” ainda mais o governo da presidenta Dilma, mas se viu obrigada a “pegar uma carona” no pedido de impeachment aceito por Eduardo Cunha, mesmo com sua fragilidade jurídica e claro intuito de …

por em

E agora, o que fazer?

O golpe no Brasil mostra como a democracia, mesmo limitada ao processo eleitoral, incomoda as classes dominantes. Mostra também que as forças progressistas não podem jogar todas as suas esperanças nas eleições ou na luta dentro das instituições. A disputa municipal de outubro é importante por oferecer um espaço de denúncia e de discussão. É …

por em

“O golpe trouxe à tona algumas questões importantes”

Quais são os caminhos para organizar a resistência aos ataques aos direitos? É preciso:   •          mobilizar a sociedade, a parte que defende os direitos: promover mobilizações de todos os tipos e tamanhos – gerais, por segmentos, por categorias, por redes; •          mobilizar para enfrentar questões específicas, como a reforma da Previdência, especialmente a desvinculação …

por em

Para onde a ira leva?

Há “iras santas”, iras justas. Mas como discernir a justeza de uma indignação ou do ato de justiça que ela reivindica? Como reconhecer as revoltas e explosões passionais que elas sempre supõem? Como legislar sobre a cólera? O que queremos dizer quando afirmamos que ela é legítima? O que seria direito de revolta? Em 1795, …

por em

Duas opções: direita ou direita

Nos subúrbios de Lima, os cartazes eleitorais laranja, cor do movimento Fuerza Popular (Força Popular), de Keiko Fujimori, recobriram os muros. Triunfante, ela exibe neles um largo sorriso. O partido da filha do ditador Alberto Fujimori (ver boxe), ex-primeira-dama do país,1 obteve ampla maioria no Congresso, em 10 de abril, nas eleições legislativas e dia …

por em

União das frentes

Quais são os caminhos para organizar a resistência aos ataques aos direitos? Estamos diante de um governo  golpista, ilegítimo, com uma agenda de profundos retrocessos. A resistência contra a agenda do governo deve estar combinada com a luta pela queda do governo: Fora, Temer! Esse movimento precisa ter a mais ampla unidade dos movimentos sociais …

por em

“Brexit” provoca mal-estar entre os trabalhistas

Junho de 2015. Três meses antes de assumir o comando do Partido Trabalhista, Jeremy Corbyn declarou: “Uma Europa usurária que transforma as pequenas nações em colônias subjugadas sob o fardo da dívida” não tem “nenhum futuro”.1 A condenação não surpreende muito: em 1975, no quadro de um referendo, Corbyn tinha votado pela saída do Reino …

por em

Suprema Corte dita os passos das eleições

  A campanha eleitoral que se desenrola atualmente nos Estados Unidos será certamente a mais onerosa da história. Desde a década de 1970, cada novo escrutínio bate um recorde, e o ritmo se acelerou nos últimos anos. Em 2008, a conta de diferentes eleições (presidenciais, Câmara de Representantes, senadores, referendos locais etc.) atingiram US$ 5,3 …

por em

Cultura do estupro se combate com fomento à cultura dos direitos sexuais de crianças e adolescentes

É emblemático que o brutal estupro cometido por 33 homens a uma adolescente de 16 anos, no Rio de Janeiro, tenha ocorrido dia 21 de maio, três dias depois do 18 de maio, dia nacional de combate ao abuso e exploração sexual contra crianças e adolescentes. Emblemático, mas não inusitado. Entre o caso da menina …

por em

Paradoxos da política peruana

Em meio à destituição de Dilma, às dificuldades de Maduro e aos estragos de Macri, poucos prestam atenção ao segundo turno das eleições peruanas, previstas para domingo, dia 5 de junho. De fato, o cenário parece afinado com a guinada à direita da região: lidera as pesquisas Keiko Fujimori, filha do ex-ditador encarcerado e que …

por em

Brasil na balança da União Europeia

O governo do presidente interino, Michel Temer, ainda não alcançou unanimidade nem no Brasil nem na Europa. Poucos dias antes da visita do chanceler José Serra à Paris, um grupo de 34 eurodeputados manifestaram por carta dúvidas quanto à legitimidade do governo interino como interlocutor para representar o Brasil nas negociações entre o Mercosul e …

por em

O golpe político e a inflexão conservadora na política urbana

O golpe político institucional ocorrido no país com o afastamento ilegítimo da presidenta Dilma Rousseff representa uma nova inflexão na política urbana brasileira, desta vez de caráter conservador. No entanto, ao invés de se considerar o momento de afastamento da presidenta,  decorrente da abertura do processo de impeachment, como um evento isolado, há que se …

por em

Orçamentos Participativos, Direito à Cidade e crise da democracia

Dentre a pluralidade das Instituições Participativas que surgiram com a redemocratização do país 1  (PIRES e VAZ, 2010) destacou-se o Orçamento Participativo (doravante OP) como a inovação que mais se notabilizou e, que, a partir do efeito-demonstração do caso de Porto Alegre 2, se expandiu no país e no mundo. Desde a década de 1990 …

por em

Os 50 anos de uma obra pop barroca psicoldélica

A contracultura ocidental do pós-Segunda Guerra teve enorme impacto na Costa Oeste dos EUA a partir de 1960. Se a década anterior foi de experimentações literárias e cinematográficas independentes, a indústria cultural rapidamente percebeu o filão que se abria para o mercado de consumo adolescente e passou a absorver os novos artistas e produtores que …

por em

Intimidação, racismo e violência contra imigrantes e refugiados no Brasil

No dia 16 de abril, a Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef) publicou em nota em que dizia que iria prender e deportar estrangeiros que se manifestassem politicamente no Brasil. A iniciativa seguia “suspeita” da Polícia Rodoviária de que, entre “bolivianos” viajando para Goiás no dia anterior à votação do impeachment na Câmara dos Deputados, …

por em

A trincheira das ideias: resistir para impedir a barbárie

O golpe contra a democracia foi consumado e pavimentou o caminho para aprofundar radicalmente a agenda liberal conservadora, de modo a que seja plenamente implantada em curto espaço de tempo. Usurpar o poder democrático é meio pelo qual historicamente os detentores da riqueza buscam realizar cabalmente esse projeto. O debate imposto pelos representantes do capital …

por em

Sem ordem judicial, PM invade escolas e prende mais de 50 estudantes

Estudantes presos na 23ª DP O movimento dos estudantes secundaristas despertou na manhã desta, sexta-feira 13, sendo violentamente coagido pela Polícia Militar de São Paulo. Sem nenhuma ordem judicial, sofrendo ameaças e agressões, policiais invadiram três diretorias de ensino e quatro escolas ocupadas na capital e levaram para delegacias mais de 50 adolescentes presos. O …

por em