Guilhotina #160 - Valéria Gomes Costa - Le Monde Diplomatique

Guilhotina

Guilhotina #160 – Valéria Gomes Costa

Guilhotina | Brasil
7 de abril de 2022
compartilhar
visualização

Bianca Pyl e Luís Brasilino entrevistam a historiadora Valéria Gomes Costa, autora do livro “Òminirá: mulheres e homens libertos da Costa da África no Recife (1846-1890)”, publicado no fim de 2021 pela editora Alameda. A obra reconstrói, a partir das trajetórias de vida, as experiências de libertos que conseguiram algum prestígio no Recife do século XIX e procura entender as estratégias que diversos homens e mulheres elaboraram para sobreviver aos estigmas impostos pela sociedade escravista. Ouça nessa postagem ou em seu tocador favorito

Bianca Pyl e Luís Brasilino entrevistam a historiadora Valéria Gomes Costa, autora do livro “Òminirá: mulheres e homens libertos da Costa da África no Recife (1846-1890)”, publicado no fim de 2021 pela editora Alameda. A obra reconstrói, a partir das trajetórias de vida, as experiências de libertos que conseguiram algum prestígio no Recife do século XIX e procura entender as estratégias que diversos homens e mulheres elaboraram para sobreviver aos estigmas impostos pela sociedade escravista. Conversamos sobre o Recife e o perfil de sua população na época; o tráfico de escravos para Pernambuco, terceiro principal destino do país no século XIX; a origem das pessoas escravizadas; as condições e os locais de moradia dos libertos; as características das famílias que eles formaram; as dificuldades e conquistas obtidas no mundo do trabalho e dos negócios; a relação com a hegemonia e a dominação católicas; e muito mais! Doutora em História Social pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), licenciada e mestra em História pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e membro da Associação Brasileira de Pesquisadores(as) Negros(as) e do grupo de pesquisas em relações de gênero, saúde e sexualidade da Universidade Federal Rural de Pernambuco, Valéria é ativista do movimento de mulheres negras no Recife, professora do Instituto Federal do Sertão Pernambucano, onde atua no curso de Licenciatura em Física, ministrando a disciplina da Educação das Relações Étnico-Raciais, e autora de “É do dendê! História e memórias urbanas da nação Xambá no Recife (1950-1992)”, publicado pela Annablume, e co-organizadora da coletânea “Religiões negras no Brasil: da escravidão à pós-emancipação”, pela editora Selo Negro.

Ouça em seu player de preferência ou dê o play:

*Trilha: Gilberto Gil, “Babá Alapalá”; e Gonzaguinha, “Caminhos do Coração”.



Artigos Relacionados

Eleições 2022: a mídia como palanque

Internet abre espaço para a diversidade de perfis, mas impulsiona velhas práticas

Online | Brasil
por Tâmara Terso
A CRISE DA CULTURA

Lei Aldir Blanc: reflexões sobre as contradições

por Rodrigo Juste Duarte, com colaboração de pesquisadores da rede do Observatório da Cultura do Brasil
AMÉRICA DO SUL

A “nova onda rosa”: um recomeço mais desafiador

Online | América Latina
por Cairo Junqueira e Lívia Milani
CORRUPÇÃO BOLSONARISTA

Onde está o governo sem corrupção de Bolsonaro?

Online | Brasil
por Samantha Prado
CONGRESSO NACIONAL

Financiamento de campanhas por infratores ambientais na Amazônia Legal

Online | Brasil
por Adriana Erthal Abdenur e Renata Albuquerque Ribeiro
EDITORIAL

Só existe um futuro para o Brasil, e ele passa pela eleição de Lula neste domingo

Online | Brasil
por Le Monde Diplomatique Brasil
UMA ENCRUZILHADA SE APROXIMA

Os militares e a última palavra da legitimidade das urnas

Online | Brasil
por Julia Almeida Vasconcelos da Silva
ELEIÇÕES 2022

Voto útil: o chamado ao primeiro turno em 2022

Online | Brasil
por Luísa Leite e Alexsandra Cavalcanti