Guilhotina #95 – Graça Druck e Luiz Filgueiras

Guilhotina

Guilhotina #95 – Graça Druck e Luiz Filgueiras

7 de dezembro de 2020
compartilhar
visualização

Neste episódio entrevistamos Graça Druck e Luiz Filgueiras, professores aposentados da Universidade Federal da Bahia (UFBA), para analisar a conjuntura brasileira de 2013 até os dias de hoje. Ouça em seu tocador favorito ou nesta postagem.

Bianca Pyl e Luís Brasilino recebem Graça Druck e Luiz Filgueiras, professores aposentados da Universidade Federal da Bahia (UFBA), para analisar a conjuntura brasileira de 2013 até os dias de hoje. Graça é mestre em Ciência Política e doutora em Ciências Sociais pela Unicamp, tem pós-doutorado em Ciências Sociais pela Universidade Paris 13 e é coautora dos livros “Terceirização: (des)fordizando a fábrica – um estudo do Complexo Petroquímico de Camaçari” e “A perda da razão social do trabalho” e coorganizadora de “Trabalho, precarização e resistência – as múltiplas faces do trabalho”. Luiz é mestre em Economia pela UFBA e doutor em Teoria Econômica pela Unicamp, tem pós-doutorado em Economia pela Universidade Paris 13 e é autor do livro “História do Plano Real” e coautor de “A economia política do governo Lula”. Eles estão lançando pela Boitempo o livro “O Brasil nas trevas (2013-2020): do golpe neoliberal ao neofascismo” em que analisam os descaminhos que levaram Jair Bolsonaro à Presidência e os rumos do governo federal. Na pauta, as causas e consequências das Jornadas de Junho de 2013, os mais de seis anos de crise econômica, os erros do governo Dilma, o impeachment, a PEC do Teto de Gastos e a reforma trabalhista do governo Temer, as razões da vitória de Bolsonaro em 2018, o caráter fascista de seu mandato, os retrocessos autoritários e as ameaças de golpe, os movimentos das classes e frações de classe burguesas nesse período e as dificuldades das forças antineoliberais e antifascistas.

Ouça em seu aplicativo favorito ou dê o play:

Links: Episódios anteriores citados: https://diplomatique.org.br/guilhotina-50-armando-boito/; https://diplomatique.org.br/guilhotina-81-juliano-giassi-goularti/; https://diplomatique.org.br/guilhotina-87-bruno-paes-manso/; e https://diplomatique.org.br/especial/cidade-livre/.

 

Trilha: Taiguara, “Hoje”; e Caetano Veloso, Ivan Sacerdote e Mosquito, “Desde que o samba é samba” (Caetano Veloso).



Artigos Relacionados

ORÇAMENTO SECRETO

A melhor forma de combate à corrupção não é o discurso

Online | Brasil
por Luís Frederico Balsalobre Pinto
DEMOCRACIA MILITANTE

A democracia do erro: Loewenstein e o Brasil de 2022

Online | Brasil
por Gabriel Mattos da Silva
COPA: FUTEBOL E POLÍTICA

Qual é a função dos bandeirinhas após o surgimento do VAR?

por Helcio Herbert Neto
EDUCAÇÃO

Um ensaio timidamente indecente sobre pânico civilizacional e educação

Online | Brasil
por Fernando de Sá Moreira
ECONOMIA E SAÚDE

O SUS e o relatório do TCU

Online | Brasil
por Vários autores
QUE A CLOROQUINA NÃO SE REPITA

Como conter a pulsão de morte bolsonarista

Online | Brasil
por João Lorandi Demarchi
RESPEITEM OS LOUCOS

A patologização do fascismo

Online | Brasil
por Roger Flores Ceccon
NOVO MINISTÉRIO, A CONCRETIZAÇÃO DE UM VERDADEIRO MARCO

Os povos indígenas e seu protagonismo na transição de governo

Online | Brasil
por Aline Ngrenhtabare Kaxiriana Lopes Kayapó, Edson Kayapó e Flávio de Leão Bastos Pereira