O lucro com a destruição dos rios

A Bacia do Alto Tapajós é uma das mais pressionadas pela construção de barragens na Amazônia. Seus principais rios são o Teles Pires e o Juruena divisores dos limites dos estados de Mato Grosso e Pará e formadores do Tapajós. A região é ocupada há milênios por povos como os Apiaká, Munduruku, Kayabi, Panará, Rikbaktsa, …

por em

Mineração no rastro das hidrelétricas do Alto Tapajós

O primeiro projeto de médio porte para a geração de energia nas águas da bacia do Alto Tapajós, na Amazônia, foi a Usina Hidrelétrica (UHE) Dardanelos, em Aripuanã, Mato Grosso. Erguida em 2008, em meio ao Salto das Andorinhas, a 976 quilômetros da capital, a hidrelétrica tem capacidade para menos de 100 Mw/h, mas mesmo …

por em

O discurso ambientalista do governo francês não evita a destruição

O discurso do atual presidente francês, Emmanuel Macron, favorável à proteção da Amazônia, tem provocado tensões políticas com o seu homólogo brasileiro, Jair Bolsonaro, quem tem mostrado uma visão mais abertamente voltada à exploração da natureza. Embora as palavras pronunciadas por Macron, especialmente grandiloqüentes no momento das grandes queimadas da Amazônia em agosto de 2019, …

por em

Crônica da morte anunciada de um rio

O rio Teles Pires está morrendo. Tal como Santiago Nasar, personagem principal do livro “Crônica de uma morte anunciada”, de Gabriel Garcia Márquez que tem sua morte decretada no início da obra, o destino deste rio formador da bacia do Tapajós e um dos principais afluentes do rio Amazonas já está anunciado desde  o ciclo …

por em