Guilhotina #118 — Letícia Nascimento - Le Monde Diplomatique

GUILHOTINA

Guilhotina #118 — Letícia Nascimento

Guilhotina | Brasil
27 de maio de 2021
compartilhar
visualização

Bianca Pyl e Luís Brasilino recebem a professora Letícia Nascimento, autora de “Transfeminismo”, décimo livro da coleção Feminismos plurais, lançado em maio pela editora Jandaíra.

Bianca Pyl e Luís Brasilino recebem a professora Letícia Nascimento, autora de “Transfeminismo”, décimo livro da coleção Feminismos plurais, lançado em maio pela editora Jandaíra. No trabalho, ela traz ao público geral explicações sobre os conceitos de gênero, transgeneridade, mulheridade, feminilidade e mais. Conversamos sobre a disputa de sentidos em torno do conceito de gênero e como assegurar a aceitação de mulheres transexuais e travestis no feminismo, as contribuições do transfeminismo para o feminismo como um todo, a performatividade de gênero e sua importância para a compreensão das corporalidades transgêneras, a luta para superar a patologização da transexualidade, a autodeterminação dos corpos e os desafios para combater o transfeminicídio no Brasil. Letícia é mulher travesti, negra e gorda, filha de Xangô no Candomblé Ketu e de Cabocla na encantaria da Jurema. Pedagoga e professora da Universidade Federal do Piauí e doutoranda em Educação na mesma instituição. É vinculada aos núcleos de pesquisa Nepegeci/UFPI, Rimas/UFRPE e POCs/UFPelotas e pesquisadora filiada à Associação Brasileira de Pesquisadores Negras e Negros e à Associação Internacional de Pesquisa na Graduação em Pedagogia. Ativista do Acolhe Trans e do Fórum Nacional de Travestis e Transexuais Negras e Negros.

Sugestões de links da Letícia – Documentários: Disclosure (https://www.netflix.com/title/81284247), Laerte-se (https://www.netflix.com/title/80142223) e A vida e a morte de Marsha P. Johnson (https://www.netflix.com/title/80189623); série: Pose (https://www.netflix.com/title/80241986); Filme: Alice Júnior (https://www.netflix.com/title/81196768); e perfis do Instagram: @profaleticia_, @meggrayaragomesde, @thiffanyodara, @jovannacardoso, @afrotrasncendente, @tdetravesti, @instadajaqueline, @acarolinaiara, @hilton_erika, @gabrielaloran, @ericamalunguinho, @venturaprofana e @neoncunha. *Trilha: Ventura Profana e Podeserdesligado, “Resplandescente”; e Urias, “Andar em paz” (Alice Caymmi e Lan Lanh).

 



Artigos Relacionados

GUILHOTINA

Cidade livre, 2ª Temp. #04 – Olhares de mulheres negras, com Kelly Fernandes, Jô Pereira e Mayra Ribeiro

Inquietação social e conservadorismo popular

Ensaio breve acerca dos sentidos do bolsonarismo

Online | Brasil
por Luiz Felipe F. C. de Farias
Guilhotina

Guilhotina #120 - Iuri Tonelo

5 anos

Massacre de Caarapó: produtores rurais soltos, liderança indígena presa

Online | Brasil
por Maiara Marinho e Rafael de Abreu
Mídia e Justiça

Até que o Mágico de Oz perca a voz todo mundo já se calou

Online | Brasil
por Grazielle Albuquerque

A pandemia, a OMS e um movimento de mudança

por Paulo M. Buss, Santiago Alcázar e Luiz Augusto Galvão
Kathlen de Oliveira Romeu

Mais uma vítima do genocídio da população negra no Rio de Janeiro

Online | Brasil
por Rachel Gouveia Passos
Cidade livre, 2ª Temp. #03 - Produção e controle de cidades desiguais

Cidade livre, 2ª Temp. #03 - Produção e controle de cidades desiguais, com Tainá de Paula, Marcelle Decothé e Monique Cruz