Guilhotina #134 — Tiago Soares - Le Monde Diplomatique

Guilhotina

Guilhotina #134 — Tiago Soares

Guilhotina | Mundo
17 de setembro de 2021
compartilhar
visualização

Bianca Pyl e Luís Brasilino recebem o pesquisador e jornalista Tiago Soares, autor da tese de doutorado “Make it new: Hayek, modernismo e a invenção do neoliberalismo (1920-1950)”, defendida na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP em 2019. O estudo acompanha a trajetória do economista austríaco Friedrich Hayek e a renovação do pensamento liberal no início do século XX, e faz uma arqueologia da noção de neoliberalismo.

Bianca Pyl e Luís Brasilino recebem o pesquisador e jornalista Tiago Soares, autor da tese de doutorado “Make it new: Hayek, modernismo e a invenção do neoliberalismo (1920-1950)”, defendida na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP em 2019. O estudo acompanha a trajetória do economista austríaco Friedrich Hayek e a renovação do pensamento liberal no início do século XX, e faz uma arqueologia da noção de neoliberalismo. Falamos sobre o liberalismo enquanto visão de mundo – portanto, mais que uma corrente econômica –; a influência da conjuntura da primeira metade do século XX na obra de Hayek, com a ascensão soviética, a crise de 1929 e as duas grandes guerras; a ideia de livre mercado como antídoto para o totalitarismo; o peso das formulações de Hayek na fase atual do capitalismo; a atual presença do neoliberalismo mesmo em formações progressistas, como os partidos socialistas e trabalhistas europeus e social-democratas no Brasil; a face fascista do liberalismo; as relações deste com o bolsonarismo; e muito mais! Tiago é doutor em História Econômica pela USP, ativista nos movimentos das tecnologias livres e abertas há cerca de duas décadas e colaborador da Cátedra Unesco em Educação a Distância/Iniciativa Educação Aberta, e da Lavits (Rede Latino Americana de Estudos sobre Vigilância, Tecnologia e Sociedade).

Ouça em seu player de preferência ou dê o play:

*Trilha: Gang of Four, “Damaged goods”; e Gilberto Gil, “Cérebro eletrônico”.



Artigos Relacionados

Eleições 2022: a mídia como palanque

Internet abre espaço para a diversidade de perfis, mas impulsiona velhas práticas

Online | Brasil
por Tâmara Terso
A CRISE DA CULTURA

Lei Aldir Blanc: reflexões sobre as contradições

por Rodrigo Juste Duarte, com colaboração de pesquisadores da rede do Observatório da Cultura do Brasil
AMÉRICA DO SUL

A “nova onda rosa”: um recomeço mais desafiador

Online | América Latina
por Cairo Junqueira e Lívia Milani
CORRUPÇÃO BOLSONARISTA

Onde está o governo sem corrupção de Bolsonaro?

Online | Brasil
por Samantha Prado
CONGRESSO NACIONAL

Financiamento de campanhas por infratores ambientais na Amazônia Legal

Online | Brasil
por Adriana Erthal Abdenur e Renata Albuquerque Ribeiro
EDITORIAL

Só existe um futuro para o Brasil, e ele passa pela eleição de Lula neste domingo

Online | Brasil
por Le Monde Diplomatique Brasil
UMA ENCRUZILHADA SE APROXIMA

Os militares e a última palavra da legitimidade das urnas

Online | Brasil
por Julia Almeida Vasconcelos da Silva
ELEIÇÕES 2022

Voto útil: o chamado ao primeiro turno em 2022

Online | Brasil
por Luísa Leite e Alexsandra Cavalcanti