O FANTASMA DA REVOLUÇÃO BRASILEIRA

O fantasma da revolução brasileira, de Marcelo Ridenti, merecia a segunda edição, revista e ampliada. O livro enfrenta muito bem a sempre difícil busca de equilíbrio entre objetividade historiográfica e empatia pelo tema. No “prefácio pessoal e político”, Ridenti evoca as primeiras imagens que a ditadura deixou registradas em sua memória de pré-adolescente, no início dos anos 1970: a execução sumária de Carlos Marighella, jovens “terroristas” metralhados pela polícia, um estudante “sumido” etc.
Sem ser exaustivo, o panorama histórico do fantasma é bem abrangente. O foco principal é a trajetória do movimento de luta armada contra a ditadura militar, mas também estuda a “constelação da esquerda brasileira nos anos 1960 e 70”, suas raízes sociais e sua inserção na cultura nacional e popular. Oferece-nos uma visão densa dos, muitas vezes, ásperos debates travados nas organizações clandestinas sobre o alcance e o significado de um combate em que a tortura e a morte estavam no horizonte. O livro tem ainda a ambição de reconstituir o ambiente intelectual e a agitação cultural-revolucionária dos anos 1960, podendo se comparar, nesse aspecto, à bela biografia que Judith Patarra consagrou a Iara Iavelberg.  
Ridenti não descuida da clareza na escrita e na explicação. A vasta literatura sobre os anos de chumbo não o dispensa de expor didaticamente os dados básicos sobre as organizações da esquerda. Enfrenta também questões mais complexas, na maioria das vezes com apreciável rigor histórico e analítico. Há, porém, pontos discutíveis. Entre eles a tese, baseada numa interpretação muito literal dos documentos assinados pela ALN, de que Marighella optou pela guerrilha por não acreditar mais na forma partido. Sem dúvida, sua crítica à inércia do PCB diante do golpe de 1964 levou-o ao culto da ação direta, que impregnava o espírito do tempo. Mas a vida inteira, dos subterrâneos do Estado Novo aos da ditadura militar, ele sempre se afirmou comunista. Talvez por isso nunca tenha pretendido fundar outro partido…