O TEMPO E O CÃO: A ATUALIDADE DAS DEPRESSÕES - Le Monde Diplomatique

O TEMPO E O CÃO: A ATUALIDADE DAS DEPRESSÕES

5 de maio de 2009
compartilhar
visualização

O livro nos ajuda a compreender as depressões como sintoma social produzido pelas sociedades contemporâneas, não excluindo o fato de que as depressões são formações do inconsciente que se expressam na singularidade de cada sujeito. Nesse sentido, através da escuta clínica pode-se apreender as formas contemporâneas do mal-estar civilizatório do qual fazemos parte.
No começo do livro, aborda a depressão como sintoma da contemporaneidade. Faz uma retrospectiva do lugar ocupado pela melancolia desde a Antiguidade Clássica até meados do século XX. De acordo com Maria Rita, nossa cultura tem produzido uma patologização generalizada da vida subjetiva, cujo efeito é produzir mais depressivos. Esta mesma cultura visa produzir sujeitos sem perturbações, porém, seu resultado é exatamente o contrário: vidas vazias de sentido, de criatividade e de valor. Essa medicalização da vida é estratégica para a expansão da indústria farmacêutica. Como diz André Green, citado por Kehl, estamos criando uma corrente pragmática de “psiquiatria veterinária”.
Na segunda parte da obra, há uma análise da Temporalidade Subjetiva dos Depressivos. Interessante notar conceitos advindos dos filósofos que pensaram a questão do tempo no século XX – Henri Bergson e Walter Benjamin –, e o psicanalista Jacques Lacan sobre o tempo lógico. Aqui, a autora faz uma reflexão acerca da sociedade capitalista que exige o atropelamento do tempo para a produção de mais-valia.
O livro estabele diferenças fundamentais entre a depressão e a melancolia; a posição subjetiva que os neuróticos encontram nas histerias e obsessões em relação aos episódios depressivos.
Este livro é leitura imprescindível para quem sofre de males depressivos e para todos os profissionais de saúde interessados em compreender a complexidade dos sintomas depressivos e das relações mercadológicas que atravessam a questão do mal-estar de nossa civilização.



Artigos Relacionados

GUILHOTINA

Guilhotina #179 - Isabela Kalil

BASE PARA O AUTORITARISMO

Medo e superstição no Brasil contemporâneo

Online | Brasil
por Kelen Vanzin
EMBALAGENS REDUZIDAS

Curiosas “inovações” da indústria brasileira

Online | Brasil
por Ricardo L. C. Amorim
SIDERURGIA

Renovação da licença da Ternium exclui a população e ignora violações ambientais

Online | Brasil
por Instituto Pacs
VIOLÊNCIA CONTRA POVOS INDÍGENAS

Sob Bolsonaro, a violência contra os povos indígenas foi naturalizada

Online | Brasil
por Lucia Helena Rangel e Roberto Antonio Liebgott
CIDADÃO DO BEM

A biopolítica do bolsonarismo e a ideologia do “cidadão de bem”

Online | Brasil
por João Estevam dos Santos Filho
UNIVERSIDADE PÚBLICA E DEMOCRACIA

Lula fala sobre democracia e universidade pública na USP

Online | Brasil
por Samantha Prado
OPINIÃO

A permanência da guerra e a extinção das Forças Armadas

Online | Mundo
por Antonio Carlos Will Ludwig