Islâmicos contra a parede

Na Tunísia, o assassinato de um militante de esquerda no dia 6 de fevereiro provocou uma onda de cólera contra o partido islamita que ocupa o poder e, em seguida, a troca do primeiro-ministro. Agora, o novo governo vai precisar se dedicar com urgência ao restabelecimento da ordem pública e à redução do desempregoSerge Halimi