Patrimonialismo e estamento burocrático no Brasil

Analisando os dados sobre a estrutura tributária brasileira, o sistema penal e os gastos com a elite política nacional, podem ser observados indícios de que o patrimonialismo e o estamento burocrático ainda fazem parte da realidade brasileira, mesmo após toda a “modernização” decorrida. Nesse contexto, as análises de Raymundo Faoro e de Florestan Fernandes são muito válidas para explicar o Brasil contemporâneo, como afirma Faoro (1979), essa camada que são os “donos do poder” se modifica, renova-se, porém, mesmo com o passar do tempo não representam a nação.