“Equador: um país destruído em dois anos”

Antes do Chile, o Equador viveu no mês de outubro uma explosão social provocada pelo aumento súbito dos combustíveis. Parte da população sente-se traída pela virada neoliberal do presidente Lenín Moreno, que havia prometido seguir a Revolução Cidadã de seu predecessor, Rafael Correa, autor do artigo a seguir, em que apresenta sua análise da crise