MC Leonardo - "No funk juntamos a latinidade com o baião, com o samba, com a macumba". - Le Monde Diplomatique

MC Leonardo – "No funk juntamos a latinidade com o baião, com o samba, com a macumba".

por Equipe Le Monde Diplomatique Brasil
14 de dezembro de 2011
compartilhar
visualização

Leonardo Pereira Mota from FLi Multimídia on Vimeo.

MC Leonardo é o apelido do funkeiro Leonardo Pereira Mota, famoso desde a popularização do ritmo no Rio de Janeiro, na década de 1990, com músicas como o “Rap do Centenário”. Ficou conhecido no Brasil todo em 2007 pela trilha do filme “Tropa de Elite”. Militante e bem articulado com movimentos sociais, estudantes e políticos, luta para fazer do funk um movimento cultural reconhecido por lei. É presidente da Associação dos Profissionais e Amigos do Funk (Apafunk). Uma curiosidade é que só passou a escrever e registrar seus trabalhos em 2008, quando comprou um computador. Até então, os registros eram apenas sonoros.

—————————————————————————————————–

Produção e gestão cultural brasileira, em parceria com o Diplô
Produção Cultural no Brasil é um trabalho multimídia que reúne 101 entrevistas em vídeo com gestores, artistas, técnicos e realizadores culturais de todo o país. O material, produzido, publicado e distribuído com licenças livres em 2010 na plataforma www.producaocultural.org.br, deu origem a 5 livros e é o ponto de partida para um processo permanente de discussão e reflexão sobre o que é, quem faz e como se produz cultura brasileira.

Como se produz um filme? Um livro? Uma música? Um disco? Um programa de TV? Quem financia? Por quê?  E como criar uma política pública para a cultura do país? O foco do #prodculturalbr é tornar público o pensamento e as ações de importantes agentes da cultura brasileira que muitas vezes fazem seu trabalho quase sem aparecer.

Foram selecionados 101 profissionais para serem entrevistados, mas poderiam ser 1 milhão. A opção foi contrapor, sobrepor e misturar universos tão diferentes quanto os do cineasta Luiz Carlos Barreto e do cozinheiro de set Sergipe; do ex-secretário de cultura do Maranhão, João Batista Ribeiro Filho, e da diretora de Patrocínio da Petrobrás, Eliane Costa; ou ainda do produtor musical André Midani e da restauradora de obras de arte Florence de Vera. Também na lista, os três últimos ministros da Cultura do Brasil – Juca Ferreira, Gilberto Gil, Francisco Weffort,  entre tantos outros.

Dez dessas entrevistas você vai ver redistribuídas agora, em 2011, pelo jornal Le Monde Diplomatique Brasil. A parceria garante novo frescor às discussões iniciadas quando da realização do projeto e se propõe a criar mais um fórum de discussão de políticas públicas de cultura para o país, agora sob os olhos dos leitores do Diplô Brasil, sinônimo de pensamento crítico que busca identificar, para além dos fatos, os cenários maiores que lhes conferem sentido e inteligibilidade.

Aproveite, discuta, compartilhe e remixe os conteúdos dessa parceria #prodculturalbr e #diplobrasil



Artigos Relacionados

ARGENTINA

Isso não pode acontecer aqui...

Séries Especiais | Argentina
por José Natanson
RESENHAS

Miscelânea

Edição 180 | Brasil
ENTREVISTA – EMBAIXADORA THEREZA QUINTELLA

Balança geopolítica mundial deve pender para o lado asiático

Edição 180 | EUA
por Roberto Amaral e Pedro Amaral
UMA NOVA LEI EUROPEIA SOBRE OS SERVIÇOS DIGITAIS

Para automatizar a censura, clique aqui

Edição 180 | Europa
por Clément Perarnaud

Para automatizar a censura, clique aqui

Online | Europa
EMPREENDIMENTOS DE DESPOLUIÇÃO

Música e greenwashing

Edição 180 | Mundo
por Éric Delhaye
NA FRANÇA, A NOVA UNIÃO POPULAR ECOLÓGICA E SOCIAL

Os bárbaros estão em nossas portas!

Online | França
por Pauline Perrenot e Mathias Reymond
“NO TOPO, O PODER CORROMPIDO; NA BASE, A LUTA INTRÉPIDA”

A revolta popular no Sri Lanka

Edição 180 | Sri Lanka
por Éric Paul Meyer