Guilhotina #126 – Fabiana Moraes e Francielle Mendes

GUILHOTINA

Guilhotina #126 – Fabiana Moraes e Francielle Mendes

Guilhotina | Brasil
23 de julho de 2021
compartilhar
visualização

Bianca Pyl e Luís Brasilino recebem as professoras Fabiana Moraes e Francielle Mendes, respectivamente, autora e autora e co-organizadora do livro “Pesquisa em comunicação: jornalismo, raça e gênero”, lançado em fevereiro pela editora do Núcleo de Estudos das Culturas Amazônicas e Pan-Amazônicas

Bianca Pyl e Luís Brasilino recebem as professoras Fabiana Moraes e Francielle Mendes, respectivamente, autora e autora e co-organizadora do livro “Pesquisa em comunicação: jornalismo, raça e gênero”, lançado em fevereiro pela editora do Núcleo de Estudos das Culturas Amazônicas e Pan-Amazônicas. A obra, disponível para download gratuito e também organizada por Aquinei Timóteo e Wagner Costa, articula raça e gênero com o cinema, a telenovela, o jornalismo impresso e televisivo, o colunismo social e o funk. Conversamos sobre os debates interseccionais nos meios de comunicação, a participação do jornalismo na normatização da sociedade e seu papel na construção de uma (falsa) universalidade, como a mídia hegemônica contribui para a reprodução do racismo, a cobertura da imprensa sobre os países africanos e muito mais.

Fabiana é professora do curso de Comunicação Social da Universidade Federal de Pernambuco, jornalista e doutora em Sociologia, com pesquisas acadêmicas e reportagens voltadas para a questão da hierarquização social com foco na invisibilidade de grupos vulneráveis. É vencedora de três prêmios Esso e autora de cinco livros, dentre eles “O nascimento de Joicy”.

Francielle possui graduação em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo e em Letras Inglês, mestrado em Letras: Linguagem e Identidade pela Universidade Federal do Acre, doutorado em História Social pela Universidade de São Paulo e é professora do curso de graduação em Jornalismo, do Programa de Pós-Graduação em Letras: Linguagem e Identidade e do Programa de Mestrado Profissional em História da Universidade Federal do Acre (UFAC), editora da Revista Tropos: Comunicação, Sociedade e Cultura e líder do grupo de pesquisa Mídias, imaginário e representação: uma cartografia das Amazônias (Mirca).

Ouça em seu tocador favorito ou dê o play:

*Trilha: Gil Scott-Heron, “Revolution Will Not Be Televised”; e Chico Science & Nação Zumbi, “Um satélite na



Artigos Relacionados

ORÇAMENTO SECRETO

A melhor forma de combate à corrupção não é o discurso

Online | Brasil
por Luís Frederico Balsalobre Pinto
DEMOCRACIA MILITANTE

A democracia do erro: Loewenstein e o Brasil de 2022

Online | Brasil
por Gabriel Mattos da Silva
COPA: FUTEBOL E POLÍTICA

Qual é a função dos bandeirinhas após o surgimento do VAR?

por Helcio Herbert Neto
EDUCAÇÃO

Um ensaio timidamente indecente sobre pânico civilizacional e educação

Online | Brasil
por Fernando de Sá Moreira
ECONOMIA E SAÚDE

O SUS e o relatório do TCU

Online | Brasil
por Vários autores
QUE A CLOROQUINA NÃO SE REPITA

Como conter a pulsão de morte bolsonarista

Online | Brasil
por João Lorandi Demarchi
RESPEITEM OS LOUCOS

A patologização do fascismo

Online | Brasil
por Roger Flores Ceccon
NOVO MINISTÉRIO, A CONCRETIZAÇÃO DE UM VERDADEIRO MARCO

Os povos indígenas e seu protagonismo na transição de governo

Online | Brasil
por Aline Ngrenhtabare Kaxiriana Lopes Kayapó, Edson Kayapó e Flávio de Leão Bastos Pereira