Guilhotina #75 – Marcelo da Silveira Campos - Le Monde Diplomatique

Guilhotina

Guilhotina #75 – Marcelo da Silveira Campos

Guilhotina | Brasil
17 de julho de 2020
compartilhar
visualização

O convidado deste episódio é o sociólogo Marcelo da Silveira Campos, autor do livro “Pela metade: a lei de drogas do Brasil”. Neste episódio ele explica o processo de transformação de usuários em traficantes desde a alteração da lei de drogas. Ouça em seu player favorito ou nesta postagem.

No fim de 2004, 65,5% das pessoas incriminadas por drogas foram consideradas usuárias; contra 34,5% enquadradas como traficantes. Cinco anos depois, esses números se inverteram: 87,5% dos incriminados eram traficantes, enquanto apenas 12,5% passaram como usuários. Esse processo de transformação de usuários em traficantes é evidenciado e explicado pelo convidado deste episódio, o sociólogo Marcelo da Silveira Campos, que levantou os dados acima em seu doutorado. Professor adjunto de Sociologia da Universidade Federal da Grande Dourados, professor convidado da Faculdade de Medicina da USP e pesquisador do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Estudos Comparados em Administração de Conflitos (UFF), ele lançou em 2019 o livro “Pela metade: a lei de drogas do Brasil”, em que analisa a tramitação e os impactos da nova lei de drogas em vigor no Brasil desde 2006. Bianca Pyl e Luís Brasilino conversam com Marcelo sobre o deu errado com a mudança legislativa que, em certa medida, assumia princípios modernizantes, como a despenalização do uso; a intenção dos legisladores; a explosão da população carcerária brasileira neste século XXI e o papel da nova lei de drogas nisso; e, claro, o que leva uma pessoa ser considerada traficante e não usuária. Spoiler: não é nem a quantidade, nem o tipo de droga.

Ouça o episódio em seu player favorito ou clicando na imagem abaixo ou aqui

 

 

 

Links citados no episódio: “Cidadania vertical”; “Entre doentes e bandidos: a tramitação da lei de drogas (no 11.343/2006) no Congresso Nacional”; “Pela metade: Implicações do dispositivo médico-criminal da ‘Nova’ Lei de Drogas na cidade de São Paulo”; e “O julgamento do recurso extraordinário 635.659: pelo fim da guerra as drogas”.

 

Trilha: Chico Buarque, “Cordão”; e Elza Soares, “A mulher do fim do mundo” (Romulo Fróes e Alice Coutinho).

 

 



Artigos Relacionados

Resistências latino-americanas

Resistências mexicanas: entre massacres, travessias e lutas

Séries Especiais | México
por Simone da Silva Ribeiro Gomes
RESENHAS

Miscelanêa

Edição 164 | Brasil
UM OPOSITOR MAIS INCÔMODO DO QUE O KREMLIN IMAGINA

Alexei Navalny, profeta em sua terra?

Edição 164 | Russia
por Hélène Richard
JACK MA, O EMPRESÁRIO QUE INCOMODA O GOVERNO CHINÊS

Alibaba, uma epopeia chinesa

Edição 164 | China
por Jordan Pouille
“UM CASTELO FEUDAL EM RUÍNAS COM UMA FACHADA CAPITALISTA DE PAPELÃO”

O Ícaro e a impossível democracia latino-americana

Edição 164 | América Latina
por Renaud Lambert
DUZENTOS ANOS DE UMA GUERRA DE INDEPENDÊNCIA QUE AINDA DESPERTA PAIXÕES

“Somos todos gregos”

Edição 164 | Grécia
por Samuel Dumoulin
GUERRA SOCIAL

Os dentes dos pobres

Edição 164 | França
por Olivier Cyran
EMIRADOS ÁRABES UNIDOS: IMAGEM “MODERNA” E ABUSOS NO IÊMEN

Quando a vitrine começa a rachar

Edição 164 | Emirados Árabes
por Eva Thiébaud