Repensar a ajuda humanitária

A cada ano, a ajuda necessária para enfrentar as situações de emergência no mundo só é abundante de maneira parcial e depende da seleção de cerca de vinte países contribuintes. Obrigadas a encontrar financiamentos complementares, as ONGs ocidentais estão cada vez mais dependentes de doadores privados, enquanto as africanas permanecem marginalizadas