A maré feminista no Chile - Le Monde Diplomatique

MULHERES, AS PRINCIPAIS VÍTIMAS DO ULTRACAPITALISMO ANDINO

A maré feminista no Chile

por Franck Gaudichaud
30 de abril de 2019
compartilhar
visualização

A esquerda chilena procura unidade. Os estudantes abriram a via em 2011; de volta à cena política, eles fizeram uma tentativa de transformação nas eleições de 2013, enquanto os sindicatos continuam entorpecidos. Após realizar uma das maiores mobilizações desde o fim da ditadura, o movimento feminista, por sua vez, reacende a esperança

Não foi uma onda, e sim um tsunami colorido que, no dia 8 de março de 2019, inundou as ruas de Santiago, sob um sol radiante e o olhar torto dos carabineiros, como são chamados os policiais locais. Para celebrar a primeira greve feminista da história do Chile, mais de 350 mil pessoas cantaram, dançaram …

Conteúdo apenas para Assinantes



Artigos Relacionados

Especial

As cidades do amanhã são cidades justas

por Rodrigo Faria G. Iacovini
Financeirização

Quem produz e quem se apropria: o poder do rentismo

Online | Brasil
por Ladislau Dowbor
Guilhotina

Guilhotina #104 – Mauricio Fiore

Ecossocialismo

Gaia, neoliberalismo e o vírus pedagogo

Online | América Latina
por Luiz Fernando Leal Padulla
37 anos da tragédia

Ensaio fotográfico Vila Socó - Cubatão

Online | Brasil
por Luca Meola
Resistências latino-americanas

O Brasil como reflexo inevitável da América Latina

por Victor Moreto
Educação

Queremos voltar ao ensino presencial

por Várias e vários autores
BNP PARIBAS

O elo entre a crise do Rioprevidência e a privatização da Cedae

Online | Brasil
por Vários autores