Dinastias, golpes e... insurreições - Le Monde Diplomatique

HISTÓRIA

Dinastias, golpes e… insurreições

por Bassma Kodmani
1 de junho de 2007
compartilhar
visualização

Desde a constituição de seus Estados nacionais, o mundo árabe tem sido marcado por governos que se eternizam (muitas vezes apoiados por potências estrangeiras) e por fortes sobressaltos políticos. O período pós-67 manteve esta tendênciaBassma Kodmani

Julho: Golpe de Estado do partido Bass, em Bagdá (Iraque).

1969

Fevereiro: Yasser Arafat torna-se presidente do Comitê Executivo da Organização para a Libertação da Palestina (OLP).

Maio: Gaafar Al-Nemeiry toma o poder de Kartum (Sudão).

Setembro: O coronel Muammar Kadhafi derruba a monarquia em Trípoli (Líbia).

1970

Setembro: Morre Gamal Abdel Nasser no Egito. É substituído por Anuar El-Sadat.

Novembro: Hafez Al-Assad torna-se o número um de Damasco (Síria).

1979

Fevereiro: Retorno do aiatolá Rudollah Khomeini a Teerã (Irã), e instauração da República Islâmica.

1981

Outubro: Assassinato do presidente Sadat, substituído por Hosni Moubarak.

1985

Março-abril: Manifestações populares resultaram no deslocamento de Nemeiry para o exército do Sudão. e na constituição de um regime parlamentar.

1989

Junho: Morre Khomeini no Irã. No Sudão, ocorre um golpe de Estado dirigido pelo general Omar Hassan Al-Bachir, aliado dos islâmicos.

1999

Fevereiro: Morte do rei Hussein da Jordânia. Foi sucedido por seu filho, o rei Abdallah II.

2000

Junho: Morte do presidente sírio Hafez Al-Assad, substituído por seu filho Bachar.

2004

Novembro: Arafat, líder da Autoridade Palestina, morre na França. Substituído por Mahmoud Abbas.

Tradução: Carolina Gutierrez
carol@diplo.org.br

Leia mais:

Nesta edição, sobre o mesmo tema:

A batalha que incendiou o Oriente Médio

Quarenta anos depois, um retorno “Guerra dos Seis Dias” revela: o conflito que envenenou as relações entre Israel e Palestina não teve como origem a disputa entre os dois povos. Seria um sinal de que a paz é possível?

Sob o signo da frustração

A derrota no conflito de 1967 transtornou o mundo árabe. É a partir dos traumas associados a ela que crescem a influência da religião, a tentação da violência, o conservadorismo moral como forma de “purificação” e os governos cada vez mais afastados de seus povos

Como a ocupação invadiu Israel

Após seu triunfo retumbante contra os três maiores exércitos árabes, o país encheu-se de orgulho, dinheiro e ilusão. Quarenta anos depois, a sociedade está mais frágil, atemorizada e desigual. Há quem tema por suas chances de sobrevivência

O interminável Sétimo Dia

Cronologia dos conflitos provocados pela ocupação da palestina. Por ter mantido e aprofundado a opressão sobre eles, a Guerra dos Seis Dias ac



Artigos Relacionados

DIREITO À CIDADE

Os desafios da precarização do trabalho e o avanço da nova informalidade nas metrópoles

por Vários autores
COPA: FUTEBOL E POLÍTICA

Brasis no Catar: primeiro carnaval, primeiro pelourinho também

por Helcio Herbert Neto
SEGURANÇA ALIMENTAR

Entre o consignado e a fome: tumultos e cozinhas solidárias

Online | Brasil
por Denise De Sordi
IDEIAS PARA UM BRASIL DEMOCRÁTICO

A democracia na mira das plataformas digitais

Online | Brasil
por Aline Souza, Nataly Queiroz e Sheley Gomes
RESGATE DE IDENTIDADE E HONRA DE UMA ETNIA PERSEGUIDA

Justiça retributiva e vingança

Online | Mundo
por Felipe Labruna
ENTREVISTA

Editor do Wikileaks: 'o jornalismo está sob grave ameaça'

Online | Mundo
por Carolina Azevedo
A CRISE NA CULTURA

Editais de cultura no Paraná: campo de influência na capital controla o estadual

por Por Rodrigo Juste Duarte com colaboração de pesquisadores da rede do Observatório da Cultura do Brasil
A CRISE DA CULTURA

Lei Aldir Blanc e os editais do “cercadinho de Curitiba”

por Rodrigo Juste Duarte com colaboração de pesquisadores da rede do Observatório da Cultura do Brasil