Os tutores da nação

Em evento militar em Guaratinguetá (SP), no dia 27 de novembro de 2020, Jair Bolsonaro afirmou que “a liberdade do nosso povo passa por nós”, referindo-se às Forças Armadas. Em 9 de dezembro, em evento de confraternização de fim de ano no Clube da Aeronáutica de Brasília, cercado pelo Alto-Comando, ele voltou a exaltar seus …

por em

The Mandalorian: de guerreiro a novo proletariado de serviços

Para Adorno e Hockenheim os produtos da indústria cultural são feitos “de modo a vetar, de fato, a atividade mental do espectador, se ele não quiser perder os fatos que, rapidamente, se desenrolam à sua frente”. Isso porque essa indústria trabalha com o esperado. Ela busca atender a ânsia dos olhos compulsivos de um consumidor …

por em

Trump e o fechamento das fábricas da Ford no Brasil.

A vitória de Trump em 2016 à presidência dos Estados Unidos representou o declínio da globalização nos moldes que ela emergiu na segunda metade do século passado. Eric Hobsbawm já havia previsto no livro Globalização, democracia e terrorismo que “as desigualdades geradas pela globalização descontrolada dos mercados livres, que crescem muito rápido, são incubadoras naturais de …

por em

O vandalismo virtual e a disputa contra ‘esquerdistas’

Em junho de 2020, logo depois da tentativa de criminalização de movimentos antifascistas, um grupo secreto foi criado no Facebook com o intuito de constranger e zombar de ‘esquerdistas.’ Apesar de não me considerar de esquerda, ou postar conteúdo em defesa de partidos associados à ideologia, como PT e PSOL, fui alvo deles em dezembro. …

por em

A experiência da escassez no audiovisual feito na e pela periferia

Desde o início dos anos 2000, principalmente nas cidades de Rio de Janeiro e São Paulo, foi possível verificar o crescimento da produção de vídeos e ações audiovisuais desenvolvidas em bairros periféricos. O audiovisual, nessas experiências, não estava restrito ao dito cinema de mercado e à indústria cultural, mas também passou a ser tido como …

por em

A face da iniquidade na imunização contra a Covid-19 na América Latina

A permanência da América Latina como um dos epicentros da pandemia pela Covid-19 no mundo e o aparecimento de uma variante aparentemente mais contagiosa do Sars-Cov 2 na Amazônia intensificaram a luz vermelha que já se encontrava no radar das autoridades e cientistas da região e colocaram desafios ainda maiores para a diplomacia da saúde …

por em

Melhores serviços públicos, combate à corrupção e desenvolvimento

Contar com melhores serviços públicos, ver a corrupção ser combatida de modo imparcial e eficaz, sentir os avanços de um Brasil que possa se desenvolver economicamente com inclusão social e poder ser protegido contra violências, poluições, venenos, doenças e mortes evitáveis é mais que um sonho de todo brasileiro, é um direito que a Constituição …

por em

Complô contra a América

Cercam os Estados Unidos da América. Atiram os Estados Unidos da América de um lado a outro, em meio a risos e obscenidades. Agridem os Estados Unidos da América (quase) como só os Estados Unidos da América souberam agredir no passado. Como só os “inventores” do bullying poderiam saber e talvez só Philip Roth, autor …

por em

Maré verde feminista e um devir latino-americano

Depois de 17 anos de campanha, a maré verde argentina se tornou um tsunami, inundando a América Latina com esperança e potência feminista. A Campanha Nacional Pelo Direito ao Aborto Legal, Seguro e Gratuito demandou o reconhecimento de direitos reprodutivos e sexuais pelo Estado e, na madrugada do dia 30 de dezembro, o senado argentino …

por em

Finalmente o Brexit!

No artigo “Pandemia e a globalização da saúde no Reino Unido e Itália” já debatíamos os rumos da pandemia no Reino Unido e como visto, as atitudes tomadas pelo governo Britânico foram e continuam sendo altamente questionáveis. Após meses sob uma situação de contágio descontrolado, o Reino Unido tem sido um dos países com mais …

por em

Por que a Petrobras é estratégica?

É preciso perguntar para os críticos das estatais porque consideram a Petrobras uma empresa passível de ser desnacionalizada e descapitalizada. Duvide, leitor, da palavra privatização toda vez que seu interlocutor a usar como panaceia para os problemas da estrutura produtiva e social no Brasil. No início deste século, os Estados Unidos ascenderam à posição de …

por em

Nenhum ser humano é ilegal

Em sua autobiografia, o escritor austríaco Stefan Zweig conta que não precisou de um passaporte para, antes de 1914, visitar a Índia e os Estados Unidos. Nenhuma autoridade exigiu dele qualquer coisa, nem o preenchimento de um único formulário. Foi só a partir da Primeira Guerra Mundial, afirma Zweig, que, em razão da desconfiança patológica …

por em

Solidariedade após o terremoto devastador na Croácia

Na última semana de 2020, a região central da Croácia foi atingida por uma série de terremotos, o mais forte com 6,4 de magnitude, causando danos inimagináveis a uma das regiões mais pobres da Europa. O terremoto alcançou a Itália, Áustria e Sérvia. As cidades de Petrinja, Sisak e Glina foram seriamente danificadas, bairros e …

por em

Neutralidade na ciência e injustiça epistêmica

No Norte Global, a noção de que os feminismos não representam apenas um movimento social e político, mas também uma epistemologia, é bastante conhecida. Epistemólogas sociais feministas como Sandra Harding, Linda Alcoff, Donna Haraway, entre outras, defendem que a experiência histórico cultural das mulheres justifica uma epistemologia feminista, um ponto de vista sobre o conhecimento, …

por em

Por um urbanismo de canteiro: projeto, pesquisa e políticas públicas

Nos últimos anos, verificou-se a retomada do debate sobre alguns pontos básicos ligados à questão urbana: a necessidade de reconstruir vínculos entre projeto, pesquisa e políticas públicas; o valor do diálogo entre as diferentes disciplinas; a disponibilidade de ferramentas que contribuam para a análise e a formação de uma nova polis. Nesse contexto, o livro Direito à …

por em

Fake News: entre palavras, conceitos, semelhanças e diferenças

Certa vez um filósofo na segunda metade do século XIX se horrorizou com o apoio popular francês ao sobrinho do temível Napoleão Bonaparte. Este sobrinho se tornaria o Napoleão III, governando uma França muito diferente da França que foi governada pelo seu tio, com quase 50 anos de diferença. O horror do filósofo a essa …

por em

Por que o Brasil retrocedeu na última década?

Austeridade: um problema mundial O estudo “Does Austerity Cause Polarization?”, publicado em novembro de 2020, demonstrou existir forte relação entre austeridade e polarização social. A pergunta que os três pesquisadores de faculdades em Genebra e Viena buscaram responder foi: é possível afirmar que a austeridade causa polarização? A resposta a que chegaram foi “sim”. Os …

por em

O discurso da objetividade e da politização da ciência

Não passa um dia sem que se fale em algum veículo de comunicação sobre a politização das vacinas, que politizar assuntos de saúde pública é um desserviço etc. Por um lado, esses discursos ressaltam o quanto o termo “política” vem caindo em descrédito, especialmente a partir de 2016, quando candidatos recusaram a pecha de “político” …

por em

Assédio sexual na universidade: um problema incontornável?

Talvez a grande maioria dos professores já tenha cometido um ato de assédio sexual sem ter se dado conta de que o cometera. Há, contudo, aqueles que o cometem, sabem que o cometem e continuam no seu lugar confortável de poder sobre a assediada silenciada e de proteção conivente de seus colegas. E se todo …

por em

A bala não erra alvo: corpos negros em luta pela vida e liberdade

A juventude negra luta, sobretudo, pela sua liberdade e pela sua vida. É neste sentido que escrevemos esse texto. Somos dois jovens negros, estudantes, pesquisadores que lutam pelo reconhecimento e pela existência de corpos como os nossos, que são levados cotidianamente nos camburões em sacos pretos ou injustamente para as masmorras das prisões. Sobre nós, …

por em

Cis-hétero-bolsonarismo

Há algum tempo, fui instigado pelas provocações da amiga Leila Raposo a pensar a respeito das singularidades sexuais e de gênero do governo Bolsonaro. Hoje, tento apresentar alguns pontos dessa reflexão, ainda provisória. Com a formulação “cis-hétero-bolsonarismo”, pretendo, portanto, refletir sobre o lugar das políticas sexo-gendradas nas configurações autoritárias da extrema direita, metonimizada naquilo que, …

por em

A produção da calamidade: um balanço das prisões fluminenses em 2020

A entrevista abaixo foi realizada com integrantes do Mecanismo Estadual de Prevenção e Combate à Tortura do Rio de Janeiro (MEPCT/RJ), órgão ligado ao poder legislativo estadual que monitora espaços de reclusão com o objetivo de prevenir torturas e outros tratamentos cruéis, desumanos e degradantes. Em maio do ano passado, o MEPCT já havia concedido …

por em

A política das ruas deve continuar a bater a porta do Judiciário

Há uma imagem que não me saí da cabeça desde o dia 6 de janeiro de 2021: o Capitólio norte americano invadido por um grupo de extremistas/supremacistas que o senso comum poderia, em um passo em falso, simplesmente rotular de lunáticos. De todas as cenas, um frame específico está cravado em minha mente: a de …

por em

Autoritarismo e Estado de Direito: as lições da História

Não foi preciso disparar um único tiro para que, logo depois da Marcha sobre Roma, Vittorio Emanuele III, o rei italiano, alçasse Benito Mussolini à condição de presidente do Conselho de Ministros. Sempre afiado, Bernard Shaw afirmou que os fascistas avançaram sobre a capital italiana como um ferro quente sobre um pedaço de manteiga. Formalmente, …

por em

A obra de Severiano Mário Porto e o Amazonas

É possível a arquitetura “falar” sobre uma especificidade, uma recorrência de temas ou fatores relativos a uma área geográfica em particular?  Elementos importantes para esta reflexão talvez possam ser indagados a partir das obras realizadas no estado do Amazonas pelo arquiteto Severiano Mário Porto (1930 – 2020), falecido no dia 10 de dezembro: mais uma …

por em

As imagens do fascismo no espelho bolsonarista

Há um consenso entre os estudiosos do fascismo que entre as diversas formas de regime ele se configura enquanto a forma política mais visual. Ao se deparar com o termo logo nos vêm à mente diferentes imagens. Um líder autoritário e nacionalista discursando a uma multidão de seguidores obedientes; soldados rigidamente disciplinados marchando sob as …

por em

AmarElo – É tudo Pra ontem – sem esquecer o que é o Brasil de hoje!

No dia 8 de dezembro do ano corrente estreou na Netflix o filme do rapper Emicida, intitulado AmarElo – É tudo Pra Ontem. De fato, a adesão pela produção em tela tem despertado tamanhas repercussões, no seio do próprio movimento hip-hop e por aqueles que têm uma certa simpatia pelo referido movimento. Alguns diriam que …

por em

Círculo moral bolsonarista: (anti)política, individualismo e negacionismo

Bolsonaro saiu do partido que o fez vencedor em 2018, aquele que o abrigou rumo à vitória. Com isso, acabou desistindo de um capital político importantíssimo, já que o PSL teve uma espetacular conquista no número de cadeiras no Congresso. Também abandonou no meio do caminho fiéis escudeiros como Gustavo Bebbiano, General Santos Cruz e …

por em

Passando a boiada de reformas estruturais

O governo federal anunciou a proposta de revisão da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS) e a nova proposta de modelo assistencial em saúde mental, no Brasil, tendo como base o documento “Diretrizes para um Modelo de Atenção integral em Saúde Mental no Brasil – 2020”, elaborado pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), Associação Médica Brasileira …

por em

A história que Bolsonaro gosta

Bolsonaro é um péssimo professor de história. Certa vez, ele afirmou que os portugueses nunca pisaram em África e que os negros entregavam os seus para serem escravizados. Não poderia estar mais errado, mas sua ficção histórica encontra mentes e corações, além de servir a um propósito político. Ao negar o papel dos europeus no …

por em

O estado de exceção e a impunidade de rebanho

A resposta política do governo Bolsonaro à crise deflagrada pelo coronavírus tem vindo das mais variadas formas. Em todas elas, porém, através do ataque às instituições, desprezo ao conhecimento científico, desrespeito às diretrizes dos órgãos de saúde internacionais e criminosa negligência à saúde da população, em especial a dos mais velhos e das populações vulneráveis. …

por em

Bolsonaro e o não plano para vacinação

Recorrendo ao dicionário, podemos definir plano como um substantivo que se define por um “Conjunto de operações programadas para um determinado fim” ou também como “Programa que envolve medidas governamentais para atingir um objetivo”. O “plano” que foi apresentado no dia 16 de dezembro pelo governo Bolsonaro pode ser chamado de tudo, menos de um …

por em

Do absurdo à barbárie: apatia e solidariedade em tempos de pandemia

Uma cena ocupou as redes sociais em outubro. Um homem, talvez em torno de seus quarenta anos, é entrevistado por Luiza Zveiter para o programa Encontro com Fátima Bernardes, da Rede Globo. O homem está sozinho, despojadamente sentado em uma mesa de bar ao ar livre, coberta apenas por um toldo, e fala sobre prevenção …

por em

O impacto da aprovação da Convenção Interamericana contra o Racismo

Não há o que se comemorar em termos de garantias de direitos humanos para a metade da população brasileira ou para a Maioria Minorizada[1] nesse ano de 2020 – marcado pelo destaque dado ao tema racial e a pandemia. O Brasil segue sendo o país que mais mata negros e negras[2] e agora assume a …

por em

Por que não estamos diante de uma Nova Guerra Fria

Os parlamentares e oficiais alemães que se reuniram na Orquestra Estatal de Weimar, em fevereiro de 1919, para a Assembleia Nacional Constituinte que escreveria a Constituição do Império Alemão, após o fim da Primeira Guerra Mundial, não se levantaram em tom eufórico e uníssono e proclamaram: “estamos inaugurando a República de Weimar!”. Por certo, a …

por em

Saúde universal, ecologia planetária e outro modo de vida

Salvar a economia ou salvar vidas? Essa seria uma escolha viável? Seria nossa única escolha? Essa disjuntiva tem filiação clara e inconteste: o nosso sistema capitalista neoliberal. Somente uma ameaça mortífera fora capaz de escancarar a hierarquia de valores a que estamos submetidos: o lucro vale mais do que a vida. As vidas podem e …

por em

No Brasil, a verdadeira luta da esquerda é contra a abstenção

Não faltaram notícias dos grandes veículos de informação apontando o dado sobre o aumento dos votos nulos, brancos e abstenções nas eleições de 2020. Alguns meios associam tal aumento à pandemia do novo coronavírus, pois as pessoas teriam preferido não sair de casa a votar, dado o risco de contaminação. Outros, porém, perceberam que esse …

por em

O PT nas eleições e a profecia não cumprida

Não houve necessidade nem mesmo do encerramento da apuração para que analistas da mídia hegemônica começassem alardear a “morte do PT” nas eleições de novembro. Não é a primeira vez que essa narrativa surge no debate público. Ao longo de sua história, o partido deparou-se inúmeras vezes com narrativas semelhantes. Nos últimos cinco anos, no …

por em

O antipetismo como valor simbólico de classe

Não há saída possível contra o domínio da extrema-direita e da direita no Brasil que não envolva o Partido dos Trabalhadores. O PT como instituição e necessariamente como protagonista das articulações políticas no espectro nacional? Não. O PT, como uma ideia ou como símbolo do que representa o campo popular progressista. Desde 2016, há uma …

por em

Eleições, migrações e pandemia: impactos e desafios

Em meio à maior pandemia do século, as eleições municipais brasileiras foram mantidas. Em São Paulo, maior cidade da América do Sul, o prefeito eleito no segundo turno foi Bruno Covas (PSDB), que possui, além dos desafios usuais do mandato, o compromisso de seguir conduzindo as políticas de gestão pandemia de Covid-19, que assola o …

por em

O bolsonarismo não é só um fenômeno eleitoral

Uma das narrativas mais comuns pós-eleições municipais diz que o bolsonarismo foi o grande derrotado nas urnas (ao lado do PT) e, assim, deu-se o início inevitável do seu fim – uma análise equivocada de setores progressistas ansiosos ou de uma ciência política apressada que insistem em declarar a morte de um fenômeno ainda relativamente …

por em

Meio ambiente, coronavírus e a política bolsonarista

O ano de 2020 será lembrado como o ano da pandemia de coronavírus, que ocasionou uma ruptura do estilo de vida das sociedades contemporâneas, sendo o isolamento social da população a melhor alternativa para combater a incidência do vírus e, politicamente, a melhor opção para concretizar o desmonte ambiental no Brasil. Com as restrições das …

por em

Responsabilidade com a população passa pela otimização do setor público

Ao longo dos anos, o setor público tornou-se alvo de campanhas difamatórias e perseguição de classes da sociedade. O papel essencial de servidoras e servidores, demonstrado mais uma vez ao longo da atual pandemia, ficou de lado. Os trabalhos realizados e usufruídos por todos os brasileiros, que inegavelmente utilizam em algum grau o serviço público, …

por em

Catadores de materiais recicláveis: a linha de frente invisível

No Brasil, o isolamento social impactou severamente a produção de lixo. A quantidade de lixo doméstico cresceu de 15% a 25%, de acordo com a Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe). Antes uma casa produzia em média 4,86 kg de lixo por semana, número que sobe para 5,83 kg após …

por em

A Suprema Corte dos EUA e seus bolos de casamentos hiperexpressivos

A conservadora Amy Coney Barrett deverá tomar posse em breve na Suprema Corte dos EUA, que, a partir de então, contará com uma sólida maioria conservadora: seis magistrados contra apenas três de tendência progressista. Muito tem se falado sobre retrocessos com relação a direitos das mulheres, negros e da população LGBTQI+. Gostaria de ressaltar um …

por em

Café meio maroto: autoritarismo, futebol e grupos paramilitares

O solo tremia debaixo dos pés. As arquibancadas urravam, como quando a bola atravessa a linha e vai parar na rede. Não era o caso: os jogadores se agrediam em campo. O placar, irredutível, testemunhava uma goleada de 3 a 0 do Bangu, mas eram os torcedores no setor destinado ao Flamengo que estavam encolerizados. …

por em

Silenciamento de mulheres negras, trans e grupos sub representados

Antes, durante e após as eleições, a violência política ergue sérios obstáculos para que grupos sub representados exerçam seus direitos políticos, especialmente mulheres negras. O processo eleitoral de 2020 encerrou-se como um dos mais violentos dos últimos anos, marcado por um crescimento assustador dos atos de violência em todo o país. A violência política e …

por em

Agenda Propositiva das Periferias

A pesquisa “Agenda Propositiva das Periferias” foi realizada pelo Centro de Estudos Periféricos com apoio da Fundação Rosa Luxemburgo. A pesquisa contou com a participação de 32 pessoas no total, sendo quatro professores da Unifesp, 15 pesquisadores de diversas formações, 12 alunos da Unifesp e 1 aluno de outra instituição. Toda a equipe da pesquisa …

por em

O oligopólio dos institutos de pesquisa, a mídia e a democracia

Quem trabalha com pesquisas de opinião hoje, tanto no Brasil como em outros países da América Latina, sabe que há um embargo midiático para a publicação de pesquisas de opinião, superado somente pelos institutos tradicionais de demoscopia de seus respectivos países. Nos grandes meios de comunicação tradicionais, somente um círculo pequeno de institutos têm as …

por em

A forma das ideias políticas

Em Platão (428 a.C. – 348 a.C.), a Dialética nos levaria a um processo “dialógico”, que seria fazer passar logos (saber) entre interlocutores, para que transformem sua doxa (opinião) em episteme (conhecimento). A ideia, para Platão, não seria apenas o conhecimento verdadeiro sobre as coisas, ela seria a própria coisa: um ser em si mesmo, …

por em

O direito à cidade como última defesa e esperança

O livro de Henry Lefebvre “O direito à cidade”, escrito há 50 anos, indicava os componentes essenciais de uma vida urbana diferente e alternativa: o direito de todos se apropriarem da cidade, de usá-la sem exclusões ou execuções hipotecárias, de ter encontros, oportunidades, aventuras e o direito à autogestão e participação nas decisões sobre transformações …

por em

Hermenêutica: a arte de poder ouvir

Ao eclodir a Primeira Guerra em 28 de julho de 1914, a juventude europeia entusiasmou-se com a promessa de uma guerra que acabaria com todas as guerras. Seria um conflito rápido, anunciavam os chefes de Estado. Quatro anos depois ela terminava com o saldo de 20 milhões de mortos. O mundo prometeu não mais meter-se …

por em

Sem filtro, sem make: bolsonarismo e estetização da política na era do selfie

Imagem 1, 18 de junho de 2020. Sofá, lareira, poltronas, rack, TV de plasma, fitas de VHS, abajur, flores de plástico, tapete, ventilador, telefone sem fio, aromatizador de ambiente. Azulejo cerâmico lustrado. Lareira revestida com tijolo aparente. Oratório de madeira escura. Raquete mata-mosquito. A casa de final de semana. Primo, cunhada, amigo da filha. Um …

por em

A análise das análises, ou, por que os institutos de pesquisa erraram tanto

Para além dos festejos mal disfarçados da grande mídia nacional perante o que a maioria dos jornalistas interpretam como derrota da esquerda, e sobretudo do PT, nas eleições municipais, reside um enigma ainda não decifrado: por que os institutos de pesquisa erraram tão sistematicamente na previsão dos resultados do segundo turno das eleições?  É normal …

por em

O lucro acima da vida

Desde o início da pandemia em março de 2020 a população do Rio de Janeiro, especialmente a que vive nas favelas e periferias, sofre com a falta de água. Nos últimos vinte dias, a situação piorou e mais de 1 milhão de pessoas, da Baixada Fluminense e das zonas Oeste e Norte e algumas áreas …

por em

Um novo arranjo territorial periférico e metropolitano à vista?

Parece haver um certo consenso entre pesquisadores, militantes e moradores de que os territórios periféricos da metrópole de São Paulo já não são mais aqueles da época de seu aparecimento na cidade e que deram origem aos conhecidos movimentos sociais urbanos entre as décadas de 1970 e 1980. Sejam as pesquisas, sejam as práticas políticas, …

por em

O desequilíbrio insustentável das soberanias no multilateralismo

É quase um truísmo dizer hoje que vivemos uma crise. O que talvez seja menos evidente é que não se trata de uma, mas de várias crises simultâneas, inter-relacionadas e complexas. Há um consenso de que a pandemia da Covid-19 pôs a descoberto rachaduras e fragilidades em nossas sociedades e no ordenamento internacional. Em muitos …

por em

A contraofensiva econômica dos EUA na América Latina

Desde meados dos anos 2000, a China vem ganhando uma maior proeminência no sistema econômico internacional. Por um lado, tem se configurado como o maior exportador de bens e serviços do mundo, alcançando o valor de US$ 2,6 trilhões em 2019, em sua maior parte produtos manufaturados, como aparelhos eletrônicos e máquinas. Por outro, essa …

por em

Decisão do CNJ torna tortura invisível e indetectável

De cabeça baixa, olhos roxos e aparência abatida, Júlia,[1] de 26 anos, caminhava lentamente em direção à cadeira de frente para o juiz. Naquela tarde de 2018, a audiência de custódia acontecia numa sala ampla, com a presença de familiares e público, no Fórum de Cuiabá (MT). Sentada, ombros curvados, Júlia exprimia dor e fraqueza. …

por em

A queda de Donald Trump e as perspectivas do governo Biden

A vitória eleitoral de Joe Biden na corrida presidencial nos EUA, confirmada em 08 de novembro, pelas principais agências de notícias internacionais, apesar das contestações judiciais em curso, já pode ser considerada como um dos principais acontecimentos do início da terceira década do século XXI. Menos pelo impacto relativamente diminuto em relação a capacidade de …

por em

Oyèrónkẹ́ Oyěwùmí: tecituras filosóficas comprometidas com a decolonialidade

As tecelãs em um contínuo movimento de vai e vem produzidos por seus pés que sobem e descem sobre os pedais do tear, possuem o poder de (des)fazer, fiar e construir os mais diversos tipos de tecido. Invoco essa imagem no intuito de convidá-la(lo) a ler esse texto com outros ouvidos e a (des)enrolar e …

por em

Não existe soberania alimentar sem cultura alimentar

A participação popular para a construção do conceito de Cultura Alimentar e sua inclusão nas políticas culturais se fortaleceu  em espaços de controle social e também em órgãos institucionalizados em governos, que acolheram as demandas da sociedade civil organizada. No entanto, no atual governo o Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea), o Conselho …

por em

Para que piorar as coisas?

Dois biomas brasileiros estão em chamas. De acordo com dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) para setembro de 2020, a Amazônia teve seu segundo pior mês de setembro, só superado pelo ano de 2017, com 32.017 focos de calor – um aumento de cerca de 60% em relação ao mesmo mês do ano …

por em

Necropolítica e agronegócio

No dia 22 de setembro, o presidente Jair Bolsonaro abriu a 75ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU). Esquivando-se das críticas recebidas desde o ano passado por sua gestão ambiental, considerada desastrosa, Bolsonaro afirmou que é alvo das “mais brutais campanhas de desinformação sobre a Amazônia e o Pantanal”[1]. Desde o seu primeiro …

por em

Cultura alimentar nas políticas culturais do Brasil

A ideia de que “comida é cultura” talvez seja facilmente compreendida,  pois o ato de se alimentar constrói sentidos, significados, memórias, silenciamentos, violências, opressões e apagamentos em cada indivíduo e na coletividade. A cultura, assim como a comida, por estar presente em diferentes dimensões da vida e das práticas sociais corre o risco de, muitas …

por em

A extrema direita à beira da falésia

A dinâmica do capitalismo desencadeou o politicamente correto, principal arranjo ideológico que a extrema direita vem depredando. Ela o chama de socialismo porque não poderia dizer que seu alvo é o novo modelo de capitalismo que se tornou predominante. E justamente por ela ser contrária a este “novo” capitalismo que seus dias no governo de …

por em

Usando compras públicas para o desenvolvimento sustentável

Diante do duplo desafio imposto pelas mudanças climáticas e pelas consequências econômicas e sociais de uma pandemia global – para não falar de problemas persistentes e generalizados como desigualdade, fome e poluição – todos os países têm uma ferramenta à sua disposição que não estão usando de forma suficientemente estratégica. A cada ano, governos em …

por em

Fome, racismo, tortura e morte no supermercado mais próximo de você

A raiva dá pra parar, pra interromper A fome não dá pra interromper A raiva e a fome é coisas dos home “O ronco da cuíca” (João Bosco e Aldir Blanc)   Um conjunto de pesquisas, investigações da sociedade civil e documentos oficiais da ONU afirma que os sistemas alimentares têm gerado uma série de …

por em

Bolsonaro mente ao dizer que luta pela soberania nacional na Amazônia

A rejeição do Bolsonaro ao Fundo Amazônia é uma demonstração clara da sua falta de compromisso em proteger a floresta. No ano de 2018, a Amazônia atingiu o marco de 700 mil km2 de área perdida para o desmatamento (20% de sua cobertura original). Até agora, a única postura do Bolsonaro foi, ao sabotar intencionalmente …

por em

O sequestro dos orgânicos pelos ultraprocessados

Os ultraprocessados orgânicos produzidos pelas grandes multinacionais da comida estão ganhando mercado. Como toda prática sociocultural, o consumo – também o de alimentos – implica diferentes graus de subjetividade e o consumidor tem muitas necessidades.  Por isso, talvez o alimento ultraprocessado orgânico faça sentido para alguns consumidores que vêm aplaudindo essa lacuna no mercado de …

por em

Prefácio do livro com discursos do Malcolm X

Em geral, o que conhecemos sobre Malcolm X é resultado da mitificação de sua figura. De fato, a vida de Malcolm é uma vida extraordinária, que o inscreveu na história como uma das personalidades mais importantes e influentes do século XX. Exatamente por conta desta “mitificação” é que Malcolm serviu de inspiração para lutas políticas …

por em

China: êxito na retomada econômica e na luta contra a extrema pobreza

Em plena recessão econômica global e com projeções nada otimistas, a China acaba de superar a extrema pobreza no país. Apesar do conturbado contexto econômico e político imposto pela pandemia da Covid-19 mundo afora, o desafio secular foi designado como prioritário na estratégia nacional chinesa e alcançado antes mesmo do prazo que o Conselho de …

por em

Armênia, uma civilização se protegendo contra o pan-turquismo

A Turquia e o Azerbaijão negam o genocídio armênio de mais de um século atrás, enquanto ainda propagam violência militar contra armênios e recusam-se a permitir soberania territorial de regiões tradicionalmente armênias. Para evitar que a história se repita, devemos olhar para este ponto do planeta, ouvir as histórias de seu povo e buscar novas …

por em

O futebol no sertão Baiano não é muito diferente

Às quatro e pouquinho da manhã, já é possível ver que o céu vai ficando claro, o galo canta, e os pássaros começam a assobiar, é o prenúncio do nascer do dia. Quando o sol bate na terra, a impressão é de que a cidade se levanta em conjunto, tudo começa a funcionar quase que …

por em

Geografia das mortes na cidade de São Paulo

Em São Paulo, são enterrados anualmente centenas de mortos sem identidade ou sem resposta. Na cidade existem 22 cemitérios e um crematório municipais. Destes, três dos cemitérios – Vila Formosa, Dom Bosco Perus e Vila Nova Cachoeirinha – recebem corpos daqueles vulgarmente e genericamente denominados “indigentes”. Sob essa alcunha oficial, são enterradas em média duas …

por em

Mato Grosso do Sul concentra os casos nacionais de suicídios de indígenas

Falar sobre suicídios e suas causas é um tabu no Brasil e em várias partes do mundo. Todos sabemos que eles acontecem em nossas cidades, já ouvimos sobre alguns casos e podemos até ter vivenciado tal fato nos círculos sociais mais próximos. Porém, é incomum encontrarmos um espaço para conversar de maneira aberta sobre o …

por em

Pobreza e vulnerabilidade social no âmbito da pandemia de Covid-19

O primeiro caso de Covid-19, doença causada pelo coronavírus SARS-CoV-2, foi identificado na China em 12 novembro de 2019. A doença se disseminou rapidamente pelo mundo, alcançando, em 12 meses, cerca de 53 milhões de casos confirmados e 1,3 milhão de mortes na escala global, segundo os dados do Painel Covid-19 do Centro de Recursos …

por em

Personalismo de coalizão

Nós, os brasileiros, somos como Robinsons: estamos sempre à espera do navio que nos venha buscar da ilha a que um naufrágio nos atirou. [i]   2018: eleição de Jair Messias Bolsonaro, cuja antiga filiação partidária saltou no mesmo ano de um para 51 deputados federais na Câmara e de nenhum senador para quatro senadores. …

por em

Pandemia e pobreza: a sindemia exposta da crueldade humana

Se fossemos indagar às pessoas o que elas consideram ser uma vida digna, variadas seriam as respostas, mas alguns elementos em comum, certamente, apareceriam, tais como o acesso à moradia, ao transporte, à segurança, à educação e à saúde. Direitos um tanto mais difusos, como o acesso a um meio ambiente preservado e amor à …

por em

Crianças indígenas retiradas das famílias: “o culpado é o próprio governo”

Ao apresentar a problemática das crianças indígenas kaiowá e guarani em situação de acolhimento institucional em Dourados (MS), destacando o drama vivido por algumas mães que tiveram seus filhos levados a esses abrigos, os documentaristas Joana Moncau e Spensy Pimentel acertam ao propor como ponto de partida a indagação: “Negligência, de quem?”. Embora exista uma …

por em

(Re) Existências negras pela reintegração de nossas vidas

  É triste e difícil expor as crueldades da escravização de africanos trazidos para o Brasil do século XV ao XIX. Certamente, deve ser vergonhoso, para os descendentes dos escravizadores, reconhecer a crueldade dos seus antepassados. É bem verdade que alguns desses são indiferentes; assim, sem nenhum pudor, continuam reproduzindo as cruéis relações estabelecidas por …

por em

O futuro é ancestral

“Se você esquecer, não é proibido voltar atrás e reconstruir” Provérbio africano   A filosofia da ancestralidade está na confluência do pensamento contemporâneo sobre humanidade. No âmbito dos estudos que permeia este debate, as avaliações sobre as humanidades e como os sujeitos são definidos tomam os centros dos diálogos na tentativa de responder e/ou identificar …

por em

A cor do direito vista desde dentro e desde fora

O racismo “moleque”, “travesso” e “descompromissado” faz parte da cultura brasileira — tanto que permite que o termo “nêgo” (corruptela de negro, pessoa negra) seja sinônimo de “zé ninguém”, de alguém sem eira nem beira. Essa mesma ideologia é encontrada no sistema jurídico brasileiro, cujos operadores de direito, como desembargadores, juízes e promotores, costumam ignorar, …

por em

O fator Bolsonaro e seu significado nas eleições municipais

O assunto mais recorrente nos comentários sobre as eleições municipais tem sido o fator Bolsonaro. Ele pode ser pensado de duas maneiras: em primeiro lugar, pela eficácia do presidente em produzir efeitos eleitorais para os candidatos a prefeito que apoia Brasil afora, em segundo, por seu significado como sinalizador de tendências para as eleições de …

por em

Sobre diplomacia, saliva, pólvora e o direito brasileiro

No dia 11 de novembro, ao discursar em evento de lançamento de um programa de turismo no Palácio do Planalto, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que, diante da ameaça de sanções comerciais por país estrangeiro como reação às queimadas na Amazônia, “[a]penas a diplomacia não dá, né, Ernesto? E, quando acaba a saliva, tem que …

por em

No Amapá, para cada pedido de ajuda, dúzias de balas de borracha

Vítima de uma crise instaurada pelo apagão energético que deixou treze dos dezesseis municípios do Amapá sem eletricidade, a população do estado reivindica que providências sejam tomadas pelo poder público. Foram quatro dias na escuridão absoluta – de 3 a 7 de novembro –, até que a energia fosse parcialmente restabelecida, em um sistema de …

por em

Banco Central Autônomo: o “Jurassic Park” econômico

O arcabouço institucional neoliberal e a teoria convencional estão aquém dos desafios da atualidade. A emergência de novas potências econômicas, a crise ambiental, o crescimento da pobreza e a nova onda tecnológica já estão entre nós e reconfiguram o mundo. Uma verdadeira revolução intelectual e institucional se insinua em diversos lugares para lidar com e liderar as mudanças. Já se fala abertamente em temas há pouco proibidos, como o planejamento econômico, as políticas monetárias e fiscais ousadas, a …

por em

As ondas coloridas e seu mar agitado

Vale a pena se deter sobre a maneira como as esquerdas reagiram à vitória de Joe Biden nas eleições americanas. Ao menos dois campos são evidentes. De um lado, o alívio com a derrota de Donald Trump produziu uma onda de simpatia pelo futuro presidente da potência ao Norte. Neste campo, Trump se parece com …

por em

O valor do IPTU e o seu impacto político

Com as eleições municipais chegando ao fim e com o acirramento das disputas eleitorais, muitas promessas são feitas sem medir ou até mesmo conhecer as consequências, de forte cunho populista. Um bom exemplo disso são as propostas de desconto no valor do IPTU. Assim o candidato, com medo da repercussão negativa frente ao eleitor, tende …

por em

O que podemos aprender com os quilombos

Quilombos não são comunidades de escravos fugidos. Insistir no termo “escravo” é permanecer na narrativa de negação de nossa humanidade, de nossa liberdade. Fanon ensina que o processo colonial desumaniza não apenas colonizados, mas também colonizadores. Ensina também que a linguagem desempenha papel fundamental na conformação dessas subjetividades. Logo, para descolonizar, é fundamental abandonar certas …

por em

Podemos falar de um “desgoverno Bolsonaro”?

Quando não gostamos nada de um governo, muitas vezes dizemos que se trata de um “desgoverno”. Quando afirmamos isso, queremos mostrar que o governo tem tomado atitudes diferentes ou opostas àquelas que esperávamos, que irá prejudicar os nossos interesses ou opor-se aos nossos valores. Portanto, se trata de uma oposição ao governo da ocasião. Neste …

por em

O mito do racismo reverso e o “pacto narcísico da branquitude”

Desde que o Magazine Luiza anunciou, no dia 18 de setembro de 2020, a abertura das inscrições para o seu programa de trainee 2021, os veículos de comunicação e as redes sociais foram bombardeados com notícias, artigos de opinião e tomadas de posição sobre a iniciativa. Isto porque o projeto de seleção de trainee, cargo …

por em

Liberdade acima de tudo: a razão sem emoção?

Liberdade, igualdade e fraternidade são as palavras que pareciam ser as protagonistas para a criação da ideia de Estado dos tempos atuais. Como qualquer personagem protagonista de uma trama, sua desenvoltura vai depender das direções, cenários, enredos e apreciação do expectador. Será que seria possível manter três personagens como protagonistas? O que fazer quando uma …

por em

“Acres de terra não votam, eleitores sim,” afirma (e desenha) cientista de dados

No ano passado, o cientista de dados Karim Douieb aceitou um desafio de Lara Trump, ex-apresentadora de TV e nora do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. No Twitter, ela mostrou um mapa majoritariamente vermelho, dividido por condados, para representar os eleitores do partido republicano de Trump sob o título: “Tente dar um impeachment nisso”. …

por em

A nova velha política de drogas em debate

No dia 6 de novembro aconteceu a segunda audiência pública para discutir o Projeto de Lei n. 676/2019, que dispõe sobre a criação de uma Política Estadual de Drogas para o estado do Rio de Janeiro. Coordenada pela deputada estadual Mônica Francisco (PSOL), esse encontro, assim como o primeiro, contou com a participação de outros parlamentares, principalmente …

por em

Doações não, investimentos: Bruno Covas, eleições e construção civil

Na reta final da campanha eleitoral, os interesses representados pelas candidaturas à prefeitura de São Paulo ficam cada vez mais explícitos. Grande parte da campanha de Bruno Covas (PSDB), por exemplo, é financiada por empresários ligados ao setor imobiliário e da construção civil, conforme reportagem da Folha de São Paulo. A quem caberá pagar os …

por em

O país onde as palavras escondem mais do que revelam

Em um dos seus livros mais recentes¹, a filósofa boliviana Silvia Rivera Cusicanqui escreve que sociedades em “situação colonial” têm uma relação estranha com as palavras: ao invés de desvendarem a realidade, são elas que a encobrem. É o “não dito” que sempre tem, paradoxalmente, algo a dizer, porque é nele que se encontram os …

por em

Trump, Biden e Bolsonaro: o que está por vir?

Desde terça-feira, 3 de novembro, as eleições norte-americanas ocupam a cena política global. No sábado, com definição clara da contagem de votos em praticamente todos os estados, Joe Biden, do Partido Democrata, foi declarado vitorioso, sendo o primeiro candidato a derrotar um presidente norte-americano em exercício nos últimos 25 anos. Sua vice, Kamala Harris, será em breve proclamada …

por em

O ecossocialismo como alternativa nas eleições municipais

Não há mais como dourar a pílula: já vivemos a catástrofe ecológica. O conjunto de evidências científicas confiáveis, ou seja, aquelas que passam por todo o rigor e decorrentes de pesquisas não ligadas a iniciativa privada, pagas para corroborar com seus investimentos de potencial destruidor, já nos mostram que o metabolismo deste planeta foi alterado …

por em

Finalmente haverá chegado o tempo das mulheres?

As duas primeiras décadas do século XXI certamente ficarão marcadas na história mundial pela pandemia da Covid-19 e suas consequências ecoarão ainda por muitos anos. Seja nas nossas vidas pessoais com nossas perdas, seja na história da humanidade e nas consequências econômicas e políticas do período. O acontecimento falará também do acirramento das desigualdades sociais, …

por em

Por uma política de drogas pautada na saúde e não na punição

O estado de Oregon, nos Estados Unidos, aprovou a Medida 110, que descriminalizou a posse de pequenas quantidades de substâncias psicoativas. A lei foi aprovada por meio de um plebiscito, em que o “sim” recebeu 58,6% dos votos. Diversas organizações, como a Drug Policy Alliance e a Human Rights Watch, bem como partidos políticos e …

por em

Eleições municipais, agroecologia e normas sanitárias

Se você procura e não encontra mais aquele delicioso queijo, aquela autêntica linguiça, aquela farinha especial, aquela geléia ou doce de fruta com gosto de infância. Se você acha importante valorizar a cultura alimentar, a produção local e quem produz de maneira agroecológica e respeitando a natureza, então há algo que você talvez não saiba. …

por em

A nova corrida do Chaco

Antes do golpe policial-militar-religioso representado por Jeanine Áñez nas eleições bolivianas em 2019, um movimento que o precedeu estabeleceu um precedente muito importante. Onze anos antes desta ruptura institucional em escala nacional, um conjunto de lideranças cívicas se reuniu, buscando opor-se ao governo central de Evo Morales. Em nome do processo de descentralização promovido pelo …

por em

O que Zumbi e outrxs quilombistas têm a nos dizer?

Leitoras e leitores, será que vocês já levantaram o seguinte problema: “Como a população negra brasileira sobrevive a tantas formas estatais de fazer morrer[1]?”. Pois bem, caso não (o que eu infelizmente acredito), hoje eu venho lhes apresentar o problema que tem balizado minhas investigações nos últimos tempos, já que nunca esqueci que a filosofia …

por em

Os impactos da pandemia nos territórios indígenas

“O que está na base da história do nosso país, que continua a ser incapaz de acolher os seus habitantes originais – sempre recorrendo a práticas desumanas para promover mudanças em formas de vida que essas populações conseguiram manter por muito tempo, mesmo sob o ataque feroz das forças coloniais, que até hoje sobrevivem na …

por em

Quando você se tornou heterossexual?

Quais são os processos sociais e históricos que nos levam a acreditar que nascemos destinados à heterossexualidade?  As interpretações da formação dos sujeitos tentam encontrar respostas no âmbito familiar e social mais amplo visando desnaturalizar uma suposta heterossexualidade inscrita nas estruturas biológicas. Podemos refazer a tessitura da história da relação entre sexualidade/heterossexualidade/relações de poder/Estado. A …

por em

As eleições americanas e futuro do mundo

A crise de 2008 intensificou e evidenciou processos que vinham acontecendo desde a década de 1980, perpassando por todos os governos presidenciais estadunidenses, sendo eles democratas ou republicanos: o enfraquecimento de políticas sociais, reformas trabalhistas agressivas em detrimento dos direitos das e dos trabalhadores e a flexibilização de instituições regulatórias do mercado. Os direitos construídos …

por em

Colonialismo e luta anticolonial, de Domenico Losurdo

A força do impacto dos textos de Losurdo sobre mim se deve a dois elementos diferentes mas interligados: a vinculação da luta comunista à questão colonial/racial e a retomada de uma visão realista das experiências de socialismo real quando estávamos todos como que hipnotizados pela verdade absoluta da superioridade moral e política do chamado mundo …

por em

Falta espaço e reconhecimento para as mulheres na ciência

A questão da falta de diversidade de raça, classe e gênero na ciência é um problema sistêmico da maneira como nossa sociedade está organizada. Por um lado, esse problema é reflexo das nossas desigualdades sociais e por outro lado ele contribui para perpetuá-las. Em particular, a falta de referencial de mulheres cientistas não é novidade …

por em

O porquê de não se abster nas eleições municipais

Em 1964 o ativista negro estadunidense Malcolm X cristalizou o discursou “O voto ou a bala”. Em sua fala, de mais de 50 minutos, Malcolm discorreu sobre a urgência da comunidade negra norte-americana votar em líderes que fizessem políticas para a comunidade negra, a partir de suas vivências e demandas. Para ele, as políticas praticadas …

por em

“Devemos construir uma nova Bielorrússia!”

Com mais de 80 dias de protestos, o povo da Bielorrússia está desafiando o regime de Lukashenko, que dura por mais de 25 anos, às custas de suas próprias vidas. As eleições de agosto deste ano, que alegaram resultar em 80% de apoio ao presidente de longa data, são amplamente consideradas fraudulentas, levando a protestos …

por em

O apagão da cobertura do escândalo da Opaq

Em 1954, a Agência Central de Inteligência (CIA), o órgão de arapongagem do governo americano, levou adiante a operação secreta PBSuccess, a campanha de desestabilização do governo de Jacobo Árbenz, que culminaria com a sua derrocada em junho daquele ano. Washington financiou, armou e treinou milícias na Guatemala; liderou uma campanha de demonização da Guatemala …

por em

A explosão social chilena e os debates em torno da Constituição

No dia 15 de outubro de 2019, uma terça-feira, os moradores e os turistas de Santiago se depararam com a estação de metrô Universidad de Chile fechada no meio da tarde. Conectando duas importantes linhas, a 1 e a 3, a interrupção do serviço dessa estação de baldeação não era comum, a não ser em …

por em

A ciência confirma novamente a importância da restauração da Mata Atlântica

Um estudo internacional liderado pelo pesquisador brasileiro Bernardo Strassburg e publicado na renomada revista Nature chamou a atenção novamente para a restauração de ecossistemas. A partir de uma sofisticada modelagem matemática planetária, ele identificou as áreas prioritárias para a restauração que combinam a conservação da biodiversidade, a mitigação de mudanças climáticas e os custos para …

por em

A urgência de um transporte sem catracas

Nos quintais de casas no interior do Brasil, arde um fogo escondido. Não se trata do destruidor fogo dos grandes incêndios do Pantanal, é o fogo de munturo. Depois de varrer as folhas secas no chão batido, os moradores locais acendem pequenas fogueiras para acabar com o entulho. É um fogo que queima por baixo, …

por em

Quando a necropolítica chega à educação

No dia 7 de setembro, o jornalista Paulo Germano registrou em sua coluna no Jornal Zero Hora que o secretário municipal de Educação Adriano Naves de Brito afirmou que a reabertura das escolas municipais não é um decisão dos pais, mas da secretaria. O prefeito de Porto Alegre Nelson Marchezan Jr (PSDB), que tenta a …

por em

Filosofia Africana e Saberes Ancestrais Femininos: útero do mundo

Comparo a mulher à terra porque lá é o centro da vida. Da mulher emana a força mágica da criação. Ela é abrigo no período de gestação. É alimento no princípio de todas as vidas. Ela é prazer, calor, conforto de todos os seres humanos na superfície da terra.  Paulina Chiziane Um dia, quando ainda …

por em

O que as plataformas (não) fizeram para combater a desinformação

O problema da desinformação está no centro do debate político há pelo menos quatro anos, desde que Donald Trump chegou ao poder nos Estados Unidos, valendo-se de uma campanha permeada por fake news e estratégias de segmentação de conteúdos para públicos mapeados a partir do uso ilegal de seus dados pessoais. No Brasil, os impactos …

por em

Por que a riqueza dos bilionários cresce durante a pandemia?

A “Grande Fome” foi o nome dado para um momento nunca esquecido na história pelo povo irlandes. Entre 1845 e 1849 a desnutrição na Irlanda resultou em doenças e emigração em massa – o período foi responsável por reduzir a população total do país entre 20% a 25%. Thomas Malthus, o mais importante economista britânico …

por em

De Jasão à Medéia, passando por Midas, Édipo tornou-se Narciso

                                                         Também eu tenho servido de agulha a muita linha ordinária. Machado de Assis (1839-1909), escritor realista brasileiro – no conto “Um apólogo” A riquíssima mitologia grega é …

por em