Um sistema que mata - Le Monde Diplomatique

DOSSIÊ CONHECIMENTO X MERCADO

Um sistema que mata

por Philippe Rivière
1 de janeiro de 2000
compartilhar
visualização

Se as patentes asseguram um futuro, talvez seja o da pesquisa privada, e com toda certeza é o dos acionistas dos laboratórios — mas não, em hipótese alguma, o dos doentes…Philippe Rivière

As centenas de milhares de doentes de AIDS que morrerão nos próximos anos estão sendo sacrificadas para assegurar a pesquisa farmacêutica do futuro? Uma conclusão tão brutal e inaceitável parece, contudo, uma conseqüência lógica da proteção total das patentes dos medicamentos. A patente serve, explicam-nos, para garantir uma renda ao inventor, a fim de estimular a pesquisa. Ora, uma vez desenvolvido um medicamento, o custo de sua produção industrial é ínfimo. Assim, a Índia, onde as patentes dos produtos farmacêuticos não são reconhecidas, dispõe de medicamentos entre 8 a 14 vezes mais baratos que o vizinho Paquistão. [1] “Para os antivirais — adverte um médico de um hospital parisiense que trata de vários aidéticos africanos — a relação seria muito provavelmente de 1 para 20”.

Barreira ao tratamento

“A indústria farmacêutica nega a evidência, mas sua política de preços mata”, denuncia a Act-Up Paris, numa crítica ao programa “Assegurar o futuro”, implementado pelo laboratório Bristol-Myers Squibb. Ainda segundo a associação de luta contra a AIDS: “Os poucos programas de acesso aos antirretrovirais lançados nos países do sul (Brasil, Costa do Marfim, Senegal, Uganda, etc.) provam que o preço do medicamento é, hoje, o maior obstáculo à ampliação do acesso aos tratamentos”. [2]
Se as patentes asseguram um futuro, talvez seja o da pesquisa privada, com toda certeza é o dos acionistas dos laboratórios – mas não, em hipótese alguma, o dos doentes…

Traduzido por Rúbia Prates Goldoni.

Leia também:
Rumo ao apartheid sanitário?
A quem pertence o conhecimento?
Palavras proibidas
Vocabulário



Artigos Relacionados

ORÇAMENTO SECRETO

A melhor forma de combate à corrupção não é o discurso

Online | Brasil
por Luís Frederico Balsalobre Pinto
DEMOCRACIA MILITANTE

A democracia do erro: Loewenstein e o Brasil de 2022

Online | Brasil
por Gabriel Mattos da Silva
COPA: FUTEBOL E POLÍTICA

Qual é a função dos bandeirinhas após o surgimento do VAR?

por Helcio Herbert Neto
EDUCAÇÃO

Um ensaio timidamente indecente sobre pânico civilizacional e educação

Online | Brasil
por Fernando de Sá Moreira
ECONOMIA E SAÚDE

O SUS e o relatório do TCU

Online | Brasil
por Vários autores
QUE A CLOROQUINA NÃO SE REPITA

Como conter a pulsão de morte bolsonarista

Online | Brasil
por João Lorandi Demarchi
RESPEITEM OS LOUCOS

A patologização do fascismo

Online | Brasil
por Roger Flores Ceccon
NOVO MINISTÉRIO, A CONCRETIZAÇÃO DE UM VERDADEIRO MARCO

Os povos indígenas e seu protagonismo na transição de governo

Online | Brasil
por Aline Ngrenhtabare Kaxiriana Lopes Kayapó, Edson Kayapó e Flávio de Leão Bastos Pereira