Bianca Pyl, Autor em Le Monde Diplomatique - Página 4 de 6

Em defesa da vida, da saúde e dos direitos sociais em São Paulo

Estamos juntas/os, militantes de diferentes coletivos, pastorais sociais, fóruns, movimentos sociais, frentes e sindicatos enfrentando a pandemia do coronavírus que assola o país e, em especial, o estado de São Paulo. Reconhecemos os esforços das autoridades públicas municipais e estadual em São Paulo, que reagiram à pandemia instaurando o distanciamento social e reorganizaram-se para desenvolvimento …

por em

Quando a desigualdade passa a comandar a economia

“O governo deveria emitir mais moeda para enfrentar a crise econômica? Sim ou não?” A pergunta colocada pela página de debates da Folha de S.Paulo em 10 de maio oferece importantes pontos e contrapontos sobre os diferentes posicionamentos. Não estranhe, porém, ficar apenas mais confuso na tentativa de formar uma opinião após a leitura. Isso …

por em

Os militares e a destruição nacional

A combinação da tragédia humanitária da Covid-19 com a escalada autoritária do presidente Bolsonaro, no seu intento de alcançar o poder absoluto, coloca na ordem do dia o debate sobre o papel dos militares e aponta para a necessidade de a sociedade civil organizada enfrentar publicamente o debate acerca do papel constitucional das forças armadas, …

por em

Quem ganha com a crise?

A ideia de que a pandemia do novo coronavírus levará a ganhos geopolíticos para a China vem tornando-se parte de um senso comum no Brasil. Esse argumento foi expressado de forma irresponsável, difamatória e xenófoba pelo ministro da Educação brasileiro, por exemplo. Contudo, a suposição de ganhos geopolíticos para a China é uma afirmação peremptória, …

por em

Žižek e o cinismo do Messias

Slavoj Žižek foi considerado pela revista neoconservadora americana New Republic o “filósofo mais perigoso do ocidente” – o que deve ter significado um elogio, apesar das interpretações ao pé da letra de fragmentos de seus livros pelo editor sênior do jornal, Adam Kirsch, no afã de construir o perigo eminente. Além disso, o jornal britânico …

por em

A dívida pública: de vilã a aliada do Estado

O debate sobre a dívida pública há tempos tem sido alvo de discussões acaloradas. Consagrado no popular “gráfico pizza” da autoria cidadã da dívida, o questionamento em torno do uso da emissão de título como parte considerável do financiamento do Estado tomou espaço nas discussões sobre política econômica.  Nosso objetivo aqui é, aproveitando o ensejo …

por em

Os mitos da Brasil Paralelo

Nos anos 1950, tornou-se famosa a análise semiológica de uma capa de Paris-Match por Roland Barthes. A edição em questão mostra um soldado negro, vestindo uniforme francês, saudando a bandeira tricolor. A conclusão do semiólogo aponta ali a existência de um discurso mítico: o colonialismo francês está presente na cor da pele do militar, mas …

por em

O riso do inferno

Alegria maligna! Poucas palavras expressariam os deboches, as gargalhadas e as agendas de lazer não canceladas do Chefe de Estado brasileiro ante os milhares de mortos pela Covid-19. Um dos últimos exemplos foi seu passeio de jet ski no dia em que o número de vítimas fatais passou de 10 mil. É certo que palavras …

por em

Duzentos anos de discussão: história da saúde pública, pobreza e covid-19

Dia desses, Jair Bolsonaro relacionou as mortes por covid-19 à renda. Mal sabe ele que esse é um debate secular na história da saúde pública mundial. Nesse debate quem defendeu a relação entre mortalidade e pobreza foram os progressistas atentos às desigualdades sociais. E esses progressistas foram um a um abafados por práticas conservadoras de …

por em

Os resultados cambiais do BC devem ser usados no combate à crise

O Brasil é o atual epicentro da pandemia da Covid-19. O isolamento social é inevitável para mitigar o contágio e os óbitos, sobretudo com a grande possibilidade de colapso no sistema de saúde. Enquanto não se controlar o avanço da pandemia, não há como propor a volta à normalidade econômica. Há grande apreensão e incerteza …

por em

A mídia alternativa ecoou as vozes não hegemônicas

O ano de 2019 foi marcado pela continuidade da turbulência social que vem sacudindo o Brasil, com as mídias exercendo um papel decisivo na agenda política do país. Mas, além dos tradicionais oligopólios que controlam a imprensa, muitos outros grupos realizaram a disputa pelas narrativas sociais. Antigos e novos meios trouxeram ao debate público uma …

por em

O contínuo prisão – periferia na pandemia

Uma pandemia provocada por vírus que ataca diretamente nossas vias respiratórias exige o máximo cuidado com questões sanitárias, como distanciamento social e higienização de superfícies, produtos sintéticos, alimentos, corpos e tudo que possa eventualmente ter contato com o novo coronavírus. Propagandas públicas e da iniciativa privada buscam constantemente divulgar e recomendar a adesão de novas …

por em

Homo Notitia: indivíduos como vetores de dados para consumo

O título para esse artigo é uma provocação para chamar a atenção de algo que trouxe uma ruptura em nossa sociedade de consumo, o uso de dados e informações para compreender comportamentos e compras. Notitia está em latim e expressa a ideia de informações ou dados, aquilo que é possível de ser transmitido através de …

por em

Nem tudo está perdido

Para o geógrafo David Harvey, há uma taxa quase mística de crescimento para uma economia de mercado. Segundo ele, informalmente estipulada desde os primórdios do capitalismo, seria de 3%. Se mantida anualmente, por muito tempo, levaria o capitalismo a encontrar saídas para os períodos de baixa do rendimento acumulado das taxas de retorno do capital …

por em

Covid-19 é mais que pneumonia; é uma endotelite

Uma equipe interdisciplinar do Hospital Universitário de Zurique (HUZ), na Suíça, descobriu que mais do que uma doença respiratória, a Covid-19 pode ser caracterizada como uma endotelite, uma doença do endotélio. Os pesquisadores publicaram em abril um estudo na revista médica Lancet demonstrando que o novo coronavírus SARS-CoV-2 atinge diretamente o sistema de defesa do …

por em

Ernesto Araújo e o nazismo no Brasil

Em Bertioga, cidade litorânea de São Paulo, foi encontrado em 1979 o corpo do austríaco Wolfgang Gerhard, com sinais de afogamento. Mas somente em 1985 é que se descobriu que não se tratava de um imigrante austríaco. Sua verdadeira identidade era Josef Mengele, também conhecido como “O Anjo da Morte”1. Mengele foi capitão da SS …

por em

Da fogueira ao microscópio: as mulheres na ciência

Faltam mãos, dedos e memória para contar quantas mulheres se destacariam no mundo do conhecimento e, mais recentemente, no mundo científico. Seria isso maior ainda, e pontuado de forma justa, se não tivessem sido apagadas e negadas dentro de suas descobertas pelo privilegiamento histórico do sexo masculino, estabelecido como o grande referencial. Muitas mulheres, ao …

por em

Natureza humana ou condição humana: uma questão pré e pós-pandemia

Se o neoliberalismo tem marcado tanto nossas sociedades nas últimas décadas é porque ele está longe de se reduzir a sua dimensão econômica e se constituiu num verdadeiro projeto antropológico. Formulado por autores como F.Hayek e M.Friedman, sob inspiração de L.Mises, tal doutrina nasce em reação à emergência de novos movimentos sociais no último terço …

por em

Ministério “terrivelmente evangélico” e polícia “dos amigos”

Mas sei, que uma dor assim pungente Não há de ser inutilmente, a esperança O Bêbado e a Equilibrista – Aldir Blanc / João Bosco Moro caiu e Bolsonaro trouxe dois quadros do que poderíamos situar como alinhados ao bolsonarismo de núcleo-duro (a facção impregnada por uma ideologia que combina os imaginários militaristas e milicianos): …

por em

Renda básica é conquista da sociedade civil organizada

Direitos para a maioria da população não são concedidos gratuitamente. Não são benesses do poder, dos ocupantes de cargos na estrutura do Estado. Toda conquista de direitos tem por trás a mobilização da sociedade civil organizada, ainda que isso seja pouco visível aos olhos do conjunto da população brasileira. A pandemia da Covid-19 é mais …

por em

A Nakba continuada na Palestina e o enfrentamento da pandemia

Em uma crise política, os mitos do senso comum emergem. A imagem de Jair Bolsonaro – também conhecido como “Bolsomito” – segurando a bandeira israelense em uma manifestação no Palácio do Planalto, no dia 3 de maio de 2020, gerou uma tentativa de construção de um novo mito: o da bandeira sequestrada. Ou seja, o …

por em

Uma escalada militar, em meio à crise pandêmica

Eu gostaria de enfatizar que qualquer ataque de um submarino americano de mísseis balísticos, independentemente de suas características, será percebido como um ataque com armas nucleares. E, de acordo com nossa doutrina militar, uma ação desse tipo seria considerada motivo para uso retaliatório de armas nucleares pela Rússia. Maria Zakharova, porta-voz do Ministério dos Negócios …

por em

Pescadores e os rumos do desenvolvimento no Brasil

Antes mesmo de se recuperarem dos impactos causados pelas manchas de óleo que atingiram a costa brasileira em 2019, os pescadores artesanais precisam lidar com um nova crise econômica, ambiental, sanitária e social com a pandemia de Covid-19. Em geral localizadas em áreas com grande atividade turística, suas comunidades assistiram à chegada de pessoas, potencialmente …

por em

Quando a economia se torna o berro agonizante dos eugenistas

Em seu livro “Corpos em Aliança e a Política das Ruas” de 2015, a filósofa estadunidense Judith Butler afirma que as discussões acerca da expressão “nós, o povo” deveriam compreender a complexidade cultural e ideológica do tecido social que compõe uma nação.  Na publicação ela faz apontamentos em relação à questão da precariedade populacional – …

por em

O que os números revelam sobre mães e gestantes encarceradas

Ao longo de quase 20 anos, o Instituto Terra, Trabalho e Cidadania tem se dedicado ao monitoramento da condição das mulheres privadas de liberdade, as quais são em sua maioria mães ou gestantes. Assegurado pelo direito fundamental ao acesso à informação, o instituto enviou a todos os estados do país e ao Depen pedidos de …

por em

Pode a China inspirar o direito brasileiro no combate a Covid-19?

Em tempos de instabilidade política, sanitária e econômica em razão da Covid-19, o direito deve se apresentar para oferecer soluções pacíficas e justas aos conflitos e dilemas políticos, sociais e econômicos que dilaceram o Brasil: o aumento abrupto das já altas taxas de violência doméstica, desemprego e miséria escancararam a necessidade de políticas públicas inovadoras. …

por em

A Covid-19 e a desinformação que mata

O papel da disseminação das chamadas fake news durante as eleições foi algo fartamente documentado e verificado, tendo ocorrido principalmente por meio do uso de aplicativos como o WhatsApp. É a chamada desinformação que tem mobilizado vários países e governos diante da compreensão dos prejuízos que a circulação de mentiras tem causado aos países e …

por em

A servidão voluntária e a sociedade conservadora

Desde meados desta década, a configuração política planetária vem se alterando sensivelmente. Se antes, o que se via eram quadros razoavelmente progressistas, em especial na América Latina, o que se nota hoje é o surgimento de líderes reacionários e o conservadorismo dirigindo nações, promovendo enorme retrocesso em questão não apenas social, mas econômica. Exemplos não …

por em

A autonomia indígena em defesa da Amazônia (Parte II)

Parte II: Ao centro, pro fundo Estou no centro do Território Maró, na chamada “Casa de Apoio”, realizando uma ação de vigilância territorial junto aos indígenas Borari e Arapium. O grupo está visivelmente apreensivo com o sumiço de Ademir, um experiente caçador Borari que se perdera na mata fechada durante a atividade de monitoramento, no …

por em

A autonomia indígena em defesa da Amazônia (Parte I)

 Parte I: Na beira, à margem  São 5h00 da manhã e os japiins iniciam a cantoria nas pequiaranas que margeiam as águas escuras do rio Maró, quase na divisa do Pará com o Amazonas. Estou na Terra Indígena (TI) Maró, há 14 horas de barco da cidade de Santarém, em um território de 42 …

por em

Guilhotina #68 – Boaventura de Sousa Santos

Bianca Pyl e Luís Brasilino conversam sobre a pandemia de Covid-19 com o pensador português Boaventura de Sousa Santos. Professor titular aposentado da Faculdade de Economia e diretor emérito do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra e Distinguished Legal Scholar da Faculdade de Direito da Universidade de Wisconsin-Madison, ele é autor de diversos …

por em

A Covid-19 e alguns retratos da internacionalização do ensino superior

Discentes estão em casa, professores estão em casa e as aulas agora são ministradas por videoconferência – ou foram canceladas. A pandemia de Covid-19 impôs novas realidades e limites ao contato social tradicional do ensino superior, no Brasil e no mundo. Além das classes terem sido afetadas, diversos serviços e organismos que têm sua vida …

por em

Territórios coletivos e ancestralidade: a luta das mulheres quilombolas

“Terra pra plantar, café pra colher, o negro trabalha pra sobreviver”.  Grupo Realidade Negra – Quilombo Campinho no Rio de Janeiro   Nós, povo negro quilombola, lutamos há séculos contra o racismo que dificulta e, muitas vezes, impede o pleno desenvolvimento de nossos quilombos. Por muitos anos nossa luta não contou com apoio do Estado brasileiro, pois …

por em

Aumento das denúncias pode significar maior confiança na Justiça

Levantamentos indicam que na cidade de São Paulo os casos de feminicídios dobraram durante a quarentena. Houve também um aumento significativo de pedidos de medidas protetivas de urgência, prisões em flagrante por violência contra a mulher, denúncias por meio do canal “Ligue 180” e chamadas ao serviço de emergência 190 da Polícia Militar do Estado …

por em

A falta de empatia do presidente

De acordo com Antônio Geraldo da Cunha, em seu tradicional Dicionário Etimológico da Língua Portuguesa, a palavra empatia significa “tendência para sentir o que se sentiria caso se estivesse na situação e circunstâncias experimentadas por outra pessoa”. Palavra que pode ter surgido na língua portuguesa por meio de uma derivação de empathy do inglês, a …

por em

Covid-19 e a política urbana: a densidade não é a vilã

Um único lar de idosos no Brooklyn (Cobble Hill Health Center), em Nova Iorque, registrou aproximadamente três vezes mais mortes por Covid-19 que a cidade de São Francisco, cinco vezes mais que Cingapura e nove vezes mais que toda Taiwan. A dramática situação vivida no estado levou o governador Andrew Cuomo a sentenciar a densidade …

por em

O sistema prisional e a Covid-19

Em 19 de março, foi declarada a primeira morte por Covid-19 no estado do Rio de Janeiro. Desde então, informações oficiais revelam que houve, aproximadamente, uma morte por dia no sistema prisional do estado, mas apenas quatro óbitos teriam sido causados pela doença. Entretanto, como não houve necropsia ou testes, não há como afirmar, e …

por em

A estética dos programas policialescos chega ao noticiário tradicional

O fenômeno dos programas denominados policialescos têm se espalhado por todo o Brasil. É raro atualmente encontrar uma emissora de TV que não tenha em sua programação esse tipo de produto. Cadáveres expostos e exibição de assassinatos e de imagens de pessoas suspeitas, detidas em delegacias sob a tutela do Estado, passaram a dar o …

por em

Os poros abertos da América Latina

Quando Eduardo Galeano escreveu sua obra “As veias abertas da América Latina”, na década de 1970, fez uma crítica ao colonialismo e contestou uma visão eurocêntrica da história. No prefácio ele diz: “O passado é mudo? Ou continuamos sendo surdos?”. Diante da crise que assola a humanidade é trágico que milhares de pessoas estejam morrendo …

por em

As ruínas do palácio de Bolsonaro

As relações de Bolsonaro com o Congresso nunca foram amistosas, porém, nas últimas semanas, o caos se instaurou no Planalto. Os motivos? Falta de articulação política, apoio a manifestações antidemocráticas, ataques a governadores, a grande mídia, ao Congresso e ao Supremo Tribunal Federal, incapacidade do presidente em lidar com a crise do novo coronavírus e, …

por em

O uso do pensamento neoliberal como fortalecimento da elite

Foi na Bahia, em 1808, enquanto negros ainda eram escravizados no país, que a primeira instituição de ensino superior abria suas portas para a elite brasileira. A Escola de Cirurgia da Bahia é instituída em 18 de fevereiro e em novembro do mesmo ano, o Rio de Janeiro abriria sua Faculdade de Medicina. Antes, os …

por em

Covid-19, economia política e a esperança à la brasileira

As perdas humanas, sociais e econômicas provocadas pela pandemia da Covid-19 desnudaram o atual sistema econômico, evidenciando mais uma vez sua incapacidade em lidar com situações de crise. As incertezas causadas pela Covid-19 empurram, cada vez mais, o mundo de forma contundente ao que de pior o atual sistema produtivo oferece. Tal cenário fomenta forças …

por em

A punição penal na sociedade sem contato

A pandemia de coronavírus generaliza uma nova forma de sociabilidade que, a cada dia mais, parece ser a única forma de autopreservação possível neste tempo histórico: a sociedade sem contato. O encontro com o mundo exterior e o toque do outro foram apropriados pelo sanitarismo, de modo que todo contato passou a ser mediado por …

por em

Discurso fake de combate à fome versus práticas necessárias

Dentre as coisas que assumiram certa centralidade em tempos de Covid-19, o debate sobre a necessidade de romper a quarentena ganha certo destaque. Entre as alegações feitas por figuras públicas para a quebra do isolamento, ecoa a necessidade das famílias em garantir meios para seu sustento, para que as economias das famílias não sejam prejudicadas …

por em

Trabalho docente e ensino a distância nas escolas privadas

“A delinquência acadêmica caracteriza-se pela existência de estruturas de ensino em que os meios (técnicas) se tornam fins, e os fins formativos são esquecidos(…).” Maurício Tragtenberg Covid-19 e escolas privadas A necessidade de distanciamento social imposta pela pandemia de coronavírus se impôs também na educação. Desde o dia 23 de março, as aulas foram interrompidas …

por em

Siga o líder?

A última pesquisa de opinião do Datafolha saiu e surpreendeu críticos do governo Bolsonaro. Nela, o apoio ao presidente resiste às falas e ao comportamento irresponsável do chefe do Executivo federal brasileiro. Muito acontecimento grave já ocorreu desde que Bolsonaro foi eleito. Dois ministros com grande popularidade, o da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e da …

por em

Cuba e as possibilidade de enfrentamento aos efeitos da pandemia

Acompanhamos os efeitos da pandemia do novo coronavírus no Brasil, em todas as dimensões, mas também devemos nos voltar para acompanhar a situação em outros países, sobretudo, os países latino-americanos. Esse acompanhamento é ainda mais necessário se encararmos que se acirraram as desigualdades, as competições, incluindo-se a ‘guerra das máscaras’. Até o dia 14 de …

por em

Por que não querer que os incrédulos se contaminem?

Somente a experiência determina a percepção? Todas as respostas possíveis a essa pergunta não podem ser determinantes.  Ao dizer categoricamente que não, se deslegitima, por consequência inevitável, os importantes relatos individuais sobre ser migrante, mulher, LGBT ou negro em diferentes lugares e contextos do mundo. Neles, é a experiência de ser que organiza boa parte …

por em

Coronavírus é de Esquerda ou de Direita?

Duas obras clássicas vieram de prontidão à cabeça para realizar a reflexão proposta pelo título deste artigo. Foram elas: o filme “Dr. Fantástico” (ou no original em inglês: Dr. Strangelove or: How I Learned to Stop Worrying and Love the Bomb”), de Stanley Kubrik, e o livro “Direita e Esquerda”, de Noberto Bobbio. Em linhas …

por em

Um cenário que atualiza uma política estatal de extermínio dos indígenas

Não é a primeira vez que coletivos de povos indígenas, no Brasil, encontram-se em risco de morte devido a doenças não indígenas e, sobretudo, por causa dos não indígenas, como agora, com o novo coronavírus (Covid-19). Essa não é uma constatação fácil de fazer, pelo contrário, é dolorosa e reafirma uma ideia discutida por Pierre …

por em

A morte está dada

Não há trânsito na Marginal do Tietê, uma das vias responsáveis por altos índices de congestionamentos em São Paulo. São 9h30 de uma manhã ensolarada. A rua está vazia. Desde que a pandemia foi decretada eu não pude aderir à quarentena. Já diria um professor de faculdade: não há volta quando se escolhe ser jornalista. …

por em

O repúdio à realidade

O grande delírio racionalista não faz outra coisa senão surrar o real para que este obedeça. Edgar Morin A lenda da Esfinge que afligia a cidade de Tebas ao apresentar um enigma e devorar aqueles que não respondessem corretamente, manifesta-se claramente no momento atual. Somos devorados pela ausência de honestidade no mundo político e entramos …

por em

A derrocada de Bolsonaro

A crise na política brasileira desde o término das eleições de 2014 e que, posteriormente, culminou com o impeachment de Dilma Rousseff demonstram a crescente instabilidade do país nas relações institucionais. Com pouco mais de 30 anos após a promulgação da Constituição Federal de 1988, pela terceira vez, a nação brasileira pode vivenciar o terceiro …

por em

Quem foi Sergio Vieira de Mello?

Diante do lançamento de “Sergio”, longa protagonizado pelo ator Wagner Moura, na Netflix, me perguntei por que poucos brasileiros sabem quem foi Vieira de Mello? Presença de extrema importância , o diplomata e Alto Comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos, por mais de três décadas, construiu uma extensa credibilidade, trabalhando em todos os …

por em

O lucro com a destruição dos rios

A Bacia do Alto Tapajós é uma das mais pressionadas pela construção de barragens na Amazônia. Seus principais rios são o Teles Pires e o Juruena divisores dos limites dos estados de Mato Grosso e Pará e formadores do Tapajós. A região é ocupada há milênios por povos como os Apiaká, Munduruku, Kayabi, Panará, Rikbaktsa, …

por em

A resistência feminista frente às mudanças climáticas

Quando falamos de mudanças climáticas estamos nos referindo ao processo de agravamento do efeito estufa pela emissão de gases resultantes de atividades desenvolvidas pelo homem. O efeito estufa, em si, é um fenômeno natural de retenção de calor do planeta, sem o qual a vida na Terra não seria possível. Entretanto, o acúmulo dos Gases …

por em

Miscelânica

HERDEIROS DA FACÚNDIA Raphael Silva Fagundes, Multifoco O livro é tributário da tese de doutoramento homônima, defendida por Raphael Silva Fagundes na Universidade do Estado do Rio de Janeiro em 2018. O autor utiliza a retórica como chave de leitura para compreender os discursos políticos de figuras importantes do mundo luso-brasileiro. Nesse sentido, os Sermões, …

por em

Tomar o mundo sem mudar o poder

Em dez anos, o montante gasto em ajuda humanitária em todo o mundo aumentou cinco vezes, atingindo US$ 28,9 bilhões em 2019.1 Esse crescimento financeiro é acompanhado de uma proliferação de estruturas, desde a associação local criada por alguns voluntários até a ONG internacional, passando por agências e programas das Nações Unidas e pelo Movimento …

por em

Milícias espalham-se por Burkina Faso

Na penumbra de seu escritório de janelas fechadas para manter o frescor, Ali Konaté aproveita um momento de descanso depois do almoço. Deitado no sofá, ele procura as palavras, parecendo hesitar entre o abatimento e o desespero. Há algum tempo, os dias estão mais longos e as noites se tornam agitadas para esse homem que …

por em

Na Irlanda, o nacionalismo insuflado pela crise social

Após a crise de 2008, os dirigentes europeus optaram pela austeridade, a pedido – às vezes de forma autoritária – da Comissão Europeia e do FMI. Essa escolha não tardou a provocar uma onda de protestos populares, seguida da emergência de personalidades e de formações opostas à ortodoxia orçamentária – do Podemos na Espanha ao …

por em

Controvérsia sobre o populismo de esquerda

Em sua recente obra, Le siècle du populisme,1 Pierre Rosanvallon se surpreende com o fato de que, ao contrário de outras ideologias da modernidade, como o liberalismo, o comunismo e o anarquismo, o populismo não está associado a nenhuma obra de envergadura. No entanto, segundo ele, trata-se de uma proposição política dotada de uma coerência …

por em

OEA, o ministério das colônias norte-americanas

Criada em 1948 no centro do confronto entre os Estados Unidos e a União Soviética, a Organização dos Estados Americanos (OEA) constitui um dos instrumentos da projeção geopolítica de Washington na América Latina e no Caribe, cujos países ingressaram na organização, um após o outro, à medida que conquistavam sua independência entre as décadas de …

por em

Na Flórida, ricos não poderão mais viver com o pezinho na água

Nas lojas de souvenirs de Miami Beach, canecas ilustradas com um mapa-múndi se destacam nas prateleiras: se você colocar água quente dentro delas, a Flórida desaparece do mapa. Aqui a era do negacionismo ficou para trás. Os ônibus que atravessam Miami ajudam a espalhar a mensagem: “A mudança climática é real”. O assunto é amplamente …

por em

Suécia evita estado de emergência

“Saia e aproveite seus parques públicos.” O cartaz municipal que anuncia a primavera nas ruas de Estocolmo poderia passar por uma provocação em relação aos 4 bilhões de pessoas confinadas em outras partes do mundo. É certo que, no fim de março, a estação de metrô Abrahamsberg estava deserta na hora do rush. O uso …

por em

Causa mortis determinada: a prisão

Não se deve mais deixar as prisões em paz, em parte alguma (Michel Foucault, em “Ditos & Escritos IV”)   9 de abril de 2015, unidade Paulo Roberto Rocha, complexo de Gericinó (RJ) A Casa de Custódia Paulo Roberto Rocha foi construída para acautelar 750 detentos, porém na data da vistoria a lotação era de …

por em

Da crise de saúde à panaceia de segurança

Na Austrália Ocidental, o governador agora tem autoridade para impor tornozeleiras eletrônicas a pessoas potencialmente infectadas com o coronavírus e colocadas em isolamento. Na China, a temperatura corporal dos entregadores de refeições prontas aparece ao mesmo tempo que sua localização geográfica no smartphone dos destinatários, os quais são igualmente rastreados para avaliar seu risco de …

por em

E o governo decidiu confinar também as liberdades…

“Quero ser absolutamente claro: os arranjos que foram feitos são temporários”, disse a ministra da Justiça francesa, Nicole Belloubet. Ela acrescentou ainda que a lei de 23 de março para lidar com a epidemia de Covid-19 “não autoriza a promulgação de regras e decisões duradouras além do que a emergência justifica”.1 O texto cria, por …

por em

O arsenal bolsonarista: conflito e caos como métodos da ação política

Um dos poucos consensos na interpretação do período político atual é a avaliação de que o governo Bolsonaro corresponde a um momento particular na história brasileira. Tanto em leituras de acadêmicos como na dos atores políticos, da esquerda à extrema direita, a constatação dessa singularidade está presente. Por conta desse ineditismo de escolhas e práticas …

por em

Uma via expressa para a renda básica universal?

Em setembro de 2018, António Guterres proferiu seu primeiro discurso como secretário-geral da ONU para a Assembleia das Nações. Ao falar das mudanças no mundo do trabalho no século XXI, afirmou que será importante que os governos ao redor do mundo fortaleçam sua rede de proteção social, levando em conta a possibilidade de adotarem para …

por em

Aos trancos e barrancos, o Brasil diante da crise

Um dos elementos mais significativos desta crise é a imprevisibilidade. Simplesmente não sabemos qual é a profundidade do poço. Até agora o vírus está se espraiando a partir do andar de cima da sociedade, de pessoas que têm como se isolar e se proteger, e está se alastrando de maneira ainda contida. Mas, ainda que …

por em

Oportunidade de acabar com o livre-comércio

A pandemia da Covid-19 poderia acabar com a era do livre-comércio frenético, esse regime econômico feito sob medida para o setor privado que há anos acarreta custos consideráveis para as populações e o planeta. Interesses poderosos se oporão a isso: eles vão implorar pelo surgimento do “capitalismo de crise” para garantir que tudo, amanhã, seja …

por em

Quem vai pagar?

A crise que está ocorrendo não é de saúde, mas de natureza econômica. O bater de asas de borboleta que sem dúvida ocorreu no mercado de Wuhan caminhou seguindo as linhas de fragilidade do capitalismo globalizado e liberalizado, que reimplantou há quarenta anos suas “cadeias de valor” de acordo com os eldorados de fachada que …

por em

Covid-19, menu degustação da crise climática

Em março de 2020, a crise da saúde relegou as notícias sobre o clima para longe das manchetes. No entanto, este mês será marcado como o décimo consecutivo com uma temperatura média acima do normal na França. “Uma série de dez meses ‘quentes’ consecutivos em escala nacional é sem precedentes”, observa a Météo France, cujos …

por em

A hora do planejamento ecológico

Desvelar o funcionamento do capitalismo foi um dos maiores méritos de Martin Luther King: é socialismo para os ricos e livre iniciativa para os pobres. Essa lógica pode ser verificada em tempos normais: nas últimas décadas, por exemplo, os Estados nacionais construíram um mercado de dívida pública, oferecendo deliberadamente a operadores privados o controle sobre …

por em

As milícias digitais do capitão

Não se atreva a discordar ou fazer críticas ao presidente. Você entra na mira das milícias digitais do capitão. Nem mesmo ministros do seu próprio governo escapam dessa perseguição destruidora de reputações. São ataques anônimos que veiculam mentiras, falseiam a realidade e seguem um método: primeiro sua credibilidade é atacada, depois eles te intimidam; com …

por em

Todos crianças

Mais uma vez o mundo deles cai por terra. E não fomos nós que o quebramos. Evocamos neste momento o programa econômico e social do Conselho Nacional da Resistência, a conquista dos direitos sindicais e as grandes obras do New Deal. Mas muitos maquisards [membros da Resistência francesa na Segunda Guerra Mundial] tinham conservado suas …

por em

Sergipe segue modelo Bolsonaro de combate ao coronavírus

Com cores mais ou menos berrantes, a ideologia anti-científica e negacionista não parece estar circunscrita a um espectro político. Nos últimos 12 dias, o estado de Sergipe viu os casos de covid-19 explodirem em número de óbitos e de infecção. Porém na contra-mão das estatísticas e das recomendações da Organização Mundial de Saúde, governador do …

por em

Mineração no rastro das hidrelétricas do Alto Tapajós

O primeiro projeto de médio porte para a geração de energia nas águas da bacia do Alto Tapajós, na Amazônia, foi a Usina Hidrelétrica (UHE) Dardanelos, em Aripuanã, Mato Grosso. Erguida em 2008, em meio ao Salto das Andorinhas, a 976 quilômetros da capital, a hidrelétrica tem capacidade para menos de 100 Mw/h, mas mesmo …

por em

Tecnologias de vigilância e os desafios à Lei de Proteção de Dados

Nos anos 1920, o russo Ievguêni Zamiátin escreveu um romance distópico, em que o governo totalitário Estado Único havia privado a população de direitos fundamentais como a individualidade, a liberdade de expressão e a própria vida. O mundo de Nós, título da obra, era completamente mecanizado – hoje poderíamos dizer “algoritmizado”. Nele, é normal a …

por em

Festival Varilux Em Casa oferece 50 filmes de graça

Há dez anos, o Festival Varilux de Cinema Francês acontece no mês de junho, sempre levando o melhor da cinematografia francesa recente para os cinemas de todo o Brasil. Porém, em tempos em que a recomendação é ficar em casa diante do avanço da pandemia de COVID-19 no Brasil, a edição 2020 precisou ser adiada …

por em

Difusão espacial do coronavírus: diálogo multidisciplinar

O coronavírus não é a primeira epidemia que o mundo assistiu. Já passamos por peste bubônica com a morte de mais de 200 milhões de pessoas, varíola, gripe espanhola, cólera, ebola entre tantas outras enfermidades, mas sem sombra de dúvidas que é a primeira a parar efetivamente a economia e a sociedade no século XXI. …

por em

O uso espúrio do conceito de determinantes sociais da saúde

Nelson Teich, no seu discurso de posse como ministro da Saúde, utilizou uma expressão que pode ter passado despercebida para muitos, em relação ao seu significado mais amplo, mas não para quem trabalha no campo da Saúde Coletiva. Em torno de 1min56 da gravação de seu discurso ele cita en passant o conceito de determinantes …

por em

Não somos deste mundo

“Existe uma Economia da Necessidade e uma Economia do Desejo” Eduardo Moreira, economista brasileiro Não quero escrever sobre política, diretamente, por mais importante que ela seja, e é. Quero escrever sobre vida – não obstante, como verão, ambas estão interligadas, só que muitos ainda insistem em não ver esse fato óbvio e em ficar irritados …

por em

Em 2019, a educação perdeu R$ 32,6 bi para o Teto de Gastos

Já faz quatro anos que a Emenda Constitucional 95, de 2016, foi aprovada. Nesse tempo, seus efeitos foram muito graves para as áreas sociais, especialmente as de saúde, educação, habitação, segurança alimentar e assistência social. Para a educação, área foco deste artigo, desde o começo das políticas de austeridade – em 2015, mas agravando-se a …

por em

Aparências, nada mais

No day after do rompimento entre o ex-juiz e ministro da Justiça Sérgio Moro e o presidente da República Jair Bolsonaro dois, tipos de consequências se apresentam na mesa: uma relativa à base eleitoral e outra às engrenagens institucionais. As perguntas a serem feitas são: qual o tamanho da base lavajatista no apoio ao governo …

por em

Do sofrimento em se isolar ao agir coletivo na solitude

Em dezembro de 2019, em Wuhan, na China, surgiu um surto epidêmico de grave pneumonia, causado pela nova mutação na estirpe do coronavírus, chamado agora de Sars-CoV-2. Isso nos revela também que essa pandemia viral é uma segunda versão da Sars, que acometeu o mundo em 2003. Até às 10 horas do dia 13 de …

por em

O eclipse da cidade e os “sem direitos”

Estamos vivendo o impensável: em muitos lugares da metrópole de São Paulo o som, vindo de fora das janelas, está muito próximo do silêncio. Hoje a realidade parece conspirar com aquilo que define a cidade como o espaço apropriável que sustenta a vida, isto é, um espaço palpável, real e concreto. O que é exterior …

por em

O teatro bolsonarista

Um dos maiores críticos de William Shakespeare (1564-1616), o professor de Universidade de Yale, Harold Bloom (1930-2019), dizia que o Bardo de Avon era o centro do cânone ocidental em uma perspectiva secular, isto é, o ponto de referência da literatura não-bíblica na tradição ocidental. A onipresença shakespeariana se justificaria na medida em que ele …

por em

Militares do governo Bolsonaro engrossam o nevoeiro

Ao anunciar o programa de retomada da economia chamado “Pró-Brasil”, o governo Bolsonaro aumenta a espessura do nevoeiro em que ele nos meteu. Depois de regurgitar tantas sandices, ao radicalizar ideias obscurantistas, de atentar contra a vida de milhares de famílias e disseminar o ódio, de ardilosamente difundir desinformações no meio de uma pandemia, de …

por em

O sequestro do último adeus

“Se, sob o sol, nada mais velho e vil que a morte, quem viu, na vida, novidade em estar vivo?” Belchior, Até mais ver, 1993 A morte é uma ruptura para quem fica. Para quem vai, pouco se sabe. O mistério grava o coração das diferentes culturas: aparece na poesia, no canto sertanejo, longe da retórica …

por em

Pan-africanismo e democracia ainda são possíveis em África?

Hora de retomar um debate que costuma sumir e reaparecer no espaço público sem que saibamos realmente o porquê. Fato é que o interesse em torno ao pan-africanismo nunca se esgota por completo. Nos últimos quatro anos tenho refletido sobre as possibilidades de renovação e redescoberta desse projeto tanto cultural quanto político. O caminho que me …

por em

A economia mundo pós pandemia

Desde os tempos de Jean Baptiste Say (1767-1832) e David Ricardo (1772-1823), os economistas clássicos, assim chamados por Karl Marx (1818-1883), têm nos ensinado que a oferta cria sua própria demanda, que livre mobilidade de capitais é a garantia da eficiência econômica, que a participação do Estado na economia deve ser mínima e que a …

por em

Mentiras Plausíveis

A Covid-19 mexeu com nossa imaginação. Seu ineditismo desestabilizou nossa percepção de futuro. São várias as dimensões da vida social afetadas pela crise sanitária, mas o avanço global dos vírus aguçou os temores mais urgentes quanto aos efeitos econômicos do confinamento a que ele nos submeteu. Sempre que nos vemos desorientados pela inovação, buscamos ancorar …

por em

As gestantes em meio à pandemia de Covid-19

É consenso internacional o reconhecimento dos impactos da Covid-19 na vida das pessoas e no modo como é organizada a nossa sociedade. Entre aqueles que opõem vida e economia ou os que defendem que não há economia sem vida, quase todos estão pensando e experienciando as consequências e os impactos desta pandemia. Quando o tema …

por em

O discurso ambientalista do governo francês não evita a destruição

O discurso do atual presidente francês, Emmanuel Macron, favorável à proteção da Amazônia, tem provocado tensões políticas com o seu homólogo brasileiro, Jair Bolsonaro, quem tem mostrado uma visão mais abertamente voltada à exploração da natureza. Embora as palavras pronunciadas por Macron, especialmente grandiloqüentes no momento das grandes queimadas da Amazônia em agosto de 2019, …

por em

A agenda feminista diplomática entre a guerra e as missões de paz

Após o centenário da admissão da primeira diplomata brasileira no Itamaraty 1 nos encontramos num cenário de tensão premente ao que se refere à entrada de uma agenda feminista, com equiparação e igualdade de gênero, na carreira diplomática. Ainda que tenhamos ganhos históricos no que se refere à ocupação e representatividade feminina nos espaços de …

por em

Entrevista com David Miranda

Em tempos de pandemia, na qual as opções de sobrevivência são menores e as vulnerabilidades se somam, ter referências de vidas que emergiram de cenários adversos é essencial. Uma dessas histórias é a do David Miranda, hoje deputado federal (PSOL-RJ), que já passou por situações que seriam dignas de filmes. Desde cedo, o amor foi …

por em

Quadra 36 e a incansável batalha de poder ser e permanecer

Campos Elíseos, 14hs. 18 de abril de 2018. Caminho pela Av. Rio Branco, no centro de São Paulo, avistando ao fundo a cavalaria da Polícia Militar. Ninguém sabia, mas aquele dia era dia de reintegração de posse.  Ela havia sido marcada com as famílias para dali a dois dias. Mas a eficiência do Estado, quem …

por em

Quando a bactéria da covardia se aproveita do vírus da pandemia

Dessa vez o Brasil não teve sorte, pois enfrenta os efeitos da pandemia de Covid-19 e, ao mesmo tempo, o pandemônio de um grupo no poder que – ao atacar, covardemente, a Constituição, as leis, a economia, a natureza, outros países, a lógica e a própria população brasileira – expõe as vísceras já apodrecidas de …

por em

Invisibilidade das pessoas com deficiência

Na terra onde a injustiça social impera, o desemprego aumenta e as políticas de assistência social sofrem com o abandono do governo, o coronavírus chegou de avião, trazido pela classe média, que retornava das suas férias em voos internacionais, mexendo com a estrutura de todo o país. Desde que a Covid-19 foi declarada, no dia …

por em

China e a biopolítica na crise do coronavírus

Da França, Bruno Latour escreve que parecemos estar encenando coletivamente uma palestra sobre biopolítica de Michel Foucault. Giorgio Agamben, da Itália, diz que a vigilância da quarentena é a crescente tendência de usar o estado de exceção como paradigma normal de governo. Achile Mbembe, camaronês, aciona novos sentidos de necropolítica na pandemia ao afirmar que …

por em

Quarto de despejos: a contemporaneidade de Carolina de Jesus

“No nosso paiz tudo está enfraquecido. O dinheiro é fraco. A democracia é fraca e os políticos fraquissimos. E tudo que está fraco, morre um dia”. A afirmação de Carolina Maria de Jesus, datada de meados da década de 1950 relataram para o mundo – anos depois – o cotidiano de moradores de uma favela …

por em

O incloroquinável Napoleão de hospício contra o mundo

Ultrapassamos oficialmente duas mil baixas em decorrência da guerra contra a Covid-19 no Brasil. Oficialmente. Nem o ora ex-Ministro da Saúde Mandetta acreditava nos números, ciente das subnotificações. Há, todavia, os que até das duas mil duvidam. A imagem da mulher agredindo um médico após ser comunicada da causa mortis de sua mãe resume bem …

por em

Cartografia dos óbitos da Covid-19 em São Paulo

Lembro a primeira vez em que entrei em contato com a ideia de que quando observamos as estrelas estamos, a bem da verdade, olhando o passado. A formulação de fundo didático e apelo poético guarda, como um de seus sentidos, o alerta para o fato de que uma atualíssima imagem pode se constituir num retrato …

por em

Reconhecimento facial: a banalização de uma tecnologia controversa

Em 2019, uma tecnologia que afeta a privacidade dos cidadãos e tem potencial discriminatório ganhou força no Brasil: o reconhecimento facial. Ela funciona a partir da marcação de pontos na face de uma pessoa; por meio de algoritmos, é criado um mapa facial que, ao ser escaneado, pode reconhecer o emparelhamento das características, independentemente da …

por em

Erosão na parceria entre China e a cooperação Sul Global

No campo da governança global, ser um player relevante faz toda a diferença no momento de disputas no campo comercial. O Brasil conquistou esse espaço em poucos momentos de sua política exterior. Com efeito, a política externa e o tipo de inserção internacional pretendida estão intrinsecamente articulados com a política econômica e o interesse nacional1. …

por em

Doenças são negligenciadas pela indústria farmacêutica

Mais um dia. E vários pensamentos que não param de chegar. Tenho que ficar isolada? Minha família está em risco? Vou ter sequelas? Vou ficar sem trabalho? E se ficar, como vamos viver? Vai me faltar alimento? Se eu for no serviço de saúde, vão olhar por mim? Vão me olhar torto na rua? E …

por em

A distopia liberal, as economias de guerra e o pós-crise já em disputa

O mais inteligente, a meu ver, é aquele que ao menos uma vez por mês se chama de imbecil – um habilidade da qual não se tem notícia agora! Antes, em último caso, o imbecil tomava consciência da própria imbecilidade ao menos uma vez por ano, mas, agora, jamais. A coisa ficou tão confusa que …

por em

Crônica da morte anunciada de um rio

O rio Teles Pires está morrendo. Tal como Santiago Nasar, personagem principal do livro “Crônica de uma morte anunciada”, de Gabriel Garcia Márquez que tem sua morte decretada no início da obra, o destino deste rio formador da bacia do Tapajós e um dos principais afluentes do rio Amazonas já está anunciado desde  o ciclo …

por em

A importância da Filosofia em meio à crise da Covid-19

A quarentena por causa da pandemia do novo coronavírus tem levado as pessoas a buscarem formas de lidar com esta situação singular. Isso levou alguns filósofos italianos a criarem o projeto Prendiamola com Filosofia: stafetta di filosofi – strumenti pratici per affrontare la quarentena, que conta com duas lives realizadas (a primeira em 21/03/2020 e …

por em

Os reflexos da pandemia sobre migrantes e refugiados

A pandemia de Covid-19 atingiu a humanidade de uma maneira inédita, paralisando o planeta e lançando sobre todas as pessoas, simultaneamente, incertezas, medo, ansiedade, histeria coletiva e sentimentos de repulsa e xenofobia. Em curto espaço de tempo, todo o poder político, bélico e econômico se viu impotente diante da velocidade e comportamento imprevisível do coronavírus. …

por em

A dupla cegueira para lidar com a pandemia nas favelas

Se o novo coronavírus pudesse falar diria: “eu sou eu e o que cada sociedade faz de mim”. É que por sua rápida e fácil contaminação, ele persegue os circuitos da sociabilidade de cada sociedade, bem como o intercurso entre elas. Nesse sentido, sua natureza é também social, moldando-se às características do perfil de estratificação …

por em

A violência como propaganda imperialista nos filmes hollywoodianos

A maior parte dos filmes norte-americanos tem a intenção de exibir a superioridade bélica do Tio Sam justificando o seu domínio sobre o planeta. É preciso observar, entretanto, o poder mimético dos filmes hollywoodianos para compreender essa questão. Essas mercadorias retratam situações que dificilmente aconteceriam na vida real, realidades imaginadas, para em seguida mostrar as …

por em

Equador: quando o crime é se acostumar ao horror

O cheiro acre da morte está nas casas, nos bairros, nas ruas, sufocando Guayaquil. A “pérola do pacífico”, para o comércio internacional e comércio portuário, é a cidade da oligarquia político-bancária, a mais populosa e, acima de tudo, a mais desigual do país, com bairros luxuosos e prósperos conformando uma dolorosa contradição com áreas inteiras …

por em

Era uma vez em Hollywood…

Acabo de ler o texto do “filósofo pop” Slavoj Žižek sobre a epidemia do coronavírus: “El coronavírus es un golpe al capitalismo a lo Kill Bill…”, publicado numa coletânea denominada Sopa de Wuhan (2020). Antes de qualquer coisa, chama atenção a imagem de capa da coletânea, desenhos que lembram uma colônia de morcegos. Ao juntar …

por em

Danem-se os liberais, é hora de imprimir moeda

Todos os economistas da tradição clássica liberal estão de acordo: a moeda, ou o dinheiro, resume-se a um meio de trocas. O dinheiro, o meio que lubrifica as trocas, possibilita que o homem possa adquirir a mercadoria que bem necessita, seja ela para satisfazer suas necessidades básicas ou supérfluas. Para facilitar as trocas (compra e …

por em

É a demanda, Paulo Guedes!

Em razão do confinamento de grande parte da população, o consumo agregado caiu drasticamente, aqui e no resto do mundo: nos Estados Unidos, por exemplo, os pedidos de seguro-desemprego já ultrapassam os 22 milhões. Com exceção de itens essenciais, quase nada é consumido pelas famílias. As empresas, já afetadas pela impossibilidade de contar com seus …

por em

A Covid-19 e o direito à cidade dos pobres

Se o vírus causador da pandemia tivesse um DNA, ele traria o gene da sociedade urbana. Diferentemente de doenças como a febre amarela, a dengue ou a hantavirose, a doença causada pelo Sars-CoV-2 não encontraria meios de dispersão eficientes em um planeta coberto de aldeias e comunidades rurais. Diante da novidade, da extensão, da letalidade …

por em

“Não temos tempo de temer a morte”: missão Covid-19

A forma como os governos respondem à crise provocada pela pandemia da Covid-19 irá diferenciá-los em distintas trajetórias de desenvolvimento institucional. A falha épica dos mercados em gerenciar uma crise de proporções globais como essa expõe as “veias abertas” daqueles que, por incompetência ou por escolha, não investiram na construção de instituições sociais e econômicas …

por em

Coronavírus e o oportunismo neoliberal

O debate sobre os efeitos econômicos após o surgimento do coronavírus tem caminhado em paralelo com a preocupação mundial em relação aos milhares de mortos em decorrência do vírus. Sobre o primeiro ponto, ao meu ver a mídia global está expondo de forma contundente uma retórica falaciosa que não demonstra a verdadeira causa da crise …

por em

A China (muito) além da “Sopa de Wuhan”

Acabo de ler o famoso documento lançado por intelectuais marxistas ou “críticos” badalados por nossas bandas. David Harvey, Slavoj Zizek, Alan Badiou e mais uma dezena de pensadores se colocam a pensar no mundo do entre e pós-pandemia. Sob o título de “Sopa de Wuhan” percebe-se um esforço de compreensão do futuro imediato sob as …

por em

Biopolítica, política internacional e fim da exceção humana

A pandemia provocada pela Covid-19 evidencia a importância do conceito de biopolítica para compreendermos o modo como somos governados. O controle que ora se estabelece de modo evidente sobre a população tomada como corpo coletivo alude à característica central da noção de biopolítica. Não demora para que se obtenham dados a respeito de qual esfera …

por em

A cidadania vertical no Brasil e o coronavírus

Isolamento parcial, ou vertical como vem sendo denominado, consiste essencialmente em retirar das relações sociais somente os grupos mais suscetíveis à mortalidade pela Covid-19 como, por exemplo, as pessoas acima de 60 anos e portadores de condições de risco como hipertensão, diabetes, doenças respiratórias. A defesa do atual presidente Bolsonaro por essa medida, na base …

por em

A retomada das práticas alimentares ancestrais pelos Guarani Mbya

Comecei a escrever este texto antes da explosão da pandemia de Covid-19 no país. A ideia era refletir sobre a retomada da alimentação tradicional dos povos Guarani Mbya que vivem na Terra Indígena do Jaraguá e como tal processo tem sido de suma importância para a recuperação e a manutenção de seus costumes e para …

por em

Lições curdas sobre a libertação das mulheres

Recentemente, as mulheres curdas foram incluídas nas manchetes da mídia ocidental por seu papel no combate ao autointitulado Estado Islâmico (EI), especialmente na ocasião das operações de retomada de Raqqa, na Síria. As guerrilheiras curdas foram retratadas deste lado do mundo como heroínas da democracia e do combate ao terrorismo islâmico, a partir de uma …

por em

Covid-19 e a emergência climática: conexões e desafios

As recentes cenas de aviões lotando as pistas de decolagem em todo o mundo, dos canais de Veneza mais limpos e de vias movimentadas sem o habitual trânsito de veículos, todas efeitos temporários da pandemia do novo coronavírus, remetem-nos a outro desafio enfrentado pela humanidade: as mudanças climáticas. As consequências e os prognósticos noticiados acerca da …

por em

O “Fora Bolsonaro” e o combate ao coronavírus

O Partido dos Trabalhadores segue cometendo um erro político fatal: continua tratando o governo Bolsonaro como um governo normal, como todos os anteriores que passaram pelo país desde a queda da ditadura militar. Coerente com essa avaliação atua em cada momento, em cada conjuntura, guiado pela estratégia onipresente de preparar e acumular forças para derrotá-lo …

por em

Emissão de moeda para diminuir o impacto da crise no Brasil

No momento em que se está diante de uma crise econômica (não financeira) de grandes proporções, ao contrário das demais crises que o capitalismo conheceu, desde a crise de 1929 até o presente, é fundamental fazer escolhas rápidas e certas, sob pena de o número de mortes, no Brasil, pelo coronavírus, poder vir a estar …

por em

Repensar a relação entre economia e sociedade

Há algumas semanas o que constituía uma norma econômica, aparentemente imutável, foi profundamente abalada. Leis de mercado revelam-se impotentes e a economia política se redefine. Mas, qual a amplitude das mudanças em curso ? Teriam as transformações atuais apenas um caráter de urgência ou seriam portadoras de mutações mais importantes, redefinindo nosso futuro ? Se …

por em

O vírus, o petróleo e a geopolítica mundial

Para além dos acontecimentos, existe uma história inconsciente – ou mais ou menos consciente – que escapa à lucidez dos atores, dos responsáveis ou das vítimas: elas fazem a história, mas a história as arrasta. F. Braudel, “História e Ciências Sociais” Editorial Presença, Lisboa, 1972, p. 130 As grandes epidemias repetem-se através da história, mas …

por em

Guilhotina #67 – Douglas Belchior

Depois de uma breve interrupção provocada pela suspensão das atividades no estúdio da Central 3, retomamos, de casa, as gravações do Guilhotina. Neste episódio, Bianca Pyl e Luís Brasilino conversam com o professor Douglas Belchior, formado em História pela PUC/SP e fundador do Movimento Uneafro-Brasil. Conversamos sobre o combate à Covid-19 nas periferias, a dificuldade …

por em

O drama de um setor que agonizava antes da pandemia

O momento é extremamente preocupante no mundo todo. Milhões de vidas estão em risco, a economia vai sofrer uma retração inimaginável e sabemos que os mais impactados do ponto de vista da saúde física, mental e financeira são os mais pobres. Em países com alto índice de desigualdade social como o Brasil a crise se …

por em

O sentido do cárcere em tempos pandêmicos

A prisão brasileira possui suas diferenças com relação ao modelo carcerário que se desenvolveu na Europa, o qual se constituiu como o grande ponto de referência analítica nos estudos da prisão. Essa é uma das razões pelas quais o modelo prisional panóptico, afamado pelas análises de Michel Foucault, parece tão distante daquilo que acontece no …

por em

Monopólios das plataformas digitais ameaçam democracia no Brasil

Conforme a agência de marketing We Are Social, cerca de 57% da população mundial esteve conectada à Internet em 2019. É possível, portanto, visualizar a rede mundial de computadores como ferramenta para acessar o conhecimento, expressar-se, realizar atividades cotidianas, como espaço de participação social e política, de organização de redes, mas também como um espaço …

por em

O coronavírus, entre o império da técnica e a vida nos escombros

“Todos têm de deixar sua zona de conforto.” A expressão surgida nos manuais de gestão corporativa, repetida como mantra nos departamentos de recursos humanos e que virou lugar-comum em um mundo fascinado e dependente de autoajuda, ganhou mais um uso criativo no último dia 30 de março ao sair da boca de Victor Orbán, primeiro-ministro …

por em

Políticas (e lacunas) da proteção do emprego e da renda

Passada pouco mais de uma década desde a crise financeira internacional de 2008, a economia mundial caminha para uma catástrofe, desta feita empurrada pela pandemia do coronavírus. Nesse cenário, o relaxamento das políticas de austeridade, a implementação de políticas fiscais anticíclicas e a formação paulatina de um novo consenso em torno de uma atuação mais …

por em

Regina Duarte não sabe sua função

A crise econômica consequente da pandemia do novo coronavírus afeta trabalhadores da cultura que já há tempos vêm sobrevivendo em contexto de arrocho orçamentário e censura por parte do Governo Federal. Há cerca de três semana, quando foram noticiados os primeiros cancelamentos de espetáculos e fechamento de espaços, a secretária especial da Cultura anunciou medidas …

por em

Covid-19: Não estamos no mesmo barco

Ilona Szabó de Carvalho, colunista do jornal Folha de S. Paulo, que muito respeitamos, escreveu na sua coluna de 8 de abril de 2020, que “Somos todos vulneráveis ao vírus Sars-Cov-2”. O termo epidemiológico correto seria que “somos todos suscetíveis ao vírus Sars-Cov-2”, pois a vulnerabilidade é profundamente desigual entre as pessoas. Tenho certeza de …

por em

Qual democracia precisamos?

O termo democracia tem significados diversos e é parte de disputas políticas, ideológicas e construções – partidárias, acadêmicas, midiáticas e das mais diferentes organizações e instituições. Aqui não se pretende adentrar em maiores aprofundamentos quanto às disputas e definições – necessárias e salutares – conceituais e/ou teóricas. Contudo, importa assinalar alguns aspectos que chamam atenção …

por em

Bolsonaro é presidente, mas não governa

O fato novo da acelerada conjuntura política do país se relaciona diretamente com a pandemia de coronavírus: Bolsonaro continua Presidente da República, mas não governa mais! As classes dominantes, e seus prepostos no Congresso Nacional e no Judiciário (STF), encontraram uma solução momentânea, não traumática, para a defesa e preservação de seus interesses – tira-lhe …

por em

Anatomia de um desgoverno: crônica de uma crise anunciada

Afinal, do que se trata o insólito governo Bolsonaro? Antes de mais nada, é importante ressaltar, não se pode dizer que haja propriamente um governo, no sentido de um conjunto funcional de decisões e ações, centrado no presidente e composto por ministros que conduzam políticas setoriais convergentes a um programa orgânico. O que é possível …

por em

Com a quarentena, “podemos ouvir o alô da Terra”, diz sismologista belga

Com milhões de pessoas ficando em casa para controlar a epidemia do novo coronavírus (Covid-19), o ruído captado no solo das principais capitais do mundo é muito menor. Em Bruxelas, a queda no nível de ruído é da ordem de 30% a 50%. É o que descobriu o sismologista belga Thomas Lecocq. Ele trabalha no …

por em

O mundo depois do fim

“Ainda nos encontraremos no lugar onde não há escuridão” George Orwell, 1984 O mundo não será o mesmo depois que as internações e as mortes diminuírem. Ao fim da pandemia sucederá uma nova ordem, diferente de ontem, da democracia liberal, de seus ideais e promessas. O impacto da Covid-19 irá além da tragédia epidemiológica, da …

por em

Desacelerando em tempos viróticos

Um gerúndio, desacelerando – em inglês, downshifting – traduz bem o momento atual em que o mundo está, literalmente, reduzindo a marcha. Mas o que muitos de nós está vivenciando hoje já faz parte de um movimento em curso. O downshifiting, assim como o minimalismo, reflete sobre o cansaço, o excesso e a saturação de …

por em

Mulheres moçambicanas na luta pela independência

Em um dos últimos atos do 13º Congresso Mundos de Mulheres, que em 2017 reuniu mais de 8 mil pessoas na Universidade Federal de Santa Catarina, ocorreu a cerimônia de passagem do Mundo de Mulheres. Da América Latina para África, de Florianópolis para Maputo, a 14ª edição do congresso prevista para 2020, e sujeita a …

por em

Emergindo ou submergindo?

Para o filósofo Wolfgang Leo Maar (A contra-revolução no Brasil), as práticas de natureza anti-democrática que têm ganhado força no Brasil mostram que a desigualdade social é “natural”, sendo o resultado direto de um projeto de construção coletiva. O direito de justiça, nas palavras de Maar, foi sucedido pelo que chamou de “direito oligárquico” e …

por em

Bolsonarismo em rota de colisão

Negacionismo, confronto, populismo, ataque à imprensa, panelaços. O cenário não poderia ser mais propício para uma crise política de governança, mas não só isso. Ao incorporarmos essa situação ao novo status quo produzido pela pandemia da Covid-19 percebemos claramente a instabilidade institucional presente. Bolsonaro foi eleito contra a conjuntura legislativa e constitucional que asseguram o …

por em

O Reichstag de Bolsonaro somos nós

Em 1932 o presidente da Alemanha Paul von Hindenburg ofereceu a Adolf Hitler a chancelaria, o comando do Estado. Logo que chegou ao poder, Hitler buscou eliminar a forte oposição que havia se formado contra ele. Para facilitar a perseguição aos seus opositores ele organizou uma farsa: provocou um incêndio que destruiu o prédio do …

por em

O fantasma de Auschwitz e a recusa em desviar o olhar

Em janeiro, mais de duzentos sobreviventes de Auschwitz, o notório campo de concentração nazista na Polônia, se reuniram para comemorar o 75º aniversário da libertação. Eles testemunharam as brutalidades da máquina de matar sancionada pelo Estado nazista, às quais, naquela época, o resto do mundo parecia indiferente. Mais de 1,1 milhão de judeus – junto …

por em

A covid-19 e a crise da governança regional da América do Sul

No momento em que os olhos do mundo se voltam para a pandemia da Covid-19, é possível pensar a atuação conjunta da América do Sul sob o horizonte da governança regional. É certo que a crise desencadeada pelo coronavírus encerra duas particularidades que reforçam ainda mais a importância em se discutir as relações internacionais e …

por em

Além do coronavírus

Não sou médico para comentar os aspectos epidemiológicos do vírus que nos assola. Mas algumas implicações sociais e políticas são óbvias. O primeiro ponto é que desde o golpe há uma fragilização generalizada das políticas sociais – e para efeitos de governança tudo começa já em 2013 com as manifestações, e com o boicote (“Dilma …

por em

O coronavírus, a barbárie e a força do Cerrado

Teria sido o Covid-19 criado em laboratórios chineses ou em laboratórios norte-americanos, como arma de guerra e com fins geopolíticos? Teria surgido na China, ou teria sido levado para China, por soldados norte-americanos, por ocasião de jogos militares? Seria fruto de mutação natural em patógeno adaptado a animais silvestres, em função de sua criação em …

por em

A luta para colocar comida na mesa durante quarentena

A rotina de Angélica Jahn, de 30 anos, mudou bastante com a chegada do Covid-19 no Brasil. Responsável pela limpeza das aeronaves do aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, ela e seu marido, que trabalha como operador de máquina, foram dispensados pelas suas empresas dia 25 de março. Com dois filhos para sustentar, o casal …

por em

Como pagar pela guerra contra o vírus

Não é fácil para uma economia não planejada se organizar para combater uma pandemia. É mais difícil ainda quando ela já se encontrava letárgica, conjugando dois elementos que aprofundam, exponencialmente, os efeitos negativos da pandemia: por um lado, com uma grande parcela da população no desemprego e na informalidade, a maior parte dos trabalhadores está …

por em

Saúde versus economia: uma falsa oposição

O mundo vive hoje, com a pandemia do coronavírus, uma guerra e o Brasil faz parte dela. Mas, diferentemente dos demais países, temos a presença entre nós de um “5ª coluna”, que trabalha aberta, cínica e descaradamente para derrotar-nos. E esse inimigo da nação é claramente identificado e conhecido de todos nós, tem nome e …

por em

As falsas premissas de Guedes e Bolsonaro sobre a crise

Em 2008, quando um dos maiores bancos de investimento do planeta, o Lehman Brothers, quebrou, desencadeou um tipo de crise que até agora não se esgotou. O estouro da bolha hipotecária norte-americana revelou uma economia global financeirizada, cujo principal efeito foi a superprodução de títulos mobiliários baseada então no endividamento das famílias trabalhadoras. Como se …

por em

É hora de deixar a imaginação descansar

O cenário que vivemos da pandemia do Covid-19 aumenta a percepção que temos das pessoas ao nosso redor e, principalmente, daquelas que assumem algum protagonismo relevante e/ou público. Essa oportunidade é mais uma questão prática do que sensonrial. Simplesmente porque são nesses momentos que precisamos que cada um exerça o melhor que está ao seu …

por em

O urbanismo contemporâneo e a cidade doente

Periódicas ondas epidêmicas e seus efeitos originaram transformações importantes na forma urbana: dos leprosários para confinar as vítimas da peste, às grandes obras de infraestrutura, como sistemas de esgoto e aquedutos para o controle da cólera, às normas de higiene que desenharam bairros projetados disseminados pelas nossas cidades, como o de Higienópolis, ao combate à …

por em

A aporofobia do bolsonarismo

Que o coronavírus esteja sendo “democrático” com os tipos de vida que ceifa mundo afora, que mate tanto ricos quanto pobres indiscriminadamente, é uma constatação relativa. Em especial no Brasil, essa pandemia está dando oportunidade inédita para falas e posturas que, despudoradas, apontam quem merece viver e quem pode morrer sem causar espanto. Quando o …

por em

Pensando o bolsolavismo e formas de ação

O que fazer? Assinamos, um de nós na primeira hora, o pedido de impedimento elaborado pelos parlamentares Fernanda Melchiona, Sâmia Bomfim e David Miranda, todos do Partido Socialismo e Liberdade (PSol). Assinamos o pedido não por acreditar ser ele a única ou mais viável solução para a crise em que estamos. Assinamos por acreditar que …

por em

As prioridades na pandemia do Covid-19

No enfrentamento da depressão que se avizinha, chama atenção a diferença de prioridade para a chegada dos socorros. A agilidade do governo em repassar recursos para o setor financeiro é digna da Bélgica, enquanto os entraves para aumentar o custeio do SUS e pagar a renda mínima dos vulneráveis se arrasta, como na Índia, para …

por em

Edição impressa temporariamente suspensa

Com as matérias vindas da rede internacional do Le Monde Diplomatique oferecemos uma visão do que acontece pelo mundo que é da mais alta qualidade e é única no Brasil.  Com a colaboração voluntária de intelectuais, de ativistas e de líderes de movimentos sociais, contribuímos para o debate sobre nossa situação nacional e as saídas …

por em

De pandemias, desenvolvimento e multilateralismo

Em 11 de março de 2020, a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou a doença pelo coronavírus 19 (Covid-19), causada pelo novo coronavírus (Sars-Cov-2), como uma pandemia. Quando escrevo este artigo são mais de 1 milhão de infectados, com mais de 40 mil mortos (letalidade de 4%), em todos os países do mundo. Nas Américas …

por em

O aumento da violência contra a mulher

No oitavo dia de isolamento social para evitar o contágio por coronavírus, o telefone do “Ligue 180” recebeu cerca de 300 ligações a mais em comparação com a semana anterior. Foi registrado um aumento de 9% em denúncias de violência contra a mulher em apenas uma semana no Brasil1. A quarentena, motivo de acordo e …

por em

O coronavírus infecta o óbvio da vida

Em O poço, filme espanhol de 2019, que integrou o catálogo da Netflix no dia 21/03, o diretor Galder Gaztelu-Urrutia mistura cenas de escatologia e canibalismo, assim como os gêneros suspense, terror e ficção. A narrativa impressiona pela sua atualidade subjetiva, sobretudo pela mensagem assustadoramente verdadeira que nos vincula ao filme: o individualismo ao extremo …

por em

Desventura e cegueira

Se podes olhar, vê. Se podes ver, repara. (José Saramago) Imaginemos um cenário no qual o mundo simplesmente entra em colapso porque algo faz com que toda a economia global se paralise. A breve história do mundo nos ensinou que isso é possível quando eclodem conflitos de proporcionalidade catastrófica ou que envolvam países centrais na …

por em

Como financiar o Tesouro pela Conta Única?

A Covid-19, por ser extremamente contagiosa, pode acarretar sobrecarga em sistemas de saúde e milhões de mortes. Como ainda não existe vacina ou tratamento com eficácia controlada, a única forma de prevenção de contágio é o isolamento social intensivo, que vem sendo adotado por diversos países. Em compensação, o lockdown necessário para o combate dessa …

por em

Bolsonaro e a estratégia do caos

Nos últimos dias, estamos assistindo ao presidente Jair Bolsonaro lutar em diversas frentes contra a estratégia de isolamento social, contrariando recomendações da OMS,  de epidemiologistas, de estatísticos, de cientistas de dados e de demais pesquisadores que, neste momento, estudam o vírus e sua disseminação no mundo. Há quem diga que a preocupação do presidente é …

por em

E se Bolsonaro desejar o caos que a epidemia promete?

Ao leitor alarmado pelo título, deve-se, desde já, advertir que este é um ensaio meramente especulativo e escrito sob o escusável medo e a violenta emoção que a atual conjuntura nos impõe. Dela também decorre que seu conteúdo pode ser demasiado deprimente e pouco indicado em tempos de isolamento social. Feitas essas ressalvas, destaco que …

por em

Coronavírus: rastro e fruto de uma poeira pandêmica

Das nove grandes “epidemias maciças” de origem viral1 que assolaram o começo do século XXI, refiro-me às poeiras que fortemente atingiram grandes continentes e deixaram rastros pandêmicos, três delas (33.3%) envolveram coronavírus: Sars-Cov ( Cov = Coronavírus e Sars = Síndrome Respiratória Aguda Grave), inaugurando o século em 2002-2003 na Ásia; Mers-Cov (Síndrome Respiratória do Oriente …

por em

Simulações indicam que confinamento deve ser máximo

Nós, pesquisadores da Universidade Federal do ABC e da Universidade de Bristol, desenvolvemos um modelo complexo e robusto (mas simples de usar) que simula a disseminação do Covid-19 na sociedade. Ele mostra que é bem provável que teremos novos ciclos de surto e confinamento. A ferramenta está disponível on-line e pode ser abastecida livremente por …

por em

Guedes, o ilusionista

A julgar pela atitude do ministro Paulo Guedes que na última quinta-feira, dia 26 de março, no meio da manhã, caminhava no calçadão da praia de Ipanema, a crise sanitária e econômica pela qual passa o Brasil não merece atenção particular. Essa interpretação pode parecer descomedida, mas o exame detalhado das medidas econômicas tomadas para …

por em

Crise e reforma

Mesmo após ficar claro que a pandemia do Covid-19 representaria uma catástrofe humanitária global, o ministro da Economia brasileiro seguiu clamando ao Congresso Nacional a necessidade de se “transformar a crise em reformas”. Tomando a calamidade como momentum para alavancar sua agenda, Paulo Guedes insiste na urgência das reformas liberais que, definitivamente, “ajudarão” a enfrentar …

por em

Desinformação como estratégia de governo

O cenário de disseminação em massa de conteúdos falsos na época das eleições presidenciais de 2018 já profetizava a sequência do modus operandi que se consagrou como “vencedor” no pleito eleitoral: o uso da desinformação seguiu como estratégia política no governo Jair Bolsonaro.  As denúncias da “CPMI das Fakes News” do suposto volume de ações …

por em

Não aceitar o inaceitável

Primo Levi dizia que monstros existem, mas são pouco numerosos para serem realmente perigosos: mais perigosos são os homens comuns dispostos a acreditar e obedecer sem discutir. Assim inicia a obra Desobedecer, de Frédéric Gros (Ubu Editora, 2018), uma defesa da desobediência civil às avessas. Para Gros, o problema não é a desobediência civil, que …

por em

Por um jornalismo histérico

No dia 24/03/2020, em pronunciamento em rede nacional, o presidente da república proclamou que, sobre a pandemia mundial e os pronunciamentos das comunidades científicas, internacionais e da imprensa nacional – cujo objetivo principal tem sido informar a população sobre os reais perigos da Covid-19 e como evitar/retardar sua propagação e contágio -, não se trata …

por em

Tsunami mundial 2020: a primeira onda, a segunda onda

Uma pandemia é um tsunami. Um tsunami nunca é composto de uma única onda. Nesse caso, aqui de dentro do olho do furacão da minha casa, vivemos agora no mundo da improbabilidade e o da incerteza cotidiana. Estamos obrigados a olhar para nossas vidas e repensarmos o modo como vivíamos até entramos nessa caverna escura. …

por em

Por um futuro que não repita o passado

O mundo mudou. A pandemia do novo coronavírus (Covid-19) parece ser aquele momento de inflexão, de marco, no curso da história da humanidade. Havia um mundo pré coronavírus e, agora, abre-se uma janela de incertezas e oportunidades sobre como será este novo futuro. Tudo está instável e qualquer previsão a mais longo prazo será pontual, …

por em

Guilhotina #66 – Mariana Galuch

Bianca Pyl e Luís Brasilino conversam com a cientista social Mariana Vieira Galuch, professora da Universidade Federal do Amazonas. Ela defendeu na Ufam em 2019 o doutorado “Do assentamento ao agronegócio: uma etnografia das migrações, políticas e dinâmicas territoriais em Apuí (Amazonas)”, em que traça uma minuciosa descrição dos fluxos migratórios que foram formando a …

por em

Política da morte e a reconstrução da cidadania

Em pronunciamento à nação no dia 24 de março, o presidente do Brasil, Jair M. Bolsonaro, disse que, durante a pandemia do Sars-Cov2, a prioridade do governo deve ser a de manter empresas funcionando normalmente porque a fome matará mais que o coronavírus. Em um momento em que os brasileiros se põem em quarentena, e …

por em

Notas sobre uma leitura feminista da pandemia

Algumas análises apontaram os impactos da expansão pandêmica do Covid-19 como demonstrativos dos limites do atual modelo capitalista neoliberal. A insuficiência de políticas públicas para sistemas de saúde e seguridade social nos países desmantelados pelos mandatos de austeridade indicariam a urgência de revisar a profunda dessolidarização, jurídica e ética, que aplaca Estados e sujeitos. No …

por em

O distanciamento social como forma de cuidado coletivo

A antropóloga inglesa Marilyn Strathern, no já longínquo ano de 1989, auge do governo neoliberal de Margareth Thatcher no Reino Unido, argumentou que o conceito de sociedade estava teoricamente obsoleto para o uso das ciências sociais. De acordo com a autora, a nossa ideia de sociedade como entidade abstrata fez parecer que as relações sociais …

por em

A pandemia e o senso de coletividade

Atualmente fala-se com muita frequência sobre modos egoístas de relações humanas. E na superficialidade dos discursos sobre nossa postura e nossas ações individualistas, não é comum serem considerados os atravessamentos políticos desse fato social. A racionalidade neoliberal nos constrói, nos atravessa subjetivamente para que façamos de nós microempresas, empresários e negociantes de nós mesmos. Nosso …

por em

Bolsonaro, a pandemia e o compromisso com o mercado

Tomando emprestado o conceito de “capitalismo do desastre”, de Naomi Klein, que associa choques coletivos a rupturas nos regimes de bem-estar social, é possível dizer que o governo Bolsonaro começa a compreender a catástrofe pandêmica do novo coronavírus como ativo político a sua plataforma neoliberal. A identificação documentada dessa tendência política serve para dissipar ilusões …

por em

Falta da merenda escolar prejudica as famílias de baixa renda

Um milhão de alunos da rede municipal de educação da Capital que estão sem aulas por causa da quarentena de prevenção ao coronavírus deixaram de receber a alimentação diária oferecida nas escolas (merenda escolar). Na rede estadual, 3 milhões de refeições por dia deixaram de ser fornecidas por conta da suspensão das aulas. A antecipação …

por em

Os diferentes feminismos da mulher palestina e israelense

Abril de 2019. Setembro de 2019. Março de 2020. Em menos de um ano Israel passou por três eleições nacionais. O motivo é o impasse entre o Likud, partido do atual premier Benjamin Netanyahu (conhecido como Bibi), e o Azul e Branco, do principal opositor Benny Gantz para a formação de um governo. Após o …

por em

Reflexões sociológicas da quarentena

Os autores desse artigo um morando na cidade de São Paulo (Brasil), outro na cidade de Varese, região da Lombardia (Itália), procuram expressar suas impressões particulares diante da crise pandêmica atual nas localidades onde vivem. Ambos pesquisadores de sociologia, pensam, a partir de suas sensibilidades, como as pessoas em diferentes condições de isolamento social, na …

por em

A queda de braço entre governadores e Bolsonaro

Em artigo publicado no dia 13 de fevereiro na Folha de São Paulo, a professora Maria Hermínia Tavares apontava que governadores e prefeitos podem representar um importante dique de contenção a governos populistas. Na ocasião, a autora recordou que governadores, tais como João Dória e Flávio Dino “têm voz própria e alguns deles a usam …

por em

Jair Bolsonaro: massa, vírus e poder

A crise não é de “confiança”, não é “ética”, não é “financeira”; não é “política”, não é “institucional” e muito menos do “coronavírus”. É a crise de um padrão de sociabilidade que transforma tudo em mercadoria, inclusive saúde, educação e tempo de vida. A crise é do capitalismo. Silvio Almeida Queria começar este ensaio com …

por em

Nancy Fraser: “O neoliberalismo não se legitima mais”

A tradução do livro da filósofa feminista Nancy Fraser com Rahel Jaeggi, “Capitalismo em debate: uma conversa na teoria crítica”, acaba de ser publicado pela Boitempo no Brasil. Nesta entrevista concedida na New School, universidade onde dá aulas nos departamentos de Filosofia e Política, Fraser comenta sobre o livro, o retorno do capitalismo ao centro …

por em

O impeachment e a luta do povo

Concordo em boa medida com o artigo de Vladimir Safatle, intitulado “A única saída é o impeachment”, veiculado no último dia 20 na edição brasileira do jornal El País. Sim, ele tem razão: devemos colocar na ordem do dia o impeachment de Jair Bolsonaro. Sim, o impeachment teria um valor civilizatório, sinalizando importante ganho de …

por em

O que é o vírus e quem nós somos?

Ainda que as perguntas que intitulam esse artigo não estejam postas diretamente, um dos principais movimentos do nosso presente imediato tem sido respondê-las – sempre partindo da primeira para desaguar, inevitavelmente, na segunda, em uma espécie de jogo cuja perspicácia está no fato de que, para cada tentativa particular de explicar o que é o …

por em

Comunicação pública perto do fim

Não somente o candidato eleito, mas diversos nomes que pleitearam o cargo máximo da República declararam, durante a campanha presidencial de 2018, que extinguiriam a Empresa Brasil de Comunicação (EBC) quando chegassem ao poder. O ano de 2019 começou então com o lançamento, por parte dos trabalhadores da única empresa pública nacional de comunicação, de …

por em

Pandemia e a globalização da saúde no Reino Unido e Itália

A pandemia causada pelo Covid-19 tem agitado todos os países do mundo e até o momento a maioria dos casos na Europa e Américas estão em crescimento. Em alguns países a crise sanitária tem sido acompanhada atentamente, como é o caso da Itália e do Reino Unido. Por isso este artigo busca dialogar a respeito …

por em

O massacre como entretenimento, o entretenimento como massacre

Imagine que você chega em casa depois de um longo dia de trabalho e que no caminho do retorno você foi atingido por uma tempestade. Imagine então que você, com suas roupas ainda encharcadas, pega o controle remoto e liga a tv. São pouco mais de oito da noite e a primeira imagem da tela …

por em

Estado e cooperação internacional na luta contra o coronavírus

Tempos de crise internacional suscitam discussões, de ordem política e jurídica, sobre os conceitos de soberania e globalização. De um lado, há quem pregue o prevalecimento do Estado nas suas decisões frente ao sistema internacional, mantendo-o “forte”, no intuito de preservar a sua soberania. Há outros que pregam a cooperação internacional e a criação de …

por em

No longo prazo todos estaremos mortos!

Após a grande depressão econômica de 1929, existia um debate na economia norte americana e no mundo, o estado deve ou não intervir na economia em momentos de crise? Este debate está presente até hoje. Em março de 1933 o presidente Franklin D. Roosevelt lançou as frases “Only Thing We Have to Fear Is Fear …

por em

É hora de abandonar o vírus do liberalismo econômico

Jean J. Rousseau nas vésperas da Revolução Francesa afirmou que “O homem nasceu livre, mas em toda parte encontra-se acorrentado. Aquele que se julga senhor dos demais, não deixa de ser mais escravo do que eles” (1776). Assim, detectara que tanto os ricos quanto os pobres sofriam por razões diferentes. Essa assertiva abria o seu …

por em

Coronavírus e os contratos

O filósofo anglo-irlandês do século XVIII Edmund Burke (1729-1797) afirmou em sua obra Reflections on the Revolution in France (1790), que […] a sociedade é, de fato, um contrato […]. Acrescentou, ainda, que o Estado deve ser considerado um acordo de parceria, na ciência, em cada arte, em cada virtude e em toda perfeição. Como …

por em

Ficar em casa para quem?

Nos últimos dias, as redes sociais foram tomadas de assalto por discursos que clamam as pessoas para “ficarem em casa”, esta narrativa foi construída a partir das notícias da presença do Coronavírus (Covid-19) no Brasil. O Ministério da Saúde no dado mais atualizado, até a escrita deste texto, contava 234 pessoas pessoas infectadas pelo Sars-Cov …

por em

Mulheres e participação política internacional

As mulheres são sub-representadas nos processos políticos, seja como eleitoras ou candidatas a cargos eletivos. O mapa “Mulheres na política”, divulgado pela ONU em janeiro de 2020, revela números significativos sobre a representação política das mulheres nos mais altos cargos do Estado no mundo. Segundo o mapeamento, somente 6,6% de todos os chefes de Estado …

por em

Guilhotina #65 – Lidiane Soares Rodrigues

Bianca Pyl e Luís Brasilino conversam com a historiadora e socióloga Lidiane Soares Rodrigues, doutora em História Social pela USP e professora adjunta do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Uma de suas linhas pesquisa é “Fast Thinkers à brasileira: Uma doutrinação ideológica contra culturas de esquerda (2002-2014)”, em que …

por em

Emendas à Constituição Russa

No último dia 16 de março, a Corte Constitucional da Rússia aprovou as emendas que permitirão a Vladimir Putin a possibilidade de se manter na presidência até 2036. Dentre as implicações das emendas, muitas além da extensão do mandato presidencial, estão tentativas de Putin para solucionar os desafios econômicos, políticos e sociais que a Rússia …

por em

Aproveitando a crise para intensificar a concentração de riquezas

Mais uma vez o governo federal tenta aprovar propostas de emendas à Constituição Federal – com nomes que empolgam “Plano Mais Brasil”, “PEC Emergencial” e “PEC do Pacto Federativo”-, que aprofundarão a concentração de riquezas e prejudicarão a prestação dos serviços públicos essenciais. Diante desse cenário de “crise permanente”, utilizada como ferramenta retórica para “fundamentar” …

por em

Para os amigos, tudo. Para os inimigos, a lei

Quando o governo de Michel Temer, em 2016, promoveu sua primeira reforma administrativa e acabou com o Ministério das Comunicações (MiniCom), fundindo a pasta com a da Ciência e Tecnologia e criando o MCTIC, já se sabia que o futuro das políticas de comunicação não seria promissor. O fim do MiniCom significou o término das …

por em

O design inteligente do mercado

E eis que, novamente, a economia frustrou as expectativas dos economistas do mercado financeiro. Otimistas com a vitória de Bolsonaro na eleição presidencial e, principalmente, com a ida do ultraliberal Paulo Guedes para o comando da economia, eles apostavam, lá no primeiro dia útil de 2019, em um crescimento do PIB de 2,5% naquele ano. …

por em

COVID -19 – um vírus que perfura a retórica política

Na busca da sobrevivência, o coronavírus (COVID -19) desafia os sistemas comunicacionais. Tal qual o ser humano, o vírus busca continuar a existir, proliferar e comunicar. Sim, pode parecer bizarro, mas se concebermos a ideia de que a comunicação demanda por conexões, um vírus não estaria em situação diferente de todos outros seres vivos. A …

por em

As ideias continuam fora do lugar

“O Brasil está atrasado nas reformas estruturais que precisa fazer para voltar a crescer. A modernização das relações de trabalho e da previdência foi um bom começo. Mas é preciso ir além, aprofundar as reformas, se quisermos alcançar os países ricos que estão décadas à nossa frente. O mais importante, agora, são os próximos passos: …

por em

Dependência, superexploração e neoconservadorismo na América Latina

Neste artigo pretendemos dialogar sobre a relação indissociável entre dependência, superexploração e neoconservadorismo na América Latina. Para isto, utilizaremos como referências dois  intelectuais latino-americanistas: Ruy Mauro Marini e Vânia Bambirra. Faremos um breve retrato, em dados, sobre como estamos no mundo do trabalho, do consumo e da renda, para refletir sobre os fatos por trás …

por em

Marx e Engels: uma lição de retórica política para a esquerda

O Manifesto do Partido Comunista é um documento histórico escrito sob e sobre as circunstâncias de um período histórico particular. Segundo Eric Hobsbawm, trata-se do “escrito político individual mais influente desde a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, da Revolução Francesa”. Diversos estudos foram feitos sobre ele, centenas de milhões de pessoas o …

por em

Geopolítica e corporativismo: um capitão entre generais

A geopolítica do petróleo tem passado, nesse início de século XXI, por transformações estruturais, o papel do continente Americano na produção tornou-se tão significativo quanto o da região do Oriente Médio no século XX e o peso do continente Asiático no consumo tornou-se tão relevante quanto o da Europa no passado. Além disso, novas tecnologias …

por em

Guilhotina #64 – Eliete Barbosa

Bianca Pyl e Luís Brasilino recebem Eliete Barbosa, professora no curso de cultura, educação e relações étnicos-raciais no Centro de Estudos Latino-Americanos sobre Cultura e Comunicação (Celacc-USP) e doutoranda em Psicologia Social na PUC-SP. Ela está lançando este ano o livro “Negras lideranças: mulheres ativistas da periferia de São Paulo”, pela editora Dandara. Conversamos com …

por em

“Artista não precisa baixar o nível para falar com a quebrada”, diz Rincon Sapiência

Um dos principais nomes do rap nacional, Rincon Sapiência lançou, no final do ano passado, Mundo Manicongo, seu segundo álbum de estúdio. Depois do aclamado Galanga Livre (2017), vencedor do prêmio de melhor disco do ano pela Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA), o MC paulistano voltou à carga com um disco encontra na …

por em

Frente ao colapso, uma tentação perigosa

Em momentos como este, é bom lembrar aos “cruzados” uma velha lição da história, a respeito das “guerras santas”, entre pequenos “peões militares” terceirizados pelas grandes potências: depois que começam, elas não costumam ter fim. J.L. Fiori, Geopolítica e Fé, JB, janeiro de 2019   Basta ligar dois pontos para desenhar uma reta. Mas no …

por em

Terraplanismo, crise da ciência e pós-modernismo

Vivemos em tempos em que falam-se mentiras em nome do fato, em que a ciência é ignorada em nome da ciência, em que massas são formadas pelo argumento da liberdade do indivíduo. Tempos em que as soluções fazem parte do problema, em que é urgente agir, mas a ação parece somente aumentar o obstáculo. Tempos …

por em

Negar a ciência: uma forma de expandir de si mesmo

“Não precisa de fórmulas complicadas de matemática para saber onde se vive”. É assim que a jornalista estadunidense Patricia Steere, criadora do podcast “Flat Earth and Other Hot Potatoes” (“Terra Plana e Outras Batatas Quentes”) justifica seu argumento de que o planeta não é redondo, ignorando o que diz a ciência desde pelo menos Galileu …

por em

Brilho eterno de uma mente sem lembranças

Nestas últimas semanas, o presidente da República, balbuciando um rascunho de golpe, flertou com seu eros onipresente de autoritarismo, fermentando o clamor afetado de uma pequena parcela da população pelo fechamento do Congresso. Mas, convenhamos: de quem somente orgulho teve desse vezo esdrúxulo era possível cair outros frutos? Por mais incrível que possa parecer, uma …

por em

“Pibinho” mais uma vez

Na última quarta-feira dia 04 de março de 2020, o IBGE divulgou o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do ano de 2019, o resultado apurado foi de 1,1%, ou seja, ainda não recuperamos as perdas da recessão de 2015 e 2016 e ainda estamos no “nível de riqueza” de 2013. Já o crescimento do …

por em

Guiné-Bissau: novo golpe de Estado?

Não obstante sua luta pela libertação nacional ser reconhecida – não com o status que mereceria – como a mais bem sucedida guerra pela descolonização africana e Amílcar Cabral figurar como uma das grandes personalidades do século XX, a Guiné-Bissau, pequeno país situado na costa Ocidental africana, ainda continua a lutar para ser sujeito da …

por em

Mineração em Terras Indígenas: o que mostra a experiência internacional?

“Não há nada mais perigoso para uma Reserva Indígena do que uma mina valiosa” (Carls Shurz, Secretário do Interior dos Estados Unidos, 1881)   Em fevereiro de 2020, o Poder Executivo federal enviou ao Congresso Nacional um Projeto de Lei (PL 191/2020) que, entre outras medidas, propunha a regulamentação da mineração em Terras Indígenas (TIs). …

por em

Guilhotina #63 – Maria Rita Kehl

Bianca Pyl e Luís Brasilino recebem a psicanalista e escritora Maria Rita Kehl, autora de diversos livros, entre os quais o mais recente é “Bovarismo brasileiro”, lançado pela Boitempo em 2018. Conversamos sobre o significado o termo bovarismo, a especificidade brasileira e o seu papel para forjar uma elite que tem “vergonha das origens multirraciais …

por em

A banalização da política e a desmoralização das instituições

A insensatez, o discurso de ódio e a violência institucional mostram-se os baluartes e os principais fatores da derrocada do Estado brasileiro sem a expressa perda de vigência da Constituição de 1988. A crise política, somado às inúmeras reinterpretações de direitos e garantias fundamentais de governos legitimados sob uma cortina de fumaça democrática, simplesmente sobre …

por em

São Paulo tem jeito: políticas de desenvolvimento

Toda proposta de desenvolvimento envolve uma visão de conjunto, valores pelos quais medimos o que acontece na cidade e o que deveríamos alcançar. O traço fundamental que nos caracteriza é uma profunda desigualdade, de renda, de patrimônio, de oportunidades. Nenhum dos outros grandes objetivos, a viabilidade econômica e a sustentabilidade ambiental, se alcança sem focar …

por em

Guilhotina #62 – Juliano Medeiros

Bianca Pyl e Luís Brasilino recebem o historiador Juliano Medeiros, presidente nacional do Partido Socialismo e Liberdade (Psol). Ele defende no fim de março na Ciência Política da Universidade de Brasília (UnB) a tese “A nova esquerda na América Latina: movimentos sociais, institucionalização e crise do progressismo”. Na pesquisa que Juliano compartilhou conosco na fase …

por em

A formação do público evangélico no Brasil contemporâneo

Em coluna publicada no dia 4 de fevereiro no Estado de S. Paulo, Pedro Nery abordou um fenômeno que nomeou de “crentefobia“, em reflexão sobre a entrevista da cineasta Petra Costa ao programa Amanpour & Company, da PBS. Questionou falas de Petra e posicionamentos públicos diante de declarações biográficas e propostas políticas de Damares Alves, …

por em

Guilhotina #61 – Deivison Nkosi

Bianca Pyl e Luís Brasilino entrevistam o sociólogo Deivison Mendes Faustino, mais conhecido como Deivison Nkosi. Professor adjunto da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e doutor em Sociologia pela UFSCar, ele é autor do livro “Frantz Fanon: um revolucionário, particularmente negro”, publicado pela Ciclo Contínuo Editorial em 2018. A obra é uma biografia intelectual …

por em

Um resgate necessário: o Brasil de combate à fome

Dentre as informações que recebemos ano após ano, os números atualizados de desnutridos da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) encontram-se em uma gama de coisas que parecem nunca mudar: a existência da fome. Mesmo que existam diferenças entre progressos e retrocessos, faz alguns anos que os relatórios apontam algo entre setecentos …

por em

Primeiro ano de governo Bolsonaro é marcado por ataques à cultura

“O ignorante afirma, o sábio duvida, o sensato reflete”, teria dito Aristóteles. “A mamata vai acabar”, afirmou Jair Messias Bolsonaro. “‘O que está escrito na Lei? Como a lês?’, teria questionado Jesus Cristo a um doutor da lei que queria colocá-lo à prova. ‘Amarás o teu Deus com todas as tuas forças e a teu …

por em

Ampliar o Fundeb é ato de responsabilidade cidadã

O colunista Marcos Mendes defendeu na Folha de São Paulo que “aumentar os recursos do Fundeb (Fundo de Financiamento da Educação Básica) é irresponsabilidade fiscal contra a União”. A União participa hoje com 10% da arrecadação do fundo que é a principal fonte de financiamento da educação básica. O pleito expresso por especialistas, gestores da …

por em

“A juventude sempre será a força motora das grandes mudanças”

Eduardo Suplicy, com quase 79 anos, hoje é um dos pré-candidatos do PT para prefeito de São Paulo nas próximas eleições de outubro. Vale lembrar que Suplicy foi o primeiro candidato a prefeito pelo PT, também em São Paulo, em 1985, em uma eleição marcada pela volta do direito da população de eleger seu prefeito …

por em

Políticas identitárias

“o fascismo que está em todos nós, que ronda nossos espíritos e nossas condutas cotidianas, o fascismo que nos faz gostar do poder, desejar essa coisa mesma que nos domina e nos explora”. Foucault Tentar inferir da condição de vítima a condição de um agente revolucionário parece-me ter sido um dos principais equívocos de Marx …

por em

O assassinato como política pública

Em agosto de 1970 a revista Veja estampou em sua matéria de capa uma inédita investigação acerca dos grupos conhecidos como “Esquadrões da Morte”. Os anos duros da ditadura militar brasileira carregavam consigo um experimento já consagrado em outras experiências autoritárias: a formação de grupos armados para a execução sumária de pessoas tidas como indesejadas. …

por em

A desinformação influencia eleições ao redor do mundo

O uso de desinformação como ferramenta política ganhou força na última década e influenciou significativamente grandes acontecimentos e eleições ao redor do mundo. No entanto, engana-se quem pensa que essa estratégia é recente. Ao longo da história, as conspirações e farsas circularam entre todas as classes sociais, sendo parte indissociável dos governos de reis, imperadores, …

por em

Jaraguá é Guarani

[…] Hoje já não resta quase nada de floresta em sua terra doente e não podem mais beber a água de seus rios. Agora querem fazer a mesma coisa na nossa terra. Davi Kopenawa 1, xamã yanomami. Na segunda semana de janeiro, por intermédio da Aliança Universidade e Povos Indígenas (Aupi), um coletivo que realiza …

por em

A nova estratégia do governo para desestatizações e desinvestimentos

O governo federal indicou, nesse início de ano, que pretende intensificar e acelerar seu programa de desestatizações e desinvestimentos. Em 2019 o governo levantou cerca de R$ 105,4 bilhões com privatizações e o volume executado de investimentos das estatais federais sofreu queda de 31,3%, caindo de R$ 84,8 bilhões em 2018 para R$ 58,3 bilhões …

por em

Future-se leva adiante política de supressão da autonomia universitária

As indicações para reflexão, debate e ação aqui sistematizadas complementam dois outros textos do autor, respectivamente relativos à primeira e à segunda versões do Future-se. O presente balanço examina, de modo mais específico, a terceira versão divulgada em 3 de janeiro de 2020, mas não se restringe a ela, pois busca analisar as nervuras essenciais …

por em

Guilhotina #59 – Daniel Hirata

O Estado brasileiro foi responsável por quase 40% das mortes ocorridas no Rio de Janeiro em 2019. O convidado desta semana Daniel Hirata, professor de Sociologia da Universidade Federal Fluminense, acaba de lançar uma pesquisa inédita que contribui para elucidar o porquê de tanta letalidade. Ao lado da pesquisadora Carolina Christoph Grillo, ele coordena um …

por em

Campos de veneno

Nos inícios dos anos 2000 o terreno ao lado da casa de Seu Macaxeira foi comprado por um sulista recém chegado. De início, Seu Macaxeira ficou feliz com a chegada do novo vizinho. Era simpático e dizia que vinha trabalhar a terra. Ao se apresentar, falou que queria mesmo vir para um lugar tranquilo, que …

por em

A crise da democracia também está no cotidiano

De Aristóteles a Steven Levitsky, a democracia nunca teve uma explicação definitiva. Talvez seja esse um dos motivos pelos quais é difícil elaborar uma crítica que a totalize ou, da mesma forma, decretar as fronteiras de suas temporalidades, como se tornou comum nos últimos tempos como reação à ascensão de extremas-direitas em vários lugares do …

por em

Guilhotina #58 – Marina Yukawa

Bianca Pyl e Luís Brasilino recebem a jornalista Marina Yukawa, autora do livro-reportagem “Sorrisos amarelos: histórias de jovens mulheres orientais no Brasil”. A obra traz cinco relatos de pessoas que sofrem ou sofreram violência, assédio ou preconceito por conta de suas origens asiáticas. Na conversa, a fetichização da mulher oriental, com a expectativa de submissão …

por em

O desastre do modelo de mineração: o que virá após Brumadinho?

Muito já se discute sobre os desafios da “transição energética” de combustíveis fósseis para renováveis, colocados como “verdes” ou “limpos” e, assim, atraindo uma nova leva de investidores em matrizes energéticas diversificadas. O Banco Mundial anunciou em 2017 o aumento da demanda por minérios variados para uma “economia de baixo carbono”. A proposta chamada de …

por em

Palavras de Samuel

Há alguns dias a sociedade brasileira assistiu ao vídeo de um secretário de governo com retórica, ideias e estética nazifascistas. Foi estarrecedor. Em matéria de Julia Moura publicada em 17 de janeiro na Folha de S. Paulo, o economista Samuel Pessôa disse ter pensado se tratar de fake news. Analistas, ele incluso, apontaram que o …

por em

“A pornografia é a máquina de propaganda do patriarcado”

Savannah é o nome artístico de Shannon Michele Wisley Longoria. Começou a trabalhar aos 20 anos como atriz na Vivid Entertaiment, produtora situada na Califórnia, uma cidade dos Estados Unidos onde reside o núcleo da produção mundial de pornografia. Shannon destacou-se rapidamente pela beleza do seu rosto. Rapidamente também começou a se envolver com drogas …

por em

MAS define candidatos sob ambiente de repressão na Bolívia

Foi da capital Argentina, Buenos Aires, que o ex-presidente Evo Morales anunciou o ex-ministro da economia Luis Arce Catacora como o candidato do Movimento ao Socialismo (MAS) para as eleições previstas para 3 de maio. O fato de a decisão ser proclamada do país vizinho revela a contundência das ameaças e perseguições contra amplos setores …

por em

Educação financeira para tapar o sol com a peneira

Seria completamente irresponsável da minha parte defender que o controle de receitas e despesas e o domínio de conceitos básicos relacionados a finanças pessoais como juros, inflação, empréstimos e investimentos são perfeitamente dispensáveis para um cidadão comum. É claro que não são. Uma vida financeira equilibrada, sem dívidas, por sinal, talvez seja uma das condições …

por em

A sabedoria do povo Na’Vi

Os números divulgados pela The Global Assessment Report on Biodiversity and Ecosystem Services, órgão intergovernamental estabelecido pelos Estados membros da ONU, em seu último relatório, o IPBES/2019, apontam para a avalanche de mais de um milhão de novas espécies que entrarão nas listas das “ameaçadas” de extinção, como consequência direta do aquecimento global. Segundo o …

por em

Memórias de Brumadinho: vidas que não se apagam

Tinham se mudado para a região mais ou menos um ano e nove meses atrás. No sul da Bahia onde viviam estavam sofrendo perseguições dentro da sua própria terra. Alguns integrantes da aldeia já estavam em Belo Horizonte para vender artesanato e mandar o dinheiro para suas famílias. Decidiram vir todos para a região. Apesar …

por em

Guilhotina #57 – Rodolfo Vianna

Como Folha de S.Paulo, Estadão, O Globo, Jornal Nacional, Jornal da Record e SBT Brasil acompanharam os debates em torno da reforma da Previdência? Quais especialistas foram consultados? Eles eram críticos ou apoiadores do projeto? As respostas estão em estudo do Coletivo Intervozes realizado pelo convidado desta semana do Guilhotina, o jornalista Rodolfo Vianna, mestre …

por em

Enfim, a classe trabalhadora chegou ao paraíso?

A palavra empreendedorismo vem ganhando espaço, desde a crise econômica de 2008, com ênfase em algumas de suas dimensões, supostamente positivas para o trabalhador: a não existência de chefes definindo o quê e como fazer; e a liberdade para decidir quando e onde fazer. Por outro lado, aspectos como insegurança, risco, ausência de direitos, isolamento …

por em

A China pode crescer mais?

O Birô de Estatísticas da China (BEC) anunciou, recentemente, a taxa de crescimento do PIB chinês para 2019. O índice ficou em 6,1%, a menor taxa desde 1990, mas dentro da meta estipulada pela governança chinesa de manter um ritmo de crescimento entre 6% e 6,5% a.a. Porém, uma série de questionamentos são lançados, sendo …

por em