Skip to content
8 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Hugo Penteado
13 de dezembro de 2023 07:01

Mas não é culpa dos políticos bem intencionados. É o sistema. A Michele Obama quis mudar alimentação das escolas públicas para trocar lixo por alimentos nutritivos e, pasmem, a um custo mais baixo. Acho que deve ter sido ameaçada até de morte, só pode, porque pararam tudo. Vivemos sob a égide de uma plutocracia cleptocrática machocrata dominante e branca, que através dos seus sistemas de comunicação é idolatrada por todos, pela ricolatria geral. Os ricos querem transformar tudo em mais riqueza que nem precisam, colocaram todos nós num Titanic, mas eles estão em botes salva-vidas sem um Carpatia para resgatá-los. Eles também fazem parte desse espécie animal ecosuicida.

Marcelo
13 de dezembro de 2023 10:48

Saudações!
Buscando fugir de ideologias, pontuo sobre um aspecto desta discussão mais ampla na matéria.

Europa que no início deste ano colocou meta até 2035 para não produzir carros de combustão interna, agora está precisando repensar porque provavelmente terá sua indústria automobilística tragada pelas chinesas. E mesmo que não houvesse esta ameaça da quebra da indústria automobilística europeia, vamos pensar por outra perspectiva: um carro movido a etanol aqui no Brasil emite menos CO2 do que um carro elétrico rodando na europeu (devido a matriz elétrica européia, que irá abastecer o carro, ser predominantemente fóssil) – então, essa propaganda de zerar produção de carro de combustão interna não parece greenwashing?!

Ademar Ribeiro
14 de dezembro de 2023 06:17

Simplesmente estão tirando da terra o combustível pra atear fogo na própria terra.

Carlos Moura
14 de dezembro de 2023 06:43

Levam 4000 aspones para a COP para em seguida leiloar 600 blocos de exploração de petróleo. Desbunde.

Johan Strolen
14 de dezembro de 2023 09:28

É bem óbvio que é uma boa apresentação, a preocupação com o verde, clima, social, é uma janela de vaidades e fingimento, mostram a sociedade que estão ali para tentarem resolver o problema do mundo, uma vitrine para tirarem fotos, das entrevistas, montarem planos e estratégias que nunca sairão do papel. O poder economico sempre dominou e sempre dominará as ações no presente e futuro.
É um mero engodo, como outros tantos, e de tudo discutido e acertado, nada assinado ou comprometido, as pequenas ideias que quase não afetam o econômico da questão, serão levadas a cabo, mas as grandes, serão empurradas para a próxima gestão. Vc imagina o Brasil por exemplo, cujo representante presidente não dá a mínima para Green isso ou aquilo, a Amazônia chamas é ele passeando por ai dando zero atenção… Acha que é só o Brazil? São todos assim… Puro fingimento.

Petter Zanotti
14 de dezembro de 2023 10:06

O Brasil possui jazidas de petróleo muito relevantes e privar-nos de explorá-las é inaceitável, pois se houvesse de fato uma preocupação genuína com o meio ambiente deveriam em primeiro lugar abordar os países que mais contribuem para a emissão de CO2, como China, EUA e Índia, que juntos respondem hoje por mais de 50% das emissões de GEE.
O petróleo ainda irá figurar como fonte energética por muitos anos, pois simplesmente não temos substituto completo para o mesmo!
E isso não impede a pesquisa e adoção de fontes mais sustentáveis, a exemplo do que já fazemos há décadas no Brasil com o etanol e o biodiesel.
Mas é inadmissível ‘brasileiros’ fazerem uma propaganda suja e rasteira contra o desenvolvimento do Brasil enquanto fecham os olhos para aqueles que de fato poluem o mundo!

Libertario
14 de dezembro de 2023 11:12

COP28… Um evento onde chefes de estado vão de avião… Poluindo horrores… Para decidir que nos pobres temos que andar de bicicleta.

Helio
14 de dezembro de 2023 11:54

Se é o objetivo deixar de usar combustível sosssil porque fuçar no rio Amazônia ?, para acontecer igual a lagoa de Maceió

COPYLEFT © LE MONDE DIPLOMATIQUE

Desenvolvido por: Prima Estúdio

AcessarAssine