CRISE, REFORMAS, FORA TEMER, ELEIÇÕES INDIRETAS

13 pontos para embasar qualquer análise de conjuntura

O complexo financeiro-empresarial não tem opção partidária, não veste nenhuma camisa na política, nem defende pessoas. Sua intenção é tornar as leis e a administração do país totalmente favoráveis para suas metas de maximização dos lucros.

por: Maurício Abdalla
24 de maio de 2017
Crédito da Imagem: Mídia Ninja/cc

33957216413_b0624834e8_z

1 – O foco do poder não está na política, mas na economia. Quem comanda a sociedade é o complexo financeiro-empresarial com dimensões globais e conformações específicas locais.

2 – Os donos do poder não são os políticos. Estes são apenas instrumentos dos verdadeiros donos do poder.

3 – O verdadeiro exercício do poder é invisível. O que vemos, na verdade, é a construção planejada de uma narrativa fantasiosa com aparência de realidade para criar a sensação de participação consciente e cidadã dos que se informam pelos meios de comunicação tradicionais.

4 – Os grandes meios de comunicação não se constituem mais em órgãos de “imprensa”, ou seja, instituições autônomas, cujo objeto é a notícia, e que podem ser independentes ou, eventualmente, compradas ou cooptadas por interesses. Eles são, atualmente, grandes conglomerados econômicos que também compõem o complexo financeiro-empresarial que comanda o poder invisível. Portanto, participam do exercício invisível do poder utilizando seus recursos de formação de consciência e opinião.

5 – Os donos do poder não apoiam partidos ou políticos específicos. Sua tática é apoiar quem lhes convém e destruir quem lhes estorva. Isso muda de acordo com a conjuntura. O exercício real do poder não tem partido e sua única ideologia é a supremacia do mercado e do lucro.

6 – O complexo financeiro-empresarial global pode apostar ora em Lula, ora em um político do PSDB, ora em Temer, ora em um aventureiro qualquer da política. E pode destruir qualquer um desses de acordo com sua conveniência.

7 – Por isso, o exercício do poder no campo subjetivo, responsabilidade da mídia corporativa, em um momento demoniza Lula, em outro Dilma, e logo depois Cunha, Temer, Aécio, etc. Tudo faz parte de um grande jogo estratégico com cuidadosas análises das condições objetivas e subjetivas da conjuntura.

8 – O complexo financeiro-empresarial não tem opção partidária, não veste nenhuma camisa na política, nem defende pessoas. Sua intenção é tornar as leis e a administração do país totalmente favoráveis para suas metas de maximização dos lucros.

9 – Assim, os donos do poder não querem um governo ou outro à toa: eles querem, na conjuntura atual, a reforma na previdência, o fim das leis trabalhistas, a manutenção do congelamento do orçamento primário, os cortes de gastos sociais para o serviço da dívida, as privatizações e o alívio dos tributos para os mais ricos.

10 – Se a conjuntura indicar que Temer não é o melhor para isso, não hesitarão em rifá-lo. A única coisa que não querem é que o povo brasileiro decida sobre o destino de seu país.

11 – Portanto, cada notícia é um lance no jogo. Cada escândalo é um movimento tático. Analisar a conjuntura não é ler notícia. É especular sobre a estratégia que justifica cada movimento tático do complexo financeiro-empresarial (do qual a mídia faz parte), para poder reagir também de maneira estratégica.

12 – A queda de Temer pode ser uma coisa boa. Mas é um movimento tático em uma estratégia mais ampla de quem comanda o poder. O que realmente importa é o que virá depois.

13 – Lembremo-nos: eles são mais espertos. Por isso estão no poder.

 

 

Maurício Abdalla é professor de filosofia na Universidade Federal do Espírito Santo


EDIÇÕES ANTERIORES

32 Comments

    • Desde quando o senhor João Batista Silva é um notável?? Eleições diretas agora, do jeito que os petistas e seus capachos do PSOL e CUT estão propondo, só tem um objetivo, que é tentar encontrar uma saída para o Lula conseguir foro privilegiado e escapar do juiz Sérgio Moro. Quando interessa a essa gente desqualificada, passar por cima da constituição não significa nada. Para mim, Lula, Aécio, Temer, Gilmar Mendes, Renan Calheiros, Romero Jucá e toda gangue de picaretas devem primeiro pagar o que devem à justiça. Nosso país precisa de reforma política urgente para sairmos desse fosso nauseabundo onde estamos atolados. E não será um “pseudo notável” ou qualquer outro pretenso “Salvador da Pátria” que nos redimirá. O Brasil merece gente melhor no volante. Chega de ladrões, quadrilheiros, mafiosos e vendilhões!

      • O Brasil não merece o que aí está, mesmo. E o que aí está é fruto desse pensamento atrasado tal qual o aqui exposto pelo senhor e demais apoiadores, em alto ou em baixo nível, de golpes e perseguições e abate da democracia para que os que mandam, de fato, tenham facilidades em seus intentos.

    • Gente o importante é na próxima eleição não votar nestes políticos, nem em seus filhos e nem suas esposas, coisas que tentarão para se manterem no poder.

  • Bem lembrado.
    E os interesses dos cidadãos comuns? Quais são eles? Um bando de bocó? É isso que nos resta?
    Agir eticamente e com menos desejos egoístas pode melhorar a vida em sociedade.
    Não querer ter razão.
    Buscar a paz interior.
    São meus pontos para esta analise.
    Eduardo

  • ….realmente isto é a cara da globalizacão, mas penso que ainda a” SOBERANIA PERTENCE AO POVO “…e ai estes irão deixar-se submeterem???

  • Perfeita essa análise e para combater isso só se o povo unido e organizado em associacoes de classe, igrejas, sindicatos enfim a sociedade organizada em prol do coletivo poderá encontrar suas estratégias de luta contra esse estado de ideologia essencialmente econômico.

  • Esta é base do meu raciocínio contra o capitalismo selvagem e contra as privatizações (da saúde, da educação e da segurança principalmente ).
    Nenhum direito a menos !

  • Sempre foi assim o capital move todas as engrenagens, quem os tem , detém o poder, na realidade é quem comanda o país. O jogo politico e suas articulações são engendrados pelos poderosos donos do capital é óbvio,

  • Sim, são reais esses pontos de base, mas não deixa também de ser uma construção neurótica sobre a realidade: poder invisível, impessoal, onisciente, toda planejada a cada peça. Não há erros, disputas internas, questões de crenças no seio do mercado financeiro internacional? Imaginar esse Ser de Parmênides imperialista, no qual todo movimento é ilusório e só há uma inquebrável transcendência em cada peça, é nocivo para o pensamento.

  • Faz total sentido, mas existem outros aspectos a serem considerados. De toda forma fica evidente que as duas ideologias foram sucumbiass pelo conglomerado econômico financeiro que se utiliza da globalização para obter seu fim. Se combate isso com cidadania, que por sua vez necessita de educação e cultura pra se estabelecer

  • Para mim, até como já foi dito antes, todos têm de pagar por seus erros antes que possam pretender qualquer novo posto político. Retirado, então, o presidente, vale nossa constituição e seria muito bom se, pelo menos desta vez, nós exigíssemos que ela fosse respeitada e seguida.

  • O que importa é saber como melhorar a convivência entre as classes
    Não tenho dúvidas do líder do capital e que ele manda
    Resta ao povo brasileiro sua liderança política saber conviver com este capital que é a mola deste mundo corrompida
    O mais é papo furado-academicista e sem propósito

    • Gente nova com caráter competência e compaixão pelos mais necessitados.E isto que precisamos
      O time de pessoas para compor uma boa equipe de governo existem aos montes e só convoca los
      Deixemos este complexo tupi-guarani de pessoas sem capacidade
      Temos sim técnicos capazes de tirar este país desse atoleiro

    • Isso!!!
      Mais ou menos como o combate a seca…
      Ela existe! Sempre existiu! E a estiagem, períodos sem ou com o mínimo de chuva, sempre existirá! Só começamos a ter êxito nesta luta, quando se compreendeu que o melhor seria aprender a como CONVIVER com ela, tentando minimizar os seus efeitos. Quem sabe um dia, erradica-los de uma vez?!
      Os efeitos! A causa…

  • Dias desses li num jornal sobre uma correção no cálculo da taxa do aquecimento global e pasmei: a tal taxa é na verdade 140% maior! Esses verdadeiros donos do poder percebem a gravidade do quadro, não se importam ou são suicidas mesmo? Na perspectiva do texto somente eles teriam os reais intrumentos para amenizar o impacto do homem sobre o Sistema Terra. Já terão eles um plano B?

    • Naaada!!!
      Eles simplesmente não acreditam em nada disso. Eles não dão créditos a esse tipo de notícia. Coisas de ‘cientistas’… fantasias… “voltemos as nossas atenções ao mercado econômico e os deixemos ‘sonhar’ com essas abobrinhas deles”.
      É mais ou menos por aí!

  • O dinheiro traz poder e o poder traz dinheiro. Que o mundo é controlado pelas grandes corporações, isto é fato. Mas se querem demonizar o capitalismo, o que propõem para resolver o problema? A implantação do socialismo? Comunismo? Me digam o nome de 1 país não-capitalista que “deu certo”. E não vale citar países que apresentam políticas sociais de esquerda mas que obviamente possuem políticas econômicas capitalistas.

  • Um homem um presidente justo competente e visionário governaria com soberania acima da política e acima da economia, seus atos são a sociedade não simplesmente “o povo” palavra desgastada pela fraqueza falta de uníssono que serve aos inescrupulosos domínios governantes.

  • Estamos vivendo um momento propício, não para agir de maneira que vá só a criticar mais se unirmos o Dr Hermann Benjamim deixou bem claro suas palavras “isso é um MILAGRE estarmos aqui julgando todo um movimento político “é isso que temos que fazer se mobilizar discutir uma maneira se possível até pessoalmente de cada um de nós e aumentar em todo o Brasil o nosso potencial reunir uma NAÇÃO inteligente, é esse o nosso primeiro plano, dar Força 💪 e Luz 🔦 para o povo saber votar ❌, temos que ser perseverantes é um processo demorado que tem que ser rápido, está em nossas mãos 👐 reunir essa Massa mãos 👐 a OBRA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *