Qual é a hora de gritar abaixo a ditadura?

Entre o fim de março e o início de abril (época em que o golpe de 1964 é lembrado ou, no caso do delinquente que ocupa a Presidência, celebrado), estrearia em São Paulo e no Rio de Janeiro o documentário “Libelu – Abaixo a Ditadura”. Selecionado para a mostra competitiva do festival É Tudo Verdade …

por em

Bolsonaro ano 1: a democracia no picadeiro

Das sombras ao estrelato ou como Jair se transmutou de homem em mito debochando de todos nós Passados um ano e meio do governo liderado pelo presidente Jair Bolsonaro e diante do que se transformou sua presença como ilustre inquilino do Planalto, uma grande parcela daqueles que o elegeram já se mostraram arrependidos. Entretanto, algo …

por em

A mudança de conjuntura e a resiliência de Bolsonaro

Neste início de segundo semestre de 2020, Bolsonaro se encontra nas “cordas”, castigado por uma série de derrotas e acontecimentos recentíssimos que fazem crer que o seu governo pode estar em fase terminal. Entretanto, não se deve desconsiderar a resiliência de Bolsonaro e de seu governo (atestada por diversas pesquisas de opinião), por razões que …

por em

Fogo no Ártico

Quando ouvimos a temperatura de 38º celsius, a imagem que vem à cabeça é de uma praia no Nordeste brasileiro, ou do verão escaldante do Rio de Janeiro. Mas no dia 21 de junho, essa foi a temperatura registrada na cidade de Verkhoiansk, na Rússia. A cidade fica dentro do círculo polar ártico. Isso mesmo, …

por em

30 anos do ECA e a maior ameaça de sua história

Faz 30 anos que o Estatuto da Criança e do Adolescente, principal lei do país na área, foi conquistada. O ECA reconhece as crianças e adolescentes como cidadãos com direito à educação, saúde, alimentação e convivência familiar e comunitária etc., construindo um arcabouço legal de referência. Ele foi o principal norte, depois de nossa Constituição, …

por em

Reflexões sobre o combate à Covid-19 nos EUA e no Brasil

A análise de Henry Giroux sobre a desigualdade na era da pandemia publicada na revista Salon é destes textos que vale a pena ler para comparar com o caso brasileiro. Para Giroux, a desigualdade não é apenas o câncer do capitalismo, é sua forma de atacar o tecido social, o bem-estar social e o corpo …

por em

Precisamos curar o Brasil

A atuação do governo brasileiro tem sido absolutamente desastrosa em muitas áreas, mas nada se compara aos resultados produzidos nos dois grandes desafios que enfrentamos nesse começo de século: o combate à pandemia de Covid-19 e a destruição da floresta amazônica.  O vírus Sars-Cov-2 espalha-se livremente pelo país, atingindo mais de 1, 6 milhão de …

por em

As MPs de Bolsonaro: reflexos e predileções da nova política

Observar a edição de Medidas Provisórias (MPs) pelos governos federais tornou-se uma importante rotina para aqueles que pretendem compreender a disposição política das gestões, sua agenda legislativa e o diálogo que pretendem travar com outras instituições, em especial com o Congresso Nacional. Herança dos Decretos-leis, as MPs são atos normativos primários editados pelo presidente da …

por em

Para não morrer, resistir é preciso: o futuro começa agora

Divulgar os males seria contribuir para agravar os problemas e para exasperar o povo? Os fatos angustiam, mas conhecê-los é um caminho necessário para o encontro e aceitação das soluções. (D. Paulo Evaristo Arns, 24 de junho de 1976) Censurar ou selecionar as informações oficiais sobre a atual pandemia é a nova tática do governo …

por em

A resistência cotidiana no capitalismo com (e sem) a Covid-19

No Brasil, assim como em boa parte dos estados nações denominados como “em desenvolvimento”, a segregação socioespacial é um dos fundamentos da reprodução do capital e que, no momento em que hoje vivemos, com a pandemia da Covid-19, se aprofunda, radicalizando ou chegando a situações extremas para a vida da população. Tomando Lefebvre (1983) como …

por em

O vírus que o Brasil não conseguiu eliminar

A pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2) tem alterado a rotina de grande parte das pessoas. Com o avanço da doença, a partir da transmissão comunitária, medidas de contenção social foram adotadas pelos governos como forma de combate à Covid-19. Entretanto, tais recomendações vêm causando severas repercussões negativas para uma parcela específica e significativa da sociedade: …

por em

Contra o normal no futuro

Sob o capitalismo, é necessário que os agentes econômicos ajam obedecendo a uma visão de futuro, capaz de modular os esforços produtivos presentes que garantam a sobrevivência do próprio capital. Quando a produção é incapaz de atingir os consumidores, ela se mostra como uma crise de superprodução, esterilizando o valor sob a forma de tempo …

por em

Elena Ferrante: desejo de intangibilidade

O poeta italiano Attilio Betolucci tem um verso que diz: “Ausência, a mais aguda presença”. Como no paradoxo do verso de Bertolucci, a ausência de uma figura que acompanhe o nome Elena Ferrante tem sido percebida como uma das presenças mais afirmativas do cenário literário contemporâneo. Há quase três décadas, Ferrante tem assinado algumas das …

por em

O que Bolsonaro falou durante a pandemia

Em dois meses e meio de pandemia Jair Bolsonaro falou o suficiente para preencher 130 páginas de pronunciamentos, entrevistas, coletivas e “lives”. Em uma média superior a mil palavras ao dia, é possível reconhecermos padrões de conteúdo, prioridades e valores do presidente diante da maior crise sanitária do século XXI. Durante 77 dias de pandemia …

por em

O enfrentamento do coronavírus na Venezuela

A pandemia do novo coronavírus teve seu início entre novembro e dezembro de 2019, sendo identificada pela primeira vez na cidade chinesa de Wuhan. A alta transmissibilidade do vírus SARS-CoV-2 provocou uma rápida propagação do quadro a nível mundial desde então.[1] Na Venezuela, os primeiros casos reportados foram registrados no dia 13 de março e …

por em

Quem gosta de passado é quem questiona estátua

Nenhuma estátua importante foi derrubada em São Paulo, mas o debate borbulha com a possibilidade de que haja uma intervenção na narrativa histórica urbana, que ela possa ser feita por atores para além da política tradicionalmente institucionalizada em um ato de protesto. “Seria isso legítimo?” “Não seria isso apagar a memória histórica?” As perguntas precisam …

por em

Vítimas invisíveis: pessoas LGBT+ na pandemia de Covid-19

Em virtude do alto poder de contágio do novo coronavírus, as autoridades públicas da maior parte do mundo passaram a conjugar dois importantes métodos no combate à pandemia de Covid-19: o distanciamento físico e os protocolos de higiene. A redução do contato físico através de uma nova gestão do espaço e os protocolos sanitários tornaram-se …

por em

Despolitização da política econômica e avestruzes

Para analisar a inserção internacional do Brasil no enfrentamento à pandemia da Covid-19, o professor Oliver Stuenkel, da FGV-SP, cunhou o termo “aliança de avestruzes“, situando o país junto a seus pares que negam a gravidade da crise sanitária global e rejeitam as normas preconizadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como necessárias à sua …

por em

Economia política, moral e o novo coronavírus no Brasil

As crises, como todas as coisas no mundo, apresentam duas faces normalmente encaradas antiteticamente como positivas e negativas. Quando se pensa na ciência como esfera destacada do conhecimento necessário à sua compreensão e superação, as crises acabam por fazer renascer questões de maior profundidade e relevância, exigindo por parte dos cientistas um esforço no sentido …

por em

Você falaria “eu avisei” para este rapaz?

Não sei o nome dele – pode também ser ela – e nem o do fotógrafo. O jovem é entregador, deve ser motoqueiro, a se conferir pelo capacete. É possível que rale sete dias por semana, faça chuva ou faça sol. É um batalhador e tem jeito de estar revoltado como os milhares que o …

por em

A arte pela vida durante a pandemia

Às vezes me pergunto sobre a obviedade em escrever e falar sobre cultura e sua importância. Parece-me que, principalmente, nesses tempos de pandemia e isolamento muitas das nossas atividades e rotina têm relação – ainda que mínima – com a arte. Para mantermos nossa sanidade mental ou tentarmos, assistimos a séries e filmes, lemos livros, …

por em

Renda básica na educação

A garantia por parte do Estado de uma renda básica permanente não é algo simples de se colocar em prática. São necessárias costuras políticas complexas e múltiplas análises do cenário fiscal presente e futuro do Brasil. Felizmente, qualificadas mentes do debate público como Tatiana Roque, Monica De Bolle, Daniel Duque e Naercio Aquino Menezes Filho, …

por em

Precariado das ruas, presente!

Dia 1 de julho de 2020 entrará para a história como um marco, o primeiro grande levante do precariado das ruas contra as condições de pauperização a que é diariamente submetido.  É importante destacar algumas questões que envolvem essa temática para entendermos o porquê esse é um dia para ser lembrado. Comecemos por uma recapitulação …

por em

Brasil é citado como referência negativa pela relatora da ONU

Desde o início da pandemia, a educação tem vivido uma disputa de perspectivas sobre quais os melhores caminhos para as políticas emergenciais na área.  Por um lado, há aqueles que, sob uma perspectiva produtivista, defendem falaciosamente que “a educação não pode parar” – tal qual o slogan furado do governo federal para a manutenção do …

por em

O amanhã no “chão da escola”: lidando com afetos

Começo com palavras que não são minhas e que assim foram ditas, quase sem pausa e em caixa alta: “MINHA MAIOR PREOCUPAÇÃO NÃO ESTÁ NA APRENDIZAGEM NESTE PERÍODO, E SIM COMO SERÁ A FORMA HUMANIZADA DE RECEBER ESSES ALUNOS QUE ASSIM COMO EU (OU PIOR) ESTÃO PASSANDO POR UM MOMENTO ESTRESSANTE”.  Tais palavras são da …

por em

Uma festa verde, amarela e violenta

Se eu ousasse escrever que em um determinado tempo a política era feita com armas, minha afirmação estaria incorreta. A política nunca deixou de lado o seu braço armado e não pode existir poder político sem algum tipo de coerção para que seja exercido. Atos de violência cometidos por ditaduras não melhoram a situação das …

por em

Para além da apropriação cultural

Um dos objetivos que constitucionalmente fundamenta a República Federativa do Brasil é o de erradicar a pobreza e a marginalização, reduzindo as desigualdades sociais e regionais. Nossa Constituição, fundada em amplo conhecimento sobre a formação econômico-social do país, construiu mecanismos vários que, frente às nossas deficiências estruturais advindas da condição de país com passado colonial, …

por em

Eles não têm educação?

Até agora, completando 18 meses de governo, Jair Bolsonaro não teve um ministro da Educação de verdade, pois nada foi feito na eminente pasta. Este é o discurso clichê de uma parte da mídia e de intelectuais de plantão. Há outros comentaristas que apontam o ex-ministro Abraham Weintraub como um gestor ligado a ala ideológica …

por em

“Algo está fermentando sob o coração do noroeste da Europa”

O professor de Geofísica da Universidade de Nevada (Estados Unidos), Corné Kreemer, usa dados geodésicos de estações de GPS para entender os processos que orientam a deformação e o movimento das placas tectônicas. Sua técnica lhe permitiu fazer uma descoberta inédita na Europa: a superfície terrestre está se movendo para cima e para fora em …

por em

Tranca, contêiner e bomba: a gestão penitenciária da pandemia no Brasil

“Granadas indoor: fabricadas com o corpo inteiramente de borracha, duplo estágio e retardo 1,5 segundos, são ideais para utilização em ambientes internos.  Granadas lacrimogêneas: produzem densa fumaça, com agentes lacrimogêneos, garantindo a eficácia na ação dos agentes da lei.  Pimenta OC e CS: para uso no controle de distúrbios, garantem eficácia na incapacitação através da …

por em

De títulos e raças

Campo Grande, 13 de abril de 2013. Diante dos ouvintes atentos, a senhora de vestido azul acinzentado se apresenta para a plateia como “mestre em Educação, em Direito Constitucional e Direito de Família”. Ao que tudo indica, não foi a primeira nem a única vez em que a palestrante se utilizou dessa digressão preambular para …

por em

Contextualizar o desmonte é essencial

O Sistema Único de Saúde (SUS), promulgado na Constituição de 1988, é um dos maiores sistemas públicos de saúde do mundo. Estruturado a partir do princípio da saúde como um direito universal, é composto por uma extensa rede de Atenção Primária à Saúde (APS) que, a partir do modelo de atenção da Estratégia de Saúde …

por em

Será que o Brasil vai ter acesso à vacina contra o novo coronavírus?

É comum agora ver notícias sobre um potencial tratamento ou vacina contra o novo coronavírus. Em meio à pandemia, e com a avaliação de que o retorno à normalidade só será possível após a descoberta de uma forma de imunização, estas informações podem trazer esperança. Mas, infelizmente, tais soluções ainda podem estar muito distantes. Tanto …

por em

Onde os fracos não têm vez

“Às vezes, salvar uma vida é um crime maior do que tirá-la”. Eis a frase dita pelo médico eugenista Harry Haiselden no filme A cegonha negra de 1917, em que interpreta a si mesmo, momentos antes de recusar uma manta quente a um recém-nascido com deformações físicas. O filme trata da eugenia, ideia bastante presente …

por em

Sobre igrejas no contexto da pandemia

Falar sobre o papel das igrejas no contexto da pandemia, necessariamente, exige que se fale sobre os impactos da crise no cotidiano delas. Desde o início do isolamento social, muitas igrejas tiveram que repensar a forma de realizar as celebrações, os rituais, os estudos bíblicos e o acompanhamento às famílias enlutadas, em especial, pela Covid-19. …

por em

Fascista ou não fascista? Eis a questão

O neofascismo grassa no mundo. De Viktor Orbán a Rodrigo Dunterte, avolumam-se as experiências sobre as quais historiadores, cientistas políticos, sociólogos e antropólogos discutem a viabilidade e correção do uso do ferramental cognitivo criado pelo estudo das experiências fascistas do século XX para o século XXI. O Brasil, florão da América, fulgura como caso a …

por em

Como sobreviver às marcas invisíveis da tortura?

No Dia Internacional de Apoio às Vítimas de Tortura, 26 de Junho, os sobreviventes e as famílias dos sete jovens torturados pelo Exército no episódio conhecido como Sala Vermelha lutam pela responsabilização penal dos torturadores e convivem com as marcas invisíveis da brutal sessão de tortura a que foram submetidos em 20 agosto de 2018, …

por em

Um projeto de destruição

Passadas pouco mais de três décadas da redemocratização no Brasil, que concebeu a celebrada Constituição Cidadã, estamos hoje enquanto sociedade sendo sufocados pela força e violência de um projeto autoritário em curso no país. Projeto desavergonhado, de um presidente populista, que saiu das sombras da nossa história e galgou poder no Estado brasileiro se apoiando …

por em

Impactos da Covid-19 nas periferias

Não é segredo para ninguém que o novo coronavírus evidenciou e potencializou as desigualdades existentes na sociedade brasileira. Desigualdades sociais, econômicas, raciais e urbanas tornaram-se condições para quem morre ou vive ante a pandemia mais grave e aguda do último século, que tem vitimado e está interrompendo milhares de vidas, além da dor, do trauma …

por em

Dia Internacional de Apoio às Vítimas de Tortura

“Quero a utopia, quero tudo e mais Quero a felicidade dos olhos de um pai Quero a alegria muita gente feliz Quero que a justiça reine em meu país Quero a liberdade, quero o vinho e o pão Quero ser amizade, quero amor, prazer Quero nossa cidade sempre ensolarada Os meninos e o povo no …

por em

A geografia, o governo das massas e a curva da Covid-19

Passados alguns meses do início da pandemia, é possível dizer que dois campos de interesse mobilizaram, com especial intensidade, a atenção de pesquisadores e críticos preocupados com os fenômenos pertinentes à escala urbana. Os eventos ligados à segregação socioespacial e ao governo das massas ganharam, assim, uma posição de relevo na reflexão crítica que se …

por em

Sorriso amarelo ou os tamagotchis da branquitude e a luta antirracista

No dia 25 de maio de 2020, Derek Chauvin assassinou George Floyd após asfixiá-lo com o seu joelho. O primeiro estava armado, o segundo, desarmado. O primeiro era um policial com um contingente de três policiais para apoiá-lo, enquanto o segundo, um cidadão comum que estava sozinho. O primeiro é um homem branco, o segundo, …

por em

Preservar monumentos da barbárie para a elaboração de erros

O cruel assassinato de Georg Floyd – cruel por ter sido explícito e não por ser fato isolado –, nos Estados Unidos, desencadeou uma série de manifestações e protestos contra o racismo mundo afora. Assim como o fogo usado pelo tunisiano Mohamed Bouazizi para se suicidar se alastrou pelos países árabes, o movimento antirracismo tem …

por em

O Exército é o fiel da balança?

O país vive uma guerra discursiva entre o presidente da República e outras instituições de relevância democrática, como o Supremo Tribunal Federal, e o mapa desse conflito demonstra que Jair Bolsonaro está perdendo espaço político. Ao lado do presidente, de forma serviçal, encontra-se o Exército.  Mas por quê?  Primeiramente deve-se lembrar que o Exército brasileiro …

por em

Covid-19 e a Doutrina do Choque: a distopia brasileira

A pandemia de Covid-19, declarada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 11 de março de 2020, surgiu em um contexto de crises social, ecológica, econômica e política. Entre mandos e desmandos, o Brasil oficialmente ultrapassou a lamentável marca de 1 milhão de pessoas infectadas e o número de 50 mil mortes. Saliento a subnotificação …

por em

Rico e desigual: as persistentes e vergonhosas contradições do Brasil

O Brasil foi classificado como o 7º país mais rico do planeta em 2010. Atualmente, ocupa a 9ª posição nesse ranking. Mas as previsões de encolhimento do PIB brasileiro, em 2020[1], já possibilitam projetar que o país passará a ocupar a 12ª posição na seleta lista das maiores economias mundiais a partir de 2021. Baseado …

por em

Povos indígenas do Cerrado enfrentam dificuldades para se proteger da Covid-19

Lavar as mãos regularmente com água e sabão. Na aldeia Guyraroká, a recomendação da Organização Mundial da Saúde não é tão simples de ser cumprida. Os Guarani Kaiowá que ali vivem, além de buscar evitar a contaminação pelo novo coronavírus, lidam com as dificuldades no abastecimento de água da região, no bioma Cerrado.  A aldeia …

por em

“Importar” manifestações contra o racismo?

As manifestações contra o assassinato de George Floyd chacoalharam o mundo e provocaram questionamento das massas sobre colonialismo e, claro, sobre racismo.  No Brasil, a onda não passou desapercebida. Em meio à alta instabilidade institucional que sacode a República, o próprio vice-presidente general Hamilton Mourão escreveu recentemente um artigo afirmando que não deveríamos “trazer para …

por em

Taiwan: o barril de pólvoras do século XXI

Taiwan é uma pequena ilha montanhosa, de aproximadamente 36 mil quilômetros quadrados, banhada pelos mares da China meridional e da China Oriental, e sem grandes recursos naturais.  Sua história recente, contudo, confunde-se com o enredo da política mundial dos dois últimos séculos. O motivo está na proximidade de Taiwan com o que hoje é conhecido …

por em

Brasil derruba Weintraub

Quem derrubou o “pior ministro da Educação da história do Brasil” foi a União Nacional dos Estudantes (UNE), a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), as entidades estudantis estaduais e municipais, a Associação Nacional dos Pós-Graduandos (ANPG), a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), a Ordem dos Advogados do Brasil …

por em

Morte súbita: a volta do futebol brasileiro na pandemia e a política

Maracanã sob silêncio. No terceiro dia com mais mortes durante a pandemia do coronavírus no Rio de Janeiro, o Flamengo voltou aos gramados contra o Bangu pelo Campeonato Estadual. Sem torcida, além das delegações esportivas envolvidas na partida, estavam no complexo do estádio até 400 pacientes que conviviam a doença. Essa é a capacidade do …

por em

Desinformação desafia o controle do uso de agrotóxicos

Frente à expansão do agronegócio, nas últimas duas décadas, e à proximidade cada vez maior entre as plantações de soja e as comunidades rurais e urbanas, o controle do uso de agrotóxicos na Região Metropolitana de Santarém enfrenta dois grandes desafios. A subnotificação de casos de intoxicação por contato com essas substâncias químicas e a …

por em

Uma reflexão a partir de Hans Jonas

Há tanto racismo na filosofia quantos foram os seus autores, quase sempre homens, quase sempre brancos, quase sempre europeus ou norte-americanos. Compreendido como o conjunto de teorias que tentam legitimar a superioridade de uma raça ou de uma etnia sobre a outra, nossa história coleciona horrores como aqueles que aparecem em afirmações de Hegel, para …

por em

Brasil exporta soja com desmatamento ilegal

A pandemia de Covid-19 é fruto da interação natureza-agricultura-alimento-saúde. Um estudo publicado na Nature em 2019 concluiu que 25% de todas as doenças infecciosas e 50% das doenças zoonóticas que contaminaram os seres humanos estavam associadas à agricultura. A degradação ambiental e as mudanças climáticas aumentam ainda mais o risco de novas pandemias e, como …

por em

Ameaças da militarização do combate ao desmatamento no Amazônia

Enquanto a Amazônia sofre com o colapso do sistema de saúde em meio à pandemia de Covid-19, os desmatadores não fazem quarentena. Imagens do crescente e avassalador desmatamento da região e do Cerrado circulam pelo mundo todo. Na Europa, o acordo comercial do Mercosul com a União Europeia tem sido questionado, frente à possibilidade de …

por em

Brasil: do vírus à peste da autocracia

Há alguns anos, Achille Mbembe, utilizando preceitos foucaultianos, explicou o que denominou de “necropolítica”. O termo se refere à ideia de que “a expressão máxima da soberania reside, em grande medida, no poder e na capacidade de ditar quem pode viver e quem deve morrer”.  No Brasil do coronavírus, dos soturnos clamores por rupturas institucionais …

por em

Lésbica e maconheira: “The Last of us parte II” e a indústria cultural

É importante a observação de Benjamin Barber sobre a infantilização da cultura.[1] O mercado decidiu manter o mesmo consumidor desde tenra idade. Mas, por outro lado, nem todo conteúdo produzido por este mercado é infantil. As crianças que jogavam videogame nos anos 1990 cresceram e precisam, agora, de um conteúdo mais encorpado (não necessariamente intelectualizada, …

por em

É hora de tratar a educação como investimento público

Em 2020 celebramos o centenário do nascimento de Celso Furtado. Como ministro do Planejamento de João Goulart, Furtado foi o responsável pela elaboração do Plano Trienal (1963), o qual contava com o primeiro Plano Nacional da Educação – PNE. Em 25 de junho deste ano, o PNE 2014-2024 chega ao sexto aniversário, paralisado e sem …

por em

Educação: o fosso é mais fundo

Enquanto a centralidade do debate sobre a educação no período de isolamento social abarca a realização do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), a instrumentalização da relação ensino-aprendizagem mediada pelas tecnologias de informação e comunicação (TIC) na Educação Básica em todos os níveis de ensino, assim como as ações autocráticas para o incremento da regulação …

por em

Futebol como instrumento de mobilização político contra Bolsonaro

Com os campeonatos paralisados em decorrência da pandemia de Covid-19, o futebol foi às ruas contra o autoritarismo crescente no país. Torcidas organizadas de clubes com rivalidades históricas se uniram, nas últimas semanas, em atos pró-democracia. As bandeiras levantadas pelos torcedores fazem contraponto a grupos bolsonaristas que defendem pautas anti-democráticas, como o fechamento do Supremo …

por em

Por que o discurso para ficar em casa não reverberou

Quando o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) passou a apresentar uma taxa diária de adesão da população paulista à quarentena, no começo de maio, pouca gente refletiu sobre o método utilizado para fazer a mensuração. Em parceria com as gigantes do setor de telecomunicações e com a associação que as representa a nível nacional, o …

por em

A esquerda precisa perder a razão

“E, em primeiro lugar, o individualismo. O intelectual colonizado aprendeu pelos seus mestres que o indivíduo deve afirmar-se. A burguesia colonialista introduziu a golpes de pilão, no espírito do colonizado, a ideia de uma sociedade de indivíduos, onde cada qual se encerra na sua subjectividade, onde a riqueza é a do pensamento. Mas o colonizado …

por em

Na pandemia, o Judiciário quer conciliar empresas e consumidores

Na manhã do último sábado (13/06/2020), um amigo me enviou uma reportagem recém publicada por um jornal de grande circulação que noticiava o novo projeto-piloto do Judiciário paulista. Buscando combater a “explosão de processos” prestes a ser deflagrada pelos impactos da pandemia do Covid-19, o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) lançou …

por em

Crises do capitalismo e cidade mercadoria

Rosa Luxemburgo (1871-1919), filósofa alemã, previu uma crise final do capitalismo, porque ele corroeria a si mesmo pela derrocada da capacidade aquisitiva dos trabalhadores, o que faria cair a mais-valia pela baixa do consumo em massa, da massa (trabalhadora). Para suprir essa falta de mercado consumidor, a classe capitalista teria que expandir seus negócios para …

por em

Colonialismo cultural e injustiça estética

Meu primeiro contato com uma pessoa assumidamente gay se deu por meio da televisão. Entre meus nove e onze anos, eu, meus pais e irmãs costumávamos passar as noites de sábado assistindo A praça é nossa, programa humorístico do SBT. Interpretada por Jorge Lafond (1952-2003), um gay negro, Vera Verão era uma de nossas personagens …

por em

Acordo comercial entre Bolsonaro e Trump: chances reais ou ilusão?

O livre comércio está no imaginário das discussões entre Estados Unidos e Brasil há mais de um século. E também no interesse dos Estados Unidos com outros países latino-americanos, com alguns destes chegando à sua concretização em décadas recentes, entre eles Chile e Colômbia. Apenas como referência, vale lembrar que James Blaine, secretário de Estado …

por em

O PT caminha para perder a sua importância social e política

Junho 2013. Há exatos sete anos, uma onda de protestos tomava as principais ruas do Brasil. Após a agressão da Polícia Militar de São Paulo contra os manifestantes, o que fora conclamado para ser um protesto sobre a gratuidade do transporte público na cidade se tornou uma miríade de reivindicações com interpretações variadas e inconclusivas. …

por em

Esboço de análise sobre o Projeto de Lei do Future-se

A nova versão do Future-se, agora como Projeto de Lei (PL) (publicado no sítio web da Casa Civil, no final de maio de 2020), tem de ser examinada em seu inteiro teor, articulando os seus artigos, parágrafos, incisos em um único corpus analítico, juntamente com a Exposição de Motivos de 3 de abril de 2020 …

por em

Quais crianças sua branquitude escolhe proteger?

Um sábio provérbio africano diz: “É preciso um vilarejo inteiro para cuidar de uma criança”.  Significa que toda uma comunidade de pessoas e, não apenas os pais, deve garantir o ambiente saudável e seguro às crianças.  O Estatuto da Criança e do Adolescente, no seu artigo 3º Parágrafo único diz o seguinte: “Os direitos enunciados nesta …

por em

Vidas amarelas por vidas negras

Homem amarelo, olhos puxados, óculos, livros na mão e estudante de medicina: uma combinação que não gera estranhamento e que confirma o estereótipo do asiático dedicado e inteligente. Como os indivíduos negros e indígenas, os chamados orientais também fazem parte de um grupo racializado. Porém, ao contrário de uma história de genocídio que se estende …

por em

Apagão de dados e imunização digital: rastreamento só para o que interessa

Em muitas regiões do Brasil, o isolamento e monitoramento do avanço da Covid-19 tem sido feito por meio de esforços coletivos e autônomos. Povos indígenas e quilombolas fecham acessos a suas comunidades, tentando conter invasões e denunciar desmatamentos que, além de devastar, aumentam a circulação do novo coronavírus. Comunidades periféricas de zonas urbanas se auto-organizam …

por em

Opondo “pacíficos” x “violentos” nos discursos sobre manifestações

Conforme aumentavam em número e intensidade as manifestações nos Estados Unidos, cujo estopim foi a morte por sufocamento de George Floyd por um policial branco, a imprensa brasileira oscilava a narrativa, classificando as ações dos manifestantes: marchar, andar pelas ruas em multidão é permitido, legítimo. Assim como  diversos expedientes simbólicos similares – ajoelhar diante de …

por em

Papicha: resistência, criação e redirecionamento da libido

Os últimos anos têm sido de emoções à flor da pele. Em 2018, mesmo com debates nas ruas, com nossas famílias, amigos e conhecidos, um candidato da extrema-direita ganhou força na corrida eleitoral. Muitos de nós, e falo especialmente a partir do movimento estudantil, fomos incansáveis. Nossa energia e ação política moveram-se no espaço público, …

por em

A violência do vírus e a violência do mito

Na novela “O Noturno do Chile”, escrita por Roberto Bolaño[1], um padre de nome Sebastian Urrútia Lacroix narra o processo golpista contra o governo de Salvador Allende na década de 1970. Em uma das cenas, o padre está de visita a uma festa oferecida por um funcionário de alto escalão da embaixada norte-americana e grande …

por em

Black Panther: que África é esta em Wakanda?

Depois de dois anos, eu finalmente decidi assistir o blockbuster da Marvel, “Black Panther” (Pantera Negra, em português) que estreou nos cinemas em 2018 com um elenco estrelar dirigido pelo jovem diretor afro-americano Ryan Coogler. Difícil não ver na escolha do diretor e também do elenco um programa político. Em plena era do Me Too …

por em

Narcotráfico em tempos de Covid-19

No dia 24 de maio de 2020, alguns estados brasileiros completaram dois meses de isolamento social em busca da contenção do avanço do novo coronavírus entre seus habitantes. Esse isolamento fez com que diversos setores econômicos, sobretudo o comércio, fechassem as portas. Apenas os serviços considerados essenciais foram autorizados ao funcionamento, tendo todo um controle …

por em

O necrogoverno Bolsonaro isolado da ciência e do mundo

Duas coisas destacam o Brasil no atual momento de enfrentamento à pandemia: sermos o único país no mundo com mais de 100 milhões de habitantes que tem o desafio e compromisso de oferecer um Sistema Único de Saúde (SUS) de qualidade para todos. O SUS, mesmo diante de diversos ataques, resiste com seus trabalhadores e …

por em

Um novo “jeitinho” para justificar o ensino a distância?

A educação superior pública sempre passou por desafios, desde seu nascedouro com uma perspectiva de educação elitizada e voltada basicamente ao ensino, até alçar outros patamares, passando pela constituição de um sistema educacional complexo, amplo (embora ainda insuficiente para ser universal) e que pouco a pouco foi se legitimando a partir do tripé ensino-pesquisa-extensão. Essa …

por em

Pandemia e litígios na educação

A pandemia Covid-19 tem desafiado gestores e comunidades a encontrar medidas que evitem o colapso dos sistemas de saúde e reduzam os óbitos. Para tentar reduzir os casos de contaminação, prefeituras adotaram o regime de isolamento social, suspendendo atividades de diferentes naturezas, entre as quais dos estabelecimentos de ensino, públicos e privados. No caso dos …

por em

A pandemia que dissecou a tirania de Bolsonaro

O desinteresse que Jair Bolsonaro tem mostrado em relação ao combate à pandemia que devasta e ceifa a vida de tantos brasileiros demonstra a face mais sombria de uma pessoa que não apresenta qualquer conexão com os rumos da sociedade brasileira. Bolsonaro, além de perdido e sem horizonte para oferecer ao país, parece estar cada …

por em

A hora e a vez das organizações interestatais de bem-estar social

O novo coronavírus não conhece fronteiras nacionais. Com velocidade arrasadora, contaminou mais de 7 milhões de pessoas na África, América, Ásia, Europa e Oceania, das quais 400 mil perderam a vida. Não bastasse o sofrimento causado por cada indivíduo doente e falecido, o novo coronavírus lançou o mundo em uma nova e profunda crise econômica …

por em

Nada como antes

I Na ditadura, líderes denominacionais estudaram na Escola Superior de Guerra, entregaram pastores para os órgãos de repressão, e incutiram nos fiéis que era uma luta contra o comunismo ateu. A partir da década de 1970, o anticomunismo foi acirrado pelas campanhas de apoio aos mártires da cortina de ferro, e da cortina de bambu. …

por em

Trabalho infantil deixa 2,4 milhões com infâncias ceifadas no Brasil

Segundo definição da Organização Internacional do Trabalho (OIT), o trabalho infantil priva a criança de sua infância, de seu potencial e de sua dignidade, e é prejudicial ao seu desenvolvimento físico e mental. Outra definição possível é todo trabalho realizado por crianças e adolescentes abaixo da idade mínima permitida, de acordo com a legislação de …

por em

O aumento da tensão mundial e o desafio ao poder naval dos EUA

Quem tem o mar tem o comércio do mundo, tem a riqueza do mundo; e quem tem a riqueza do mundo tem o próprio mundo. Sir Walter Raleigh (1552-1618), conselheiro econômico e militar da Rainha Elizabeth I, da Inglaterra.1 Dois terços da superfície “terrestre” estão cobertos pela água dos mares; a maior parte dessas águas …

por em

Tanatoeconomia, a economia política da morte

Se a única coisa que de o homem terá certeza é a morte; a única certeza do brasileiro é o Carnaval no próximo ano. Gracialiano Ramos Thánatos significa morte em grego, oposto de bio. Na mitologia grega, Tânato1 era a personificação da morte. Ao contrário de Sísifo, que persuadiu Tânato elogiando sua beleza e conseguiu …

por em

O ar que você respira pode agravar a pandemia

O Brasil, até 3 de junho de 2020, havia atingido mais de 580 mil casos e 32 mil óbitos confirmados por Covid-19. O país já é o 2º com maior número de casos, após os EUA; o 4º com maior mortalidade, e o 10º em número de mortes por 100 mil habitantes. Como agravante deste cenário, …

por em

O Brasil atual e a República de Weimar: crise constitucional?

Nos últimos anos, com a ascensão de governos autoritários, a literatura sobre crises democráticas vem ganhando espaço não só no campo da ciência política1, mas também no debate constitucional2. As questões que se colocam são: qual é o ponto de ruptura para que se instale uma crise constitucional? Seria a Constituição e, por consequência, sua …

por em

A ciência e a origem do novo coronavírus: um debate necessário

  Um falso dilema Há um conhecido aforismo que diz que “em tempos de guerra a primeira vítima é a verdade”. Permitam-nos parafraseá-lo como forma de introduzir a reflexão que queremos apresentar neste artigo: em tempos de irracionalismo, a primeira vítima é a lógica. Quando as regras da argumentação lógica são manipuladas em função de …

por em

Piratas e traficantes: o mundo mágico infanto-juvenil

A figura do pirata foi romantizada pela modernidade, embora tais foras da lei fossem considerados verdadeiros marginais pelas autoridades. Como mostra o arqueólogo marinho Leandro Domingues Duran, os piratas foram vistos pelos contemporâneos “como uma corja desprezível de malditos” que povoaram “o imaginário da gente comum ao ponto de terem mesmo se transformados em homens …

por em

A desinformação em meio à crise social

Jamais alguém pôs em dúvida que verdade e política têm más relações. Assim Hannah Arendt inicia o ensaio Verdade e política1, publicado originalmente em 1967. No texto, discute a tensão entre esses dois elementos, questionando se é da essência da verdade ser impotente e se está na essência do poder o ato de enganar. A …

por em

Por que Trump rompeu com a OMS?

A estridente saída dos Estados Unidos da Organização Mundial da Saúde (OMS), anunciada por Donald Trump, em 29 de maio de 2020, tem duas dimensões: uma conjuntural e, outra, estrutural. No que se refere a conjuntural, não é mera coincidência que o presidente Trump tenha anunciado a saída do país no exato dia em que …

por em

Pandemia e ensino a distância

Um dos efeitos colaterais da pandemia Covid-19 foi o de compelir muitas instituições de ensino a acelerar a adoção de tecnologias para substituir as configurações presenciais de sala de aula por ambientes de aprendizagem virtuais, o chamado ensino a distância ganha centralidade no momento. Os riscos dessa aceleração tornam indispensável o debate quanto ao planejamento …

por em

Saúde indígena: atenção nunca precisou ser tão especial

Era o segundo mês de pandemia no Brasil. Os casos do novo coronavírus já haviam oficialmente tirado a vida de 12.400 pessoas e medidas restritivas contra a circulação já alteravam a rotina de todas as regiões do país. No dia 12 de maio de 2020, pontadas nas costas, acima dos rins, levaram uma técnica de …

por em

Ausência de políticas públicas efetivas para população de rua

A pandemia do coronavírus expôs de forma abrupta as faces cruéis da extrema desigualdade social, econômica e urbana. Em países como o Brasil, em que as desigualdades são gritantes, grande parcela da população, especialmente urbana, trabalha no mercado informal sem seguridade social, e mora em condição de precariedade extrema. Consequentemente, os efeitos da pandemia se …

por em

As resistências ao fascismo e ao racismo nos EUA e no Brasil

Quem já leu algo dos chamados “pais da política moderna” passou, inevitavelmente, por Thomas Hobbes e aprendeu que, para os chamados “contratualistas”, não há vida possível sem a existência do Estado. Seria essa grande e poderosa instituição o ente que protegeria a integridade física de cada súdito e preservaria sua propriedade. Independentemente do regime político …

por em

A visão turva do governo federal em relação à importância das “Humanidades”

No que se refere à criação de valor e riqueza, há pelo menos duas décadas, o foco tem se centrado no conceito de inovação produtiva, a qual possibilita o aumento da competitividade, de valor, e consequentemente maior riqueza nacional. Por meio de uma visão linear desenvolvida nos Estados Unidos na década de 1940 – para …

por em

Vidas em estatísticas

A morte de George Floyd no dia 25 de maio de 2020 gerou comoção entre negros e brancos nos Estados Unidos. Segundo relatos, o cidadão norte-americano de 46 anos que trabalhava de segurança em um restaurante de Minneapolis teria sido abordado por policiais após uma denúncia de que estaria usando documentos falsos. Na ocasião, o …

por em

A Marcha do Silêncio, Uruguai

A cada dia 20 de maio é realizada, a há 25 anos, a manifestação mais multitudinária da República Oriental do Uruguai, conhecida como a Marcha do Silêncio. A liderança incansável e inflexível é da Associação de Mães e Familiares de Uruguaios Detidos e Desaparecidos, entre muitas organizações, movimentos e personalidades que a apoiam. Um dado …

por em

Entre vírus, parasitas e fascistas: o que pode o cinema?

Com a pandemia de Covid-19 e o Poder Executivo chefiado por Bolsonaro, estamos com o pior cenário vivido por essa geração e o pior governo possível para enfrentá-lo. Mas será que voltar àquela situação anterior ao coronavírus é suficiente? Assim como a política, a arte já nos mostrava o esgotamento dos modos de vida que …

por em

O neoliberalismo destruiu a política como refúgio dos vulneráveis

Noam Abraham Chomsky nasceu em 7 de dezembro de 1928, na Filadélfia (EUA). Ele é lingüista, graças a seu pai, pois foi ele quem orientou seus passos no estudo da lingüística, e também filósofo. A educação que recebeu em casa contou com lições de hebraico e debates sobre política sionista – sua família estava muito …

por em

Damares Alves e a performance da masculinidade na reunião ministerial

A divulgação do vídeo da reunião ministerial de 22 de abril realizada por meio da autorização do ministro do Supremo Tribunal Federal Celso de Mello provocou inúmeras sensações aos espectadores atentos aos desdobramentos da crise instalada no governo Bolsonaro. A sexta-feira de 22 de maio foi agitada pelas falas polêmicas de alguns dos ministros, cuja …

por em

Histórias e direitos humanos: pensando a partir da pandemia

Há algumas semanas um colega de profissão e amigo me convidou para uma mesa no Congresso da Ufba que trataria de política e narrativa. Não tinha uma ideia muito clara de que caminho iria percorrer; mas dias depois do convite li uma matéria de Maria Carolina Trevisan que tem me feito pensar. Intitulada “Apavorado”: com …

por em

Uma reflexão sobre o vídeo da reunião ministerial

A reunião ministerial do dia 22 de abril escancarou mais do que o baixo nível dos atuais ocupantes do Poder Executivo. Ela revelou o vírus que contaminou parcela da população brasileira; isto é, o fanatismo. Talvez poucas pessoas tenham participado de alguma reunião profissional ou até condominial com aquele clima e naquele tom. A falta …

por em

Guia básico para pensar a política externa brasileira

O texto abaixo não pretende apresentar um receituário capaz de resolver os nossos dilemas diplomáticos. Tal proposta seria meramente uma ilusão. O objetivo é contribuir, mesmo que de forma modesta, com a necessária reflexão coletiva a respeito das possibilidades e dos limites das diversas estratégias geopolíticas que circulam nos meios de comunicação. É preciso ter …

por em

Um intelectual sem concessões

Roberto Schwarz não é um intelectual usual, daqueles que nadam no sentido da corrente. Bem ao contrário. No limite, a sua trajetória pode ser vista como a explicitação de um modelo de trabalho intelectual que, dos anos 1960 até os dias de hoje, foi sendo cada vez mais colocado em questão. Pode-se mesmo dizer que …

por em

Cloroquina ou tubaína?

Cloroquina No dia 2 de junho, o Brasil registrou o recorde de 1.262 mortes num único dia pela Covid-19. Há muitas semanas o Brasil vem escalando os píncaros da tragédia desencadeada pela pandemia. Sem desenvolver nenhuma política para tratar do assunto, o governo federal conspira diariamente contra as medidas adotadas por estados e municípios. Ainda …

por em

Tempos melancólicos

“Um filme deveria ser como uma pedra no sapato.” Lars von Trier O coronavírus trouxe consigo ares de morte, de vazio, de nada, de fim-de-mundo. O filme Melancolia (2011), de Lars von Trier, prenuncia um cenário similar, tanto pela catástrofe anunciada quanto pela atmosfera pré-apocalíptica. Trier cria um enredo em que um planeta está prestes …

por em

A pandemia do confinamento: políticas de morte nas prisões

Desde o anúncio da pandemia do novo coronavírus, várias camadas de crises são construídas pelo Poder Público, muitas delas com efeitos letais. Na política criminal, tais crises traduzem-se no aprofundamento da exposição à morte da população prisional, já vulnerabilizada pela precariedade de suas vidas geridas pelo hiperencarceramento. O Brasil possui uma população prisional de 757.170 …

por em

#Blackouttuesday e a comoção seletiva da elite brasileira

Precisou um homem negro ser assassinado por asfixia nos Estados Unidos para que o Brasil, um um país onde um jovem negro é assassinado a cada 23 minutos, segundo dados da Organização das Nações Unidas, se mobilizasse contra o genocídio da população negra. Há uma semana a imprensa do Brasil e do mundo cobre as …

por em

Cara gente branca: quantos mais teremos que morrer?

Nos últimos dias temos observado a eclosão de protestos cada vez maiores por todo território dos EUA, em razão da violência policial estadunidense contra a população negra. A morte de George Floyd, homem afro-americano de 46 anos, marcou o estopim para manifestações, por algo que não é novo: o assassinato de mais um corpo negro …

por em

Cultura e o capitalismo de crise permanente

Ao contrário da perspectiva do capitalismo organizado, a substância das crises no regime capitalista (crise especulativa, crise bancária, crise financeira) vem de fundamentos estruturais e sistêmicos. É como se o capitalismo vivesse uma permanente crise estrutural, conforme expressão cunhada por István Mészáros, uma vez que, por não ter limites para a sua expansão, acaba por …

por em

Medo no fronte da pandemia em números

Se há uma certeza sobre a crise de coronavírus é que se trata de um fenômeno inédito. Outros familiares virais do Sars-CoV (Sars = Síndrome Respiratória Aguda Grave e Cov = Coronavírus e) são estudados faz tempo, mas ainda sim não temos muitas certezas em relação ao Sars-Cov-2. Estamos diante do temor do desconhecido. E …

por em

Os dilemas econômicos de Timor-Leste

Com exceção dos países mais importantes no cenário internacional ou os marcados por epicentros do novo coronavírus em cada região do planeta (Itália, Espanha, EUA e Brasil), a maioria das nações crivadas pela pandemia são invisibilizadas pela grande mídia, e mesmo num mundo intensamente globalizado, é difícil acessar informações sobre muitos lugares. Mas já que …

por em

As despesas da União com a Covid-19

Após quatro meses de declaração de emergência nacional, apenas 40,1% do valor planejado no orçamento do governo federal para combater a pandemia do novo coronavírus foi de fato gasto: dos R$ 274 bilhões autorizados, somente R$ 110 bilhões foram pagos. A baixa execução dos valores orçamentários é sentida pela população, que, em grande parte, está …

por em

O que está nos matando tem nome: neoliberalismo

O Brasil ultrapassou à assustadora marca dos 29 mil mortos (com subnotificação) em decorrência da pandemia de covid-19 no país. A crise sanitária se espalhou e o epicentro da pandemia passou da China para a Itália e demais países europeus, então para os Estados Unidos e, agora, a Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou que …

por em

Justiça e jornalismo nas Américas

Por que a rede social não foi mais eficaz em assegurar a justiça social? Alguns argumentam que foi. Ela conecta as pessoas, viraliza a resistência contra o racismo e é útil juridicamente – porque mostra como os relatos policiais nem sempre correspondem às evidências amplamente divulgadas pela população. De fato, as evidências que levam ao …

por em

Big data: mídia e consumo digital

A percepção de que a sociedade pode ser um grande conglomerado de bolhas não é uma particularidade da internet, pois o mercado sempre viu as pessoas como possíveis clusters, como são identificadas as pessoas com um determinado comportamento em marketing. O meio digital trouxe novas possibilidades de catalogar e se relacionar com seus públicos-alvo, fazendo-os …

por em

A saúde dos povos indígenas e a obscuridade do governo

Darcy Ribeiro, em sua clássica obra Os índios e a civilização: a integração das populações indígenas no Brasil moderno, ensinou que a história da relação entre a sociedade dominante e os povos indígenas do país constitui-se numa história marcada por chacinas e epidemias; ainda mais, que as doenças pulmonares encontram-se entre as principais causas da …

por em

Por uma comunidade cívica no Brasil

Mais uma pesquisa sobre a popularidade do governo de Jair Bolsonaro em tempos de pandemia foi divulgada. Mal publicam e uma horda de analistas políticos distribuem os resultados de maneira aleatória e instantânea em suas redes sociais. A conversa sobre política em tempos de covid-19 é feita nesse espaço social e não mais no bar, …

por em

A irresistível ascensão do fascismo de coalizão

A obra principal do fascismo é o aperfeiçoamento e organização do sistema ferroviário. Os comboios agora andam bem e chegam sempre à tabela. Por exemplo, você vive em Milão; seu pai vive em Roma. Os fascistas matam seu pai, mas você tem a certeza que, metendo-se no comboio, chega a tempo para o enterro. Fernando …

por em