Skip to content
3 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Fábio Soares
3 de fevereiro de 2024 08:43

Na década de 90, antes da reforma e reocupação, o Pelourinho era uma grande e miserável favela. Com famílias vivendo na marginalidade, prostituição e miséria. Era uma área hostil e degradada da cidade, com uso e com tráfico de drogas imperando, não havia acesso aquela região pelos moradores da cidade, já que o medo real de passar por ali e ser assaltado era uma certeza. Além de toda falta de estrutura e política publica imposta pelo poder público, empurrava os residentes para a criminalidade.

Hoje, sabe-se que tem seus problemas, ainda, é verdade, mas nada comparado ao que era, e pelo menos, é uma região que gera trabalho e renda, pois é um dos lugares mais visitados por quem vem fazer turismo na capita baiana. Há um comércio muito pulsante e que movimenta uma grande economia. Todos podem visitar e conhecer, com certa tranquilidade, isso antes era impossível sem ser assaltado ou violentado. Casarões seculares foram recuperados. O local se tornou habitável e transitável. Os moradores antigos foram relocados e indenizados, até onde sei.

Com certeza, se nada tivesse sido feito, mesmo que não tenha sido da firma ideal, porque muitas famílias pobres sofreram com esse processo, o Pelourinho seria, hoje, mais uma imensa e violenta favela dominada por uma facção qualquer, em plwno centro de Salvador, como se vê por todo Brasil.

Ardel de Araújo Lago
3 de fevereiro de 2024 13:02

Esse artigo diz toda verdade ,desses governos anteriores e atuais que pregam a proteção da população negra dessa cidade.Tudo de uma maneira demagócica e mentirosa.A Bahia é o estado de maior contigente de população a mão obra em contribuição civil que está em mãos,desses nossos himilhados e massacrados irmãos negros por esss corja de politicos demagogos.Todoz nós somos iguais perante a Deus Jeová e a Jesus Cristo que acolhem a todos indistintamente.

scolhem

Eliabe Teixeira
4 de fevereiro de 2024 17:31

estive em salvador agora em Janeiro e infelizmente não pude visitar o Pelourinho, onde a população informou que não era um lugar seguro de ir, onde a cidade está tomada por ladrões e quadrilhas.

COPYLEFT © LE MONDE DIPLOMATIQUE

Desenvolvido por: Prima Estúdio

AcessarAssine