Rússia: reprimir mais, prender menos - Le Monde Diplomatique

UMA FÁBRICA DE ERROS JUDICIAIS

Rússia: reprimir mais, prender menos

por Charles Perragin
1 de julho de 2022
compartilhar
visualização

A população carcerária da Rússia caiu para menos da metade nos últimos vinte anos. Isso mostra que a cobertura da mídia sobre as prisões políticas, multiplicadas por dez desde 2015, oferece uma imagem parcial do que se passa com a justiça criminal do país. Entretanto, mesmo que a duração das penas tenha diminuído, o sistema continua programado para punir

Boris Nemtsov morreu aqui. Na calçada gelada, rosas e ramos de abeto circundam o rosto do dissidente político, uma figura perseguida do movimento anticorrupção e antiguerra desde a anexação da Crimeia. Detido três vezes e encarcerado, ele foi misteriosamente baleado nesta ponte em fevereiro de 2015, a poucas dezenas de metros das fortificações do Kremlin. …

Conteúdo apenas para Assinantes



Artigos Relacionados

RESENHAS

miscelânea

Edição 187 | Mundo
AMÉRICA LATINA PROGRESSISTA, UNIDA EM APOIO AO FUNDADOR DO WIKILEAKS

Onde Assange tem amigos

Edição 187 | América Latina
por Meriem Laribi
CINEMA DE IMPACTO

A serviço de boas causas

Edição 187 | Europa
por Pascal Corazza
ALEMANHA ORIENTAL

Uma mina de arte em uma mina de urânio

Edição 187 | Alemanha
por Jens Malling
ROBÔS POR TRÁS DAS CÂMERAS

Os bastidores da vigilância automatizada

Edição 187 | Mundo
por Thomas Jusquiame
O DISCRETO NÃO ALINHAMENTO DO VATICANO

O papa contra as cruzadas ocidentais

Edição 187 | Vaticano
por Timothée de Rauglaudre
ACENTUADA INCLINAÇÃO PARA A EXTREMA DIREITA

Israel, o golpe de Estado identitário

Edição 187 | Israel
por Charles Enderlin
CONFRONTOS ENTRE HINDUS E MUÇULMANOS NO REINO UNIDO

Em Leicester, a sombra de Narendra Modi

Edição 187 | Inglaterra
por Lou-Eve Popper