Arquivos elite - Le Monde Diplomatique

Arte para todos, dinheiro para alguns

  A arte é o Santo Graal”, afirma Sadie Coles com o sorriso emocionado de quem fez uma confidência. Ela tem a elegância discretamente rock’n’roll e a tranquilidade graciosa daqueles que estabelecem a relação entre os artistas e os colecionadores. Em 2014, ela se encontrava, segundo o jornal The Guardian, no ranking das “personalidades mais …

A elite dirigente dos negócios

Durante a última entrevista antes de sua morte, o sociólogo liberal Ralf Dahrendorf surpreendeu ao afastar-se de sua teoria mais conhecida, a de uma elite globalizada – ou “classe global”, na terminologia anglo-saxônica – destinada a dominar o planeta para além das fronteiras e do pertencimento nacional. Ao ser perguntado se esta havia sobrevivido à …

Anatomia do poder

Nointerior da sociedade norte-americana, o essencial do poder nacional reside nas áreas econômica, política e militar. As outras instituições aparentam estar à margem da história moderna e, às vezes, parecem se submeter às três primeiras. Nenhuma família exerce nos negócios nacionais um poder tão direto quanto o de uma grande empresa; nenhuma igreja exerce na …

Nos jantares do Siècle, a elite se fortalece em silêncio

Publicado nos Estados Unidos em 1956, em plena Guerra Fria, A elite do poder, de Charles W. Mills, suscitou intensas controvérsias. Esse livro demonstrava que o país que devia encarnar o pluralismo democrático era na verdade controlado por uma estreita minoria de indivíduos empoleirados nos cargos de comando das mais poderosas instituições da sociedade moderna …

A transmutação chinesa nos corredores da OMC

Não se trata de um monumento como a Torre Eiffel. Ainda assim numerosos turistas tiram fotos da entrada do Centro William Rappard, sede da Organização Mundial do Comércio (OMC) em Genebra, na Suíça. Em geral, são chineses. Como explicar essa atitude bastante estranha se comparada aos interesses de outros viajantes? Para responder à questão, é …

Quando os executivos do business fracassam na política

Ao apresentar-se à reeleição com o argumento de fazer o que não pôde fazer antes e anunciando que mudou,1 Nicolas Sarkozy aumenta o longo inventário de promessas não cumpridas, abandonos e negações. O desemprego, a dívida pública, o poder aquisitivo, a insegurança pública, o Estado “irrepreensível”, as liberdades civis − a lista parece um naufrágio. …