Carolina Oliveira, Autor em Le Monde Diplomatique

Meu chefe é um robô

Um mundo dominado por máquinas era um apocalipse de ficção científica presente em livros e filmes. A visão de uma sociedade sendo gerida, vigiada e punida por uma legião de robôs era pouco provável. Ainda é se considerarmos a materialidade desses robôs, em vez de enxergar sua imaterialidade. Parece loucura, ainda, que algo que não …

por em

O Brasil de hoje está em um disco de 1978

“Cachoeiras sem as águas É barranco torto, morto, tudo igual Como correnteza sem barranco É apenas água a rolar” Milton Nascimento e Lô Borges Clube da Esquina II (1978) A mesma Minas Gerais que os historiadores dizem ter refundado a tragédia colonial brasileira e que hoje os cientistas políticos apontam como o lugar que melhor …

por em

Uma rápida ideia para enfrentar a inflação na Argentina

A economia argentina encontra-se em uma situação crítica. Nós, argentinos, nos acostumamos a viver com 100% de inflação anual. Contudo, esse hábito é antes uma resignação. Quão grave é ter uma inflação de 100%? Pensar qual percentual de inflação seria adequado, e qual não seria, é menos simples do que parece. Em princípio, é claro …

por em

A criminalização de Junho de 2013 como um sintoma

Tornou-se corrente em meios de esquerda localizar o início do bolsonarismo nas manifestações que começaram a ocorrer em junho de 2013 no Brasil. Em suma, nesse período teria se forjado o “ovo da serpente” – para usar uma expressão amplamente adotada – do poder bolsonarista e do alastramento da violência fascista no país. Esse discurso …

por em

Argentina: vantagens e riscos de um plano de choque

Nos meios jornalísticos e acadêmicos, não faltam comentários sobre a economia argentina como um caso único, que só ocorre neste canto do planeta. O Prêmio Nobel de Economia Simon Kuznets defendia que existem quatro tipos de países: desenvolvidos, subdesenvolvidos, Japão e Argentina, o que indiretamente ajudou a consolidar aquela ideia de sermos únicos e especiais, …

por em

Massa, gradualismo ou morte

Sergio Massa assumiu o Ministério da Economia argentino em agosto de 2022, num momento em que o governo oscilava entre a indolência presidencial, os mísseis autodestrutivos de Cristina e a desorientação geral do gabinete, e conseguiu minimamente reconstruir a autoridade política danificada e começar a propor um rumo. As pesquisas, que até agora o colocaram …

por em

Frear o golpe contra a democracia

Em oito meses os donos de caminhões do Chile fizeram greves que impactaram o cotidiano da economia; com algumas dessas manifestações interrompendo o fluxo das rodovias do país. A primeira mobilização de 2022 ocorreu apenas três dias após a posse do novo governo e o roteiro foi repetido outras quatro vezes. A última, no final …

por em

Sem participação, Chile não terá nova Constituição

Parece absurdo, e uma perda de tempo. Porém, infelizmente, é necessário insistir, uma e outra vez, que uma nova Constituição só pode nascer da soberania democrática do povo do Chile, por meio de um órgão eleito para esse fim. Esquecer esse princípio é cair na banalidade e mortifica a grandeza da matéria em questão. A …

por em

Lula (com Petro) e o sentido

O fato de a posse de Lula ocorrer no dia 1º de janeiro permite o paradoxo, tão brasileiro como a profundidade de um samba-enredo, de que, naquele dia em que nada acontece, aconteça um evento chave para o sentido democrático desta parte do mundo. E, desse modo, o prospectivo parece prevalecer sobre o equilíbrio. No …

por em

“Estamos mais que preparadas para enfrentar a bancada ruralista”

Contrariando os prognósticos e desejos golpistas, Lula subiu a rampa do Planalto em 1º de janeiro e tomou posse pela terceira vez como presidente do Brasil. E não só ele: entre os representantes do povo que subiram a rampa e fizeram a entrega da faixa presidencial, estava o cacique Raoni Metuktire, do povo Kayapó, atacado …

por em

Dez razões para que o apoio aos reguladores do saneamento básico seja atribuído ao Ministério das Cidades

Nos primeiros dias do novo governo Lula surgiu um incessante ataque à proposta estudada pelo governo de transição, de que as funções de apoio à regulação do saneamento básico sejam devolvidas para a Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental (SNSA) do Ministério das Cidades e, portanto, saiam da Agência Nacional de Águas (ANA). Entidades e pessoas …

por em

A eloquência do general

Ao historiador ávido por decifrar os momentos de maior intromissão dos militares na política brasileira, não é a fase em que eles agem à luz do dia a mais difícil de investigar, mas aquela em que ainda atuam nas sombras1  . Na etapa da conspiração, alguns atores escondem melhor os traços de sua passagem, como …

por em

Chile: paz e compreensão no sul?

O presidente chileno Gabriel Boric, durante visita à região de Araucanía, abriu uma porta para abordar o histórico “conflito entre o Estado e o povo mapuche”, recheado de situações de injustiças acumuladas durante décadas e cujo principal tema é a demanda pela restituição de terras. A dimensão desse conflito já foi abordada pelo Estado com …

por em

Como parar o fascismo?

No início de 2022, o presidente Nayib Bukele prometeu que seu governo deixaria sem comida a população carcerária de El Salvador e subtrairia proteínas de sua dieta. A história da administração da política é repleta de acontecimentos de horror como o descrito, porém, esse tipo de medida vem sendo cada vez mais aplaudida. Na era …

por em

Relatos de uma primeira viagem a uma posse presidencial

Estávamos em um grupo de quatro pessoas às 8:20 da manhã do dia 1º de janeiro de 2023. A ansiedade engolia o sono anestesiante da comemoração da virada do novo ano. Vínhamos de uma viagem para a Chapada dos Veadeiros para limpar toda a uruca dos quatro anos anteriores e preparar o corpo para a …

por em

O teatro falho de Bolsonaro

Conteúdos inconscientes têm vida própria. Não estão submetidos à vontade ou aos controles da razão. Assim, referir-se ao inconsciente de alguém é um exercício de perceber, entre hiâncias e equívocos, onde a parcela não consciente da linguagem se manifesta.   Mesmo dissidentes da psicanálise freudiana, como C. G. Jung, não discordaram que sonhos, chistes, atos falhos …

por em

Sedevacantismo a pretexto da sabotagem constitucional

O enredo dos atos radicais realizados recentemente nas sedes dos Poderes da República vem sendo germinado há muito tempo com sementes do fanatismo ideológico, que se consolidou em aceitar apenas seu “mito” como ente legítimo e divino a representar o país. Foi um ato ultrajante que nos envergonhou perante o mundo.  Evidentemente que essa tragédia …

por em

O terrorismo nacional e os Direitos Humanos de ocasião

No dia 08 de janeiro, a população brasileira presenciou a destruição do patrimônio nacional como nunca vista. Acreditando que o quebra-quebra foi democrático, os patriotas vêm alegando fraude nas eleições de 2022 e que “supremo é povo”. Apesar dos estragos ainda não contabilizados pela União federal e pela lista com o nome de 763 presos …

por em

Por que é tão fácil assediar democracias?

Nos últimos anos, nações democráticas experimentaram a ascensão eleitoral de governos autoritários. Consequentemente, a estabilidade nesses países ficou ameaçada. Seja durante o próprio governo, seja na troca de comando por líderes democratas ao fim dos mandatos, partidários dos extremistas adotaram a violência como forma de manifestação política.   EUA e Brasil, por exemplo, enfrentaram agudos assédios …

por em

Pelé: um tributo à paixão

O falecimento de Pelé recorda sua grandeza e façanhas. Por outro lado, há quem conteste o alcance de sua adoração, evocando erros da vida pessoal. A figura do ídolo, por vezes, sofreu rejeições de cunho moral e político.  A rigor, a admiração por Pelé prescinde justificativa. Basta recorrer à emoção das memórias do futebol, em …

por em

Agro um infortúnio ambiental anunciado, mudança já!

O agronegócio, popularmente conhecido como agro, com apoio institucional de governo e da mídia, difunde uma noção ilusória de progresso na produção agrícola, na sustentabilidade ambiental, na atividade agroindustrial e na geração de divisas no mercado externo. No entanto, isso procura camuflar que se constitui em uma atividade econômica cosmopolita, com tendência à concentração de …

por em

Para desnazificar o “gigante”

É impossível lembrar do assassinato de Genivaldo de Jesus pela Polícia Rodoviária Federal de Sergipe, ocorrido em maio de 2022, e não fazer uma associação imediata com os assassinatos perpetrados durante o nazismo. Isso porque estamos falando de um homem negro e com deficiência psicossocial, assassinado pelo Estado com uma bomba de gás, dentro do …

por em

Sociedade civil questiona falhas na aplicação da Lei Aldir Blanc

Em 2020, com as suspeitas de que estariam ocorrendo arranjos sociais e políticos, que resultariam em exclusões de categorias ou setores no uso dos recursos da Lei Aldir Blanc (LAB) no Paraná, e que prejudicariam a classe trabalhadora da cultura atingida pela pandemia, parte desses trabalhadores passou a se reunir para deliberar sobre tomada de …

por em

O dia depois de amanhã

1. Sufoco O governo Bolsonaro asfixiou o Brasil. Sua gestão não estava interessada em gerir um país, mas em abrir caminho para uma revolução, como ele mesmo disse. Devemos entender o período Bolsonaro não apenas como uma mudança de governo – como a que ocorre a cada quatro anos. Mas como um movimento em direção …

por em

Desmatamento, grilagem de terras e financeirização: impactos da expansão do monocultivo da soja no Cerrado

Nos últimos meses de 2021, após a reabertura econômica de diversos países que estabeleceram restrições em 2020 para conter a pandemia de Covid-19, verifica-se uma acelerada subida nos preços das commodities nos mercados futuros internacionais. Essa alta vem impulsionando a expansão do monocultivo da soja no país, assim como o aumento do preço da terra …

por em

Os alimentos da cesta básica em face da tensão inflacionária e exportação de commodities

O tema da segurança alimentar e nutricional da população comporta múltiplos enfoques. A tensão inflacionária sobre os alimentos da cesta básica salarial vem se revelando com muita relevância nas conjunturas recentes, como também na estruturação da política econômica sistematicamente seguida há mais de duas décadas, cujos determinantes muitos ligados ao chamado “equilíbrio externo” revelam, na …

por em

Intersecções do comer em sociedade

As Cozinhas Solidárias (CS) do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), para além da luta por moradia, se caracterizam por um espaço de resistência e enfrentamento da fome e da insegurança alimentar e nutricional. Esse equipamento social, para além da comida, é promotor de soberania e segurança alimentar e nutricional e inclusão social. No Brasil, …

por em

Fake news: jogador caro, resultado mais ainda

Enquanto todos os olhos estão voltados para a Copa do Mundo, uma disputa que ainda tem consequências danosas e nem um pouco de fair play ainda está em jogo: a proliferação alarmante de fake news. Com a promoção de informações descontextualizadas ou inverídicas sobre o resultado eleitoral, a indústria da desinformação ainda sustenta os atos …

por em

A Tarifa Zero e a evocação de um velho fantasma

Quando a Câmara Municipal de Porto Alegre aprovou o projeto de lei do prefeito Sebastião Melo que extinguia a Tarifa Zero nos ônibus nos dias de eleição, existente na capital gaúcha desde os anos 1990, os vereadores não tinham ideia de que estavam evocando um velho fantasma. Aprovada em 2021, a medida só causou impactos …

por em

Brasis no Catar: primeiro carnaval, primeiro pelourinho também

Há Brasil por todo lado. Bandeiras nas varandas, estendidas antes do processo eleitoral – com o propósito de incentivar mais um mandato de Jair Bolsonaro na presidência e, como consequência, a intensificação de acenos golpistas. Camisas com cheiro de naftalina, de gente que se encorajou a vestir o uniforme da seleção depois de relutar por …

por em

Entre o consignado e a fome: tumultos e cozinhas solidárias

“Eu até me emociono quando lembro, eu pensei que nós fôssemos morrer de fome”, me disse um homem em situação de rua com a filha de uns quatro anos no colo que acenava concordando com o pai. Pacientemente, ele respondia às minhas perguntas sobre como ele e outras pessoas na mesma situação utilizam, avaliam e …

por em

A democracia na mira das plataformas digitais

Vivemos um tempo de paradoxos. As redes sociais inauguraram uma era na comunicação onde todas as pessoas se sentem autorizadas a falar sobre os mais variados temas e se posicionar mediante fatos que acontecem no mundo. O modelo comunicacional pautado em emissor>receptor foi substituído, nas duas últimas décadas, por um verdadeiro festival de emissores de …

por em

Justiça retributiva e vingança

Em junho de 2022, a Justiça alemã julgou um homem de 101 anos de idade chamado Josef Schütz que atuou como guarda num campo de concentração nazista durante a Segunda Guerra Mundial. Ele foi sentenciado a cinco anos de prisão e se trata da pessoa mais velha a ser julgada pelos crimes associados ao Holocausto, …

por em

Editor do Wikileaks: ‘o jornalismo está sob grave ameaça’

Em entrevista ao Le Monde Diplomatique Brasil, o islandês Kristinn Hrafnsson, editor-chefe do Wikileaks, defende que a retirada de acusações do governo americano contra o jornalista Julian Assange é a única coisa que pode garantir a liberdade de imprensa, em um momento em que o jornalismo se vê sob grave ameaça. Hrafnsson se reuniu na …

por em

Demarcar a terra e a tela: exposição no IMS destaca produção audiovisual indígena

A exposição “Xingu: Contatos”, em cartaz até abril de 2023 no Instituto Moreira Salles Paulista, coloca lado a lado imagens históricas dos povos do Xingu, feitas por fotógrafos brancos, e a produção indígena contemporânea, em busca de novas narrativas em torno do território e dos diferentes povos que o habitam. Com curadoria do cineasta Takumã …

por em