Arquivos entrevista - Le Monde Diplomatique

As três batalhas de Raduan Nassar

Pela garganta é que se reconhece a fibra da reflexão, pelo calibre ranzinza da goela na hora de engolir”, diz, em Um copo de cólera, o personagem quarentão à sua jovem parceira, atribuindo, não à cabeça ou à profissão, mas a um defeito de anatomia a independência do pensamento. A contundência do timbre utilizado pelo …

A autocrítica da sobrevivência

Desde que deixou a Prefeitura, após um mandato de quatro anos (2013-2017), Fernando Haddad intensificou o número de viagens pelo Brasil para, segundo ele, sentir o clima do ambiente acadêmico em um momento de cortes na área da Ciência e Tecnologia, Cultura e Direitos Sociais, promovidos pelo governo Temer. Entre palestras e aulas magnas, o …

David Harvey: As capitais do capitalismo

Daviid Harvey não gosta de São Paulo. “Estive na cidade nos anos 1970, e também em lugares como Recife e Salvador. Eles foram totalmente tomados por arranha-céus e shoppings centers. Todos no Brasil gostam de pensar que o país é especial – mas o que o Brasil tem de especial? É só capitalismo.” É assim, …

“A literatura não é regional ou universal: é individual”

A argentina María Teresa Andruetto é uma ponte entre as pontes. “Ponte”, segundo ela, é a melhor maneira de definir um bom professor, elo fundamental entre o conhecimento literário e os jovens leitores ávidos por informação. Com dezenas de livros publicados, essa formadora de professores acaba de receber o mais alto reconhecimento por seu trabalho: …

O que esperar da Comissão da Verdade

  Le Monde Diplomatique Brasil – A questão da Comissão da Verdade é um tema muito delicado, que já gerou muito atrito no âmbito da relação da Secretaria de Direitos Humanos com outros atores. Há países vizinhos nossos que souberam levar isso muito bem e conseguiram, de alguma maneira, passar a limpo esse passado. A …

Quando o réu vira a vítima

Le Monde Diplomatique Brasil – Qual é sua análise dessas últimas denúncias de corrupção no Dnit, no Ministério do Turismo etc.? Fausto De Sanctis – Escândalos e corrupção são algo contumaz no Brasil e talvez reflitam um país que não trata com a importância necessária o combate ao crime organizado. Isso não é só uma …

“Pedi uma pistola pra me defender”

LE MONDE DIPLOMATIQUE – O senhor qualificou o que aconteceu em 30 de setembro de 2010 como golpe de Estado.1Algumas pessoas dizem que não foi assim. Por que o senhor considera que foi um golpe, e não um simples motim policial? RAFAEL CORREA – Não apenas eu, mas os países da América Latina declararam, na …

Pichação, a marca da desigualdade social

Se a nossa pesquisa de público não estiver errada, boa parte dos leitores de Le Monde Diplomatique Brasil não tem muita familiaridade com a realidade dos pichadores. Talvez muitos achem que as letras estreitas e pretas que marcam os prédios de São Paulo colaboram para deixar a cidade com um aspecto sujo ou poluído. Para …

“Hoje a tecnologia dita minha música”

Tom Zé começou falando sobre a relação entre o Languedoc francês e o sertanejo nordestino, passou pela sua obra mais recente e por muito pouco não nos contou seu próximo projeto. “Mulher que fala muito perde logo o seu amor”, disse, justificando o silêncio. Discorreu sobre a música brasileira, as novas tecnologias e sua relação …

Palavras memoráveis

Diplomatique – Você começou a escrever suas memórias depois dos 40 anos. Quais etapas significativas de sua vida você se sentiu impelido a contar? Grégoire Boullier – De fato, o meu primeiro livro, Rapport sur moi1, conta todas as experiências que vivenciei até aos 40 anos. Eu bem sei que isso é quase uma banalidade …