Depois do golpe, o Estado penal

Em 1985, quando era secretário de Justiça do governo Montoro em São Paulo, o hoje presidente interino Michel Temer criou a primeira Delegacia da Mulher do Brasil. As demandas do movimento feminista eram outras – passavam por sistemas de prevenção, abrigos, melhoria de atendimento e fim da lógica da legítima defesa da honra no Judiciário …

por em

Uma Europa a ser refeita

Donald Tusk, presidente do Conselho Europeu, deve lamentar ter associado um eventual voto negativo dos britânicos a um “início de destruição não somente da União Europeia, mas também da civilização europeia”.1 De todo modo, a vitória do Brexit constitui uma grande surpresa para o conjunto do Velho Continente. Isso porque desta vez será difícil ignorar …

por em

O legado britânico para Europa

  Ainda que não se reduzam a elas, os debates políticos assumem com frequência a forma de batalhas de números. A campanha do referendo de 23 de junho, que resultou na vitória do Brexit, mais uma vez foi prova disso. Cada campo mobilizou especialistas, lobistas e instituições de todo tipo para produzir pilhas de estudos …

por em

Grécia, a grande liquidação!

  Um estudo do Transnational Institute (TNI) sobre a “indústria da privatização na Europa”, publicado em fevereiro de 2016, chegou à conclusão de que “não existe nenhuma prova de que as empresas privatizadas fornecem serviços mais eficazes”. Por outro lado, a onda de privatizações derrubou os salários, degradou as condições de trabalho e acentuou as …

por em

A autodestruição do Partido Socialista

Aproxima-se o momento em que o Partido Socialista (PS) francês terá de fazer um balanço. Raramente um partido sai tão danificado depois de passar pelo poder. Em 2012, ele teve todo o conjunto dos poderes nas mãos. Quatro anos depois, perdeu um número considerável de eleitos e, a menos de um ano da eleição presidencial, …

por em

Informação controlada na França

  AFrança está hoje submetida a duas ameaças que, por serem diferentes, nem por isso deixam de colocar em perigo sua integridade: o Estado Islâmico e a CGT [Confederação Geral do Trabalho].” É preciso agradecer a Franz-Olivier Giesbert ter expressado tão bem a realidade do jornalismo francês sob dominação política e financeira. “É apenas o …

por em

Na Venezuela, chavistas tentam salvar a revolução

  “Não! Não faça isso”, grita uma mulher a um homem que acaba de dar um pontapé nas caixas cheias de comida, exasperado por precisar esperar o ministro da Juventude para começar a distribuir os alimentos. O cidadão impaciente deixa o local onde estão reunidos membros do Comitê Local de Abastecimento e Produção (Clap), quase …

por em

Bancadas da cidadania

Houve um tempo em que se definia a democracia como o governo do povo, pelo povo e para o povo. Os tempos mudaram e a globalização impôs uma nova realidade: as grandes corporações, especialmente as financeiras, controlam as decisões de governo. Elas escrevem as leis e pagam os políticos para que eles façam o que …

por em

Triângulo do crescimento ou das desigualdades?

Bairro de Bandar, no fim da Causeway, a ponte de apenas 1 quilômetro que liga a ilha de Cingapura à cidade de Johor Bahru, na Malásia. Na sexta-feira à noite, os terraços dos cafés da Rua Meldrum estão lotados. Muitos clientes são habitantes de Cingapura fazendo farra. Os chefes dos hotéis, bares e restaurantes são …

por em

Eduardo Galeano, a voz da fraternidade

  Em Montevidéu, capital da República Oriental do Uruguai, instalada na margem norte do Rio da Prata, Eduardo Galeano (1940-2015) tinha entre seus hábitos frequentar o Café Brasileiro, não distante da catedral onde fora batizado o misterioso Isidore Ducasse, autoproclamado conde de Lautréamont, em 16 de novembro de 1847. Nos primeiros anos do século XXI, …

por em

A renda básica e seus falsos cognatos

Falar em estabelecer uma renda básica sem especificar o que se entende por isso é como discutir a adoção de um felino sem dizer se será um gatinho ou um tigre”, destaca Olli Kangas, diretor de pesquisa do Kela, o instituto finlandês de proteção social.1 Mesmo assim, nos últimos meses, a ideia tem encontrado cada …

por em

Brasil em transe: crise política, golpe de Estado e perspectivas da esquerda

O Brasil vive um momento dramático de sua vida política. O golpe de Estado ameaça pôr fim ao período de redemocratização que, iniciado com a abertura política, aprofundou-se com a Constituição de 1988 e prosseguiu, a partir de 1989, com a realização periódica de eleições diretas. O golpe dirige-se não apenas contra o governo Dilma, …

por em

O golpe de Estado contra os direitos

O Congresso que derrubou a presidenta Dilma Rousseff agora deita e rola na condição de herdeiro solitário do Poder Executivo. Uma tragédia anunciada para todos que defendem a democracia no Brasil. Deter esse processo de rápida degradação institucional não pode ser mais visto como um objetivo da esquerda ou de um partido; é uma questão …

por em

A maior traição à Constituição

A nação nos mandou executar um serviço. Nós o fizemos com amor, aplicação e sem medo. A Constituição certamente não é perfeita. Ela própria o confessa ao admitir a reforma. Quanto a ela, discordar, sim. Divergir, sim. Descumprir, jamais. Afrontá-la, nunca. Traidor da Constituição é traidor da pátria. Conhecemos o caminho maldito: rasgar a Constituição, …

por em

O golpe é patriarcal, sexista, capitalista e midiático

Na vigência de um golpe patriarcal, machista, sexista, capitalista, fundamentalista, midiático e parlamentar, que retirou da Presidência da República a primeira mulher eleita e reeleita com mais de 54 milhões de votos, como ficam os direitos conquistados e a cidadania das mulheres? Quem são os articuladores desse golpe em vigência? São homens brancos, ricos, violentos …

por em

Liberal-conservadorismo à brasileira

Em seu conhecido texto “As ideias fora do lugar” – originalmente publicado em 1972 na França, depois transformado no primeiro capítulo de sua tese de doutorado, Ao vencedor as batatas, defendida em 1976 –, Roberto Schwarz esboçou o que seria uma das mais originais críticas ao liberalismo à brasileira, tanto mais porque, ao contrário das …

por em

Que horas ela volta?

Muitos já exploraram as possibilidades de análise da obra ficcional como manifestação da cultura e como forma concentrada da própria vida. É inegável a contribuição de Cervantes, Goethe, Balzac ou Kafka para a compreensão de grandes transformações nas sociedades europeias. Da mesma forma é conhecida a importância da literatura para a intelligentsia russa durante o …

por em

Para onde a ira leva?

Há “iras santas”, iras justas. Mas como discernir a justeza de uma indignação ou do ato de justiça que ela reivindica? Como reconhecer as revoltas e explosões passionais que elas sempre supõem? Como legislar sobre a cólera? O que queremos dizer quando afirmamos que ela é legítima? O que seria direito de revolta? Em 1795, …

por em

Como acabar com a impunidade fiscal

  Como substituta do procurador de Évry na década de 1980, eu fazia as audiências dos casos de fraude fiscal. Já então eu notava que os casos investigados envolviam somente pequenas fraudes, como a de um horticultor de Montlhéry que vendera tomates ao mercado de Arpajon com uma taxa de imposto sobre o valor acrescentado …

por em