O nó do desenvolvimento

Já no período Collor (1990-1992), o alinhamento com o neoliberalismo levou o governo a adotar políticas de favorecimento do grande capital, como a isenção de Imposto de Renda sobre a distribuição de lucros, fortalecendo um modelo de crescimento que privilegia grandes empresas e corporações internacionais − uma política que aumentou a desigualdade social, concentrando ainda …

por em

Problema falso, questão verdadeira

Se confiarmos em seu PIB, a França é hoje o quinto país mais rico do mundo. Em 2010, a renda disponível (após o pagamento dos benefícios sociais e contribuições dos impostos diretos) se elevava a 1.276 euros por mês e por pessoa, levando em conta adultos e crianças. Teríamos, portanto, recursos suficientes para garantir uma …

por em

Por que o PIBinho?

  “Quero um ‘PIBão’ grandão”, disse a presidente Dilma Rousseff em 20 de dezembro quando perguntada o que gostaria de presente de Natal. Ela se referia a 2013, já que as previsões de crescimento da economia brasileira para 2012, de 1% em relação ao ano anterior, não eram nada animadoras. De fato, em 1º de …

por em

Pacto social e governabilidade conservadora

Não é necessário grande esforço para notar o avanço das ideias conservadoras nas últimas décadas em todo o mundo. As grandes propostas da modernidade – a igualdade entre os indivíduos, a liberdade e a justiça para todos – e as transformações movidas pelas grandes utopias têm sido questionadas pela descrença generalizada, pela exacerbação do individualismo …

por em

A economia e seus impactos na população

As mudanças na economia brasileira a partir do início do governo Lula, como o crescimento do PIB e o aumento da participação dos serviços, representaram o que, na prática, para a população? Para o sociólogo Ruy Braga, professor da Universidade de São Paulo (USP), a situação é contraditória: apesar dos efeitos positivos da elevação do …

por em

Como entender Pyongyang?

  (Kim Jong-un em plenária do Partido dos Trabalhadores da Coreia do Norte) Mais uma vez, a República Democrática Popular da Coreia (RDPC) deixa o resto do mundo sem fôlego: onda de ameaças – ataques nucleares aos Estados Unidos, rejeição do armistício de 1953,1 uma inevitável “Segunda Guerra da Coreia” – e baterias de mísseis …

por em

Os banhistas do porto

  (Barco apreendido atracado em Las Palmas) Sentado atrás de sua mesa de escritório, o capitão cubano Pedro Leyva avança um peão no tabuleiro de xadrez eletrônico, iluminado pela luz que passa através da janela. Em volta dele, nos corredores, ao longo das escadas de metal e até o fundo dos tanques, o silêncio fez …

por em

Quando o reality show transforma o trabalho em espetáculo

  Nos últimos dez anos, apareceram na França diversos reality showsde culinária, como Master chef (TF1), Top chef (M6) e Un dîner presque parfait [Um jantar quase perfeito] (M6). Todos eles são jogos-concursos eliminatórios como À la recherche de la nouvelle star[Em busca da nova estrela] (M6). O vencedor ganha o superdireito de entrar no espaço profissional: …

por em

“É preciso revolucionar as cidades”

  Desde A urbanização do capital, de 1985, até o brilhante Rebel cities (Penguin, 2012, sem tradução no Brasil), passando por dezenas de livros sobre marxismo, David Harvey encara as grandes cidades como o amálgama social que produz e produzirá o novo. Não há nada mais fervilhante, diz ele, do que as “zonas de aculturação”, …

por em

Ambições espaciais e nucleares de Pequim balançam o jogo mundial

  Pequim não tem nenhuma estátua do senador anticomunista norte-americano Joseph McCarthy. Uma relativa ingratidão, se pensarmos que ele é o pai natural do programa nuclear chinês. A história é, no mínimo, surpreendente. No imediato pós-guerra, um jovem engenheiro emigrado originário de Hangzhou, Qian Xuesen, trabalhava contratado pelo Pentágono no Jet Propulsion Laboratory de Pasadena. …

por em

Não existe amor no Brasil Maior

(Fernando Haddad no Pinheirinho II. A prefeitura interrompeu reintegração de posse e iniciou processo de desapropriação) Insurgências e crises da representação Depois do estouro da crise do capitalismo global, em 2007-2008, a mobilização das redes sociais em torno da primeira eleição de Obama parecia ter constituído as bases para uma resposta política adequada. Agora sabemos …

por em

Shopping centers em busca de algo mais

(Foto do shopping Atoll, na periferia de Angers) Estamos em um conjunto habitacional de pavilhões, como existem aos milhares na França. Carros e trailers meticulosamente estacionados nas garagens coletivas, casas idênticas com arbustos perfeitamente podados e cercas de grades de plástico, placas de “cão bravo”: estamos em Mancharderie, no coração da comuna de Beaucouzé, na …

por em

A pregação antieuropeia de David Cameron

(David Cameron presta tributo à Margareth Tatcher em seu funeral) Evocar a saída da União Europeia tornou-se respeitável!” No dia 23 de janeiro, Nigel Farage fingia júbilo. Pronto a se retratar como vítima da propensão europeísta da “elite” britânica, o dirigente do Partido da Independência do Reino Unido (Ukip, na sigla em inglês) comemorava o …

por em

Avaliação, arma de destruição em massa

“Fazer benchmarking é saúde!”, alardeava em 2008 a chefe dos patrões franceses, Laurence Parisot, retomando o slogan da convenção do Movimento das Empresas da França (Medef), reunida naquele ano no semicírculo do Parlamento Europeu. Para quem ignora tudo a respeito do benchmarking, seu discurso – que pregava sua aplicação aos produtos, aos serviços, às ideias, …

por em

Para preparar a reconquista

Eu quero saber de onde estou partindo Para manter tanta esperança Paul Éluard, Poésie ininterrompue [Poesia ininterrupta] Algumas revelações nos remetem ao que já sabíamos. Acabamos de aprender que líderes políticos podem amar o dinheiro e frequentar aqueles que o possuem? Que, juntos, eles às vezes se comportam como uma casta acima da lei? Que …

por em

Porto Rico, 51° estado dos EUA?

Os porto-riquenhos escolheram transformar sua ilha no 51º estado da União Federal norte-americana? Para Luis Fortuño, governador em exercício e dirigente do Partido Nuevo Progresista (PNP) no momento do referendo do dia 6 de novembro de 2012, a resposta não deixa dúvidas: os 61% da população que votaram a favor da incorporação de Porto Rico …

por em

Por uma pesquisa sem patentes

A indústria farmacêutica? “Um passado magnífico. Um presente estéril, feito de cobiça, mentiras e corrupção. Um futuro baseado na esperança…” Em seu Guia dos medicamentos, que provocou muito barulho,1 os professores Philippe Even e Bernard Debré jogaram merda no ventilador: dos 4 mil medicamentos comercializados na França, metade seria inútil, 20% mal tolerados e 5% …

por em

Uma utopia ao alcance das mãos

Trabalhamos e, graças ao trabalho, recebemos dinheiro. Essa lógica está tão arraigada na mente das pessoas que sugerir uma inversão da ordem das coisas inevitavelmente levanta dúvidas sobre a saúde mental de quem o fez. A perspectiva de instaurar uma renda incondicional, ou seja, prover cada um com uma quantia mensal suficiente para lhe permitir …

por em