Desmascarar situações de opressão e injustiça tidas como “naturais”

A esquerda brasileira não nasceu ontem. Sua história remonta ao início do século XX, com a vinda de farta imigração europeia a partir da proibição do tráfico negreiro em 1850, logo seguida da aprovação de leis como a do Ventre Livre e dos Sexagenários, que visavam à abolição da escravatura, alcançada só em 1888 depois …

por em

O atentado de Sarajevo, pretexto para reescrever a história

sorte da Europa foi lançada em   Sarajevo no dia 28 de junho de 1914? Nessa data, um jovem nacionalista “iugoslavo”, Gavrilo Princip, membro da organização secreta Jovem Bósnia, manipulada por certas facções do serviço secreto do reino da Sérvia, assassinou o arquiduque Francisco Ferdinando, herdeiro da coroa do Império Austro-Húngaro, e sua esposa, a condessa …

por em

As potências redesenham o mundo

Uma águia do livre-comércio norte-americana atravessa o Atlântico para destroçar uma tropa de cordeiros europeus mal protegidos. A imagem invadiu o debate público na aurora da campanha pelas eleições europeias. Chocante, ela é politicamente perigosa. Por um lado, não permite entender que também nos Estados Unidos coletividades locais correm o risco de serem vítimas, em …

por em

No fim, quem leva a pior é sempre o povo

  Bastaram 31 euros para que o grupo empresarial francês Veolia declarasse guerra a uma das únicas vitórias da “primavera” de 2011 dos trabalhadores egípcios: o aumento do salário mínimo de 400 para 700 libras mensais (de 41 para 72 euros). Essa soma foi considerada inaceitável pela transnacional, que processou o Egito, em 25 de …

por em

Negociação opaca, mas não para todos

Opacidade: sem dúvida é essa a palavra que melhor caracteriza as negociações a respeito do Grande Mercado Transatlântico (GMT). O Comissário Europeu de Comércio Internacional, Karel De Gucht, pode dizer quanto quiser que “não há nada de secreto acerca dessas negociações comerciais”,1 mas o negociador-chefe da União Europeia, Ignacio Garcia Bercero, prometeu o contrário a …

por em

Quando os torcedores marcam os gols

São Paulo, Brasil, 1o de fevereiro de 2014. Muito enraivecida, uma centena de torcedores do Corinthians força a entrada no centro de treinamento de seu time. Eles têm a firme intenção de castigar dois jogadores, considerados responsáveis por uma série de derrotas. Os infelizes escapam por pouco à vingança. Quatro dias depois, em uma partida, …

por em

Carta (fictícia) da tonsanMo a seus acionistas

Caros acionistas,   Pedimos sua atenção para a extraordinária oportunidade oferecida pelas negociações atuais relativas ao Grande Mercado Transatlântico (GMT). Esse tratado deverá contribuir para o crescimento exponencial de seus dividendos e reforçar nossa posição como líder mundial nas sementes, nos organismos geneticamente modificados (OGMs) e na proteção das culturas. Ele vem recompensar nossos intensos …

por em

Liberdade para o capital ou proteção aos capitalistas?

Em uma conferência pronunciada em 7 de janeiro de 1848 em Bruxelas, Karl Marx tratou da grande vitória levada a efeito em 1846 pelos partidários do livre-comércio, a saber, a abolição das leis sobre os cereais na Inglaterra (Corn Laws).1 Os free-traders, apoiados pelos capitães da indústria, procuraram obter a adesão popular estigmatizando os privilégios …

por em

Uma questão de dinheiro e espirituosidade

A maioria dos clubes de futebol da Europa Ocidental construiu sua identidade em torno de eixos geográficos, culturais ou, eventualmente, políticos. O Olympique de Marselha, na França, e o Manchester United, no Reino Unido, por exemplo, distinguem-se por sua oposição aos clubes da capital; na Espanha, o Athletic Bilbao é conhecido por recrutar exclusivamente jogadores …

por em

Cinismo, ferramenta de gerenciamento das consultorias

No trabalho, a “cultura da empresa” e as regras informais substituíram as estruturas reguladoras. Mas os funcionários, e entre eles os executivos, não são bobos. Eles constroem dentro das normas as diferenças entre sua realidade e um discurso oficial reconfortante. O cinismo se revela paradoxalmente um poderoso aliado da organização do trabalho e garante sua …

por em

A Guatemala esqueceu Jacobo Arbenz?

O cemitério da capital da Guatemala localiza-se entre dois abscessos de miséria. Em meio a um mosaico de estelas em tons pastel – azul, amarelo, verde –, imponentes sepulturas abrigam os restos mortais de incontáveis oligarcas e ditadores. O lugar também é a última morada de um homem associado à esperança de ruptura na história …

por em

A revolta dos povos autóctones do Canadá

“Alimentem aqueles que têm fome! Comam os ricos.” Com esse cartaz em riste, cerca de quinze pessoas desfilam diante da entrada do Pidgin, um restaurante novo em folha em Downtown Eastside, “o código postal1 mais pobre do Canadá”, como dizem por aqui. Esse velho bairro central de Vancouver é atravessado por duas grandes artérias, as …

por em

Por que as negociações no Oriente Médio sempre falham?

As negociações deveriam ter começado com a decisão de interromper a construção dos assentamentos. Mas achamos que isso não seria possível, por causa da composição do governo israelense, então abrimos mão.” Entrevistada pelo famoso jornalista Nahum Barnea, do jornal israelense Yediot Ahronot, em uma reportagem1 sobre o fracasso das negociações entre israelenses e palestinos, a …

por em

A esquerda e a democracia

Para muitos, a divisão política entre direita e esquerda soa hoje como um anacronismo. Essa divisão não é uma coisa do passado que está superada? Falar de direita e esquerda no século XXI, com a revolução nas tecnologias, as profundas transformações nas classes trabalhadoras e nas relações de poder, com a internet convocando mobilizações, não …

por em

Aquecimento residencial, pauta quente na Rússia

No inverno, a maior parte dos citadinos russos vive de roupa íntima, shorts ou vestido leve, enquanto a janela está entreaberta… Do lado de fora, a temperatura chega a −40 °C na Sibéria e −25 °C em Moscou. Mas no interior das casas o calor às vezes se torna tão insuportável que é preciso deixar …

por em

Pôr em marcha as forças de transformação

  Em termos políticos, raros são os partidos e candidaturas no Brasil que abertamente se apresentam para o debate público como de direita. Na maioria das vezes, mesmo diretamente ligados a interesses empresariais, candidatos e representantes do poder público preferem utilizar-se do verniz social vermelho para escamotear-se, incluindo em seus discursos a diluição das diferenças …

por em

Uma saída justa e digna: promover a verdadeira reforma urbana

Segundo dados do IBGE e das prefeituras, a população residente em favelas e loteamentos irregulares e precários cresce muito mais rapidamente que a população como um todo em São Paulo e nas principais metrópoles do país. O número de ocupações de terrenos vazios, prédios ociosos e baixos de viadutos não para de crescer. Na semana …

por em

Independência de classe, democracia socialista e internacionalismo

Na história moderna surgiu uma oposição entre os interesses das grandes monarquias associadas à Igreja e aos nobres proprietários de terras e as camadas plebeias da população tanto camponesas como urbanas. As grandes revoluções modernas, especialmente a estadunidense e a francesa, inauguraram os conceitos de soberania popular, de cidadania nacional, de igualdade de direitos e, …

por em

Um ano depois de junho

A vivência de junho de 2013 no Brasil nos fez entender o significado de períodos simbólicos, como maio de 1968. Não era preciso nenhum grau avançado de relação com os acontecimentos para saber que estávamos diante de um momento histórico. Não parece possível, contudo, explicar junho com base em teses únicas. Junho foram junhos, como …

por em

O continente desconhecido da esquerda

Em 20 de junho de 2013, no Rio de Janeiro, muitos gritavam “sem partido” e “sem vandalismo” na avenida. Quando, no final da marcha, a aglomeração começou a aumentar na frente da prefeitura, as barreiras policiais se abateram sobre a manifestação, com chuva de balas de borracha, cortinas de gás lacrimogêneo, explosões e muita violência. …

por em

Ao assalto do sono

Qalquer um que tenha vivido na costa oeste da América do Norte sabe: certas aves migratórias partem todos os anos na mesma estação para percorrer, de Norte a Sul e do Sul ao Norte, distâncias de amplitude variável ao longo desse platô continental. Uma dessas espécies é o pardal-de-garganta-branca. Diferentemente de seus congêneres, essa variedade …

por em