Dezembro 2017

Edição 125

R$14,90Comprar

ENTREVISTA – RENATO JANINE RIBEIRO

Liberdade de expressão e democracia

Diante dos recentes ataques contra museus, peças de teatro e palestras ocorridos no Brasil, o Le Monde Diplomatique Brasil entrevistou o filósofo Renato Janine Ribeiro, professor de Ética e Filosofia da USP e ex-ministro da Educação (2015). Na pauta, a importância da liberdade de expressão e o combate ao clima de ódio instaurado no país


E AGORA, JOSÉ?

A direita saiu do armário; a esquerda entrou

Somos, hoje, uma esquerda envergonhada. A corrupção nos atingiu e abateu a nossa moral. Ficamos calados perante o ajuste fiscal proposto pelo governo Dilma. Trocamos um projeto de nação por um projeto de poder. Não cuidamos da alfabetização política do nosso povo. Não criamos uma mídia capaz de se contrapor à versão da direita.


FRANÇA

Guerras de religião

Edição 125 | Brasil

Na França, as guerras de religião nem sempre foram metafóricas.


EDITORIAL

A solidariedade entre nós – II

Edição 125 | Brasil

Para conquistar essa nova sociedade é preciso enfrentar os poderes controlados pelas elites, e o único caminho é a reapropriação da política pelo cidadão comum. Isso significa investir na construção de novos atores coletivos, fortalecer redes e fóruns, debater a radicalização da democracia, propor profundas mudanças nas instituições e a criação de novas formas de participação e controle social na gestão pública e na política.


CAPA

Orçamento 2018, uma carta de intenções aos pobres do Brasil

Parece que, na lógica da atual gestão, é preciso tirar de agricultores familiares, povos e comunidades tradicionais e pobres urbanos para manter os ganhos de quem sempre concentrou a riqueza


POLARIZAÇÃO EXACERBADA A MENOS DE UM ANO DAS ELEIÇÕES

Crise brasileira reanima as direitas radicais

“Que se vayan todos!” Quinze anos depois dos argentinos confrontados com o caos econômico, o grito percorre um Brasil sacudido pelos escândalos de corrupção. Enquanto nenhuma formação tradicional escapa do descrédito, uma direita radical, por vezes ligada aos militares, emerge, prometendo limpar os estábulos de Aúgias


O SUSPEITO IDEAL

Ingerência russa, obsessão e paranoia

Uma ingerência de Moscou poderia alterar o resultado da última eleição norte-americana? A hipótese, que obceca a imprensa, é tratada com tanta paixão quanto uma guerra. Do Brexit ao referendo catalão, agora cada votação relevante comporta sua própria versão de uma pilantragem russa. Quanto às provas, bom, é preciso aguardar mais um pouco…


ALIANÇA, FAMÍLIA, NEGÓCIOS

A singular amizade entre os Estados Unidos e a Arábia Saudita

Excessivamente virulento aos olhos de Riad durante a campanha eleitoral de 2016, o presidente Donald Trump consegue cada vez mais se aproveitar das riquezas do reino – uma trajetória interesseira que não leva em conta as dificuldades estruturais de um país engajado em incertas reformas econômicas e sociais


O jihadismo segundo os especialistas

Há um fosso entre a imagem dos jihadistas construída pela mídia e aquela concebida pelos especialistas. Para a primeira, o fenômeno é comandado essencialmente pela influência do islamismo salafista. Já para os segundos não existe uma causa única capaz de explicar as ações dos milhares de jovens franceses recrutados, sendo necessário explorar a diversidade de suas motivações


CRISE SOCIAL E IDENTITÁRIA

O voo da esquerda radical no Kosovo

Autoproclamando-se de esquerda enquanto cultiva um exacerbado nacionalismo albanês, considerado hostil pelos sérvios, o movimento Vetëvendosje cresceu nas eleições legislativas de junho e, desde o pleito municipal de novembro, dirige as duas maiores cidades do Kosovo


NORMALIZAÇÃO FREADA PELA QUESTÃO PALESTINA

O lento avanço de Israel na África

Há muito tempo, a causa palestina constituía uma divergência insuperável entre Israel e a África. Porém, Tel Aviv soube tornar-se útil a vários regimes, especialmente em termos de segurança. Ligações discretas, mas concretas, com certos Estados-chave lhe permitem esperar construir relações econômicas e políticas cada vez mais próximas


POLÍTICA INDUSTRIAL NO CORAÇÃO DE UMA ESTRATÉGIA DE POTÊNCIA

Como o Estado chinês soube se beneficiar da globalização

Em encontro com Donald Trump durante o Fórum de Davos, em janeiro, o presidente chinês, Xi Jinping, refinou seu discurso sobre as virtudes do livre-comércio, enquanto seu homólogo parecia defender o “America first” e o protecionismo. Graças a um Estado desenvolvimentista, Pequim abraçou a globalização para retomar seu lugar no mundo, mas sem se dissolver


FRENTE DE EVANGÉLICOS PELO ESTADO DE DIREITO

Precisamos falar da fé de Leonardo


ALTERNATIVAS À RAÇÃO HUMANA

Carta aberta a um desempregado sobre o direito à alimentação de verdade


MULHERES NA FRANÇA

O invisível caráter insalubre do trabalho feminino

Para reduzir a idade de aposentadoria, o governo francês precedente prometeu a criação de uma conta pessoal de insalubridade, estabelecendo um rol de atividades penosas, possibilitando assim uma partida mais precoce. Não somente os critérios foram reduzidos pela atual equipe, como também a maior parte foi estabelecida em função do trabalho masculino


TRÊS DIREITOS A SEREM CONQUISTADOS

Chega de lutas defensivas

Por toda parte, as conquistas sociais dos últimos dois séculos apresentam a mesma limitação: se, em princípio, as pessoas decidem seu destino político, não há nenhuma soberania popular sobre a economia. Solucionar essa hemiplegia implica, para os progressistas, fazer uma mudança de perspectiva: não apenas se opor às reformas, mas também promover outro modelo


UM ANIMAL SÍMBOLO DA DIVERSIDADE

O que as abelhas murmuram aos humanos

As abelhas estão longe de desaparecer, e sua extinção não ameaçaria necessariamente toda a agricultura alimentar. Acabar com essas crenças alarmistas permitiria um melhor entendimento do que revelam as perdas sem precedentes sofridas por apicultores em certas regiões do mundo e os perigos que significam as mutações profundas dos sistemas agrícolas


O MERCADO DE ARTE

O preço do inestimável

Um pequeno quadro atribuído a Leonardo da Vinci vendido por 385 milhões de euros em novembro; As mulheres de Alger, de Pablo Picasso, negociado por 160 milhões de euros: especuladores invadiram o domínio da arte. Longe dos projetores, milhares de obras “ordinárias” são vendidas por ano. É um mercado que obedece a regras bastante particulares


SÉRIE ESPECIAL

Vencer o racismo na mídia e na esquerda: uma etapa necessária?

“Como os veículos de comunicação de esquerda têm dado espaço para esse debate? Estão preocupados em abrir espaço para os negros exigirem igualdade?”, questionam Frei David dos Santos e Irapuã Santana do Nascimento da Silva, da Educafro, no sexto artigo da série especial “Racismo na mídia e na esquerda”