Petrobrás e desenvolvimento brasileiro

A Revolução Industrial europeia no século XVIII e logo depois a norte-americana ocorreram na esteira do carvão abundante nestas paragens continentais e marcaram o ponto de partida para a construção das nações hegemônicas mundiais no Ocidente. Foi o início do que se pode chamar de “desenvolvimento tecnológico moderno”, quando os dotes engenhosos do ser humano …

por em

A economia brasileira na segunda onda da globalização capitalista 


Trabalhadores descansam durante a construção de Brasília Da metade do século XIX à Primeira Guerra Mundial, o avanço da primeira onda de globalização capitalista liderado pelo Reino Unido foi acompanhado por profundas transformações que permitiram ao Brasil melhorar sua posição relativa na antiga Divisão Internacional do Trabalho (DIT). O mesmo, contudo, não se verifica no …

por em

Rejeição ao livre-comércio

Os manifestantes franceses reunidos pelo movimento Nuit Debout [Noite em pé] esperam que uma “convergência de lutas” lhes permita ampliar sua audiência a participantes menos jovens, menos estudados, e inserir-se em uma dinâmica internacional. Uma de suas palavras de ordem poderia favorecer esse duplo objetivo: a recusa aos tratados de livre-comércio.1 Os meandros dos acordos …

por em

É hora de querer tudo!

Pedir pouco e esperar muito: dezoito anos após a criação da Ação para uma Taxa Tobin de Ajuda aos Cidadãos (nome original da Attac, hoje denominada Associação para a Taxação das Transações Financeiras para a Ajuda aos Cidadãos), em junho de 1998, o desconto de 0,01% a 0,1% sobre as transações financeiras inspirado pelo economista …

por em

À espera da taxa Tobin…

  Originalmente formulada pelo economista norte-americano James Tobin (1918-2002), a ideia de taxar as finanças conseguiu adentrar a Europa após a crise de 2008. Em fevereiro de 2013, onze países da zona do euro – França, Alemanha, Bélgica, Áustria, Eslovênia, Portugal, Grécia, Eslováquia, Itália, Espanha e Estônia – comprometeram-se a criar um imposto sobre transações …

por em

Feliz colonização digital

Na história da economia digital, o ano de 2013 permanecerá, sem dúvida, como um ponto de inflexão. Até então, a internet era vista como uma selva dominada por grandes feras, mas onde subsistiam vastos espaços de liberdade. Uma série de revelações dissipou as ilusões: vigilância geral dos cidadãos pelo Estado (denunciada em particular por Edward …

por em

Os EUA se cansaram do mundo?

Confuso”, “fraco”, “indeciso”, “traidor”, “covarde”, “ingênuo”, “incoerente”, “sem visão”, “inexperiente”: durante oito anos, os republicanos não tiveram palavras suficientemente duras para qualificar Barack Obama e sua política externa. O presidente teria solapado a grandeza e o prestígio dos Estados Unidos por se recusar a recorrer à força. Embora não deixem jamais de sublinhar quanto Obama …

por em

Taiwan e China disputam a América Central

Um ato de realismo elementar.”1 Foi com essas palavras que, em 2007, Oscar Arias Sánchez, então presidente da Costa Rica, comentou sua decisão de reconhecer a República Popular da China, 58 anos após sua fundação. A partir de 1949 e do exílio dos nacionalistas do Kuomintang, derrotados pela revolução, para o outro lado do Estreito …

por em

Crianças, ao trabalho!

  Daniel, de 16 anos, vive em El Alto, nas alturas de La Paz, Bolívia. Há dez anos, sua mãe emigrou para Buenos Aires para escapar da instabilidade do mercado de trabalho boliviano. Abandonado pelo pai antes do nascimento, Daniel vive com os avós e tios maternos. Desde os 11 anos trabalha dois dias por …

por em

Muito além da corrupção

Em artigo no jornal Valor Econômico (18 mar. 2016), o economista Naércio Menezes enumerou alguns argumentos para explicar “por que a economia travou”. Um desses motivos era que a Operação Lava Jato havia colocado em xeque o modus operandi do capitalismo à brasileira, cujo fundamento reside em relações pouco transparentes entre o Estado e certos …

por em

A reforma do Conselho de Segurança

Assim como a ação do Estado é determinada por suas elites, a atuação do Conselho de Segurança (CS) resulta da correlação de forças do sistema interestatal. Sua composição essencial – cinco membros permanentes (os “P5”) com direito a veto – reflete o poder originado na Segunda Guerra Mundial e cristalizado em 1945, na criação das …

por em

Maiores riscos

Se o golpe se consumar, teremos como presidente Michel Temer, acusado de manter contas em paraísos fiscais e de receber propinas de empresas para facilitar seus negócios com o governo. Há também processos que pedem seu impeachment, protocolados na Câmara, além das ações pela cassação da chapa em tramitação no Superior Tribunal Eleitoral. Sua preferência …

por em

Esperança de mudança no Irã

Nem vencidos nem dominados!” É 10 de fevereiro de 2016, e a multidão se agita em torno de um turbante branco. O presidente Hassan Rohani acaba de juntar-se ao desfile do Festival Anual da Revolução, na Avenida Azadi, uma das principais artérias de Teerã. As palavras de ordem repetidas em coro refletem a leitura que …

por em

Movimento contra a corrupção ou golpe de Estado disfarçado?

Mais de 500 mil manifestantes em São Paulo, um pouco menos no Rio de Janeiro e 100 mil em Brasília. No total, cerca de 3 milhões de pessoas teriam ocupado as ruas de uma centena de cidades brasileiras no dia 13 de março, formando uma maré humana apresentada como a mais vasta mobilização desde o …

por em

Arte para todos, dinheiro para alguns

  A arte é o Santo Graal”, afirma Sadie Coles com o sorriso emocionado de quem fez uma confidência. Ela tem a elegância discretamente rock’n’roll e a tranquilidade graciosa daqueles que estabelecem a relação entre os artistas e os colecionadores. Em 2014, ela se encontrava, segundo o jornal The Guardian, no ranking das “personalidades mais …

por em

O sono da política produz monstros

Que o caráter vertiginoso dos acontecimentos em cascata nos últimos tempos não nos iluda. Estamos imersos em um processo complexo e de longo prazo. Não se trata de uma conjuntura passageira e remediável mediante acordos bem urdidos. Nem mesmo de uma mera crise. Esta, como ruptura que se pode enfrentar, já ficou para trás, na …

por em

O financiamento da educação e a ilusão do pré-sal

O total dos investimentos públicos em educação pode ser estimado combinando-se as arrecadações de impostos (federais, estaduais e municipais) com as exigências constitucionais de investimentos mínimos em educação como percentuais dessas arrecadações, adicionando-se ao resultado o salário-educação. Essa estimativa indica que os investimentos públicos em educação no Brasil estariam próximos dos 4,5% do PIB. Esse …

por em

A história por trás do golpe

No começo da década de 1920, o escritor Leonid Leonov publicou O fim de um homem mesquinho, narrativa com tintas dostoievskianas que contava a história do professor Fedor Andreich Likharev, um paleontólogo que passara a maior parte de sua existência ausente da vida política russa. Quando estourou a revolução, ele se encontrava ocupado com seus …

por em

Zika, Olimpíadas e a segurança

Normalmente, quando se pensa em ameaças à segurança internacional, os primeiros elementos que frequentemente sobressaem são as preocupações ligadas a ataques terroristas, armas químicas e biológicas ou até mesmo ameaças nucleares. Assim, ao se prepararem para um evento global, como os Jogos Olímpicos, não é incomum os países e as cidades-sede, compreensivelmente, centrarem grande parte …

por em

Sem a Petrobrás, o país não volta a andar

Em texto publicado no Le Monde Diplomatique Brasil (mar. 2015) discutimos os impactos da Operação Lava Jato e da ofensiva midiática que a acompanhava (e acompanha) na política de conteúdo local. Deixamos claro naquele artigo que, assim como todo brasileiro que se preze, somos favoráveis à apuração de ilícitos e, se comprovados, à punição dos …

por em