Miscelânea — Resenhas

REDES E RUAS: MÍDIAS SOCIAIS E ATIVISMO CONTEMPORÂNEO Paolo Gerbaudo, Funilaria A obra analisa os protestos de 2011, a partir da Primavera Árabe, dos indignados na Espanha e do Occupy Wall Street nos Estados Unidos. Paolo Gerbaudo, professor do King’s College de Londres, já indicava, ainda no calor dos acontecimentos, que aquele fenômeno era mais …

por em

“A ditadura me formou na carne e mudou a minha vida”

Marieta Severo tem vivido sentimentos difusos quando olha para a situação cultural e política do país. Pessoalmente, celebrar os quinze anos do Teatro Poeira, mantido por ela e pela atriz Andréa Beltrão, no Rio de Janeiro, com uma exposição que se encerra em março é motivo de emoção. “Choro de alegria com essa homenagem.” Ao …

por em

A internet em quilombos e áreas rurais do Nordeste

Quando o Brasil registrou os primeiros casos de contaminação por Covid-19, as famílias do quilombo Sumidouro, em Queimada Nova, Piauí, estavam em processo de negociação com empresas responsáveis por megaempreendimentos de energia eólica que, há alguns anos, têm provocado uma série de ameaças socioambientais. Com as medidas de distanciamento social, as reuniões passaram a ser …

por em

O niqab no país dos sovietes indianos

A imagem causa algum espanto. Sentadas em um ponto de ônibus, três mulheres de niqab conversam em frente a um enorme retrato de Che Guevara. Cobertas da cabeça aos pés com um tecido preto, as mãos enluvadas e o rosto oculto, elas só se deixam distinguir pelos olhos. Afixadas no abrigo do ponto de ônibus, …

por em

O retorno dos five eyes diante do avanço chinês

Durante muito tempo existiu uma aliança invisível envolvendo os dirigentes dos países aliados. Somente em 1973, por ocasião de uma crise constitucional, o primeiro-ministro australiano na época, Gough Whitlam – que modernizou seu país, abolindo a White Australia Policy (a política racial de imigração que só autorizava europeus brancos a imigrar), retirando seus soldados do …

por em

Ilha da Reunião: é preciso partir para assegurar o futuro?

A estrada nacional que circunda a Ilha da Reunião por 210 quilômetros liga as principais cidades, construídas ao longo da costa. Ao entrarem na capital, os motoristas não podem deixar de ver a placa “Sin Dni”. Desde 2010, a escrita em crioulo reunionense foi afixada abaixo do nome em francês: “Saint-Denis”. A iniciativa segue a …

por em

É preciso temer a inflação?

Há alguns anos, uma palavra desconhecida da maioria das pessoas surgiu no debate público: “deflação”, um fenômeno cujo espectro parecia gelar a espinha dos economistas de ambos os lados do Atlântico. Caracterizada pela queda simultânea dos preços e dos salários, bem como pela queda do investimento e da atividade, a deflação ameaçou, na esteira da …

por em

Nos Estados Unidos, uma Corte supremamente política

Washington, 9 de abril de 2021. Um caminhão percorre as ruas do bairro do Capitólio e estaciona diante dos degraus da Suprema Corte. Traz cartazes com uma mensagem brutal, endereçada ao decano da instituição: “Breyer, dê o fora!”. Financiada por um grupo ligado ao Partido Democrata, a campanha tenta convencer o juiz octogenário Stephen Breyer, …

por em

Retirada norte-americana vai durar seis meses…

A evolução recente da política externa dos Estados Unidos parece tão paradoxal que numerosos comentaristas já não sabem o que dizer: por um lado, a retirada apressada e confusa das tropas do Afeganistão alimentou a suspeita de uma grande potência em declínio, que não hesita em abandonar seus compromissos internacionais; por outro, sua resposta vigorosa …

por em

Sanções e guerra no conflito ucraniano

“Se Putin invadir, quero que saiba uma coisa: vai ter problemas para comprar um refrigerante em uma máquina de venda automática cinco minutos depois”, declarava aos jornalistas o político democrata Seth Moulton, em visita a Kiev no fim de dezembro de 2021. No início de janeiro,1 os membros de seu partido apresentaram um projeto de …

por em

Síria e Iraque: civis são as principais vítimas dos bombardeios

Em junho de 2014, os Estados Unidos lançaram uma campanha de bombardeios aéreos no Iraque e na Síria com o objetivo de aniquilar as forças militares do “califado” proclamado pelo Estado Islâmico (Daesh, na sigla em árabe), antes de formar, alguns meses depois, uma coalizão internacional composta de 74 países. Paralelamente, em setembro de 2015, …

por em

Protestos de caminhoneiros no Canadá e no Brasil

Os princípios da liberdade estão sendo subvertidos por extremistas de direita em todo o mundo. Dos Estados Unidos ao Brasil, do Canadá à Turquia, a liberdade tornou-se um novo código para empoderar reacionários antidemocráticos que reduzem a liberdade ao discurso do interesse próprio, numa rejeição explícita aos valores democráticos e ao contrato de bem-estar social. …

por em

Sede de reformas na América Latina

Quando a Covid-19 desembarcou na América Latina, a região estava completamente indefesa. O vírus se deparou com sistemas de saúde privatizados e hospitais públicos subfinanciados, consequência da volta de governantes neoliberais ao poder desde meados dos anos 2010. A pesquisa e o desenvolvimento, totalmente negligenciados, recebiam apenas 0,8% do PIB, ou seja, três vezes menos …

por em

Da Constituinte ao governo Bolsonaro

O Centrão pode ser definido como um bloco suprapartidário, pragmático e conservador, sem orientação ideológica precisa, mas com maior afinidade com a ideologia de centro-direita, que se organiza para obter recursos do orçamento para suas bases eleitorais e cargos para seus aliados políticos em troca de apoio ao governo em exercício como forma de garantir …

por em

O Centrão na Câmara e o governo Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro foi eleito em 2018 com uma narrativa de enfrentamento da “velha política” e, por extensão, do chamado Centrão – uma agremiação com pouca identidade ideológica, marcada por fisiologismo e alinhamento à direita do campo político do Congresso, hoje constituída por PP, PL, Podemos, Pros, PSD, PTB, Republicanos, Solidariedade, Avante e Patriota, …

por em

Destruição a mando dos Estados Unidos

Sérgio Moro foi uma peça-chave na guerra econômica praticada pelos Estados Unidos contra as empresas brasileiras que competem com as multinacionais norte-americanas. Essa guerra é mundial, não ocorre só no Brasil, e tem abatido empresas europeias e latino-americanas. Por vezes, essa guerra se estende a governos que buscam maior autonomia, tentando escapar do controle do …

por em

“Abuso institucional”

A digitalização em marcha forçada do acesso aos serviços públicos se aplica agora a procedimentos tão indispensáveis quanto um pedido de certidão de casamento, o pagamento de um imposto e a obtenção de uma autorização de residência. Ora, a obrigação de recorrer à internet nessas áreas e em muitas outras ligadas à vida cotidiana (viagens, …

por em