Para unir o urbano dividido

Violações do direito à cidade Direito à Cidade – Unindo o Urbano Dividido” será o tema central da quinta sessão do Fórum Urbano Mundial, que ocorre dias 26 e 27 de março, no Rio de Janeiro. Mais uma vez, autoridades governamentais, lideranças comunitárias, pesquisadores e diversos tipos de organizações sociais se reúnem para discutir as …

por em

A Índia resiste à sedução dos EUA

Na Índia, tudo parecia pronto para a comercialização de uma berinjela geneticamente modificada. Seria uma estreia mundial! Em 6 de outubro de 2009, o Comitê de Aprovação de Engenharia Genética (GEAC) indiano havia dado sinal verde. Entretanto, contra todas as expectativas, o ministro do Meio Ambiente, Jairam Ramesh, decidiu, em fevereiro de 2010, adiar as …

por em

Saturação das metrópoles

Pela primeira vez na história da humanidade, a porção da população mundial que vive em áreas urbanas ultrapassou, entre 2007 e 2008, a daquela que vive em zonas rurais. Agora, mais de 3,3 bilhões de pessoas moram em cidades. Destas, mais de 500 milhões estão em megalópoles com mais de 10 milhões de habitantes ou …

por em

Diplomacia a portas fechadas

Um negociador europeu que só aceita responder a nossas perguntas com a condição expressa de permanecer anônimo; um lobista estadunidense que se recusa a nos fornecer os esboços de um texto em discussão porque assinou um acordo de confidencialidade; nossos pedidos oficiais junto à Comissão Europeia rejeitados – “isso colocaria em perigo as relações econômicas …

por em

A luta por espaço

A reestruturação urbana pela “destruição criadora” adquiriu dimensão planetária. De Bombaim a Pequim, passando por Londres, Nova York ou Paris, bairros populares bem localizados são revitalizados, enquanto seus antigos habitantes são deslocados para conjuntos habitacionais de baixa qualidade nas periferias para dar lugar a projetos residenciais “de categoria”. Iniciativas culturais prestigiosas capazes de mobilizar investidores, …

por em

O olhar solidário das favelas

A Escola de Fotógrafos Populares, sua agência e o banco Imagens do Povo são experiências do Observatório de Favelas. A escola pretende formar jovens moradores de favelas cariocas no ofício da fotografia e abrir-lhes caminho no mercado de trabalho. Mais do que isso: a escola busca realizar um trabalho de registro das comunidades populares a …

por em

A (re)construção de Hanói

No escritório de cor azul celeste, figuram lado a lado fotografias de projetos realizados e uma tela de vídeo high tech. O arquiteto Hoang Huu Phe, de 55 anos, insiste que Hanói deve se engajar numa ampla política de desenvolvimento urbano. “No governo, alguns tratam a cidade apenas como uma entidade administrativa. Felizmente, essa visão …

por em

Os motoboys no globo da morte

Como uma faísca no trânsito de São Paulo já em combustão, os motoboys aceleram forte. Entre insultos e gentilezas, agressões físicas e morais, um acidente e outro, um retrovisor que cai e uma porta que amassa, fazem a entrega chegar ao seu destino certo e no tempo previsto. Sua atividade profissional é um fenômeno urbano …

por em

Uma mudança nos rumos da esquerda

Le Monde Diplomatique Brasil – Qual a formação política para ser de esquerda hoje? Boaventura de Sousa Santos – Ogrande problema é saber o que é ser de esquerda hoje. No século XX havia duas esquerdas e nenhuma delas considerava que a outra era de esquerda. Era a divisão entre os partidos socialistas e os …

por em

Novas configurações políticas

Estamos diante de novas configurações políticas no processo boliviano e no geopolítico regional em um período de turbulências econômicas e financeiras do sistema capitalista mundial. Este é um tempo de incertezas e inseguranças, sobretudo para aqueles modos de governo e de gestão que se acostumaram e se adaptaram, nas últimas décadas, a uma tecnologia da …

por em

Saída regional para a crise

O fantasma da estagnação econômica ronda o mundo, com exceção da parte da Ásia, por enquanto, puxada pelo crescimento chinês e indiano. Estados Unidos, Japão e União Europeia, as históricas locomotivas mundiais, sofreram contração forte no ano passado e mal conseguem manter-se na linha do crescimento zero este ano. O mesmo ocorre com a América …

por em

Até que todas as mulheres sejam livres

Nos últimos 10 anos, a Marcha Mundial das Mulheres (MMM) vem se constituindo como um movimento internacional feminista, anticapitalista, irreversível e incontornável, ou seja, capaz de incidir na conjuntura. Neste momento, preparamos nossa Terceira Ação Internacional, que se desenvolverá entre março e outubro de 2010. As ações internacionais ocorrem de cinco em cinco anos e …

por em

Ajuda ou intervenção?

Bhubaneswar, capital do Estado do Orissa (nordeste da Índia), 24 de janeiro de 2010. Comprimindo-se de estande em estande, na grande exposição nacional dos artesãos que ocorre anualmente, os casais contemplam ou compram os tecidos e saris produzidos na península. Na entrada da vasta zona mercantil, dois homens desfraldam uma bandeirola. Um terceiro distribui folhetos. …

por em

A Grécia é a bola da vez

Mesmo os jogos de azar são afetados pela recessão! O volume de negócios da indústria dos jogos e cassinos diminuiu 16%. Não é que haja menos apostadores. Pelo contrário, mais e mais gregos jogam. Eles simplesmente têm menos dinheiro no bolso. Essa queda acentuada no país europeu mais arraigado a esse tipo de jogos reflete …

por em

Rumo à falência

Ao contrário de uma família ou empresa, um Estado que declara não ter capacidade de pagar suas dívidas… não paga mesmo! E sem por isso perder o registro comercial ou desaparecer da superfície do planeta, ou seja, sem sofrer liquidação de seu patrimônio para reembolsar os credores. No caso de uma família, a falência termina …

por em

A urgência do contrachoque

Havia algumas boas razões para eu não estar inteiramente convencido da tese de Naomi Klein sobre a “doutrina do choque”.1 Sem dúvida, ela é muito pertinente no que diz respeito aos países do Sul ou ainda às economias em transição, mas não se aplica a todos os casos, como dá a entender. Afinal, é bastante …

por em

Dubai, uma queda anunciada

A crise financeira de 2007 e 2008 parecia ter poupado Dubai. O emirado ainda brilhava sob a luz dos fogos de artifício, os megaprojetos se multiplicavam e os fundos soberanos disputavam as ações dos grandes bancos internacionais1. Foi, inclusive, no pior momento da crise, em outubro de 2008, que Dubai – cujo projeto de construção …

por em

Um negócio lucrativo para a Goldman Sachs

Os Estados salvaram os bancos sem exigir nada em troca. Os bancos se voltam, com força revigorada, contra os Estados e os exploram, se aproveitando da amoralidade que eles mesmos lhe recomendaram. Porque quando o crédito público diminui o imposto sobre os empréstimos aumenta… A Goldman Sachs ajudou, desse modo, a Grécia a pedir emprestado …

por em

Erradicar a pobreza nas metrópoles

Vamos nos colocar uma meta: erradicar a pobreza nas metrópoles brasileiras em 8 anos. Seria isso possível? Se reunirmos condições políticas para tanto, como poderia ser feito? Pobreza é, antes de tudo, a impossibilidade de decidir sobre sua própria vida. Neste sentido, erradicar a pobreza é incluir nas decisões públicas os pobres, suas representações coletivas, …

por em

A zona obscura da contenção do crime

O Special Commitment Center (SCC), um centro de detenção de segurança máxima do Estado de Washington, nos Estados Unidos, está localizado na ilha de McNeil, no condado de Tacoma, a cerca de uma hora e meia de estrada até Seattle. É preciso pegar um barco fretado pela administração penitenciária e, em seguida, um transporte terrestre, …

por em